Lições Adultos Cristo e Sua lei
Lição 13 - O reino de Cristo e a lei 21 a 28 de junho
Sábado à tarde Ano Bíblico: Sl 40–45...
“4 Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que
sai da boca de De...
Quando as pessoas tomam a decisão de seguir a Cristo, decidem virar as costas para o reino do diabo e
passam a fazer parte...
morreu para os redimir" (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 18).
Como essas palavras nos ajudam a entender o assunto dol...
6. Que mensagem encontramos em Apocalipse 20:14 e 1 Coríntios 15:26?
“Então, a morte e o inferno foram lançados para dentr...
Respostas sugestivas: 1. Satanás é o príncipe da potestade do ar, o espírito que atua nos filhos da
desobediência, o deus ...
Conceito-chave para o crescimento espiritual: Espiritualmente, não podemos ficar em cima do muro. É
impossível uma pessoa ...
II. Plano de Deus – Não uma ideia posterior (Recapitule com a classe 1Jo 3:8; Jo 8:44.)
No entanto, durante todo o tempo D...
4. Qual é a precisão do segundo capítulo de Daniel em descrever as realidades políticas e econômicas
atuais da Europa?
5. ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O reino de Cristo e a lei_Lição_original com textos_1322014

197 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade; facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Também facilita se for imprimir por usar bem menos tinta que a lição convencional.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
197
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O reino de Cristo e a lei_Lição_original com textos_1322014

  1. 1. Lições Adultos Cristo e Sua lei Lição 13 - O reino de Cristo e a lei 21 a 28 de junho Sábado à tarde Ano Bíblico: Sl 40–45 VERSO PARA MEMORIZAR: "Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o SENHOR: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo." Jr 31:33, NVI. Leituras da Semana: Mt 4:8, 9; Dn 2:44; 1Pe 2:11; 1Co 6:9-11; Ap 22:14, 15; 1Co 15:26 Em 2011, morreu Steve Jobs, fundador da Apple. Ele estava com 56 anos. Alguns anos antes, depois de uma luta contra o câncer, ele declarou que a morte era "a melhor invenção da vida", porque ela nos obriga a alcançar o melhor que podemos aqui. Em outras palavras, visto que o nosso tempo é tão limitado, enquanto temos tempo, devemos tentar ser tão bem-sucedidos quanto possível. No entanto, Steve Jobs entendeu a questão de modo equivocado. A morte, ou o fato de que ela é inevitável, o levava a buscar mais sucesso neste mundo, quando, na verdade, deveria ter revelado a ele a futilidade de criar raízes muito duradouras no solo superficial deste planeta. É verdade que Jobs realizou muitas coisas, mas, em contraste com um milhão de anos ou com a eternidade, o que isso importa? Na verdade, temos a promessa de que este mundo será destruído, e Deus estabelecerá um mundo novo e eterno, no qual o pecado e a morte (resultados da transgressão da lei de Deus) nunca existirão. Nesta semana, consideraremos a questão do reino eterno de Deus e o papel da lei em relação a ele. Participe do projeto "Reavivados por Sua Palavra": acesse o site www.reavivadosporsuapalavra.org/. Domingo - O reino de Deus Ano Bíblico: Sl 46–50 Quando Deus criou os primeiros seres humanos, deu-lhes domínio sobre todas as coisas. Adão devia governar o mundo. No entanto, pela transgressão da lei de Deus, ele perdeu o direito à soberania terrena, e o domínio passou para o arqui-inimigo, Satanás. Quando os representantes de outros mundos se reuniram diante de Deus durante o tempo dos patriarcas, foi Satanás quem apareceu como "delegado" da Terra (Jó 1:6). 1. Leia Efésios 2:2; 2 Coríntios 4:4; Mateus 4:8, 9. O que esses textos dizem sobre o poder de Satanás neste mundo? “nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;” Efésios 2:2, RA “nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” 2 Coríntios 4:4, RA Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  2. 2. “4 Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. 5 Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo.” Mateus 4:8-9, RA O que aconteceu durante as tentações no deserto é muito revelador. Satanás se ofereceu para dar a Jesus o domínio sobre todos os reinos da Terra caso Ele Se prostrasse e o adorasse (Mt 4:8, 9; Lc 4:5-7). Ele para tomar o mundo das mãos do inimigo, mas Ele só poderia fazer isso com o custo de Sua vida. Por isso, a tentação deve ter sido muito forte, quando Satanás Lhe ofereceu o mundo! No entanto, se Jesus tivesse aceitado a proposta, teria caído na mesma cilada em que Adão caiu e, consequentemente, seria culpado de violar a lei de Seu Pai. Além disso, o plano da salvação teria sido abortado, e estaríamos mortos em nossos pecados. 5 E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. 6 E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. 7 Portanto, se tu me adorares, tudo será teu. Lc 4:5-7, ACF Sabemos que Jesus venceu e, em Sua vitória, temos a garantia da nossa vitória, que é a vida no reino eterno de Deus, descrito em Daniel 2, quando a pedra cortada sem auxílio de mãos destrói todos os reinos deste mundo. Depois, "O Deus do Céu suscitará um reino que não será jamais destruído; este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos estes reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre" Dn 2:44. Todos os reinos descritos em Daniel 2 cumpriram todas as predições a respeito deles, incluindo a contínua desunião na Europa, simbolizada pela mistura do ferro com o barro nos pés da estátua. Por que esses fatos devem nos ajudar a confiar na promessa do último reino, aquele que "subsistirá para sempre"? Segunda - Cidadãos do reino Ano Bíblico: Sl 51–55 Em alguns casos, pessoas que passam a viver em outro país, têm que renunciar a toda lealdade à sua terra natal, se quiserem a cidadania em sua nova pátria. No entanto, alguns países permitem que uma pessoa mantenha dupla cidadania, ou seja, podem jurar lealdade a ambos os lugares. No entanto, no grande conflito, não existe algo parecido com dupla cidadania. Estamos de um lado ou do outro. O reino do mal tem lutado contra o reino da justiça durante milênios. É impossível que uma pessoa seja fiel aos dois lados ao mesmo tempo. Temos que escolher qual reino terá a nossa lealdade. 2. Leia 1 Pedro 2:11, Hebreus 11:13, Efésios 2:12, Colossenses 1:13, Deuteronômio 30:19 e Mateus 6:24. O que esses textos dizem sobre a impossibilidade de "dupla cidadania" no grande conflito entre Cristo e Satanás? Qual é o papel da observância da lei em mostrar o que é a nossa cidadania? Ap 14:12. “Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma,” 1 Pedro 2:11, RA “Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra.” Hebreus 11:13, RA “naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo.” Efésios 2:12, RA “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor,” (Colossenses 1:13 RA) “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,” Deuteronômio 30:19, RA “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” Mateus 6:24, RA “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apocalipse 14:12, RA Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  3. 3. Quando as pessoas tomam a decisão de seguir a Cristo, decidem virar as costas para o reino do diabo e passam a fazer parte de outro reino, o do Senhor Jesus Cristo. Como resultado, agora obedecem às Suas regras e aos Seus mandamentos, em lugar das ordens de Satanás. Porém, a obediência delas não é universalmente apreciada. Certamente, o diabo não fica feliz com essa escolha. Ele está ansioso para reconquistá-las. A fidelidade dos seguidores de Cristo também não é apreciada pelos incrédulos, que tendem a desconfiar dos "forasteiros e peregrinos" entre eles. Apesar desses obstáculos, Deus tem um povo cuja lealdade é voltada para Ele, não para "o príncipe deste mundo". Jo 12:31, ARC. Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. Jo 12:31, ACF Muitas vezes, estrangeiros se destacam porque são diferentes das pessoas nascidas em um país. Sendo "estrangeiros e peregrinos no mundo", como devemos nos destacar? Devemos ser iguais em algum aspecto? Terça - Fé e lei Ano Bíblico: Sl 56–61 O tema dominante nas Escrituras é simples: Deus é amor. O amor de Deus é demonstrado de modo mais poderoso em Sua graça. Com Seu poder ilimitado, Ele poderia facilmente ter varrido a humanidade da face da Terra, mas em vez disso escolheu exercer paciência e dar a todos a oportunidade de experimentar a plenitude da vida em Seu reino eterno. Além disso, Seu amor é revelado no preço que Ele pagou na cruz. O amor de Deus também está diretamente relacionado com Sua justiça. Tendo provido inúmeras oportunidades para que as pessoas escolhessem seu destino, o Deus de amor não irá forçá-las a entrar num reino que elas rejeitaram. Quando os perversos estiverem diante do trono de Deus no julgamento, serão condenados pelo próprio testemunho. Ninguém que estiver diante do trono poderá dizer sinceramente que não tinha conhecimento dos requisitos divinos. Quer pela revelação escrita ou natural, todos serão expostos aos princípios básicos da lei de Deus (Rm 1:19, 20; 2:12-16). 19 Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. 20 Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; Rm 1:19, 20, ACF 12 Todos os que pecaram sem a Lei, sem a Lei também perecerão. Todos os que pecaram sob o regime da lei, pela lei serão julgados. 13 Pois não são aqueles que ouvem a Lei que são justos diante de Deus, e sim aqueles que praticam o que a Lei manda. 14 Os pagãos não têm a Lei. Mas, embora não a tenham, se eles fazem espontaneamente o que a Lei manda, eles próprios são Lei para si mesmos. 15 Eles assim mostram que os preceitos da Lei estão escritos em seus corações; a consciência deles também testemunha isso, assim como os julgamentos interiores, que ora os condenam, ora os aprovam. 16 É o que vai acontecer no dia em que Deus, segundo o meu Evangelho, for julgar, por meio de Jesus Cristo, o comportamento secreto dos homens. Rm 2:12-16, Pastoral 3. Leia 1 Coríntios 6:9-11 e Apocalipse 22:14, 15. Quem entra e quem fica de fora do reino de Deus? Por quê? Qual é o papel da lei nessa questão? Observe o forte contraste entre os dois grupos! 9 Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? 10 Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. 11 E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus. 1 Coríntios 6:9-11, ACF 14 Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas. 15 Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira. Apocalipse 22:14, 15, ACF É fascinante que, ao combinar 1 Coríntios 6:11 com Apocalipse 22:14, você encontra fiéis cristãos justificados no nome do Senhor Jesus Cristo, isto é, eles são justificados pela fé, "independentemente das obras da lei" (Rm 3:28). No entanto, eles também guardam essa lei. "Não é um decreto arbitrário da parte de Deus que veda o Céu aos ímpios; estes são excluídos por sua própria inaptidão para dele participar. A glória de Deus lhes seria um fogo consumidor. Prefeririam a destruição, para ser escondidos da face dAquele que Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  4. 4. morreu para os redimir" (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 18). Como essas palavras nos ajudam a entender o assunto doloroso do destino dos perdidos? Quarta - O reino eterno Ano Bíblico: Sl 62–67 Deus criou um mundo perfeito. O pecado entrou, e esse mundo perfeito ficou severamente deteriorado. A história da redenção nos diz que Jesus entrou na história humana para que, entre outras coisas, a perfeição original fosse restaurada. Os redimidos viverão em um mundo perfeito, onde o amor reina supremo. Como vimos, o amor só pode existir em um Universo moral, somente em um Universo com seres morais, e, para que sejam morais, eles também precisam ser livres. Isso leva à questão: Poderia o mal surgir de novo? 4. Com base em Daniel 7:27, João 3:16 e Apocalipse 21:4, responda: O mal se levantará de novo? Qual é o significado do termo eterno? “O reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será reino eterno, e todos os domínios o servirão e lhe obedecerão.” Daniel 7:27, RA “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16, RA “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.” Apocalipse 21:4, RA Quando Deus criou o Universo, havia condições associadas à sua estabilidade. Isso é mais evidente em Gênesis 2:17, em que Adão foi avisado de que a violação da ordem expressa de Deus resultaria em morte. A simples menção da morte indica que o conceito de eternidade a partir de uma perspectiva humana era condicional. Adão experimentaria vida eterna somente se permanecesse fiel a Deus. No entanto, na Terra recriada, a morte não mais será uma realidade, o que significa que viveremos para sempre. Será o cumprimento das muitas promessas das Escrituras. A possibilidade de que ocorra a rebelião é um ponto discutível. Mas, de acordo com a Bíblia, ela não ocorrerá. Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. Gn 2:17, ACF 5. Leia Jeremias 31:31-34. Que princípio vemos nesse texto que esclarece por que o mal não surgirá novamente? 31 Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá. 32 Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porque eles invalidaram a minha aliança apesar de eu os haver desposado, diz o SENHOR. 33 Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o SENHOR: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. 34 E não ensinará mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao SENHOR; porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados. Jr 31:31-34, ACF O reino messiânico será formado por pessoas que permaneceram leais a Deus durante toda a sua experiência religiosa. Em face de perseguição e conflitos pessoais, eles escolheram o caminho da obediência e demonstraram vontade de dedicar a vida ao serviço divino. Deus promete inscrever Sua lei no coração delas para que elas façam naturalmente as coisas agradáveis a Ele. No reino de Cristo, o pecado será totalmente superado, e a justiça reinará suprema. Quinta - A lei no reino Ano Bíblico: Sl 68–71 Entre as duras consequências do pecado, a morte tem sido a mais persistente. O pecado pode ser vencido, Satanás pode ser resistido, mas, com apenas duas exceções conhecidas dentre bilhões de pessoas (Enoque e Elias), quem escapou da morte? Um antigo filósofo escreveu: "Quando se trata da morte, nós seres humanos vivemos todos em uma cidade sem muros." Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  5. 5. 6. Que mensagem encontramos em Apocalipse 20:14 e 1 Coríntios 15:26? “Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo.” Apocalipse 20:14, RA “O último inimigo a ser destruído é a morte.” 1 Coríntios 15:26, RA Com o poder atribuído à morte, não é de admirar que pouco antes de Cristo estabelecer o reino messiânico na Terra, Ele destruirá totalmente a morte. Não há dúvida de que a morte está relacionada com o pecado, o que significa que ela também está relacionada com a lei de Deus, porque o pecado é a transgressão da lei de Deus. Consequentemente, não pode haver pecado sem a lei. Embora o pecado dependa da lei, a lei é independente do pecado. Ou seja, a lei pode existir sem o pecado. Na verdade, isso ocorreu durante todas as eras até que Lúcifer se rebelou no Céu. "Quando Satanás se rebelou contra a lei de Jeová, a ideia de que existia uma lei ocorreu aos anjos quase como o despertar para uma coisa em que não se havia pensado. Em seu ministério, os anjos não são como servos, mas como filhos. Existe perfeita unidade entre eles e seu Criador" (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 109). Com isso em mente, a ausência da morte e do pecado no reino de Deus não exige a ausência da lei. Assim como a lei da gravidade é necessária para a interação harmoniosa entre os elementos físicos do Universo, a lei moral de Deus é necessária para governar a justa interação entre os santos. Quando Deus inscreve Sua lei no coração dos redimidos, Seu único propósito é selar a decisão deles de andar no caminho da justiça pela eternidade. Consequentemente, Sua lei se torna a própria essência do Seu reino. Então, temos todas as razões para acreditar que os princípios da lei moral de Deus existirão no reino eterno de Deus. A diferença é que esses princípios jamais serão violados ali, como aconteceu no mundo de pecado. Tente imaginar o ambiente perfeito do Céu: sem natureza caída, sem diabo para nos tentar, sem pecado e sem morte. Medite: O que em sua vida e em seu caráter não se ajusta a esse ambiente eterno? Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Sl 72–77 Leia, de Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 307-319: "Diante do Supremo Tribunal". "Satanás havia declarado que era impossível ao homem obedecer aos mandamentos de Deus; e é verdade que por nossa própria força não lhes podemos obedecer. Cristo, porém, veio na forma humana, e por Sua perfeita obediência provou que a humanidade e a divindade combinadas podem obedecer a todos os preceitos de Deus. [...] "A vida de Cristo na Terra foi uma expressão perfeita da lei de Deus, e quando os que professam ser Seus filhos se tornarem semelhantes a Cristo no caráter, obedecerão aos mandamentos de Deus. Então o Senhor acreditará que eles fazem parte do grupo que formará a família do Céu. Trajados com as vestes gloriosas da justiça de Cristo, participarão da ceia do Rei. […]" (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 314, 315). Perguntas para reflexão 1. De que forma tanto a lei quanto a graça são reveladas na citação acima? Por que é importante entender as duas juntas? O que acontece quando esses conceitos são ensinados de modo isolado? 2. Steve Jobs afirmou que o espectro da morte deve nos levar a realizar tudo o que pudermos enquanto estamos no mundo. Embora haja alguma verdade nessa ideia, ela não é suficiente, porque não resolve o problema da morte e seus efeitos sobre o sentido da vida. De fato, após a morte de Jobs, a capa da revista The New Yorker retratou São Pedro, com um iPad na mão, registrando a entrada de Steve Jobs pelas portas de pérola. Embora isso possa ser simpático, que lição podemos aprender com o fato de que no Céu não haverá iPads nem qualquer coisa que Steve Jobs tenha criado na Terra? 3. Quais coisas estão na Terra e durarão para sempre? Quais coisas deixarão de existir? Por que é importante saber a diferença entre elas? Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  6. 6. Respostas sugestivas: 1. Satanás é o príncipe da potestade do ar, o espírito que atua nos filhos da desobediência, o deus deste século. Ele se apossou dos reinos do mundo. 2. Como forasteiros e peregrinos neste mundo, devemos lutar contra as paixões carnais. Somos chamados a viver pela fé. Sem Cristo, ficamos separados da comunidade de Israel. Deus nos liberta do reino das trevas e nos transporta para o reino de Seu Filho. Devemos escolher entre a vida e a morte, entre a bênção e a maldição. Não podemos servir a dois senhores. Os cidadãos do reino de Deus guardam Seus mandamentos. 3. Não entram aqueles que vivem em desobediência à lei de Deus: injustos, impuros, idólatras, adúlteros, efeminados, sodomitas, ladrões, avarentos, bêbados, maldizentes, trapaceiros, feiticeiros, assassinos, idólatras e mentirosos. Entram os que guardam os mandamentos: são lavados, santificados e justificados no nome de Jesus Cristo e no Espírito de Deus. Eles têm direito à árvore da vida. 4. Não. Os santos reinarão para sempre. Portanto, o reino será sempre santo, sem pecado, morte, lágrimas nem dor. 5. Na nova aliança em Cristo, Deus escreverá Sua lei no coração dos que aceitarem Seu perdão e graça. Na vinda de Cristo, os que tiverem a lei no coração se tornarão imortais e incorruptíveis. Dessa forma, os princípios da lei ficarão cristalizados na mente dos salvos e o mal não mais existirá. 6. O último inimigo a ser vencido é a morte e ela não mais existirá. Auxiliar - Resumo Discipulado Texto-chave: Apocalipse 14:12 O aluno deverá: Saber: Que o pecado e a morte serão destruídos. Sentir: Esperar alegremente pela Nova Terra. Fazer: Resolver se dedicar totalmente ao reino de Deus. Esboço I. Saber: A morte será destruída A. Por que o amor só pode existir em um universo moral? B. Por que Jesus não tomou o caminho fácil para alcançar o domínio da Terra, prostrando-Se diante de Satanás (Mt 4:8)? C. Como a lei de Deus se relaciona diretamente com Sua justiça? D. Por que o mal nunca mais surgirá novamente depois que Deus destruir o pecado? II. Sentir: Nossa grande esperança A. Como podemos nos sentir parte da nossa comunidade e ainda não ser do mundo (Jo 17:14)? B. Como novos cidadãos no reino de Deus, devemos ser leais a Ele. Como vamos demonstrar nossa fidelidade? C. À medida que lutamos com o pecado e a morte, consequências da transgressão da lei de Deus, como podemos manter uma atitude de esperança? III. Fazer: Nosso compromisso de fidelidade A. Por que não podemos ter dupla cidadania no grande conflito entre o reino de Deus e o reino do mal? B. Como o foco no Céu pode nos tornar mais preparados para ter uma vida significativa e ser cidadãos melhores aqui e agora? C. O que acontece com nossa vida espiritual se enfatizamos a lei acima da graça ou a graça acima da lei? Resumo: Deus estabelecerá um novo e eterno mundo, no qual todos os resultados da transgressão da Sua Lei deixarão de existir. Cada um de nós é chamado a aceitar a oferta de cidadania do reino de Deus. Ciclo do Aprendizado Motivação Focalizando as Escrituras: Daniel 2:44 Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  7. 7. Conceito-chave para o crescimento espiritual: Espiritualmente, não podemos ficar em cima do muro. É impossível uma pessoa ser fiel a Deus e a Satanás ao mesmo tempo. Todos temos que escolher o reino ao qual demonstraremos nossa lealdade. Somente para o professor: A questão da validade da lei de Deus não é um problema que enfrentamos apenas hoje em dia. O pecado começou com Satanás questionando o caráter de Deus refletido em Sua lei. Assim, o pecado entrou em nosso mundo perfeito e o arruinou severamente. Jesus entrou na história humana para nos salvar e restaurar. Na Terra recriada, a lei de Deus será seguida e o amor reinará supremo. Uma senhora muito tímida conheceu Jesus. Ela não parecia ter grandes talentos para dedicar a Deus. Então, discretamente ela encontrou seu lugar na igreja e serviu fielmente sempre organizando as refeições comunitárias da igreja. Muitos anos depois, ela contraiu uma doença grave e foi internada no hospital. Quando o pastor foi visitá-la, ela lhe disse que estava pronta para morrer. Seus olhos brilhavam enquanto ela lhe dizia como desejava ver Jesus voltando para acordá-la. Queria compartilhar com outros sua esperança. Ela pediu ao pastor que, quando as pessoas fossem para seu velório, sua Bíblia fosse colocada na sua mão esquerda e, em sua mão direita, ela queria um garfo de plástico. O pastor podia entender o porquê de seu pedido em relação à Bíblia, mas por que o garfo de plástico? "Pastor, tenho ajudado nas refeições promovidas pela igreja por muitos anos. Semana após semana, tenho lembrado as pessoas a guardar seus garfos para a sobremesa. Quando eles virem o garfo, perguntarão e, em resposta, diga-lhes que eu desejo que todos saibam que o melhor ainda está por vir!" Neste trimestre, após estudarmos a lei de Deus e a maravilhosa graça, devemos nos lembrar de manter os olhos no quadro maior. O pecado e a morte não terão a última palavra. Como adventistas do sétimo dia, temos o privilégio de dizer ao mundo que o melhor ainda está por vir no mundo perfeito e recriado. Atividade de abertura Por que nos lembramos de pessoas como Johann Sebastian Bach, Thomas Edison, Steve Jobs, Napoleão e Madre Teresa? Pelo que você gostaria de ser lembrado? Por quê? Comente com a classe: Seria possível ser tão "dedicado às coisas espirituais" a ponto de sermos inúteis na Terra"? Comentário Bíblico A criação humana não começou realmente em Gênesis 1, mas sim quando Deus, impelido pelo amor para com as criaturas ainda não criadas, concebeu um planeta belo e exuberante, habitado por seres que refletissem de maneira especial a imagem e semelhança de seu Criador. Essa criação foi fundamentada na lei de Deus que rege o Universo. Essa lei significa vida, ordem, beleza e criatividade, e seu fundamento era o amor de Deus – Pai, Filho e Espírito – porque só o amor pode imaginar um mundo tão maravilhoso. I. Dimensões cósmicas (Recapitule com a classe Is 14:12-19; Ez 28:12-20.) Infelizmente, essa não é uma história descrita com as seguintes palavras: "E viveram felizes para sempre", porque desconfiança, dúvida e inveja, de alguma forma entraram no reino celestial. Apocalipse 12 descreve a rebelião liderada por alguém que já havia sido conhecido como Lúcifer (Is 14:12-19; compare com a descrição de Ez 28:12-20), que queria estar acima das estrelas de Deus e ser como o Altíssimo. A ambição levou um ser criado a duvidar dos motivos divinos expressos na lei divina. Essa dúvida foi introduzida no mundo perfeito – no qual havia apenas uma "imperfeição": os seres criados por Deus não eram semelhantes a robôs; tinham sido dotados com a liberdade para tomar decisões. Na fala da serpente, "vemos a deturpação se tornando desconfiança, a desconfiança se transformando em alienação e a alienação se tornando medo (Gn 3:1, 6, 8, 10)" (Sigve K. Tonstad, The Lost Meaning of the Seventh Day [O Significado Perdido do Sétimo Dia]; Berrien Springs, Michigan: Andrews University Press, 2009, p. 464). Apocalipse 12 descreve, no contexto de uma guerra cósmica, como a dúvida de Lúcifer havia infectado outros membros da família cósmica, e agora a humanidade tinha caído na mesma armadilha. Pense nisto: Comente com a classe as implicações da criação dos seres humanos com a capacidade de escolher. O que isso diz sobre o Criador? O que isso diz sobre as leis estabelecidas por Ele? Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  8. 8. II. Plano de Deus – Não uma ideia posterior (Recapitule com a classe 1Jo 3:8; Jo 8:44.) No entanto, durante todo o tempo Deus tinha um plano, mesmo sabendo, como Ser onisciente, o fim desde o princípio. Deus, no Filho, ofereceria a Si mesmo como sacrifício, e mais uma vez ofereceria oportunidade para todos. Os seres humanos poderiam novamente escolher, algo que se expressa repetidamente no chamado divino, por meio dos profetas e outros, para escolher Deus em lugar de Baal (ou em lugar do dinheiro, prazeres, etc.). As disputas dentro do conflito cósmico que se desdobrou envolveram questões a respeito da integridade de Deus. Em 1 João 3:8 está escrito: "Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive pecando desde o princípio. Para isto Se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo." Um diabo que pecou no princípio pressupõe um sistema de leis que já existiam durante a rebelião no Céu. Mas, além da questão da transgressão de uma lei divina, é preciso considerar a questão do questionamento acerca do caráter de Deus, que se reflete igualmente nas insinuantes observações da serpente para Eva em Gênesis 3. Em João 8:44 encontramos a descrição do arqui-inimigo de Jesus: "Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira." A descrição de Satanás envolve homicídio e mentira – sendo que ambos são transgressões da lei moral de Deus. Pense nisto: Por que é importante saber que a salvação não foi uma ideia posterior ou apenas uma resposta divina a uma emergência? III. Deus pode ser justo e ao mesmo tempo misericordioso? (Recapitule com a classe Ap 12:10; Zc 3:1-5; Jó 1.) Outra questão importante no conflito cósmico entre Cristo e Satanás envolveu a relação entre Criador e criatura. Autonomia e independência fazem parte da reivindicação mantida por Lúcifer (Is 14:12-19). A brilhante estrela da manhã quis ser seu próprio mestre e estar no mesmo nível de Deus. Finalmente, a justiça e a misericórdia de Deus foram ameaçadas quando Satanás desafiou a Trindade no Céu. Uma vez que Satanás está constantemente acusando o povo de Deus (Ap 12:10; Zc 3:1-5; Compare com Jó 1), a questão da justiça divina precisa ser compreendida nesse conflito. Deus é realmente justo? Tem Ele favoritos? Como funciona a salvação? Como pode Ele perdoar um pecador, transgressor de Sua lei? Durante todo o trimestre estudamos diferentes aspectos da iniciativa de Deus para responder a essas questões de uma vez por todas. A primeira promessa, feita a Adão e Eva, apontou para Aquele que esmagaria a cabeça da serpente. Os sacrifícios e rituais no santuário terrestre serviram de lições práticas do plano divino. Os profetas de todo o período do Antigo Testamento falaram sobre o Messias e acrescentaram outras peças ao quebra-cabeça que resultaria em um quadro maior. Finalmente, a Palavra criadora que tinha trazido o planeta à existência Se fez carne e acampou entre nós. Jesus demonstrou tanto a gravidade do pecado quanto a maravilha do plano divino de salvação. Seu exemplo serviu para exaltar a lei e o caráter de Deus. Sua pregação apontou os princípios do reino que são distintos daqueles adotados pelo caído Lúcifer. Seu sacrifício pagou o preço pelos nossos pecados – uma vítima inocente foi morta e resgatou o culpado, que precisava confiar inteiramente nesse sacrifício. Embora o grande conflito ainda não tenha acabado, a vitória é certa. A lei de Deus e Seu caráter foram vindicados pelo próprio Deus, que demonstrou sua viabilidade e Se dispôs a pagar o preço da transgressão. Pense nisto: Como o grande conflito cósmico acontece em sua vida? Aplicação Perguntas para reflexão 1. Que acusação sobre a lei de Deus Satanás lançou no Céu? Como Jesus a refutou? 2. Como Satanás conseguiu se apresentar no Céu como representante da Terra? 3. Como toda a humanidade foi exposta aos princípios básicos da lei de Deus? Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  9. 9. 4. Qual é a precisão do segundo capítulo de Daniel em descrever as realidades políticas e econômicas atuais da Europa? 5. Alguns ensinam que, porque Deus é amor, Ele acabará aceitando a todos no Céu. A Bíblia, porém, ensina que os ímpios serão excluídos dali. O que os desqualifica para o Céu? Perguntas de aplicação 1. O que acontece quando enfatizamos a lei em detrimento da graça, ou vice-versa? Quais efeitos práticos isso traz sobre nossa vida? 2. Um imigrante é obrigado a seguir as leis de seu novo país. Como isso se relaciona com o cristão e a lei de Deus? 3. De que modo podemos viver como "estrangeiros e peregrinos aqui" e ainda sermos o "sal da Terra", enquanto impactamos o mundo nas questões sociais, econômicas e políticas? Criatividade e Atividades práticas O Céu é frequentemente retratado na cultura contemporânea como um lugar em que todos usaremos roupas brancas e passaremos a eternidade sentados em nuvens branca e macias, dedilhando uma pequena harpa. Nada poderia estar mais longe da verdade. Passe alguns momentos compartilhando como você imagina que será o Céu. Como o fato de que lá não haverá pecado e morte afetará sua vida? O que você está aguardando com mais expectativa? Planejando atividades: O que sua classe de Escola Sabatina pode fazer, na próxima semana, como resposta ao estudo da lição? É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização da Casa Publicadora Brasileira. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html

×