Lições Adultos

Discipulado

Lição 4 - Discipulado das crianças

18 a 25 de janeiro

❉ Sábado à tarde - "Vendo os principa...
Está revelado que em sua infância Jesus crescia em sabedoria, que diz respeito ao intelecto, em estatura
referindo ao seu ...
43.
“... Então, Jesus lhe disse: Se, porventura, não virdes sinais e prodígios, de modo nenhum crereis. Rogoulhe o oficial...
❉ Quinta - Aceitando os pequenos

Ano Bíblico: Êx 18–20

5. Leia Marcos 10:13-16. O fato de que Cristo aceitou as crianças...
❉ Sexta - Conclusão:

Ano Bíblico: Êx 21–23

Em Discipulado das crianças, aprendi que …
✰ Domingo - Vantagem da criança he...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Discipulado das crianças_Respostas_412014

696 visualizações

Publicada em

O Objetivo da respostas da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto, eu procuro comentar o mínimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições todas em azul claro, pois se os textos forem realmente objetivos, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
696
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Discipulado das crianças_Respostas_412014

  1. 1. Lições Adultos Discipulado Lição 4 - Discipulado das crianças 18 a 25 de janeiro ❉ Sábado à tarde - "Vendo os principais sacerdotes e os escribas as maravilhas que Jesus fazia e os meninos clamando: Hosana ao Filho de Davi!, indignaram-se e perguntaram-Lhe: Ouves o que estes estão dizendo? Respondeu-lhes Jesus: Sim; nunca lestes: Da boca de pequeninos e crianças de peito tiraste perfeito louvor?." Mt 21:15, 16. Quando Jesus Se aproximava de Jerusalém acompanhado das multidões jubilosas que, com brados de triunfo e agitação de ramos de palmeiras O aclamavam como Filho de Davi, os invejosos fariseus apelaram para Ele a fim de que as fizesse silenciar; Jesus, porém, respondeu que tudo aquilo era o cumprimento da profecia, e que, se aquelas vozes se calassem, as próprias pedras clamariam. O povo, intimidado pelas ameaças dos sacerdotes e príncipes, cessou com a alegre proclamação ao entrar pelas portas de Jerusalém; mas as crianças, nos pátios do templo, entoavam em seguida o estribilho e, agitando ramos de palmeira, clamavam: "Hosana ao Filho de Davi!" Mat. 21:8-16. Quando os fariseus, profundamente descontentes, Lhe disseram: "Ouves o que estes dizem?" - Jesus respondeu: "Sim; nunca lestes: pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?" Assim como Deus agiu por meio das crianças no tempo do primeiro advento de Cristo, também o fez ao dar a mensagem de Seu segundo advento. A Palavra de Deus deve cumprir-se para que a proclamação da vinda do Salvador seja feita a todos os povos, línguas e nações. O Grande Conflito, 367368. Objetivo: Compreender que os adultos tem o privilégio e a responsabilidade de instruir as crianças nos caminhos do Senhor, eles são em cristo, nossos irmão mais novos. ❉ Domingo - Vantagem da criança hebreia Ano Bíblico: Êx 9–11 1. Leia o Salmo 127:3-5; 128:3-6; Jeremias 7:31; Deuteronômio 6:6, 7. Que valor Deus dá aos filhos? De que maneira uma compreensão adequada das Escrituras pode afetar nosso relacionamento com eles? Os filhos são a “Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão.” São “Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta.” Sl 127:3-5. Para os que temem ao Senhor seus filhos são como “brotos de oliveira ao redor da sua mesa”. A “Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera”. O Senhor o abençoará “para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida, vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel!” Sl 128:3-6. Para que isso seja uma realidade Deus diz: “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.” Dt 6:6-7. Como preparo para o ensino de Seus preceitos, Deus ordena que sejam eles escondidos no coração dos pais. "E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração", diz Ele; "e as intimarás a teus filhos." Deut. 6:6 e 7. A fim de que interessemos nossos filhos na Bíblia, nós mesmos devemos estar interessados nela. Para despertarmos neles amor ao seu estudo, devemos amá-la. A instrução que lhes damos terá apenas a importância da influência que lhe emprestarmos pelo nosso próprio exemplo e espírito. Educação, p. 186. Sem a fidelidade ao Senhor, não temos noção da profundidade que o pecado pode nos levar, mesmo em nome da religião. “Edificaram os altos de Tofete, que está no vale do filho de Hinom, para queimarem a seus filhos e a suas filhas; o que nunca ordenei, nem me passou pela mente.” Jr 7:31. cf. Com Manassés o rei de Judá que chegou a queimar seus filhos em sacrifício, no vale de Ben-Hinom. 2Cr 33:1-9. ❉ Segunda - Infância de Jesus Ano Bíblico: Êx 12, 13 2. Leia Lucas 2:40-52. O que isso ensina sobre a infância de Jesus? ramos@advir.com
  2. 2. Está revelado que em sua infância Jesus crescia em sabedoria, que diz respeito ao intelecto, em estatura referindo ao seu corpo físico, e em graça para com Deus e os homens, que era sua vida religiosa “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.” Lc 2:40-52. “E o menino crescia e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.” Lc 2:40. "O menino Jesus não recebeu instrução nas escolas das sinagogas. A mãe foi Sua primeira professora humana. Dos lábios dela e dos rolos dos profetas, aprendeu as coisas celestiais. As próprias palavras ditas por Ele a Moisés para Israel, eram-Lhe agora ensinadas aos joelhos de Sua mãe." O Desejado de Todas as Nações, p. 70. À luz da presença de Seu Pai, crescia "Jesus em sabedoria e em estatura, e em graça para com Deus e os homens". Luc. 2:52. Seu espírito era ativo e penetrante, com uma reflexão e sabedoria além de Sua idade. Também o caráter era belo na harmonia que apresentava. As faculdades da mente e do corpo desenvolviam-se gradualmente, segundo as leis da infância. O Desejado de Todas as Nações, 68. Jesus estudou as Escrituras na infância, na juventude e na fase adulta. Como criança, aos joelhos de Sua mãe, do rolo dos profetas recebia diariamente instruções. Em Sua juventude, a madrugada e o crepúsculo vespertino muitas vezes O encontravam sozinho ao lado da montanha ou entre as árvores da floresta, passando uma hora silenciosa de oração e estudo da Palavra de Deus. Durante Seu ministério, a grande familiaridade com as Escrituras testifica de Sua diligência no estudo da mesma. E visto que Ele adquiriu conhecimento como nós o podemos também, Seu maravilhoso poder, não somente mental mas também espiritual, é um testemunho do valor da Bíblia como meio de educação. Nosso Pai celestial, ao dar Sua Palavra, não deixou despercebidas as crianças. Onde é que, dentre tudo que os homens hajam escrito, se poderá encontrar algo que tenha tal influência sobre o coração das crianças, algo tão bem adaptado para despertar o interesse delas, como sejam as histórias da Bíblia? Nestas singelas histórias podem-se esclarecer os grandes princípios da lei de Deus. Assim, por meio das ilustrações mais bem adaptadas à compreensão da criança, pais e professores podem começar muito cedo a cumprir a ordem do Senhor relativa aos Seus preceitos [ou palavras]: "E as intimarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te." Deut. 6:7. O uso de comparações, quadros-negros, mapas e gravuras, será de auxílio na explicação destas lições e na fixação das mesmas na memória. Pais e professores devem constantemente procurar métodos aperfeiçoados. O ensino da Bíblia deve ter os nossos mais espontâneos pensamentos, nossos melhores métodos, e o nosso mais fervoroso esforço. Educação, p. 185. ❉ Terça - Curando as crianças Ano Bíblico: Êx 14, 15 3. Leia Mateus 9:18-26; Marcos 7:24-30; Lucas 9:37-43; João 4:46-54. Quais são as semelhanças e diferenças no contexto de vida dessas crianças? Que lições podemos aprender com esses textos que podem nos ajudar hoje? Tendo os filhos em dificuldades e precisando de um milagre, todos os pais buscaram em Jesus a solução. O chefe da sinagoga. Mt 9:18-26, chamado Jairo. cf. Mc 5:22; Lc 8:41; A Mulher siro-fenícia. Mc 7:24-30; O pai do rapaz com um espírito mau. Lc 9:37-43; O oficial do rei. Jo 4:46-54. Os pais eram variados, alguns eram judeus e outros gentios, uns eram religiosos, outros não, uns tinham a fé firmada, outros nem tanto, mas pela graça de cristo todos foram atendidos e obtiveram a restauração de seus filhos. “... Tendo Jesus chegado à casa do chefe e vendo os tocadores de flauta e o povo em alvoroço, disse: Retirai-vos, porque não está morta a menina, mas dorme. E riam-se dele. Mas, afastado o povo, entrou Jesus, tomou a menina pela mão, e ela se levantou. E a fama deste acontecimento correu por toda aquela terra.” Mt 9:18-26. “... Esta mulher era grega, de origem siro-fenícia, e rogava-lhe que expelisse de sua filha o demônio. ...” Mc 7:24-30. “... Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um espírito se apodera dele, e, de repente, o menino grita, e o espírito o atira por terra, convulsiona-o até espumar; e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado. Roguei aos teus discípulos que o expelissem, mas eles não puderam. Respondeu Jesus: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco e vos sofrerei? Traze o teu filho. ...” Lc 9:37ramos@advir.com
  3. 3. 43. “... Então, Jesus lhe disse: Se, porventura, não virdes sinais e prodígios, de modo nenhum crereis. Rogoulhe o oficial: Senhor, desce, antes que meu filho morra. Vai, disse-lhe Jesus; teu filho vive. ...” Jo 4:46-54. Deus Se agrada quando conservamos o rosto voltado para o Sol da Justiça. ... Quando nos achamos em tribulação e opressos de ansiedades, o Senhor está perto, e pede que lancemos sobre Ele toda a nossa ansiedade, pois tem cuidado de nós. … Achega-se a todos os Seus filhos em aflição. Em tempo de perigo, é nosso refúgio. Na dor, oferecelhes alegria e consolação. Afastar-nos-emos do Redentor, a fonte de águas vivas, para cavar para nós cisternas rotas, que não podem reter a água? Ao se aproximar o perigo, buscaremos o auxílio daqueles que são tão fracos como nós, ou fugiremos para Aquele que é poderoso para salvar? Ele tem os braços bem abertos, e profere o gracioso convite: "Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei." Mat. 11:28. Manuscrito 20, 1892. ❉ Quarta - Uma terrível advertência Ano Bíblico: Êx 16, 17 4. Leia Mateus 11:25, 26; 18:1-6, 10-14. Que verdades, não apenas sobre os filhos, mas sobre a fé em geral, podemos aprender com esses textos? Pense na seriedade da advertência de Jesus. Por que deveríamos tremer diante dela? Deus oculta a sua palavra dos sábios e instruídos porque em seu orgulho e presunção não querem praticála, e revela então aos pequeninos. “exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.” Mt 11:25-26. Os pequeninos são as pessoas francas, humildes, inocentes, dependentes do pai celeste, e que tem o coração aberto para Dele aprender, características percebidas nas crianças para com seus pais terrestres. “chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no Reino dos céus? E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus.” E quem receber os pequeninos de Deus tanto adulto quanto criança recebe a cristo, porque neles habita. E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta a mim me recebe.” Mt 18:1-5. Mas qualquer que induzi-los ao pecado, receberão duramente as consequências por seus maus atos. “Mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.” Mt 18:5-6. Não ignore os pequeninos. “Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre veem a face de meu Pai que está nos céus.” Mt 18:10-14. Deixai Vir a Mim os Meninos Jesus sempre foi amante de crianças. Aceitava-lhes a infantil simpatia, e seu amor franco, sem afetação. O grato louvor de seus lábios puros era qual música aos Seus ouvidos, e refrigerava-Lhe o espírito quando opresso pelo contato com homens astutos e hipócritas. O Desejado de Todas as Nações, p. 511. É ainda verdade que as crianças são as pessoas mais susceptíveis aos ensinos do evangelho; seu coração acha-se aberto às influências divinas, e forte para reter as lições recebidas. Os pequeninos podem ser cristãos, tendo uma experiência em harmonia com seus anos. Precisam ser educados nas coisas espirituais, e os pais devem proporcionar-lhes todas as vantagens, para que formem caráter segundo a semelhança do de Cristo. Os pais e as mães devem considerar os filhos como os membros mais novos da família do Senhor, a eles confiados para que os eduquem para o Céu. O Desejado de Todas as Nações, p. 515. [Cristo] sabia que estas crianças ouviriam os Seus conselhos e O aceitariam como seu Redentor, enquanto os que eram sábios segundo o mundo e de coração endurecido estariam menos dispostos a segui-l’O e a encontrar um lugar no Reino de Deus. Estes pequeninos, vindo a Cristo e recebendo o Seu conselho e bênção, tiveram a Sua imagem e as Suas graciosas palavras estampadas na mente maleável, para nunca mais serem apagadas. Devemos aprender uma lição deste ato de Cristo, de que o coração dos jovens é mais suscetível aos ensinos do Cristianismo, mais fácil de ser influenciado para a piedade e para a virtude, e forte para reter as impressões recebidas. Testimonies, vol. 4, pág. 142. ramos@advir.com
  4. 4. ❉ Quinta - Aceitando os pequenos Ano Bíblico: Êx 18–20 5. Leia Marcos 10:13-16. O fato de que Cristo aceitou as crianças facilitou a aceitação dEle? Como devemos entender Sua repreensão aos discípulos? O que devemos aprender com esse relato sobre o relacionamento com as crianças? Em sua indignação com a atitude dos discípulos aprendemos de jesus que os benefícios do evangelho devem ser ensinados e vivenciados tanto pelos adultos quanto pelas crianças, por que das tais é o reino de Deus. “Então, lhe trouxeram algumas crianças para que as tocasse, mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, vendo isto, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus.” Mc 10:13-14. E quem não receber o Reino de Deus com as características de uma criança, nunca entrará nele. “Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele. Então, tomando-as nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoava.” Mc 10:13-16. Os discípulos pensavam que a obra do Mestre era, no seu todo, demasiado importante para ser interrompida, ou, tal como eles consideravam, impedida, pela introdução de um grupo de crianças que estavam a ser levadas, pelas suas mães, à presença de Cristo. Os discípulos supuseram que estas crianças eram muito pequenas para beneficiarem de uma entrevista com Jesus, e concluíram que Ele estaria muito desagradado e irritado com a sua presença. Foi, contudo, com os discípulos que Ele ficou desagradado. O Salvador compreendeu o cuidado e a responsabilidade das mães que procuravam formar os seus filhos segundo a Palavra de Deus. Ele conhecia a angústia de alma que elas sentiam; Ele tinha-as visto empenhadas em oração fervorosa em favor dos seus pequeninos. Ele próprio tinha-os atraído à Sua presença. Uma mãe cansada tinha deixado a sua casa com os pequeninos ao colo. No caminho encontrou uma vizinha e disse-lhe onde ia, criando no coração da vizinha o desejo de que Cristo também abençoasse os seus filhos. Assim, juntaram-se várias mães, levando consigo os seus pequeninos. Algumas crianças já tinham passado da primeira infância, à meninice e adolescência. Quando elas explicaram o seu desejo, Jesus ouviu com simpatia e compaixão os tímidos e lacrimosos pedidos. Mas esperou para ver como os discípulos tratariam estas mães e os seus pequenos. Quando os viu a mandá-los embora, julgando erradamente que estavam a fazer um grande favor ao Mestre, Ele mostrou-lhes o seu erro, e recebeu ternamente as mães e os seus pequeninos. Tomou as crianças nos braços e pôs as Suas mãos nas suas cabeças. Ele aconchegou as cabeças cansadas dos pequeninos no Seu peito de amor infinito. Deu-lhes as bênçãos que tinham ido buscar. Na ocasião em que recebeu as crianças, Cristo deu aos Seus discípulos uma lição que nunca esqueceram. Eles ouviram as Suas palavras com admiração: “Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus” (Mar. 10:14). As mães que tinham levado os seus filhos a Jesus foram confortadas pela Sua compaixão. Mas as mães de hoje também devem compreender e acarinhar estas palavras. Devem apropriar-se delas com a mesma fé das mulheres que levaram os seus filhos a Jesus, que buscaram Cristo com trémulo temor e, no entanto, com ânsia fervorosa. Estas mães foram encorajadas a assumir com novo ânimo a sua responsabilidade de cuidado e amor, e a trabalhar esperançosas para os seus filhos. Cada mãe, com a responsabilidade de cuidar, deveria receber as palavras de Cristo com o mesmo espírito. Ele, no entanto, também declarou uma verdade que tem uma aplicação geral. Ele disse: “Qualquer que não receber o reino de Deus como menino [disposto a ser ensinado e orientado por Cristo, disposto a crer n’Ele como Salvador pessoal], de maneira nenhuma entrará nele” (Mar. 10: 15). Homens e mulheres são apenas crianças crescidas. Eles estão sob a disciplina de Deus, tal como as crianças estão sob a disciplina dos seus pais terrenos. A Igreja é composta por homens e mulheres que têm a mesma natureza, as mesmas disposições, tal como as criancinhas que foram levadas a Cristo. Os membros das nossas igrejas incluem pessoas que têm impulsos semelhantes, que manifestam gostos e antipatias, que demonstram as mesmas paixões, tal como os filhos que, ao receberem Cristo, constituirão o Seu Reino celestial. Que apropriado que estas crianças fossem levadas a Cristo para Sua intercessão e bênção! Elas eram tipos do que os membros desta Igreja deveriam ser. Os filhos de Deus devem possuir a humildade, a confiança amorosa, o espírito de aprendizagem, a inocência, não corrompidos pelo engano mundano, que as criancinhas possuíam. Signs of the Times, 9 de abril de 1896. ramos@advir.com
  5. 5. ❉ Sexta - Conclusão: Ano Bíblico: Êx 21–23 Em Discipulado das crianças, aprendi que … ✰ Domingo - Vantagem da criança hebreia: Os filhos são a “Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão.” São “Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta.” Sl 127:3-5. Para os que temem ao Senhor seus filhos são como “brotos de oliveira ao redor da sua mesa”. A “Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera”. O Senhor o abençoará “para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida, vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel! Sl 128:3-6. Para que isso seja uma realidade Deus diz: “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Dt 6:6-7. Sem a fidelidade ao Senhor, não temos noção da profundidade que o pecado pode nos levar, mesmo em nome da religião. “Edificaram os altos de Tofete, que está no vale do filho de Hinom, para queimarem a seus filhos e a suas filhas; o que nunca ordenei, nem me passou pela mente. Jr 7:31. cf. Com Manassés o rei de Judá que chegou a queimar seus filhos em sacrifício, no vale de Ben-Hinom. 2Cr 33:1-9. ✰ Segunda - Infância de Jesus: Está revelado que em sua infância Jesus crescia em sabedoria, que diz respeito ao intelecto, em estatura referindo ao seu corpo físico, e em graça para com Deus e os homens, que era sua vida religiosa “E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.” Lc 2:40-52. “E o menino crescia e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.” Lc 2:40. ✰ Terça - Curando as crianças: Tendo os filhos em dificuldades e precisando de um milagre, todos os pais citados ver Mt 9:18-26; Mc 7:24-30; Lc 9:37-43; Jo 4:46-54, buscaram em Jesus a solução. Os pais eram variados, alguns eram judeus e outros gentios, uns eram religiosos, outros não, uns tinham a fé firmada, outros nem tanto, mas pela graça de cristo todos foram atendidos e obtiveram a restauração de seus filhos. ✰ Quarta - Uma terrível advertência: Deus oculta a sua palavra dos sábios e instruídos porque em seu orgulho e presunção não querem praticá-la, e revela então aos pequeninos. “exclamou Jesus: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.” Mt 11:25-26. Os pequeninos são as pessoas francas, humildes, inocentes, dependentes do pai celeste, e que tem o coração aberto para Dele aprender, características percebidas nas crianças para com seus pais terrestres. “chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no Reino dos céus? E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus. E quem receber os pequeninos de Deus tanto adulto quanto criança recebe a cristo, porque neles habita. E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta a mim me recebe.” Mt 18:1-5. Mas qualquer que induzi-los ao pecado, receberão duramente as consequências por seus maus atos. “Mas qualquer que escandalizar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.” Mt 18:5-6. Não ignore os pequeninos. “Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre veem a face de meu Pai que está nos céus.” Mt 18:10-14. ✰ Quinta - Aceitando os pequenos: Em sua indignação com a atitude dos discípulos aprendemos de jesus que os benefícios do evangelho devem ser ensinados e vivenciados tanto pelos adultos quanto pelas crianças, por que das tais é o reino de Deus. “Então, lhe trouxeram algumas crianças para que as tocasse, mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, vendo isto, indignou-se e disse-lhes: Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus.” Mc 10:13-14. E quem não receber o Reino de Deus com as características de uma criança, nunca entrará nele. “Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele. Então, tomando-as nos braços e impondo-lhes as mãos, as abençoava.” Mc 10:13-16. ramos@advir.com

×