Lições Adultos Jeremias
Lição 3 - Os últimos cinco reis de Israel
10 a 17 de outubro
❉ Sábado à tarde
VERSO PARA MEMORIZAR...
Jerusalém. 6 O mesmo fez nas cidades de Manassés, e de Efraim, e de Simeão, e ainda até Naftali, em seus
lugares assolados...
Com a ascensão de Josias ao trono, onde devia reinar por trinta e um anos, os que haviam conservado a
pureza de sua fé com...
escolhidos e lançá-los-ão no fogo. 8 E muitas nações passarão por esta cidade, e dirá cada um ao seu
companheiro: Por que ...
Gemarias, filho de Hilquias, os quais Zedequias, rei de Judá, mandou a Nabucodonosor, rei da Babilônia. A
carta dizia o se...
povo estavam agindo segundo todas as abominações dos gentios; estavam imitando o mundo e contaminando
a casa do Senhor, em...
10 Contudo, Nebuzaradã, capitão da guarda babilônica, decidiu deixar na terra de Judá somente alguns
pobres dentre o povo,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

❉ Respostas 3 - Os últimos cinco reis de Israel_GGR

151 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
151
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

❉ Respostas 3 - Os últimos cinco reis de Israel_GGR

  1. 1. Lições Adultos Jeremias Lição 3 - Os últimos cinco reis de Israel 10 a 17 de outubro ❉ Sábado à tarde VERSO PARA MEMORIZAR: “Ele defendeu a causa do pobre e do necessitado, e, assim, tudo corria bem. Não é isso que significa conhecer-Me?”. Jr 22:16, NVI. Dn 4:26-27, (ARC); 26 E, quanto ao que foi dito, que deixassem o tronco com as raízes da árvore, o teu reino voltará para ti, depois que tiveres conhecido que o céu reina. 27 Portanto, ó rei, aceita o meu conselho e desfaze os teus pecados pela justiça e as tuas iniquidades, usando de misericórdia para com os pobres, e talvez se prolongue a tua tranquilidade. Devemos cuidar de todo caso de sofrimento e considerar-nos a nós mesmos instrumentos de Deus para aliviar os necessitados até o máximo de nossas possibilidades. Devemos ser coobreiros de Deus. Alguns há que manifestam grande afeição por seus parentes, amigos e favoritos, e no entanto deixam de mostrar bondade e consideração aos que necessitam de terna simpatia, aos que necessitam de bondade e amor. Com fervor de coração perguntemos a nós mesmos: Quem é meu próximo? Nosso próximo não são meramente nossos associados e amigos especiais; não simplesmente os que pertencem à nossa igreja, ou que pensam como nós pensamos. Nosso próximo é toda a família humana. Devemos fazer o bem a todos os homens, e especialmente aos que são irmãos na fé. Devemos dar ao mundo uma demonstração do que significa praticar a lei de Deus. Devemos amar a Deus sobre todas as coisas, e ao nosso próximo como a nós mesmos. (Beneficência Social, p. 45, 46). ❉ Domingo 11 de outubro - O governo de Josias 1. Leia 2 Crônicas 34. Quais foram os componentes da reforma de Josias, e por que eles seriam fundamentais em qualquer tentativa de reforma espiritual, tanto no aspecto coletivo como individual? 2Cr 34:1-33, (ACF); 1 Tinha Josias (“aquele que Javé cura) oito anos quando começou a reinar, e trinta e um anos reinou em Jerusalém. 2 E fez o que era reto aos olhos do SENHOR; e andou nos caminhos de Davi, seu pai, sem se desviar deles nem para a direita nem para a esquerda. 3 Porque no oitavo ano do seu reinado, sendo ainda moço, começou a buscar o Deus de Davi, seu pai; e no duodécimo ano começou a purificar a Judá e a Jerusalém, dos altos, e dos bosques, e das imagens de escultura e de fundição. 4 E derrubaram perante ele os altares de Baalins; e despedaçou as imagens, que estavam acima deles; e os bosques, e as imagens de escultura e de fundição quebrou e reduziu a pó, e o espargiu sobre as sepulturas dos que lhes tinham sacrificado. 5 E os ossos dos sacerdotes queimou sobre os seus altares; e purificou a Judá e a Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. Jerusalém. 6 O mesmo fez nas cidades de Manassés, e de Efraim, e de Simeão, e ainda até Naftali, em seus lugares assolados ao redor. 7 E, tendo derrubado os altares, e os bosques, e as imagens de escultura, até reduzi- los a pó, e tendo despedaçado todas as imagens do sol em toda a terra de Israel, então voltou para Jerusalém. 8 E no ano décimo oitavo do seu reinado, havendo já purificado a terra e a casa, enviou a Safã, filho de Azalias, e a Maaséias, governador da cidade, e a Joá, filho de Joacaz, cronista, para repararem a casa do SENHOR seu Deus. 9 E foram a Hilquias, sumo sacerdote, e deram o dinheiro que se tinha trazido à casa de Deus, e que os levitas, que guardavam a entrada tinham recebido da mão de Manassés, e de Efraim, e de todo o restante de Israel (“Deus prevalece”), como também de todo o Judá e Benjamim, e dos habitantes de Jerusalém. 10 E eles o entregaram aos que tinham o encargo da obra, e superintendiam a casa do SENHOR; e estes o deram aos que faziam a obra, e trabalhavam na casa do SENHOR, para consertarem e repararem a casa. 11 E deram-no aos carpinteiros e aos edificadores, para comprarem pedras lavradas, e madeiras para as junturas e para servirem de vigas para as casas que os reis de Judá tinham destruído. 12 E estes homens trabalhavam fielmente na obra; e os superintendentes sobre eles eram: Jaate e Obadias, levitas, dos filhos de Merari, como também Zacarias e Mesulão, dos filhos dos coatitas, para adiantarem a obra; e todos os levitas que eram entendidos em instrumentos de música. 13 Estavam também sobre os carregadores e dirigiam todos os que trabalhavam em alguma obra; e dentre os levitas havia escrivães, oficiais e porteiros. 14 E, tirando eles o dinheiro que se tinha trazido à casa do SENHOR, Hilquias, o sacerdote, achou o livro da lei do SENHOR, dada pela mão de Moisés. 15 E Hilquias disse a Safã, o escrivão: Achei o livro da lei na casa do SENHOR. E Hilquias deu o livro a Safã. 16 E Safã levou o livro ao rei, e deu-lhe conta, dizendo: Teus servos fazem tudo quanto se lhes encomendou. 17 E ajuntaram o dinheiro que se achou na casa do SENHOR, e o deram na mão dos superintendentes e na mão dos que faziam a obra. 18 Além disto, Safã, o escrivão, fez saber ao rei, dizendo: O sacerdote Hilquias entregou-me um livro. E Safã leu nele perante o rei. 19 Sucedeu que, ouvindo o rei as palavras da lei, rasgou as suas vestes. 20 E o rei ordenou a Hilquias, e a Aicão, filho de Safã, e a Abdom, filho de Mica, e a Safã, o escrivão, e a Asaías, servo do rei, dizendo: 21 Ide, consultai ao SENHOR por mim, e pelos que restam em Israel e em Judá, sobre as palavras deste livro que se achou; porque grande é o furor do SENHOR, que se derramou sobre nós; porquanto nossos pais não guardaram a palavra do SENHOR, para fazerem conforme a tudo quanto está escrito neste livro. 22 Então Hilquias, e os enviados do rei, foram ter com a profetiza Hulda, mulher de Salum, filho de Tocate, filho de Harás, guarda das vestimentas (e habitava ela em Jerusalém na segunda parte); e falaram-lhe a esse respeito. 23 E ela lhes disse: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Dizei ao homem que vos enviou a mim: 24 Assim diz o SENHOR: Eis que trarei mal sobre este lugar, e sobre os seus habitantes, a saber, todas as maldições que estão escritas no livro que se leu perante o rei de Judá. 25 Porque me deixaram, e queimaram incenso perante outros deuses, para me provocarem à ira com todas as obras das suas mãos; portanto o meu furor se derramou sobre este lugar, e não se apagará. 26 Porém ao rei de Judá, que vos enviou a consultar ao SENHOR, assim lhe direis: Assim diz o SENHOR Deus de Israel, quanto às palavras que ouviste: 27 Porquanto o teu coração se enterneceu, e te humilhaste perante Deus, ouvindo as suas palavras contra este lugar, e contra os seus habitantes, e te humilhaste perante mim, e rasgaste as tuas vestes, e choraste perante mim, também eu te ouvi, diz o SENHOR. 28 Eis que te reunirei a teus pais, e tu serás recolhido ao teu sepulcro em paz, e os teus olhos não verão todo o mal que hei de trazer sobre este lugar e sobre os seus habitantes. E tornaram com esta resposta ao rei. 29 Então o rei mandou reunir todos os anciãos de Judá e Jerusalém. 30 E o rei subiu à casa do SENHOR, com todos os homens de Judá, e os habitantes de Jerusalém, e os sacerdotes, e os levitas, e todo o povo, desde o maior até ao menor; e ele leu aos ouvidos deles todas as palavras do livro da aliança que fora achado na casa do SENHOR. 31 E pôs-se o rei em pé em seu lugar, e fez aliança perante o SENHOR, para seguirem ao SENHOR, e para guardar os seus mandamentos, e os seus testemunhos, e os seus estatutos, com todo o seu coração, e com toda a sua alma, cumprindo as palavras da aliança, que estão escritas naquele livro. 32 E fez com que todos quantos se achavam em Jerusalém e em Benjamim o firmassem; e os habitantes de Jerusalém fizeram conforme a aliança de Deus, o Deus de seus pais. 33 E Josias tirou todas as abominações de todas as terras que eram dos filhos de Israel; e a todos quantos se achavam em Israel obrigou a que servissem ao SENHOR seu Deus. Enquanto ele viveu não se desviaram de seguir o SENHOR, o Deus de seus pais. ► Resp. Josias destruiu os altares e os ídolos; posteriormente, fez uma aliança pessoal com o Senhor, comprometendo-se a obedecer de todo o coração aos Seus mandamentos; então, levou o povo a também aderir a essa aliança. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. Com a ascensão de Josias ao trono, onde devia reinar por trinta e um anos, os que haviam conservado a pureza de sua fé começaram a esperar que o declínio do reino fosse detido; pois o novo rei, embora tivesse apenas oito anos de idade, temia a Deus e, desde o início “fez o que era reto aos olhos do Senhor; e andou em todo o caminho de Davi, seu pai, e não se apartou dele nem para a direita nem para a esquerda”. 2Rs 22:2. Filho de um rei ímpio, perseguido por tentações para que seguisse os passos do pai, e com poucos conselheiros para encorajá-lo no caminho certo, não obstante Josias foi leal ao Deus de Israel. Advertido pelos erros de gerações passadas, escolheu fazer o que era reto, em vez de descer ao baixo nível de pecado e degradação no qual seu pai e seu avô haviam caído. Ele ‘não se desviou nem para a direita nem para a esquerda’. Como alguém que devia ocupar uma posição de confiança, resolveu obedecer à instrução que tinha sido dada para a orientação dos governantes de Israel. Sua obediência tornou possível que Deus o usasse como um vaso de honra. (Profetas e Reis, p. 384). Lendo o rei as profecias de apressado juízo sobre os que persistissem na rebelião, tremeu ante o futuro. A perversidade de Judá havia sido grande; qual seria o resultado de sua continuada apostasia? Em anos anteriores o rei não havia sido indiferente à predominante apostasia. “No oitavo ano do seu reinado, sendo ainda moço”, ele se consagrou inteiramente ao serviço de Deus. Quatro anos mais tarde, com a idade de vinte anos, ele havia feito um fervoroso esforço para remover a tentação de seus súditos, purificando “Judá e Jerusalém, dos altos e dos bosques, e das imagens de escultura e de fundição”. “E derribaram perante ele os altares de Baalim; e cortou as imagens do Sol, que estavam acima deles; e os bosques, e as imagens de escultura e de fundição quebrou e reduziu a pó, e o espargiu sobre as sepulturas dos que lhes tinham sacrificado. E os ossos dos sacerdotes queimou sobre seus altares, e purificou a Judá e a Jerusalém”. (2Cr 34:3-5). Não contente com fazer uma obra total na terra de Judá, o jovem rei havia estendido seus esforços às partes da Palestina anteriormente ocupadas pelas dez tribos de Israel, de que permanecia apenas um fraco remanescente. “O mesmo fez nas cidades de Manassés”, diz o relato, “e de Efraim, e de Simeão, e ainda até Naftali”. Não antes que tivesse percorrido de extremo a extremo essa região de lares arruinados, “e tendo derribado os altares, e os bosques, e as imagens de escultura, até reduzi-los a pó”, “tendo cortado todas as imagens do Sol em toda a terra de Judá” (2Cr 34:6, 7) – não antes ele retornou para Jerusalém. Assim Josias, desde o limiar mesmo de sua varonilidade, havia-se empenhado em tirar partido de sua posição como rei para exaltar os princípios da santa lei de Deus. E então, enquanto o escriba Safã lia para ele no livro da lei, o rei discerniu nesse volume um tesouro de conhecimento, um poderoso aliado na obra de reforma que tanto desejava ver executada na terra. Resolveu andar na luz dos seus conselhos, e também fazer tudo que estivesse em seu poder para familiarizar seu povo com seus ensinos, e levá-lo, se possível, a cultivar reverência e amor pela lei do Céu. (Profetas e Reis, p. 396-398). ❉ Segunda 12 de outubro - Jeoacaz e Jeoaquim: outro declínio Jeoacaz (“Javé tomou”) também conhecido como Salum (“retribuição”) tinha 23 anos de idade quando sucedeu seu pai no trono. Seu reino durou apenas três meses. O rei que veio após Jeoacaz foi Jeoaquim (“Javé ergue”), que reinou de 609 a 598 a.C. 2. Leia Jeremias 22:1-19. Quais questões relacionadas com Jeoaquim motivaram uma repreensão severa do Senhor? Jr 22:1-19, (ARC); 1 Assim diz o SENHOR: Desce à casa do rei de Judá, e anuncia ali esta palavra, 2 e dize: Ouve a palavra do SENHOR, ó rei de Judá, que te assentas no trono de Davi; tu, e os teus servos, e o teu povo, que entrais por estas portas. 3 Assim diz o SENHOR: Exercei o juízo e a justiça e livrai o espoliado da mão do opressor; e não oprimais ao estrangeiro, nem ao órfão, nem à viúva; não façais violência, nem derrameis sangue inocente neste lugar. 4 Porque, se, deveras, cumprirdes esta palavra, entrarão pelas portas desta casa os reis que se assentarão no lugar de Davi sobre o seu trono, em carros e montados em cavalos, eles, e os seus servos, e o seu povo. 5 Mas, se não derdes ouvidos a estas palavras, por mim mesmo tenho jurado, diz o SENHOR, que esta casa se tornará em assolação. 6 Porque assim diz o SENHOR acerca da casa do rei de Judá: Tu és para mim Gileade e a cabeça do Líbano; mas por certo que farei de ti um deserto e cidades desabitadas. 7 Porque prepararei contra ti destruidores, cada um com as suas armas; e cortarão os teus cedros Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. escolhidos e lançá-los-ão no fogo. 8 E muitas nações passarão por esta cidade, e dirá cada um ao seu companheiro: Por que procedeu o SENHOR assim com esta grande cidade? 9 Então, responderão: Porque deixaram o concerto do SENHOR, seu Deus, e se inclinaram diante de deuses alheios, e os serviram. 10 Não choreis o morto, nem o lastimeis; chorai abundantemente aquele que sai, porque nunca mais tornará, nem verá a terra onde nasceu. 11 Porque assim diz o SENHOR acerca de Salum, filho de Josias, rei de Judá, que reinou em lugar de Josias, seu pai, e que saiu deste lugar: Nunca ali tornará mais. 12 Mas no lugar para onde o levaram cativo morrerá e nunca mais verá esta terra. 13 Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça e os seus aposentos sem direito; que se serve do serviço do seu próximo, sem paga, e não lhe dá o salário do seu trabalho; 14 que diz: Edificarei para mim uma casa espaçosa e aposentos largos, e lhe abre janelas, e está forrada de cedro e pintada de vermelhão. 15 Reinarás tu, só porque te encerras em cedro? Acaso, teu pai não comeu e bebeu e não exercitou o juízo e a justiça? Por isso, tudo lhe sucedeu bem. 16 Julgou a causa do aflito e do necessitado; então, lhe sucedeu bem; porventura, não é isto conhecer-me? - diz o SENHOR. 17 Mas os teus olhos e o teu coração não atentam senão para a tua avareza, e para o sangue inocente, a fim de derramá-lo, e para a opressão, e para a violência, a fim de levar isso a efeito. 18 Portanto, assim diz o SENHOR acerca de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá: Não lamentarão por ele, dizendo: Ai, irmão meu! Ou: Ai, minha irmã! Nem lamentarão por ele, dizendo: Ai, senhor! Ou: Ai, majestoso! 19 Em sepultura de jumento, o sepultarão, arrastando-o e lançando-o para bem longe, fora das portas de Jerusalém. ► Resp. O rei promovia a adoração de outros deuses, não pagava o salário dos trabalhadores e só pensava na sua ganância, em derramar sangue inocente, em violência e extorsão. Deus quer que Seu povo revele ao mundo pecador que Ele não o deixou a perecer. Devem ser feitos especiais esforços para ajudar os que foram expulsos de seus lares por amor da verdade, sendo obrigados a sofrer. Haverá mais e mais necessidade de corações largos, francos, e generosos, corações que se neguem a si mesmos e se interessem pelos casos desses a quem o Senhor ama. Os pobres entre o povo de Deus não devem ser deixados sem providências em suas necessidades. Cumpre encontrar algum meio pelo qual possam ter a subsistência. Alguns precisarão ser ensinados a trabalhar. Outros, que trabalham ao máximo de suas forças a fim de sustentar a família, necessitarão de especial assistência. Devemos interessar-nos por esses casos e ajudá-los a encontrar emprego. Deve haver um fundo para ajudar essas dignas famílias pobres que amam a Deus e guardam Seus mandamentos. É preciso cuidar para que os meios necessários a essa obra não sejam desviados para outros desígnios. É diferente se ajudamos os pobres que, devido ao fato de observarem os mandamentos de Deus, são reduzidos à escassez e sofrimento, ou se negligenciamos esses a fim de ajudar os blasfemos que pisam os mandamentos. E o Senhor considera a diferença. Os observadores do sábado não devem passar pelos necessitados e aflitos do Senhor, e passar a sustentar os que continuam em transgressão da lei de Deus, os que estão sendo educados a esperar auxílio de quem quer que os sustente. Essa não é a verdadeira espécie de obra missionária. Não está em harmonia com o plano do Senhor. Sempre que se estabelece uma igreja, seus membros devem fazer uma obra fiel em favor dos crentes necessitados. Não se devem, porém, deter aí. Devem também ajudar a outros, independentemente de sua fé. Em resultado de tais esforços, alguns desses receberão as verdades especiais para este tempo. (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 269, 270). ❉ Terça 13 de outubro - O curto reinado do rei Joaquim de Judá O décimo nono rei de Judá foi Joaquim (“Javé estabelece”), filho de Jeoaquim. Ele reinou no trono de Davi apenas por cerca de três meses e meio. Em 598 a.C. 3. Leia Jeremias 29:1-14. O rei Joaquim, sua família e sua corte foram levados cativos para Babilônia. Mesmo em meio a essa tragédia, de que forma são revelados o amor e a graça de Deus? Jr 29:1-14, (NVI); 1 Este é o conteúdo da carta que o profeta Jeremias ( = “a quem Javé designou”) enviou de Jerusalém aos líderes, que ainda restavam entre os exilados, aos sacerdotes, aos profetas e a todo o povo que Nabucodonosor deportara de Jerusalém para a Babilônia. 2 Isso aconteceu depois que o rei Joaquim e a rainha-mãe, os oficiais do palácio real, os líderes de Judá e Jerusalém, os artesãos e os artífices foram sido deportados de Jerusalém para a Babilônia. 3 Ele enviou a carta por intermédio de Eleasá, filho de Safã, e Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. Gemarias, filho de Hilquias, os quais Zedequias, rei de Judá, mandou a Nabucodonosor, rei da Babilônia. A carta dizia o seguinte: 4 Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel, a todos os exilados, que deportei de Jerusalém para a Babilônia: 5 "Construam casas e habitem nelas; plantem jardins e comam de seus frutos. 6 Casem-se e tenham filhos e filhas; escolham mulheres para casar-se com seus filhos e dêem as suas filhas em casamento, para que também tenham filhos e filhas. Multipliquem-se e não diminuam. 7 Busquem a prosperidade da cidade para a qual eu os deportei e orem ao Senhor em favor dela, porque a prosperidade de vocês depende da prosperidade dela". 8 Porque assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: "Não deixem que os profetas e adivinhos que há no meio de vocês os enganem. Não dêem atenção aos sonhos que vocês os encorajam a terem. 9 Eles estão profetizando mentiras em meu nome. Eu não os enviei", declara o Senhor. 10 Assim diz o Senhor: "Quando se completarem os setenta anos da Babilônia, eu cumprirei a minha promessa em favor de vocês, de trazê-los de volta para este lugar. 11 Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês", diz o Senhor, "planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. 12 Então vocês clamarão a mim, virão orar a mim, e eu os ouvirei. 13 Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração. 14 Eu me deixarei ser encontrado por vocês", declara o Senhor, "e os trarei de volta do cativeiro. Eu os reunirei de todas as nações e de todos os lugares para onde eu os dispersei, e os trarei de volta para o lugar de onde os deportei", diz o Senhor. ► Resp. Deus disse que, após os 70 anos, olharia para eles e tornaria a trazê-los ao seu país; tinha para com eles pensamentos de paz e não de mal, para lhes dar o fim que desejavam; eles O buscariam e Ele os ouviria, quando O buscassem de todo o coração. Com que terna compaixão Deus informa Seu povo cativo de Seus planos para os israelitas! Ele sabia que se eles fossem persuadidos por falsos profetas a que esperassem por breve libertação, sua posição em Babilônia se tornaria muito difícil. Qualquer manifestação ou insurreição de sua parte despertaria a vigilância e severidade das autoridades caldeias, o que poderia conduzir a posterior restrição de suas liberdades. O resultado seria sofrimento e angústia. Ele desejava que se submetessem pacificamente à sua sorte, tornando sua servidão tão agradável quanto possível; e Seu conselho a eles foi: “Edifiquem casas e habitem-nas e plantem jardins, comam o seu fruto. … E procurem a paz da cidade, para onde os fiz transportar, e orem por ela ao Senhor; porque na sua paz vocês terão paz”. Jr 29:5-7. (Profetas e Reis, p. 441, 442). Somos demasiadamente sem fé. Oh! como desejaria poder levar nosso povo a ter fé em Deus! Eles não necessitam achar que, para exercer fé, precisam agitar-se a elevado estado de euforia. Tudo quanto têm a fazer é crer na Palavra de Deus, da mesma forma que acreditam na palavra uns dos outros. Ele o declarou, e cumprirá Sua Palavra. Confiem tranquilamente em Sua promessa, pois Ele leva a sério tudo quanto diz. Digam: Ele me disse isso em Sua Palavra, e cumprirá toda promessa que fez. Não fiquem desassossegados. Sejam confiantes. A Palavra de Deus é fiel. Procedam como sendo seu Pai celeste digno de confiança. (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 83). ❉ Quarta 14 de outubro - No fim do beco sem saída 4. Leia 2 Crônicas 36:11-14. O que esses versos dizem sobre o último rei de Judá antes da destruição final da nação? Que princípios de apostasia são revelados nesse texto? 2Cr 36:11-14, (ACF); 11 Tinha Zedequias (“O SENHOR é justo”) a idade de vinte e cinco anos, quando começou a reinar; e onze anos reinou em Jerusalém. 12 E fez o que era mau aos olhos do SENHOR seu Deus; nem se humilhou perante o profeta Jeremias, que falava da parte do SENHOR. 13 Além disto, também se rebelou contra o rei Nabucodonosor, que o tinha ajuramentado por Deus. Mas endureceu a sua cerviz, e tanto se obstinou no seu coração, que não se converteu ao SENHOR Deus de Israel. 14 Também todos os chefes dos sacerdotes e o povo aumentavam de mais em mais as transgressões, segundo todas as abominações dos gentios; e contaminaram a casa do SENHOR, que ele tinha santificado em Jerusalém. ► Resp. Zedequias não se humilhou diante do profeta Jeremias, o qual lhe falava da parte do Senhor; tornou- se muito obstinado e não quis voltar para o Senhor. Princípios da apostasia: Todos os chefes dos sacerdotes e o Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. povo estavam agindo segundo todas as abominações dos gentios; estavam imitando o mundo e contaminando a casa do Senhor, em vez de ser um exemplo às nações. (Dt 4:5-9). 5. Leia Jeremias 38:14-18. O que o rei perguntou ao profeta, e por quê? Jr 38:14-18, (ARC); 14 Então, enviou o rei Zedequias e fez vir à sua presença Jeremias, o profeta, à terceira entrada, que estava na Casa do SENHOR; e disse o rei a Jeremias: Pergunto-te uma coisa; não me encubras nada. 15 Disse Jeremias a Zedequias: Se eu ta declarar, com certeza, não me matarás? E, aconselhando-te eu, ouvir-me-ás? 16 Então, jurou o rei Zedequias a Jeremias, em segredo, dizendo: Vive o SENHOR, que nos fez esta alma, que não te matarei, nem te entregarei nas mãos destes homens que procuram a tua morte. 17 Então, Jeremias disse a Zedequias: Assim diz o SENHOR, Deus dos Exércitos, Deus de Israel: Se, voluntariamente, saíres, aos príncipes do rei da Babilônia, então, viverá a tua alma, e esta cidade não será queimada, e viverás tu e a tua casa. 18 Mas, se não saíres aos príncipes do rei da Babilônia, então, será entregue esta cidade nas mãos dos caldeus, e eles a queimarão, e tu não escaparás das mãos deles. ► Resp. A pergunta está no contexto de Jr 21:1-14; 37:17-19, o rei queria saber se devia se submeter a Babilônia ou lutar contra ela, tentando ver se Deus mudaria de ideia do que já lhe havia dito. Ele queria que Jeremias dissesse o que ele queria ouvir e, como não foi isso que ocorreu, ele não atendeu ao que o profeta disse, como o próprio Jeremias havia predito que ocorreria. Com lágrimas, Jeremias suplicou a Zedequias que se salvasse bem como seu povo. Com angústia de espírito assegurou-lhe que, a menos que ele aceitasse o conselho de Deus, ele não escaparia com vida, e todas as suas posses cairiam nas mãos dos babilônios. Mas o rei havia iniciado a marcha no mau caminho, e não conteria seus passos. Ele decidiu seguir os conselhos dos falsos profetas, e dos homens a quem na realidade ele desprezava, e que ridicularizavam sua fraqueza em se render tão prontamente aos desejos deles. Ele sacrificou sua nobre liberdade varonil e se tornou um servil escravo da opinião pública. Sem nenhum propósito predeterminado de fazer o mal, era não obstante irresoluto em permanecer corajosamente ao lado do direito. Convicto como estivesse do valor dos conselhos dados por Jeremias, não tinha a energia moral para obedecer; e como consequência avançou firmemente na direção errada. (Profetas e Reis, p. 457, 458). A nação judaica se encontra diante de nós como um exemplo do esgotamento da grande paciência de Deus. Na destruição de Jerusalém é tipificada a destruição do mundo. Os lábios dAquele que sempre pronunciou bênçãos sobre os arrependidos, deu encorajamento aos pobres e sofredores e proveu alegria aos humildes pronunciaram maldição sobre aqueles a quem havia apresentado a luz e que não quiseram apreciar nem aceitar essa luz. Ele declarou que os que preferiram se desviar da clara e distinta Palavra de Deus para acalentar tradições humanas seriam considerados culpados do sangue de todos os profetas mortos desde a fundação do mundo. Vez após vez Deus refreou os judeus em sua ímpia conduta por meio de severo castigo. Eles, porém, O provocaram por suas más obras, rejeitando a lei do Senhor dos Exércitos e, finalmente, recusando-se a reverenciar Seu Filho unigênito. Cada século de transgressão entesourava ira para o dia da ira. Jesus suportou a obstinada e impenitente nação até encher a medida de sua iniquidade. Suas ímpias obras não foram esquecidas nem passadas por alto. Quando chegou plenamente o tempo do juízo retributivo, saiu do sagrado lugar do Altíssimo, a ordem para que fosse vindicada a honra de Deus e para que Sua lei fosse magnificada (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, v. 3, p. 1282). ❉ Quinta 15 de outubro - O remanescente ► Remanescente = restante, sobreviventes, os que permanecem fieis ao Senhor, são a continuidade da semente da mulher de Gn 3:15. 6. O que aconteceu com Judá e com Jerusalém depois que rejeitaram a mensagem de Deus? Jr 39:8, 9 Jr 39:8-10, (KJA); 8 Os babilônios incendiaram o palácio real e as casas do povo e derrubaram os muros de Jerusalém. 9 Nebuzaradã, o comandante da guarda imperial, deportou para a Babilônia o povo que restou na cidade, junto com aqueles que haviam se entregado a ele, e o restante dos artesãos e outros trabalhadores. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  7. 7. 10 Contudo, Nebuzaradã, capitão da guarda babilônica, decidiu deixar na terra de Judá somente alguns pobres dentre o povo, que nada possuíam. E concedeu-lhes vinhas e campos. ► Resp. Os caldeus queimaram a casa do rei e as casas do povo e derribaram os muros de Jerusalém, sendo que a maior parte do povo foi levada cativa para Babilônia. “Os tenebrosos anos de destruição e morte que marcaram o fim do reino de Judá teriam levado desespero ao mais resoluto coração, não fosse o encorajamento das predições proféticas dos mensageiros de Deus. Por intermédio de Jeremias em Jerusalém, de Daniel na corte de Babilônia, de Ezequiel junto às margens do Quebar, o Senhor em misericórdia tornou claro Seu eterno propósito, e deu certeza de Sua disposição de cumprir para com Seu povo escolhido as promessas registradas nos escritos de Moisés. Aquilo que tinha prometido fazer pelos que se mostrassem fiéis a Ele, certamente haveria de realizar-se. A ‘palavra de Deus […] permanece para sempre.’” 1Pe 1:23. ARC. (Profetas e Reis, p. 464). 7. Qual é a mensagem de Jeremias 23:2-8? Que esperança foi dada às pessoas? Jr 23:2-8, (ARC); 2 Portanto, assim diz o SENHOR, o Deus de Israel, acerca dos pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o SENHOR. 3 E eu mesmo recolherei o resto das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; e frutificarão e se multiplicarão. 4 E levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e nunca mais temerão, nem se assombrarão, e nem uma delas faltará, diz o SENHOR. 5 Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; sendo rei, reinará, e prosperará, e praticará o juízo e a justiça na terra. 6 Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o nome com que o nomearão: O SENHOR, Justiça Nossa. 7 Portanto, eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que nunca mais dirão: Vive o SENHOR, que fez subir os filhos de Israel da terra do Egito, 8 mas: Vive o SENHOR que fez subir e que trouxe a geração da casa de Israel da terra do Norte e de todas as terras para onde os tinha arrojado. E habitarão na sua terra. ► Resp. Deus recolheria o restante de Suas ovelhas das terras para onde haviam sido levadas, e as traria de volta para sua terra. Levantaria pastores para apascentá-las e um Rei que executaria juízo e justiça, e em cujos dias o povo habitaria seguro. Assim profecias de juízo próximo foram misturadas com promessas de final e glorioso livramento. Os que escolhessem fazer paz com Deus, vivendo vida santa em meio à prevalecente apostasia, receberiam força para cada prova, e seriam capacitados para testificar dEle com forte poder. E nos séculos por vir o livramento que se havia de operar em benefício deles excederia em fama ao efetuado em favor dos filhos de Israel ao tempo do Êxodo. Aproximavam-se os dias, declarou o Senhor por intermédio do Seu profeta, em que eles não mais diriam: “Vive o Senhor, que fez subir os filhos de Israel da terra do Egito; mas: Vive o Senhor, que fez subir, e que trouxe a geração da casa de Israel da terra do norte, e de todas as terras para onde os tinha arrojado; e habitarão na sua terra” (Jr 23:7, 8). Tais eram as maravilhosas profecias proferidas por Jeremias durante os anos finais da história do reino de Judá, quando Babilônia estava se tornando soberana universal, e estavam mesmo levando o cerco de seus exércitos contra os muros de Sião. Como a mais suave música essas promessas de livramento caíram nos ouvidos dos que se mantinham firmes na adoração a Jeová. Nos lares do elevado e do humilde, onde os conselhos de um Deus que guarda o concerto eram ainda tidos em reverência, as palavras do profeta foram repetidas uma e outra vez. Mesmo as crianças foram fortemente animadas, e em sua mente jovem e receptiva foram feitas duradouras impressões. (Profetas e Reis, p. 427). Nos últimos anos da apostasia de Judá, as exortações dos profetas foram aparentemente de pouco valor. Ao virem os exércitos dos caldeus pela terceira e última vez para sitiar Jerusalém, foi-se a esperança de todos. Jeremias predisse total ruína. Em virtude de sua insistência para que se rendessem, finalmente ele foi levado à prisão. Mas Deus não deixou em irremediável desespero o fiel remanescente que ainda estava na cidade. Mesmo quando Jeremias foi mantido sob severa vigilância pelos que desprezavam suas mensagens, vieram- lhe novas revelações concernentes à disposição do Céu para perdoar e salvar, revelações que têm sido uma infalível fonte de conforto para a igreja de Deus desde aquele tempo até hoje. (Profetas e Reis, p. 466). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com

×