Lições Adultos Carta de Tiago 
Lição 11 - Preparando-se para a colheita 6 a 13 de dezembro 
Sábado à tarde Ano Bíblico: 1 ...
tempos apropriados é significativamente maior. Seja cultivada em uma pequena fazenda da família ou numa 
grande propriedad...
Participe do projeto “Reavivados por Sua Palavra”: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/ 
Segunda - Será que e...
3. Tiago 5:9 adverte: “Irmãos, não vos queixeis uns contra os outros, para que não sejais condenados. Eis 
que o juiz está...
Um dos atributos é “paciência” (makrothymias), também traduzida como “longanimidade” ou “perseverança”. 
Refere-se à capac...
toda a verdade, até sobre nós mesmos. Por isso, devemos ser humildes. Em segundo lugar, quando falamos 
a verdade, ela sem...
corpo de Cristo. Por isso, usam palavras que transmitam graça aos ouvintes, palavras temperadas com sal 
[a graça cristã],...
Somente para o professor: Ajude os alunos a aprofundar a compreensão não apenas do que é paciência, 
mas de sua maneira de...
Tiago sugere em termos práticos o que essa paciência implica para que possamos reconhecê-la quando ela 
se manifestar. “Ir...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Preparando-se para a colheita_Lição_original com textos_1142014

251 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade; facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Também facilita se for imprimir por usar bem menos tinta que a lição convencional.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
251
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Preparando-se para a colheita_Lição_original com textos_1142014

  1. 1. Lições Adultos Carta de Tiago Lição 11 - Preparando-se para a colheita 6 a 13 de dezembro Sábado à tarde Ano Bíblico: 1 Tessalonicenses VERSO PARA MEMORIZAR: “Sede vós também pacientes e fortalecei o vosso coração, pois a vinda do Senhor está próxima”. Tg 5:8. Leituras da Semana: Tg 5:7-12; Rm 13:11; 1Co 3:13; Lc 7:39-50; Cl 4:6 Nos tempos greco-romanos (assim como em alguns lugares ainda hoje), um turbilhão de atividades precedia a chegada de um dignitário visitante. Ruas eram preparadas, vitrines de lojas eram limpas, flores eram plantadas e a prevenção da criminalidade aumentada. Todo esforço era dirigido para garantir que o lugar parecesse perfeito quando a autoridade chegasse. A palavra grega parousia, usada em Tiago 5:7, 8 e em todo o Novo Testamento para se referir à “vinda” de Cristo, é uma expressão técnica para a chegada de um rei ou dignitário. Se tais preparações precediam a chegada de governantes terrestres, não devemos fazer todos os esforços para preparar nosso coração para a vinda de nosso Senhor e Salvador? Tg 5:7-8, (ACF); 7 Sede pois, irmãos, pacientes até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e seródia. 8 Sede vós também pacientes, fortalecei os vossos corações; porque já a vinda do Senhor está próxima. Mas como podemos nos preparar se não sabemos o “dia e hora” (Mt 24:36)? Que significa o fato de que devemos ser pacientes e fortalecer nosso coração? Como isso se relaciona com a ideia da “chuva temporã e serôdia” (Tg 5:7)? Embora nos textos para esta semana o contexto pareça ser o fim dos tempos, a mensagem básica é igualmente relevante para os cristãos em qualquer época. Ao longo da nossa história e até mesmo em nossa vida agora, enfrentamos provações e sofrimento que exigem que permaneçamos firmes na fé, como fizeram os profetas do passado. Ajude a formar novos missionários: encoraje os jovens de sua igreja a participar da colportagem evangelística e realizar o sonho de estudar em nossos colégios. Domingo - Esperando a “chuva” Ano Bíblico: 2 Tessalonicenses Os agricultores dependem diretamente das condições do tempo para sua subsistência. Se o clima estiver muito seco ou muito chuvoso, muito frio ou muito quente, sua lavoura será prejudicada. Nos países mais secos, como Israel, a margem de segurança é ainda menor, e a importância de chuva abundante nos Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  2. 2. tempos apropriados é significativamente maior. Seja cultivada em uma pequena fazenda da família ou numa grande propriedade, a colheita e seu valor subsequente dependem diretamente da chuva. A chuva temporã, que geralmente cai em outubro e novembro, umedece o solo e o prepara para o plantio e germinação. A chuva serôdia, por volta de março ou abril, amadurece o produto para a colheita. 1. Leia Tiago 5:7 (compare com Dt 11:14; Jr 5:24; 14:22; Jl 2:23). Que ponto essas passagens do Antigo Testamento apresentam sobre a chuva? Por que Tiago usou essa imagem em conexão com a vinda do Senhor? Veja também Os 6:1-3; Jl 2:28, 29 Tg 5:7 (ACF); 7 Sede pois, irmãos, pacientes até à vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia. Dt 11:14, (ACF); 14 Então darei a chuva da vossa terra a seu tempo, a temporã e a serôdia, para que recolhais o vosso grão, e o vosso mosto e o vosso azeite. Jr 5:24, (ACF); 24 As vossas iniquidades desviam estas coisas, e os vossos pecados apartam de vós o bem. Jr 14:22, (ACF); 22 Porventura há, entre as vaidades dos gentios, alguém que faça chover? Ou podem os céus dar chuvas? Não és tu, ó SENHOR nosso Deus? Portanto em ti esperamos, pois tu fazes todas estas coisas. Jl 2:23, (ACF); 23 E vós, filhos de Sião, regozijai-vos e alegrai-vos no SENHOR vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva temporã; fará descer a chuva no primeiro mês, a temporã e a serôdia. Os 6:1-3, (ACF); 1 Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. 2 Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele. 3 Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva seródia que rega a terra. Jl 2:28-29, (ACF); 28 E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. 29 E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito. “Sob a figura das chuvas temporã e serôdia, que caem nas terras orientais ao tempo da semeadura e da colheita, os profetas hebreus predisseram a dotação de graça espiritual em medida extraordinária à igreja de Deus. O derramamento do Espírito nos dias dos apóstolos foi o começo da primeira chuva, ou temporã, e glorioso foi o resultado. [...] Perto do fim da ceifa da Terra, uma especial concessão de graça espiritual é prometida a fim de preparar a igreja para a vinda do Filho do homem. Esse derramamento do Espírito é comparado com a queda da chuva serôdia; e é por esse poder adicional que os cristãos devem fazer suas petições ao Senhor da seara ‘no tempo da chuva serôdia” (Zc 10:1, ARC; Ellen G. White, O Cuidado de Deus, p. 212). Jesus Se referiu à “ceifa” no “fim do mundo” (Mt 13:39). Marcos 4:26-29 apresenta um quadro muito semelhante ao de Tiago 5:7. O agricultor espera que o grão amadureça: “primeiro a erva, depois, a espiga, e, por fim, o grão cheio na espiga. E, quando o fruto já está maduro, logo se lhe mete a foice, porque é chegada a ceifa” (Mc 4:28, 29). Só na época da colheita é possível fazer distinção entre o trigo e o joio (Mt 13:28-30; comparar com Ml 3:17, 18). Mt 13:28-30, (ACF); 28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo? 29 Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. 30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro. Ml 3:17-18, (ACF); 17 E eles serão meus, diz o SENHOR dos Exércitos; naquele dia serão para mim jóias; poupa-los-ei, como um homem poupa a seu filho, que o serve. 18 Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve. Como devemos viver nossa fé agora, antes da colheita? Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  3. 3. Participe do projeto “Reavivados por Sua Palavra”: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/ Segunda - Será que está realmente “próxima”? Ano Bíblico: 1 Timóteo Tiago 5:8 afirma que a vinda de Cristo está “próxima” ou que ocorrerá “logo” (NTLH). Mas, depois de quase dois mil anos (tomando como ponto de partida o ministério de Cristo ou a data em que a epístola foi escrita), como devemos entender essa promessa? Jesus descreveu o futuro reino (Mt 4:17; 10:7; 24:33) por meio de parábolas para ensinar em termos compreensíveis as “coisas celestiais”. Um minucioso estudo dessas parábolas revela que o reino tem dois aspectos: a realidade espiritual, no presente, e a realidade gloriosa, ainda no futuro. Todos os apóstolos fixaram sua esperança na vinda iminente de Jesus (Rm 13:11; Hb 10:25; Tg 5:9), mas eles nunca identificaram exatamente quando isso ocorreria. Queriam saber quando seria, mas Jesus explicou que não era conveniente que eles tivessem essa informação (At 1:6, 7). Afinal, quão zelosos eles seriam em compartilhar o evangelho se soubessem que a obra não estaria concluída em quase dois mil anos? 2. O que Tiago quis dizer ao declarar: “Fortalecei o vosso coração” (Tg 5:8)? Por que o esperado fruto é chamado “precioso” (timios; v. 7)? Veja 1Ts 3:13; 2Ts 3:3; 1Pe 1:19; 1Co 3:12 Tg 5:8, (ACF); 8 Sede vós também pacientes, fortalecei os vossos corações; porque já a vinda do Senhor está próxima. 1Ts 3:13, (ACF); 13 Para confirmar os vossos corações, para que sejais irrepreensíveis em santidade diante de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo com todos os seus santos. 2Ts 3:3, (ACF); 3 Mas fiel é o Senhor, que vos confirmará, e guardará do maligno. 1Pe 1:19, (ACF); 19 Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado. 1Co 3:12, (ACF); 12 E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha. A palavra fortalecer ou [estabelecer] vem do termo grego stērizō, que significa “fixar firmemente” ou “fortalecer”. Nosso coração deve estar tão apegado ao Senhor que não possa ser movido, apesar das pressões contra ele. Ser confirmado na verdade (2Pe 1:12), resistir às tentações e suportar provas e sofrimento por causa de nossa fé (At 14:22): tudo contribui para o fortalecimento do coração. O crescimento espiritual é um processo que nem sempre é fácil, mas que produz o “precioso fruto”. Os crentes, redimidos pelo “precioso [timios] ... sangue de Cristo” (1Pe 1:19), são de valor infinito para o “Agricultor” celestial. A palavra timios também é usada para descrever as “pedras preciosas” que simbolizam os cristãos que são “edificados” em Cristo, a Pedra fundamental do templo espiritual de Deus, a igreja (1Co 3:11, 12). Por outro lado, Paulo compara os crentes instáveis a madeira, feno e palha, que não duram e, finalmente, serão consumidos pelo fogo na vinda de Cristo (1Co 3:12-15). Portanto, é importante perguntar a nós mesmos, se nossas energias estão realmente voltadas para o que e quem é mais precioso para nós. “Manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará” (1Co 3:13). Considere sua vida. Que tipo de obra ela demonstra? Terça - Queixas, murmurações e crescimento Ano Bíblico: 2 Timóteo Quando será a segunda vinda de Jesus? Por que ainda estamos aqui? Não é de surpreender que agora, no século 21, tenhamos céticos e escarnecedores. Na história da igreja, isso não é novidade. As ameaças mais perigosas para Israel ao longo de sua história não vieram de seus inimigos, mas de suas próprias fileiras e do próprio coração do povo. Da mesma forma, à medida que se aproxima a vinda do Senhor, “temos muito mais a temer de dentro do que de fora. [...] A incredulidade com que se contemporiza, as dúvidas expressas, as sombras acariciadas, animam a presença dos anjos maus e abrem o caminho para a execução dos ardis de Satanás” (Ellen G. White, Eventos Finais, p. 156). Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  4. 4. 3. Tiago 5:9 adverte: “Irmãos, não vos queixeis uns contra os outros, para que não sejais condenados. Eis que o juiz está à porta.” Você teve queixas ou lamentações contra pessoas, ou contra a igreja? Havia uma boa causa para isso? Você lidou com o assunto com mansidão, humildade e perdão, como Deus lida conosco (Lc 7:39-50), ou usou os padrões do mundo? Jesus é ungido por uma mulher Lc 7:36-50, (ACF); 36 E rogou-lhe um dos fariseus que comesse com ele; e, entrando em casa do fariseu, assentou-se à mesa. 37 E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento; 38 E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com o ungüento. 39 Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora. 40 E respondendo, Jesus disse-lhe: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. E ele disse: Dize-a, Mestre. 41 Um certo credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro cinqüenta. 42 E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Dize, pois, qual deles o amará mais? 43 E Simão, respondendo, disse: Tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem. 44 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas, e mos enxugou com os seus cabelos. 45 Não me deste ósculo, mas esta, desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés. 46 Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com ungüento. 47 Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama. 48 E disse-lhe a ela: Os teus pecados te são perdoados. 49 E os que estavam à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este, que até perdoa pecados? 50 E disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz. Pelo que lemos anteriormente nessa epístola, parece que havia sérios desafios entre os fiéis, incluindo favoritismo [ou acepção de pessoas] (Tg 2:1, 9), perversos pensamentos (2:4), maledicência de uns para com os outros (3:10; 4:11), inveja (3:14), contendas (4:1) e mundanismo (4:4, 13, 14). De forma consistente, Tiago nos conduz a soluções profundas para esses problemas: a fé (Tg 1:3, 6), “a palavra implantada” (Tg 1:21, NVI), contemplação da “lei da liberdade” (Tg 1:25, 2:12), determinação e sabedoria divina (Tg 3:13, 17), graça (Tg 4:6), mãos limpas e coração puro (Tg 4:8). Ele também insiste em que haja manifestações exteriores das operações de Deus no interior (Tg 2:14-26), incluindo visitar os aflitos e esquecidos (Tg 1:27), mostrando misericórdia (Tg 2:13) e semeando a paz em vez de discórdia (Tg 3:18). Finalmente, somos responsáveis perante Deus. Aquele a quem temos que prestar contas é o Senhor, que é o Juiz e que dará a cada um segundo as suas obras. Enquanto esperamos a volta do Senhor, de que forma você pode incentivar e elevar os outros? Por que é importante que você faça isso? Quarta - Modelos de paciência Ano Bíblico: Tito 4. Leia Tiago 5:10, 11. O que Jó e os profetas têm em comum? Porque esses exemplos são destacados? Que lições podemos tirar de suas histórias para nós mesmos em meio às nossas provações? Tg 5:10-11, (ACF); 10 Meus irmãos, tomai por exemplo de aflição e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. 11 Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso. Os profetas de Israel foram fiéis na pregação da palavra do Senhor, sem alterá-la nem comprometê-la. Ao exaltar a fidelidade dos profetas a Deus, o livro aos Hebreus pinta um quadro claro: Eles “fecharam a boca de leões [Daniel]. Extinguiram a violência do fogo [Sadraque, Mesaque e Abede-Nego], escaparam ao fio da espada [Elias e Eliseu] [...] Passaram por prisões [Jeremias e Micaías]. Foram apedrejados [Zacarias, filho de Joiada], [...] serrados pelo meio [Isaías] e mortos a fio de espada” (Hb 11:33-37; ver também 1Rs 19:10). Os sofrimentos de Jó são também notórios, como é a paciência que ele exemplificou apesar do escárnio da própria esposa e da censura daqueles que o visitaram para se solidarizar com ele. O que separa esses heróis da fé e muitos outros cristãos do comum ou medíocre seguidor de Deus? Tiago menciona várias qualidades: paciência, perseverança e, acima de tudo, esperança e confiança em Deus. Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  5. 5. Um dos atributos é “paciência” (makrothymias), também traduzida como “longanimidade” ou “perseverança”. Refere-se à capacidade de resistir sob circunstâncias difíceis e provações, para superar tudo o que a vida, ou o diabo, lançar em nós. Os profetas suportaram todo seu sofrimento pela palavra de Deus com paciência (Tg 5:10). Essa palavra é usada com frequência no Novo Testamento, inclusive em uma referência a Abraão, durante seus muitos anos de peregrinação, esperando “com paciência” que Deus cumprisse Sua promessa de lhe dar um filho (Hb 6:12, 15). Ela também descreve Jesus suportando pacientemente todos os Seus sofrimentos e morte na cruz (2Pe 3:15). Perseverança (hypomon), por outro lado, concentra-se no objetivo final desse processo, olhando para a linha de chegada. Jó é apresentado como modelo dessa qualidade. Apesar de tudo o que sofreu, Jó olhava firmemente para a vindicação final que esperava receber (Jó 14:13-15; 19:23-27). Jó 14:13-15, (ACF); 13 Quem dera que me escondesses na sepultura, e me ocultasses até que a tua ira se fosse; e me pusesses um limite, e te lembrasses de mim! 14 Morrendo o homem, porventura tornará a viver? Todos os dias de meu combate esperaria, até que viesse a minha mudança. 15 Chamar-me-ias, e eu te responderia, e terias afeto à obra de tuas mãos. Jó 19:23-27, (ACF); 23 Quem me dera agora, que as minhas palavras fossem escritas! Quem me dera, fossem gravadas num livro! 24 E que, com pena de ferro, e com chumbo, para sempre fossem esculpidas na rocha. 25 Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. 26 E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus, 27 Vê-lo-ei, por mim mesmo, e os meus olhos, e não outros o contemplarão; e por isso os meus rins se consomem no meu interior. Você orou pedindo algo que ainda não ocorreu? Costuma ter um sentimento de desânimo? Pense nas provações de alguns dos personagens bíblicos; imagine como eles se sentiram impotentes nessas situações. O que você pode aprender com o sofrimento deles que poderia ajudá-lo a enfrentar suas aflições? Quinta - Claro como a luz solar Ano Bíblico: Filemon Leia Tiago 5:12. Comentaristas ficam intrigados quanto à razão pela qual Tiago parece tornar o juramento solene uma questão importante. Mesmo que a intenção fosse proibir toda declaração desse tipo, por que isso parece ser exortado como algo tão importante, “acima de tudo” que ele havia falado nesse capítulo, ou talvez em toda a carta? Será que esse era realmente um problema tão grande? Tg 5:12, (ACF); 12 Mas, sobretudo, meus irmãos, não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; mas que a vossa palavra seja sim, sim, e não, não; para que não caiais em condenação. Precisamos ter em mente o que temos visto ao longo de nosso estudo dessa epístola: Tiago não se contentava com uma fé superficial nem com a forma da religião, apesar dos preconceitos existentes com relação a ele. Tiago era totalmente orientado para o evangelho, tanto que ele estabeleceu padrões muito altos para alcançarmos, a não ser com a ajuda da divina graça que perdoa e capacita. Nossas palavras revelam o que está em nosso coração: “A boca fala do que está cheio o coração” (Mt 12:34). A teologia de Tiago é permeada com o pensamento de Jesus, que nos ordenou: “De modo algum jureis; nem pelo Céu, por ser o trono de Deus; nem pela Terra, por ser estrado de Seus pés; nem por Jerusalém, por ser cidade do grande Rei” (Mt 5:34, 35). Algumas pessoas aparentemente até colocavam os próprios cabelos em penhor para garantir suas palavras (v. 36). Mas Jesus disse que tudo isso era errado: “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não” (Mt 5:37). Tudo pertence a Deus, incluindo todos os cabelos da nossa cabeça. Por isso “não há coisa alguma que, como se fora nossa mesma, tenhamos o direito de empenhar para o cumprimento de nossa palavra. [...] “Tudo quanto os cristãos fazem deve ser tão transparente como a luz do Sol. A verdade é de Deus; o engano, em todas as suas múltiplas formas, é de Satanás” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 66, 68). Evidentemente, Cristo não estava proibindo juramentos judiciais, porque Ele mesmo, quando colocado sob juramento pelo Sumo Sacerdote, não Se recusou a responder, nem condenou o processo, apesar dos numerosos desvios da correta jurisprudência (Mt 26:63, 64). Ao falar a verdade, é preciso ter várias coisas em mente. Em primeiro lugar, normalmente não conhecemos Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  6. 6. toda a verdade, até sobre nós mesmos. Por isso, devemos ser humildes. Em segundo lugar, quando falamos a verdade, ela sempre deve ser proferida com amor e para a edificação dos que a ouvem. 5. Leia Efésios 4:15, 29 e Colossenses 4:6. Pense e ore sobre a mensagem desses textos. Quão diferente (e melhor) seria sua vida se você, pela graça de Deus, seguisse estritamente essas exortações? Ef 4:15, (ACF); 15 Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Ef 4:29, (ACF); 29 Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. Cl 4:6, (ACF); 6 A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um. Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Hb 1–3 Sobre as experiências de Elias e Jó em tempos de provação e sua importância para nós nos últimos dias, leia, de Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 155-166: “De Jezreel a Horebe”; p. 167-176: “Que Fazes Aqui?”; p. 177-189: “No Espírito e Virtude de Elias”. “Esperar pacientemente, confiar quando tudo parece escuro, eis a lição que os líderes na obra de Deus necessitam aprender. O Céu não lhes faltará no dia da adversidade. Nada está aparentemente mais ao desamparo, mas na realidade mais invencível, do que aquele que sente sua nulidade, e confia inteiramente em Deus. [...] “Sobrevirão provas; mas prossiga avante. Isso fortalecerá sua fé e o preparará para o serviço. Os registros da história sagrada estão escritos, não meramente para que possamos ler e nos maravilhar, mas para que a mesma fé que atuou nos servos de Deus do passado possa atuar em nós (Ellen G. White, Profetas e Reis, p. 174, 175). Perguntas para reflexão 1. Trigo e joio crescem juntos até a colheita (Mt 13). O que isso significa em termos de disciplina da igreja? O que significa no contexto de franca rebelião ou apostasia em nossas fileiras? Devemos ficar olhando as coisas acontecerem, dizendo que tudo será resolvido quando o Senhor voltar? Obviamente, não. A luz de exemplos em que a disciplina foi necessária na igreja primitiva, como entre os coríntios e gálatas, como lidar com o joio, especialmente aqueles cujo propósito parece ser o de sufocar o trigo? 2. Que promessas foram confortadoras para você? Que personagens bíblicos têm sido mais significativos para você em tempo de dificuldade? 3. Tiago diz que não devemos nos queixar uns dos outros (Tg 5:9). Como podemos aprender a amar, perdoar, suportar e superar as coisas “insignificantes” que podem nos tornar mal-humorados, irritados e, realmente, más testemunhas? Respostas sugestivas: 1. O lavrador espera a chuva para que possa ver o desenvolvimento do fruto da terra; devemos esperar a chuva serôdia, o derramamento do Espírito Santo, que preparará a seara da Terra para a vinda de Jesus de modo miraculoso. O Senhor colherá Seu povo e destruirá os ímpios. A vinda de Jesus é tão certa quanto a ocorrência das chuvas. 2. O coração é fortalecido pela certeza da salvação por meio do precioso sangue de Cristo, que é o fundamento para edificar o fruto precioso de um caráter puro e santo, que nos capacita a esperar com paciência a chuva do Espírito Santo e a vinda de Jesus. Se nosso coração está confirmado nessa esperança, não importa o dia de Sua vinda, porque Ele já reina em nossa vida e estamos vencendo as tentações do maligno. 3. Ouça a resposta dos alunos. No texto de Lucas 7:39-50, sabendo que Simão condenava a pecadora que ungiu os pés de Cristo, o Mestre censurou Simão de forma firme e ao mesmo tempo amorosa. De que forma podemos aplicar esses textos aos problemas da nossa igreja? Peça a opinião dos alunos. 4. Paciência em meio ao sofrimento; perseverança na fidelidade ao Senhor e no cumprimento da missão em meio às provas. Somos motivados a enfrentar os problemas, sabendo que as promessas que se cumpriram na vida de Jó e de outros profetas serão cumpridas em nossa vida também. 5. Para crescer em Cristo, precisamos falar a verdade com amor. Os que crescem em Cristo, não usam palavras torpes, porque essas palavras não edificam os outros. Eles querem ajudar a edificar o Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  7. 7. corpo de Cristo. Por isso, usam palavras que transmitam graça aos ouvintes, palavras temperadas com sal [a graça cristã], que tornem mais agradável a vida das pessoas. Pergunte aos alunos: Vocês precisam de mais sabedoria para escolher as palavras usadas em seus relacionamentos? Auxiliar - Resumo Carta de Tiago Texto-chave: Tiago 5:1-6 O aluno deverá: Saber: O que significa vigiar com paciência enquanto esperamos o Senhor. Sentir: Paciência em meio à injustiça e ao sofrimento. Fazer: Lutar para não perder o ânimo em face do mal, enquanto aguardamos o Senhor voltar. Esboço I. Saber: Esperar com paciência A. O que Tiago quis dizer com a ideia de esperar com paciência? B. De acordo com Tiago, quais são as características de uma pessoa paciente? II. Sentir: A paciência de Jó A. De que forma as provações moldaram e fortaleceram a fé que Jó possuía? B. Que lição você pode aprender do exemplo de Jó para fortalecer sua fé? III. Fazer: Vigiar e esperar A. Como podemos demonstrar aos outros paciência em ação? B. De acordo com Tiago, como devemos responder à corrupção que vemos no mundo? Resumo: Enquanto esperam o Senhor voltar, Tiago ordena que os cristãos lutem para que sejam pacientes em face do mal e da injustiça, e para que não desanimem. Ciclo do Aprendizado Motivação Focalizando as Escrituras: Tiago 5:7-11 Conceito-chave para o crescimento espiritual: Tiago nos exorta a lutar para ter paciência em face do mal e não desanimar enquanto esperamos a volta do Senhor. Somente para o professor: Use a seguinte atividade de discussão para ajudar os alunos a compreender a necessidade de cultivar paciência em meio à injustiça e sofrimento, descansando na promessa de que Deus corrigirá tudo afinal. Compreensão Atividade Comente as provações que afligiram Jó e alguns dos profetas do Antigo Testamento, destacando o que eles sofreram e como lidaram com a perseguição. Comente com a classe: Se você tivesse que pintar um quadro da paciência à luz da história de Jó, que imagem ou palavras você usaria para descrever a paciência dele? Como Isaías mostrou paciência quando solicitado a suportar a morte da esposa? Qual foi a resposta de Oseias à instrução divina de que ele tomasse como esposa uma adúltera? Como esses personagens demonstraram paciência em ação, e o que eles nos ensinam sobre isso? Compreensão Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  8. 8. Somente para o professor: Ajude os alunos a aprofundar a compreensão não apenas do que é paciência, mas de sua maneira de atuar e das figuras que podemos usar para descrever sua ação. Comentário Bíblico I. Esperar com paciência (Recapitule com a classe Tg 5:7, 8.) Tiago apresenta um comentário sobre paciência (5:7, 8), que começa com a palavra “portanto” [ou pois] (v. 7). Essa palavra sinaliza a conclusão como resultado da meditação anterior. Essa meditação, em Tiago 5:1- 6, sobre a corrupção dos ricos, estabelece o contexto para o que se segue nos versos 7 e 8, nos quais ele exorta os cristãos a praticar a paciência, provendo exemplos para ajudá-los a suportar a provação de esperar o retorno do Senhor em meio à injustiça. O agricultor é um dos exemplos de paciência que Tiago diz que devemos imitar enquanto esperamos o Senhor retornar. “Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia” (v. 7). Analisando o verso, descobrimos informações valiosas sobre o que significa esperar. Observe como o lavrador espera: (1) com expectativa, (2) sua espera é caracterizada pela paciência, até que (3) ele recebe a chuva temporã e a serôdia. Aguardar com expectativa significa que o agricultor está esperando por algo que ele sabe que acontecerá com certeza. Ele espera uma colheita da mesma forma que nos é dito que Deus virá para “[Lançar] a foice, pois a colheita está madura” (Jl 3:13, NVI). A figura da colheita, conforme indicado pela chuva temporã e serôdia, assinala que essa é a linguagem do juízo. A parte do agricultor na obra da grande colheita não é olhar para a corrupção, mas olhar para o seu campo. Nem deve ele olhar para o campo de outra pessoa, mas somente para o campo ao qual ele foi designado. Ele deve cuidar desse campo, esperando que a colheita de amadureça, de modo que possa ser colhida e trazida ao celeiro do Céu. Para que isso aconteça, é preciso cair a chuva temporã e a serôdia, claros símbolos do derramamento do Espírito Santo, como nos dizem Zacarias 10:1 e Atos 2:1-3. Note que o agricultor não pode controlar o resultado real da colheita. Ele pode apenas plantar, orar e aguardar as chuvas que irrigarão a terra e farão a seara crescer para que ela esteja pronta para a colheita. Então, até o dia da colheita, sua tarefa é cultivar e esperar. Manter a vigilância significa exatamente isso. É uma vigilância que envolve paciente espera de um resultado prometido e provável. Lembre-se de que, no esquema das coisas, plantio e colheita ocorrem no início e no fim do período de crescimento. A maior parte do tempo da lavoura ocorre entre esses dois momentos, envolvendo um longo e interminável trabalho. A agricultura inclui a espera. Por isso, é uma perfeita lição para a pessoa que está lavrando o solo do coração humano, plantando as sementes do evangelho, esperando que elas criem raízes e cultivando-as. À semelhança do agricultor, todos nós recebemos um campo de pessoas para cuidar, seja no círculo da família, entre os amigos, colegas de trabalho e a igreja, onde quer que nos encontremos. Devemos lançar a semente do evangelho no solo de cada coração e esperar pacientemente pelos resultados, “como quem deve prestar contas” (Hb 13:17). Manter o foco no campo, em vez de nos concentrarmos nas falhas e fracassos do mundo ao nosso redor, ou mesmo nas nossas próprias falhas, conserva nosso coração esperançoso e resoluto. Pense nisto: De acordo com Tiago, como devemos reagir à corrupção que vemos no mundo? O que significa o fato de que devemos esperar com paciência a volta do Senhor? II. Bem-aventurados os misericordiosos (Recapitule com a classe Tg 5:9-11.) Tiago nos apresenta também exemplos monumentais de paciência sob prova de fogo: os profetas do Antigo Testamento e Jó. No fogo do sofrimento e da crueldade, eles se portaram com mansidão e humildade, mostrando a “piedade, compaixão, ternura e misericórdia” de Deus (Tg 5:11, Bíblia Amplified). A perseguição é um mal necessário, por assim dizer, neste mundo desfigurado pelo pecado. Por quê? Estamos todos sendo provados para determinar se seremos aceitos no Céu. A perseguição permite que revelemos, no palco do Universo, onde está a nossa verdadeira lealdade: com Cristo ou com Satanás. Esperar pacientemente é uma coisa. Fazê-lo em face de perseguição ou com o risco de perda financeira, ostracismo social ou ameaça de morte, quando não há nenhuma esperança de ganho terrestre, é resistir com a heroica paciência de Jó e dos profetas. Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//
  9. 9. Tiago sugere em termos práticos o que essa paciência implica para que possamos reconhecê-la quando ela se manifestar. “Irmãos, não se queixem uns dos outros, para que não sejam julgados. O Juiz já está às portas! Irmãos, tenham os profetas que falaram em nome do Senhor como exemplo de paciência diante do sofrimento. Como vocês sabem, nós consideramos felizes aqueles que mostraram perseverança” (Tg 5:9-11, NVI). A paciência será reconhecida pelas seguintes características: (1) recusa em fazer críticas que não sejam construtivas e edificantes, e (2) permanecer calmo e gentil em face de crueldade e sofrimento. Tais manifestações exteriores da graça são o resultado da presença do Espírito na vida. Quando temos a pretensão de assumir as prerrogativas do Juiz, corremos o risco não só de julgar de forma errada, mas também de ser julgados com o mesmo espírito que mostramos aos outros. Tiago nos lembra de que “o Senhor é cheio de piedade, compaixão, ternura e misericórdia” (v. 11, Amplified), e o grau de misericórdia que mostramos aos outros, enquanto esperamos a vinda do Senhor, é o grau que será mostrado a nós. Como disse Jesus nas bem-aventuranças: “Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia” (Mt 5:7, NVI). Pense nisto: O que significa esperar com a paciência de Jó? O que ele e os profetas suportaram e, ainda mais importante, como eles suportaram? Quais são as características de uma pessoa paciente, conforme descrito por Tiago? Como essas qualidades revelam Deus às pessoas? Por que o hábito da queixa contra os outros nos coloca em risco de ser julgados, como Tiago adverte? Quais são as características de Deus mencionadas por Tiago? O que elas nos revelam sobre Sua atitude para com Seus filhos rebeldes e decaídos? Aplicação Somente para o professor: Ajude os alunos a aplicar os princípios da paciência, descritos por Tiago, às situações da sua vida cotidiana. Perguntas de aplicação 1. À luz da discussão sobre a exortação de Tiago quanto à necessidade de paciência, em quais áreas de sua vida você precisa exercer mais paciência? 2. Faça uma lista de estratégias que você pode usar para ajudá-lo a se manter paciente, em vez de ceder à ira ou frustração. Por exemplo, orar, memorizar e recitar as Escrituras, respirar fundo antes de responder de forma inadequada, etc. Como essas estratégias podem ajudar, tanto em situações imediatas que exijam paciência quanto em situações de longo prazo, nas quais você espera um resultado desejado ou uma resposta à oração? (Por exemplo, esperar que Deus o ajude a encontrar um emprego, a casa certa ou a solução para conflitos familiares.) Criatividade e atividades práticas Somente para o professor: Use o seguinte exercício para ajudar os alunos a ter uma compreensão mais ampla do que é paciência, a fim de cultivar e viver uma vida de paciência em um mundo impaciente. Atividade Se a paciência na Bíblia tivesse um rosto, sem dúvida poderíamos dar boas razões para dizer que esse rosto foi o de Jó, no Antigo Testamento, e o de Jesus, no Novo Testamento. Quais são alguns dos outros exemplos de paciência, tanto modernos quanto históricos, que o inspiram? Por que eles lhe dão esperança? Planejando atividades: O que sua classe pode fazer, na próxima semana, como resposta ao estudo da lição? É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização da Casa Publicadora Brasileira. Conheça este e outros mmaatteerriiaaiiss ppeelloo ssiittee hhttttpp::////wwwwww..ccppbb..ccoomm..bbrr//

×