Introdução aula 6

371 visualizações

Publicada em

Introdução a engenharia Ambiental
Vários autores

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
371
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução aula 6

  1. 1. INTRODUÇÃO A ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE Aula 6 – Conceitos sobre Produção mais limpa
  2. 2. Conceitos Modernos • Prevenção da Poluição Atividades que visam eliminar ou reduzir a geração de poluentes. • Produção mais Limpa Desenvolvimento de métodos de produção baseados no conceito de prevenção da poluição.
  3. 3. Prevenção da Poluição Conceito desenvolvido como alternativa ao controle da poluição; • Estratégia que desloca o foco do controle da poluição para estratégias que procuram evitar a emissão de poluentes; • Requer uma mudança na maneira de avaliar as atividades humanas. antropomidia.com
  4. 4. Prevenção da Poluição • Em vários países onde é aplicado, o conceito de prevenção da poluição tem demonstrado ser uma estratégia econômica e ambiental mais efetiva que os métodos tradicionais de controle da poluição; alternativa ao controle da poluição
  5. 5. Definição de Prevenção da Poluição (USEPA) • Qualquer prática que: – Reduz a quantidade de qualquer substância perigosa ou poluente, incorporado aos resíduos, ou que sejam lançados no ambiente antes da reciclagem, tratamento ou disposição; – Reduz os riscos à saúde pública e ao meio ambiente associados com o lançamento dessas substâncias, poluentes ou contaminantes; – Reduz ou elimina a criação de poluentes através do aumento da eficiência no uso de matérias primas ou protege os recursos naturais por meio da conservação.
  6. 6. Produção mais limpa • Estratégia para o desenvolvimento das atividades, com base nos conceitos de prevenção da poluição; • Pode ser empregada mesmo na fase de projeto empreendimento, obtendo-se melhores resultados. do • Aplicação de uma estratégia ambiental preventiva integrada, aplicada a processos, produtos e serviços, para aumentar a eficiência global e reduzir riscos para a saúde humana e o meio ambiente; • Pode ser aplicada a processos usados em qualquer indústria, a produtos em si e a vários serviços providos na sociedade;
  7. 7. Produção mais limpa • Para processos produtivos, a P+L resulta em medidas de: – Conservação de matérias-primas, água e energia; eliminação de substâncias tóxicas e matérias-primas perigosas; redução da quantidade e toxicidade de todas as emissões e resíduos na fonte geradora durante o processo produtivo, de modo isolado ou combinadas. • Para produtos, a P+L visa: – Reduzir os impactos ambientais e de saúde, além da segurança dos produtos em todo o seu ciclo de vida, desde a extração de matériasprimas, manufatura e uso até a disposição final do produto. • Para serviços, a P+L implica em: – Incorporar a preocupação ambiental no projeto e na realização dos serviços
  8. 8. Qual o Papel do Engenheiro? • Integrar às suas atividades os Novos conceitos de desenvolvimento; • Avaliar os processos de forma integrada; • Multidisciplinaridade e trabalho em equipe. Qual o Modo de Atuação • Conhecer as relações existentes entre as atividades humanas e o meio ambiente; • Aprender com as lições do passado; • Ser capaz de promover mudanças.
  9. 9. Utilizando o raciocínio crítico Na atualidade a velocidade das informações é sem precedentes; • A sua interpretação sistêmica; requer uma abordagem • A razão é para que não sejam consolidadas e proliferados conceitos equivocados. • Para isto pode se utilizar a abordagem do raciocínio crítico.
  10. 10. Como utilizar o raciocínio crítico Obtenha todas as informações; • Compreenda todos os termos; • Questione como as informações ou fatos foram obtidos; • Questione a fonte das informações; • Questione as conclusões; • Esteja preparado e tolere as incertezas; • Examine a situação de forma abrangente.
  11. 11. Atividade Ações para o desenvolvimento sustentável local. Embora ocorram grandes discussões, a implementação de ações objetivas tem sido muito lenta, em grande parte devido à complexidade do cenário multifacetado das nações, ao desequilíbrio da organização institucional do mundo e aos interesses políticos e econômicos específicos. No entanto a saída para equacionar os conflitos parece estar pautada nas ações locais de sustentabilidade. Do pensamento ecológico “agir localmente, pensar globalmente”. Para que se alcancem os objetivos de sustentabilidade é importante que o trabalho iniciado prossiga em diversas frentes, em âmbito global e local, com a modificação dos sistemas produtivos e das práticas de uso dos recursos naturais. Neste sentido através dos 21 objetivos da AGENDA 21 elabore PROPOSTAS DE AÇÕES para a RMC.
  12. 12. Atividade • Objetivo 1 – Produção e consumo sustentáveis contra a cultura do desperdício. • Objetivo 2 – Ecoeficiência e responsabilidade social das empresas. • Objetivo 3 – Retomada do planejamento estratégico, infra-estrutura e integração regional. • Objetivo 4 – A energia renovável e a biomassa. • Objetivo 5 – Informação e conhecimento para o desenvolvimento sustentável. • Objetivo 6 – Educação permanente para o trabalho e a vida. • Objetivo 7 – Promover a saúde e evitar a doença, democratizando o SUS. • Objetivo 8 – Inclusão social e distribuição de renda. • Objetivo 9 – Universalizar o saneamento ambiental protegendo o ambiente e a saúde. • Objetivo 10 – A gestão do espaço urbano e a autoridade metropolitana
  13. 13. Atividade • Objetivo 11 – Desenvolvimento sustentável do Brasil rural. • Objetivo 12 – Promoção da agricultura sustentável. • Objetivo 13 – Promover a Agenda 21 Local e o desenvolvimento integrado e sustentável. • Objetivo 14 – Implantar o transporte de massa e a mobilidade sustentável. • Objetivo 15 – Preservar a quantidade e melhorar a qualidade da água nas bacias hidrográficas. • Objetivo 16 – Política florestal, controle do desmatamento e corredores de biodiversidade. • Objetivo 17 – Descentralização e pacto federativo: parcerias, consórcios e o poder local. • Objetivo 18 – Modernização do Estado: gestão ambiental e instrumentos econômicos. • Objetivo 19 – Relações internacionais e governança global para o desenvolvimento sustentável. • Objetivo 20 – Cultura cívica e novas identidades na sociedade da comunicação. • Objetivo 21 – Pedagogia da sustentabilidade: ética e solidariedade.
  14. 14. Material consultado • http://www.gesamb.pt/upload/gesamb/img/Pegada_Ecologica.pdf • Introdução a Engenharia Ambiental – 2º ed. São Paulo: Pearson Prentice, 2005 • PHD 2219 - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA AMBIENTAL A Crise Ambiental e Conceitos sobre Poluição - José Carlos Mierzwa • Reflexões sobre o futuro da sustentabilidade urbana com base em um enfoque socioambiental Laura Machado de Mello Bueno cadernos metrópole 19 pp. 99-121 10 sem. 2008
  15. 15. Material consultado • PHD 2219 – Introdução à Engenharia Ambiental Aula 2 – Desenvolvimento sustentável, prevenção à poluição e produção mais limpa. USP, Faculdade de Engenharia Ambiental

×