❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR

128 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
128
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR

  1. 1. Lições Adultos Jeremias Lição 7 – A crise continua 7 a 14 de novembro ❉ Sábado à tarde Ano Bíblico: At 4–6 VERSO PARA MEMORIZAR: “O que se gloriar, glorie-se nisto: em Me conhecer e saber que Eu sou o Senhor e faço misericórdia, juízo e justiça na Terra; porque destas coisas Me agrado, diz o Senhor”. (Jr 9:24). “A vida eterna é esta”, disse Jesus, “que Te conheçam, a Ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17:3). E o profeta Jeremias declarou: “Não se glorie o sábio na sua sabedoria; nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas; mas o que se gloriar glorie-se nisto: em Me conhecer e saber que Eu sou o Senhor, que faço beneficência, juízo e justiça na Terra; porque destas coisas Me agrado, diz o Senhor” (Jr 9:23, 24). Apenas de maneira vaga a mente humana pode compreender a largura e a profundidade e a altura das realizações espirituais de quem alcança esse conhecimento. Ninguém precisa deixar de alcançar em sua esfera a perfeição do caráter cristão. Pelo sacrifício de Cristo, foi tomada providência para que o crente receba todas as coisas que dizem respeito à vida e piedade. Deus nos convida a alcançar a norma da perfeição e põe diante de nós o exemplo do caráter de Cristo. O Salvador mostrou, por meio de Sua humanidade consumada por uma vida de constante resistência ao mal, que, com a cooperação da Divindade, os seres humanos podem alcançar nesta vida a perfeição de caráter. Essa é a certeza que Deus nos dá de que também nós podemos alcançar a vitória completa. (Atos dos Apóstolos, p. 531). A obra de transformação da impiedade para a santidade é contínua. Dia a dia Deus opera para a santificação do homem, e o homem deve cooperar com Ele, desenvolvendo perseverantes esforços para o cultivo de hábitos corretos. Deve acrescentar graça à graça; e assim procedendo num plano de adição, Deus opera por ele num plano de multiplicação. Nosso Salvador está sempre pronto a ouvir e responder à oração do coração contrito, e graça e paz são multiplicadas a Seus fiéis seguidores. Alegremente, lhes concede as bênçãos de que necessitam em sua luta contra os males que os cercam. (Refletindo a Cristo [MM 1986], p. 315). ❉ Domingo - Razões para se gloriar 1. Leia em Jeremias 9 o triste lamento do profeta. Concentre-se especialmente nos versos 23 e 24. Por que essas palavras são tão relevantes para nós? (Jr 9:1-26) ... 23 Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; 24 mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR. 25 Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que castigarei a todos os circuncidados juntamente com os incircuncisos: 26 ao Egito, e a Judá, e a Edom, e aos filhos de Amom, e a Moabe, e a todos os que cortam os cabelos nas têmporas e habitam no deserto; porque todas as nações são incircuncisas, e toda a casa de Israel é incircuncisa de coração. ► Resp. Porque a sabedoria, a riqueza e a força são as três coisas das quais os seres humanos mais se orgulham e nas quais mais confiam. As pessoas estão se voltando cada vez mais para os bens materiais e as conquistas terrestres, e abandonando a fé em Deus. Deus é a fonte de toda a sabedoria. É infinitamente sábio, justo e bom. Sem Cristo, os mais sábios homens que existiram não O puderam compreender. Podem professar sabedoria; podem gloriar-se em suas realizações; mas o mero conhecimento intelectual, à parte das grandes verdades que se centralizam em Cristo, é como nada. “Não se glorie o sábio na sua sabedoria, … mas o que se gloriar glorie-se nisto: em Me conhecer e saber que Eu sou o Senhor, que faço beneficência, juízo e justiça na Terra” (Jr 9:23, 24). Pudessem os homens enxergar um momento para além do horizonte da visão finita, pudessem ter um vislumbre do Eterno, e toda boca se calaria com seu orgulho. Finitos são os homens que vivem neste pequenino átomo de mundo; Deus tem inumeráveis mundos obedientes a Suas leis, e dirigidos para Sua glória. Quando os homens avançarem em suas pesquisas científicas até onde lhes permitam as limitadas faculdades, existe ainda para além uma infinidade que lhes escapa à apreensão. Antes de o homem se tornar realmente sábio, cumpre-lhe avaliar sua dependência de Deus, e encher-se de Sua sabedoria. Ele é a fonte do poder intelectual, bem como do espiritual. (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 66). ❉ Segunda - Criaturas ou o Criador? 2. Leia Jeremias 10:1-15. O que o Senhor disse a Seu povo? Se essa advertência fosse dada hoje, no contexto de nosso tempo e de nossa cultura, como seria escrita? (Jr 10:1-15) 1 Ouvi a palavra que o SENHOR vos fala a vós outros, ó casa de Israel. 2 Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis com os sinais dos céus, porque com eles os gentios se atemorizam. 3 Porque os costumes dos povos são vaidade; pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado; 4 com prata e ouro o enfeitam, com pregos e martelos o fixam, para que não oscile. 5 Os ídolos são como um espantalho em pepinal e não podem falar; necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, e não está neles o fazer o bem. 6 Ninguém há semelhante a ti, ó SENHOR; tu és grande, e grande é o poder do teu nome. 7 Quem te não temeria a ti, ó Rei das nações? Pois isto é a ti devido; porquanto, entre todos os sábios das nações e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a ti. 8 Mas eles todos se tornaram estúpidos e loucos; seu ensino é vão e morto como um pedaço de madeira. 9 Traz-se prata batida de Társis e ouro de Ufaz; os ídolos são obra de artífice e de mãos de ourives; azuis e púrpuras são as suas vestes; todos eles são obra de homens hábeis. 10 Mas o SENHOR é verdadeiramente Deus; ele é o Deus vivo e o Rei eterno; do seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação. 11 Assim lhes direis: Os deuses que não fizeram os céus e a terra desaparecerão da terra e de debaixo destes céus. 12 O SENHOR fez a terra pelo seu poder; estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus. 13 Fazendo ele ribombar o trovão, logo há tumulto de águas no céu, e sobem os vapores das extremidades da terra; ele cria os relâmpagos para a chuva e dos seus depósitos faz sair o vento. 14 Todo homem se tornou estúpido e não tem saber; todo ourives é envergonhado pela imagem que ele mesmo esculpiu; pois as suas imagens são mentira, e nelas não há fôlego. 15 Vaidade são, obra ridícula; no tempo do seu castigo, virão a perecer. ► Resp. Advertiu contra a idolatria, mostrando que os falsos deuses não são nada e que nada podem fazer por seus adoradores; se a advertência fosse dada hoje, a referência seria à idolatria do próprio eu, do materialismo, da ciência, dos prazeres, etc. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. Por vezes o nome de Jeová foi exaltado sobre todo deus falso, e Sua lei foi tida em reverência. De tempos em tempos surgiam poderosos profetas, a fim de fortalecer as mãos dos governantes e encorajar o povo para que continuasse fiel. Mas as sementes do mal em germinação já quando Roboão ascendeu ao trono, não seriam jamais completamente erradicadas; e às vezes o outrora favorecido povo de Deus caiu tão baixo a ponto de se tornar um provérbio entre os pagãos. Não obstante a perversidade dos que se inclinaram para práticas idólatras, Deus em misericórdia faria tudo que estivesse em Seu poder a fim de salvar de completa ruína o reino dividido. E como no decorrer dos anos, Seu propósito concernente a Israel parecesse completamente frustrado pelas artimanhas de homens inspirados por instrumentos satânicos, Ele ainda assim manifestou Seus beneficentes desígnios através do cativeiro e restauração da nação escolhida. A divisão do reino foi apenas o início de uma história maravilhosa, pela qual se revelam a longanimidade e terna misericórdia de Deus. Do cadinho da aflição que deviam enfrentar devido às tendências para o mal, hereditárias e cultivadas, aqueles a quem Deus estava procurando purificar para Si como um povo peculiar, zeloso e de boas obras, deviam finalmente reconhecer que: “Ninguém há semelhante a Ti, ó Senhor; Tu és grande, e grande o Teu nome em força. Quem Te não temeria, ó Rei das nações?… Entre todos os sábios das nações, e em todo o seu reino, ninguém há semelhante a Ti.” “Mas o Senhor Deus é a verdade; Ele mesmo é o Deus vivo e o Rei eterno” (Jr 10:6, 7, 10). E os adoradores de ídolos deviam afinal aprender a lição de que os falsos deuses não têm o poder de se erguerem e salvar. “Os deuses que não fizeram os Céus e a Terra desaparecerão da Terra e de debaixo deste céu” (Jr 10:11). Somente na submissão ao Deus vivo, o Criador de tudo e o Soberano sobre todos, o homem pode encontrar repouso e paz. (Profetas e Reis, p. 96, 97). ❉ Terça - Um chamado ao arrependimento 3. Leia Jeremias 26:1-6. Que esperança o Senhor ofereceu ao Seu povo? (Jr 26:1-6) 1 No princípio do reinado de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá, veio esta palavra do SENHOR: 2 Assim diz o SENHOR: Põe-te no átrio da Casa do SENHOR e dize a todas as cidades de Judá, que vêm adorar à Casa do SENHOR, todas as palavras que eu te mando lhes digas; não omitas nem uma palavra sequer. 3 Bem pode ser que ouçam e se convertam, cada um do seu mau caminho; então, me arrependerei do mal que intento fazer-lhes por causa da maldade das suas ações. 4 Dize-lhes, pois: Assim diz o SENHOR: Se não me derdes ouvidos para andardes na minha lei, que pus diante de vós, 5 para que ouvísseis as palavras dos meus servos, os profetas, que, começando de madrugada, vos envio, posto que até aqui não me ouvistes, 6 então, farei que esta casa seja como Siló e farei desta cidade maldição para todas as nações da terra. ► Resp. Se o povo se arrependesse do seu mau caminho, Deus não traria o mal que havia sido anunciado que ocorreria com ele por causa dos seus pecados. “Os habitantes de Judá eram todos indignos, contudo Deus não os abandonaria. Por eles Seu nome devia ser exaltado entre os pagãos. Muitos que desconheciam inteiramente Seus atributos deviam ainda contemplar a glória do divino caráter. Foi com o propósito de tornar claros Seus misericordiosos desígnios que Ele persistiu em enviar Seus servos, os profetas, com a mensagem: ‘Convertei-vos agora cada um do seu mau caminho’ (Jr 25:5, ARC). ‘Por amor do Meu nome’, declarou Ele a Isaías, ‘retardarei a Minha ira, e por amor do Meu louvor Me conterei para contigo, para que te não venha a cortar’. ‘Por amor de Mim, por amor de Mim o farei, porque como seria profanado o Meu nome? e a Minha glória não a darei a outrem’”. Is 48:9, 11, ARC. (Profetas e Reis, p. 319). 4. Qual é a mensagem dos seguintes textos? 2Cr 6:37-39; Ez 14:6; Mt 3:2; Lc 24:47; At 17:30 (2Cr 6:37-39) 37 e na terra aonde forem levados caírem em si, e se converterem, e na terra do seu cativeiro te suplicarem, dizendo: Pecamos, e perversamente procedemos, e cometemos iniquidade; e se converterem a ti de todo o seu coração e de toda a sua alma, 38 na terra do seu cativeiro, para onde foram levados cativos, e orarem, voltados para a sua terra que deste a seus pais, para esta cidade que escolheste e para a casa que edifiquei ao teu nome, 39 ouve tu dos céus, do lugar da tua habitação, a sua prece e a sua súplica e faze-lhes Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. justiça; perdoa ao teu povo que houver pecado contra ti. (Ez 14:6) Portanto, dize à casa de Israel: Assim diz o SENHOR Deus: Convertei-vos, e apartai-vos dos vossos ídolos, e dai as costas a todas as vossas abominações, (Mt 3:2) Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus. (Lc 24:47) e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém. (At 17:30) Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam; ► Resp. As pessoas devem se arrepender e abandonar seus pecados, para que sejam perdoadas. Que todos agora se arrependam de seus erros e busquem ao Senhor de todo o coração. O poder convertedor de Deus virá a todos que buscarem a paz de Jesus Cristo. Suas palavras de instrução são para todos que O ouvirem e seguirem. Em misericórdia, Deus busca levar o errante ao arrependimento. O obediente se deleitará na lei do Senhor. Ele coloca Suas leis em sua mente, e as escreve no coração. Sua linguagem será então como se inspirada por um Salvador que habita em seu íntimo. Tem essa fé que opera por amor e purifica a alma de toda contaminação de sugestões satânicas. Seu coração anseia por Deus. Em sua conversão aprecia demorar-se sobre Sua misericórdia e bondade, pois para ele, Ele é inteiramente amável. Aprende a linguagem do Céu, o país que adotou. (Olhando Para o Alto [MM 1983], p. 291). Assim o profeta se manteve firmemente ao lado dos sãos princípios do reto viver tão claramente esboçados no livro da lei. Mas as condições prevalecentes na terra de Judá eram tais que somente pelas mais positivas medidas poderia ser efetuada uma mudança para melhor; daí trabalhar ele com o máximo fervor pelos impenitentes. “Lavrem para vocês o campo da lavoura”, ele pedia, “e não semeiem entre espinhos.” “Lava o teu coração da malícia, ó Jerusalém, para que sejas salva” (Jr 4:3, 14). Mas o chamado ao arrependimento e reforma não foi atendido pela grande massa do povo. Desde a morte do bom rei Josias os que haviam reinado sobre a nação se mostraram infiéis ao seu encargo, tendo levado muitos ao extravio. Jeoacaz, deposto pela interferência do rei do Egito, foi seguido por Jeoaquim, o filho mais velho de Josias. Desde o início do reinado de Jeoaquim, Jeremias teve pouca esperança de salvar sua amada terra da destruição e o povo do cativeiro. Mas não lhe foi permitido permanecer em silêncio enquanto total ruína ameaçava o reino. Os que haviam permanecido leais a Deus deviam ser encorajados a perseverar na prática do bem, devendo os pecadores, se possível, ser induzidos a se voltarem da iniquidade. (Profetas e Reis, p. 412). Havia chegado o tempo para profundo exame de coração. Enquanto Josias tinha sido seu rei, o povo teve alguma base para esperança. Mas ele não podia mais interceder em seu benefício, pois havia caído em batalha. Os pecados da nação eram tais que o tempo para intercessão quase se escoou de todo. “Ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de Mim”, o Senhor declarou, “não seria a Minha alma com este povo; lança-os de diante de Minha face, e saiam. E será que, quando te disserem: Para onde iremos?, dirás a eles: Os que para a morte, para a morte; e os que para a espada, para a espada; e os que para a fome, para a fome; e os que para o cativeiro, para o cativeiro” (Jr 15:1, 2). Uma recusa de ouvir o convite de misericórdia que Deus estava então oferecendo atrairia sobre a impenitente nação os juízos que haviam caído sobre o reino do norte de Israel mais de um século antes. A mensagem a eles então era: “Se vocês não Me derem ouvidos para andarem na Minha lei, que pus diante de vocês, para que ouvissem as palavras dos Meus servos, os profetas, que Eu envio, madrugando e enviando, mas vocês não ouviram; então farei que esta casa seja como Siló, e farei desta cidade uma maldição para todas as nações da Terra” Jr 26:4-6. (Profetas e Reis, p. 415). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. ❉ Quarta - O chamado para a morte 5. Qual foi a resposta dos líderes a Jeremias e à sua mensagem? Jr 26:10, 11 (Jr 26:10) 10 Tendo os príncipes de Judá ouvido estas palavras, subiram da casa do rei à Casa do SENHOR e se assentaram à entrada da Porta Nova da Casa do SENHOR. 11 Então, os sacerdotes e os profetas falaram aos príncipes e a todo o povo, dizendo: Este homem é réu de morte, porque profetizou contra esta cidade, como ouvistes com os vossos próprios ouvidos. ► Resp. Levaram Jeremias ao tribunal e disseram que ele devia ser condenado à morte porque havia profetizado contra a cidade, o que caracterizaria uma traição. Multidões que são demasiadamente incrédulas para aceitar a segura palavra da profecia, receberão com ilimitada credulidade a acusação contra os que ousam reprovar os pecados em voga. Esse espírito aumentará mais e mais: E a Bíblia claramente ensina que se aproxima um tempo em que as leis do Estado se encontrarão em tal conflito com a lei de Deus, que, quem desejar obedecer a todos os preceitos divinos, deverá afrontar o opróbrio e o castigo, como malfeitor. Em vista disso, qual é o dever do mensageiro da verdade? Concluirá ele que a verdade não deve ser apresentada, visto que muitas vezes seu único efeito é levar as pessoas a se evadirem de seus requisitos ou a eles resistir? Não; ele não tem mais motivos para reter o testemunho da Palavra de Deus, porque este levanta oposição, do que tiveram os primitivos reformadores. A confissão de fé, feita pelos santos e mártires, foi registrada para benefício das gerações que se seguiram. Aqueles exemplos vivos de santidade e firme integridade vieram até nós para infundir coragem nos que hoje são chamados a estar em pé como testemunhas de Deus. Receberam graça e verdade, não para si apenas, mas para que, por seu intermédio, o conhecimento de Deus pudesse iluminar a Terra. Tem Deus proporcionado luz a Seus servos nesta geração? Então eles devem deixá-la brilhar ao mundo. (Grande Conflito, p. 459). 6. Qual foi a resposta de Jeremias? Jr 26:13-15 (Jr 26:13-15) 13 Agora, pois, emendai os vossos caminhos e as vossas ações e ouvi a voz do SENHOR, vosso Deus; então, se arrependerá o SENHOR do mal que falou contra vós outros. 14 Quanto a mim, eis que estou nas vossas mãos; fazei de mim o que for bom e reto segundo vos parecer. 15 Sabei, porém, com certeza que, se me matardes a mim, trareis sangue inocente sobre vós, sobre esta cidade e sobre os seus moradores; porque, na verdade, o SENHOR me enviou a vós outros, para me ouvirdes dizer-vos estas palavras. ► Resp. Jeremias não mudou a mensagem, mas a confirmou; disse-lhes, também, que fizessem com ele o que achassem melhor. Em comparação com os milhões do mundo, o povo de Deus será, como tem sido sempre, um pequeno rebanho. Mas se permanecerem na verdade conforme revelada em Sua Palavra, Deus será seu refúgio. Permanecerão sob o amplo abrigo da Onipotência. Deus é sempre a maioria. Quando o som da última trombeta penetrar a prisão dos mortos, e os justos saírem triunfantes, exclamando: “Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória” (1Co 15:55), para permanecerem então com Deus, com Cristo, com os anjos e com os leais e fiéis de todos os tempos, os filhos de Deus serão a grande maioria. Os verdadeiros discípulos de Cristo O seguem através de severos conflitos, suportando a negação de si mesmos e experimentando amargos desapontamentos. Mas isso lhes ensina a culpa e o ai do pecado, e assim são levados a olhar para ele com repulsa. Participantes dos sofrimentos de Cristo, estão destinados a participar de Sua glória. Em santa visão o profeta contemplou o triunfo final da igreja remanescente de Deus. (Atos dos Apóstolos, p. 590). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. ❉ Quinta - A fuga de Jeremias 7. Leia Jeremias 26:16-24. Como o profeta escapou da morte? (Jr 26:16-24) 16 Então, disseram os príncipes e todo o povo aos sacerdotes e aos profetas: Este homem não é réu de morte, porque em nome do SENHOR, nosso Deus, nos falou. 17 Também se levantaram alguns dentre os anciãos da terra e falaram a toda a congregação do povo, dizendo: 18 Miquéias, o morastita, profetizou nos dias de Ezequias, rei de Judá, e falou a todo o povo de Judá, dizendo: Assim disse o SENHOR dos Exércitos: Sião será lavrada como um campo, Jerusalém se tornará em montões de ruínas, e o monte do templo, numa colina coberta de mato. 19 Mataram-no, acaso, Ezequias, rei de Judá, e todo o Judá? Antes, não temeu este ao SENHOR, não implorou o favor do SENHOR? E o SENHOR não se arrependeu do mal que falara contra eles? E traríamos nós tão grande mal sobre a nossa alma? 20 Também houve outro homem, Urias, filho de Semaías, de Quiriate-Jearim, que profetizava em nome do SENHOR e profetizou contra esta cidade e contra esta terra, segundo todas as palavras de Jeremias. 21 Ouvindo o rei Jeoaquim, e todos os seus valentes, e todos os príncipes as suas palavras, procurou o rei matá-lo; mas, ouvindo isto Urias, temeu, fugiu e foi para o Egito. 22 O rei Jeoaquim, porém, enviou a Elnatã, filho de Acbor, ao Egito e com ele outros homens. 23 Eles tiraram a Urias do Egito e o trouxeram ao rei Jeoaquim; este mandou feri-lo à espada e lançar-lhe o cadáver nas sepulturas da plebe. 24 Porém a influência de Aicão, filho de Safã, protegeu a Jeremias, para que o não entregassem nas mãos do povo, para ser morto. ► Resp. Os príncipes, anciãos e o povo se levantaram em sua defesa e foram contra o parecer dos profetas e dos sacerdotes. Leia Atos 5:34-41. Que paralelos existem entre essa passagem e o que aconteceu com Jeremias? Que lição aprendemos com a história e com os erros dos que vieram antes de nós? Tão enraivecidos ficaram os judeus com estas palavras [ver At 5:30-32] que se decidiram a fazer justiça pelas próprias mãos, e, sem mais processo, ou sem autoridade dos oficiais romanos, matar os presos. Já culpados do sangue de Cristo, estavam agora ávidos de manchar as mãos com o sangue de Seus discípulos. Mas no concílio houve um homem que reconheceu a voz de Deus nas palavras proferidas pelos discípulos. Este homem foi Gamaliel, fariseu de boa reputação e homem de saber e alta posição. Seu claro intelecto viu que o passo violento que tinham em vista os sacerdotes, traria terríveis consequências. Antes de se dirigir aos presentes, pediu que os presos fossem afastados. Bem conhecia os elementos com os quais tinha que tratar. Sabia que os assassinos de Cristo em nada hesitariam a fim de levar a efeito seu propósito. Falou então com grande ponderação e calma, dizendo: “Varões israelitas, acautelem-se a respeito do que vão fazer a estes homens. Porque antes destes dias levantou-se Teudas, dizendo ser alguém: a este se ajuntou o número de uns quatrocentos homens; o qual foi morto, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos e reduzidos a nada. Depois deste levantou-se Judas, o galileu, nos dias do alistamento, e levou muito povo após si; mas também este pereceu, e todos os que lhe deram ouvidos foram dispersos. E agora lhes digo: deem de mão a estes homens, e os deixem, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará. Mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus” (At 5:35-39). Os sacerdotes viram a racionalidade destas opiniões, e foram obrigados a concordar com Gamaliel. Contudo seu preconceito e ódio dificilmente se podiam restringir. Muito relutantemente, depois de castigarem os discípulos, e ordenando-lhes de novo, sob pena de morte, a não mais pregarem no nome de Jesus, soltaram-nos. [Os discípulos] “retiraram-se pois da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus. E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo”. At 5:41, 42. (Atos dos Apóstolos, p. 82, 83). Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com

×