Texto s.a

619 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Texto s.a

  1. 1.  Público-alvo: 7ª Série/8º Ano Tempo Previsto: 6 aulas Conteúdos e temas: estudo do gênero textual crônica; caracterizaçãodos elementos da narrativa; leitura e produção do gênero estudado;estudo dos conhecimentos lingüísticos (de acordo com os critérios deCorreção de Redação do SARESP); Competências e habilidades: Inferir e localizar informações explícitas eimplícitas no texto estudado. Estratégias: leitura compartilhada, individual e coletiva de crônicas;discussão oral e coletiva sobre o texto abordado; interpretação eprodução textual; preenchimento de ficha organizativa; revisão,divulgação e apresentação dos trabalhos realizados. Recursos: material impresso, uso de datashow, livros de crônicas da Salade Leitura, acervo do Kit de Apoio ao Saber, filme: Meu primeiro beijo. Avaliação: Participação e interação dos alunos nas atividades propostas;produção de texto de acordo com os critérios estabelecidos para ogênero: Crônica; preenchimento da ficha organizativa e apresentaçãodos trabalhos realizados na Sala de Leitura.
  2. 2.  Levantamento de conhecimentos prévios dosalunos quanto à experiência do primeirobeijo; Apresentação da biografia do autor; Leitura compartilhada do texto; Questionamentos sobre o gênero textual lido; Interpretação oral e escrita do texto; Caracterização do gênero: Crônica;
  3. 3.  Leitura individual de outras crônicas ediferentes autores; Apresentação do filme: Meu primeiro beijo; Trabalho em grupos para produção de textos:acróstico, Histórias em Quadrinhos, crônica,ilustrações dos trabalhos realizados; Preenchimento de ficha organizativa; Apresentação e divulgação das atividades naSala de Leitura.
  4. 4.  É dificil acreditar, mas meu primeiro beijo foi num ônibus, na volta da escola. Esabem com quem? Com o Cultura Inútil! Pode? Até que foi legal. Nem eu nem elesabíamos exatamente o que era "o beijo". Só de filme. Estávamos virgens nesseassunto, e morrendo de medo. Mas aprendemos. E foi assim... Não sei se numa aula de Biologia ou de Química, o Culta tinha me mandado umdos seus milhares de bilhetinhos: " Você é a glicose do meu metabolismo. Te amo muito! Paracelso" E assinou com uma letrinha miúda: Paracelso. Paracelso era outro apelido dele.Assinou com letrinha tão minúscula que quase tive dó, tive pena, instintomaternal, coisas de mulher...E também não sei por que: resolvi dar uma chancepra ele, mesmo sem saber que tipo de lance ia rolar. No dia seguinte, depois do inglês, pediu pra me acompanhar até em casa. Noônibus, veio com o seguinte papo: - Um beijo pode deixar a gente exausto, sabia? - Fiz cara de desentendida. Mas ele continuou: - Dependendo do beijo, a gente põe em ação 29 músculos, consome cerca de 12calorias e acelera o coração de 70 para 150 batidas por minuto. - Aí ele tomoucoragem e pegou na minha mão. Mas continuou salivando seus perdigotos:
  5. 5.  - A gente também gasta, na saliva, nada menos que 9 mg de água; 0,7mg de albumina; 0,18 g de substâncias orgânica; 0,711 mg de matériasgraxas; 0,45 mg de sais e pelo menos 250 bactérias... Aí o bactéria falante aproximou o rosto do meu e, tremendo, tirou seusóculos, tirou os meus, e ficamos nos olhando, de pertinho. O bastantepara que eu descobrisse que, sem os óculos, seus olhos eram bonitos eexpressivos, azuis e brilhantes. E achei gostoso aquele calorzinho queenvolvia o corpo da gente. Ele beijou a pontinha do meu nariz, fechei osolhos e senti sua respiração ofegante. Seus lábios tocaram os meus.Primeiro de leve, depois com mais força, e então nos abraçamos debocas coladas, por alguns segundos. E de reperente o ônibus já havia chegado no ponto final e já tínhamostransposto , juntos, o abismo do primeiro beijo. Desci, cheguei em casa, nos beijamos de novo no portão do prédio, e aíficamos apaixonados por vária semanas. Até que o mundo rolou, as luasvieram e voltaram, o tempo se esqueceu do tempo, as contas detelefone aumentaram, depois diminuíram...e foi ficando nisso. Normal.Que nem meu primeiro beijo. Mas foi inesquecível! BARRETO, Antonio. Meu primeiro beijo. Balada do primeiro amor. SãoPaulo: FTD, 1977. p. 134-6.
  6. 6. Grupo 3

×