Criação e evangelho_Lição_original_com_textos_1212013

426 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet. 

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
426
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Criação e evangelho_Lição_original_com_textos_1212013

  1. 1. Lição 12 16 a 23 de março Criação e evangelhoSábado à tarde Ano Bíblico: Jz 6–8VERSO PARA MEMORIZAR: “Assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo” (1Co15:22).Leituras da semana: Gn 3:21; Sl 104:29, 30; Jo 1:4; Rm 5:6-11; Gl 3:13; Mt 27:46No relato bíblico, Adão e Eva foram criados à imagem de Deus, sem nenhum defeito moral. Mas eles tinham o livre-arbítrio, um pré-requisito para que eles pudessem amar. Quando Adão e Eva se rebelaram contra Deus, caíram sob opoder de Satanás (Hb 2:14). Esse fato colocou também o mundo inteiro sob o poder do inimigo. Jesus, porém, veio aomundo para destruir as obras do diabo (1Jo 3:8) e nos libertar de seu poder. Ele fez isso ao morrer em nosso lugar e nosoferecer vida. Na cruz, Jesus Se fez pecado por nós (2Co 5:21) e, por isso, experimentou a separação de Seu Pai. Por Suamorte, Jesus restaurou o relacionamento entre Deus e a humanidade que havia sido quebrado pelo pecado de Adão eEva.E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pelamorte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo. Hb 2:14.Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: paradesfazer as obras do diabo. 1Jo 3:8.Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus. 2Co 5:21Todos esses pontos estão logicamente ligados à história da criação. A criação entra em cena novamente à medida que opoder do Deus criador é exercido para criar um coração novo em Seus filhos (2Co 5:17), renovando a imagem de Deus emnós e restaurando nosso relacionamento com Ele.“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” (2Coríntios 5:17 RA)Domingo Ano Bíblico: Jz 9, 10Graça no JardimComo sabemos tão bem, os primeiros seres humanos, seres perfeitos criados à “imagem de Deus”, caíram no pecado, oque trouxe a morte. Eles haviam sido avisados e entendiam o que lhes tinha sido dito. Eva até repetiu para a serpente oque Deus havia dito. No entanto, eles pecaram assim mesmo. Às vezes nós, a exemplo de Eva, somos levados ao pecadopelo engano, mas, em outros momentos, como Adão, pecamos intencionalmente. De toda maneira, somos pecadores,culpados de transgredir a lei de Deus.1. Leia Gênesis 3:9-15. Qual foi a resposta de Deus ao pecado de Adão e Eva?“E chamou o SENHOR Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás? Ele respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porqueestava nu, tive medo, e me escondi. Perguntou-lhe Deus: Quem te fez saber que estavas nu? Comeste da árvore de quete ordenei que não comesses? Então, disse o homem: A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eucomi. Disse o SENHOR Deus à mulher: Que é isso que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.Então, o SENHOR Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos e o és entretodos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre tie a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gênesis3:9-15 RA) ramos@advir.com
  2. 2. Deus realizou um julgamento, na verdade um “juízo investigativo”. O objetivo do juízo não era que Deus conhecesse osfatos. Ele já os conhecia. Na verdade, o objetivo era dar ao casal a oportunidade de aceitar a responsabilidade por suasações, o primeiro passo para o arrependimento e restauração. Deus lhes perguntou o que havia acontecido e elesconfessaram, embora com relutância. Ainda que fossem culpados e seu pecado trouxesse consequências imediatas, aprimeira promessa evangélica foi feita a eles no Éden.2. Leia Gênesis 3:21. Que outro ato de graça foi revelado?“Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.” (Gênesis 3:21 RA)A morte veio da maneira mais inesperada. Em vez da morte imediata de Adão e Eva, um ou mais animais morreram.Imagine os sentimentos de Adão quando o animal morreu, em seu lugar como um sacrifício. Foi a primeira vez que Adãoviu a morte, e isso deve ter trazido a ele enorme angústia. Em seguida, o animal foi esfolado, e uma túnica foi feita apartir da pele. A vestimenta foi colocada sobre o corpo de Adão para cobrir sua nudez. Toda vez que ele olhava para ela,ou tocava nela, certamente se lembrava do que havia feito e do que tinha perdido. Mais importante, isso era umlembrete da graça de Deus.Sem dúvida, devemos ser muito gratos pela graça de Deus a nós. Existe melhor maneira de revelar essa apreciação doque mostrar graça aos outros? A quem, por mais que não mereça, você poderia mostrar a graça hoje?Segunda Ano Bíblico: Jz 11, 12Pecado e morteEm Gênesis 3:19, Adão foi informado de que, ao morrer, voltaria ao pó do qual havia sido feito. A mesma coisa acontece anós. Observe que não voltamos a ser macacos, porque não fomos feitos a partir dos macacos. Fomos feitos do pó, e namorte é ao pó que retornamos.“No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás.”(Gênesis 3:19 RA)3. Leia Gênesis 2:7; Salmo 104:29, 30; João 1:4; Atos 17:24, 25. Qual é o significado fundamental desses textos para nós? Comoessa verdade deve afetar nossa maneira de viver?“Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou aser alma vivente.” (Gênesis 2:7 RA)“Se ocultas o rosto, eles se perturbam; se lhes cortas a respiração, morrem e voltam ao seu pó. Envias o teu fôlego, e sãocriados; e assim renovas a face da terra.” (Salmos 104:29-30 RA)“A vida estava nele e a vida era a luz dos homens.” (João 1:4 RA)“O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitospor mãos humanas. Nem é servido por mãos humanas, como se de alguma coisa precisasse; pois ele mesmo é quem atodos dá vida, respiração e tudo mais;” (Atos 17:24-25 RA)A vida é um fenômeno maravilhoso. Estamos familiarizados com a vida, mas ainda há algo misterioso a respeito dela.Podemos separar as partes de um organismo vivo, mas no fim nada encontramos, exceto vários tipos de átomos emoléculas. Podemos coletar as moléculas em um recipiente e aquecê-lo, passar uma descarga elétrica através dele outentar uma série de experimentos diferentes, mas não obteremos vida novamente. Não existe uma entidade chamada“vida” que exista dentro de um corpo vivo ou de uma célula viva. A vida é uma propriedade do sistema vivo por inteiro,não uma entidade que possa ser separada das células.Por outro lado, sabemos muito sobre como produzir a morte. Planejamos muitas maneiras de matar os seres vivos.Alguns desses métodos revelam, em detalhes impressionantes, a violência e crueldade do nosso coração pecaminoso.Podemos produzir morte, mas a criação da vida está além da nossa compreensão. Unicamente Deus tem a capacidadede criar organismos vivos. Os cientistas têm tentado criar vida, pensando que, se pudessem fazer isso, teriam umadesculpa para não acreditar em Deus. Até agora, todos esses esforços fracassaram.4. Leia Isaías 59:2. Como o pecado afeta nosso relacionamento com o Doador da vida?“Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto devós, para que vos não ouça.” (Isaías 59:2 RA)Se a vida só vem de Deus, então a separação de Deus nos isola da fonte da vida. O resultado inevitável é a morte.Mesmo que se viva 969 anos, como Matusalém, a história ainda termina com as palavras “e morreu”. O pecado, por suaprópria natureza, provoca a separação da vida, e o resultado é a morte.Terça Ano Bíblico: Jz 13–16Quando éramos pecadoresAo longo de toda a Bíblia vemos que a resposta de Deus à pecaminosidade humana é redentora por natureza e motivadapelo amor verdadeiro e altruísta. Ele teria sido plenamente justificado se tivesse entregado Adão e Eva ao poder ramos@advir.com
  3. 3. destrutivo de Satanás. Afinal, eles tinham feito sua escolha. Mas Deus sabia que Adão e Eva não compreendiam o plenosignificado do que tinham feito e decidiu dar a eles uma oportunidade de ter mais informações e ser capazes de escolhernovamente.5. Leia Romanos 5:6-11. Como esses versos nos ajudam a entender o que significa a graça de Deus?“Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por umjusto; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelofato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seusangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a mortedo seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; e não apenas isto, mas também nosgloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação.” (Romanos5:6-11 RA)Quando somos injustiçados, gostamos de ter um pedido de desculpas antes de aceitar o ofensor de volta ao bomrelacionamento conosco. Em tais circunstâncias, um pedido de desculpas é apropriado. A cura completa de umrelacionamento prejudicado inclui uma expressão de tristeza e aceitação da responsabilidade pelo erro. Mas Deus nãoesperou que pedíssemos perdão. Ele tomou a iniciativa.Quando ainda éramos pecadores, Ele Se entregou para morrer em nosso favor. Essa é a maravilhosa demonstração doamor divino.Como nosso comportamento se compara com o comportamento de Deus? Quantas vezes ficamos ofendidos, com raiva, ebuscamos vingança em vez de restauração? Devemos ser eternamente gratos porque Deus não nos trata dessa maneira.O tratamento que Deus oferece aos pecadores mostra o verdadeiro significado do amor. Não é um mero sentimento, masum comportamento com base em princípios, no qual todo o esforço é feito para reconciliar o ofensor com o ofendido erestaurar o relacionamento. O tratamento que Deus ofereceu a Adão e Eva é uma ilustração de como Ele se relacionacom nosso pecado.“As cenas do Calvário despertam a mais profunda emoção. A esse respeito vocês estarão desculpados se manifestarementusiasmo. Que Cristo, tão excelente, tão inocente, devesse sofrer tão dolorosa morte, suportando o peso dos pecadosdo mundo jamais nossos pensamentos e imaginação poderão compreender plenamente. O comprimento, a largura, aaltura e a profundidade de tão assombroso amor, não podemos sondar” (Ellen G. White, Testemunhos para a Igreja, v. 2,p. 213). Talvez não possamos sondar esse amor, mas, por que é tão importante tentar?Quarta Ano Bíblico: Jz 17–19Portador de pecados6. Tendo em mente a divindade de Cristo, pense nas implicações desse texto. O que Deus estava disposto a fazer paranos salvar? Qual é o resultado da rejeição do sacrifício de Cristo em nosso favor? Gl 3:13“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Malditotodo aquele que for pendurado em madeiro),” (Gálatas 3:13 RA)Ao assumir a culpa de nossos pecados e morrer em separação de Deus, Jesus cumpriu a promessa originalmente feita noJardim do Éden de que a semente da mulher feriria a cabeça da serpente. Seu sacrifício possibilitou a reconciliação deDeus com a família humana e resultará na eliminação final do mal no Universo (Hb 2:14; Ap 20:14).“Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, paraque, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo,” (Hebreus 2:14 RA)“Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo.”(Apocalipse 20:14 RA)7. Tendo em mente Gálatas 3:13, leia Mateus 27:46. O que as palavras de Jesus revelam sobre o que Ele sofreu na cruz?“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Malditotodo aquele que for pendurado em madeiro),” (Gálatas 3:13 RA)“Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deusmeu, por que me desamparaste?” (Mateus 27:46 RA)Na cruz, Cristo aceitou a maldição do pecado em nosso favor. Isso foi uma mudança em Sua posição com o Pai. Quandoera levado ao altar, o cordeiro sacrifical se tornava um substituto do pecador que merecia a morte. Da mesma forma,quando Cristo foi à cruz, Sua condição diante do Pai mudou. Excluído da presença do Pai, Ele sentiu a maldição que nossopecado tinha causado. Em outras palavras, Jesus, que havia sido um com o Pai desde a eternidade, sofreu umaseparação do Pai, no que Ellen White chamou de “a separação dos poderes divinos” (Ellen G. White, Manuscrito 93, 1899;Seventh Day Adventist Bible Commentary, v. 7, p. 924).Por mais difícil que seja compreender plenamente o que estava acontecendo, podemos saber o suficiente para perceberque um preço assombroso foi pago para nos redimir.Quinta Ano Bíblico: Jz 20, 21 ramos@advir.com
  4. 4. Nova criaçãoA grande notícia do evangelho está centralizada na morte de Jesus como nosso Substituto. Ele tomou sobre Si os nossospecados, carregando em Si mesmo a penalidade que, de outro modo, seria nossa. Como vimos, também, a ideia deCristo como nosso Substituto, morrendo pelos pecados do mundo, está inseparavelmente ligada à história da criação.Cristo veio para destruir a morte, que é uma intrusa na criação de Deus. Se a teoria da evolução fosse o caminhoescolhido por Deus para criar os seres humanos, isso significaria que a morte, longe de ser uma aberração e um inimigo,em vez disso seria parte do plano original de Deus para a humanidade. Na verdade, a morte teria um papel importantena maneira pela qual Deus nos criou. Não é de admirar, então, que os cristãos devem rejeitar a evolução teísta comouma forma viável de compreender a história da criação.O relato da criação em Gênesis, embora fundamental para nos ajudar a entender a morte de Cristo em nosso favor,também nos ajuda a compreender outro aspecto do plano da salvação: a obra da criação divina em nós, enquantoparticipamos de Sua santidade.8. Leia o Salmo 51:10; Ezequiel 36:26, 27; Colossenses 3:10; 2 Coríntios 5:17. Que promessas bíblicas estão ligadas ao conceito deDeus como Criador, conforme revelado em Gênesis 1 e 2?“Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.” (Salmos 51:10 RA)“Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração decarne. Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhasordenanças, e as observeis.” (Ezequiel 36:26 RA)“e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou;”(Colossenses 3:10 RA)“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” (2Coríntios 5:17 RA)Um novo coração é uma criação que só Deus pode fazer. Nós não podemos fazer isso, mas devemos depender do mesmoCriador que formou o mundo e criou nossos primeiros pais. Davi reconheceu sua necessidade e pediu a Deus queresolvesse o problema por um ato de criação.Na verdade, a pessoa que está “em Cristo” é uma nova criação. A antiga maneira de pensar deve ser afastada esubstituída pela mente recém-criada. Nossa mente renovada é criada para as boas obras, de acordo com a vontade deDeus. Esse tipo de criação é um processo sobrenatural, realizado pelo poder do Espírito Santo. O poder criador de Deus,demonstrado na criação original, nos dá confiança de que o Senhor é capaz de mudar nossa vida e nos trazer de volta aorelacionamento com Ele.Você experimentou o que significa ser uma nova criação em Cristo? O que isso significa, na prática? O que muda na vidade alguém que tem essa experiência?Sexta Ano Bíblico: RuteEstudo adicional“As coisas encobertas são para o Senhor nosso Deus, porém as reveladas são para nós e para nossos filhos para sempre”(Dt 29:29, RC). Precisamente como Deus realizou a obra da criação, jamais Ele o revelou ao homem; a ciência humananão pode pesquisar os segredos do Altíssimo. Seu poder criador é tão incompreensível como Sua existência” (Ellen G.White, Patriarcas e Profetas, p. 113).“Naquela densa treva ocultava-Se a presença de Deus. Ele fez da treva Seu pavilhão, e escondeu Sua glória dos olhoshumanos. Deus e Seus santos anjos estavam ao pé da cruz. O Pai estava com o Filho. Sua presença, no entanto, não foirevelada. Houvesse Sua glória irrompido da nuvem, e todo espectador humano teria sido morto. E naquela tremendahora, Cristo não devia ser confortado com a presença do Pai. Pisou sozinho o lagar, e dos povos nenhum havia com Ele”(Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 753, 754).Perguntas para reflexão1. Como o evangelho está relacionado com a história da criação? Que aspectos específicos de Gênesis 1 a 3 sãofundamentais para o evangelho? Como a história de Jesus está fundamentada na veracidade histórica do Gênesis? Comoa história de Jesus seria contada se não houvesse Adão e Eva?2. A Bíblia afirma que a criação foi realizada por processos sobrenaturais que não são acessíveis à ciência, mas quepodem ser aprendidos unicamente por meio da revelação especial. A tensão entre a Bíblia e a ciência, portanto, não éuma surpresa. Por que é um erro esperar que a ciência seja capaz de explicar todas as obras da criação divina?3. Que ligações existem entre o evangelho, a criação e o juízo, conforme indicado em Apocalipse 14:6, 7?“Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e acada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora doseu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” (Apocalipse 14:6-7 RA) ramos@advir.com
  5. 5. 4. Os críticos do cristianismo frequentemente argumentam que Jesus sabia de antemão que, embora devesse morrer,seria ressuscitado. Assim, perguntam eles, qual foi a importância da Sua morte, visto que Ele sabia que seria apenastemporária? Como Mateus 27:4, complementado pela citação de O Desejado de Todas as Nações, acima, ajudam aresponder a essa objeção?Respostas sugestivas: 1. O Senhor procurou o casal, conversou com eles e prometeu a libertação por meio doDescendente da mulher. 2. O Senhor preparou vestes de peles de animais para cobrir a nudez do casal. 3. Deus é o autorda vida. O fôlego de vida pertence ao Senhor, pois Ele criou todas as coisas e a todas transcende. Deus mantém a vidade todas as criaturas. 4. O pecado nos separa de Deus e da vida que Ele nos oferece. 5. Graça foi Cristo morrer pelosseres humanos fracos e pecadores, para justificá-los e salvá-los por meio do Seu sangue. 6. Em Cristo, a Divindade Sehumilhou e aceitou a maldição do pecado para nos salvar. Seria muito triste não aceitar a salvação conquistada a umpreço tão grande. 7. Jesus sofreu a profunda angústia causada pela maldição do pecado e alienação da presença do Pai.8. O Senhor tem poder para criar em nós um novo coração e um espírito inabalável, de modo que andemos em Seusestatutos e guardemos os Seus juízos. O conhecimento de Cristo nos renova segundo Sua imagem.Resumo da Lição 12 - Criação e evangelhoTextos-chaves: Gênesis 3:7-21O aluno deverá...Conhecer: O plano da salvação, descrito em Gênesis, e perceber como a evolução enfraquece esse plano.Sentir: Gratidão a Deus por nos oferecer uma maneira de perdoar os outros sem subverter a justiça.Fazer: Procurar praticar o equilíbrio divino entre graça e responsabilidade ao nos relacionarmos com os que nos ofendem.EsboçoI. Conhecer: A criação e o plano da salvaçãoA. Sua crença a respeito da criação ou evolução afeta a doutrina da salvação?B. A evolução afeta a nossa necessidade de salvação?C. Com base em Sua maneira de lidar com o pecado de Adão e Eva, como é o caráter de Deus?D. Por que Deus estabeleceu um sacrifício de sangue pelo pecado? Deus é sanguinário? Por quê?II. Sentir: Gratidão pelo dom da graçaA. O que a relação entre justiça e perdão significa para nós, em vista do nosso chamado para perdoar aqueles que nosferem ou ofendem?B. O conhecimento do que Deus tem feito para nos salvar aprofunda o nosso sentimento de gratidão a Ele pelo dom dasalvação.C. De que forma você pode expressar sua gratidão a Deus por Sua graça salvadora?III. Fazer: Praticando uma abordagem equilibradaA. A exemplo do que Deus faz, como você pode equilibrar a responsabilidade com a graça ao lidar com os que pecamcontra você?Resumo: Por meio da expiação com sangue, Deus voluntariamente absorve o custo da justiça para o pecador, a fim deque o pecador renuncie à rebeldia. Além disso, o poder da expiação transforma o pecador em um fiel cidadão do Céu.Ciclo do aprendizadoMotivaçãoConceito-chave para o crescimento espiritual: A criação é muito importante para o plano da salvação. A evolução mina osfundamentos do plano da salvação de várias maneiras.Só para o professor: Como observado antes, a criação está intimamente ligada ao restante da teologia bíblica. Ajude aclasse a manter essa conexão em mente enquanto nos concentramos no plano da salvação no Éden.A criação é fundamental para a nossa doutrina da salvação. Visto que Deus criou com desígnios e propósitos, há ideaisque podem ser violados. Seres morais livres podem decidir rejeitar os ideais de Deus e se revoltar contra a Sua vontadesoberana. Por isso, existe um conceito básico de pecado incorporado à ordem criada. O pecado tem a ver com a escolharebelde de rejeitar os desígnios de Deus.Por outro lado, parece que se Deus "criou" o mundo por meio dos processos evolutivos, destituídos de direção epropósito, não haveriam ideais objetivos que o exercício do livre-arbítrio pudessem violar. E se não houvessem ideaisdivinos que pudessem ser violados, como poderia haver qualquer conceito de pecado? O bem e o mal poderia serconcebidos apenas em termos relativos para o indivíduo. O bem e o mal teriam que ser determinados principalmentepelo interesse próprio percebido. Sendo assim, em um cenário evolutivo, não pode haver verdadeiro senso do pecado. Senão podemos ter um conceito significativo do pecado, não temos necessidade de um Salvador. Não haveria necessidadede um Deus abnegado e que Se esvazia, pois não teria havido desvio de ideais que exigissem uma restauraçãosalvadora. A criação, portanto, é de vital importância para a nossa compreensão da salvação.Comente: Peça aos alunos que compartilham, em suas próprias palavras, por que a compreensão da criação é tãoessencial para a doutrina da salvação.Compreensão ramos@advir.com
  6. 6. Só para o professor: A história do juízo em Gênesis 3 revela tanto um Deus que responsabiliza a humanidade quanto umDeus que deseja salvar compassivamente.Comentário BíblicoNosso compassivo Redentor(Recapitule com a classe Gn 3:7-21.)Em Gênesis 3, encontramos a queda da humanidade e a primeira promessa do evangelho. Adão e Eva comeram o frutoproibido e perceberam que se haviam tornado nus. Eles juntaram folhas de figueira e prepararam vestes para se cobrir.Em seguida, ouviram “o som” de Deus andando no jardim (NKJV). A palavra traduzida como "som" pode significar umavoz (RA, RC) que chama e fala, ou pode significar sons em geral. De uma forma ou de outra, Deus estava fazendo algumtipo de ruído ao Se aproximar de Adão e Eva. Por que Deus não apareceu de repente para o casal ou perto dele?O fato de que Deus realizou um juízo "investigativo" nos versos seguintes nos informa que Ele de fato viera pararesponsabilizá-los por comer o fruto proibido. A abordagem ruidosa de Deus, porém, indica que Deus estava Seaproximando com objetivos maiores do que prestação de contas e punição. Se todo o interesse divino fosse a punição,tudo o que Ele tinha que fazer era aparecer de repente diante do casal e eles teriam caído e morrido de terror. Mas Deusestava realizando um juízo a fim de ajudar a humanidade a ver a sua necessidade de um Salvador. Deus preferetransformar os pecadores em vez de simplesmente matá-los.Por isso, Deus Se aproximou suavemente, fazendo perguntas, recapitulando as provas de que Ele não havia mentido paraAdão e Eva. Ele fez isso antes de aplicar a condenação, na tentativa de reacender a confiança deles em Si mesmo e emSua Palavra. E funcionou! Além disso, Deus fez túnicas de peles para substituir suas vestes de folhas de figueira. Mascomo Deus obteve as peles de animais?Peles de animais procederam de animais mortos. Por que, então, de repente temos animais mortos na história? A históriaparece implicar que os primeiros sacrifícios pelo pecado foram oferecidos ali. O fato de que Abel sabia oferecer sacrifíciospode reforçar essa conclusão. Assim, naquele mesmo dia um substituto morreu, pagando a penalidade de Adão e Eva,para que eles recuperassem a comunhão íntima com Deus e tivessem uma nova vida de obediência.Isso significa que Deus é sanguinário, exigindo rituais cruéis, a fim de aplacar sua ira? A abordagem suave e compassivade Deus refuta tal pensamento. Além disso, a promessa de Gênesis 3:15 diz que Deus derrotaria o enganador e redimiria ahumanidade. Assim, o sacrifício aponta para uma verdade maior. O perdão não é alcançado com prejuízo da justiça. Aocontrário, o perdão se torna possível porque Deus escolheu absorver o custo da justiça em Si mesmo. A punição deve serpaga, ou a lei de Deus se tornaria sem sentido. As peles apontam não para um Deus sedento de sangue, mas para umDeus misericordioso que, voluntariamente, escolhe absorver o custo da justiça a fim de tornar possível que renunciemosà rebelião e voltemos à harmonia com Sua soberana vontade, sem ter que ser executados. Em resumo, a abordagemsuave de Deus, Sua promessa de esmagar a cabeça da serpente e Sua provisão de um sacrifício, tudo aponta para Seudesejo de nos colocar novamente em um relacionamento correto com Ele. O propósito do juízo em Gênesis 3 foi redentor,abrindo o coração de Adão e Eva para o plano da salvação.Pense nisto: O perdão envolve uma vítima disposta a absorver o custo da justiça, a fim de oferecer ao culpado um meiode entrar em um relacionamento novo e saudável. O que significa para você perdoar alguém que o ofendeu?AplicaçãoSó para o professor: Na criação e na queda, Deus é revelado como misericordioso, desejando o bem de Suas criaturas.Sendo feitos à imagem de Deus, cada um de nós é chamado a refletir o Seu caráter aos outros.Perguntas de reflexão:1. Como a abordagem divina em Gênesis 3:7-15 nos ensina sobre a maneira pela qual devemos abordar os pecadores, aopraticar as orientações de Mateus 18:15-20?2. Compare e contraste os propósitos de Deus ao confrontar Adão e Eva com o propósito do procedimento indicado emMateus 18:15-20?3. Quando você precisa confrontar alguém sobre um problema, como as suas atitudes e abordagem podem exemplificarmelhor o caráter de Deus, descrito em Gênesis 3:8-15?4. O que teria acontecido com a divina habilidade de governar se o Senhor tivesse simplesmente retirado as acusações,em vez de ter realmente realizado um juízo? Qual é diferença entre anistia e perdão? (Dica: tem a ver com a satisfaçãoou não da justiça.)CriatividadeSó para o professor: O evangelho de Gênesis mostra um maravilhoso equilíbrio entre o Deus justo, que responsabilizou ahumanidade pelo pecado, e misericordioso, que pagou a penalidade pela transgressão de Adão e Eva contra Ele.Perguntas de aplicação:1. Seguindo o exemplo de Deus, como você pode equilibrar a justiça e a graça, em seu relacionamento com os outros?2. Como você pode evitar criar uma aura de graça barata, que deixa o pecador pensando que ele pode pecarimpunemente?3. Como você pode evitar ser tão estritamente justo que pareça destituído de graça? ramos@advir.com

×