Seminário Proteinograma

12.432 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.432
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
37
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário Proteinograma

  1. 1. PROTEINOGRAMA
  2. 2. É uma técnica para separação de proteínas, pela migração através de um gel, de acordo com o tamanho ou carga iónica, pela aplicação de um campo eléctrico. Elas podem ser visualizadas por coloração e quantificadas, em termos relativos, usando densitómetros que monitorizam continuamente a densidade fotométrica da coloração.O proteinograma avalia proteínas totais e confirma alterações da função hepática, função renal, alterações hematológicas, deficiência protéica e neoplasias.
  3. 3.  É a separação das proteínas séricas humanas, por eletroforese, em seis frações principais, com diferentes mobilidades: albumina, alfa-1 globulinas, alfa-2 globulinas, beta-1 globulinas, beta-2 globulinas e gama globulinas. Para a execução dos proteinogramas é aconselhável a utilização de amostras de soro frescas. As amostras descongeladas podem levar ao aparecimento de ligeiras bandas no ponto de aplicação, devido à desnaturação das proteínas ou lipoproteínas. No entanto pode-se analisar proteínas presentes no plasma, urina e LCR.
  4. 4. Parâmetro Valor normalProteínas totais 6 - 8 g/dl Albumina 53,8 - 65,2% Alfa 1 (*) 1,1 - 3,7% Alfa 2 (*) 8,5 - 14,5% Beta (*) 8,6 - 14,8% Gama (*) 9,2 - 18,2%
  5. 5.  Jejum de 8hrs; Não deve ingerir dieta rica em gorduras; Suspender medicações que interferem nos níveis de proteínas séricas; No caso de analise em urina, pode usar urina de 24h;
  6. 6.  RsV , 3 anos, masculino. Criança apresentou edema de fase há 7 dias.Urina escura e com volume diminuído.Vem apresentando tosse há 10 dias e febre alta há 5 dias .Foi atendido em um pronto socorro da cidade de Anápolis,onde foi observada anasarca.O médico solicitou os seguintes exames laboratoriais. EAS UREIA<CREATININA Dosagem de proteínas colesterol total triglicerídeos
  7. 7.  Resultado dos exames: Proteinúria +++/4+ cilindros hialinos uréia-60mg/dl creatinina-0,5 mg/dl proteínas totais/albumina 4,5/1,5 g% colesterol total 335mg/dl triglicerídeos-240mg/dl
  8. 8.  A)Quaisorientações deve-se fazer ao paciente para a realização destes exames? O paciente não deve ingerir dieta rica em gorduras durante 8 horas antes do teste. Suspender os medicamentos que interferem nos níveis de proteínas séricas. B)Qual o possível diagnostico? síndrome nefrotica
  9. 9. c)Correlacione a clinica do paciente com os resultados laboratoriais? edema + hipoalbuminemia + proteinuria= Sindrome Nefrótica.
  10. 10. A coleta de sangue deve ser realizada de preferência pela manhã devido às variações no decorrer do dia. Informar doenças hepáticas, antecedente de asma, tumores linfóides (mieloma múltiplo), cirrose biliar, processos infecciosos, hepatite crônica, reações alérgicas, hepatopatias, síndrome nefrótica ou enteropatia com perda protéica.
  11. 11. • Soro Sanguíneo: Sem hemólise e não lipêmico. Refrigerar a amostra por até uma semana.• Urina: São utilizadas amostras de 24 h ou 12h sem preservativos e mantidas em refrigerador. Não sendo possível a determinação nas primeiras 48 h após a coleta, deve-se misturar bem e separar uma alíquota. Amostras congeladas são estáveis por um ano.• Líquidos(pleural, sinovial e ascítico). O analito é estável por 3 dias entre 2-8°C e 7 dias a 10°C negativos.
  12. 12.  Pacientes Ambulatoriais 6 a 7.8 g/dL;• Valores de referência para as proteínas na urina: Adultos 40 a 100 mg/d; Mulheres grávidas Até 150 mg/d; Após exercícios (adultos) Até 300 mg/d;• Valores de referência para as proteínas nos líquidos : Líquido sinovial: 1,0 a 3,0 g/dL; Líquido pleural: concentração de proteína no soro/concentração de proteína no liquido <0,5;
  13. 13.  Pcte 43 anos realizou exames laboratoriais de rotina sem nenhuma sintomatologia clínica, os exames de hemograma, EAS e lipidograma apresentaram-se normais, porém ,o exame de proteína total e frações apresentou leves alterações(Proteínas totais : 8,2 g/dL e Albumina: 5,6 g/dL).
  14. 14.  Citeos erros de coleta que podem ter influenciado na alteração desse exame. Garroteamento prolongado(causa a hemoconcentração, elevando os valores da proteínas total e frações) e a hemolise ( pode interferir no método colorimetrico).
  15. 15.  A determinação das proteínas totais em amostras de sangue e outros líquidos biológicos é útil para avaliar o estado nutricional e as alterações protéicas nas doenças. Os reagentes utilizados são: Reagente Biureto: Armazenar entre 15 - 30 ºC. Contém hidróxido de sódio 600 mmol/L, sulfato de cobre 12 mmol/L, estabilizador e antioxidante. Manusear com cuidado; reagente corrosivo. Não pipetar com a boca. Padrão - 4,0 g/dL; Armazenar entre 15 - 30 ºC. Após o manuseio, sugere-se armazenar bem vedado para evitar evaporação. Contém albumina bovina 4 g/dL e azida sódica 15,4 mmol/L.
  16. 16.  Tomar 3 tubos de ensaio e proceder como a seguir: Branco Teste Padrão Amostra ----- 0,02 mL ----- Padrão (nº 2) ----- ----- 0,02 mL Água destilada ou deionizada 0,02 mL ----- ----- Biureto de Uso 1,0 mL 1,0 mL 1,0 mL
  17. 17.  Misturar e incubar a 37 °C durante 10 minutos. Determinar as absorbâncias do teste e do padrão em 545 nm (530 a 550 nm), acertando o zero com o branco. A cor é estável durante 1 hora. Procedimento automatizado Fazer referência ao manual ou POP para utilização do equipamento analítico. Anexar o guia de aplicação dos reagentes para o sistema automático.
  18. 18.  Precauções e cuidados especiais Para manusear e descartar reagentes e material biológico, aplicar as normas estabelecidas de segurança. Fazer referência ao manual ou POP de segurança. A limpeza e secagem adequadas do material são fatores fundamentais para a estabilidade dos reagentes e obtenção de resultados corretos. Fazer referência ao manual ou POP de limpeza e verificação da qualidade da limpeza dos materiais. A água utilizada no laboratório deve ter a qualidade adequada a cada aplicação. CÁLCULOS Ver linearidade. Absorbância do teste Proteínas (g/dL) = ________________________ x 4 Absorbância do padrão Devido a grande reprodutibilidade que pode ser obtida com a metodologia, o método do fator pode ser empregado. 4 Fator de calibração = ________________________ Absorbância do padrão Proteínas (g/dL) = Absorbância do teste x Fator
  19. 19.  Unidade de medida g/dL Valores de referência Soro: 6,0 a 8,0 g/dL. Líquido sinovial: 1,0 a 3,0 g/dL. Líquido pleural: concentração de proteína no soro/concentração de proteína no líquido < 0,5
  20. 20. A dosagem isolada da proteína total tem pouco valor, porque a alteração em uma das frações pode ser compensada por alteração oposta de outra fração, como ocorre nas doenças crônicas em que há diminuição de albumina com aumento de gamaglobulina. Ocorrência similar pode ser observada em respostas de fase aguda, tais como infecções ou traumas, ocasião em que muitas proteínas plasmáticas produzidas no fígado aumentam sua concentração, enquanto a albumina se reduz, mantendo a concentração protéica total praticamente inalterada.
  21. 21.  HOMEM, 48 ANOS, PROCURA HOSPITAL DE URGÊNCIA COM AUMENTO DA SENSIBILIDADE NO HIPOCÔNDRIO DIREITO ( LADO SUPERIOR DIREITO DO ABDOMEM) HEPATOMEGALIA. RELATA INGERIR BEBIDA ALCÓOLICA HÁ MAIS DE 20 ANOS E HÁ MUITO TEMPO NÃO SE SENTE BEM, O MÉDICO SOLICITA ALGUNS EXAMES, ENTRE ELES SÃO: GAMA GT, TGO E TGP, ALBUMINA E PROTEÍNAS TOTAIS. RESULTADOS DOS EXAMES: GAMA GT: 105,0 U/L VR: HOMENS 15,0 – 85,0 TGO: 78 U/L VR: HOMENS 11 – 39 TGP: 70 U/L VR: HOMENS 11 – 45 ALBUMINA: 1,5 G/DL VR: 3,5 – 5,5 PROTEÍNAS TOTAIS: 3,0G/DL VR: 6,0 – 8,0
  22. 22.  QUAL O PROVÁVEL DIAGNÓSTICO? CIRROSE ALCÓOLICA CRÔNICA
  23. 23.  Tubos de ensaio; ponteiras; Os restos de reagentes e materiais biológicos contidos nos tubos, são descartados de acordo com as normas estabelecidas no PoP de cada laboratório. A limpeza e secagem dos materiais são fatores fundamentais para obtenção de um bom resultado
  24. 24.  Desprezar os materiais biológico e reagentes; Lavagem com detergente não enzimático e água corrente; Deixar de molho em solução de Hipoclorito de Sódio 1% por PELO MENOS 6 HORAS de acordo com o POP do LEAC; Enxaguar em água corrente e deixar de molho em detergente não-iônico por 5 min.; Enxaguar novamente em água corrente, passar por água deionizar estática e depois em água deionizada corrente;
  25. 25.  Os tubos devem ser colocados em estufa de calor seco por 600 minutos a 160ºc; Retirar da estufa e armazenar em local adequado.
  26. 26.  TCM procura laboratório padrão de Altamira- PA , com pedido de exame de dosagem de proteínas totais , orientada pela recepcionista a voltar no dia seguinte com jejum de 8 horas. A paciente retorna ao laboratório e a coleta e feita corretamente como previsto no PoP. Realizado na bioquímica , a profissional responsável pela realização do teste nota níveis fora dos padrões do controle interno do laboratório dos teste realizados no soro da paciente, ou seja alterados, a profissional resolve refazer o teste com um kit novo aberto no momento da realização do novo teste ,e o mesmo resultado se mantém . VR= 6,0 a 8,0 g/dl Controle interno: 8,5g/dl VO¹= 12,3 g/dl VO²= 12,6 g/dl
  27. 27.  Quefatores levariam o teste realizado se manter fora dos padrões internos do laboratório?
  28. 28. OBRIGADOOO!!!!

×