Rio Grande do Norte e Paraiba

3.341 visualizações

Publicada em

1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
85
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Rio Grande do Norte e Paraiba

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CERES/CAICÓ - DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DISCIPLINA: SEMINÁRIO DE GEOGRAFIA REGIONAL COMPONENTES; CLARA YASMIM DANILO FERNANDES EVA MARIA GISLAINE FREITAS MARCUS VINICIUS MARIA APARECIDA SUÊNIA SHEYLA
  2. 2. Paraíba Rio Grande do Norte
  3. 3. <ul><li>A colonização do estado do Rio Grande do Norte teve inicio em 1530 . </li></ul><ul><li>o Rio Grande do Norte passa a se tornar província. </li></ul><ul><li>primeiro governador Pedro de Albuquerque maranhão. </li></ul>HISTÓRIA
  4. 4. <ul><li>Devido as invasões de holandeses e portugueses, foi necessário a criação do Forte dos Reis Magos, criada por Manoel Mascarenhas, que teve inicio em 25 de dezembro de 1587. </li></ul><ul><li>Atualmente é um monumento histórico. </li></ul>
  5. 5. Fonte:http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=rn DEMOGRAFIA DO RN
  6. 6. ASPECTOS FÍSICOS DO RIO GRANDE DO NORTE
  7. 7. CLIMA RELEVO VEGETAÇÃO HIDROGRAFIA
  8. 8. CLIMA
  9. 9. RELEVO
  10. 10. VEGETAÇÃO
  11. 11. HIDROGRAFIA
  12. 12. <ul><li>Cultura </li></ul>
  13. 13. O estado conta com uma importante tradição cultural, que engloba artesanato, culinária, esporte, folclore, literatura, musica e turismo.
  14. 14. <ul><li>Turismo </li></ul>Turismo e Ecoturismo O estado tem o maior cajueiro do mundo (em Parnamirim), o centro de lançamento barreira do inferno, considerado como centro turismo de natal .
  15. 17. Dá milho, feijão, Tem fruta, tem cana, Melão e banana Arroz, algodão. As melancias dão Tantas como areia.
  16. 18. Municípios Exportadores do RN
  17. 19. BALANÇA COMERCIAL DO RIO GRANDE DO NORTE JANEIRO A SETEMBRO DE 2010 No acumulado de janeiro-setembro de 2010 o RN fechou o período com um saldo negativo de US$ 80.090 em sua balança comercial, originado do valor de suas importações – US$ 272.377 superior às exportações US$ 192.287. As exportações registraram crescimento de 8,82% e as importações tiveram aumento de 123,25% quando comparados com igual período de 2009.
  18. 24. Paraíba
  19. 25. História da Paraíba <ul><li>A Paraíba (que significa “Rio que é braço do mar”-Pará-ibá), foi fundada em 1585. </li></ul><ul><li>Antes de seu descobrimento o estado era ocupado pelos índios potiguaras, passando posteriormente a ser de domínio de holandeses e portugueses. </li></ul><ul><li>Criação, conquista e república da capitania real da Paraíba. </li></ul>
  20. 26. Fonte: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=pb ASPECTOS DEMOGRAFICOS DA PARAÍBA
  21. 27. ASPECTOS FÍSICOS DA PARAÍBA <ul><li>A Paraíba é um Estado brasileiro que se encontra na região Nordeste, ocupa uma área de 56.469,466 km2, abrigando uma variedade de paisagens naturais, das quais as que possuem maior destaque são: relevo , clima , vegetação e hidrografia . </li></ul>
  22. 28. RELEVO <ul><li>A superfície do Estado da Paraíba é constituída basicamente por três unidades de relevo: Planície Litorânea , Planalto e Depressão . As planícies predominam no Estado em áreas litorâneas, lugares compostos por praias. O Planalto da Borborema é onde se encontram os picos mais altos do Estado. As depressões são identificadas no agreste da Paraíba, nas proximidades com o planalto da Borborema. O ponto mais elevado do Estado é chamado de Pico do Jabre, com 1.197 metros de altitude. </li></ul>
  23. 30. ÁREA DE DOMÍNIO DO PLANALTO DA BORBOREMA
  24. 31. PICO DO JABRE NA SERRA DE TEIXEIRA
  25. 32. CLIMA <ul><li>Assim como a maioria dos Estados nordestinos, a Paraíba possui clima do tipo tropical úmido nas áreas litorâneas. Nessas regiões, as chuvas são regulares, com índices pluviométricos relativamente elevados. No entanto, no interior do Estado é identificado o clima semi-árido , com índices pluviométricos baixos e temperaturas que giram em torno dos 26°C, exceto em alguns pontos, nas proximidades do Planalto da Borborema, onde a média é de 24°C. </li></ul>
  26. 34. VEGETAÇÃO <ul><li>A cobertura vegetal do Estado é variada. No litoral ocorrem matas , mangues e cerrados , basicamente constituídos por gramíneas e arbustos, além da floresta Atlântica. Já na região oeste do Estado, área de clima semi-árido, a Caatinga é predominante. </li></ul>
  27. 36. CAATINGA MATA ATLÂNTICA
  28. 37. HIDROGRAFIA <ul><li>A hidrografia paraibana é classificada em: Rios Litorâneos e Rios Sertanejos. Os Rios Litorâneos são: Rio Paraíba , Curimataú e o Mamanguape . Esses nascem geralmente na Serra da Borborema e seguem para o oceano, onde desembocam suas águas. Já os Rios Sertanejos são: rio Piranhas , rio do Peixe , rio Piancó e Espinhara . Os rios sertanejos são aqueles que se deslocam em direção aos relevos mais baixos e deságuam no litoral do Estado do Rio Grande do Norte. </li></ul>
  29. 40. LIMITES <ul><li>A Paraíba possui, entre seus extremos, a Ponta do Seixas, importante ponto turístico da capital do Estado. Localizada na praia do Cabo Branco, a Ponta do Seixas é o local que marca o ponto mais oriental das Américas. Este local marca o limite do Estado para o leste, onde o mesmo se encontra com o Oceano Atlântico. </li></ul>
  30. 41. <ul><li>Já à oeste, a Paraíba se limita com o Estado do Ceará, cuja capital é Fortaleza. Ao norte, o Estado se limita com o Rio Grande do Norte, que tem Natal como capital. </li></ul><ul><li>Finalmente, ao sul, a Paraíba se limita com o Estado de Pernambuco, cuja capital é Recife. </li></ul>
  31. 42. PONTA DOS SEIXAS
  32. 43. ASPECTOS ECONÔMICOS
  33. 49. <ul><li>Culturas paraibanas </li></ul><ul><li>A Paraíba além de apresentar um grande potencial turístico, também possui um grande acervo da cultural popular ; </li></ul><ul><li>Os grupos folclóricos ainda preservam os cantos as danças como o reisado, o xaxado , o forro , a ciranda , o coco-de-roda entre outras ; </li></ul><ul><li>A s comidas típicas da região também é um outro grande atrativo turístico; </li></ul><ul><li>T urismo ; </li></ul>

×