Nosso amado Pai celestial - Lição 1 de 28 a 05 de julho de 2014
VERSO PARA MEMORIZAR: Vede que grande amor nos tem concedi...
ao pedir Seu favor ou bencãos, esse nome soa-Lhe aos ouvidos como música. Para que não julgássemoŝ ̧
presuncão invoca...
os filhos dos homens. Jesus, o terno, compassivo Salvador, era Deus manifestado na carne. I Tim.
3:16. Caminho a Cristo, 1...
25 Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo
que haveis de beber; ne...
O Consolador que Cristo prometeu enviar depois de ascender ao Céu, é o Espírito em toda a
plenitude da Divindade, tornando...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nosso amado Pai celestial_132014_GGR

220 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em negrito e sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
220
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nosso amado Pai celestial_132014_GGR

  1. 1. Nosso amado Pai celestial - Lição 1 de 28 a 05 de julho de 2014 VERSO PARA MEMORIZAR: Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não O conheceu a Ele mesmo.” 1Jo 3:1. Ao considerar João o amor de Cristo, foi levado a exclamar: "Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus." I João 3:1. Os homens consideram um privilégio ver um personagem de família real, e milhares vão a grandes distâncias para o conseguir. Quão maior privilégio não é ser filhos e filhas do Altíssimo! Que maior privilégio nos poderia ser concedido do que ter entrada na família real? Para tornar-nos filhos e filhas de Deus, cumpre separar-nos do mundo. "Saí do meio deles, e apartai-vos", diz o Senhor, "e Eu serei para vós Pai, e vós sereis para Mim filhos e filhas." II Cor. 6:17 e 18. … Há diante de nós um Céu, uma coroa de vida a ganhar. Mas somente ao vencedor é dada a recompensa. O que obtém o Céu precisa estar revestido das vestes da justiça. "E qualquer que nEle tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também Ele é puro." I João 3:3. No caráter de Cristo não havia desarmonia de espécie alguma. E o mesmo pode acontecer conosco. Nossa vida pode ser regida pelos princípios que governaram a Sua vida. Manuscrito, 1886. Assumindo a natureza humana, Cristo elevou a humanidade. Os homens caídos são colocados na posição em que, mediante a conexão com Cristo, podem na verdade tornar-se dignos do nome de "filhos de Deus". Caminho a Cristo, 15. DOMINGO – NOSSO PAI CELESTIAL 1. Leia Mateus 7:9-11. Como um pai humano pode refletir o caráter de nosso Pai celestial? 9 E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra? 10 E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente? 11 Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem? Mt 7:9-11, ACF Precisamos aprender a dirigir-nos a nosso Pai celestial assim como uma criança se dirige a seus pais terrestres. Manuscrito 8, 1886. Cristo ilustra a boa vontade de Deus para beneficiar, com a disposição de um pai para satisfazer ao pedido de um filho. Ele diz: "E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois, se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que Lho pedirem?" Luc. 11:11-13. CPPE, 242. “Para fortalecer nossa confiança em Deus, Cristo nos ensina a nos dirigir a Ele por um nome novo, um nome enlacado com as mais caras relacões do coracão o humano.̧ ̧ ̧ Concede-nos o privilégio de chamar o infinito Deus de nosso Pai. Esse nome dito a Ele, ou a respeito dEle, é um sinal de nosso amor e confiança para com Ele, e um penhor de Sua consideracão e relacionamento conosco.̧ Pronunciado ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. ao pedir Seu favor ou bencãos, esse nome soa-Lhe aos ouvidos como música. Para que não julgássemoŝ ̧ presuncão invocá-Lo por esse nome, repetiu-o muitas vezes. Deseja que nos familiarizemos com esse título.̧ “Deus nos considera Seus filhos. Redimiu-nos do mundo indiferente e nos escolheu para que nos tornemos membros da família real, filhos e filhas do celeste Rei. Convida-nos a nEle confiar, com confiança mais profunda e mais forte que do filho no pai terrestre. Os pais amam os filhos, mas o amor de Deus é maior, mais amplo e mais profundo do que jamais pode ser o amor humano. É incomensurável”. Parábolas de Jesus, p. 141, 142. SEGUNDA – REVELADO PELO FILHO 2. O que precisamos saber a respeito de Deus? Por que é importante conhecer essas coisas? Jr 9:23, 24 23 Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas, 24 Mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR. Jr 9:23, 24, ACF A Palavra de Deus revela o Seu caráter. Ele mesmo proclamou Seu infinito amor e misericórdia. Quando Moisés orou: "Rogo-Te que me mostres a Tua glória", o Senhor respondeu: "Eu farei passar toda a Minha bondade por diante de ti." Êxo. 33:18 e 19. Essa é a Sua glória. Ele passou diante de Moisés, e proclamou: "Jeová, o Senhor, Deus misericordioso e piedoso, tardio em iras e grande em beneficência e verdade; que guarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniquidade, e a transgressão, e o pecado" (Êxo. 34:6 e 7), Ele é "longânimo e grande em benignidade" (Jon. 4:2), "porque tem prazer na benignidade" (Miq. 7:18). Deus ligou a Si nosso coração por inúmeras provas no Céu e na Terra. Pelas obras da natureza, e os mais profundos e ternos laços terrestres que pode imaginar o coração humano, procurou Ele revelar-Se a nós. No entanto, estas coisas só muito imperfeitamente representam o Seu amor. Não obstante todas essas provas, o inimigo do bem cegou o espírito dos homens, de maneira que foram levados a olhar a Deus com temor, considerando-O severo e inexorável. Satanás levou o homem a imaginar Deus como um Ser cujo principal atributo fosse a justiça severa - um rigoroso juiz, e credor exigente e cruel. Representou o Criador como um ser que espreita desconfiado, procurando discernir os erros e pecados dos homens, para que possa trazer juízos sobre eles. Foi para dissipar essa negra sombra, revelando ao mundo o infinito amor de Deus, que Jesus baixou para viver entre os homens. Caminho a Cristo, 10-11. 3. Leia João 14:8-10. Observe quão pouco os discípulos conheciam sobre o Pai depois de passar mais de tres anos com Jesus. O que podemos aprender â partir de sua falta de compreensão? 8 Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta. 9 Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra- nos o Pai? 10 Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. Jo 14:8-10, ACF O Filho de Deus veio do Céu para revelar o Pai. "Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, Este O fez conhecer." João 1:18. "Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho O quiser revelar." Mat. 11:27. Quando um dos discípulos fez o pedido: "Senhor, mostra-nos o Pai", Jesus respondeu: "Estou há tanto tempo convosco, e não Me tendes conhecido, Filipe? Quem Me vê a Mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?" João 14:8 e 9. Descrevendo a Sua missão terrestre, disse Jesus: "O Espírito do Senhor é sobre Mim, pois que Me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-Me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, e dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos." Luc. 4:18 e 19. Essa foi a Sua obra. Andava fazendo o bem, curando os oprimidos por Satanás. Havia aldeias inteiras onde não existia mais nenhuma casa em que se ouvissem lamentos de enfermo, porque Jesus por elas passara e lhes curara os doentes. Sua obra dava testemunho de Sua unção divina. Amor, misericórdia e compaixão se patenteavam em cada ato de Sua vida. … Tal é o caráter de Cristo, revelado em Sua vida. Tal é também o caráter de Deus. É do coração do Pai que as torrentes da compaixão divina, manifestas em Cristo, fluem para ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. os filhos dos homens. Jesus, o terno, compassivo Salvador, era Deus manifestado na carne. I Tim. 3:16. Caminho a Cristo, 11-12. TERÇA – O AMOR DE NOSSO PAI CELESTIAL 4. Qual foi a suprema demonstracão do amor do Pai?̧ Jo 3:16, 17 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Jo 3:16, 17, ARA Mas este grande sacrifício não foi feito para engendrar no coração do Pai o amor para com o homem, nem para dispô-Lo a salvá-lo. Não, não! "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito." João 3:16. O Pai nos ama, não em virtude da grande propiciação; mas sim proveu a propiciação por isso que nos ama. Cristo foi o instrumento pelo qual Ele pôde entornar sobre um mundo caído o Seu infinito amor. "Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo." II Cor. 5:19. Sofreu juntamente com Seu Filho. Na agonia do Getsêmani, na morte sobre o Calvário, o coração do infinito Amor pagou o preço de nossa redenção. ... "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito." João 3:16. Ele O deu, não somente para que vivesse entre os homens, tomasse sobre Si os seus pecados, e morresse em sacrifício por eles; deu-O à raça caída. Cristo devia identificar-Se com os interesses e necessidades da humanidade. Ele, que era um com Deus, ligou-Se aos filhos dos homens por laços que nunca se romperão. … O preço pago por nossa redenção, o infinito sacrifício de nosso Pai celestial em entregar Seu Filho para morrer por nós, deveria inspirar-nos ideias elevadas sobre o que nos podemos tornar por meio de Cristo. Caminho a Cristo, 13-15. 5. Leia Lucas 15:11-24 e medite sobre o amor do pai do filho pródigo. Faca uma lista das muitaş evidencias que o filho teve do amor do pai. 11 Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos. 12 O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois, os seus haveres. 13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. 14 E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. 15 Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. 16 E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada. 17 Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! 18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; 19 já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados. 20 Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu- se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. 21 Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. 22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés; 23 trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos, 24 porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se. Lc 15:11-24, ACF Em sua irrequieta juventude, o filho pródigo considerava o pai inflexível e austero. Que diferente é sua concepção dele agora! Assim também os engodados por Satanás consideram Deus áspero e severo. Veem-nO esperando para os denunciar e condenar, como se não tivesse vontade de receber o pecador enquanto houver uma desculpa legítima para não o auxiliar. Consideram Sua lei uma restrição à felicidade humana, jugo opressor de que se alegram em escapar. Todavia o homem cujos olhos foram abertos por Cristo, reconhecerá a Deus como cheio de compaixão. Não lhe parece um tirano inexorável, mas um pai ansioso por abraçar o filho arrependido. O pecador, com o salmista, exclamará: "Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor Se compadece daqueles que O temem." Sal. 103:13. Parábolas de Jesus, 204. QUARTA – O COMPASSIVO CUIDADO DE NOSSO PAI CELESTIAL 6. Leia Mateus 6:25-34. O que o texto revela sobre Deus? Como podemos aprender a confiar mais nele? ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. 25 Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? 26 Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? 27 Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? 28 E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; 29 contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles. 30 Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? 31 Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? 32 (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. 33 Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. 34 Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mt 6:25-34, ACF "Todas essas coisas", disse Jesus, "os gentios do mundo buscam." Luc. 12:30. "Vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas; mas buscai primeiro o reino de Deus, e a Sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas." Mat. 6:32 e 33. Eu vos vim revelar o reino de amor e de justiça e paz. Abri o coração para receberdes este reino, e tornai o servir a esse reino o vosso principal interesse. Conquanto seja um reino espiritual, não temais que vossas necessidades quanto a esta vida não sejam consideradas. Se vos entregais ao serviço de Deus, Aquele que tem todo o poder no Céu e na Terra proverá o que necessitardes. ... Se Lhe seguirmos o exemplo, a promessa que nos dá é de que nos "serão acrescentadas" todas as coisas necessárias a esta vida. A pobreza ou a riqueza, a doença ou a saúde, a simplicidade ou a sabedoria - tudo se acha providenciado na promessa de Sua graça. O Maior Discurso de Cristo, 98-99. "Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã. ... Basta a cada dia o seu mal." Mat. 6:34. Se vos entregastes a Deus, para fazer a Sua obra, não precisais estar ansiosos pelo dia de amanhã. Aquele de quem sois servo, conhece o fim desde o princípio. Os acontecimentos do amanhã, ocultos a vossos olhos, acham-se à vista dAquele que é onipotente. … Se buscardes o Senhor e vos converterdes cada dia; se, por vossa própria escolha espiritual, fordes livres e felizes em Deus; se, com satisfeito consentimento do coração a Seu gracioso convite, vierdes e tomardes o jugo de Cristo - o jugo da obediência e do serviço - todas as vossas murmurações emudecerão, remover-se- ão todas as vossas dificuldades, todos os desconcertantes problemas que ora vos defrontam se resolverão. O Maior Discurso de Cristo, 98-99. QUINTA – O PAI, O FILHO E O ESPÍRITO SANTO 7. As tres Pessoas da divindade foram ativas nos principais momentos da vida de Jesus. resuma ô papel de cada uma delas nos seguintes eventos: • Nascimento: Lc 1:26-35: ... 35 Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus. Lc 1:26-35, ACF • Batismo: Lc 3:21, 22: 21 Quando todo o povo fora batizado, tendo sido Jesus também batizado, e estando ele a orar, o céu se abriu; 22 e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se do céu esta voz: Tu és o meu Filho amado; em ti me comprazo. Lc 3:21, 22, ACF • Crucifixão: Hb 9:14: “quanto mais o sangue de Cristo, que mediante o Espírito eterno se ofereceu de forma imaculada a Deus, purificará completamente a nossa consciência de comportamentos que conduzem à morte, para que sirvamos ao Deus vivo!” Hb 9:14, KJA O Pai não pode ser definido por coisas da Terra. O Pai é toda a plenitude da Divindade corporalmente, e invisível aos olhos mortais. O Filho é toda a plenitude da Divindade manifestada. A Palavra de Deus declara que Ele é "a expressa imagem da Sua pessoa". Heb. 1:3. "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha vida eterna." João 3:16. Aí se manifesta a personalidade do Pai. ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. O Consolador que Cristo prometeu enviar depois de ascender ao Céu, é o Espírito em toda a plenitude da Divindade, tornando manifesto o poder da graça divina a todos quantos recebem e crêem em Cristo como um Salvador pessoal. Há três pessoas vivas pertencentes à Divindade celeste; em nome destes três grandes poderes - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo. Special Testimonies, Série B, Nº 7, págs. 62 e 63. Deus ... Tríuno; Trino; Triplo; Trinitário; Tríplice; Composto por três; Trindade, a expressão tanto faz, o fato é, que o conceito diz a verdade 1 Jo 5:7, o governo divino é único “echad” uma unidade composta por três personalidades distintas, com funções específicas, unidos em propósito, pensamento e caráter. A Bíblia afirma explicitamente que a divindade, o poder eterno, universal e absoluto, ou governo celeste é uma unidade de seres ou personalidades distintas, cada um exercendo uma função especifica no plano de salvar o homem, essas funções são claramente repartidas em três; Na Criação Gên. 1:1-2; 1:26 (“Elohim” do Heb. 'KI Deus Criador no plural Gên. 1:1, el singular de 'E'lôhîm (tem o mesmo significado que 'Kl) veja “Ouve, ó Israel; o Senhor nosso Deus é o único Senhor”. Deut. 6:4 “único” e “um só” a palavra é do Heb. “echad” unidade composta, a mesma palavra de Gên. 2:24), (paticipação do Filho) Jo. 1:1-3, 14; Col. 1:15-17; Heb. 1:2 (paticipação do Espírito Santo) Gn 1:2; Jó 33:4; 26:13; Sl 33:6; 104:30 (Algumas traduções definem como sopro, fôlego ou vento, nomes e símbolos apropriados para o Espírito Santo usados no decorrer de toda a bíblia) na rebelião da torre de babel Gên. 11:5-7, na encarnação Mat. 1:18, 20; Lucas 1:35; no batismo de Jesus Mateus 3:16- 17; na comissão evangélica Mateus 28:19; na ressurreição de Jesus (Pai) Atos 3:26; Atos 17:30-31 (Filho) Jo. 10:17-18; João 2:19-21; I Jo. 5:20; (Espírito santo) Romanos 8:11; I Cor. 6: 14, o relacionamento que devemos ter com “Elohim”, o único “echad” Deus, é bem definido pela benção apostólica 2 Coríntios 13:13. (algumas bíblias estão como verso 14). De uma forma bem objetiva podemos afirmar que: O Pai nos ama e envia o filho Jo. 3:16; o Filho nos ama e dá sua vida como sacrifício Mat. 20:28; Jo. 10:11; 15:13; I Jo. 3:16; e o Espírito Santo que também nos ama Rom. 8:26-27, o amor divino que recebemos e agora manifestamos foi concedido por ele "Mas o fruto (ou resultado na vida) do Espírito é: o amor ..." Gál. 5:22, “pelo amor que o Espírito dá" (ou concede). Rom. 15:30. NTLH, a função do Espírito Santo é distintamente revelada por Cristo: "E quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo." João 16:8, ele dedica sua vida a cuidar, proteger, ensinar, e capacitar o homem a viver a vida de cristo, sem o qual o propósito do Pai em enviar ao filho, e o sacrifício de cristo não teria nenhum efeito prático. “A Divindade moveu-se de compaixão pela raça, e o Pai, o Filho e o Espírito Santo deram-Se a Si mesmos ao estabelecerem o plano da redenção.” Conselhos Sobre saúde, p. 222. O batismo significa a maior e mais solene renúncia do mundo. Mediante profissão, o eu é morto com a vida de pecado. As águas cobrem o candidato, e na presença de todo o Universo é feita uma mútua promessa. No nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo o homem é imerso na sepultura líquida, "sepultado com Cristo no batismo", e erguido da água para viver uma nova vida de lealdade a Deus. Os três grandes poderes no Céu são testemunhas, invisíveis mas presentes. SDA Bible Commentary, vol. 6, pág. 1.074. Ao se submeterem os cristãos ao solene rito do batismo, Ele registra o voto feito por eles de Lhe serem fiéis. Esse voto é seu compromisso de lealdade. Eles são batizados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Acham-se assim unidos aos três grandes poderes do Céu. Comprometem-se a renunciar ao mundo e a observar as leis do reino de Deus. Devem, portanto, andar em novidade de vida. Não mais devem eles seguir as tradições dos homens. Não mais devem seguir métodos desonestos. Carta 129, 1903. Quando vos entregastes a Cristo, tomastes compromisso na presença do Pai, do Filho e do Espírito Santo - os três grandes dignitários do Céu. "Guarda-o", a esse compromisso. … O inimigo jamais poderá arrebatar da mão de Cristo àquele que Lhe confia sinceramente nas promessas. Manuscrito 92, 1901. Portai-vos de tal modo que os três grandes poderes do Céu - o Pai, o Filho e o Espírito Santo - posam ser vossa competência. Esses poderes trabalham com aquele que se entrega a Deus, sem reserva. A força do Céu está ao dispor dos fiéis de Deus. O homem que faz de Deus sua confiança, está protegido por uma muralha inexpugnável. Carta 1, 1904. ramos@advir.comramos@advir.com

×