Elaine Soares Barbosa R1Orientadora: Dra Angela MariaBaptista
 Doenças Endócrinas Cardiopatias Doenças Auto-imunes Doenças Hematológicas Câncer de Mama Doença Trofoblástica Gesta...
   CATEGORIA 1: não há restrição ao uso   CATEGORIA 2: vantagens do uso se    sobrepõem aos riscos teóricos ou comprovad...
   Restrições ao uso de Estrogênios: CI       • Pós-parto 3 semanas a 6 meses       • Fumantes acima de 35 anos       • F...
   Restrições ao uso de Progestogênios:            < de 6 semanas pós parto            Fatores múltiplos para DCV     ...
   EFEITOS COLATERAIS DE ANTICONCEPÇÃO    HORMONAL# Náusea, cefaléia, nervosismo, ganho de peso,  sensibilidade mamária, ...
A evolução das “ pílulas”Primeira              150mg de          Acidentes                      mestranol         tromboem...
 Diabetes-   Gravidez de Risco-   HAS e Neuropatia Diabética afetam negativamente a gravidez-   Gestante diabética tem ma...
DiabetesAnticoncepção1- Métodos comportamentais:- Abstinência periódica: baixa eficácia- Não recomendado2- Métodos de Barr...
3- AHCO# Muitas restriçõesA) Bem controladas, não tabagistas e <35 anos:  CATEGORIA 2B) Duração>20 anos, complicação vascu...
4- DIU:A)DIU de Cobre: Categoria 1B)DIU-levonorgestrel: Categoria 2- Nenhuma diferença nas taxas de continuação e de  remo...
ANTICONCEPÇÃO E TIREÓIDE  Disfunção tireoidiana não tratada está associada com  alta morbimortalidade fetal.- Sem restriçã...
SOP- Hiperandrogenismo (hirsutismo e acne) e  oligomenorréia- ACO contendo Progestogênio anti-  androgênico (acetato de ci...
Contracepção irreversível - LT# Cardiopatia de alto risco (morbimortalidade  materno-fetal 50-70%):- Sd Elsenmenger;- Card...
Contracepção reversível# Cardiopatia de risco intermediário  (morbimortalidade <30%):- Prótese valvar metálica;- Cardiopat...
Risco de gravidez X Risco do uso de contraceptivo1- AHCO: Categoria 2    Quarta geração: risco CV muito reduzido    Aument...
2- Progestogênios de uso contínuo:A) Acetato de medroxiprogesterona 150 mg a cada 90   dias   CATEGORIA 1 (cat 3 se risco ...
3- DIU-  CATEGORIA 2 quando houver risco de endocardite infecciosa  ou aumento do sangramento menstrual:  1. Cardiopatia c...
   LES    Risco de complicações vasculares (AVC/IAM),    tromboembolismo venoso, menorragia e metrorragia pela    tromboc...
LES2- DIUA)   DIU de Cobre: categoria 1B)   DIU-levonorgestrel: categoria 2-    Terapia imunossupressora: categoria 33- CI...
   ARTRITE REUMATÓIDE    Compromete membranas sinoviais de pequenas articulações.    Manifestações extra-articulares : va...
   ANEMIAS1- Anticoncepção Hormonal Combinada: LIBERADO-   CATEGORIA 1- Regularização menstrual, diminuição do volume e  ...
 ANEMIAS3- DIU-   A) DIU de Cobre: Evitar (aumento do sangramento    menstrual) - Categoria 2-   B) DIU-Levonorgestrel: C...
   HEMATOPATIAS MALIGNAS# Leucemia e linfoma: evitar exposição fetal aos   teratogênicos.1- AHCO e injetáveis: escolha- C...
1) Anticoncepcionais Hormonais Combinados:- A- atual: CAT 4- B- anterior e sem evidência de doença ativa por 5 anos:   CAT...
   Progesterona e progestogênios podem ter atividade proliferativa,    antiproliferativa ou neutra no tecido mamário, dep...
   Embora com poucos estudos, parece que o sistema intra-uterino    que libera levonorgestrel não aumenta o risco de CA d...
Contracepção em Situações Especiais:Doença Trofoblástica Gestacional    É obrigatória a contracepção hormonal combinada  ...
 OBRIGADA!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Anticoncepção em situações especiais

1.065 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.065
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anticoncepção em situações especiais

  1. 1. Elaine Soares Barbosa R1Orientadora: Dra Angela MariaBaptista
  2. 2.  Doenças Endócrinas Cardiopatias Doenças Auto-imunes Doenças Hematológicas Câncer de Mama Doença Trofoblástica Gestacional
  3. 3.  CATEGORIA 1: não há restrição ao uso CATEGORIA 2: vantagens do uso se sobrepõem aos riscos teóricos ou comprovados CATEGORIA 3: riscos teóricos ou comprovados se sobrepõem às vantagens do uso CATEGORIA 4: risco inaceitável para saúde caso o método seja utilizado FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  4. 4.  Restrições ao uso de Estrogênios: CI • Pós-parto 3 semanas a 6 meses • Fumantes acima de 35 anos • Fatores de risco múltiplos para doença cardiovascular (idade, tabagismo, diabetes, hipertensão arterial) • Hipertensão arterial grave • História de TV/EP • Doença isquêmica cardíaca • AVC • Sangramento uterino anormal não diagnosticado • Câncer de mama • Hepatopatia aguda ou crônica • Enxaqueca, acima de 35 anos, com sintomas neurológicos. • Nefropatia, retinopatia, neuropatia ( de acordo com a gravidade). • LES • Doenças Cardiovasculares de alto risco. NOVAK | Tratado de ginecologia 14ª Edição BEREK, JONATHAN S. - GUANABARA KOOGAN
  5. 5.  Restrições ao uso de Progestogênios:  < de 6 semanas pós parto  Fatores múltiplos para DCV  Hipertensão arterial, Nefropatia, Retinopatia, Neuropatia  TV/EP atual  Doença Cardíaca Isquêmica  Enxaqueca com sintomas neurológicos  Câncer de mama  Hepatopatia Aguda ou Crônica NOVAK | Tratado de ginecologia 14ª Edição BEREK, JONATHAN S. - GUANABARA
  6. 6.  EFEITOS COLATERAIS DE ANTICONCEPÇÃO HORMONAL# Náusea, cefaléia, nervosismo, ganho de peso, sensibilidade mamária, hemorragia intermédia.# Efeitos metabólicos:- Risco de tromboembolismo;- Não ocorre aumento da incidência de AVC ou doença coronária isquêmica nas usuárias sem fatores de risco;- Aumento reversível da PA;- Pouco efeito sobre metabolismo dos carboidratos (novos progestogênicos - Gestodeno, Desogestrel, Norgestimato) FEBRASGO – Anticoncepção, Manual de Orientação
  7. 7. A evolução das “ pílulas”Primeira 150mg de Acidentes mestranol tromboembólicosGeração Sequenciais Hiperplasia endometrialSegunda Inman et al, 1970 Reduz a ocorrência 50µg de estrogênio de tromboseGeração venosa em 25%Terceira 30µg de estrogênio Melhor controle do Levonorgestrel ciclo e adequadaGeração inibição do eixo HHO
  8. 8.  Diabetes- Gravidez de Risco- HAS e Neuropatia Diabética afetam negativamente a gravidez- Gestante diabética tem maior risco de desenvolver hipertensão e necessitar de parto cesáreo- Aumento da incidência de problemas fetais- Níveis elevados de glicemia durante período da organogênese (2 a 8 semanas) = anomalias fetais específicas. FEBRASGO – Anticoncepção, Manual de Orientação
  9. 9. DiabetesAnticoncepção1- Métodos comportamentais:- Abstinência periódica: baixa eficácia- Não recomendado2- Métodos de Barreira:- Optar por métodos de maior eficácia FEBRASGO – Anticoncepção, Manual de Orientação
  10. 10. 3- AHCO# Muitas restriçõesA) Bem controladas, não tabagistas e <35 anos: CATEGORIA 2B) Duração>20 anos, complicação vascular (nefropatia/retinopatia /neuropatia): CATEGORIA 3/4- Adequada monitorização metabólica e ajustar dose da insulina FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  11. 11. 4- DIU:A)DIU de Cobre: Categoria 1B)DIU-levonorgestrel: Categoria 2- Nenhuma diferença nas taxas de continuação e de remoção devido a infecção ou gravidez.5- Cirúrgica Voluntária: Categoria 1- Excelente opção quando gravidez contra-indicada6- Progestogênios de uso continuo:A) PP (pílula só de progesterona): Categoria 2B) AMPD (acetato de medroxiprogesterona de depósito): Categoria 2 (cat 3 se doença vascular presente) FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  12. 12. ANTICONCEPÇÃO E TIREÓIDE Disfunção tireoidiana não tratada está associada com alta morbimortalidade fetal.- Sem restrição aos métodosANTICONCEPÇÃO E HIPERPROLACTINEMIA- Galactorréia e amenorréia- Pesquisar tumor hipofisário- Estrogênio estimula secreção de prolactina. Induz aumento do tumor?- Tumores secretores = métodos não hormonais FEBRASGO – Anticoncepção, Manual de Orientação
  13. 13. SOP- Hiperandrogenismo (hirsutismo e acne) e oligomenorréia- ACO contendo Progestogênio anti- androgênico (acetato de ciproterona) ou fraca ação androgênica (gestodene, desosgestrel, norgestimate) FEBRASGO – Anticoncepção, Manual de Orientação
  14. 14. Contracepção irreversível - LT# Cardiopatia de alto risco (morbimortalidade materno-fetal 50-70%):- Sd Elsenmenger;- Cardiopatia congênita cianótica;- Aneurisma de aorta;- Sd de Marfan;- Disfunção do miocárdio (IAM, cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva);- HAP. FEBRASGO – Anticoncepção, Manual de Orientação
  15. 15. Contracepção reversível# Cardiopatia de risco intermediário (morbimortalidade <30%):- Prótese valvar metálica;- Cardiopatia congênita com repercussão hemodinâmica;- Valvopatia reumática tipo estenótica;- Cardiomiopatia dilatada e cardiopatia hipertrófica;- Doença arterosclerótica.# Risco aceitável:- Prolapso de valva mitral com insuficiência ou arritmia;- Cardiopatia congênita sem repercussão hemodinâmica;- Valvopatia reumática do tipo insuficiência. FEBRASGO – Anticoncepção, Manual de Orientação
  16. 16. Risco de gravidez X Risco do uso de contraceptivo1- AHCO: Categoria 2 Quarta geração: risco CV muito reduzido Aumento de 11,5% PA cardiopatia X Aumento de 0-4,5% normais Pode ser usado na maioria das cardiopatas, exceto nas com risco de tromboembolismo: Categoria 4- Cardiopatia Congênita Cianótica- HAP- Doença cardíaca isquêmica- Risco de FA- HAS grave ou usuárias de anticoagulante. FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  17. 17. 2- Progestogênios de uso contínuo:A) Acetato de medroxiprogesterona 150 mg a cada 90 dias CATEGORIA 1 (cat 3 se risco de TE)B) Pílula de Progestogênio: CATEGORIA 1 (cat 3 se risco TE)- Alta eficácia e sem na coagulação e metabolismo lipídico, aumenta fibrinólise=diminui risco trombogênico. FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  18. 18. 3- DIU- CATEGORIA 2 quando houver risco de endocardite infecciosa ou aumento do sangramento menstrual: 1. Cardiopatia congênita não operada 2. Doença valvar reumática 3. Próteses valvares 4. Prolapso de valva mitral com insuficiência 5. Uso de anticoagulante 6. Antecedente de Endocardite Infecciosa- CATEGORIA 1 nas demais situações- Antibioticoprofilaxia (quando indicada): Ampicilina 2g EV + Gentamicina1,5mg/Kg 1 h antes4- Barreira ou comportamentais- Sem contra-indicação. Menor eficácia FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  19. 19.  LES Risco de complicações vasculares (AVC/IAM), tromboembolismo venoso, menorragia e metrorragia pela trombocitopenia, hipercolesterolemia (Sd Nefrotica) e hiperglicemia pela corticoterapia.1- Anticoncepcionais Hormonais – CATEGORIA 4- AHCO mesmo baixa dose: contra-indicada (alto risco de tromboembolismo).- Apenas com progesterona (oral ou injetável): sem dados de segurança, não é primeira opção. FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  20. 20. LES2- DIUA) DIU de Cobre: categoria 1B) DIU-levonorgestrel: categoria 2- Terapia imunossupressora: categoria 33- CIRÚRGICA: categoria 1 Casos graves - método de eleição (gravidez acarreta risco inaceitável) FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  21. 21.  ARTRITE REUMATÓIDE Compromete membranas sinoviais de pequenas articulações. Manifestações extra-articulares : vasculite leve (neuropatia periférica e úlcera crônica de extremidades MMII). SEM CONTRA-INDICAÇÃO para qualquer método hormonal. ESCLERODERMIA Envolve vasos sangüíneos e tecido conjuntivo: vasoconstrição arterial extensa, Fenômeno de Raynauld, esclerose e comprometimento sistêmico variado. EVITAR ANTICONCEPÇÃO HORMONAL – categoria 3 Sem contra-indicação para outros métodos. FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  22. 22.  ANEMIAS1- Anticoncepção Hormonal Combinada: LIBERADO- CATEGORIA 1- Regularização menstrual, diminuição do volume e duração do sangramento # AF: CAT 2 # AF com crises de falcização: CI AHC (risco de trombose) CAT 3/42- Apenas Progestogêneo (trimestral-depoprovera e minipílula): LIBERADO- CATEGORIA 1- Diminui sangramento por ação endometrial FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  23. 23.  ANEMIAS3- DIU- A) DIU de Cobre: Evitar (aumento do sangramento menstrual) - Categoria 2- B) DIU-Levonorgestrel: Categoria 1- CI: hemoglobinopatias auto-imunes tratadas com corticoterapia e/ou drogas citotóxicas (imunossupressão-infecção-risco de falcização) FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  24. 24.  HEMATOPATIAS MALIGNAS# Leucemia e linfoma: evitar exposição fetal aos teratogênicos.1- AHCO e injetáveis: escolha- CATEGORIA 1 6-12 meses após RT 2 anos após QT2- DIU: contra-indicado- CATEGORIA 3/4- Aumenta sangramento e risco de infecção FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  25. 25. 1) Anticoncepcionais Hormonais Combinados:- A- atual: CAT 4- B- anterior e sem evidência de doença ativa por 5 anos: CAT 32) Apenas progestogênio:- A: CAT 4- B: CAT 33) DIU:- A: Cu = CAT 1 LNG = CAT 4- B: Cu = CAT 1 LNG = CAT 3 FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  26. 26.  Progesterona e progestogênios podem ter atividade proliferativa, antiproliferativa ou neutra no tecido mamário, dependendo da droga e dose. O uso de Acetato de Medroxi-Progeterona não aumenta o risco de CA de mama na população em geral. As pílulas de progestogênio não foram tão bem estudadas como as combinadas, mas parece não aumentar o risco de Ca de mama na população em geral. Não há evidências suficientes para avaliar o risco de CA de mama ou a recorrência com o uso dos implantes.Progesterone-Only and Non-Hormonal Contraception in the Breast CancerSurvivor:Joint Review and Committee Opinion of the Society of Obstetricians andGynaecologists of Canadá.No. 179. Julho de 2006
  27. 27.  Embora com poucos estudos, parece que o sistema intra-uterino que libera levonorgestrel não aumenta o risco de CA de mama na população em geral. O DIU de cobre (1) e a esterilização são os métodos contraceptivos não hormonais mais eficazes. Outros métodos devem ser considerados, em virtude da faixa etária e queda da fertilidade após a quimioterapia. Mais estudos sobre o uso de pílulas de progestogênio em sobreviventes de CA de mama são necessários.
  28. 28. Contracepção em Situações Especiais:Doença Trofoblástica Gestacional É obrigatória a contracepção hormonal combinada após o esvaziamento uterino. A manutenção será por 6 meses quando houver remissão espontânea ou por doze meses após remissão se necessário tratamento quimioterápico.1) AHC – Cat 12) Apenas Progestogênio – Cat 13) DIU – Cat 3/4 FEBRASGO – Manual de Critérios Médicos de Elegibilidade da OMS para Uso de Métodos Anticoncepcionais 2010
  29. 29.  OBRIGADA!

×