Tumores anexiais

7.258 visualizações

Publicada em

seminário 04 maio 2012

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.258
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • * O que dificulta os exames de rastreamento, gerando grande números de falsos positivos
  • *CA colorretal não polipóide hereditário
  • Pode ser oferecida a partir dos 40 anos ou após prole constituida nas mulheres com mutação BRCA 1 e 2
  • - Apesar desta alta taxa de mortalidade, ainda não existem evidências de que o rastreamento do câncer de ovário em pacientesde baixo risco seja benéfico.- Rastreamento na população geral tem alta taxa de falso positivo, submetendo mais as paciente a exames invasivos e estresse emocionalMesmo com o rastreamento na população de risco, não se observou redução na taxa de mortalidade.- Acog recomenda salpingooforectomia bilateral a partir dos 40 anos
  • Que indicam necessidade de intervenção cirúrgica- O doppler é utilizado para diferenciar entre um tumor anexial suspeito de malignidade de um tumor com sinais de benignidade
  • O CA-125 encontra-se elevado em 50% dos casos de tumores epiteliais no estádio 1 e em 90% nos casos avançados.Muitos estudos relatam preocupação com o uso de cortes fixos para os valores de CA 125. Referem que o mais adequada seria fazer dosagens seriadas para avaliar elevações progressivas desses valores.Baixa sensibilidade e especificidade para detecção de tumores em fase inicial
  • - S. de Meigs: tumor benigno de ovário (fibroma) + ascite + derrame pleural
  • Esses marcadores são importantes para diferenciar os diversos tipos de tumores ovarianosSão solicitados em mulheres mais jovens, na pré-menopausa, para excluir tumores de céls. Germinativas.
  • - TC: fraca discriminação entre os tecidos moles + desvantagem da irradiação
  • * Existem alguns estudos que citam a possibilidade de realizar TC como estadiamento pré-operatório. No entanto, a maioria dos estudos reforçam a idéia de que os exames de imagem não devem ser utilizados como estadiamento e adoção de conduta, pois os critérios radiológicos de irressecabilidade cirúrgica apresentam baixa precisão. Apenas a radiografia de tórax deve ser utilizada rotineiramente para rastreamento de metástases pulmonares.
  • A laparotomia ainda é o padrão ouro, mas a laparoscopia também vem sendo utilizada.Deve-se selecionar bem as pacientes a serem submetidas a laparotomia exploradora visto que a maioria das mulheres estão em uma faixa etária em que as múltiplas comorbidades são frequentes, aumentando o risco cirúrgico.
  • - A ruptura inadvertida durante a cirurgia, evento não raro no procedimento laparoscópico, altera o estadiamento de uma paciente com tumor IA para IC
  • Tumores anexiais

    1. 1. Mariana Olival da Cunha marianaolival@ig.com.brTumores anexiais:O que valorizar? Mariana Olival da Cunha (R2) Orientadora: Dra. Rebecca Sotelo
    2. 2. Epidemiologia • 6a neoplasia maligna mais freqüente • Baixa incidência* • 4a causa de morte por câncer em mulheres nos EUA • Maior taxa de mortalidade entre as neoplasias ginecológicas • Maioria dos diagnósticos é feita em estágio avançado (59% com disseminação à distância) Predicting Risk of Malignancy in Adnexal Masses - VOL. 115, NO. 4, APRIL 2010 © 2010 by The American College of Obstetricians and Gynecologists. Published by Lippincott Williams & WilkinsRastreamento e diagnóstico das neoplasias de ovário: papel dos marcadores tumorais - Rev Bras GinecolObstet. 2005; 27(4): 222-7
    3. 3. Fatores de risco • Mutações nos genes BRCA 1 e 2: - Duas ou mais familiares com câncer de ovário e/ou mama - História pessoal de câncer de mama bilateral - História familiar: a) familiar ou pessoal de câncer de mama antes dos 40 anos b) familiar ou pessoal de câncer de mama e ovário c) familiar de câncer de mama em homem • Mulheres descendentes de judeus Ashkenazi com um ou mais familiares de primeiro grau com câncer de ovárioRastreamento e diagnóstico das neoplasias de ovário: papel dos marcadores tumorais - Rev BrasGinecol Obstet. 2005; 27(4): 222-7
    4. 4. Fatores de risco• S. Lynch II*• Idade > 50 anos• Condição menopausal (Após 16 anos de menopausa)• Indução ou estimulação ovariana• ObesidadePredicting Risk of Malignancy in Adnexal Masses - VOL. 115, NO. 4, APRIL 2010 © 2010 by TheAmerican College of Obstetricians and Gynecologists. Published by Lippincott Williams & Wilkins
    5. 5. Fatores de proteção • Multiparidade • Uso ACO por 5 anos ou mais • Cirurgia profilática (salpingooforectomia bilateral) *The Role of the Obstetrician–Gynecologist in the Early Detection of Epithelial Ovarian Cancer - TheAmerican College of Obstetricians and Gynecologists, Committ ee Opinion Number 477 • March 2011
    6. 6. Sintomas • Aumento do volume abdominal • Urgência urinária • Dor pélvica • Anorexia • Plenitude pós-prandial • Redução de pesoThe Role of the Obstetrician–Gynecologist in the Early Detection of Epithelial Ovarian Cancer - The AmericanCollege of Obstetricians and Gynecologists, Committ ee Opinion Number 477 • March 2011Diagnosis and Management of Adnexal Masses - Copyright © 2009 American Academy of FamilyPhysicians
    7. 7. Rastreamento • População geral: nenhum • População com alto risco: Exame físico + USG TV + CA 125 semestral (National Comprehensive Cancer Network)*The Role of the Obstetrician–Gynecologist in the Early Detection of Epithelial Ovarian Cancer - TheAmerican College of Obstetricians and Gynecologists, Committ ee Opinion Number 477 • March 2011
    8. 8. Sinais de malignidade na USG* • Cistos > 8 cm • Cistos complexos com superfície irregular, projeções papilares internas e externas, septações, componente sólido e paredes espessas (risco de malignidade de 1 a 45%) • Volume maior que 100 cm3 • Ascite • Aumento no fluxo sanguíneo centralAbordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6
    9. 9. USG - Ovários normaisUltrassonografia nas massas anexiais: aspectos de imagem - Radiol Bras. 2011 Jan/Fev;44(1):59–67
    10. 10. USG - Cisto funcional Cisto simples, com conteúdo líquido anecoico, de contornos definidos, paredes delgadasUltrassonografia nas massas anexiais: aspectos de imagem - Radiol Bras. 2011 Jan/Fev;44(1):59–67
    11. 11. USG - Corpo lúteo A: Ovário direito com formação cística em seu interior, de parede delgada e conteúdo ecogênico, característico do corpo lúteo (seta). B: Doppler colorido – o halo de vascularização em torno do corpo lúteo (CL) caracteriza o aspecto de imagem em “anel-de-fogo”Ultrassonografia nas massas anexiais: aspectos de imagem - Radiol Bras. 2011 Jan/Fev;44(1):59–67
    12. 12. USG - EndometriomaA: Endometrioma em ovário esquerdo – massa cística preenchida por ecos de baixa intensidade,de aspecto mais homogêneo que os cistos hemorrágicos e de parede bem delimitada.B: Mesmo endometrioma, com visualização ao Doppler colorido mostrando ausência de vasos noseu interior, descartando tratar-se de massa sólida Ultrassonografia nas massas anexiais: aspectos de imagem - Radiol Bras. 2011 Jan/Fev;44(1):59–67
    13. 13. USG - CistoadenocarcinomaA: USTV evidenciando imagem tipicamente suspeita de malignidade – massa heterogênea emregião de fossa ilíaca esquerda (setas), de contornos irregulares, conteúdo ecogênicoheterogêneo, com Doppler evidenciando vascularização no componente sólido da massa.B: USTV mostrando, também, massa ecogênica complexa, com Doppler colorido evidenciandovascularização no componente sólido da massa (asterisco)Ultrassonografia nas massas anexiais: aspectos de imagem - Radiol Bras. 2011 Jan/Fev;44(1):59–67
    14. 14. CA 125 • Rastreamento de tumores anexiais* • Tumores serosos e endometrióides • Tumores mucinosos e de céls. claras • Marcador de resposta a QT • Acompanhamento de paciente já tratada • Valores de referência:* - Pós-menopausa: até 35 U/ml - Pré-menopausa: até 200 U/ml.The Role of the Obstetrician–Gynecologist in the Early Detection of Epithelial Ovarian Cancer - TheAmerican College of Obstetricians and Gynecologists, Committ ee Opinion Number 477 • March 2011
    15. 15. CA 125 elevado • CA de ovário • CA de Pâncreas, mama, bexiga, fígado, pulmão • Não ginecológicas: Hepatite ativa, pancreatite aguda, doença hepática crônica, cirrose, insuficiência cardíaca congestiva, diverticulite, mesotelioma, ascite não maligna, pericardite, pneumonia, poliarterite nodosa, período pós- operatório, doença renal, lúpus eritematoso sistêmicoDiagnosis and Management of Adnexal Masses - Copyright © 2009 American Academy of Family Physicians Rastreamento e diagnóstico das neoplasias de ovário: papel dos marcadores tumorais - Rev Bras Ginecol Obstet. 2005; 27(4): 22
    16. 16. CA 125 elevado • Ginecológicas: doença inflamatória pélvica aguda, adenomiose, neoplasia benigna de ovário, endometriose, síndrome de Meigs, menstruação, hiperestimulação ovariana, mioma uterinoDiagnosis and Management of Adnexal Masses - Copyright © 2009 American Academy of FamilyPhysiciansRastreamento e diagnóstico das neoplasias de ovário: papel dos marcadores tumorais - Rev Bras GinecolObstet. 2005; 27(4): 22
    17. 17. Outros marcadores tumorais • LDH: disgerminomas • AFP: tumores do saco vitelino e tumores mistos de céls. germinativas • CA 19.9: tumores mucinosos, cistos dermóides benignos • CEA: tumores mucinosos • B-HCG: coriocarcinomasAbordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6
    18. 18. RNM • Alto custo • Só utilizado em caso de dúvidas após USG TV • Sinais sugestivos de malignidade: presença de vegetações em um tumor cístico, de necrose em um tumor sólido, disseminação, adenopatia • Ajuda a diferenciar abscesso tubo-ovariano de outros tumores anexiais • Superior a TC*Abordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6
    19. 19. TC • Útil na suspeita de cisto dermóide • Estadiamento pré-operatório (?)*Abordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6Rastreamento e diagnóstico das neoplasias de ovário: papel dos marcadores tumorais - Rev Bras GinecolObstet. 2005; 27(4): 222-7
    20. 20. Laparotomia exploradora* • Inspeção da cavidade • Lavado peritoneal pré e pós-operatório • Biópsia peritoneal das goteiras parieto-cólicas • Análise histológica da peça no intra-operatório (congelação)Abordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6
    21. 21. Laparotomia exploradora • Tumores malignos: - HTA + salpingooforectomia bilateral + omentectomia infracólica + linfadenectomia seletiva (pélvica bilateralmente e para-aórticas) - Se tumor mucinoso: Apendicectomia • Ruptura do tumor: IA IC (tratamento adjuvante)Abordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6
    22. 22. Característica Alto risco Baixo risco Idade >50 anos <50 anos História familiar Presente Ausente Sintomas Persistentes e múltiplos Ausentes Achados ao exame Massa grande, fixa, Nenhum sugestivo de físico irregular, evidência de alto risco ascite ou metástases Marcadores Elevados Normais tumorais Achados ≥10 cm, septação <10 cm, septação ultrassonográficos espessa, multilocular, ausente ou fina (1-2 ecogenicidade mm), unilocular, aumentada e/ou mista hipoecogênico e/ou componente homogêneo, sólido, excrescências excrescências papilares papilares presentes ausentesAbordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6
    23. 23. Bibliografia• The Role of the Obstetrician–Gynecologist in the Early Detection of Epithelial Ovarian Cancer - The American College of Obstetricians and Gynecologists, Committ ee Opinion Number 477 • March 2011• Ultrassonografia nas massas anexiais: aspectos de imagem - Radiol Bras. 2011 Jan/Fev;44(1):59–67• Involvement of Gynecologic Oncologists in the Treatment of Patients With a Suspicious Ovarian Mass - © 2011 by The American College of Obstetricians and Gynecologists. Published by Lippincott Williams & Wilkins.• Abordagem das massas anexiais com suspeita de câncer de ovário - FEMINA | Junho 2010 | vol 38 | nº 6
    24. 24. Bibliografia• Doenças malignas ovarianas: importância atual da ultrassonografia no rastreamento e manejo terapêutico - FEMINA | Maio 2010 | vol 38 | nº 5• Predicting Risk of Malignancy in Adnexal Masses - VOL. 115, NO. 4, APRIL 2010 © 2010 by The American College of Obstetricians and Gynecologists. Published by Lippincott Williams & Wilkins
    25. 25. Bibliografia• Rastreamento e diagnóstico do câncer de ovário - Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 53 (3): 313-318, jul.-set. 2009• Diagnosis and Management of Adnexal Masses - Copyright © 2009 American Academy of Family Physicians• Tumores Pélvicos em Mulheres na Pós-menopausa - RBGO 21 (1): 47-54, 1999• Rastreamento e diagnóstico das neoplasias de ovário: papel dos marcadores tumorais - Rev Bras Ginecol Obstet. 2005; 27(4): 222-7

    ×