Lições Adultos Ensinos de Jesus
Lição 9 - Nossa missão 23 a 30 de agosto
Sábado à tarde Ano Bíblico: Jr 42–44
VERSO PARA M...
Jesus Cristo, o eterno Filho de Deus, é “a luz dos homens [...] a verdadeira luz, que [...] ilumina a todo
homem” (Jo 1:4,...
Não vos assombreis, nem temais; porventura desde então não vo-lo fiz ouvir, e não vo-lo anunciei? Porque
vós sois as minha...
Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito
Santo; 20 Ensina...
Há um paralelismo encorajador entre Marcos 16:15 e Mateus 24:14. Ambos os textos se referem à
proclamação do evangelho a t...
Esboço
I. Conhecer: Os discípulos de Jesus são a luz do mundo
A. Por que o reino de Cristo está associado à luz?
B. O test...
seguiam que eles se tornariam pescadores de pessoas. A missão deles incluía elementos de iluminação,
testemunho, represent...
Da mesma forma, fazer discípulos é responsabilidade de cada cristão. As fases iniciais da formação de
discípulos não exige...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nossa missão_Lição_original com textos_932014

249 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade; facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Também facilita se for imprimir por usar bem menos tinta que a lição convencional.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nossa missão_Lição_original com textos_932014

  1. 1. Lições Adultos Ensinos de Jesus Lição 9 - Nossa missão 23 a 30 de agosto Sábado à tarde Ano Bíblico: Jr 42–44 VERSO PARA MEMORIZAR: “Será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.” Mt 24:14. Leituras da Semana: Mt 5:14-16; Lc 24:48, 49; Jo 20:21; Mt 28:19, 20; Ap 14:6-12 No começo do Seu ministério, Jesus chamou Pedro e André para ser Seus discípulos, o que significava que estes deviam conduzir outros a Ele: “Vinde após Mim, e Eu vos farei pescadores de homens” (Mt 4:19). Depois, o Senhor designou doze discípulos “para estarem com Ele e para os enviar a pregar” (Mc 3:14). Cristo enviou os doze apóstolos e posteriormente enviou também setenta discípulos para evangelizar (Mt 10:5-15; Lc 10:1-12). Durante quarenta dias após Sua ressurreição, Cristo apareceu várias vezes aos discípulos (1Co 15:3-8), e colocou nas mãos deles a responsabilidade de pregar o evangelho (At 1:2, 3). Repetidas vezes Ele confiou-lhes a comissão evangélica. Embora nenhum dos escritores dos evangelhos tenha registrado todas as palavras que Jesus disse, cada um registrou algumas frases das instruções do Senhor, cada relato enfatizando um aspecto diferente da comissão evangélica. Assim, eles nos deixaram informações valiosas sobre seu propósito, metodologia e alcance. Nesta semana, estudaremos a comissão evangélica conforme o próprio Jesus a apresentou. Incentive alguém em sua igreja a se tornar colportor-evangelista! Cultive o hábito de doar livros missionários aos seus amigos. Domingo - Ser a luz do mundo Ano Bíblico: Jr 45–48 1. Leia Mateus 5:14-16. O que Jesus diz a cada um de nós individualmente e como comunidade da igreja? Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; 15 Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. 16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. Mt 5:14-16, ACF Em toda a Bíblia, a luz está intimamente associada com Deus. “O Senhor é a minha luz”, declarou Davi (Sl 27:1), e João afirmou que “Deus é luz, e não há nEle treva nenhuma” (1Jo 1:5). Deus é a fonte de luz. De fato, a primeira coisa que Ele criou foi a luz, porque a luz é indispensável à vida. Dada a estreita ligação entre a luz e Deus, as Escrituras frequentemente usam a luz para simbolizar a verdade, o conhecimento e a piedade. Andar na luz significa ter um caráter semelhante ao de Deus (Ef 5:8; 1Jo 1:7). A luz representa Deus, a escuridão representa Satanás. Por isso, é um pecado grave fazer “das trevas luz e da luz, trevas” (Is 5:20). Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  2. 2. Jesus Cristo, o eterno Filho de Deus, é “a luz dos homens [...] a verdadeira luz, que [...] ilumina a todo homem” (Jo 1:4, 9). Somente Ele é a luz que pode iluminar a escuridão de um mundo envolto no pecado. Por meio dEle podemos ter a “iluminação do conhecimento da glória de Deus” (2Co 4:6), ou seja, Seu caráter. Quando aceitamos a Cristo como nosso Salvador, tornamo-nos “filhos da luz” (Jo 12:36; 1Ts 5:5). Mas não temos luz em nós mesmos. Como a lua, tudo o que podemos fazer é refletir a luz que brilha sobre nós. Quando permitimos que Jesus brilhe através de nós, não fazemos boas obras para mostrar a própria virtude, mas para levar as pessoas a glorificar a Deus. “Se Cristo habita no coração, é impossível esconder a luz de Sua presença. Se aqueles que professam ser seguidores de Cristo [...] não têm luz para comunicar, é porque não têm ligação com a Fonte da luz” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 41). Não seria absurdo acender uma lâmpada apenas para colocá-la “debaixo de uma vasilha ou de uma cama” (Mc 4:21, NVI)? Então, por que às vezes fazemos isso com a luz de Cristo? Um discípulo escondido não é mais útil do que uma lâmpada debaixo de uma vasilha em uma noite escura. Por isso, “dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti” (Is 60:1). A luz tem que ser refletida a partir de alguma coisa, caso contrário não podemos vê-la. Que lição espiritual isso nos ensina sobre a maneira pela qual nossa luz deve ser revelada? Participe do projeto “Reavivados por Sua Palavra”: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/ Segunda - Para ser testemunhas Ano Bíblico: Jr 49, 50 O primeiro encontro de Jesus com os discípulos depois da ressurreição foi muito importante. Eles estavam com medo, angustiados, desanimados e perplexos. Por medo, haviam trancado as portas da casa, mas Jesus chegou e Se pôs no meio deles. Com voz clara e amorosa, Ele disse: “Paz seja convosco” (Jo 20:19). Surpresos e aterrorizados como estavam, foi difícil para eles acreditar no que viam e ouviam. Carinhosamente, o Senhor lhes mostrou as mãos e os pés, e explicou tudo o que as Escrituras dizem sobre Ele. Naquela noite, Sua presença e Suas palavras os transformaram radicalmente, dissipando sua ansiedade e incredulidade e enchendo-os com a paz e alegria que vêm da certeza de Sua ressurreição. Então, Cristo começou a explicar a missão deles gradualmente, ajudando-os a compreender o significado de sua responsabilidade como testemunhas de Sua morte, Sua ressurreição e Seu poder para perdoar pecados e transformar vidas (Lc 24:46-48). Certamente, eles tinham visto Jesus morrer, mas também O tinham visto ressuscitado. Por isso, poderiam testemunhar de que Ele é o Salvador do mundo. Uma testemunha é alguém que viu algo acontecer. Qualquer pessoa pode ser uma testemunha, desde que tenha pessoalmente visto alguma coisa. Não existe testemunha de segunda mão. Podemos testemunhar com base apenas em nossas experiências, não nas de outras pessoas. Como pecadores resgatados, temos o privilégio de contar aos outros o que Jesus fez por nós. 2. Qual é a relação entre receber o Espírito Santo e testemunhar por Cristo? Lc 24:48, 49; At 1:8; Is 43:10, 12; 44:8 E destas coisas sois vós testemunhas. 49 E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder. Lc 24:48-49, ACF Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. At 1:8, ACF Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. 11 Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há Salvador. 12 Eu anunciei, e eu salvei, e eu o fiz ouvir, e deus estranho não houve entre vós, pois vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR; eu sou Deus. Is 43:10-12, ARA Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  3. 3. Não vos assombreis, nem temais; porventura desde então não vo-lo fiz ouvir, e não vo-lo anunciei? Porque vós sois as minhas testemunhas. Porventura há outro Deus fora de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça. Is 44:8, ARA O livro de Atos mostra que, unicamente pela presença do Espírito Santo habitando no coração, o testemunho dos cristãos podia ser poderoso para convencer. Depois de receber o Espírito, “com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus” (At 4:33). Ou seja, eles foram capazes de falar, abertamente e com grande poder, sobre o que eles mesmos haviam testemunhado e experimentado. Em sentido muito real, nosso testemunho a respeito de Cristo deve sempre incluir nossa experiência com Ele. Qual tem sido sua experiência pessoal com o Senhor? O que você pode testemunhar aos outros em primeira mão sobre o que Deus tem feito em sua vida? Comente com a classe no sábado. Terça - Eu também vos envio Ano Bíblico: Jr 51, 52 O evangelho de João também relata o primeiro encontro de Jesus com os discípulos no cenáculo, mas menciona outros elementos não incluídos no evangelho de Lucas. 3. De acordo com João, de que forma Jesus definiu a missão dos cristãos? Jo 20:21 Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. Jo 20:21, ACF Jesus já havia mencionado esse conceito alguns dias antes, quando orou: “Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo” (Jo 17:18). Enviar alguém implica que aquele que envia tem autoridade sobre quem é enviado. Envolve também um propósito, uma vez que a pessoa é enviada com uma missão a cumprir. Jesus foi enviado pelo Pai para salvar o mundo (Jo 3:17), e somos enviados por Jesus para anunciar a salvação por meio dEle. Evidentemente, nossa comissão é uma continuação da obra de Cristo, que consistiu em um ministério completo a todas as pessoas (Mt 9:35). Ele espera que não somente continuemos o que Ele iniciou, mas que vamos mais longe. O Senhor disse: “Aquele que crê em Mim fará também as obras que Eu faço e outras maiores fará” (Jo 14:12). Jesus concedeu o Espírito Santo para habilitar os discípulos a cumprir sua missão. Na criação, Deus “soprou” em Adão “o fôlego de vida” (Gn 2:7). E com os discípulos, Jesus “soprou sobre” eles “o Espírito Santo” (Jo 20:22). Assim como o sopro da vida transformou o pó sem vida em um ser vivo, o Espírito Santo transformou discípulos temerosos e desencorajados em poderosas testemunhas vivas para continuar a obra de Jesus. A mesma unção é indispensável hoje para cumprir a missão a nós confiada. Jesus o chamou para ser uma testemunha. Sobre o que você pode testemunhar? Ou seja, o que você viu ou experimentou que pode compartilhar a respeito de Jesus? Quarta - Fazer discípulos Ano Bíblico: Lamentações Depois da ressurreição, Jesus Se reuniu com os discípulos na Galileia, no “monte que Jesus lhes designara” (Mt 28:16). Não somente os onze, mas também cerca de 500 irmãos ali estavam reunidos para se encontrar com o Senhor ressuscitado (1Co 15:6). Aquele que tinha vencido a morte, disse a eles: “Toda a autoridade Me foi dada no Céu e na Terra” (Mt 28:18). Seu poder e autoridade não mais estavam limitados voluntariamente como estiveram durante Seu ministério terrestre. Ao contrário, como havia sido antes da encarnação, Sua autoridade incluía todo o Universo. Com base na Sua autoridade inquestionável, Ele confiou aos Seus seguidores uma missão. Segundo o relato de Mateus, ao dar a grande comissão, Jesus usou quatro verbos: ir, fazer discípulos, batizar e ensinar. Infelizmente, muitas versões da Bíblia não refletem o fato de que, no grego, o único verbo que está no imperativo aparece na expressão “fazer discípulos”, enquanto os outros três verbos estão no particípio. Isso significa que a ênfase da frase está em “fazer discípulos”. A isso estão subordinadas as outras três atividades. 4. No cumprimento da ordem de “fazer discípulos”, qual é o papel das ações de “ir, batizar e ensinar”? Mt 28:19, 20. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  4. 4. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. Mt 28:19, 20, ACF A ordem de Jesus indica três atividades envolvidas na obra de “fazer discípulos”. As três atividades não precisam ocorrer numa sequência específica. Ao contrário, elas se complementam. Ao ir a lugares diferentes, e finalmente ao mundo inteiro, devemos ensinar tudo o que Jesus ensinou, batizando os que O aceitam como Salvador e estão dispostos a guardar todas as coisas que Ele ordenou. Alegramo-nos quando alguém é batizado, mas o batismo não é o fim da história. É apenas parte do processo de fazer um discípulo. Nossa tarefa é convidar as pessoas a seguir Jesus, o que significa crer nEle, obedecer aos Seus ensinamentos, adotar Seu estilo de vida e convidar outros para que também se tornem Seus discípulos. A palavra toda [s] caracteriza esse texto. Porque Jesus tem “toda a autoridade”, temos que ir a “todas as nações” ensinando-as a observar “todas as coisas” que dizem respeito ao evangelho, com a certeza de que Cristo está conosco “sempre” (literalmente, “todos os dias”) “até o fim dos tempos” (NVI). O que é feito em sua igreja para nutrir e discipular novos cristãos? O que mais pode ser feito? E quanto a você? Quais talentos você pode usar para cumprir a comissão evangélica? Quinta - Pregar o evangelho Ano Bíblico: Ez 1–3 Com sua concisão e clareza características, o evangelho de Marcos apresenta a comissão em uma frase curta: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16:15). Como em Mateus, o verbo ir, em grego, é um particípio que não indica a tarefa, mas o movimento necessário para cumpri-la. A missão em si é expressa pelo verbo grego kērusso, usado aqui no modo imperativo. Kērusso significa “proclame em voz alta, anuncie, pregue”. Marcos usa esse termo catorze vezes, mais do que qualquer outro evangelho. A igreja deve proclamar o evangelho. Durante o ministério de Jesus, os doze apóstolos tinham sido enviados não aos gentios, mas apenas “às ovelhas perdidas da casa de Israel” (Mt 10:6, ARC). Então, eles foram enviados “por todo o mundo” e “a toda criatura”. Os onze apóstolos sozinhos jamais poderiam anunciar o evangelho a todo o mundo, e muito menos “a toda criatura” que vivia no mundo. Uma tarefa com essa dimensão mundial exige a participação de toda a igreja. Ela é confiada a todos os crentes em Jesus em todos os tempos. Isso inclui você e eu. 5. Leia Apocalipse 14:6-12. Como esses versos descrevem a missão mundial da igreja? E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o evangelho eterno, para o proclamar aos que habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e língua, e povo. 7 Dizendo com grande voz: Temei a Deus, e dai-lhe glória; porque é vinda a hora do seu juízo. E adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. 8 E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu, caiu Babilônia, aquela grande cidade, que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição. 9 E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua mão, 10 Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. 11 E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome. 12 Aqui está a paciência dos santos; aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus. Ap 14:6-12, ACF Pregar o evangelho a toda criatura, no entanto, não significa automaticamente que todos o aceitarão. Somente “quem crer e for batizado será salvo” (Mc 16:16). Devemos pregar com entusiasmo, esperando que cada ouvinte aceite o convite de Jesus. No entanto, temos que estar cientes de que muitos não aceitarão a Palavra, como a imagem da porta estreita mostra claramente (Mt 7:13, 14). 6. Que garantia temos de que essa missão mundial pode e será cumprida? Mt 24:14 E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. Mt 24:14, ACF Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  5. 5. Há um paralelismo encorajador entre Marcos 16:15 e Mateus 24:14. Ambos os textos se referem à proclamação do evangelho a todo o mundo. Enquanto a primeira passagem apresenta a missão de pregar, a segunda mostra a promessa de Jesus de que a missão será realmente cumprida. Cristo “tomou plenas medidas para a sequência da obra, assumindo, Ele mesmo, a responsabilidade do êxito dela. Enquanto Lhe obedecessem à palavra e trabalhassem em ligação com Ele, não poderiam falhar” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 822). A pergunta, então, que precisamos fazer a nós mesmos é: Estamos dispostos a ser usados por Ele nessa causa? Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Ez 4–7 Leia, de Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 818-828: “Ide, Ensinai a Todas as Nações”; Atos dos Apóstolos, p. 25-34: “A Grande Comissão”. “Todo verdadeiro discípulo nasce no reino de Deus como missionário. Aquele que bebe da água viva, torna- se uma fonte de vida. O recebedor torna-se doador. A graça de Cristo na alma é como uma nascente no deserto, fluindo para refrigério de todos, e tornando os que estão quase a perecer, ansiosos de beber da água da vida” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 195). “A comissão do Salvador aos discípulos incluía todos os crentes. Abrange todos os crentes em Cristo até ao fim dos séculos. É um erro fatal supor que a obra de salvar pessoas depende apenas do pastor ordenado. [...] Todos quantos recebem a vida de Cristo são ordenados a trabalhar pela salvação de seus semelhantes. Para essa obra foi estabelecida a igreja, e todos quantos tomam sobre si seus sagrados votos, comprometem-se, assim, a ser coobreiros de Cristo” (p. 822). Perguntas para reflexão 1. De que forma podemos nos envolver na tarefa de pregar o evangelho ao mundo no contexto da mensagem dos três anjos? 2. Sua igreja local está continuando o ministério de Jesus na sua comunidade? Como você pode ajudar a melhorar o trabalho missionário da igreja? 3. Como podemos aprender a usar melhor a extraordinária tecnologia disponível, a fim de realizar a obra que Jesus prometeu que será realizada? 4. Com base na pergunta final da lição de segunda-feira, peça que um ou dois alunos compartilhem sua experiência pessoal com Jesus. Como podemos usar nosso testemunho para alcançar outras pessoas? Por que devemos usar nossa experiência? Respostas sugestivas: 1. Nós somos a luz do mundo. Quando Cristo, a verdadeira Luz, ilumina nossa vida, resplandecemos para dissipar a escuridão do pecado e da ignorância sobre a vontade de Deus. Por esse motivo, não podemos nos esconder, nem deixar de ser notados. 2. O testemunho eficaz ocorre somente quando o Espírito Santo capacita o crente com o poder dos Céus. 3. Assim como o Pai enviou o Filho, o Filho enviou Seus discípulos para ser testemunhas da salvação ao mundo. 4. Esses são os meios direcionados para a finalidade de fazer discípulos. “Indo, ensinando e batizando”, os verdadeiros cristãos cumprirão a Grande Comissão. 5. A igreja, os que “guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus”, deve pregar o “evangelho eterno” a todas as pessoas do mundo. É necessário proclamar a mensagem do juízo, a queda da Babilônia espiritual e as drásticas consequências para aqueles que não saírem dela. 6. Jesus afirma categoricamente que o evangelho será pregado a todo o mundo e que o fim virá. Auxiliar - Resumo Ensinos de Jesus Texto-chave: Mateus 28:19, 20 O aluno deverá: Conhecer: A missão da igreja centralizada na comissão evangélica de Cristo. Sentir: Desejo de aceitar o chamado divino e fazer discípulos para Seu reino. Fazer: Orar fervorosamente para que Deus abra portas, a partir desta semana, para compartilhar sua fé. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  6. 6. Esboço I. Conhecer: Os discípulos de Jesus são a luz do mundo A. Por que o reino de Cristo está associado à luz? B. O testemunho cristão é muitas vezes associado ao proselitismo, mas o que seu sentido original significa? II. Sentir: Satisfação pessoal resulta da participação no processo de fazer discípulos A. Atletas se alegram quando superam seus recordes pessoais. Levantadores de peso também se sentem realizados quando levantam pesos maiores. Como os cristãos se sentem ao levar alguém a aceitar Cristo? Por quê? B. As equipes são frequentemente erguidas pelos esforços extraordinários de um dos membros. Os testemunhos sobre as vitórias na obra de fazer discípulos podem inspirar outras pessoas. C. Como os crentes podem desenvolver a atitude de esperar constantemente por oportunidades para compartilhar sua fé? III. Fazer: Aos que humildemente pedem Sua orientação, Deus oferece oportunidades para compartilhar a fé A. Por que a oração é tão importante para a tarefa de fazer discípulos? B. Na obra de fazer discípulos, quais são os perigos de depender de técnicas seculares de persuasão, em vez de depender da oração? C. Como a igreja pode trabalhar em conjunto de maneira mais eficiente para levar as pessoas a Cristo? Resumo: A igreja existe por causa da missão guiada pelo Espírito, assim como o fogo existe por causa da combustão impulsionada pelo oxigênio. Os que fazem verdadeiros discípulos estão cumprindo o propósito de Deus para Sua igreja. Ciclo do Aprendizado Motivação Focalizando as Escrituras: Mateus 28:19, 20 Conceito-chave para o crescimento espiritual: A menos que cada membro da igreja esteja participando ativamente na comissão de Cristo de fazer discípulos, torna-se infrutífero, e acaba desanimando. Somente para o professor: O fogo existe pela queima. Igrejas existem pela missão. Cristo comissionou Sua igreja especificamente para fazer discípulos. Sempre que a organização da igreja se esquece da missão, o resultado é o institucionalismo estéril e sem fogo. Cada instituição deve avaliar periodicamente sua fidelidade à missão. Embora os membros da igreja realizem muitas coisas importantes, essas coisas estão voltadas para a missão? A administração da igreja supervisiona centenas de diferentes empreendimentos, gastando muita energia. Toda atividade que ignora a missão de Cristo gasta desnecessariamente energias que deveriam ser investidas em fazer discípulos. Atividade de abertura Convide os alunos para mostrar seus locais de trabalho. Utilizando um projetor de vídeo, uma lousa ou uma folha de papel, anote as respostas deles. Pergunte: “Qual é a principal missão da sua empresa?” Enumere missões, funções ou atividades de apoio. Registre suas respostas ao lado do nome da empresa. Em seguida, comente sobre as questões abaixo. Atividade de alternativa Convide os alunos para falar sobre seus locais de trabalho. Anote suas respostas. Pergunte: “Qual é a principal missão da sua empresa?” Enumere missões, funções ou atividades de apoio. Registre suas respostas ao lado do nome da empresa. Em seguida, comente sobre as questões abaixo. Comente com a classe: O que acontece quando as empresas não têm uma missão claramente definida? O que acontece quando funções secundárias ou atividades de apoio passam à frente da missão, e até mesmo se tornam mais prioritárias? Compreensão Somente para o professor: A explicação de Jesus sobre a missão é comunicada através de várias metáforas, incluindo lâmpadas, testemunhas e embaixadores. Cristo prometeu aos pescadores que O Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  7. 7. seguiam que eles se tornariam pescadores de pessoas. A missão deles incluía elementos de iluminação, testemunho, representação e conquista. Cada local pode utilizar esses elementos em diferentes proporções, conforme as circunstâncias imponham, mas todos os elementos merecem atenção especial, pois são essenciais no processo de formação de discípulos. Comentário Bíblico I. Testemunho iluminado(Recapitule com a classe Mt 5:14-16; Ef 5:8; Lc 24:46-49; At 1:8.) Nas Escrituras, a luz simboliza Deus. A escuridão simboliza Seu oposto. Cristo adverte Seus seguidores contra andar na escuridão. Em vez disso, eles devem ser luzes brilhantes dissipando as trevas. Linguagem metafórica à parte, os cristãos devem iluminar o mundo, revelando o caráter amoroso de Deus através do ensino e da atividade. Um olhar sobre a tecnologia contemporânea de dispersão da luz ajuda a ilustrar ainda mais esse ponto. Essa luz tem capacidades incríveis, tomando a luz natural da noite, concentrando e canalizando esse brilho, e iluminando consideráveis espaços interiores sem eletricidade. Os cristãos devem também se tornar canais concentrados para a benevolência divina, espalhando bênção, bondade, encorajamento, compaixão, pureza, generosidade, brandura, paciência e verdade. Além disso, discipulado oculto (velas escondidas debaixo de uma vasilha) é uma terminologia paradoxal. Cristo Se misturava com a humanidade, e assim iluminou e transformou nosso mundo. Onde as pessoas se apropriaram do título de “cristão” sem emitir luz e desfrutar de uma experiência pessoal com Cristo, elas têm deturpado a realidade. Suas distorções denigrem o verdadeiro testemunho dos cristãos genuínos. Imaginem lâmpadas fluorescentes sem eletricidade! Essas lâmpadas podem ter forma e comprimento corretos, luminária instalada adequadamente e em tudo podem parecer luzes genuínas, mas até que experimentem a eletricidade, são meramente lâmpadas. Igrejas podem transbordar com “lâmpadas/cristãos” vazios, quando Deus espera a luz das testemunhas oculares em todo o mundo. Pense nisto: Como os membros da igreja devem manter essa experiência pessoal com Deus, que capacita o testemunho eficaz? II. Agentes duplos de Deus (Recapitule com a classe Jo 3:17; 14:12; 17:18; Mt 24:14; 28:19, 20.) Um agente duplo geralmente implica duplicidade, alguém não confiável, trabalhando clandestinamente. Por favor, aceite outra compreensão para essa terminologia: “Representantes de um duplo ministério” são “agentes duplos”. Nossa dupla missão emana do próprio Cristo. Jesus nos comissionou a (1) pregar e (2) fazer discípulos. Agente significa representante ou embaixador. Embaixadores são funcionários diplomáticos de alto escalão enviados de um país para outro, como representantes de longo prazo. Portanto, os cristãos são representantes com o ministério duplo de pregar e fazer discípulos. Os países de destino não aceitam os embaixadores com base em sua habilidade pessoal, mas por causa da reputação dos países de origem. Por isso, nossa recepção como embaixadores não é fundamentada em nossas características pessoais, mas no status divino. Testemunhas desanimadas devem se lembrar disso sempre que houver rejeição (Jo 17:14-18; Lc 10:5-16). As pessoas não rejeitam apenas a nós, mas Aquele a quem representamos. Os cristãos também devem reconhecer a honra extraordinária de servir como embaixador de Cristo. Assim como Cristo foi enviado pelo Pai celestial, os cristãos são enviados como Seus representantes pessoais. O que poderia superar a honra de seguir os passos de Jesus, com uma missão recebida do trono de Deus? Talvez alguém esteja pensando: “Eu não sou pregador.” Definir a terminologia pode ajudar. A expressão grega kērychthēsetai [κηρυχθήσεται], muitas vezes traduzida como “será pregado”, está associada a tradições antigas de proclamação. Arautos eram originalmente mensageiros enviados por monarcas e que transmitiam anúncios ou proclamações. Nem eloquência nem capacidade de oratória eram necessários. Três coisas, porém, eram necessárias: (1) ser comissionado pelo rei, (2) conhecer a mensagem, e (3) ter disposição para transmiti-la. Todo cristão foi comissionado pelo rei. Cristãos genuinamente convertidos, por definição, conhecem a mensagem. O único impedimento é a falta de disposição para anunciá-la. Sem usar palcos, púlpitos ou microfones, cada cristão pode “pregar” a boa notícia. Proclamação bíblica é responsabilidade de cada cristão, não apenas dos profissionais religiosos. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  8. 8. Da mesma forma, fazer discípulos é responsabilidade de cada cristão. As fases iniciais da formação de discípulos não exigem educação teológica, mas é necessário (1) misturar-se com as pessoas, (2) ganhar a confiança delas, (3) compartilhar histórias de testemunhas oculares da Bíblia, e (4) apelar para decisões espirituais. O melhor século do cristianismo com seu crescimento mais explosivo aconteceu antes que o primeiro seminário cristão fosse concebido. Carpinteiros, empregadas, jardineiros, soldados, comerciantes, fabricantes de tendas, negociantes e trabalhadores comuns promoveram a expansão sem precedentes do cristianismo. Isso também não deveria ser feito hoje por programadores de computador, paramédicos, caminhoneiros, marceneiros, engenheiros de saneamento, corretores de imóveis e vendedores? Pense nisto: O que alimenta sua imaginação, estimulando sua paixão para se envolver com a grande comissão de Cristo? Aplicação Somente para o professor: Leia a parábola a seguir em voz alta e comente com a classe. Como os cristãos podem evitar as distrações em relação à missão? Parábola: A Corporação Automobilística Globalmente Motivada (CAGM) foi originalmente encarregada de fabricar veículos intergalácticos desenvolvidos por Josué Benjamim Amante da Alegria, inventor universalmente famoso. Os veículos da primeira geração, que combinavam design inovador, engenharia moderna e grande investimento, venderam excepcionalmente bem. Apesar da concorrência feroz dos fabricantes existentes, interferência legislativa e manobras inescrupulosas, A CAGM conquistou uma fatia cada vez maior do mercado. A demanda alcançou níveis sem precedentes, e a sede da corporação autorizou a expansão e comodidades luxuosas para os trabalhadores. As inconveniências e sacrifícios sofridos pelos funcionários da primeira geração foram esquecidos. Aos poucos, o investimento de capital se deslocou do desenvolvimento de produtos e do marketing, à medida que a sede começou a enfatizar a satisfação do empregado. Inicialmente, o declínio das vendas foi atribuído à competição mais acirrada, variações sazonais e oscilação do mercado. Extensas reservas adquiridas com as vendas da primeira geração, no entanto, amorteceram o impacto, e vozes preocupadas raramente eram ouvidas. Os funcionários começaram a exigir salários mais altos, pausas mais longas, aumento da participação nos lucros, cardápios mais diversificados no refeitório e férias mais longas. Vozes de moderação foram silenciadas. As reservas diminuíram, e os recursos foram desviados do investimento de capital para financiar as demandas dos funcionários. Os departamentos de projetos e marketing sofreram grandes reduções. A CAGM se tornou cada vez mais marginalizada enquanto diminuíram os pedidos para viagens intergalácticas. Gradualmente, os próprios trabalhadores da empresa abandonaram seus produtos para comprar o Viajante da Terra, veículo em destaque na fábrica concorrente. Na fábrica da CAGM alguém acidentalmente combinou dois sucos no refeitório. O novo sabor se tornou uma sensação imediata, e a sede da empresa imediatamente instruiu o departamento de marketing para redirecionar suas energias para promover o suco. Esse empreendimento de sucesso absorveu as energias da corporação enquanto a fabricação de veículos intergalácticos gradualmente parava. Demissões em massa se seguiram. O mato tomou conta do parque infantil. O Viajante da Terra assumiu a liderança das vendas. Quando Josué Benjamim Amante da Alegria visitou a empresa CAGM, ninguém o notou. Josué chorou. Criatividade e atividades práticas Somente para o professor: Você já viu aqueles pequenos bastões luminosos? Quando esses artefatos fosforescentes ficam expostos a fontes de luz, refletem luz, brilhando na escuridão. Cristãos expostos a Jesus são igualmente habilitados a iluminar o mundo. Atividade Ajuste sua programação semanal, incorporando mais oportunidades para se expor à luz de Jesus. Planejando atividades: O que sua classe de Escola Sabatina pode fazer, na próxima semana, como resposta ao estudo da lição? É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização da Casa Publicadora Brasileira. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html

×