Palavras de verdade_912015_GGR

173 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em negrito e sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palavras de verdade_912015_GGR

  1. 1. Lições Adultos Provérbios Lição 9 - Palavras de verdade 21 a 28 de fevereiro ❉ Sábado - “Porventura, não te escrevi excelentes coisas acerca de conselhos e conhecimentos, para mostrar- te a certeza das palavras da verdade, a fim de que possas responder claramente aos que te enviarem?”. Pv 22:20-21. A Bíblia supera todos os livros e seu estudo é mais valioso do que o estudo de qualquer outra literatura para dar vigor e expansão à mente. Paulo declara: "Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." II Tim. 2:15. "Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para o ensinar, para a redarguir, para a corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra." II Tim. 3:14-17. "Porque tudo que dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança." Rom. 15:4. A Palavra de Deus é o livro mais perfeito que existe em nosso mundo. Fundamento da Educação Cristã, p. 394. ❉ Domingo - O conhecimento da verdade Ano Bíblico: Nm 31, 32 ● 1. Leia Provérbios 22:17, 18. O que é dito sobre a maneira pela qual a verdade deve impactar nossa vida? Pv 22:17-18. (ACF); 17 Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração ao meu conhecimento. 18 Porque te será agradável se as guardares no teu íntimo, se aplicares todas elas aos teus lábios. Pv 2:1-9. (ACF); 1 Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e esconderes contigo os meus mandamentos, 2 Para fazeres o teu ouvido atento à sabedoria; e inclinares o teu coração ao entendimento; 3 Se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz, 4 Se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares, 5 Então entenderás o temor do SENHOR, e acharás o conhecimento de Deus. 6 Porque o SENHOR dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. 7 Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos. Escudo é para os que caminham na sinceridade, 8 Para que guardem as veredas do juízo. Ele preservará o caminho dos seus santos. 9 Então entenderás a justiça, o juízo, a equidade e todas as boas veredas. cf. Pv 5:1-2 Sl 111:10. (ACF); 10 O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que cumprem os seus mandamentos; o seu louvor permanece para sempre. cf. Sl 119:96-106. Sl 19:7-8. (ACF); 7 A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices. 8 Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro, e ilumina os olhos. cf. Rm 7:12. ► A vida será impactada pela verdade se ouvirmos (prestar atenção e meditar) a sabedoria divina: Pv1:3; 3:1; 4:4-8; 8:33-34; Is 55:3, e aplica-la na vida: Pv 23:12; Sl 90:12; Ec 7:25; 8: 9, 16. São os mandamentos do Senhor (A Lei de Deus Ex 20:1-17) que dão sabedoria e entendimento. cf. Pv 2:1-9; 5:1-2; 22:17-18; Sl 111:10; 19:7-8; Rm 7:12. A lei de Deus, como é apresentada nas Escrituras, é ampla em suas reivindicações. Cada um de seus princípios é santo, justo e bom. A lei coloca os homens sob obrigação a Deus; alcança os pensamentos e a ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. sensibilidade; e produzirá convicção de pecado em todo aquele que tenha ciência de ter transgredido suas reivindicações. Se a lei alcançasse apenas a conduta exterior, os homens não seriam culpados em seus maus pensamentos, desejos e desígnios. Mas a lei requer que a própria alma seja pura e a mente santa, para que os pensamentos e a sensibilidade estejam de acordo com a norma de amor e justiça. Em Seus ensinos, Cristo mostrou de quão vasto alcance são os princípios da lei pronunciada do Sinai. Fez Ele uma aplicação viva dessa lei cujos princípios permanecem para sempre a grande norma de justiça - norma pela qual todos serão julgados naquele grande dia em que se assentar o juízo e os livros forem abertos. Veio Ele para cumprir toda a justiça e, como cabeça da humanidade, mostrar ao homem que ele pode fazer a mesma obra, satisfazendo a todas as especificações dos reclamos de Deus. Pela medida da graça que Ele concede ao instrumento humano, ninguém precisa perder o Céu. A perfeição de caráter é alcançável por todo aquele que nela se empenha. Isto é a própria base do novo concerto evangélico. A lei de Jeová é a árvore; o evangelho são as perfumosas flores e os frutos que ela produz. Quando o Espírito de Deus revela ao homem o pleno sentido da lei, realiza-se em seu coração uma mudança. O fiel quadro de seu verdadeiro estado, pelo profeta Natã, revelou a Davi os seus pecados, ajudando-o a removê-los. Aceitou humildemente o conselho e humilhou-se perante Deus. "A lei do Senhor", disse ele, "é perfeita, e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e ilumina os olhos. O temor do Senhor é límpido, e permanece para sempre; os juízos do Senhor são verdadeiros e todos igualmente justos. São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos. Além disso, por eles se admoesta o Teu servo; em os guardar, há grande recompensa. Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas. Também da soberba guarda o Teu servo, que ela não me domine; então serei irrepreensível, e ficarei livre de grande transgressão. As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na Tua presença, Senhor, rocha minha e redentor meu!" Sal. 19:7-14. Mensagens Escolhidas v. 1. pp. 211-212. ● 2. Leia Provérbios 22:19-21. O que uma experiência com a verdade deve fazer por nós? Pv 22:19-21. (ACF); 19 Para que a tua confiança esteja no SENHOR, faço-te sabê-las hoje, a ti mesmo. 20 Porventura não te escrevi excelentes coisas, acerca de todo conselho e conhecimento, 21 Para fazer-te saber a certeza das palavras da verdade, e assim possas responder palavras de verdade aos que te consultarem? ► A nossa confiança está no SENHOR, que ensinou excelentes coisas, acerca de todo conselho e conhecimento, com o objetivo de sabermos a verdade por preceito e exemplo, e assim responder aos que nós consultarem a respeito dela. cf. Pv 22:19-21;1Pe 2:9; 2Tm 2:15; 2Tm 3:14-17; 1Tm 4:6; Rm 15:4. Sede cuidadosos na maneira de interpretardes a Escritura. Lede-a com o coração aberto à entrada da Palavra de Deus, e ela manifestará a luz do Céu, dando entendimento aos simples. Isto não significa os de espírito fraco, mas os que não vão além do alcance de sua capacidade e competência ao procurarem ser originais e independentes, esforçando-se por obter conhecimento acima do que constitui verdadeiro conhecimento. Todos os que manuseiam a Palavra de Deus estão empenhados numa obra mui solene e sagrada; pois em sua pesquisa devem receber luz e correto conhecimento, para que possam dar aos que são ignorantes. Educação é a transmissão de ideias que são luz e verdade. Todos os que diligente e pacientemente examinam as Escrituras para que possam instruir a outros, lançando-se à obra de maneira correta e com coração sincero, pondo de parte suas ideias preconcebidas, sejam elas quais forem, e deixando seus preconceitos hereditários à entrada da investigação, obterão verdadeiro conhecimento. Mas é fácil dar falsa interpretação à Escritura, salientando passagens e atribuindo-lhes certo significado que, à primeira vista, pode parecer correto; mas, mediante estudo adicional, ficará manifesto que é falso. Se o pesquisador da verdade comparar uma passagem com outras, encontrará a chave que abre a casa do tesouro e lhe proporciona verdadeira compreensão da Palavra de Deus. Então ele verá que suas primeiras impressões não suportariam a pesquisa e que continuar a crer nelas seria misturar a falsidade com a verdade. Manuscrito 4, 1896. ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. ❉ Segunda - Roubando os pobres Ano Bíblico: Nm 33, 34 ● 3. Leia Provérbios 22:22, 23; 23:10. A respeito do que somos advertidos? Pv 22:22-23. (ACF); 22 Não roubes ao pobre, porque é pobre, nem atropeles na porta o aflito; 23 Porque o SENHOR defenderá a sua causa em juízo, e aos que os roubam ele lhes tirará a vida. Pv 23:10-11. (ACF); 10 Não removas os limites antigos nem entres nos campos dos órfãos, 11 Porque o seu redentor é poderoso; e pleiteará a causa deles contra ti. Gl 2:10. (ACF); 10 Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência. Pv 19:17. (VIVA); 17 Quem ajuda os pobres, empresta a Deus e Ele pagará o empréstimo: com juros. ► Somos advertidos a não roubar o pobre, que na prática é não lhe conceder o direito que foi dado por Deus cf. Lv 19:13; Tg 5:4. Entre todos aqueles cujas necessidades demandam o nosso interesse, as viúvas e os órfãos têm os mais fortes direitos a nossa terna simpatia e cuidado. "A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo." Tia. 1:27. Review and Herald, 27 de junho de 1893. O dispêndio de dinheiro em artigos de luxo priva (despoja, esfolia, saqueia, rouba) os pobres dos meios necessários para supri-los com alimento e roupas. Aquilo que se gasta na satisfação do orgulho, seja em vestuário, em casas, em mobiliário ou em decorações poderia aliviar o sofrimento de muita família sofredora e arruinada. Os mordomos de Deus devem ministrar aos necessitados. Review and Herald, 8 de dezembro de 1896. Despojar: 1. Espoliar, roubar, defraudar, saquear [td: Os piratas despojaram o navio] 2. Privar(-se) da posse (de) [tdr. + de: Despojou -o de todos os bens: Tive de despojar -me dos imóveis] O direito dado por Deus aos pobres no VT com base no amor. Dt 6:6; Lv 19:18. Leis para com os necessitados: pobres, órfãos, viúvas e estrangeiros (Dt 24:10-22). O pobre não deveria ser defraudado (Lv 19:13, 15). Rebusca das colheitas (Lv 19:9-10). Usufruir do repouso da terra, no sétimo dia, no ano Sabático 7 anos e Jubileu 50 anos (Ex 20:8-11; 23; Lv 25). As terras voltariam para seus donos originais. (Lv 25). O Parente remidor (Rt 2:20; 4:14) Remissão de dívidas do Ano Sabático (Dt 15). Servos liberados durante o Ano Sabático (Dt 15). Os dízimos ao fim de três anos: para sustento dos levitas, órfãos, viúvas e estrangeiros (Dt 14:22-29). Encontramos o mesmo princípio do NT. Mt 22:37-40. "Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês; pois isso é o que querem dizer a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas." Mt 7:12. (NTLH). ❉ Terça - Ter inveja dos perversos Ano Bíblico: Nm 35, 36 ● 4. Qual é a advertência contida em Provérbios 23:17; 24:1, 2; e 24:19, 20? Pv 23:17-18. (ACF); 17 O teu coração não inveje os pecadores; antes permanece no temor do SENHOR todo dia. 18 Porque certamente acabará bem; não será malograda a tua esperança. ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. Pv 24:1-2. (ACF); 1 Não tenhas inveja dos homens malignos, nem desejes estar com eles. 2 Porque o seu coração medita a rapina, e os seus lábios falam a malícia. Pv 24:19-20. (ACF); 19 Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos ímpios, 20 Porque o homem maligno não terá galardão, e a lâmpada dos ímpios se apagará. cf. Sl 73:1-28. ► A advertência contida em Provérbios é para não ficarmos indignados com o aparente sucesso dos malfeitores, nem para ter inveja dos que agem com perversidade; porque o maligno não será para sempre; a lâmpada dos perversos por ocasião do juízo se apagará. cf. Pv 24:19-20; 23:17-18; 24:1-2; Sl 73:1-28. Ao ver que transgressores e pecadores também recebiam favores e bênçãos, enquanto aqueles que realmente amavam a Deus eram cercados por dificuldades e perplexidades que o pecador declarado não enfrentava, pensou que os caminhos de Deus não eram justos. ... "Eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos. ... [Não] são afligidos como os outros homens." Sal. 73:3-5. Davi não pôde entender isso até entrar no santuário de Deus, quando, então, diz ele: "Atinei com o fim deles." "Tu certamente os pões em lugares escorregadios, e os fazes cair na destruição. ... Quanto a mim, bom é estar junto a Deus." Sal. 73:17, 18 e 28. Manuscrito 4, 1896. ❉ Quarta - O que colocamos na boca Ano Bíblico: Dt 1–3 ● 5. Leia Provérbios 23:29-35. Como o uso do álcool é apresentado nesses versos? Pv 23:29-35. (ACF); 29 Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as pelejas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem causa? E para quem os olhos vermelhos? 30 Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando vinho misturado. 31 Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. 32 No fim, picará como a cobra, e como o basilisco morderá. 33 Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. 34 E serás como o que se deita no meio do mar, e como o que jaz no topo do mastro. 35 E dirás: Espancaram- me e não me doeu; bateram-me e nem senti; quando despertarei? aí então beberei outra vez. ► O consumo de álcool está ligado diretamente com muitos males, e é representado como uma picada de cobra: cf. Pv 23:29-35; Nm 6:3; Nm 6:20; Lv 10:1-2, 8-10; 2Sm 13:28; 1Rs 20:16-21; Pv 20:1; 23:29-35; 31:4-5; Is 28:7; Jr 35:5-6; Ez 44:21; Os 4:11; 7:5; Hc 2:15-16; Lc 1:15; 1Co 6:10; Gl 5:21; Ef 5:18; 1Tm 3:3, 8; 5:23; Tt 1:7 Nunca foi traçado pela pena humana mais vivo quadro do aviltamento e escravidão da vítima da bebida intoxicante. Escravizado, degradado, mesmo quando desperto para o sentimento de sua miséria, falta-lhe poder para romper as malhas; ainda a tornará "a buscá-la outra vez". Prov. 23:35. Não são necessários argumentos para mostrar os maus efeitos dos intoxicantes no bêbado. As embrutecidas ruínas da humanidade - almas por quem Cristo morreu, e sobre as quais choram os anjos - encontram-se por toda parte. São uma nódoa em nossa alardeada civilização. São a vergonha e a ruína e o perigo de toda Terra. E quem pode pintar a miséria, a agonia, o desespero que se ocultam na casa do bêbado? Pensai na esposa, muitas vezes delicadamente criada, sensível, culta, refinada, ligada a uma criatura a quem a bebida transforma num beberrão ou num demônio. Pensai nas crianças, privadas dos confortos do lar, de educação, vivendo em terror daquele que devia ser o seu orgulho e a sua proteção, atiradas ao mundo, levando as marcas da vergonha, muitas vezes com a maldição hereditária da sede da bebida! Pensai nos terríveis acidentes que ocorrem todos os dias por influência do álcool. Algum funcionário num trem de estrada de ferro negligencia atender a um sinal ou entende mal a uma ordem. O trem avança; dá-se um choque, e muitas vidas se perdem. Ou é um navio que encalha, e passageiros e tripulação encontram nas águas seu túmulo. Quando se investiga a questão, verifica-se que alguém, num posto de responsabilidade, se achava sob o efeito da bebida. Até que ponto pode uma pessoa condescender com o hábito da bebida, confiando-se lhe com segurança vidas humanas? Só merece essa confiança o que for totalmente abstêmio. Ciência do Bom Viver, pp. 330-331. ● 6. Leia Provérbios 23:1-8. Por que devemos controlar o apetite? ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. Pv 23:1-8. (ACF); 1 Quando te assentares a comer com um governador, atenta bem para o que é posto diante de ti, 2 E se és homem de grande apetite, põe uma faca à tua garganta. 3 Não cobices as suas iguarias porque são comidas enganosas. 4 Não te fatigues para enriqueceres; e não apliques nisso a tua sabedoria. 5 Porventura fixarás os teus olhos naquilo que não é nada? porque certamente criará asas e voará ao céu como a águia. 6 Não comas o pão daquele que tem o olhar maligno, nem cobices as suas iguarias gostosas. 7 Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele. Come e bebe, te disse ele; porém o seu coração não está contigo. 8 Vomitarás o bocado que comeste, e perderás as tuas suaves palavras. cf. Dn 1:8. ► Tome cuidado porque talvez essa pessoa esteja querendo te atrair e comprometer através de uma comida farta e saborosa. cf. Pv 23:1-8. A vida de Daniel é uma inspirada ilustração do que constitui um caráter santificado. Ela apresenta uma lição para todos, e especialmente para os jovens. Uma estrita submissão às ordens de Deus é benéfica à saúde do corpo e do espírito. A fim de atingir a mais elevada norma de aquisições morais e intelectuais, é necessário buscar sabedoria e força de Deus e observar estrita temperança em todos os hábitos da vida. Na experiência de Daniel e seus companheiros, temos um exemplo da vitória do princípio sobre a tentação para condescender com o apetite. Ela mostra que, por meio do princípio religioso, os jovens podem triunfar sobre as concupiscências da carne e permanecer leais às reivindicações divinas, embora lhes custe grande sacrifício. ... Daniel foi um devoto servo do Altíssimo. Sua longa vida foi repleta de nobres feitos de serviço para seu Mestre. Sua pureza de caráter e inabalável fidelidade são igualadas unicamente por sua humildade de coração e contrição diante de Deus. Repetimos: A vida de Daniel é uma inspirada ilustração da verdadeira santificação. Santificação, págs. 23 e 52. ❉ Quinta - Nossas responsabilidades Ano Bíblico: Dt 4–7 ● 7. “Se Eu disser ao perverso: Ó perverso, certamente, morrerás; e tu não falares, para avisar o perverso do seu caminho, morrerá esse perverso na sua iniquidade, mas o seu sangue Eu o demandarei de ti”. (Ez 33:8). Que princípio espiritual válido é revelado aqui? Como recebemos esse conceito e o aplicamos em nossa vida diária? ► Se negligenciarmos em avisar o perverso do risco de morte eterna se continuar no seu mal caminho, nos torna diante de Deus responsáveis pela morte dele. cf. Ez 3:18; 33:8; Pv 24:11-12 Estas palavras do profeta declaram a solene responsabilidade que repousa sobre os que são designados como vigias da igreja, mordomos dos mistérios de Deus. Eles devem ocupar a posição de sentinelas nos muros de Sião, para fazer soar o alarme à aproximação do inimigo. Se, por qualquer razão, seus sentidos espirituais ficam tão entorpecidos que são incapazes de discernir o perigo, e devido à sua falta em não dar a advertência o povo perece, Deus requererá de suas mãos o sangue dos que se perdem. Têm as sentinelas sobre os muros de Sião o privilégio de viver tão perto de Deus, e ser tão susceptíveis às impressões de Seu Espírito, que Ele possa operar por meio deles, para avisar os pecadores do perigo que correm, indicando-lhes o lugar de segurança. Escolhidos por Deus, selados com o sangue da consagração, eles devem salvar homens e mulheres da destruição iminente. Cumpre-lhes advertir fielmente seus semelhantes do infalível resultado da transgressão, bem como fielmente salvaguardar os interesses da igreja. Em tempo algum podem eles afrouxar a vigilância. Sua obra requer o exercício de todas as faculdades de seu ser. Sua voz se deve erguer qual sonido de trombeta, nunca fazendo soar uma nota vacilante e incerta. Eles não devem trabalhar por causa do salário, mas por não poderem fazer de outra maneira, visto compreenderem que há um ai sobre eles se deixarem de pregar o evangelho. Obreiros Evangélicos, p. 15. ● 8. Leia Provérbios 24:11, 12, 23-28. Que importantes mensagens há aqui para nós? Pv 24:11-12. (ACF); 11 Se tu deixares de livrar os que estão sendo levados para a morte, e aos que estão sendo levados para a matança; 12 Se disseres: Eis que não o sabemos; porventura não o considerará ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. aquele que pondera os corações? Não o saberá aquele que atenta para a tua alma? Não dará ele ao homem conforme a sua obra? Pv 24:23-28. (ACF); 23 Também estes são provérbios dos sábios: Ter respeito a pessoas no julgamento não é bom. 24 O que disser ao ímpio: Justo és, os povos o amaldiçoarão, as nações o detestarão. 25 Mas para os que o repreenderem haverá delícias, e sobre eles virá a bênção do bem. 26 Beijados serão os lábios do que responde com palavras retas. 27 Prepara de fora a tua obra, e aparelha-a no campo, e então edifica a tua casa. 28 Não sejas testemunha sem causa contra o teu próximo; e não enganes com os teus lábios. Lv 5:1. (JFA-RC); 1 E, quando alguma pessoa pecar, ouvindo uma voz de blasfêmia, de que for testemunha, seja que o viu ou que o soube, se o não denunciar, então, levará a sua iniquidade; Lv 19:17-18. (JFA-RC); 17 Não aborrecerás a teu irmão no teu coração; não deixarás de repreender o teu próximo e nele não sofrerás pecado. 18 Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR. ► Devemos livrar a todos aqueles que estão sendo levados para a morte, somos responsáveis de anunciar o perigo e o caminho da salvação eterna em Jesus Cristo, e também com nosso irmão que pecou, e lhe dirigir a instrução conforme o princípio divino ou seremos igualmente culpados. Lv 5:1; 19:17-18; Mt 18:15; Lc 17:3; Hb 13:17. As instruções de Cristo quanto ao tratamento dos transviados repetem, de maneira mais específica, o ensino dado a Israel por intermédio de Moisés: "Não aborrecerás a teu irmão no teu coração; não deixarás de repreender o teu próximo, e não levarás sobre ti o pecado por causa dele." Lev. 19:17. Isto é, se alguém negligencia o dever que lhe é imposto por Cristo, de procurar restabelecer os que se acham em erro e pecado, torna-se participante do pecado. Somos tão responsáveis por males que poderíamos haver reprimido, como se fôssemos nós mesmos culpados da ação. Mas é ao que procedeu mal mesmo que nos cumpre apresentar o erro. Não devemos fazer disso assunto de comentários e críticas entre nós; nem mesmo depois de isso haver sido comunicado à igreja, achamo-nos na liberdade de o repetir aos outros. O conhecimento das faltas dos cristãos só servirá de pedra de tropeço para o mundo incrédulo; e, demorando-nos sobre essas coisas, só nos fazemos mal; pois é pela contemplação que somos transformados. Ao procurarmos corrigir os erros de um irmão, o Espírito de Cristo nos levará a resguardá-lo quanto possível até da crítica dos próprios irmãos, quanto mais de censura do mundo incrédulo. Nós mesmos somos falíveis, e necessitamos da piedade e do perdão de Cristo, e da mesma maneira que desejamos que nos trate, pede-nos que nos tratemos uns aos outros. "Tudo o que ligardes na Terra será ligado no Céu, e tudo o que desligardes na Terra será desligado no Céu." Mat. 18:18. Estais agindo como embaixadores do Céu e os resultados de vossa obra são para a eternidade. O Desejado de Todas as Nações, pp. 441-442. ❉ Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Dt 8–10 “As pessoas que nos circundam precisam ser despertas e salvas, ou perecerão. Não temos nem um minuto a perder. Todos exercemos uma influência que fala em favor da verdade ou contra ela. Desejo levar comigo as inconfundíveis evidências de que sou uma discípula de Cristo. Queremos algo além da religião do sábado. Necessitamos dos princípios vivos e de sentir diariamente nossa responsabilidade individual. Isso é evitado por muitos e seu resultado é descuido, indiferença, falta de vigilância e de espiritualidade”. Testemunhos Para a Igreja, v. 1, p. 99. “Falem de fé, vivam a fé, cultivem o amor de Deus; evidenciem ao mundo tudo quanto Jesus é para vocês. Exaltem Seu santo nome. Contem de Sua bondade; falem de Sua misericórdia, e contem de Seu poder”. Nossa Alta Vocação, p. 18. Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. ramos@advir.comramos@advir.com

×