Amigos para sempre (1Ts 2:13–3:13)Lição 6                                                                                 ...
Mestre, experimenta ele severas provas, mas não permite que a aflição lhe irrite o temperamento oudestrua a paz de espírit...
Este tesouro, que Cristo considera precioso acima de toda estimação, são "as riquezas da glória da Sua herançanos santos"....
Cristo, "e Me manifestarei a ele." João 14:21. Quando, por causa da verdade, o crente se acha perante ostribunais terrestr...
prostrados de joelhos e menos tempo planejando para nós mesmos e pensando que podemos fazer alguma coisa grande.Carta 52, ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Amigos para sempre I Tess. 2:13-3:13_Resumo_Lição_532012_da Escola Sabatina

591 visualizações

Publicada em

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto, eu comento o minimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições em azul, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

“Esse é o objetivo, que as pessoas estudem, debatam o assunto e entendam o que o Senhor tem revelado a nós como Seu povo escolhido”.

Que... Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe ; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação. Sal. 67:1-2. 

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
591
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amigos para sempre I Tess. 2:13-3:13_Resumo_Lição_532012_da Escola Sabatina

  1. 1. Amigos para sempre (1Ts 2:13–3:13)Lição 6 4 a 11 de agosto VERSO PARA MEMORIZAR: “Que seja o vosso coração confirmado em santidade, isento de culpa, na presença de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os Seus santos” (1Ts 3:13).- Que seja o vosso coração confirmado em santidade, isento de culpa.O cristão verdadeiro obtém uma experiência que promove a santidade. Não tem ele na consciência umamancha de culpa, nem uma mácula de corrupção na vida. A espiritualidade da lei de Deus, com seus princípioslimitadores, é introduzida em sua vida. A luz da verdade ilumina seu entendimento. Uma chama de perfeito amor aoRedentor espanca as corrupções que se interpuseram entre o pecador e Deus. A vontade de Deus tornou-se a suavontade, pura, elevada, refinada e santa. Seu semblante revela a luz do Céu. Seu corpo é um adequadotemplo do Espírito Santo. A santidade adorna-lhe o caráter. Deus pode comungar com ele, pois alma e corpoestão em harmonia com Deus. Carta 139, 1898.A ética infundida pelo evangelho não reconhece norma alguma a não ser a perfeição da mente de Deus, deSua vontade. Deus requer de Suas criaturas conformidade com o Seu querer. A imperfeição de caráter épecado, e pecado é a transgressão da lei. Todos os justos atributos de caráter habitam em Deus como um todoperfeito, harmonioso. Todo aquele que recebe a Cristo como Salvador pessoal é privilegiado com a possedesses atributos. Esta é a ciência da santidade. …A glória de Deus é o Seu caráter. ... esse caráter revelou-se na vida de Cristo. Para que Ele, por Seu exemplo,condenasse o pecado na carne, tomou sobre Si a semelhança da carne pecaminosa. Constantemente contemplavaEle o caráter de Deus; revelava continuamente esse caráter ao mundo. Cristo deseja que Seus seguidoresrevelem em Sua vida esse mesmo caráter. Signs of the Times, 3 de setembro de 1902.Deus nos está desenvolvendo perante o mundo como testemunhas vivas do que os homens e mulheres sepodem tornar mediante a graça de Cristo. É-nos ordenado esforçar-nos pela perfeição de caráter. Diz o divinoMestre: "Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos Céus." Mat. 5:48. Infligir-nos-ia Cristo umsuplício de Tântalo (A expressão suplício de Tântalo refere-se ao sofrimento daquele que deseja algo aparentemente próximo, porém, inalcançável,a exemplo do ditado popular "Tão perto e, ainda assim, tão longe"), exigindo de nós uma impossibilidade? - Nunca, nunca! Que honranos confere Ele ao insistir para que sejamos santos em nossa esfera como o Pai o é na Sua! Ele nos pode habilitar aassim fazer, pois declara: "É-Me dado todo o poder no Céu e na Terra." Mat. 28:18. Esse ilimitado poder temos nós oprivilégio de pedir. …Deus opera com aqueles que Lhe representam devidamente o caráter. Sua vontade é feita por meio delesna Terra como é feita no Céu. A santidade leva seu possuidor a ser frutífero, abundante em toda boa obra.… É a obra de nossa vida o avançar para a perfeição do caráter de Cristo, esforçando-nos constantementeem busca da conformidade com a vontade de Deus. Dia a dia cumpre-nos apressar-nos em direção ao alto,sempre para o alto, até que se possa dizer a nosso respeito: "Estais perfeitos nEle." Col. 2:10. Signs of the Times,3 de setembro de 1902. (Acrescentei a definição no parêntese)- Objetivo: É importante destacar o bom procedimento dos novos conversos para confirmá-los, que estão no caminhoestabelecido por Deus para a santificação e encorajá-los em se preparar, pois os que seguem a Cristo fielmenteenfrentam oposição, zombaria e até mesmo acirrada perseguição, para que abandonem a fé uma vez dada aos santos. Domingo: O exemplo da Judeia (1Ts 2:13-16) 1. Que exemplo devemos imitar no contexto da perseguição aos cristãos? Devemos nutrir ódio contra osperseguidores? 1Ts 2:14-1614 Tanto é assim, irmãos, que vos tornastes imitadores das igrejas de Deus existentes na Judéia em CristoJesus; porque também padecestes, da parte dos vossos patrícios, as mesmas coisas que eles, por sua vez,sofreram dos judeus, 15 os quais não somente mataram o Senhor Jesus e os profetas, como também nosperseguiram, e não agradam a Deus, e são adversários de todos os homens, a ponto de nos impedirem defalar aos gentios para que estes sejam salvos, a fim de irem enchendo sempre a medida de seus pecados. Aira, porém, sobreveio contra eles, definitivamente. (1 Ts 2:14-16)- O exemplo a ser imitado, foi o deixado pelos cristãos da Judeia e de Tessalônica, eles foram perseguidos por seuscompatriotas, mas continuaram fieis, seu coração estava inflamado de zelo pelo seu Salvador e pregavam a mensagemcom o poder celeste, e mais e mais se convertiam ao Senhor.Os crentes de Tessalônica eram verdadeiros missionários. Seu coração estava inflamado de zelo pelo seu Salvador, queos livrara do temor da "ira futura". I Tess. 1:10. Mediante a graça de Cristo, operara-se-lhes na vida umatransformação maravilhosa; e a Palavra do Senhor, pregada por eles, era acompanhada de poder. Porintermédio das verdades apresentadas, corações foram ganhos e almas acrescentadas ao número doscrentes. Atos dos Apóstolos, p. 257.- O Cristão como seu Mestre, experimenta severas provas.Cristão alerta é o cristão que trabalha, buscando zelosamente fazer tudo que está em suas forças para o avançamentodo evangelho. À proporção que aumenta o seu amor pelo Redentor, também aumenta por seus semelhantes. Como seu Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  2. 2. Mestre, experimenta ele severas provas, mas não permite que a aflição lhe irrite o temperamento oudestrua a paz de espírito. Sabe que as provações, se bem aceitas, o refinarão e purificarão, pondo-o emíntima comunhão com Cristo. Os que são participantes das aflições de Cristo também participarão de Suaconsolação e por fim de Sua glória. Atos dos Apóstolos, p. 261.- “Imitadores nossos e do Senhor”.Com efeito, vos tornastes imitadores nossos e do Senhor, tendo recebido a palavra, posto que em meio demuita tribulação, com alegria do Espírito Santo, de sorte que vos tornastes o modelo para todos os crentes naMacedônia e na Acaia. (1 Ts 1:6-7)- Paulo imitava a Cristo, os tessalonicenses imitavam Paulo e se tornaram modelo para as igrejas na Macedônia e naAcaia, nós hoje temos como responsabilidade diante do Senhor de aprender, praticar e de servir de exemplo irrefutávelde que o evangelho funciona para todos os que quiserem experimentar."Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo vos amou e Seentregou a Si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave." Efés. 5:1 e 2. Eis a altura a que nosé exigido atingir no amor. E a textura desse amor não é manchada pelo egoísmo. Manuscrito 1, 1899.Compare o instrumento humano sua vida com a de Cristo. ... Imite o exemplo dAquele que viveu a lei deJeová, que disse: "Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai." João 15:10. Os que seguem a Cristo olharãocontinuamente à lei perfeita da liberdade, e pela graça que lhes é dada por Cristo, modelarão o carátersegundo as reivindicações divinas. The Youths Instructor, 13 de outubro de 1894.- A evidência da verdadeira conversão é o amor a Deus e ao homem.Uma das mais fortes evidências da verdadeira conversão é o amor a Deus e ao homem. Os que aceitam aJesus como seu Redentor, têm amor sincero e profundo por outros de fé semelhantemente preciosa . Assimfoi com os crentes de Tessalônica. Atos dos Apóstolos, p. 262. Segunda: A esperança e a alegria de Paulo (1Ts 2:17-20) 2. Por que Paulo desejava rever os tessalonicenses? O que o impedia? O que podemos aprender com o relato?1Ts 2:17-20- Paulo amava os irmãos de Tessalônica “orfanados, por breve tempo, de vossa presença, não, porém, do coração”.eles eram sua esperança, alegria, coroa e glória.Ora, nós, irmãos, orfanados, por breve tempo, de vossa presença, não, porém, do coração, com tanto maisempenho diligenciamos, com grande desejo, ir ver-vos pessoalmente. Por isso, quisemos ir até vós (pelo menos eu,Paulo, não somente uma vez, mas duas); contudo, Satanás nos barrou o caminho. Pois quem é a nossaesperança, ou alegria, ou coroa em que exultamos, na presença de nosso Senhor Jesus em sua vinda? Não soisvós? Sim, vós sois realmente a nossa glória e a nossa alegria! (1 Ts 2:17-20)- “Satanás nos barrou o caminho”.Em todo movimento para diante que Deus nos tem levado a fazer, em todo passo conquistado pelo povo de Deus, temhavido entre nós instrumentos de Satanás prontos a deixar-se ficar atrás e sugerir dúvidas e incredulidade, e a pôrobstáculos em nosso caminho, para nos enfraquecer a fé e o ânimo. Temos tido de portar-nos como guerreiros,dispostos a avançar e lutar disputando o caminho através da oposição suscitada. Isto tem tornado nosso trabalho dezvezes mais difícil, do que do contrário teria sido. Temos tido de ficar firmes e inflexíveis como uma rocha. Testimonies,vol. 3, págs. 315.- Os líderes devem seguir o exemplo apresentado pelo apóstolo e amar os que estão sobre sua responsabilidade, tendoconsciência de que os remidos de Cristo são Suas joias, Como pedras de de uma coroa, Seu precioso e particular tesouro."Qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura não o sois vós também diante de nosso SenhorJesus Cristo em Sua vinda? Na verdade vós sois a nossa glória e gozo." I Tess. 2:19 e 20.Os remidos de Cristo são Suas joias, Seu precioso e particular tesouro. "Como as pedras de uma coroa, elesserão" (Zac. 9:16) - "as riquezas da glória da Sua herança nos santos." Efés. 1:18. "O trabalho da Sua alma Ele verá"neles, "e ficará satisfeito." Isa. 53:11.E não se hão de Seus obreiros regozijar quando, por sua vez, contemplam o fruto de seus trabalhos? Oapóstolo Paulo, escrevendo aos conversos tessalonicenses, diz: "Porque qual é a nossa esperança, ou gozo, oucoroa de glória? Porventura, não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em Sua vinda? Na verdade, vóssois a nossa glória e gozo." I Tess. 2:19 e 20. E exorta os irmãos filipenses a serem "irrepreensíveis e sinceros", aresplandecer "como astros no mundo; retendo a palavra da vida, para que, no dia de Cristo, possa gloriar-me de não tercorrido nem trabalhado em vão." Filip. 2:15 e 16. Obreiros Evangélicos, p. 517.Jesus disse: "Ajuntai para vós outros tesouros no Céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nemroubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração." Mat. 6:20 e 21.A instrução é: "Ajuntai para vós outros tesouros no Céu." Mat. 6:20. É para o vosso próprio interesse assegurar asriquezas celestes. Estas apenas, de tudo quanto possuis, são realmente vossas. O tesouro acumulado no Céu éimperecível. Nenhum incêndio ou inundação o pode destruir, ladrão algum o pode arrebatar, nenhuma traça ou ferrugemcorrompê-lo; pois se encontra sob a guarda de Deus. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  3. 3. Este tesouro, que Cristo considera precioso acima de toda estimação, são "as riquezas da glória da Sua herançanos santos". Efés. 1:18. Os discípulos de Cristo são chamados Suas jóias, Seu precioso e peculiar tesouro. Elediz: "Como as pedras de uma coroa, eles serão." Zac. 9:16. "Farei que um homem seja mais precioso do que o ouro puroe mais raro do que o ouro fino de Ofir." Isa. 13:12. Cristo considera Seu povo, em sua pureza e perfeição, como arecompensa de todos os Seus sofrimentos, Sua humilhação, Seu amor e como o suplemento de Sua glória -Cristo, o grande Centro de onde toda a glória irradia.E é-nos permitido unir-nos com Ele na grande obra da redenção, e ser participantes com Ele nas riquezas que Sua mortee sofrimento conquistaram. O apóstolo Paulo escreveu aos cristãos tessalonicenses: "Qual é a nossa esperança, ou gozo,ou coroa de glória? Porventura, não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em Sua vinda? Na verdade,vós sois a nossa glória e gozo." I Tess. 2:19 e 20. Este é o tesouro pelo qual Cristo nos pede trabalhar. O caráter éa grande colheita da vida. E toda palavra ou ato que, mediante a graça de Cristo, suscita em uma alma umimpulso em direção ao Céu, todo esforço que tende à formação de um caráter cristão, é depositar tesourono Céu.Onde se acha o tesouro, aí estará também o coração. Em todo esforço para beneficiar a outros, beneficiamo-nos a nósmesmos. O Maior Discurso de Cristo, pp. 88-90. Terça: A visita do substituto de Timóteo (1Ts 3:1-5) 3. Em que contexto mais amplo Paulo via seus sofrimentos e os dos tessalonicenses? 1Ts 3:1-5; Mt 24:9-22- No contexto do grande conflito entre Deus e satanás, Paulo até aquele momento (Enquanto esperava informações por meio deSilas e Timóteo), temia que o Tentador provasse os tessalonicenses, e se tornasse inútil o seu trabalho em prol da salvaçãodeles.Pelo que, não podendo suportar mais o cuidado por vós, pareceu-nos bem ficar sozinhos em Atenas; eenviamos nosso irmão Timóteo, ministro de Deus no evangelho de Cristo, para, em benefício da vossa fé,confirmar-vos e exortar-vos, a fim de que ninguém se inquiete com estas tribulações. Porque vós mesmossabeis que estamos designados para isto; pois, quando ainda estávamos convosco, predissemos que íamos ser afligidos,o que, de fato, aconteceu e é do vosso conhecimento. Foi por isso que, já não me sendo possível continuaresperando, mandei indagar o estado da vossa fé, temendo que o Tentador vos provasse, e se tornasse inútilo nosso labor. (1 Ts 3:1-5)- Por amor aos tessalonicenses Paulo enviou seu companheiro Timóteo e no que respeita à amizade humana, sentia-seinteiramente só.Nessa grande cidade (Atenas), onde Deus não era adorado, Paulo foi opresso por um sentimento de solidão, eanelou a simpatia e o auxílio de seus colaboradores. No que respeita à amizade humana, sentia-seinteiramente só. Em sua epístola aos tessalonicenses, ele exprimiu seus sentimentos nas palavras: "Deixar-nos ficar sós em Atenas." I Tess. 3:1. Obstáculos aparentemente intransponíveis se apresentaram diante dele,fazendo com que se lhe afigurasse quase, sem esperança a tentativa de alcançar o coração do povo.Enquanto esperava por Silas e Timóteo, Paulo não ficou ocioso. "Disputava na sinagoga com os judeus e religiosos, etodos os dias na praça com os que se apresentavam." Atos 17:17. Atos dos Apóstolos, p. 234.- A aflição causada pela perseguição não deve ser surpresa. Recebemos muitas advertências sobre isso, por isso éimportante estar unidos com cristo, para sairmos vencedores.Então, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome. Nessetempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros; levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão amuitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim,esse será salvo. E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então,virá o fim... (Mat. 24:9-22)- A proclamação do evangelho sempre tem sido levada avante neste mundo em face de oposição, perigos, perdas esofrimentos."No mundo tereis aflições." João 16:33. "Lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e àsprisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do Meu nome." "E até pelos pais, e irmãos, eparentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós." Luc. 21:12 e 16.Essa profecia tem sido marcadamente cumprida. Toda indignidade, toda injúria, toda crueldade queSatanás podia instigar o coração humano a imaginar, têm recaído sobre os seguidores de Jesus. E isso seráde novo notadamente cumprido; pois o coração carnal está ainda em inimizade com a lei de Deus, e não se sujeitará aSeus mandamentos. O mundo não está hoje em maior harmonia com os princípios de Cristo, do que esteve no dia dosapóstolos. O mesmo ódio que motivou o clamor: "Crucifica-O! Crucifica-O!" (Luc. 23:21), o mesmo ódio que levou aperseguição aos discípulos, ainda opera nos filhos da desobediência. O mesmo espírito que nos séculosescuros enviou homens e mulheres à prisão, ao exílio, e à morte; que concebeu as atrozes torturas dainquisição; que planejou e executou o massacre de São Bartolomeu e acendeu as fogueiras de Smithfield,está ainda agindo com maligna energia em corações não regenerados. A história da verdade tem sidosempre o relato da luta entre o direito e o erro. A proclamação do evangelho sempre tem sido levadaavante neste mundo em face de oposição, perigos, perdas e sofrimentos.Em que consistia a força daqueles que no passado sofreram perseguição por amor a Cristo? Era a união comDeus, união com o Espírito Santo, união com Cristo. A acusação e a perseguição têm separado muitos deseus amigos terrestres, mas nunca do amor de Cristo. Nunca a alma, provada pela tempestade, é maisencarecidamente amada por seu Salvador do que quando sofre a perseguição por amor à verdade. "Eu o amarei", disse Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  4. 4. Cristo, "e Me manifestarei a ele." João 14:21. Quando, por causa da verdade, o crente se acha perante ostribunais terrestres, Cristo Se acha a seu lado. Quando é encerrado entre as paredes da prisão, Cristo Selhe manifesta e com Seu amor lhe anima o coração. Quando sofre a morte por amor a Cristo, o Salvador lhediz: Eles podem matar o corpo, mas não podem matar a alma. "Tende bom Pág. 86 ânimo, Eu venci o mundo."João 16:33. "Não temas, porque Eu sou contigo; não te assombres, porque Eu sou teu Deus: Eu te esforço, e te ajudo, e tesustento com a destra da Minha justiça." Isa. 41:10."Os que confiam no Senhor serão como o Monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. Como estão osmontes à roda de Jerusalém, assim o Senhor está em volta do Seu povo desde agora e para sempre." Sal. 125:1 e 2."Libertará as suas almas do engano e da violência, e precioso será o seu sangue aos olhos dEle." Sal. 72:14. "O Senhordos exércitos os amparará." "E o Senhor seu Deus naquele dia os salvará, como ao rebanho do Seu povo; porque comoas pedras de uma coroa eles serão exaltados na sua terra." Zac. 9:15 e 16. Atos dos Apóstolos, pp. 84-86. Quarta: O resultado da visita de Timóteo (1Ts 3:6-10) 4. Timóteo foi enviado para encorajar os tessalonicenses. Que aspectos do relatório de Timóteo trouxeram alegria eencorajamento a Paulo? 1Ts 3:6-8- Trouxera-lhe "boas notícias" da "fé e caridade" dos irmãos, bem como sua firmeza no Senhor; e também o grandedesejo deles de revê-lo.Agora, porém, com o regresso de Timóteo, vindo do vosso meio, trazendo-nos boas notícias da vossa fé e dovosso amor, e, ainda, de que sempre guardais grata lembrança de nós, desejando muito ver-nos, como, aliás,também nós a vós outros, sim, irmãos, por isso, fomos consolados acerca de vós, pela vossa fé, apesar de todasas nossas privações e tribulação, porque, agora, vivemos, se é que estais firmados no Senhor. (1 Ts 3:6-8)A chegada de Silas e Timóteo, vindos da Macedônia enquanto Paulo se encontrava em Corinto, alegrara muito aoapóstolo. Trouxera-lhe "boas notícias" da "fé e caridade" dos que haviam aceitado a verdade durante aprimeira visita dos mensageiros evangélicos a Tessalônica. O coração de Paulo se comoveu com a maisterna simpatia para com esses crentes que, em meio às provações e adversidades, se haviam mantido fiéisa Deus. Atos dos Apóstolos, p. 255. 5. Qual era a razão da vida de oração de Paulo? O que podemos aprender com seu exemplo? 1Ts 3:9, 10- O apóstolo expressa sua gratidão a Deus pelas alegres novas do progresso prático que alcançaram na fé; e orava noitee dia, com máximo empenho, para vos ver pessoalmente para suprir as deficiências espirituais deles.Pois que ações de graças podemos tributar a Deus no tocante a vós outros, por toda a alegria com que nosregozijamos por vossa causa, diante do nosso Deus, orando noite e dia, com máximo empenho, para vos verpessoalmente e reparar as deficiências da vossa fé? (1 Ts 3:9-10)Desejou muito visitá-los pessoalmente; como, porém, isto fosse impossível então, escreveu-lhes. Nestacarta à igreja de Tessalônica, o apóstolo expressa sua gratidão a Deus pelas alegres novas do progresso poreles alcançado na fé. "Irmãos", escreveu, "ficamos consolados acerca de vós, em toda a nossa aflição e necessidade,pela vossa fé, porque agora vivemos, se estais firmes no Senhor. Porque, que ação de graças poderemos dar a Deus porvós, por todo o gozo com que nos regozijamos por vossa causa diante do nosso Deus, orando abundantemente dia enoite, para que possamos ver o vosso rosto, e supramos o que falta à vossa fé? "Sempre damos graças a Deus por vóstodos, fazendo menção de vós em nossas orações, lembrando-nos sem cessar da obra da vossa fé, do trabalho dacaridade, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai." I Tess. 1:2 e 3.Muitos dos crentes de Tessalônica haviam-se convertido dos ídolos a Deus, "para servir ao Deus vivo e verdadeiro". Eleshaviam recebido "a palavra em muita tribulação"; e seu coração estava cheio do "gozo do Espírito Santo". Oapóstolo declarou que em sua fidelidade em seguir ao Senhor, haviam eles sido "exemplo para todos os fiéis naMacedônia e Acaia". Essas palavras de louvor não eram imerecidas; "porque por vós", escreveu ele, "soou a Palavra doSenhor, não somente na Macedônia e Acaia, mas também em todos os lugares a vossa fé para com Deus se espalhou". ITess. 1:6-8.Os crentes de Tessalônica eram verdadeiros missionários. Seu coração estava inflamado de zelo pelo seu Salvador, queos livrara do temor da "ira futura". I Tess. 1:10. Mediante a graça de Cristo, operara-se-lhes na vida uma transformaçãomaravilhosa; e a Palavra do Senhor, pregada por eles, era acompanhada de poder. Por intermédio das verdadesapresentadas, corações foram ganhos e almas acrescentadas ao número dos crentes. Atos dos Apóstolos, pp. 255-256.- A oração é nossa ligação com o Céu, é comunhão com Deus, é o meio que conduz nossa gratidão e anseios de almapela bênção divina ao trono de Deus.Paulo tinha tão constante receio de que suas más propensões lhe levassem a melhor, que estava constantementecombatendo, com firme resistência, apetites e paixões ingovernáveis. Se o grande apóstolo estremecia em vista de suasfraquezas, quem tem o direito de sentir-se presunçoso e arrogante? No momento em que começamos a sentir-nos auto-suficientes e presunçosos, estamos em perigo de um ignominioso fracasso.Nossa única proteção segura contra pecados assediantes é a oração, a oração diária e frequente. Não sendozeloso num dia e descuidado no dia seguinte; mas, por meio de vigilância e diligência, sendo vitalizados pelacomunhão com Deus. A oração é necessária, e não devemos esperar pelo sentimento, mas orar, orarfervorosamente, quer nos sintamos dispostos a fazê-lo, quer não. O Céu está aberto a nossas orações . Aoração é o meio que conduz nossa gratidão e anseios de alma pela bênção divina ao trono de Deus , paranos serem retribuídos em refrigerantes aguaceiros da graça divina. Da parte de muitos, permite-se que esseconduto se congele, e então é interrompida a ligação com o Céu. ... Oxalá (Deus Queira) passássemos mais tempo Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com
  5. 5. prostrados de joelhos e menos tempo planejando para nós mesmos e pensando que podemos fazer alguma coisa grande.Carta 52, 1874. (Acrescentei a definição no parêntese) Quinta: Orações renovadas de Paulo (1Ts 3:11-13) 6. O que Paulo incluiu em suas orações pelos tessalonicenses após a chegada de Timóteo? 1Ts 3:11-13- O Apóstolo pediu a Deus em suas orações que guiasse os fieis de Tessalônica e que os fizesse crescer no amor de unspara com os outros e para com todos, para que o coração deles fosse confirmado em santidade e isento de culpa, napresença de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus.Ora, o nosso mesmo Deus e Pai, e Jesus, nosso Senhor, dirijam-nos o caminho até vós, e o Senhor vos faça crescer eaumentar no amor uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco, a fim deque seja o vosso coração confirmado em santidade, isento de culpa, na presença de nosso Deus e Pai, navinda de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos. (1 Ts 3:11-13)- O verdadeiro evangelismo leva a relacionamentos profundos e permanentes, que começam aqui, e que se estendempor toda a eternidade.Devemos seguir o exemplo dado por Cristo, e torná-Lo nosso modelo, até que estejamos possuídos paracom os outros do mesmo amor que Ele nos manifestou. …O amor e a simpatia que Jesus quer que dediquemos aos outros, não quer dizer sentimentalismo, o que éum laço para a alma; é um amor de origem celeste, que Jesus exemplifica tanto pelo preceito como peloexemplo. Mas em vez de manifestar este amor, quantas vezes nos alienamos e nos afastamos uns dos outros! ... Oresultado é afastamento de Deus, o raquitismo na vida espiritual, o impedimento do crescimento cristão. …O amor de Jesus é um princípio ativo, unindo entre si os corações em laços de companheirismo cristão. Todo aqueleque entrar no Céu, terá sido na Terra aperfeiçoado no amor; pois no Céu o Redentor e os redimidos serãoobjeto de nosso interesse. The Youths Instructor, 20 de outubro de 1892.- Amigos que a morte havia separado são reunidos, para nunca mais se separarem."Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?" I Cor. 15:54 e 55.Então os santos vivos e os ressuscitados erguem suas vozes em uma aclamação de vitória, longa e arrebatadora.Aqueles corpos que haviam descido à sepultura levando os sinais da enfermidade e morte, surgem com saúde e vigorimortais. Os santos vivos são transformados em um momento, num abrir e fechar de olhos, e arrebatados com osressuscitados; e juntos encontram seu Senhor nos ares. Oh, que reunião gloriosa! Amigos que a morte haviaseparado são reunidos, para nunca mais se separarem. História da redenção, pp. 411-412. Sexta: Estudo adicional- Conclusão: Com “Amigos para sempre” aprendi que ...- É importante destacar o bom procedimento dos novos conversos para confirmá-los, que estão no caminho estabelecidopor Deus para a santificação. O verdadeiro evangelismo leva a relacionamentos profundos e permanentes, que começamaqui, e que se estendem por toda a eternidade. Amigos que a morte havia separado são reunidos, para nunca mais sesepararem.- O exemplo da Judeia e de Tessalônica, deve ser imitado, eles foram perseguidos por seus próprios compatriotas, mascontinuaram fieis, seu coração estava inflamado de zelo pelo seu Salvador e pregavam a mensagem com o poderceleste, e mais e mais se convertiam ao Senhor. A evidência da verdadeira conversão é o amor a Deus e ao homem.- A esperança e a alegria de Paulo: Paulo amava os irmãos de Tessalônica, eles eram sua esperança, alegria, coroa eglória. Os líderes devem seguir o exemplo apresentado pelo apóstolo e amar os que estão sobre sua responsabilidade,tendo consciência de que os remidos de Cristo são Suas joias, Como pedras de de uma coroa, Seu precioso e particulartesouro.- A visita do substituto foi por amor aos tessalonicenses, Paulo enviou seu companheiro Timóteo, e no que respeita àamizade humana, sentia-se inteiramente só. A aflição causada pela perseguição não deve ser surpresa. Recebemosmuitas advertências sobre isso, por isso é importante estar unidos com cristo, para sairmos vencedores. A proclamaçãodo evangelho sempre tem sido levada avante neste mundo em face de oposição, perigos, perdas e sofrimentos.- O resultado da visita de Timóteo: Trouxera-lhe "boas notícias" da "fé e caridade" dos irmãos, bem como sua firmeza noSenhor; e também o grande desejo deles de revê-lo. O apóstolo expressa sua gratidão a Deus pelas alegres novas doprogresso prático que alcançaram na fé; e orava noite e dia, com máximo empenho, para vos ver pessoalmente parasuprir as deficiências espirituais deles.A oração é nossa ligação com o Céu, é comunhão com Deus, é o meio que conduz nossa gratidão e anseios de alma pelabênção divina ao trono de Deus.- Orações renovadas de Paulo: O Apóstolo pediu a Deus em suas orações que guiasse os fieis de Tessalônica e que osfizesse crescer no amor de uns para com os outros e para com todos, para que o coração deles fosse confirmado emsantidade e isento de culpa, na presença de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos. e-mail: ramos@advir.com

×