Chorem e gritem!_1042014_GGR

290 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em negrito e sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
290
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Chorem e gritem!_1042014_GGR

  1. 1. Lições Adultos Carta de Tiago Lição 10 - Chorem e gritem! 29 de novembro a 6 de dezembro Sábado - “Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração”. Mt 6:21. "Não ajunteis tesouros na Terra." Mat. 6:19. “Jesus disse: "Ajuntai para vós outros tesouros no Céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração." Mat. 6:20- 21. A instrução é: "Ajuntai para vós outros tesouros no Céu." Mat. 6:20. É para o vosso próprio interesse assegurar as riquezas celestes. Estas apenas, de tudo quanto possuis, são realmente vossas. O tesouro acumulado no Céu é imperecível. Nenhum incêndio ou inundação o pode destruir, ladrão algum o pode arrebatar, nenhuma traça ou ferrugem corrompê-lo; pois se encontra sob a guarda de Deus. Este tesouro, que Cristo considera precioso acima de toda estimação, são "as riquezas da glória da Sua herança nos santos". Efés. 1:18. Os discípulos de Cristo são chamados Suas jóias, Seu precioso e peculiar tesouro. Ele diz: "Como as pedras de uma coroa, eles serão." Zac. 9:16. "Farei que um homem seja mais precioso do que o ouro puro e mais raro do que o ouro fino de Ofir." Isa. 13:12. Cristo considera Seu povo, em sua pureza e perfeição, como a recompensa de todos os Seus sofrimentos, Sua humilhação, Seu amor e como o suplemento de Sua glória - Cristo, o grande Centro de onde toda a glória irradia. E é-nos permitido unir-nos com Ele na grande obra da redenção, e ser participantes com Ele nas riquezas que Sua morte e sofrimento conquistaram. O apóstolo Paulo escreveu aos cristãos tessalonicenses: "Qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura, não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em Sua vinda? Na verdade, vós sois a nossa glória e gozo." I Tess. 2:19 e 20. Este é o tesouro pelo qual Cristo nos pede trabalhar. O caráter é a grande colheita da vida. E toda palavra ou ato que, mediante a graça de Cristo, suscita em uma alma um impulso em direção ao Céu, todo esforço que tende à formação de um caráter cristão, é depositar tesouro no Céu. Onde se acha o tesouro, aí estará também o coração. Em todo esforço para beneficiar a outros, beneficiamo-nos a nós mesmos. Aquele que dá dinheiro ou tempo para a disseminação do evangelho, empenha seu próprio interesse e suas orações em prol da obra e das almas a serem conquistadas por meio dele; suas afeições dilatam-se para outros, e ele é estimulado a maior devoção para com Deus, a fim de ser habilitado a fazer-lhes maior bem. E no dia final, quando a riqueza da Terra vier a perecer, o que acumulou tesouro no Céu contemplará aquilo que foi ganho pela sua vida. Se demos ouvidos às palavras de Cristo, então, ao reunir-nos em torno do grande trono branco, veremos almas que foram salvas por nosso intermédio, e saberemos que uma salvou a outras, e estas ainda outras - um grande grupo levado ao porto de descanso em resultado de nossos labores, para aí depositar suas coroas aos pés de Jesus, e louvá-Lo através dos séculos da eternidade. Com que alegria há de o obreiro de Cristo contemplar esses remidos, que partilham da glória do Redentor! Quão precioso será o Céu para aqueles que houverem sido fiéis na obra de salvar almas! "Se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus." Col. 3:1.” O Maior Discurso de Cristo, 88-91. Mas ajuntai para vós outros tesouros no Céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração. Mat. 6:20 e 21. Aí se descreve o valor das riquezas eternas, em contraste com os tesouros terrenos. Se o desígnio de vossa vida é juntar tesouros no Céu, erguer-vos-eis acima da influência baixa, sórdida, desmoralizadora de um desejo desordenado de obter riquezas nesta vida. Entesourar no Céu dará nobreza ao caráter; fortalecerá a beneficência, estimulará a misericórdia; cultivará o compassivo interesse, a bondade fraternal e a caridade. Unirá a vida do homem com Cristo por laços indissolúveis. Podeis juntar tesouros no Céu sendo ricos de boas obras - ricos nas coisas espirituais, imperecíveis. Review and Herald, 18 de setembro de 1888. rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  2. 2. Domingo - A justiça será feita! Ano Bíblico: Gl 1–3 Ap 3:17-18, (ACF); 17 Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; 18 Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. 1. Às vezes, é difícil entender por que algumas pessoas prosperam explorando os pobres e, ainda pior, por que elas parecem ficar impunes! Leia o Salmo 73:3-19. Que esperança é encontrada nesses versos em relação a esse problema permanente? Sl 73:3-19, 28 (ACF); 3 Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios. 4 Porque não há apertos na sua morte, mas firme está a sua força. 5 Não se acham em trabalhos como outros homens, nem são afligidos como outros homens. 6 Por isso a soberba os cerca como um colar; vestem-se de violência como de adorno. 7 Os olhos deles estão inchados de gordura; eles têm mais do que o coração podia desejar. 8 São corrompidos e tratam maliciosamente de opressão; falam arrogantemente. 9 Põem as suas bocas contra os céus, e as suas línguas andam pela terra. 10 Por isso o povo dele volta aqui, e águas de copo cheio se lhes espremem. 11 E eles dizem: Como o sabe Deus? Há conhecimento no Altíssimo? 12 Eis que estes são ímpios, e prosperam no mundo; aumentam em riquezas. 13 Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração; e lavei as minhas mãos na inocência. 14 Pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã. 15 Se eu dissesse: Falarei assim; eis que ofenderia a geração de teus filhos. 16 Quando pensava em entender isto, foi para mim muito doloroso; 17 Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles. 18 Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lanças em destruição. 19 Como caem na desolação, quase num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores... 28 Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; ponho a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as suas obras. Tg 5:1-2, (ACF); 1 Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir. 2 As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. Ao ver que transgressores e pecadores também recebiam favores e bênçãos, enquanto aqueles que realmente amavam a Deus eram cercados por dificuldades e perplexidades que o pecador declarado não enfrentava, pensou que os caminhos de Deus não eram justos. ... "Eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos. ... [Não] são afligidos como os outros homens." Sal. 73:3-5. Davi não pôde entender isso até entrar no santuário de Deus, quando, então, diz ele: "Atinei com o fim deles." "Tu certamente os pões em lugares escorregadios, e os fazes cair na destruição. ... Quanto a mim, bom é estar junto a Deus." Sal. 73:17, 18 e 28. Manuscrito 4, 1896. Hc 2:2-4, (ACF); 2 Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas, para que a possa ler quem passa correndo. 3 Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-o, porque certamente virá, não tardará. 4 Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá. Segunda - Quando a riqueza se torna inútil Ano Bíblico: Gl 4–6 2. Leia Tiago 5:2, 3. Qual é a advertência de Tiago? Embora suas palavras sejam muito fortes, sobre que tipo de riqueza ele estava falando? Qual é sua mensagem básica? Tg 5:2-3, (VIVA); 2 A riqueza de vocês agora mesmo está apodrecendo e suas roupas luxuosas estão se tornando trapos comidos pelas traças. 3 O valor do seu ouro e da sua prata está caindo depressa, além do que isso ficará como uma prova contra vocês, e lhes comerá a carne como fogo. Foi isso que vocês amontoaram para vocês mesmos, para recebê-la naquele dia vindouro de julgamento. Homens há, nas fileiras dos observadores do sábado, que se estão agarrando firmemente aos seus tesouros terrestres. Estes são o seu deus, seu ídolo; e eles amam seu dinheiro, fazendas, gado, e sua mercadoria mais do que a seu Salvador, que por amor de vós Se fez pobre, para que pela Sua pobreza enriquecêsseis. Exaltam seus tesouros terrenos, considerando-os de maior valor que a alma dos homens. Dir-se-á a tais pessoas: "Bem está"? Não; nunca. A irrevogável sentença, "Apartai-vos", ferir-lhes-á os assustados sentidos. Cristo não Se pode deles servir. Têm sido servos indolentes, acumulando os rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  3. 3. meios que Deus lhes deu, enquanto seus semelhantes perecem na escuridão e no erro. Review and Herald, 14 de março de 1878. O dinheiro é de grande valor, porque pode realizar grande bem. Nas mãos dos filhos de Deus é alimento para o faminto, água para o sedento, vestido para o nu. É proteção para o opresso, e meio para socorrer o enfermo. Mas o dinheiro não é de mais valor que a areia, a não ser que o empreguemos para prover as necessidades da vida, para bênção de outros, e para o desenvolvimento da obra de Cristo. Riqueza acumulada não é somente inútil, como uma maldição. Nesta vida é uma armadilha para a pessoa, por desviar as afeições do tesouro celeste. No grande dia de Deus seu testemunho contra os talentos não usados e as oportunidades negligenciadas, condenará o seu possuidor. Parábolas de Jesus, p. 351, 352. 3. Considere as seguintes pessoas e descreva o efeito que a riqueza (ou a falta dela) teve sobre elas: 1. Nabal (1Sm 25:2-11) 2. Ezequias (2Rs 20:12-19) 3. Pedro (At 3:1-10) Quando Davi fugia da face de Saul, acampou-se perto das propriedades de Nabal e protegeu os rebanhos e pastores desse homem de toda depredação, enquanto se encontrava no Carmelo. Num momento de necessidade, enviou Davi mensageiros a Nabal com uma cortês mensagem, solicitando alimento para si e seus homens, e Nabal respondeu com insolência, retribuindo o bem com o mal e recusando-se a partilhar com o próximo a sua fartura. … Nabal acusou falsamente a Davi e seus homens para justificar seu egoísmo, e classificou Davi e seus seguidores como escravos fugitivos. Manuscrito 17, 1891 (Manuscript Releases, vol. 21, p. 213. Embora Nabal tivesse repelido a companhia de Davi e seus homens necessitados, nessa mesma noite fez uma extravagante festa para si e seus ruidosos amigos, e entregou-se a comer e beber até que se afundou no estupor da embriaguez. Manuscrito 17, 1891. Nabal não se preocupava em gastar uma quantidade extravagante de sua riqueza para condescender consigo mesmo e glorificar-se; mas parecia-lhe demasiado penoso conceder uma compensação que nem chegaria a sentir falta aos homens que tinham sido como um muro para suas ovelhas e rebanhos. Nabal era como o homem rico da parábola. Ele tinha um só pensamento: usar os dons de Deus para satisfazer a seus apetites egoístas e animalescos. Não possuía um só pensamento de gratidão para com o Doador. Não era rico para com Deus, pois os tesouros eternos não tinham qualquer atrativo para ele. A vida presente de luxo, de lucro, era a única coisa que absorvia o seu pensamento. Isto era o seu deus. SDA Bible Commentary, vol. 2, págs. 1.021 e 1.022. Terça - O clamor dos pobres Ano Bíblico: Ef 1–3 4. “Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando” (Tg 5:4). Compare com Levítico 19:13; Deuteronômio 24:14, 15; Jeremias 22:13. Que princípio importante aprendemos nesses textos em relação à nossa maneira de lidar com os outros? Lv 19:13, (ACF); 13 Não oprimirás o teu próximo, nem o roubarás; a paga do diarista não ficará contigo até pela manhã. Dt 24:14-15, (ACF);14 Não oprimirás o diarista pobre e necessitado de teus irmãos, ou de teus estrangeiros, que está na tua terra e nas tuas portas. 15 No seu dia lhe pagarás a sua diária, e o sol não se porá sobre isso; porquanto pobre é, e sua vida depende disso; para que não clame contra ti ao SENHOR, e haja em ti pecado. Jr 22:13, (ACF); 13 Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça, e os seus aposentos sem direito, que se serve do serviço do seu próximo sem remunerá-lo, e não lhe dá o salário do seu trabalho. As Sagradas Escrituras descrevem as condições do mundo, justamente antes da segunda vinda de Cristo. O apóstolo Tiago descreve-nos a cobiça e a opressão que hão de prevalecer. Diz ele: "Eia, pois, agora rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  4. 4. vós, ricos. ... Entesourastes para os últimos dias. Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras e que por vós foi diminuído clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Deliciosamente, vivestes sobre a Terra, e vos deleitastes, e cevastes o vosso coração, como num dia de matança. Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu." Tia. 5:1, 3-6. É este o quadro das condições modernas. Exercendo os homens opressão e extorsão de toda espécie, acumulam fortunas colossais, enquanto sobem a Deus os clamores da humanidade abatida. "Pelo que o juízo se tornou atrás, e a justiça se pôs longe, porque a verdade anda tropeçando pelas ruas, e a equidade não pode entrar. Sim, a verdade desfalece, e quem se desvia do mal arrisca-se a ser despojado." Isa. 59:14 e 15. Isso se cumpriu na vida de Cristo na Terra. Foi leal aos mandamentos de Deus, pondo de parte tradições e exigências humanas que tinham sido elevadas ao primeiro plano. Por esse motivo foi odiado e perseguido. A história repete-se. Leis e tradições de homens são exaltadas acima da lei de Deus, e quem é fiel aos mandamentos de Deus sofre vexame e perseguição. Por Sua fidelidade a Deus, Cristo foi incriminado de ser transgressor do sábado e blasfemo. Diziam que estava possuído do diabo, e foi denunciado como Belzebu. Da mesma maneira serão acusados Seus seguidores e expostos em uma falsa luz. Satanás espera, por esse meio, induzi-los a pecar e desonrar a Deus. Parábolas de Jesus, 170-171. “As riquezas trazem consigo grandes responsabilidades. Obtê-las mediante comércio injusto, ludibriando nos negócios, oprimindo as viúvas e os órfãos, ou acumulando bens e negligenciando as necessidades dos pobres, trará finalmente a justa retribuição descrita pelo inspirado apóstolo: “Agora, ricos, escutem! Chorem e gritem pelas desgraças que vocês vão sofrer!” Tg 5:1. NTLH. Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 682. Como você lida com as pessoas quando se trata de dinheiro? O que o seu comportamento diz sobre seu cristianismo e sobre o quanto você reflete o caráter de Cristo? Quarta - Fartos e felizes (por enquanto) Ano Bíblico: Ef 4–6 5. “Tendes vivido regaladamente sobre a Terra; tendes vivido nos prazeres; tendes engordado o vosso coração, em dia de matança”. Tg 5:5. (ver Ez 16:49 e Am 4:1). O que essas passagens ligam à satisfação luxuosa? Ez 16:49, (ACF); 49 Eis que esta foi a iniquidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e abundância de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado. Am 4:1-2, (ACF); 1 Ouvi esta palavra vós, vacas de Basã, que estais no monte de Samaria, que oprimis aos pobres, que esmagais os necessitados, que dizeis a vossos senhores: Dai cá, e bebamos. A parábola do rico e Lázaro mostra como são avaliadas as duas classes representadas por estes homens no mundo invisível. Não é pecado ser rico, se a riqueza não for alcançada por injustiça. Um rico não é condenado por possuir riquezas; mas a condenação sobre ele paira se os meios a ele confiados forem despendidos de forma egoísta. Muito melhor faria, se depositasse seu dinheiro ao lado do trono de Deus, usando-o para fazer o bem. A morte não empobrecerá ninguém que assim se devote a procurar riquezas eternas. Mas, o homem que acumula dinheiro para si, nada poderá levar aos Céus; demonstrou-se um mordomo infiel. Durante a vida teve boas coisas; mas esqueceu-se do dever para com Deus; deixou de assegurar-se o tesouro celeste. O rico que teve tantos privilégios nos é apresentado como alguém que deveria haver cultivado seus dons de modo que suas obras atingissem o grande além, levando consigo as aperfeiçoadas vantagens espirituais. É propósito da redenção não somente extirpar o pecado, mas restituir ao homem os dons espirituais perdidos pelo poder atrofiante do pecado. Dinheiro não pode ser introduzido na vida futura; ele não é necessário lá; mas as boas obras feitas para conquistar almas para Cristo, são levadas às mansões celestes. Mas os que desperdiçam de forma egoísta as dádivas do Senhor, que deixam seus semelhantes sem auxílio, e nada fazem para a promoção da obra de Deus neste mundo, desonram seu Criador. Roubo a Deus está escrito junto a seus nomes nos livros do Céu. O rico tinha tudo quanto podia ser adquirido por dinheiro; mas não as riquezas que teriam conservado sua conta justa com Deus. Vivera como se tudo quanto possuía lhe pertencesse. Desdenhou o apelo de Deus e o clamor do pobre sofredor. Mas finalmente lhe chega um convite a que não pode deixar de atender. Por um poder que não pode questionar nem resistir, lhe é ordenado que entregue os bens de que rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  5. 5. não será mais mordomo. O homem que fora rico está reduzido a uma pobreza desesperadora. As vestes da justiça de Cristo, tecidas no tear do Céu, jamais podem cobri-lo. Ele, que uma vez usara a mais rica púrpura, o mais fino linho, está reduzido à nudez. Sua oportunidade findou. Nada trouxe ao mundo, e nada pode levar dele. Cristo levantou a cortina e apresentou este quadro aos sacerdotes e maiorais, escribas e fariseus. Olhai-o vós que sois ricos nos bens deste mundo, e não sois ricos para com Deus. Não quereis contemplar esta cena? O que é mais estimável entre os homens é abominável à vista de Deus. Cristo diz: "Pois que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Ou que daria o homem pelo resgate da sua alma?" Mar. 8:36 e 37. Parábolas de Jesus, 266-267. Quinta - Culpando a vítima Ano Bíblico: Filipenses 6. Leia a última frase de Tiago 5:6. Devemos deixar que as pessoas nos pisem? Quantas brigas você já teria evitado se não tivesse oferecido resistência? Tg 5:6, (JFA-RA); 6 tendes condenado e matado o justo, sem que ele vos faça resistência. 1Jo 3:15-16, (JFA-RC); 15 Qualquer que aborrece a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanente nele a vida eterna. 16 Conhecemos a caridade nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. Mt 5:21-26, (NVI); 21 "Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’, e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’. 22 Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá’, será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco! ’, corre o risco de ir para o fogo do inferno. 23 "Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, 24 deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta. 25 "Entre em acordo depressa com seu adversário que pretende levá-lo ao tribunal. Faça isso enquanto ainda estiver com ele a caminho, pois, caso contrário, ele poderá entregá-lo ao juiz, e o juiz ao guarda, e você poderá ser jogado na prisão. 26 Eu lhe garanto que você não sairá de lá enquanto não pagar o último centavo". "O amor do dinheiro é a raiz de todo o mal." I Tim. 6:10. Nesta geração, o desejo de ganho é paixão absorvente. A riqueza é muitas vezes obtida pela fraude. Há multidões lutando com a pobreza, sendo compelidos a trabalhar arduamente por pequeno salário, incapazes de assegurarem ganho para as menores necessidades da vida. Fadiga e privação, sem qualquer esperança de coisas melhores, tornam pesado o seu fardo. Atormentados e oprimidos, não sabem para onde se virar em busca de alívio. E tudo isto para que os ricos possam satisfazer a suas extravagâncias ou condescender com o seu desejo de enriquecimento. O amor do dinheiro e o amor da ostentação têm transformado este mundo num covil de ladrões e criminosos. As Escrituras pintam a ganância e opressão que prevalecerão precisamente antes da segunda vinda de Cristo. "Eia pois agora vós, ricos", escreve Tiago, "entesourastes para os últimos dias. Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Deliciosamente vivestes sobre a Terra, e vos deleitastes; cevastes o vosso coração como num dia de matança. Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu." Tia. 5:1 e 3-6. Mesmo entre os que professam estar andando no temor do Senhor, há alguns que estão agindo outra vez segundo o curso perseguido pelos nobres de Israel. Estando em seu poder proceder assim, eles pedem mais do que é justo, tornando-se opressores. E porque a avareza e perfídia se vêem na vida dos que levam o nome de Cristo, porque a igreja conserva em seus livros os nomes dos que ganharam suas posses pela injustiça, a religião de Cristo é tida em desonra. Extravagância, excessos e extorsões estão corrompendo a fé de muitos, e destruindo sua espiritualidade. A igreja é em grande medida responsável pelos pecados dos seus membros. Ela encoraja o mal se deixa de levantar a voz contra isto. Os costumes do mundo não são norma para o cristão. Ele não deve imitar suas práticas sutis, suas astúcias, suas extorsões. Todo ato injusto para com o próximo é uma violação da regra áurea. Cada erro praticado em relação aos filhos de Deus, é feito ao próprio Cristo na pessoa de Seus santos. rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm
  6. 6. Toda tentativa de tirar vantagem da ignorância, fraqueza ou infortúnio de outrem, é registrada como fraude no livro-razão do Céu. Aquele que sinceramente teme a Deus, preferiria antes labutar dia e noite e comer o pão da pobreza, a condescender com a paixão do ganho que oprima a viúva e o órfão, ou prive o estrangeiro do seu direito. Profetas e Reis, 650-652. 7. O que Jesus quis dizer com “voltar a outra face”? (Mt 5:39). Na prática, como devemos fazer isso? Será que essa é realmente uma questão “prática”? Mt 5:3, (JFA-RC); 3 Bem-aventurados os pobres de espírito (Os que são destituídos de orgulho, presunção, de ódio e vingança), porque deles é o Reino dos céus; Mt 5:39-40, (ACF); 39 Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal (não se vinguem dos que fazem mal a vocês); mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; "Não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra." Mat. 5:39. Surgiam constantemente ocasiões de irritação para os judeus em razão de seu contato com a soldadesca romana. Destacamentos de tropas achavam-se estacionados em vários pontos através da Judéia e da Galileia, e sua presença lembrava aos judeus a própria degradação como um povo. Com amargura ouviam eles o alto soar da trombeta, e viam as tropas formando em torno das bandeiras romanas, curvando-se em homenagem ante este símbolo de seu poder. Frequentes eram os choques entre o povo e os soldados, choques que acendiam o ódio popular. Muitas vezes, quando algum oficial romano ia, apressado, de um lugar para outro, acompanhado de sua guarda, lançava mão dos camponeses judeus que trabalhavam no campo, forçando-os a carregar fardos, montanhas acima ou a prestar outro qualquer serviço de que necessitassem. Isto estava em harmonia com a lei e o costume romanos, e a resistência a exigências desta ordem apenas daria lugar a sarcasmos e crueldades. Dia a dia se aprofundava no coração do povo o anseio de sacudir o jugo romano. Especialmente entre os ousados galileus de rijos pulsos, era predominante o espírito de insurreição. Como cidade fronteiriça, era Cafarnaum sede de uma guarnição, e mesmo enquanto Jesus estava ensinando, a vista de um grupo de soldados evocou a Seus ouvintes a amarga lembrança da humilhação de Israel. O povo olhava ansiosamente para Cristo, esperando que fosse Ele Aquele que houvesse de humilhar o orgulho romano. Foi com tristeza que Jesus contemplou as faces voltadas para Ele. Observava o espírito de vingança que estampara seus maus traços sobre eles, conhecendo quão veementemente ansiava o povo o poder a fim de esmagar seus opressores. Com tristeza, Ele lhes ordena: "Não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra." Mat. 5:39. Estas palavras não eram senão uma reiteração do ensino do Antigo Testamento. É verdade que a regra: "olho por olho, dente por dente" (Lev. 24:20), era uma providência nas leis dadas por intermédio de Moisés; era, porém, um estatuto civil. Ninguém seria justificado em se vingar a si mesmo; pois tinham as palavras do Senhor: "Não digas: Vingar-me-ei." Prov. 20:22. "Não digas: Como ele me fez a mim, assim lhe farei a ele." Prov. 24:29. "Quando cair o teu inimigo, não te alegres." Prov. 24:17. "Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; e, se tiver sede, dá-lhe água para beber." Prov. 25:21. Toda a vida terrestre de Jesus foi uma manifestação deste princípio. Foi para trazer o pão da vida a Seus inimigos, que nosso Salvador deixou Seu lar no Céu. Se bem que se amontoassem sobre Ele calúnias e perseguições desde o berço até à sepultura, estas não Lhe provocaram senão expressões de um amor que perdoa. Por intermédio do profeta Isaías, Ele diz: "As Minhas costas dou aos que Me ferem e a face, aos que me arrancam os cabelos; não escondo a face dos que Me afrontam e me cospem." Isa. 50:6. "Ele foi oprimido, mas não abriu a Sua boca." Isa. 53:7. E, através dos séculos, chega-nos da cruz do Calvário Sua oração pelos que Lhe davam a morte, e a mensagem de esperança ao ladrão moribundo. A presença do Pai circundou a Cristo e nada Lhe sobreveio sem que o infinito amor permitisse, para a bênção do mundo. Aí estava Sua fonte de conforto, e ela existe para nós. Aquele que estiver impregnado do Espírito de Cristo, habita em Cristo. O golpe que lhe é dirigido cai sobre o Salvador, que o circunda com Sua presença. O que quer que lhe aconteça vem de Cristo. Não precisa resistir ao mal, porque Cristo é sua defesa. Nada lhe pode tocar a não ser pela permissão de nosso Senhor; e todas as coisas que são permitidas "contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus". Rom. 8:28. O Maior discurso de Cristo, 69-71. rraammooss@@aaddvviirr..ccoomm

×