Senhor das nações_Lição original com textos_422013

737 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Agradecido, pelo contato, fico muito feliz. Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Gostei demais dos estudos muito bom . Continue assim a paz do senhor jesus cristo.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Senhor das nações_Lição original com textos_422013

  1. 1. Lições Adultos Busque ao Senhor e Viva!Lição 4 - Senhor das nações (Amós e Obadias) 20 a 27 de abrilSábado à tarde Ano Bíblico: 1Rs 22; 2Rs 1VERSO PARA MEMORIZAR: “Rugiu o leão, quem não temerá? Falou o Senhor Deus, quem não profetizará?” (Am 3:8).Leituras da Semana:Am 1–2; Is 58; Lc 12:47, 48; 1Rs 8:37-40; Am 4:12, 13;ObPensamento-chave: Atos de desumanidade são pecados contra Deus e por isso serão julgados.Nas Escrituras, um leão geralmente descreve o rei do mundo animal. Sua aparência revela força e majestade irresistíveis,bem como ferocidade e poder destrutivo. O rugido do leão pode ser ouvido a vários quilômetros de distância. Amós, umpastor, foi enviado aos israelitas para adverti-los de que ele tinha ouvido um leão rugindo. Esse leão não era outro senãoo Senhor! Movido pelo Espírito Santo, o profeta Amós comparou com o rugido de um leão a maneira divina de falar àsnações e ao Seu povo especial (Am 1:2).Amós foi chamado para profetizar às nações que cometiam crimes contra a humanidade. Ele também foi enviado a umasociedade na qual um povo privilegiado e religioso vivia em paz e prosperidade. No entanto, esse mesmo povo oprimiaos pobres e permitia negócios desonestos e suborno nos julgamentos. Nesta semana, ouviremos o que o Senhor tem adizer sobre essas ações desprezíveis.Domingo - Crimes contra a humanidade Ano Bíblico: 2Rs 2, 31. Leia Amós 1 e 2. Por que o Senhor advertiu que haveria punição?“Palavras que, em visão, vieram a Amós, que era entre os pastores de Tecoa, a respeito de Israel, nos dias de Uzias, reide Judá, e nos dias de Jeroboão, filho de Joás, rei de Israel, dois anos antes do terremoto. Ele disse: O SENHOR rugirá deSião e de Jerusalém fará ouvir a sua voz; os prados dos pastores estarão de luto, e secar-se-á o cimo do Carmelo. Assimdiz o SENHOR: Por três transgressões de Damasco e por quatro, não sustarei o castigo, porque trilharam a Gileade comtrilhos de ferro. Por isso, meterei fogo à casa de Hazael, fogo que consumirá os castelos de Ben-Hadade. Quebrarei oferrolho de Damasco e eliminarei o morador de Biqueate-Áven e ao que tem o cetro de Bete-Éden; e o povo da Síria serálevado em cativeiro a Quir, diz o SENHOR. Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Gaza e por quatro, não sustareio castigo, porque levaram em cativeiro todo o povo, para o entregarem a Edom. Por isso, meterei fogo aos muros deGaza, fogo que consumirá os seus castelos. Eliminarei o morador de Asdode e o que tem o cetro de Asquelom e volvereia mão contra Ecrom; e o resto dos filisteus perecerá, diz o SENHOR. Assim diz o SENHOR: Por três transgressões de Tiro epor quatro, não sustarei o castigo, porque entregaram todos os cativos a Edom e não se lembraram da aliança de irmãos.Por isso, meterei fogo aos muros de Tiro, fogo que consumirá os seus castelos. Assim diz o SENHOR: Por trêstransgressões de Edom e por quatro, não sustarei o castigo, porque perseguiu o seu irmão à espada e baniu toda amisericórdia; e a sua ira não cessou de despedaçar, e reteve a sua indignação para sempre. Por isso, meterei fogo aTemã, fogo que consumirá os castelos de Bozra. Assim diz o SENHOR: Por três transgressões dos filhos de Amom e porquatro, não sustarei o castigo, porque rasgaram o ventre às grávidas de Gileade, para dilatarem os seus próprios limites.Por isso, meterei fogo aos muros de Rabá, fogo que consumirá os seus castelos, com alarido no dia da batalha, comturbilhão no dia da tempestade. O seu rei irá para o cativeiro, ele e os seus príncipes juntamente, diz o SENHOR.” (Amós1:1-15 RA)Amós 1:1 As palavras de Amós, que estava entre os pastores de Tecoa, o que ele viu a respeito de Israel, nos dias deUzias, rei de Judá, e nos dias de Jeroboão, filho de Joás, rei de Israel, dois anos antes do terremoto.Julgamento sobre os vizinhos de Israel2 Disse ele: O Senhor brama de Sião, e de Jerusalém faz ouvir a sua voz; os prados dos pastores lamentam, seca-se ocume do Carmelo. 3 Assim diz o senhor: Por três transgressões de Damasco, sim, por quatro, não retirarei o castigo;porque trilharam a Gileade com trilhos de ferro. 4 Por isso porei fogo à casa de Hazael, e ele consumirá os palácios deBene-Hadade. 5 Quebrarei o ferrolho de Damasco, e exterminarei o morador do vale de Ávem e de Bete-Éden aquele queramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. tem o cetro; e o povo da Síria será levado em cativeiro a Quir, diz o Senhor. 6 Assim diz o Senhor: Por três transgressõesde Gaza, sim, por quatro, não retirarei o castigo; porque levaram cativo todo o povo para o entregarem a Edom. 7 Por issoporei fogo ao muro de Gaza, e ele consumirá os seus palácios. 8 De Asdode exterminarei o morador, e de Asquelom aqueleque tem o cetro; tornarei a minha mão contra Ecrom; e o resto dos filisteus perecerá, diz o Senhor Deus. 9 Assim diz oSenhor: Por três transgressões de Tiro, sim, por quatro, não retirarei o castigo; porque entregaram todos os cativos a Edom,e não se lembraram da aliança dos irmãos. 10 por isso porei fogo ao muro de Tiro, e ele consumirá os seus palácios. 11Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Edom, sim, por quatro, não retirarei o castigo; porque perseguiu a seu irmãoà espada, e baniu toda a compaixão; e a sua ira despedaçou eternamente, e conservou a sua indignação para sempre. 12Por isso porei fogo a Temã, o qual consumirá os palácios de Bozra. 13 Assim diz o Senhor: Por três transgressões dosfilhos de Amom, sim por quatro, não retirarei o castigo; porque fenderam o ventre às grávidas de Gileade, para dilatarem osseus termos. 14 Por isso porei fogo ao muro de Rabá, fogo que lhe consumirá os palácios, com alarido no dia da batalha,com tempestade no dia do turbilhão. 15 E o seu rei irá para o cativeiro, ele e os seus príncipes juntamente, diz o Senhor.Amós 2:1 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Moabe, sim, por quatro, não retirarei o castigo; porque queimou osossos do rei de Edom, até os reduzir a cal. 2 Por isso porei fogo a Moabe, e ele consumirá os palácios de Queriote; eMoabe morrerá com grande estrondo, com alarido, e som de trombeta. 3 E exterminarei o juiz do meio dele, e matarei comele todos os seus príncipes, diz o Senhor. 4 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Judá, sim, por quatro, nãoretirarei o castigo; porque rejeitaram a lei do Senhor, e não guardaram os seus estatutos, antes se deixaram enganar porsuas próprias mentiras, após as quais andaram seus pais. 5 Por isso porei fogo a Judá, e ele consumirá os palácios deJerusalém.Julgamento sobre Israel6 Assim diz o Senhor: Por três transgressões de Israel, sim, por quatro, não retirarei o castigo; porque vendem o justo pordinheiro, e o necessitado por um par de sapatos. 7 Pisam a cabeça dos pobres no pó da terra, pervertem o caminho dosmansos; um homem e seu pai entram à mesma moça, assim profanando o meu santo nome. 8 Também se deitam junto aqualquer altar sobre roupas empenhadas, e na casa de seu Deus bebem o vinho dos que têm sido multados.9 Contudo eu destruí o amorreu diante deles, a altura do qual era como a dos cedros, e cuja força era como a doscarvalhos; mas destruí o seu fruto por cima, e as suas raízes por baixo. 10 Outrossim vos fiz subir da terra do Egito, equarenta anos vos guiei no deserto, para que possuísseis a terra do amorreu. 11 E dentre vossos filhos suscitei profetas, edentre os vossos mancebos, nazireus. Acaso não é isso assim, filhos de Israel? diz o Senhor. 12 Mas vós aos nazireusdestes vinho a beber, e aos profetas ordenastes, dizendo: Não profetizeis. 13 Eis que eu vos apertarei no vosso lugar comose aperta um carro cheio de feixes. 14 Assim de nada valerá a fuga ao ágil, nem o forte corroborará a sua força, nem ovalente salvará a sua vida. 15 E não ficará em pé o que maneja o arco, nem o ligeiro de pés se livrará, nem tampouco selivrara o que vai montado a cavalo; 16 e aquele que é corajoso entre os valentes fugirá nu naquele dia, diz o Senhor.Os dois primeiros capítulos de Amós contêm sete profecias contra nações vizinhas, seguidas por uma profecia contraIsrael. As nações estrangeiras não são julgadas por serem inimigas de Israel, mas por suas transgressões de princípioshumanos universais. Duas coisas se destacam na condenação de Amós: a ausência de lealdade e a ausência decompaixão.Por exemplo, Tiro era uma importante cidade mercantil localizada na costa do Mediterrâneo, ao norte de Israel. Por suaquase inexpugnável fortaleza em uma ilha, a cidade se vangloriava de sua segurança. Além disso, os líderes de Tirofirmavam tratados de paz com várias nações vizinhas, como a dos filisteus. A cidade se tornou aliada de Israel por um“tratado de fraternidade” durante os reinados de Davi e Salomão (1Rs 5:1, 12) e até mesmo do rei Acabe (1Rs 16:30,31). Não é surpreendente ler em 1 Reis 9:13 que Hirão, rei de Tiro, chamou Salomão de “meu irmão” (NVI).No entanto, o povo de Tiro havia transgredido a “aliança de irmãos”. Tiro não foi condenada por levar embora os cativos,mas por entregá-los aos inimigos de Israel, os edomitas. Assim, o povo de Tiro foi responsável pelas crueldades queesses prisioneiros sofreram nas mãos de seus inimigos. Da perspectiva de Deus, a pessoa que auxilia e apoia a prática deum crime é tão culpada quanto aquela que o comete.Visto que Deus é soberano, Ele tem nas mãos o destino de todo o mundo. Tem objetivos e interesses que vão muito alémdas fronteiras de Israel. O Deus de Israel é o Senhor de todas as nações. Ele Se interessa por toda a história humana. Eleé o Deus criador, que dá vida a todos, e todos são responsáveis diante dEle.Quem entre nós não fica indignado diante da injustiça? Se Deus não existisse, que esperança teríamos da aplicação dajustiça? O que significa para você a promessa bíblica de que Deus trará justiça e juízo ao mundo? Como podemosaprender a nos apegarmos a essa promessa em meio a toda a injustiça que vemos?Segunda - Justiça para o oprimido Ano Bíblico: 2Rs 4, 5O juízo universal de Deus é um dos ensinamentos centrais de Amós. No início de seu livro, o profeta anunciou o juízosobre várias nações vizinhas de Israel por causa de seus crimes contra a humanidade. Em seguida, Amós declarouousadamente que Deus também julgaria Israel. A ira do Senhor foi dirigida não somente às nações, mas também ao povoque Ele havia escolhido. O povo de Judá havia rejeitado a Palavra do Senhor e não tinha observado Suas instruções.Ao mesmo tempo, Amós lidou com Israel muito mais amplamente do que até mesmo com Judá, porque Israel haviaquebrado a aliança de Deus e cometido muitos pecados. A prosperidade econômica de Israel e a estabilidade política olevaram à decadência espiritual que se manifestou na injustiça social. Em Israel, os ricos exploravam os pobres e ospoderosos exploravam os fracos. Os ricos se preocupavam apenas consigo mesmos e com seu ganho pessoal, mesmocom prejuízo e sofrimento dos pobres (depois de alguns milhares de anos, muita coisa não mudou, não é verdade?).ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. Em sua pregação, Amós ensinou que existe um Deus vivo que Se preocupa com nossa maneira de tratar o semelhante.Mais do que uma ideia ou norma, a justiça é uma preocupação divina. O profeta alertou que as casas de pedra de Israel,os móveis de marfim, os alimentos e bebidas de alta qualidade e as melhores loções para o corpo, tudo seria destruído.2. Leia Isaías 58. Que aspectos da verdade presente são incluídos nesse capítulo? Em que sentido nossa mensagem aomundo é muito mais do que isso?O verdadeiro jejumIsa. 58:1 Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a suatransgressão, e à casa de Jacó os seus pecados. 2 Todavia me procuram cada dia, tomam prazer em saber os meuscaminhos; como se fossem um povo que praticasse a justiça e não tivesse abandonado a ordenança do seu Deus, pedem-me juízos retos, têm prazer em se chegar a Deus!, 3 Por que temos nós jejuado, dizem eles, e tu não atentas para isso?por que temos afligido as nossas almas, e tu não o sabes? Eis que no dia em que jejuais, prosseguis nas vossasempresas, e exigis que se façam todos os vossos trabalhos. 4 Eis que para contendas e rixas jejuais, e para ferirdes compunho iníquo! Jejuando vós assim como hoje, a vossa voz não se fará ouvir no alto. 5 Seria esse o jejum que eu escolhi? odia em que o homem aflija a sua alma? Consiste porventura, em inclinar o homem a cabeça como junco e em estenderdebaixo de si saco e cinza? chamarias tu a isso jejum e dia aceitável ao Senhor? 6 Acaso não é este o jejum que escolhi?que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo? e que deixes ir livres os oprimidos, e despedacestodo jugo? 7 Porventura não é também que repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobresdesamparados? que vendo o nu, o cubras, e não te escondas da tua carne? 8 Então romperá a tua luz como a alva, e a tuacura apressadamente brotará. e a tua justiça irá adiante de ti; e a glória do Senhor será a tua retaguarda. 9 Então clamarás,e o Senhor te responderá; gritarás, e ele dirá: Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falariniquamente; 10 e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares o aflito; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridãoserá como o meio dia. 11 O Senhor te guiará continuamente, e te fartará até em lugares áridos, e fortificará os teus ossos;serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca falham. 12 E os que de ti procederem edificarãoas ruínas antigas; e tu levantarás os fundamentos de muitas gerações; e serás chamado reparador da brecha, erestaurador de veredas para morar. 13 Se desviares do sábado o teu pé, e deixares de prosseguir nas tuas empresas nomeu santo dia; se ao sábado chamares deleitoso, ao santo dia do Senhor, digno de honra; se o honrares, não seguindo osteus caminhos, nem te ocupando nas tuas empresas, nem falando palavras vãs; 14 então te deleitarás no Senhor, e eu tefarei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Jacó; porque a boca do Senhor o disse.A Bíblia ensina claramente que a justiça social deve ser o resultado natural do evangelho. À medida que o Espírito Santonos torna mais parecidos com Jesus, aprendemos a compartilhar as preocupações de Deus. Os livros de Moisés enfatizamque os estrangeiros, as viúvas e os órfãos devem ser tratados com justiça (Êx 22:21-24). Os profetas falam dapreocupação divina a respeito do tratamento justo e compassivo para com as pessoas menos privilegiadas (Is 58:6, 7). Osalmista chama o Deus que vive em Sua santa morada o “pai dos órfãos e juiz das viúvas” (Sl 68:5). Cristo mostrougrande preocupação por pessoas rejeitadas pela sociedade (Mc 7:24-30; Jo 4:7-26). Tiago, irmão do Senhor, nos exorta acolocar a fé em ação e ajudar os necessitados (Tg 2:14-26). Ninguém pode fazer menos do que isso e realmente ser umseguidor de Cristo.Terça - O perigo dos privilégios Ano Bíblico: 1Rs 13, 14A mensagem profética de Amós não foi planejada apenas para a situação histórica de Israel, mas para ampliar o alcanceda mensagem para além de Israel e Judá. No Antigo Testamento, Israel tinha diante de Deus privilégios únicos, mas nãoexclusivos.Leia Amós 3:1, 2. O verbo hebraico yada, “saber”, usado no verso 2, tem um sentido especial de intimidade. Em Jeremias1:5, por exemplo, Deus disse que conheceu o profeta e o separou antes mesmo de seu nascimento. Tal foi o caso dosisraelitas. Eles não eram apenas mais uma nação entre as nações. Ao contrário, Deus os separou para um santopropósito. Eles estavam em um relacionamento especial com Ele.Amós 3:1 Ouvi esta palavra que o Senhor fala contra vós, filhos de Israel, contra toda a família que fiz subir da terra doEgito, dizendo: 2 De todas as famílias da terra só a vós vos tenho conhecido; portanto eu vos punirei por todas as vossasiniquidades.Deus escolheu Israel e o tirou da escravidão. A saída do Egito foi o evento mais importante no início da história de Israelcomo nação. Ele preparou o cenário para os atos divinos de redenção e para a conquista da terra de Canaã. Mas a força eprosperidade de Israel o levaram ao orgulho e complacência em relação à sua condição privilegiada como povo escolhidodo Senhor.3. Cristo declarou que se utilizarmos mal nossos grandes privilégios receberemos grandes penalidades. O que significaesse princípio? Lc 12:47, 48“Aquele servo, porém, que conheceu a vontade de seu senhor e não se aprontou, nem fez segundo a sua vontade serápunido com muitos açoites. Aquele, porém, que não soube a vontade do seu senhor e fez coisas dignas de reprovaçãolevará poucos açoites. Mas àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido; e àquele a quem muito se confia, muitomais lhe pedirão.” (Lucas 12:47-48 RA)Sob inspiração divina, o profeta advertiu os israelitas. Visto que o povo de Israel era o eleito do Senhor, ele seriaespecialmente responsabilizado por suas ações. O Senhor estava dizendo que o relacionamento único de Israel com Deusramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. trazia obrigações e haveria punição se essas obrigações não fossem cumpridas. Em outras palavras, Israel, como povoescolhido de Deus, era ainda mais suscetível aos Seus juízos, porque privilégio implica em responsabilidade. A eleição deIsrael não foi apenas ao status privilegiado. O povo foi chamado a ser testemunha para o mundo sobre o Senhor quetanto o havia abençoado.“As igrejas professas de Cristo nesta geração desfrutam dos mais altos privilégios. O Senhor Se tem revelado a nós numaluz sempre crescente. Nossos privilégios são muito maiores que os do antigo povo de Deus” (Ellen G. White, Parábolas deJesus, p. 317).Pense nos nossos privilégios como adventistas do sétimo dia. Por que as responsabilidades que vêm com essesprivilégios devem nos fazer tremer? Será que nós simplesmente nos acomodamos, como aconteceu com Israel? Temosnos tornado complacentes por causa das bênçãos que recebemos? Como podemos mudar?Quarta - O encontro de Israel com Deus Ano Bíblico: 2Rs 9–11“Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus” (Am 4:12).O capítulo 4 de Amós começa com a descrição dos pecados de Israel e termina com o anúncio do dia do acerto decontas. Deus faz Seu povo especialmente responsável por sua maneira de viver e tratar os outros.Amós listou uma série de desastres naturais, dos quais qualquer um devia ter sido suficiente para converter a nação aoSenhor. A lista é composta por sete desastres, a medida completa das punições pela quebra da aliança de Deus (deacordo com as palavras de Moisés em Levítico 26). Alguns desses desastres lembram as pragas que Deus enviou sobre oEgito, enquanto a descrição da última calamidade menciona explicitamente a total destruição de Sodoma e Gomorra.4. De acordo com a oração de Salomão na dedicação do templo, o que os desastres normalmente deviam levar aspessoas a fazer? 1Rs 8:37-40“Quando houver fome na terra ou peste, quando houver crestamento ou ferrugem, gafanhotos e larvas, quando o seuinimigo o cercar em qualquer das suas cidades ou houver alguma praga ou doença, toda oração e súplica que qualquerhomem ou todo o teu povo de Israel fizer, conhecendo cada um a chaga do seu coração e estendendo as mãos para orumo desta casa, ouve tu nos céus, lugar da tua habitação, perdoa, age e dá a cada um segundo todos os seus caminhos,já que lhe conheces o coração, porque tu, só tu, és conhecedor do coração de todos os filhos dos homens; para que tetemam todos os dias que viverem na terra que deste a nossos pais.” (1 Reis 8:37-40 RA)O povo de Israel não mais se comportava como pessoas normais, e Deus achou impossível obter sua atenção. Alémdisso, os juízos de Deus resultaram no endurecimento do coração das pessoas. Visto que os israelitas não voltaram aoSenhor, Amós lhes apresentou uma última chance de arrependimento.O juízo final era iminente, porém Amós não especificou o que seria. A assustadora incerteza nas palavras de Amós tornaa ameaça de juízo ainda mais assustadora. Israel havia falhado em buscar a Deus, por isso Ele saiu ao encontro de Israel.Se a punição tinha falhado, um encontro com Deus poderia salvar?Amós 4:12 começa com as palavras “assim te farei”, que ecoam a fórmula tradicional de juramento. Essa declaraçãosolene exige uma resposta de Israel em se preparar para encontrar seu Deus, como havia acontecido antes da apariçãodEle no Sinai (Êx 19:11, 15).Leia atentamente Amós 4:12, 13. Se, de repente, você ouvisse a advertência “Prepare-se para encontrar-se com o seuDeus, ó [acresecente o seu nome]”, qual seria a sua resposta? Qual é a sua única esperança? Leia Rm 3:19-28.Amós 3:12 Portanto assim te farei, ó Israel, e porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus.13 Porque é ele o que forma os montes, e cria o vento, e declara ao homem qual seja o seu pensamento, o que faz damanhã trevas, e anda sobre os lugares altos da terra; o Senhor, o Deus dos exércitos é o seu nome.Quinta - Orgulho que leva à queda Ano Bíblico: 2Rs 12–145. Leia o livro de Obadias. Que importantes verdades morais e espirituais podemos tirar dele?Obadias é o menor livro do Antigo Testamento, e relata a visão profética do juízo de Deus sobre a terra de Edom. Amensagem do livro focaliza três questões: a arrogância de Edom (v. 1-4), a futura humilhação de Edom (v. 5-9), e aviolência de Edom contra Judá (v. 10-14).A visão de ObadiasObadias 1 Visão de Abdias. Assim diz o Senhor Deus a respeito de Edom: Temos ouvido novas da parte do Senhor, e porentre as nações foi enviado um mensageiro a dizer: Levantai-vos, e levantemo-nos contra ela para a guerra. 2 Eis que tefarei pequeno entre as nações; serás muito desprezado. 3 A soberba do teu coração te enganou, ó tu que habitas nasfendas do penhasco, na tua alta morada, que dizes no teu coração: Quem me derrubará em terra? 4 Embora subas ao altocomo águia, e embora se ponha o teu ninho entre as estrelas, dali te derrubarei, diz o Senhor. 5 Se a ti viessem ladrões, ouroubadores de noite (como estás destruído!), não furtariam somente o que lhes bastasse? se a ti viessem os vindimadores,não deixariam umas uvas de rabisco? 6 Como foram rebuscados os bens de Esaú! como foram esquadrinhados os seustesouros ocultos! 7 Todos os teus confederados te levaram para fora dos teus limites; os que estavam de paz contigo teenganaram, e prevaleceram contra ti; os que comem o teu pão põem debaixo de ti uma armadilha; não há em Edomramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. entendimento. 8 Acaso não acontecerá naquele dia, diz o Senhor, que farei perecer os sábios de Edom, e o entendimentodo monte de Esaú? 9 E os teus valentes, ó Temã, estarão atemorizados, para que do monte de Esaú seja cada umexterminado pela matança. 10 Por causa da violência feita a teu irmão Jacó, cobrir-te-á a confusão, e serás exterminadopara sempre. 11 No dia em que estiveste do lado oposto, no dia em que estranhos lhe levaram os bens, e os estrangeiroslhe entraram pelas portas e lançaram sortes sobre Jerusalém, tu mesmo eras como um deles. 12 Mas tu não devias olharcom prazer para o dia de teu irmão no dia do seu desterro, nem alegrar-te sobre os filhos de Judá no dia da sua ruína, nemfalar arrogantemente no dia da tribulação; 13 nem entrar pela porta do meu povo no dia da sua calamidade; sim, tu nãodevias olhar, satisfeito, para o seu mal, no dia da sua calamidade; nem lançar mão dos seus bens no dia da suacalamidade; 14 nem te postar nas encruzilhadas, para exterminares os que escapassem; nem entregar os que lherestassem, no dia da tribulação. 15 Porquanto o dia do Senhor está perto, sobre todas as nações, como tu fizeste, assim sefará contigo; o teu feito tornará sobre a tua cabeça. 16 Pois como vós bebestes no meu santo monte, assim beberão decontínuo todas as nações; sim, beberão e sorverão, e serão como se nunca tivessem sido. 17 Mas no monte de Siãohaverá livramento, e ele será santo; e os da casa de Jacó possuirão as suas herdades. 18 E a casa de Jacó será um fogo,e a casa de José uma chama, e a casa de Esaú restolho; aqueles se acenderão contra estes, e os consumirão; e ninguémmais restará da casa de Esaú; porque o Senhor o disse. 19 Ora, os do Negebe possuirão o monte de Esaú, e os daplanície, os filisteus; possuirão também os campos de Efraim, e os campos de Samária; e Benjamim possuirá a Gileade. 20Os cativos deste exército dos filhos de Israel possuirão os cananeus até Zarefate; e os cativos de Jerusalém, que estão emSefarade, possuirão as cidades do Negebe. 21 Subirão salvadores ao monte de Sião para julgarem o monte de Esaú; e oreino será do Senhor.Os edomitas eram descendentes de Esaú, irmão de Jacó. A hostilidade entre os israelitas e os edomitas remonta à brigade família entre os irmãos gêmeos, que mais tarde se tornaram os pais das duas nações. No entanto, de acordo comGênesis 33, os dois irmãos posteriormente se reconciliaram. Assim, Deus ordenou aos israelitas: “Não aborrecerás oedomita, pois é teu irmão” (Dt 23:7).Apesar disso, as hostilidades entre as duas nações continuaram por séculos. Quando Babilônia destruiu Jerusalém e levouseus cidadãos para o cativeiro, os edomitas não somente se alegraram, mas até mesmo atacavam os israelitas quefugiam e também ajudaram a saquear Jerusalém (Sl 137:7). Por essa razão, o profeta Obadias advertiu que Edom seriajulgado por seu próprio padrão: “Como tu fizeste, assim se fará contigo” (Ob 15). Os edomitas não se comportaram comoirmãos para com o povo de Judá em sua hora mais difícil, mas, em vez disso, se uniram às forças inimigas (Lm 4:21, 22).A região ocupada por Edom está localizada a sudeste do Mar Morto. É uma terra montanhosa cheia de elevados cumesde montanhas, penhascos, cavernas e fendas em que os exércitos podiam se esconder. Havia cidades edomitaslocalizadas nesses locais quase inacessíveis. Sela (também conhecida como Petra) era a capital de Edom. A naçãodesenvolveu uma confiança arrogante resumida na pergunta: “Quem me deitará por terra?” (Ob 3).Deus responsabiliza os que se aproveitam dos outros em seus momentos de angústia. Obadias advertiu o orgulhoso povode Edom de que Deus traria humilhação sobre sua cabeça. Não há lugar para fugir do Senhor (Am 9:2, 3). O futuro dia doSenhor traria tanto o juízo quanto a salvação. Edom beberia o cálice da ira divina, enquanto a situação do povo de Deusseria restaurada.Sexta -Estudo adicional Ano Bíblico: 2Rs 15–17Leia as citações abaixo. De que maneira elas nos ajudam a compreender mais claramente as mensagens de Amós 1–4 ede Obadias?Desde os primórdios da religião israelita, a crença de que Deus tinha escolhido esse povo específico para cumprir umamissão tem sido tanto um fundamento da fé hebraica quanto um refúgio em momentos de aflição. No entanto, osprofetas sentiram que, para muitos de seus contemporâneos, esse fundamento era uma pedra de tropeço, e esserefúgio, uma fuga. Eles tinham que lembrar às pessoas que a eleição não devia ser confundida com favoritismo divino ouimunidade ao castigo, mas, ao contrário, significava que elas estavam mais seriamente expostas ao juízo e castigodivinos. [...]“A eleição significava que Deus estava exclusivamente preocupado com Israel? O Êxodo do Egito implica que Deus estavaenvolvido apenas com a história de Israel e totalmente alheio ao destino das outras nações?” (Abraham J. Heschel, OsProfetas, p. 32, 33).“Com as defesas do coração destruídas, os enganados adoradores não tinham nenhuma barreira contra o pecado e serenderam às más paixões do coração humano. […]” (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 282).Perguntas para reflexão1. É fácil ser simpático com alguém que tenha algo para lhe oferecer. E quanto àqueles que estão em dificuldades, nadatêm a oferecer e necessitam de sua ajuda? Que tipo de atitude você demonstra com relação a eles?2. Pense nas coisas que recebemos como adventistas do sétimo dia. A maioria dos cristãos não tem ideia das bênçãos dosábado (muito menos de sua importância no tempo do fim). A maioria acha que os mortos vão imediatamente para o Céuou para os tormentos do inferno. Muitos não acreditam na ressurreição física de Jesus, nem acreditam em uma segundavinda literal de Cristo. Que outras grandes verdades recebemos e que a maioria das pessoas não conhece? Qual é nossaresponsabilidade em relação a elas??Respostas sugestivas: 1. Porque as nações oprimiam e destruíam outros povos e não se lembravam da aliança de irmãos.A ganância os levava à violência; desprezaram a lei de Deus. 2. Justiça social como evidência da verdadeira devoção aoSenhor, na forma de jejum e oração; a observância do sábado como expressão de gratidão ao Senhor e de amor aoramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. próximo; harmonia com os fundamentos eternos da Palavra de Deus. Mas a mensagem do evangelho vai além dapreocupação com uma vida mais justa no contexto do pecado. Devemos enfatizar a promessa da volta de Cristo. 3.Quanto maiores forem nossas oportunidades e privilégios, maiores serão nossas responsabilidades diante de Deus. 4.Orar a Deus fervorosamente, em busca de perdão e restauração. 5. Os que se exaltam contra o Senhor serãohumilhados; os aliados no mal se tornam inimigos; colhemos o que plantamos; no dia do Senhor, as pessoas receberão arecompensa de acordo com suas obras; haverá libertação para o povo de Deus; por fim, o Senhor reinará.Texto-chave: Amós 3:8O aluno deverá...Saber: Que o tema da profecia não é exclusivamente sobre previsões para o futuro, mas sobre as decisões presentes daspessoas.Sentir: Perceber que Deus condena o orgulho, injustiça e outras ações contra a humanidade. Compartilhar do anseio queAmós teve de restauração da justiça.Fazer: Levar a sério a Palavra profética de Deus, preparar-se e aos outros para o encontro com Deus, sem levá-los a sesentir deprimidos ou irremediavelmente condenados.EsboçoI. Saber: O poder da Palavra divinaA. Qual é o principal objetivo da Palavra de Deus: informar, instruir, alertar, encorajar ou fortalecer?B. Como você sabe que Deus falou no passado e ainda fala através da Sua Palavra hoje?C. Por que Deus revela o futuro?II. Sentir: Deus falou – O que isso significa para mim?A. Por que é tão importante ouvir a voz profética de Deus?B. De que maneira podemos falar sobre o comportamento errado sem ter atitude crítica?III. Fazer: A importância da Palavra proféticaA. Como podemos condenar o pecado no espírito correto e, ao mesmo tempo, incentivar as pessoas a fazer o que écerto?B. Como você pode defender os oprimidos, maltratados, pobres ou desamparados de sua comunidade?C. Como sua igreja pode apoiar um ministério profético hoje?Resumo: A Palavra profética de Deus não apenas contém informações sobre o passado e o futuro, mas nos ajuda a tomardecisões corretas no presente.Ciclo do AprendizadoMotivação: Focalizando a Palavra: Amós 4:12Conceito-chave para o crescimento espiritual: O Deus de Amós é um Deus de justiça e retidão. Essa ênfase é muitoimportante em nossa sociedade moderna, dominada pelo sentimentalismo e pela compreensão de que, se algo parecebom, deve ser correto. Embora as emoções exerçam papel essencial em nossa vida, precisamos ser controlados porprincípios divinos que garantem que nossos relacionamentos serão verdadeiramente livres e estarão dentro dos limitescertos.Só para o professor: No mundo atual, a justiça de Deus precisa ser enfatizada porque, muitas vezes, ela é esquecida.Destaque o fato de que o amor e a verdade de Deus seriam incompletos sem a justiça. Deus revela Seus planos definalmente restabelecer a justiça (Am 3:7), a fim de que surja novamente a vida sem pecado.Discussão de abertura: Vivemos em um mundo corrupto no qual reinam violência, poder e dinheiro. Muitas crianças,mulheres e pessoas inocentes sofrem muito, são exploradas e maltratadas. A violência doméstica tem muitas vítimas.Subornos silenciam a justiça. Quando o inocente sofre, as pessoas clamam por justiça. Quando crimes e atos terroristassão realizados, queremos agir, mas a vingança não nos pertence. Como podemos, individualmente ou como igreja, estarmais empenhados em garantir relacionamentos harmoniosos e pacíficos em nossa sociedade, no local de trabalho e nacomunidade, de modo a proteger os mais fracos? Embora sejamos vulneráveis, será que somos completamentedesamparados, sob o domínio dos poderosos? Por que a vingança com as próprias mãos não é um ato de justiça?Perguntas para discussão:1. Por que é tão importante que Deus anuncie antecipadamente o que pretende fazer? Por que Ele revela os Seus juízos?2. Em um mundo de informações conflitantes e discussões enganosas, como podemos saber quais serão as principaisações divinas antes da segunda vinda de Jesus Cristo?Compreensão: Só para o professor: Use o estudo a seguir para examinar a diferença entre o juízo de Deus sobre asnações vizinhas e sobre o reino de Israel.Amós, um profeta do oitavo século antes de Cristo, era da pequena cidade de Tecoa, que ficava a cerca de dezquilômetros de Belém e dezoito quilômetros de Jerusalém. Embora fosse do Sul (Judá), Deus o enviou ao Reino do Norte(Israel) para pregar a mensagem, chamando as pessoas de volta ao Senhor e apelando para que elas abandonassem oseu mau comportamento. O Reino do Norte estava totalmente depravado. A maldade havia permeado a nação de talramos@advir.comramos@advir.com
  7. 7. maneira que Deus teve que enviar o profeta Oseias para fortalecer Amós, a fim de despertar o Reino do Norte para aproximidade do juízo – o exército assírio que avançava. Sem a proteção e ajuda de Deus, Samaria teria sido dominada.Comentário BíblicoI. Corrupção em Israel (Recapitule com a classe Am 3:7.)Os israelitas precisavam fazer mudanças dramáticas em sua vida. Em Seu amor e justiça, Deus revelou Seus segredos eplanos a Amós e Oseias (Am 3:7), a fim de ajudar o povo a voltar para Ele. A esperança era que, quando o povorecebesse a informação completa sobre a destruição de seu país, ele buscaria o Senhor. Sua vida política, social ereligiosa estava em total caos e decadência.A história de Israel é obscura. Nenhum dos 20 reis do Reino do Norte seguiu a Deus. Todos os reis – desde Jeroboão atéOseias – foram maus. Eles fizeram coisas erradas aos olhos do Senhor. Não houve uma única exceção. Apenasconspirações, revoltas, exploração, violência, terror, corrupção, tragédia e desespero prevaleciam. Apenas para ilustrar:sete dos reis de Israel foram assassinados, um cometeu suicídio, e um deles foi “ferido por Deus”. A Bíblia usa o reiAcabe e sua esposa Jezabel como símbolos do mal em Israel. Nem um desses governantes temia a Deus, nenhum delesse arrependeu nem empreendeu a reforma. Eles levaram o povo à ruína. Eram líderes da destruição. Que situação infelize miserável! Não admira que Deus precisasse enviar um “remédio forte” para agitar a nação rebelde e deter a maldadereinante. Mas, infelizmente, como sabemos a partir da história, nem mesmo a voz de um profeta resolveu o problema.Pense nisto: Que lições a sua congregação pode aprender com as lutas, vitórias e fracassos da igreja do AntigoTestamento? O que é especialmente aplicável a nós hoje?II. Deus revela e desmascara a realidade (Recapitule com a classe Am 4:4-11.)Os capítulos 1 e 2 de Amós apresentam uma série de juízos contra as nações. Amós começou com as nações ao redor deIsrael: Síria (Damasco) e a Filístia (e suas cidades, como Gaza, Asdode, Ascalom e Ecrom). Depois voltou-se para Tiro, eentão para as nações relacionadas de Edom, Amom e Moabe, terminando com Judá, a nação-irmã. O povo de Israel aindapodia se sentir confortável porque os juízos divinos foram aplicados contra outros povos e nações. Mas, então, o profetase voltou para Israel e abordou seus pecados. Com palavras eloquentes e precisão, ele falou contra Israel em todo orestante do livro.No capítulo 3, Deus apresentou sete perguntas retóricas (v. 3-6). Mas, primeiro, Ele advertiu as pessoas no sentido deque, embora os tivesse tirado do Egito, iria puni-los por seus pecados (v. 2). “Porque Israel não [sabia] fazer o que é reto”(v. 10), Deus advertiu que “um inimigo [cercaria] a [sua] terra” (v. 11). Empregando linguagem colorida, Deus mostrouque esse juízo estava próximo e era inevitável devido à corrupção moral de Israel. Era impossível escapar do juízo divino,e os altares de Betel (o centro da falsa adoração em Israel) seria destruído.Cinco vezes no capítulo 4, Deus clamou e reclamou que, apesar de ter usado a punição máxima para impedi-los de fazero mal, as pessoas teimosamente permaneceram no pecado. O profeta usou as palavras de Deus: “Contudo, não vosconvertestes a Mim” (Am 4:6, 8, 9, 10, 11).Pense nisto: Nosso Deus é um Deus de relacionamentos. Ele deseja desenvolver relacionamentos estreitos com Seupovo. De que forma esse relacionamento pode ser cultivado? De que modo podemos destruí-lo? Peça que os alunoscompartilhem maneiras práticas de construir um relacionamento com Deus e com os outros.III. Prepara-te para te encontrares com o teu Deus! (Recapitule com a classe Am 4:12.)No fim, Deus enfrentará Israel, porque Ele é seu Criador (Am 4:13), e eles são responsáveis diante dEle por suasdecisões. Então, Deus disse ao Seu povo que ele precisava se preparar para se encontrar com seu Deus (Am 4:12).Encontrar-se com seu Deus significava, nesse contexto, os iminentes juízos de Deus. No capítulo 5, Ele os chamou aoarrependimento genuíno, a voltar para Ele e a buscar o Senhor, a fim de viver. Esse arrependimento precisava se refletirem uma mudança de estilo de vida, porque eles transformavam “o direito em amargura e [atiravam] a justiça ao chão”(Am 5:7). Em vez disso, eles precisavam deixar a retidão correr “como um rio” e a justiça “como um ribeiro perene” (Am5:24).Pense nisto: Muitos textos bíblicos explicam a segunda vinda de Jesus como um dia de suprema esperança e restauraçãofinal. Veja a bela descrição desse evento glorioso em 1 Tessalonicenses 4:14-18 e Tito 2:11-14. Como ele é descritonesses textos, e que esperança essas passagens lhe dão?Aplicação: Só para o professor: Faça as seguintes perguntas aos alunos, a fim de refletir sobre a relação entre ocomportamento, justificação pela fé e justiça.1. Como a mudança de comportamento está ligada às exigências da justiça refletidas na doutrina da justificação pela fé?Por que nossas ações não são base para nossa salvação? Nosso desempenho revela que somos salvos pela graça emCristo Jesus? Por que não obtemos acesso ao Céu por nossas boas obras, e por que não ganhamos a salvação pelasnossas realizações? (Lembre-se de que não fazemos o que é certo para ser salvos, mas porque somos salvos.)2. O que significa deixar a retidão correr “como um rio” e a justiça “como um ribeiro perene” (Am 5:24)? Como podemosfazer isso em nossa vida? Como você pode ajudar sua igreja a fazer coisas retas e justas?3. De acordo com Miqueias 6:8, o que significa a vida justa? Que outros aspectos da vida estão relacionados com ajustiça?ramos@advir.comramos@advir.com

×