O Juízo pré-advento_Resumo_942013

383 visualizações

Publicada em

O Objetivo do resumo da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto, eu procuro comentar o mínimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições todas neste tom de azul, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
383
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Juízo pré-advento_Resumo_942013

  1. 1. Lições Adultos O Santuário Lição 9 - O Juízo pré-advento 23 a 30 de novembro ❉ Sábado à tarde - "O reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o Céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o Seu reino será reino eterno, e todos os domínios O servirão e Lhe obedecerão." Dn 7:27. O reino da graça está sendo estabelecido agora, quando dia a dia corações outrora saturados de pecado e rebelião, cedem à soberania do amor de Cristo. Mas o pleno estabelecimento do Seu reino de glória não se realizará senão por ocasião da segunda vinda de Cristo ao mundo. Review and Herald, 14 de novembro de 1912. Antes desse tempo o reino de Cristo não pode ser estabelecido na Terra. Seu reino não é deste mundo. Seus seguidores devem considerar-se "estrangeiros e peregrinos sobre a Terra". Paulo diz: "A nossa pátria está nos Céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo." Heb. 11:13; Filip. 3:20. Patriarcas e Profetas, nota da pág. 605. Objetivo: Compreender que o juízo é antes do segundo advento de Cristo, é que é parte fundamental das boas-novas de salvação, a sentença do julgamento é em favor dos santos, consiste em sua confirmação eterna, e na eliminação do mal. ❉ Domingo - A visão e o juízo Ano Bíblico: 1Co 11–13 "Um rio de fogo manava e saía de diante dEle; milhares de milhares O serviam, e miríades de miríades estavam diante dEle; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros." Dn 7:10. 1. Leia Daniel 7:1-14. O que está acontecendo nessa passagem? Em Dn 7:1-14 é realizado um Julgamento que antecede a segunda vinda do filho do homem (Mt 16:27; 24:30-31; 26:64; Mc 13:26; 14:62; At 1:11; Ap 1:7; etc.), feito através da investigação dos livros “Mas o tribunal se assentará em juízo, e lhe tirará o domínio, para o destruir e para o desfazer até o fim.” Dn 7:26. cf. Ml 3:16; Ap 20:12. “Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou... Assentou-se para o juízo, e os livros foram abertos. ” Dn 7:9-10. “veio o ancião de dias, e foi executado o juízo a favor dos santos do Altíssimo.” Dn 7:22 ver Dn 7:9-15, 26 e 27. A fim de confirmar a fidelidade de Seus servos e a permanência desses com nome no livro da vida, purificando assim o santuário e estabelecendo o reino “E ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado.” Dn 8:14. “E não entrará nela coisa alguma que contamine e cometa abominação e mentira, mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.” Ap 21:27. Então o filho do homem vem ao Ancião de Dias e recebe o reino eterno, com Seus súditos purificados do pecado “e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído. Dn 7:13-14. Então “Cristo… aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hb 9:28. Para estarmos para sempre com o Senhor. Jo 14:1-3. Os livros de registro no Céu, nos quais estão relatados os nomes e ações dos homens, devem determinar a decisão do juízo. Diz o profeta Daniel: "Assentou-se o tribunal, e se abriram os livros." Dan. 7:10. O escritor do Apocalipse, descrevendo a mesma cena, acrescenta: "Abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras." Apoc. 20:12. O livro da vida contém os nomes de todos os que já entraram para o serviço de Deus . Jesus ordenou a Seus discípulos: "Alegrai-vos, antes, por estar o vosso nome escrito nos Céus." Luc. 10:20. Paulo fala de seus fiéis cooperadores, "cujos nomes estão no livro da vida". Filip. 4:3. Daniel, olhando através dos séculos para um "tempo de angústia, qual nunca houve", declara que se livrará o povo de Deus, "todo aquele que se achar escrito no livro". Dan. 12:1. E João, no Apocalipse, diz que apenas entrarão na cidade de Deus aqueles cujos nomes "estão inscritos no livro da vida do Cordeiro". Dan. 12:1; Apoc. 21:27. "Há um memorial escrito diante" de Deus, no qual estão registradas as boas ações dos "que temem ao Senhor e para os que se lembram do Seu nome." Mal. 3:16. Suas palavras de fé, seus atos de amor, acham-se registrados no Céu. Neemias a isto se refere quando diz: "Deus meu, lembra-Te de mim e não risques as beneficências que eu fiz à casa de meu Deus." Nee. 13:14. No livro memorial de Deus toda ação de justiça se acha imortalizada. Ali, toda tentação resistida, todo mal vencido, toda palavra de terna compaixão que se proferir, acham-se fielmente historiados. E todo ato de sacrifício, todo sofrimento e tristeza, suportado por amor de Cristo, encontra-se registrado. Diz o salmista: "Tu contaste as minhas vagueações; põe as minhas lágrimas no Teu odre; não estão elas no Teu livro?" Sal. 56:8. … A obra de cada homem passa em revista perante Deus, e é registrada pela sua fidelidade ou infidelidade. Ao lado de cada nome, nos livros do Céu, estão escritos, com terrível exatidão, toda má palavra, todo ato egoísta, todo dever não cumprido, e todo pecado secreto, juntamente com toda artificiosa hipocrisia. … ramos@advir.com
  2. 2. O mais profundo interesse manifestado entre os homens nas decisões dos tribunais terrestres não representa senão palidamente o interesse demonstrado nas cortes celestiais quando os nomes inseridos nos livros da vida aparecerem perante o Juiz de toda a Terra. O Intercessor divino apresenta a petição para que sejam perdoadas as transgressões de todos os que venceram pela fé em Seu sangue, a fim de que sejam restabelecidos em seu lar edênico, e coroados com Ele como co-herdeiros do "primeiro domínio". Miq. 4:8. O Grande Conflito, págs. 480-484. ❉ Segunda - Modelo de julgamento (Ato ou efeito de julgar) Ano Bíblico: 1Co 14–16 2. Leia Gênesis 3:8-20. O que Deus fez antes de pronunciar Seu julgamento? Antes de pronunciar Seu julgamento (que tem como base, a causa e efeito Gn 3:17-20; Mt.16:27; Sl 62:12; Rm 2:4-6), Deus estabelece um processo de investigação na forma de perguntas simples e diretas “Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e perguntou-lhe: Onde estás? … Deus perguntou-lhe mais: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? ... Perguntou o Senhor Deus à mulher: Que é isto que fizeste?” Gn 3:9, 11, 13. É assim também ensinou aos juízes de Israel para que inquirissem, investigassem e perguntassem com diligência “então inquirirás e investigarás, perguntando com diligência” Dt 13:14. “E os juízes inquirirão cuidadosamente” Dt 19:18. Desta maneira seria trazido a luz o todo o procedimento empregado se bom ou mal, foi assim que Adão e Eva foram levados a se defrontar individualmente com seu pecado. A finalidade divina não é acusar ou expor, e sim de dar vida ao que pela transgressão havia morrido. Jo 3:17; 12:47; 1Jo 4:14. Ele conscientiza do pecado para nós levar confissão, ao perdão (cf. Pv 28:13; Sl 32:3, 5; 1Jo 1:9-10) e a plena reconciliação consigo mesmo. Hb 12:22-24; 10:12. cf. Rm 5:11; Cl 1:20; 2Co 5:18. O Senhor visitou Adão e Eva, e tornou conhecidas as consequências de sua transgressão . Em sua inocência e santidade tinham eles alegremente recebido a majestosa aproximação de Deus, mas agora escondiam-se de Sua inspeção. Mas “Chamou o SENHOR Deus a Adão e disse-lhe: Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?” Esta pergunta foi formulada pelo Senhor, não porque Ele necessitasse de informação, mas para fixar a responsabilidade do culpado par. Que fizeste para te tornares envergonhado e com medo? Adão reconheceu sua transgressão, não porque estivesse arrependido de sua grande desobediência, mas para lançar censura a Deus: "A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e eu comi." Gên. 3:12. História da redenção, p. 39. 3. Qual será o resultado do julgamento para os santos? Dn 7:22 até que veio o Ancião de Dias e fez justiça aos santos do Altíssimo; e veio o tempo em que os santos possuíram o reino. Dn 7:22 RA Juízo: Heb. generalmente mishpât, "decisão", "direito", "autoridade", "justiça", "ordenança"; gr. generalmente kríma, "sentença judicial" (Ap. 17:1); y krísis, "ato de julgar" (Dt. 1:17; Is. 28:6; Mal. 3:5), "decisão judicial" (Dt. 16:18) "sentença" (Ap. 17:1), "execução de uma sentença" previamente definida (Jer. 51:9; Ap. 19:2), "condenação". Funciona assim, o Juízo só se materializa na transgressão da lei. Quando a lei de Deus e violada, automaticamente entre em ação as danosas consequências do pecado (maldição), as quais conhecemos muito bem. O juízo é a reivindicação da justiça chamada também de lei cerimonial “o salário do pecado é a morte” Rom. 6:23, por isso morreu cristo Jesus, para pagar o preço pedido pela lei cerimonial (pela justiça), para que o mal e suas consequências sejam eliminados, por ela, para que todos possam viver em plenitude de harmonia, felicidade e paz, como no principio da criação. Este será o resultado do julgamento para os santos "O reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o Céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo." Dn 7:27. (veja quem são os santos em Ap 14:12), significa salvação. "Ó Deus, salva-me, pelo Teu nome, e faze-me justiça, pelo Teu poder." Sl 54:1, vida e felicidade eterna. cf. Is 35:10; Is 25:8; Ap 7:17; 21:4. O grande plano da redenção tem como resultado trazer de novo o mundo ao favor de Deus, de uma maneira completa. Tudo que se perdera pelo pecado é restaurado. Não somente o homem é redimido, mas também a Terra, a fim de ser a eterna habitação dos obedientes. Durante seis mil anos Satanás tem lutado para manter posse da Terra. Agora se cumpre o propósito original de Deus ao criá-la. "Os santos do Altíssimo receberão o reino e possuirão o reino para todo o sempre e de eternidade em eternidade." Dan. 7:18. Patriarcas e Profetas, pág. 342. ❉ Terça - Hora do juízo Ano Bíblico: 2Co 1–4 4. Leia Daniel 7:7-10, 21, 22, 25, 26. Quando acontece o julgamento de Daniel 7? Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou; ... Assentou-se para o juízo, e os livros foram abertos. Dn 7:7-10. Enquanto eu olhava, eis que o mesmo chifre fazia guerra contra os santos, e prevalecia contra eles, 22 até que veio o ancião de dias, e foi executado o juízo a favor dos santos do Altíssimo; e chegou o tempo em que os santos possuíram o reino. Dn 7:21-22. Proferirá palavras contra o Altíssimo, e consumirá os santos do Altíssimo; cuidará em mudar os tempos e a lei; os santos lhe serão entregues na mão por um tempo, e tempos, e metade de um tempo. 26 Mas o tribunal se assentará em juízo, e lhe tirará o domínio, para o destruir e para o desfazer até o fim. Dn 7:25-26. ... ramos@advir.com
  3. 3. O julgamento de Daniel 7, acontece no tempo do fim, tempo em que o poder do chifre ainda está dominante Dn 7:8, 9; mas que será destruído e desfeito totalmente “o tribunal se assentará em juízo, e lhe tirará o domínio, para o destruir e para o desfazer até o fim.” Dn 7:25-26. O tempo do fim também é conhecido como o sétimo e último período da igreja chamado por Laodicéia sendo esta o antítipo da cidade de Ap 3:14-22 que significa “julgamento do povo” ou “povo do juízo”, que teve seu início em 1844, com o término da profecia das 2300 tardes e manhãs de Dn 8:14 “a purificação do santuário”, e vai até a segunda vinda de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. Portanto estamos vivendo neste tempo de juízo pré-advento, no qual Deus justificará Seu povo diante do Universo. cf. Dn 7:7-10 com Ap 20:11-12; Dn 7:21-22; 25-26. “A Purificação do santuário, portanto, envolve uma investigação - um julgamento.” O Grande Conflito, 422. “No tempo indicado para o juízo - o final dos 2.300 dias, em 1844 - iniciou-se a obra de investigação e apagamento dos pecados. Todos os que já professaram o nome de Cristo serão submetidos àquele exame minucioso. Tanto os vivos como os mortos devem ser julgados "pelas coisas escritas nos livros, segundo as suas obras". - Apoc. 20:12.” - O grande Conflito, 486. Em 1844, com a terminação dos 2300 dias, não mais existia o santuário terrestre havia já séculos; portanto, o santuário celestial era o único que poderia ser trazido à luz nessa declaração: "Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado." Dan. 8:14. História da Redenção, 377. “Em 1844 nosso grande Sumo Sacerdote entrou no lugar santíssimo do santuário celeste, para iniciar a obra do juízo investigativo. Os casos dos justos mortos têm estado a passar em revista diante de Deus. Quando esta obra se completar, o juízo deve ser pronunciado sobre os vivos.” Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 125. “A obra do juízo investigativo e extinção dos pecados deve efetuar-se antes do segundo advento do Senhor. Visto que os mortos são julgados pelas coisas escritas nos livros, é impossível que os pecados dos homens sejam cancelados antes de concluído o juízo em que seu caso deve ser investigado. ... Quando se encerrar o juízo investigativo, Cristo virá, e Seu galardão estará com Ele para dar a cada um segundo for a sua obra.” O Grande Conflito, 485. 5. Por que Deus precisa realizar um julgamento? O Senhor não "conhece os que Lhe pertencem"? 2Tm 2:19 "O Senhor conhece quem lhe pertence" e "afaste-se da iniquidade todo aquele que confessa o nome do Senhor. 2Tm 2:19. Isso porque as testemunhas 1Co 4:9; Hb 12:1, não são oniscientes como Deus, e portanto precisamos manifestar ou materializar nossas obras para que conheçam e comparem os dez mandamentos de Deus (que são a norma do juízo. Tg 2:10-12) com nosso procedimento para avaliarem se somos fieis ao Senhor ou não. cf. Mt 7:15-20. “Pelos seus frutos os conhecereis. Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas?”. O julgamento precisa ser realizado para se dar fim ao pecado; todo o Universo anseia pela justiça divina. Ap 16:5-7; 19:1-3; 18:20; Dt 32:43. “Durante o juízo investigativo se examinarão os registros de todos aqueles que num tempo ou outro professaram lealdade a Cristo. A investigação não se faz para informar a Deus nem a Cristo, senão para informar ao universo em geral, para que ao aceitar a alguns e recusar a outros, Deus seja vindicado. Satanás pretende que todos os homens são legalmente seus súditos. Acusa adiante de Deus àqueles por quem Jesus intercede no juízo; mas Jesus alega o arrependimento e a fé dos acusados. Como resultado do juízo se confecciona um registro dos que serão cidadãos do futuro reino de Cristo. Esse registro inclui os nomes de homens e mulheres de toda nação, tribo, língua e povo. João fala dos isentados na terra nova como de 'as nações' dos salvos (Apoc. 21: 24).” Comentário Bíblico Adventista, v. 4, pág. 1348. A cena do juízo terá lugar na presença de todos os mundos; pois nesse juízo será reivindicado o governo de Deus, e Sua lei apresentar-se-á como "santa, e justa, e boa". Então será decidido todo caso, e dada a todos a sentença. Então, o pecado não parecerá atrativo, mas será visto em toda a espantosa magnitude. Todos verão a relação em que estão para com Deus e uns para com os outros. Review and Herald, 20 de setembro de 1898. ❉ Quarta - No fim do julgamento Ano Bíblico: 2Co 5–7 6. Quais serão os resultados do juízo pré-advento? Dn 7 Os resultados do juízo pré-advento em Dn 7 são: 1- O Filho do Homem recebe o reino. “E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino, o único que não será destruído.” Dn 7:14. 2- O chifre pequeno se levanta contra Deus e seus santos. “E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues nas suas mãos por um tempo, e tempos, e metade de um tempo.” Dn 7:25. “Eu olhava, e eis que essa ponta fazia guerra contra os santos e os vencia.” Dn 7:21. cf. Ap 11:7; 13:7. 3- O chifre pequeno é julgado, retirado de seu domínio e destruído para sempre “Mas o juízo estabelecer-se-á, e eles tirarão o seu domínio, para o destruir e para o desfazer até ao fim.” Dn 7:25-26. 4- O juízo foi feito aos santos e agora recebem o reino eterno. “Até que veio o ancião de dias, e foi dado o juízo aos santos do Altíssimo; e chegou o tempo em que os santos possuíram o reino.” Dn 7:22. “E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão.” Dn 7:27. “Mas os santos do Altíssimo receberão o reino e possuirão o reino para todo o sempre e de eternidade em eternidade.” Dn 7:18. 5- Deus é justificado diante de todo universo. “Sempre seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso, como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras e venças quando fores julgado.” Rm 3:4. “E ouvi o anjo das águas que dizia: Justo és tu, ó ramos@advir.com
  4. 4. Senhor, que és, e que eras, e santo és, porque julgaste estas coisas. Visto como derramaram o sangue dos santos e dos profetas, também tu lhes deste sangue a beber; porque disto são merecedores. E ouvi outro do altar, que dizia: Na verdade, ó Senhor, Deus Todo-poderoso, verdadeiros e justos são os teus juízos.” Ap 16:5-7. cf. Ap 19:1-3; 18:20; Dt 32:43. “Porque está escrito: Pela minha vida, diz o Senhor, todo joelho se dobrará diante de mim, e toda língua confessará a Deus.” Rm 14:11. cf. Is 45:23; Fp 2:10. “Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que a teus olhos é mal, para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares.” Sl 51:4. Mas o plano da redenção tinha um propósito ainda mais vasto e profundo do que a salvação do homem. Não foi para isto apenas que Cristo veio à Terra; não foi simplesmente para que os habitantes deste pequeno mundo pudessem considerar a lei de Deus como devia ela ser considerada; mas foi para reivindicar o caráter de Deus perante o Universo. Para este resultado de Seu grande sacrifício, ou seja, a influência do mesmo sobre os entes de outros mundos, bem como sobre o homem, olhou antecipadamente o Salvador quando precisamente antes de Sua crucifixão disse: "Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. E Eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a Mim." João 12:31 e 32. O ato de Cristo ao morrer pela salvação do homem, não somente tornaria o Céu acessível à humanidade, mas perante todo o Universo justificaria a Deus e Seu Filho, em Seu trato com a rebelião de Satanás. Estabeleceria a perpetuidade da lei de Deus, e revelaria a natureza e os resultados do pecado. Patriarcas e Profetas, 68. ❉ Quinta - Certeza responsável Ano Bíblico: 2Co 8–10 7. Leia o Salmo 96:11-13. Qual é a razão para que toda a criação se alegre? “Alegrem-se os céus, e a terra exulte; ruja o mar e a sua plenitude. Folgue o campo e tudo o que nele há; regozijem-se todas as árvores do bosque, na presença do SENHOR, porque vem, vem julgar a terra; julgará o mundo com justiça e os povos, consoante a sua fidelidade.” Sl 96:11-13 RA A criação se alegra porque o juízo divino é uma benção Sl 50:2-4; 96:11-13; Is 25:8-9; 26:19. Deus é amor e justiça, Seu juízo significa Justificação, Salvação, liberdade, é a purificação ou eliminação do mal, e conforme prometido, será feito, e o pecado não se levantará segunda vez. Naum 1:9, e pela graça e misericórdia de Deus, os homens são chamados a um reavivamento e uma reforma, desvinculando-se do mal, e passando a ter comunhão com Ele. Ap 14:6-7. E assim viver eternamente em Sua presença. A graça e a misericórdia divina está ainda atraindo as pessoas, hoje é dia de salvação, portanto “Portanto, como diz o Espírito Santo, se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais o vosso coração”. Heb. 3:7-8. Para os fieis o Juízo divino significa Justificação, Purificação e Salvação eterna, para os que escolheram rejeitar a graça de Deus, resta tão somente o oposto disso. "O grande conflito terminou. Pecado e pecadores não mais existem. O Universo inteiro está purificado. Uma única palpitação de harmonia e júbilo vibra por toda a vasta criação. DAquele que tudo criou emanam vida, luz e alegria por todos os domínios do espaço infinito. Desde o minúsculo átomo até o maior dos mundos, todas as coisas, animadas e inanimadas, em sua serena beleza e perfeito gozo, declaram que Deus é amor." O Grande Conflito, p. 678. 8. Leia Romanos 14:10-12 e 2 Coríntios 5:10. Como a realidade do juízo deve impactar nossa maneira de viver? Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. 11 Porque está escrito: Pela minha vida, diz o Senhor, todo joelho se dobrará diante de mim, e toda língua confessará a Deus. 12 De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. Rm 14:10-12 RC Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo. 2 Co 5:10 RA O povo no santuário terrestre devia participar do Dia da Expiação que era uma santa convocação, dia de juízo, dia de afligir a alma diante de Deus, em tristeza pelos pecados cometidos, deviam examinar os motivos do coração de forma profunda, e com arrependimento sincero, confessar e abandonar todo o erro, estando dispostos a serem totalmente fieis ao Senhor. cf. Lv 16:29-31; Lv 23:27-32. Hoje o período em que estamos vivendo (período de Laudicéia, o dia do Juízo no santuário celestial) é o Dia da Expiação, por tanto devemos proceder desta maneira, conforme o Senhor nos orientou, para recebermos Dele perdão e purificação. Vivemos hoje no grande dia da expiação. No cerimonial típico, enquanto o sumo sacerdote fazia expiação por Israel, exigiase de todos que afligissem a alma pelo arrependimento do pecado e pela humilhação, perante o Senhor, para que não acontecesse serem extirpados dentre o povo. De igual modo, todos quantos desejem seja seu nome conservado no livro da vida, devem, agora, nos poucos dias de graça que restam, afligir a alma diante de Deus, em tristeza pelo pecado e em arrependimento verdadeiro. Deve haver um exame de coração, profundo e fiel. O espírito leviano e frívolo, alimentado por tantos cristãos professos, deve ser deixado. Há uma luta intensa diante de todos os que desejam subjugar as más tendências que insistem no predomínio. A obra de preparação é uma obra individual. Não somos salvos em grupos. A pureza e devoção de um, não suprirá a falta dessas qualidades em outro. Embora todas as nações devam passar em juízo perante Deus, examinará Ele o caso de cada indivíduo, com um exame tão íntimo e penetrante como se não houvesse outro ser na Terra. Cada um deve ser provado, e achado sem mancha ou ruga, ou coisa semelhante. O grande Conflito, 489-490. ramos@advir.com
  5. 5. “Se vosso nome se acha registrado no livro da vida, do Cordeiro, então tudo está bem convosco. Estejais prontos e ansiosos para confessar vossas faltas e abandoná-las, a fim de que vossos erros e pecados possam ir antecipadamente a juízo, e ser apagados”. Mente, Caráter e Personalidade, vol. 2, pág. 523. Ano Bíblico: 2Co 11–13 ❉ Sexta - Conclusão: Em O Juízo pré-advento aprendi que … ✰ Domingo - A visão e o juízo: Em Dn 7:1-14 é realizado um Julgamento que antecede a segunda vinda do filho do homem (Mt 16:27; 24:30-31; 26:64; Mc 13:26; 14:62; At 1:11; Ap 1:7; etc.), feito através da investigação dos livros. Dn 7:910, 26; cf. Ml 3:16; Ap 20:12. “veio o ancião de dias, e foi executado o juízo a favor dos santos do Altíssimo.” Dn 7:22 ver Dn 7:9-15, 26 e 27. A fim de confirmar a fidelidade de Seus servos e a permanência desses com nome no livro da vida, purificando assim o santuário e estabelecendo o reino. Dn 8:14; Ap 21:27. Então o filho do homem vem ao Ancião de Dias e recebe o reino eterno, com Seus súditos purificados do pecado. Dn 7:13-14. Então “Cristo… aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hb 9:28. Para estarmos para sempre com o Senhor. Jo 14:1-3. ✰ Segunda - Modelo de julgamento: Antes de pronunciar Seu julgamento (que tem como base, a causa e efeito Gn 3:17- 20; Mt.16:27; Sl 62:12; Rm 2:4-6), Deus estabelece um processo de investigação na forma de perguntas simples e diretas “Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e perguntou-lhe: Onde estás? … Deus perguntou-lhe mais: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? ... Perguntou o Senhor Deus à mulher: Que é isto que fizeste?” Gn 3:9, 11, 13. É assim também ensinou aos juízes de Israel para que inquirissem, investigassem e perguntassem com diligência “então inquirirás e investigarás, perguntando com diligência; e se for verdade, se for certo que se fez tal abominação no meio de ti.” Dt 13:14. “E os juízes inquirirão cuidadosamente; e eis que, sendo a testemunha falsa, e falso o testemunho que deu contra seu irmão.” Dt 19:18. Desta maneira seria trazido a luz o todo o procedimento empregado se bom ou mal, foi assim que Adão e Eva foram levados a se defrontar individualmente com seu pecado. A finalidade divina não é acusar ou expor, e sim de dar vida ao que pela transgressão havia morrido. Jo 3:17; 12:47; 1Jo 4:14. Ele conscientiza do pecado para nós levar confissão, ao perdão (cf. Pv 28:13; Sl 32:3, 5; 1Jo 1:9-10) e a plena reconciliação consigo mesmo. Hb 12:22-24; 10:12. cf. Rm 5:11; Cl 1:20; 2Co 5:18. Este será o resultado do julgamento para os santos "O reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o Céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo." Dn 7:27. (veja quem são os santos em Ap 14:12), significa salvação. "Ó Deus, salva-me, pelo Teu nome, e faze-me justiça, pelo Teu poder." Sl 54:1, vida e felicidade eterna. cf. Is 35:10; Is 25:8; Ap 7:17; 21:4. ✰ Terça - Hora do juízo: O julgamento de Daniel 7, acontece no tempo do fim, tempo em que o poder do chifre ainda está dominante Dn 7:8, 9; mas que será destruído e desfeito totalmente “o tribunal se assentará em juízo, e lhe tirará o domínio, para o destruir e para o desfazer até o fim.” Dn 7:25-26. O tempo do fim também é conhecido como o sétimo e último período da igreja chamado por Laodicéia sendo esta o antítipo da cidade de Ap 3:14-22 que significa “julgamento do povo” ou “povo do juízo”, que teve seu início em 1844, com o término da profecia das 2300 tardes e manhãs de Dn 8:14 “a purificação do santuário”, e vai até a segunda vinda de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. Portanto estamos vivendo neste tempo de juízo pré-advento, no qual Deus justificará Seu povo diante do Universo. cf. Dn 7:7-10 com Ap 20:11-12; Dn 7:21-22; 25-26. "O Senhor conhece quem lhe pertence" e "afaste-se da iniquidade todo aquele que confessa o nome do Senhor. 2Tm 2:19. Isso porque as testemunhas 1Co 4:9; Hb 12:1, não são oniscientes como Deus, e portanto precisamos manifestar ou materializar nossas obras para que conheçam e comparem os dez mandamentos de Deus (que são a norma do juízo. Tg 2:10-12) com nosso procedimento para avaliarem se somos fieis ao Senhor ou não. cf. Mt 7:15-20. “Pelos seus frutos os conhecereis. Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas?”. O julgamento precisa ser realizado para se dar fim ao pecado; todo o Universo anseia pela justiça divina. Ap 16:5-7; 19:1-3; 18:20; Dt 32:43. ✰ Quarta - No fim do julgamento: Os resultados do juízo pré-advento em Dn 7 são que: 1- O Filho do Homem recebe o reino. Dn 7:14. 2- O chifre pequeno se levanta contra Deus e seus santos. Dn 7:25, 21. cf. Ap 11:7; 13:7. 3- O chifre pequeno é julgado, retirado de seu domínio e destruído para sempre. Dn 7:25-26. 4- O juízo foi feito aos santos e agora recebem o reino eterno. Dn 7:22, 27, 18. 5- Deus é justificado diante de todo universo. Rm 3:4; Ap 16:5-7. (cf. Ap 19:1-3; 18:20; Dt 32:43.) Rm 14:11. (cf. Is 45:23; Fp 2:10.) Sl 51:4. ✰ Quinta - Certeza responsável: "Alegrem-se os céus, e regozije-se a Terra: ... ante a face do Senhor, porque vem, porque vem a julgar a Terra: julgará o mundo com justiça, e os povos com a Sua verdade." Sl 96:11-13. A criação se alegra porque o juízo divino é uma benção Sl 50:2-4; 96:11-13; Is 25:8-9; 26:19. Deus é amor e justiça, Seu juízo significa Justificação, Salvação, liberdade, é a purificação ou eliminação do mal, e conforme prometido, será feito, e o pecado não se levantará segunda vez. Naum 1:9, e pela graça e misericórdia de Deus, os homens são chamados a um reavivamento e uma reforma, desvinculando-se do mal, e passando a ter comunhão com Ele. Ap 14:6-7. E assim viver eternamente em Sua presença. A graça e a misericórdia divina está ainda atraindo as pessoas, hoje é dia de salvação, portanto “Portanto, como diz o Espírito Santo, se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais o vosso coração”. Heb. 3:7-8. Para os fieis o Juízo divino significa Justificação, Purificação e Salvação eterna, para os que escolheram rejeitar a graça de Deus, resta tão somente o oposto disso. ramos@advir.com

×