Gnosis: Sabedoria do Ser n1

3.585 visualizações

Publicada em

Primeira edição da revista Gnosis: Sabedoria do Ser

Publicada em: Espiritual
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.585
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.748
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
125
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gnosis: Sabedoria do Ser n1

  1. 1. Novembro 2010 n€ 1 AARTE DETRANSMUTAROCHUMBOEMOURO OSGRANDESALQUIMISTASNAHIST‚RIA O QUE € GNOSIS - OS CHACRAS - MEDITA•‚O - AS RELIGIƒES
  2. 2. „NDICE: 3 - CONTATO 5 - ALQUIMIA 8 - OS CHACRAS 13 - O QUE € GNOSIS 16 - AS RELIGIƒES 19 - A MEDITA•‚O E SEUS BENEF„CIOS A revista Gnosis Sabedoria do Ser … uma produ†‡o filantrˆpica e independente, n‡o tem nenhuma vincuo institucional, sua distribui†‡o … livre desde que se mantenha a integridade original do material. € com muita alegria que lan•o esta primeira edi•‚o da revista Gnosis: Sabedoria do Ser. Se tudo correr bem esta revista serƒ peri„dica, de m…s em m…s, ent‚o serƒ postado o link para download no blog oficial. Esta revista n‚o pertence † nenhuma institui•‚o, ela ‡ para todos os estudantes gn„sticos, independente de qual institui•‚o seja afiliado; sua distribui•‚o ‡ gratuita e todos aqueles que queiram, podem distribuˆ-la pela internet desde que mantenha seu conte‰do original, tal como textos, imagens, links, etc. n‚o se deve adicionar logomarcas ou retirar algo. Se voc… possuir um blog ou site, poderƒ colocar este material para download gratuitamente desde que siga as recomenda•Šes citadas acima. EDITORIAL PRODU‹ŒO E EDI‹ŒO: Jeferson Dias
  3. 3. Acesse o blog e tenha mais informa†‰es sobre Gnosis, al…m de baixar cursos, revistas e outros materiais para o estudo gnˆstico. acesse: http://gnosissabedoriadoser.blogspot.com/ Procure no orkut pela comunidade: Gnosis: Sabedoria do Ser e participe, lŠ voc‹ encontrarŠ outras pessoas interessadas neste conhecimentos e poderŠ ter acesso Œ links para baixar as novas edi†‰es da revista Gnosis Sabedoria do Ser al…m de cursos e muito mais. Siga Gnosis Sabedoria do Ser no twitter: EntreemcontatoetenhaacessoŒsnovasedi†‰esdarevistaal…mdemuitosoutrosmateriaisdeestudosgnˆsticos 03 http://twitter.com/#!/GnosisSdS
  4. 4. Ajude † difundiar o conhecimento gn„stico atrav‡s dos informativos Gnosis Sabedoria do Ser, voc… pode imprimir e distribuir em sua cidade. O conhecimento gn„stico ‡ muito valioso e a ‰nica forma de se pagar por ele ‡ passando-o para os demais, ‡ necessƒrio levar este conhecimento † toda a humanidade, isto se chama sacrifˆcio (sagrado ofˆcio/ trabalho sagrado). Devemos nos tornar missionƒrio gn„sticos, mas ser missionƒrio gn„stico n‚o ‡ apenas ministrar conferencias, pois ser missionƒrio gn„stico ‡ levar a doutrina para os demais independente do meio em que se utiliza, tanto aquele que ministra conferencias gn„sticas quanto aquele que distribui um informativo ‡ um missionƒrio gn„stico, pois estƒ levando esta maravilhosa doutrina para os demais. Com este informativo voc… terƒ a oportunidade de se tornar um missionƒrio gn„stico, de divulgar esta doutrina. Voc… encontrarƒ este informativo numero 1 nos seguintes link: blog: orkut: ou pe•a pelo e-mail: sabedoriadoser@gmail.com PASSOS: - salve o arquivo em tamanho grande. - leve † uma grƒfica ou copiadora. - imprima no tamanho A4, para que seja possˆvel a leitura. - distribua em sua cidade. Aceitamos sugestŠes de novos temas para criar os informativos. Seja um missionŠrio gnˆstico e ajude a difundir este conhecimento!!! 04 http://gnosissabedoriadoser.blogspot.com/2010/11/informativo-para-difusao.html CLIQUE NO LINK ABAIXO:
  5. 5. 05
  6. 6. AlquimiaA alquimia € uma ci•ncia muito antiga, conhecida por v‚rios povos antigos e sendo mais difundida na idade m€dia pelos alquimistas medievais, por€m sua origem ainda € indefinida. Possivelmente, a palavra alquimia tem origem das palavras ‚rabes “Al Khem”, que significa “o pa…s negro”, como era chamado o Egito, pois toda a sabedoria eg…pcia est‚ intimamente relacionada com a sabedoria alqu…mica, sabedoria esta atribu…da ao Deus …bis de Thot que € o mesmo Hermes Trismegisto dos romanos. A alquimia € a arte ou ci•ncia de transmutar um metal em outro, tal como os alquimistas medievais transmutavam o chumbo em ouro. Os ensinamentos alqu…micos ficaram velados e eram passados de l‚bios † ouvidos devido † Idade Negra de persegui‡ˆes na qual os alquimistas se encontravam. Muitas f‰rmulas, imagens e textos deixados pelos alquimistas sŠo cem por cento simb‰licos e por isso os cientistas e historiadores nŠo conseguiram usufruir desta ci•ncia, pois esta ci•ncia est‚ registrada simbolicamente, de forma herm€tica para que apenas os iniciados possam compreender. Todo aquele que queira desvelar os mist€rios da alquimia atrav€s dos textos e figuras medievais deve deixar de interpretar tais registros de forma literal, de forma meramente intelectual, baseadas nos conceitos da ci•ncia tradicional. A sabedoria alqu…mica foi atribu…da ao Deus Merc‹rio dos gregos, ele € o mensageiro do Olimpo e o planeta mais r‚pido do sistema solar foi batizado com o seu nome, o Deus Merc‹rio na Gr€cia foi chamado de Hermes Trismegisto e de Œbis de Thot no Egito. A sabedoria de Merc‹rio € a sabedoria herm€tica, de Hermes, que foi passada de l‚bios † ouvidos de forma fechada e sob juramento, no antigo Egito, aqueles que contasse tal segredo era decapitado por violar tal juramento. Muitos grupos de alquimistas se escondiam para estudar esta sabedoria e poucos os que podiam participar de tais grupos, da… surgiram as escolas herm€ticas, se tornando sin•nimo de sistemas fechados, como o termo “hermeticamente fechado” A sabedoria alqu…mica ou sabedoria de Merc‹rio est‚ sintetizada do caduceu de merc‹rio. O caduceu de merc‹rio representa a anatomia oculta do homem: A esfera inferior € onde € depositado o merc‹rio † ser transmutado, que no homem € a sua energia sexual que deve ser transmutada pelo fogo do enxofre, ou fogo sexual. O cetro por onde sobem duas serpentes € por onde sobem os vapores do merc‹rio, que no homem € sua coluna vertebral, por onde sobe a energia transmutada atrav€s de dois fios energ€ticos chamados no oriente de Id‚ e Pingal‚. A esfera superior representa o c€rebro no homem, o c‚lice sagrado que deve receber a energia transmutada ou o ouro puro. 06
  7. 7. As asas representam a liberdade do esp…rito na qual tamb€m vemos nas figuras de anjos. Entre os grandes alquimistas temos: Nicolas Flamel, Conde Saint Geramain e o contemporŽneo Samael Aun Weor, que desvelou os mist€rios ocultos da alquimia em seu livro intitulado “O Matrimonio Perfeito”. Aquele que queira se tornar um verdadeiro alquimista deve estudar este livro para conhecer o modus operanti da verdadeira alquimia desvelada. Alquimia Jeferson Dias 07
  8. 8. OS CHACRAS 08
  9. 9. OS CHACRAS O que s€o: Chacras s€o v•rtices energ‚ticos do corpo astral que processam as energias do cosmos; estes chacras quando est€o em atividade, processam as energias de outras dimensƒes nos conferindo percep„ƒes extra sensoriais, al‚m dos cinco sentidos. Assim como o olho processa os feixes de luz transformando em informa„ƒes visuais assim tamb‚m atua os chacras com as energias mais sutis, ou seja, de outras dimensƒes, nos conferindo sentidos extraf…sicos como a clarivid†ncia, a clariaudiencia, etc. infelizmente temos estes chacras inativos, atrofiados pela falta de uso gerado pelo ceticismo, pois certas pessoas possuem estas faculdades e por motivo de ceticismo de outras pessoas, acabam ignorando estas faculdades fazendo com que ela se atrofie pela falta de uso. Muitas crian„as nascem clarividentes, por‚m quando dizem o que v†em seus pais sem fazer uma analise profunda do caso, acabam dizendo que ‚ uma ilus€o da mente da crian„a, que ela est‡ enlouquecendo e a crian„a acaba ignorando tal faculdade e aos poucos a perdendo. Al‚m de conferir faculdades extra sensoriais, os chacras estando em atividade, colocam em funcionamento a glˆndula relacionada com o mesmo. Cada chacra possui sua contraparte no f…sico, e esta contraparte ‚ uma glˆndula ou org€o; nosso corpo possui v‡rias glˆndulas e cada uma se relaciona com um chacra. Em nosso corpo astral existem v‡rios chacras, por‚m os mais importantes s€o sete, entre eles: o coron‡rio, frontal, lar…ngeo, card…aco, umbilical, prost‡tico/uterino e coccigeo. Estes chacras entram em atividade com a vocaliza„€o di‡ria de seu mantram correspondente; recomenda-se que se vocalize uma hora di‡ria o mantram do chacra em que se quer desenvolver sendo que o seu desenvolvimento ser‡ gradual, a medida em que se pratica a vocaliza„€o de forma adequado, o chacra aumentar‡ a sua atividade e aos poucos a faculdade surgir‡. Como vocalizar: Sente-se de forma c‰moda em um local tranqŠilo; relaxe o corpo e retire da mente todo o tipo de preocupa„€o que possa prejudicar a concentra„€o e desviar a aten„€o da pr‡tica, coloque toda a sua aten„€o na pr‡tica em que ir‡ realizar; fa„a algumas respira„ƒes profundas, enchendo todo o pulm€o, retendo por alguns instantes e logo exalando lentamente; ap•s fazer algumas respira„ƒes a fim de relaxar e tranqŠilizar o corpo e a mente, inale o ar, enchendo todo o pulm€o, concentre-se na regi€o do chacra correspondente ao mantram em que se vocalizar‡, imaginando um v•rtice energ‚tico que gira rapidamente ao mesmo tempo em que se vocaliza verbalmente o mantram, exalando lentamente o ar ao vocalizar a vogal; exale completamente o ar dos pulmƒes ao vocalizar. 09
  10. 10. OS CHACRAS 10 Sahashara (l€tus de mil p•talas) Este • o chacra coron‚rio, que nos confere o poder da polevidencia. Vibra com o mantram I. Tem relaƒ„o com a glandula pituit‚ria. Ajn„ (centro de comando) Chacra frontal ou terceiro olho, nos confere o poder da clarividencia ou capacidade de visualizar o ultra da natureza. Vibra com o mantram I. Tem relaƒ„o com a gl…ndula pineal. Vishuda (o purificador) Chacra lar†ngeo, nos confere o poder da clariaudiencia ou capacidade de ouvir as dimens‡es superiores. Vibra com o mantram E. Tem relaƒ„o com as Gl…ndulas tire€ides e paratire€ides.
  11. 11. OS CHACRAS 11 Anahata (inviolado) Chacra card†aco, nos confere o poder da intuiƒ„o. Vibra com o mantram O, que se vocaliza como ˆ. Tem relaƒ„o com o coraƒ„o. Mnipura (cidade das j€ias) Chacra do plexo solar, localizado dois dedos acime do umbigo, nos confere o poder da telepatia ou capacidade de ler os pensamentos alheios. Vibra com o mantram U. Tem relaƒ„o com as gl…ndulas supra renais. Swadhistana (morada do prazer) Chacra prost‚tico/uterino, nos confere o poder do desdobramento astral consciente. Vibra com o mantra M. Tem relaƒ„o com as gl…ndulas sexuais
  12. 12. OS CHACRAS 12 Muladhara (base) Chacra b‚sico, localizado no coccix, nos confere o poder de dominar a natureza interior. Vibra com o mantram S. Tem relaƒ„o com os test†culos e ov‚rios por Jeferson Dias
  13. 13. A palavra Gnosis vem do grego e quer dizer conhecimento, mas n‚o um conhecimento comum como os ensinamentos que recebemos nas escolas e universidades.‡ um conhecimento superior,transcendental, profundo e real que ensina o humanidade a ver e apalpar aquilo que era tido como mist‡rios. A Gnosis ‡ um conhecimento que se adquire atrav‡s da observa•‚o direta e experi…ncia pr„pria. A vivencia deste conhecimento leva o homem † grande realidade, pois a Gnosis ‡ um funcionalismo natural da consci…ncia, uma filosofia perene e universal, fazendo com que se auto realize, que ‡ o desenvolvimento harmonioso de todas as possibilidades infinitas do homem. A sˆntese da Gnosis estƒ na frase " „ homem, conhe•a a ti mesmo e conhecerƒs o universo e aos deuses!" retirada do texto escrito no templo de Delfos na Gr‡cia. A Gnosis existe desde a cria•‚o do universo e foi estudada em vƒrias ‡pocas e em diferentes civiliza•Šes, recebeu vƒrios nomes entre eles Jnana na •ndia, Noscete em Roma e Gnosis na Gr‡cia. A Gnosis era ensinada de forma herm‡tica, fechada de lƒbios a ouvidos dentro das escolas de mist‡rios dos tempos antigos, por seus grandes mestres. Toda escola de mist‡rios tinha dois tipos de conhecimento: Externo ou publico ( exot‡rico) e o interno ou secreto (esot‡rico). Entre as grandes civiliza•Šes que tiveram este conhecimento foram: egˆpcios, hindus, gregos, astecas, maias, incas, caldeus e etc. Entre os grandes mestres que estudaram a Gnosis temos: Hermes Trismegisto, Pitƒgoras, S„crates, Jesus, Paracelso, S‚o Tomƒs de Aquino, Conde Saint Germain, e nos tempo contemporŽneos Samael Aun Weor, grande humanista e filosofo, autor de mais de setenta obra sobre psicol„gica, medita•‚o, esoterismo, antropologia, alquimia e etc. A Gnosis oferece a chave da sabedoria transcendental, latente nos mist‡rios da natureza, do cosmos, da vida e da morte. A Gnosis estƒ sustentada por quatro pilares de sabedoria que s‚o: Ci…ncia, arte filosofia e religi‚o. A Gnosis pode ser sintetizada nos tr…s fatores de revolu•‚o da consci…ncia: Morrer: que ‡ a morte de nossos defeitos psicol„gicos. Nascer: o nascimento espiritual, cria•‚o de uma estrutura interna superior atrav‡s da Alquimia. Sacrifˆcio pela humanidade: ‡ o sagrado ofˆcio ou trabalho sagrado que fazemos em prol de nossos semelhantes (a humanidade) para que eles tamb‡m possam receber a sabedoria Atrav‡s dos tr…s fatores de revolu•‚o da consci…ncia nos transformamos em homens superiores, completos e verdadeiros. O que … Gnosis 13
  14. 14. CI•NCIA: Esta n‚o ‡ a ci…ncia meramente intelectual, das teorias, f„rmulas, teses e etc, ‡ a ci…ncia real e pura que nos possibilita ter a experi…ncia direta do real comprovando n‚o por teorias e cƒlculos, e sim por experi…ncia direta daquilo em que se estuda. Dentro da ci…ncia gn„stica n‚o ‡ necessƒrio laborat„rio, equipamentos ou outro tipo de parafernƒlia, mas o que necessita ‡ apenas nosso corpo e nossa vontade de ir em busca da verdade, pois nosso corpo ‡ um verdadeiro laborat„rio na qual podemos estudar todo o universo e aquilo que o homem jamais poderƒ estudar com suas mƒquinas ou telesc„pios atrav‡s da medita•‚o cientˆfica e o uso de nossos veˆculos internos para ingressar em outras dimensŠes da natureza e ali investigar aquilo que estƒ al‡m da mat‡ria, al‡m do que nossos olhos fˆsicos podem ver. Esta n‚o ‡ uma ci…ncia da mente, que ‡ muito limitada, e sim a ci…ncia da consci…ncia, do que hƒ de real dentro de todos n„s. a ci…ncia gn„stica estuda os fen•menos em seus princˆpios e em suas causas, ela vai at‡ a sua origem para poder obter a verdade e tem como objeto de estudo o campo universal, ou seja, tudo que existe. Estuda-se atrav‡s desta ci…ncia pura: universos paralelos, o desdobramento astral, a ci…ncia jinas, antopogenesis, alquimia e etc. ARTE: A gnosis como arte ensina o homem a se transformar em arquiteto de seu pr„prio mundo interior, se converte em um verdadeiro escultor de si mesmo, assim como um artista pega a mat‡ria prima r‰stica e a transforma em uma pe•a bela e cheia de valor, dentro da arte gn„stica o homem aprende a transforma esta sua estrutura interna rude em uma estrutura bela e perfeita atrav‡s da elimina•‚o de seus defeitos e cultivo de suas virtudes espirituais que at‡ ent‚o estava engarrafada pelo Ego. Tamb‡m temos a arte na qual estamos acostumados como a musica, pintura, escultura e etc. Por‡m esta arte dentro da gnosis n‚o ‡ uma arte subjetiva, que ‡ cria•‚o do intelecto e a gnosis sendo algo superior este tipo de arte intelectual n‚o nos leva a nada, n‚o nos passa algo real e proveitoso para nosso desenvolvimento interior, pois este tipo de arte passa apenas mensagens temporais, que s‚o de um determinado tempo e determinada cultura ao contrƒrio da arte objetiva, que ‡ a arte r‡gia da natureza regida pela lei do sete que cont‡m em si grandes verdades c„smicas atemporais, pois estas verdades nunca mudam com o tempo e s‚o universais, de todos os povos e culturas. A arte objetiva passa atrav‡s de sˆmbolos, mitos, hist„rias que s‚o impregnadas nas pinturas, esculturas, m‰sicas e etc grandes ensinamentos e conhecimentos que est‚o em toda natureza na qual apenas nossa consci…ncia pode perceber. Se analisarmos pinturas e desenhos antigos e medievais podemos observar grandes ensinamentos gn„sticos como alquimia psicologia, etc, assim tamb‡m em esculturas como a de Perseu e medusa, na m‰sica temos a sinfonia de Beethoven que simboliza uma inicia•‚o egˆpcia al‡m de outras obras de arte que possuem estes ensinamentos. O que … Gnosis 14
  15. 15. RELIGIŒO: Todos n„s temos uma partˆcula divina defiro em nosso interior, por‡m estamos desconectados desta partˆcula divina do universo que ‡ nosso deus interior, pois assim como existe a divindade fora tamb‡m existe dentro, como ‡ em baixo ‡ em cima, assim como ‡ dentro ‡ fora, tudo que existe no universo existe dentro de n„s, n‚o necessariamente como se ‡ fora mas sim como uma for•a interior pois o universo ‡ o macrocosmo e o ser humano ‡ o microcosmo, o universo em miniatura e assim como existe for•as divinas fora tamb‡m existe for•as divinas dentro, e o objetivo das religiŠes, pelo menos as grandes e verdadeiras religiŠes ‡ de religar como a pr„pria palavra religi‚o jƒ diz, que vem de religare, tornar a ligar o homem com sua parte superior, seu ser, seu deus interno, pois se o homem n‚o consegue encontrar deus dentro de si mesmo como ele poderƒ encontrar fora, ‡ como algu‡m que queira viajar para outro paˆs por‡m n‚o consegue nem ao menos sair de sua casa, devemos encontrar e nos religar com nosso deus interior caso contrƒrio qualquer tentativa de encontrar deus externamente fracassarƒ completamente. A Gnosis como religi‚o leva o homem a auto realiza•‚o intima do ser, que ‡ a uni‚o completa com nosso deus interior e tamb‡m estuda a ci…ncia das religiŠes em sua forma profunda n‚o se limitando †s teorias,cren•as e interpreta•Šes literais dos ensinamentos simb„licos, a Gnosis como religi‚o vai ao fundo ao real, aquilo que pode realmente ser vivido por todos n„s e n‚o apenas ficar teorizando, dizendo coisas bonitas e ficar esperando algo que n‚o se tem a certeza se ‡ real e n‚o fazer nada de concreto para se conectar com a divindade. A Gnosis como religi‚o n‚o ‡ dogma ou cren•a, ela ‡ prƒtica e transcendental, que pode ser experimentada e comprovada por todos pois a religi‚o deve andar de bra•os dados com a ci…ncia pura. O que … Gnosis 15 por Jeferson Dias
  16. 16. As Religi€esA origem das religi€es Qual • a verdadeira religi‚o As variadas formas religiosas 16
  17. 17. Religi€o • uma palavra que vem do termo latim religare, que significa tornar ‚ ligar o homem ao divino, ao divino que existe dentro de si mesmo, o nosso Real Ser, pois se n€o encontramos a divindade dentro, tampouco o encontraremos fora. Uma das perguntas mais intrigantes que nos fazemos em relaƒ€o ‚s religi„es •: Qual a verdadeira religi€o? Vivendo neste mundo encontraremos v…rias religi„es diferentes, onde cada uma fala algo diferente e dizendo ter a verdade, ent€o acabamos perdidos sem saber para onde ir e acabamos mariposando de religi€o em religi€o sem saber em qual ficar e na maioria das vezes a pessoa sai de determinada religi€o defraudada. Mas a verdadeira religi€o • a pr†pria verdade, pois podem dizer e acreditar no que quiser por que a verdade ser… sempre a mesma, imut…vel, ela n€o ir… mudar pelo fato de que em tal religi€o acredita em tal coisa, pois a Verdade •, foi e sempre ser… a mesma. Todas as religi„es s€o, foram ou possuem parte da verdade mesmo que seus membros n€o ‚ compreendem ou d‡em interpretaƒ„es equivocadas dos ensinamentos ali contidos. As variadas religi„es s€o apenas roupagens, alegorias para passar esta Verdade de acordo com a cultura de determinado povo, • como um bolo que muda sua forma, mas a receita • a mesma. As religi„es s€o as mesmas, pois contem em si os mesmos princˆpios, mudando apenas nomes, lugares, hist†rias, ou seja, a forma de passar o ensinamento. Estes princˆpios s€o valores eternos que toda religi€o carrega, s€o verdades c†smicas. Estes princˆpios s€o sempre os mesmos e nunca mudam, como os ingredientes de determinado bolo. Entre estes princˆpios temos: O Cristo: este princˆpio foi cultuado em v…rias religi„es, por•m com nomes diferentes e em •pocas diferentes, por•m a funƒ€o deste princˆpio • a mesma.o princˆpio do Cristo recebeu o nome de H†rus no Egito e Krishna na ‰ndia. A trindade divina: s€o as tr‡s forƒas prim…rias da criaƒ€o, as forƒas que criam tudo no universo, conhecida como pai, filho e espˆrito santo. Osˆris, ‰sis e H†rus. Brahma, Vishnu e Shiva, etc. Livro Sagrado: cada religi€o possui um livro sagrado e • ali onde est… contido toda a sabedoria de determinada religi€o, que apesar de falar de par…bolas, pessoas, •pocas, her†is diferentes, todas possuem os mesmos ensinamentos, mudando apenas a forma de passar esta sabedoria. Os livros sagrados devem interpretados de forma profunda e n€o l literal, pois a maioria est€o escrito de forma simb†lica, em c…tedras para nossa consci‡ncia. As Religi€es 17
  18. 18. As religi„es v€o se ramificando e formando novas assim como uma arvore vai se ramificando. Todas as religi„es vieram de uma mesma fonte, de um mesmo tronco, que • esta sabedoria, este conhecimento chamado de Gnosis pelos gregos, pois todas as religi„es em algum momento beberam deste conhecimento que tem suas raˆzes na ci‡ncia, arte, filosofia e religi€o. Ningu•m inventou alguma religi€o, o mensageiro apenas passa o ensinamento na qual ele teve experi‡ncia graƒas a sua consci‡ncia desperta e ent€o as pessoas criam as religi„es, instituiƒ„es, leis eclesi…sticas, etc. para difundir este conhecimento. Enquanto o mestre est… com o povo, ele est… sempre corrigindo, auxiliando as pessoas para que o ensinamento continue puro, por•m quando o mestre se retira o ensinamento fica nas m€os de pessoas adormecidas, que ainda possuem o ego e passam ‚ interpretar os ensinamentos de forma equivocada e ‚ adulterar o ensinamento de acordo com seus intereses egoˆstas, o que faz com que a religi€o perca seus princˆpios originais. Quando a religi€o perde seus princˆpios, ent€o vem outro mensageiro para trazer novamente aqueles princˆpios perdidos novamente para a humanidade, ent€o estes princˆpios se veste com uma nova roupagem, com uma nova forma para continuar existindo. Sendo assim, a Verdade • passada de tempos em tempos por algum mensageiro quando a humanidade est… se afastando dos princˆpios originais que nos conduze ‚ divindade. 18 por Jeferson Dias
  19. 19. A medita•‚o ‡ uma ci…ncia muito antiga, conhecida e praticada por muitos povos, sendo muito difundida pelos orientais. A medita•‚o ‡ um estado em que se chega de n‚o pensamento por meio da concentra•‚o; apesar de ser chamar a medita•‚o de prƒtica, na verdade a medita•‚o ‡ um estado. S‚o in‰meros os benefˆcios que se logra atrav‡s da medita•‚o, tais como: Controle psicol„gico, fˆsico e emocional; compreens‚o e ilumina•‚o, etc. A medita•‚o ‡ uma ferramenta poderosa na qual o homem atualmente n‚o utiliza; atrav‡s da medita•‚o podemos submergir em nosso universo interior para extrair a sabedoria que ali se encontra e conhecer † n„s mesmos. Quando esvaziamos nossa mente, nos chega a ilumina•‚o, pois enquanto a mente esteja cheia, n‚o haverƒ possibilidade da ilumina•‚o ocupar nossa mente. Atrav‡s da medita•‚o, passamos † ter maior controle sobre n„s mesmos, passamos † dominar nossa mente, † ter controle sobre o corpo fˆsico e † moderar nossas emo•Šes, deixando assim de agir por impulsos. A medita•‚o nos traz benefˆcios tanto fˆsicos como espirituais e ‡ indispensƒvel para se adquirir a verdadeira sabedoria; devemos meditar diariamente para adquirir compreens‚o e sabedoria. O p‚o do sƒbio ‡ a medita•‚o. Colocando em prƒtica: Aqui segue de forma simples e muito resumida, os passos principais da medita•‚o, pois n‚o se deve complicar esta maravilha com muitas teorias, devemos praticƒ-la de forma simples, por‡m de forma eficiente e real, sem enganar † n„s mesmos com prƒticas que n‚o nos levarƒ † nada. - O primeiro passo ‡ preparar o ambiente, pois este deve ser limpo, arejado e perfumado; al‡m da prepara•‚o e limpeza de nosso corpo fˆsico. Certifique-se que nada poderƒ lhe interromper durante a prƒtica, como o telefone tocando, a panela no fogo, a porta ou janela aberta, etc. deixe o ambiente agradƒvel para voc…, isto ‡ algo pessoal. - O corpo deve estar limpo e relaxado, utilizando roupas que n‚o vƒ incomodar durante a prƒtica, pode-se tomar um bom banho para aliviar o estresse do dia a dia. - Devemos nos preparar interiormente, nossa mente e sentimentos devem estar tranq‘ilos e voltados para a medita•‚o, devemos esquecer todos os problemas para que eles n‚o interfiram em nossa prƒtica. - Nos colocamos em uma posi•‚o adequada, na qual possamos relaxar completamente como em posi•‚o de l„tus, sentado em uma cadeira ou deitado, por‡m sempre com a coluna ereta e o corpo relaxado e im„vel. - Tranq‘ilize a mente, ignorando todos os pensamentos que s‚o projetados nesta enorme tela. - Concentre-se em algum ponto como a respira•‚o ou os batimentos cardˆacos, sem colocar a mente no meio jogando algum comentƒrio, apenas sinta a respira•‚o, sinta as batidas do cora•‚o, n‚o deixe que a mente diga: “o ar estƒ saindo, o ar estƒ entrando”. - Ap„s a concentra•‚o profunda virƒ o silencio total da mente e com isso o …xtase ou samadi. Estes s‚o passos bƒsicos da medita•‚o na qual podemos colocar em prƒtica todos os dias, o …xtase se logra com a prƒtica freq‘ente e n‚o do dia para a noite, por isso hƒ que se praticar diariamente pelo tempo na qual se deseja, sendo que o ideal seria aumentar o prazo da medita•‚o a cada dia, mas n‚o devemos nos preocupar com o tempo do rel„gio, o importante ‡ o nosso tempo particular. A Medita†‡o e seus benef•cios 19 por Jeferson Dias
  20. 20. Curso de Gnosis Sabedoria do Ser em pdf EM BREVE!!! PSICOLOGIA GN‚STICA ALQUIMIA DESDOBRAMENTO ASTRAL E O MUNDO DOS SONHOS REENCARNAƒ„O, RETORNO E RECORRENCIA OS ELEMENTAIS E MUITO MAIS TOTALMENTE GRATUITO E EM PDF MAIS DE 20 LI•ƒES ENTRE ELAS: 20 ACESSE: http://gnosissabedoriadoser.blogspot.com/

×