Abraão: o primeiro missionário_232015

226 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
226
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Abraão: o primeiro missionário_232015

  1. 1. Lições Adultos Missionários Lição 2 - Abraão: o primeiro missionário 4 a 11 de julho ❉ Sábado - “Considerem o exemplo de Abraão: ‘Ele creu em Deus, e isso lhe foi creditado como justiça’. Estejam certos, portanto, de que os que são da fé, estes é que são filhos de Abraão. Prevendo a Escritura que Deus justificaria pela fé os gentios, anunciou primeiro as boas-novas a Abraão: ‘Por meio de você todas as nações serão abençoadas’” (Gl 3:6-8, NVI). O apóstolo dos gentios, em sua carta aos crentes de Roma, chama a atenção para esta característica do ensino de Isaías. "Isaías ousadamente", declara Paulo, "diz: Fui achado pelos que Me não buscavam, fui manifestado aos que por Mim não perguntavam." Rom. 10:20. Não raro os israelitas pareceram incapazes ou indispostos de compreender os propósitos de Deus pelos gentios. Contudo fora este mesmo propósito que fizera deles um povo separado, e os havia estabelecido como uma nação independente entre as nações da Terra. Abraão, seu ascendente, a quem a promessa do concerto fora primeiramente feita, havia sido chamado a sair do meio de sua parentela e ir às regiões longínquas, a fim de que pudesse ser portador de luz aos gentios. Embora a promessa a ele incluísse uma posteridade tão numerosa quanto a areia do mar, não foi para qualquer propósito egoísta que ele devia tornar-se o fundador de uma grande nação na terra de Canaã. O concerto de Deus com ele envolvia todas as nações da Terra. "Abençoar-te- ei", declarou Jeová, "e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da Terra." Gên. 12:2 e 3. Na repetição do concerto pouco antes do nascimento de Isaque, o propósito de Deus para a humanidade fora mais uma vez tornado claro. "Nele serão benditas todas as nações da Terra" (Gên. 18:18), foi a afirmação do Senhor com respeito ao filho da promessa. E mais tarde, o visitante celestial uma vez mais declarou: "Em tua semente serão benditas todas as nações da Terra." Gên. 22:18. Os termos todo-abrangentes deste concerto eram familiares aos filhos de Abraão, e aos filhos de seus filhos. Fora para que os israelitas pudessem ser uma bênção às nações, e para que o nome de Deus fosse "anunciado em toda a Terra" (Êxo. 9:16), que eles foram libertos do cativeiro egípcio. Se obedientes a Seus reclamos, seriam colocados na vanguarda dos outros povos em sabedoria e entendimento; mas esta supremacia devia ser alcançada e mantida unicamente para que por meio deles o propósito de Deus para "todas as nações da Terra" pudesse ser cumprido. Profetas e Reis, pp. 367-378. ❉ Domingo - O chamado de Abraão Ano Bíblico: Sl 119 ● 1. Que princípios você pode encontrar em Gênesis 12:1-3 que podem ser aplicados à nossa situação? O que Abraão experimentou e nós também podemos experimentar em nosso próprio modo de viver? Ver também Hebreus 11:8-10. Gn 12:1-3, (ACF); 1 Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. 2 E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. 3 E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. ► 1. Deus pode pedir que deixemos tudo para trás e, confiando nEle, iniciemos uma etapa nova e desconhecida em nossa vida, porém se Ele pedir que façamos isso, é para que nos tornemos uma bênção aos outros. RSL A Obediência Incondicional de Abraão Deus escolheu Abraão como Seu mensageiro através do qual comunicaria luz ao mundo. A palavra de Deus Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. veio a ele, não com o oferecimento de perspectivas lisonjeiras nesta vida, de elevado salário, ou de grande reconhecimento e honras mundanas. "Sai da tua terra. ... para a terra que te mostrarei" (Gên.12:1), foi a mensagem divina a Abraão. O patriarca obedeceu, "e partiu sem saber aonde ia" (Heb.11:8), como portador da luz divina, a fim de manter o Seu nome lembrado na Terra. Ele abandonou seu país, sua casa, seus parentes, e todas as relações amistosas ligadas a sua vida primitiva, a fim de tornar-se peregrino e estrangeiro. … Antes que Deus pudesse usá-lo, Abraão teve de separar-se de seus companheiros, para não ser controlado por influências humanas ou confiar no auxílio humano. Agora, que ele se havia ligado a Deus, precisaria habitar entre estranhos. Seu caráter precisaria ser especial, diferente de todos os demais no mundo. Ele não podia sequer explicar seu modo de proceder, de maneira a ser compreendido por seus amigos, pois eles eram idólatras. As coisas espirituais precisam ser discernidas espiritualmente; consequentemente, seus motivos e ações estavam além da compreensão de seus parentes e amigos. A obediência incondicional de Abraão foi um dos mais notáveis exemplos de fé e confiança em Deus encontrados no Registro Sagrado. Tendo apenas a simples promessa de que os seus descendentes possuiriam a terra de Canaã, sem a menor evidência externa, ele seguiu para onde Deus o conduziria, cumprindo sincera e integralmente as condições que lhe competiam, e confiando em que o Senhor fielmente cumpriria a Sua palavra. O patriarca foi onde quer que Deus indicasse ser seu dever; atravessou o deserto sem temor; penetrou em nações idólatras com o único pensamento: "Deus falou; estou obedecendo a Sua voz; Ele me guiará e protegerá." Os mensageiros de Deus necessitam hoje exatamente da mesma fé e confiança que Abraão teve. Mas muitos que poderiam ser usados por Deus não avançam, ouvindo e obedecendo à Voz que é superior a todas as outras. ... O Senhor faria muito mais por Seus servos se eles fossem totalmente consagrados a Ele, e colocassem o Seu serviço acima dos laços de parentesco e de todas as demais relações terrenas. Testimonies, vol. 4, págs. 523 e 524. ❉ Segunda - O testemunho de Abraão para os reis Ano Bíblico: Sl 120–134 ● 2. Leia Gênesis 14:8-24. O que os atos de Abraão dizem sobre seu caráter e, consequentemente, sobre sua fé e seu Deus? Gn 14:8-24, (kja); 8 Então os reis de Sodoma, de Gomorra, de Admá, de Zeboim e de Beta, que é Zoar, marcharam e tomaram posição de combate no vale de Sidim, 9 contra Quedorlaomer, rei de Elão, contra Tidal, rei de Goim, contra Anrafel, rei de Sinear, contra Arioque, rei de Elasar: quatro reis contra cinco! 10 Ora, o vale de Sidim estava repleto de poços de betume; os reis de Sodoma e de Gomorra fugiram; alguns dos seus homens caíram nos poços e o restante conseguiu fugir para os montes. 11 Tomaram, portanto, todos os bens de Sodoma e de Gomorra e todo o seu mantimento, e se foram. 12 Apossaram-se também de Ló, filho do irmão de Abrão, que morava em Sodoma, e dos seus bens, e partiram. 13 Contudo, veio um, que escapara, e deu a notícia a Abrão, o hebreu; este habitava junto aos carvalhais de Manre, o amorreu. Manre e seus irmãos Escol e Aner eram aliados de Abrão. 14 Quando Abrão ouviu que seu parente fora levado prisioneiro, mandou convocar os melhores trezentos e dezoito homens treinados para a guerra, nascidos em sua propriedade, e partiu em perseguição aos inimigos de Dã. 15 Atacou-os durante a noite em grupos, e assim os venceu, perseguindo-os até Hobá, ao norte de Damasco. 16 Conseguiu recuperar todos os bens e trouxe de volta seu parente Ló com tudo o que possuía, juntamente com as mulheres e todos os demais prisioneiros. 17 Após voltar Abrão de sua vitória sobre Quedorlaomer e sobre os reis que estavam com ele, saiu-lhe ao encontro o rei de Sodoma, no vale de Savé, que é o vale do Rei. 18 Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho 19 e abençoou Abrão, dizendo: “Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que criou os céus e a terra! 20 Seja louvado o Deus Altíssimo, que entregou teus inimigos nas tuas mãos!” Então Abrão lhe entregou o dízimo de tudo. 21 Mais tarde, o rei de Sodoma propôs a Abrão: “Dá-me as pessoas, e os bens poderão ficar todos contigo!” 22 Mas Abrão declarou ao rei de Sodoma: “Ergo minhas mãos em adoração ao SENHOR, o Deus Altíssimo, Criador dos céus e da terra, 23 e juro que não ficarei com nada do que é teu, nem um fio de linha ou uma tira de sandália, para que jamais venhas a reclamar: “Abrão ficou rico à minha custa!” 24 Nada quero para mim, senão o que os meus servos comeram e a porção pertencente a Aner, Escol e Manre, os quais me acompanharam. Que eles recebam seu devido quinhão! ► 2. Abraão era alguém sempre pronto a socorrer e defender os oprimidos, não agia movido pelo desejo de ganho pessoal nem tirava vantagem do infortúnio de outros. RSL Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. Abraão, habitando em paz nos carvalhais de Manre, soube por um dos fugitivos a história da batalha, e a calamidade que sobreviera ao sobrinho. Não alimentara qualquer lembrança desagradável da ingratidão de Ló. Despertou-se toda a sua afeição por ele, e decidiu que devia ser libertado. Procurando antes de tudo o conselho divino, Abraão preparou-se para a guerra. Do seu próprio acampamento convocou trezentos e dezoito servos adestrados, homens ensinados no temor de Deus, no serviço de seu senhor, e no uso das armas. Seus aliados, Manre, Escol e Aner, uniram-se a ele com os seus grupos, e juntos partiram em perseguição dos invasores. Os elamitas e seus aliados tinham-se acampado em Dã, na fronteira ao Norte de Canaã. Entusiasmados pela vitória, e não tendo receio de um assalto por parte de seus adversários vencidos, entregaram-se à orgia. O patriarca dividiu suas forças de modo a aproximar-se por diversas direções, e veio sobre o acampamento à noite. Seu ataque, tão vigoroso e inesperado, resultou em uma rápida vitória. O rei de Elão foi morto, e suas forças, tomadas de pânico foram postas em fuga. Ló e sua família, com todos os prisioneiros e seus bens, foram recuperados, e um rico despojo caiu nas mãos dos vitoriosos. A Abraão, abaixo de Deus, foi devido o triunfo. O adorador de Jeová não somente havia prestado um grande serviço ao país, mas mostrara-se ser um homem de valor. Viu-se que a justiça não é covardia, e que a religião de Abraão tornava-o corajoso ao manter o direito e defender os oprimidos. Seu heróico ato deu-lhe uma dilatada influência entre as tribos circunvizinhas. À sua volta, o rei de Sodoma saiu com seu séquito para honrar o vencedor. Rogou-lhe que tomasse os bens, pedindo tão-somente que os prisioneiros fossem restituídos. Pelos usos da guerra, o despojo pertencia aos vencedores; mas Abraão não empreendera esta expedição com o intuito de lucros, e recusou-se a tirar vantagem daquele que fora infeliz, estipulando apenas que seus aliados recebessem a parte a que tinham direito. Poucos, sendo submetidos a tal prova, ter-se-iam mostrado tão nobres como Abraão. Poucos teriam resistido à tentação de adquirir um despojo tão rico. Seu exemplo é uma reprovação aos espíritos egoístas e mercenários. Abraão tomava em consideração os direitos da justiça e humanidade. Sua conduta ilustra a máxima inspirada: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo". Lev. 19:18. "Levantei minha mão ao Senhor", disse ele, "o Deus altíssimo, o Possuidor dos Céus e da Terra, que desde um fio até à correia dum sapato, não tomarei coisa alguma de tudo o que é teu, para que não digas: Eu enriqueci a Abraão." Gên. 14:17-24. Ele não lhes daria ocasião para pensarem que se empenhara em guerra por amor ao ganho, ou para atribuírem sua prosperidade a dádivas ou favor deles. Deus prometera abençoar Abraão, e a Ele seria atribuída a glória. Patriarcas e Profetas, 135-136. ❉ Terça - Exemplo de fé Ano Bíblico: Sl 135–139 ● 3. O que Hebreus 11:8-19 nos diz sobre Abraão e sua fé que é tão importante para alguém que deseja ser missionário para Deus em qualquer área de atuação? Hb 11:8-19, (kja); 8 Pela fé Abraão, quando convocado, obedeceu e dirigiu-se a um lugar que no futuro receberia como herança, embora não soubesse para onde estava sendo dirigido. 9 Mediante a fé, peregrinou na terra prometida como se fosse terra estrangeira, habitando em tendas, assim como Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa. 10 Porquanto, aguardava alcançar a cidade que tem alicerces magníficos, da qual Deus é o arquiteto e edificador. 11 Por meio da fé, da mesma forma, a própria Sara recebeu poder para gerar filhos, ainda que estéril e avançada em idade, porque considerou fidedigno Aquele que lhe havia feito a promessa. 12 Sendo assim, daquele homem, já sem virilidade, nasceu uma descendência tão numerosa como as estrelas do céu, e incontável como os grãos de areia à beira-mar. 13 Todos esses viveram pela fé, e morreram sem ter recebido o que havia sido prometido; contudo, viram-no de longe e à distância o saudaram, reconhecendo que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra. 14 Os que se expressam dessa maneira demonstram que estão em busca de uma pátria. 15 Pois, se estivessem cogitando sobre aquela de onde saíram, teriam a possibilidade de voltar. 16 Em vez disso, aguardavam eles pela pátria excelente, ou seja, a pátria celestial. Por esse motivo, Deus não se constrange de ser conhecido como o Deus deles, mas lhes preparou uma cidade. 17 Pela fé, Abraão, no tempo em que Deus o expôs à prova, ofereceu-lhe Isaque como sacrifício; aquele que havia recebido as promessas estava mesmo a ponto de sacrificar seu unigênito, 18 ainda que Deus lhe tivesse prometido: “Por intermédio de Isaque, sua descendência será estabelecida”; 19 porquanto, acreditou que Deus era suficientemente poderoso para ressuscitá-lo dentre os mortos e, simbolicamente, recebeu Isaque de volta dentre os mortos. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. ► 3. A fé que Abraão teve foi demonstrada quando ele deixou para trás sua maneira de viver, ao sair sem saber aonde ia e o que o futuro lhe reservava, ao ter em vista a vida eterna e considerar-se alguém que estava neste mundo só de passagem; porém, o supremo exemplo de fé foi entregar a Deus o que de mais precioso tinha, seu filho, e continuar confiando nEle. RSL Uma Prova de Fé Quando Deus ordenou a Abraão que deixasse sua terra e seus amigos, poderia ele ter arrazoado e posto em dúvida os propósitos de Deus no caso. Mostrou, porém, que tinha perfeita confiança de que Deus o estava dirigindo; não perguntou se a terra para onde devia ir era fértil, aprazível, ou se teria facilidades ou não. Foi, por ordem de Deus. Esta é uma lição a cada um de nós. Quando o dever parece levar-nos contrariamente às nossas inclinações, devemos ter fé em Deus. Há os que estão em condições favoráveis... em todas as coisas desta vida, mas Deus talvez tenha para eles uma obra a realizar em outra parte - obra que não poderiam realizar entre os parentes e amigos. A própria situação de conforto, e os parentes que os rodeiam, podem impedi-los de desenvolver justamente os traços de caráter que Deus deseja que formem. Mas Deus vê que, mudar-lhes os encargos, e enviá-los para ambiente inteiramente diverso, será na verdade o melhor procedimento para formarem um caráter que O glorifique. ... Quando nos estabelecemos onde tudo é comodidade e conforto, não sentimos tanto a necessidade de confiar em Deus, momento a momento. Deus, em Sua providência, leva-nos a posições em que sintamos necessidade de Seu auxílio e força, e Ele gosta de revelar-Se a nós. ... Diz-se de Abraão que ele aguardava uma cidade cujo artífice e construtor é Deus. ... Assim se dá conosco. Somos apenas peregrinos e forasteiros neste mundo. Buscamos a cidade que Abraão aguardava, cujo artífice e construtor é Deus. Manuscrito 19, 1886. ❉ Quarta - Abraão, o peregrino Ano Bíblico: Sl 140–144 “Abraão foi testado para ver se ouviria a voz de Deus e obedeceria. Vira o Senhor que não seria para o melhor interesse espiritual de Abraão permanecer em seu país e entre seus familiares, onde não pudesse exercer sobre eles aquela influência que seria uma bênção. Ordenou-lhe que os deixasse. Abraão era um homem rico, mas na maior simplicidade obedeceu a Deus e saiu, como peregrino em país estranho”. Carta 109, 1899. ● 4. Quais são algumas das lições espirituais que Abraão obteve nos seguintes locais? Moré, em Siquém: (Gn 12:6-7) Gn 12:6-7, (kja); 6 Abrão atravessou toda a terra até o lugar onde ficava uma árvore sagrada chamada Carvalho de Moré, em Siquém. Naquele tempo, os cananeus viviam nessa região. 7 Então o SENHOR apareceu a Abrão e lhe prometeu: “É à tua descendência que darei esta terra!” E Abrão construiu ali um altar dedicado a Yahweh, porquanto ali o SENHOR havia aparecido e falado com ele. ► Em Siquém, Abraão acreditou em Deus quando Este lhe fez a promessa de que daria à sua descendência aquela terra (ele não tinha filhos). RSL Hebrom (Gn 13:18–14:20): Gn 13:18, (kja); 18 Então Abrão mudou com todas as suas tendas e foi estabelecer-se próximo à região sagrada dos carvalhos de Manre, na cidade de Hebrom, onde construiu um altar dedicado ao SENHOR. Gn 14:1-20, (kja); 1 Naquele tempo, Anrafel, rei de Sinear; Arioque, rei de Elasar; Quedorlaomer, rei de Elão; e Tidal, rei de Goim, 2 saíram à guerra contra Bera, rei de Sodoma; contra Birsa, rei de Gomorra; contra Sinabe, rei de Admá; contra Semeber, rei de Zeboim; e contra o rei de Belá, que é Zoar. 3 Todos esses últimos juntaram seus exércitos no vale de Sidim, onde fica o mar do Sal. 4 Por doze anos ficaram sujeitos a Quedorlaomer, mas no décimo terceiro ano revoltaram-se. 5 No décimo quarto ano, Quedorlaomer e os reis que a ele tinham-se aliado derrotaram os refains em Asterote-Carnaim, os zuzins em Hã, os emins em Savé- Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. Quiriataim, 6 e os horeus desde os montes de Seir até El-Parã, próximo ao deserto. 7 Depois, voltaram e foram para En-Mispate, que é Cades, e conquistaram todo o território dos amalequitas e dos amorreus que viviam em Hazazom-Tamar. 8 Então os reis de Sodoma, de Gomorra, de Admá, de Zeboim e de Beta, que é Zoar, marcharam e tomaram posição de combate no vale de Sidim, 9 contra Quedorlaomer, rei de Elão, contra Tidal, rei de Goim, contra Anrafel, rei de Sinear, contra Arioque, rei de Elasar: quatro reis contra cinco! 10 Ora, o vale de Sidim estava repleto de poços de betume; os reis de Sodoma e de Gomorra fugiram; alguns dos seus homens caíram nos poços e o restante conseguiu fugir para os montes. 11 Tomaram, portanto, todos os bens de Sodoma e de Gomorra e todo o seu mantimento, e se foram. 12 Apossaram-se também de Ló, filho do irmão de Abrão, que morava em Sodoma, e dos seus bens, e partiram. 13 Contudo, veio um, que escapara, e deu a notícia a Abrão, o hebreu; este habitava junto aos carvalhais de Manre, o amorreu. Manre e seus irmãos Escol e Aner eram aliados de Abrão. 14 Quando Abrão ouviu que seu parente fora levado prisioneiro, mandou convocar os melhores trezentos e dezoito homens treinados para a guerra, nascidos em sua propriedade, e partiu em perseguição aos inimigos de Dã. 15 Atacou-os durante a noite em grupos, e assim os venceu, perseguindo-os até Hobá, ao norte de Damasco. 16 Conseguiu recuperar todos os bens e trouxe de volta seu parente Ló com tudo o que possuía, juntamente com as mulheres e todos os demais prisioneiros. 17 Após voltar Abrão de sua vitória sobre Quedorlaomer e sobre os reis que estavam com ele, saiu-lhe ao encontro o rei de Sodoma, no vale de Savé, que é o vale do Rei. 18 Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho 19 e abençoou Abrão, dizendo: “Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, que criou os céus e a terra! 20 Seja louvado o Deus Altíssimo, que entregou teus inimigos nas tuas mãos!” Então Abrão lhe entregou o dízimo de tudo. ► Em Hebrom, confiou em Deus ao sair contra os captores de Ló, e Deus lhe concedeu a vitória. RSL Manre (Gn 18:1, 20-23): Gn 18:1, (kja); 1 O SENHOR apareceu a Abraão no bosque sagrado dos carvalhais de Manre, quando ele estava sentado à entrada de sua tenda, na hora mais quente do dia. 2 Abraão ergueu os olhos e observou três homens em pé, a pouca distância. Assim que os viu, saiu da entrada de sua tenda, correu ao encontro deles e prostrou-se, encostando seu rosto no chão. Gn 18:20-23, (kja); 20 Então compartilhou com Abraão, o SENHOR: “As acusações e os gritos contra Sodoma e Gomorra são tantos e tão expressivos; o seu pecado é por demais grave! 21 Descerei até lá e verei se, de fato, o que eles têm praticado corresponde ao clamor que é vindo até minha presença; e, se assim não é, verdadeiramente sabê-lo-ei!” 22 Então os homens partiram dali e dirigiram-se para Sodoma, mas o SENHOR permaneceu junto a Abraão. 23 Abraão chegou um pouco mais perto e indagou: “Destruirás o justo com o pecador? ► Em Manre, quando o Senhor lhe disse que iria destruir Sodoma, Abraão teve fé e fez perguntas a Deus a fim de entender melhor Seu propósito e, ao mesmo tempo, interceder por Sodoma. RSL Monte Moriá (Gn 22:1-14): Gn 22:1-14, (kja); 1 Passados esses acontecimentos, Deus submeteu Abraão a uma prova, convocando-o: “Abraão! Abraão!” Ao que ele redarguiu: “Eis-me aqui, Senhor!” 2 Então Deus lhe ordenou: “Toma Isaque, teu filho, teu único filho, a quem tu muito amas, e vai-te à terra de Moriá. Sacrifica-o ali como holocausto, sobre um dos montes, que Eu te indicarei!” 3 Abraão levantou-se bem cedo, selou seu jumento e tomou consigo dois de seus servos e seu amado filho Isaque. Ele ainda rachou a lenha para o holocausto e se pôs a caminho rumo ao lugar que Deus havia mostrado. 4 No terceiro dia, Abraão, levantando os olhos, viu de longe o lugar que Deus havia determinado. 5 Abraão ordenou a seus servos: “Permanecei aqui com o jumento. Eu e o menino iremos até lá, adoraremos e voltaremos a vós!” 6 Então Abraão tomou a lenha do holocausto e a colocou sobre os ombros de seu filho Isaque, e ele mesmo levou as brasas para preparar o fogo, e o cutelo. E, enquanto caminhavam os dois juntos, 7 Isaque chamou por seu pai, Abraão: “Meu pai!” Ao que replicou prontamente Abraão: “Sim, meu filho!” Então Isaque indagou: “Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? 8 Assegurou-lhe Abraão: “Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro para o holocausto; e continuaram a caminhar ambos juntos. 9 Finalmente, quando chegaram ao lugar que Deus lhe apontara, Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. Abraão construiu o altar, dispôs a lenha, depois amarrou o filho e o colocou sobre o altar, em cima da lenha. 10 Abraão estendeu a mão e apanhou a faca para imolar seu filho. 11 Entretanto, o Anjo do SENHOR o chamou do céu: “Abraão! Abraão!” Ao que prontamente lhe respondeu Abraão: “Eis-me aqui!” 12 “Não estendas a tua mão contra o rapaz!” − ordenou o Anjo “Não lhe faças nada! Agora bem sei que temes a Deus, porquanto não me negaste teu amado filho, teu único filho!” 13 Em seguida, tendo Abraão erguido os olhos, viu atrás de si um carneiro preso pelos chifres entre os arbustos; tomou Abraão o carneiro e o ofereceu em holocausto, em lugar de seu filho. 14 Então Abraão deu àquele lugar o nome de Yahweh-Jireh, “O SENHOR Proverá”. Por isso até nossos dias se diz: “No monte do SENHOR se proverá”! ► No monte Moriá, Abraão teve fé para obedecer à ordem divina de sacrificar seu filho, o herdeiro da promessa. RSL ❉ Quinta - Abraão: um missionário em sua própria casa Ano Bíblico: Sl 145–150 ● 5. “’Abraão será o pai de uma nação grande e poderosa, e por meio dele todas as nações da Terra serão abençoadas. Pois Eu o escolhi, para que ordene aos seus filhos e aos seus descendentes que se conservem no caminho do Senhor, fazendo o que é justo e direito, para que o Senhor faça vir a Abraão o que lhe prometeu’” (Gn 18:18, 19, NVI). Que importantes lições sobre a fidelidade e o serviço a Deus encontramos nesses versos? ► 5. Deus escolheu Abraão como missionário porque ele viveria os princípios divinos e os ensinaria aos seus descendentes. RSL De Abraão está escrito que "foi chamado o amigo de Deus" (Tia. 2:23), "pai de todos os que crêem". Rom. 4:11. O testemunho de Deus com relação a este fiel patriarca, é: "Abraão obedeceu à Minha voz, e guardou o Meu mandado, os Meus preceitos, os Meus estatutos, e as Minhas leis". Gên. 26:5. E outra vez: "Eu o tenho conhecido, que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para obrarem com justiça e juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem falado". Gên. 18:19. Alta honra aquela a que Abraão foi chamado, para ser o pai do povo que durante séculos foram os guardas e preservadores da verdade de Deus para o mundo, sim, daquele povo por meio do qual todas as nações da Terra seriam benditas no advento do Messias prometido. Mas Aquele que chamou o patriarca julgou-o digno. É Deus quem fala. Aquele que de longe compreende os pensamentos, e dos homens faz justa apreciação, diz: "Eu o tenho conhecido". Não haveria por parte de Abraão qualquer traição à verdade por intuitos egoístas. Ele guardaria a lei, e procederia justa e retamente. E não somente temeria ele próprio o Senhor, mas cultivaria em seu lar a religião. Instruiria a família na justiça. A lei de Deus seria a regra em sua casa. A casa de Abraão compreendia mais de mil pessoas. Aqueles que eram levados pelos seus ensinos a adorar o único Deus, encontravam um lar em seu acampamento; e ali, como em uma escola, recebiam a instrução que os habilitaria a serem representantes da verdadeira fé. Assim, grande responsabilidade repousava sobre ele. Estava a educar chefes de famílias, e seus métodos de governo seriam levados para as casas a que eles presidiriam. Nos tempos primitivos o pai era o governador e sacerdote de sua família, e exercia autoridade sobre os filhos, mesmo depois que estes tinham suas próprias famílias. Os descendentes eram ensinados a considerá-lo como seu chefe, tanto em assuntos religiosos como seculares. Este sistema de governo patriarcal Abraão esforçou-se por perpetuar, sendo que o mesmo favorecia a conservar o conhecimento de Deus. Era necessário ligar os membros da casa conjuntamente, para edificar-se uma barreira contra a idolatria, que se havia tornado tão espalhada e profundamente estabelecida. Abraão procurou por todos os meios ao seu alcance guardar os domésticos de seu acampamento de se misturarem com os gentios e de testemunharem suas práticas idólatras; pois sabia que a familiaridade com os maus corromperia insensivelmente os princípios. O máximo cuidado foi exercido para excluir toda a forma de religião falsa, e impressionar o espírito com a majestade e glória do Deus vivo como o verdadeiro objeto de culto. Patriarcas e profetas, 140-141. Uma casa cristã bem ordenada é um poderoso argumento em favor da realidade da religião cristã, argumento que o incrédulo não pode contradizer. Todos podem ver que há na família uma influência em atividade, a qual afeta os filhos, e que o Deus de Abraão está com eles. Se os lares dos professos cristãos tivessem um molde religioso correto, exerceriam uma poderosa influência para o bem. Seriam na verdade "a Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  7. 7. luz do mundo". Mat. 5:14. O Deus do Céu fala a todo o pai fiel, nas palavras dirigidas a Abraão: "Eu o tenho conhecido, que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para obrarem com justiça e juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem falado". Gên. 18:19. Patriarcas e profetas, 144. Deus chamou Abraão para ser ensinador de Sua palavra, e o escolheu para ser o pai de uma grande nação, porque viu que instruiria aos filhos e à sua casa nos princípios da Sua lei. O que dava poder ao ensino de Abraão era a influência de sua própria vida. Sua grande casa consistia em mais de mil pessoas, muitas das quais chefes de famílias, e não poucos recém-conversos do paganismo. Educação, p. 187. ● 6. Que exemplos da família de Abraão mostram que eles eram fiéis ao Senhor? Hb 11:11, 20 Hb 11:11, (kja); 11 Por meio da fé, da mesma forma, a própria Sara recebeu poder para gerar filhos, ainda que estéril e avançada em idade, porque considerou fidedigno Aquele que lhe havia feito a promessa. Hb 11:20, (kja); 20 Pela fé, Isaque abençoou Jacó e Esaú em relação ao futuro deles. ► 6. Sara e Isaque são citados entre os heróis da fé. Também podemos citar Jacó e vários dos seus descendentes. O cristianismo não promete isenção de tristezas. "Por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus." Atos 14:22. É necessária a fé, forte, confiante fé, que creia que Deus não há de permitir sobrevenham a Seus filhos tentações tão grandes que não as possam suportar. O que semelhante fé tem poder para fazer é- nos dito por Paulo em sua carta aos hebreus. Falando dos que, em face de perseguição e morte, mantiveram inabalável confiança em Deus, diz Ele: "Os quais, pela fé, venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fugida os exércitos dos estranhos. As mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição; e outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos a fio de espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados." Heb. 11:33-37. Neste mundo, aqueles heróis da fé foram considerados indignos de viver; mas no Céu acham-se registrados como filhos de Deus, dignos da mais alta honra. "Comigo andarão de branco", declara Cristo; "porquanto são dignas disso." Apoc. 3:4. Nos lugares celestiais aguarda-os um "peso eterno de glória". II Cor. 4:17. "Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé." Heb. 12:1 e 2. "Nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas." II Cor. 4:17 e 18. Review and Herald, 7 de março de 1912. Há heróis morais hoje em dia, homens e mulheres que estão vivendo uma nobre vida de abnegação. Eles não ambicionam fama mundana. Sua vontade está subordinada à vontade de Deus; o amor a Deus inspira seu ministério. Fazer o bem e servir aos outros constitui seu maior objetivo. Manuscrito 51, 1900. ❉ Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Pv 1–3 “Deus chamou Abraão, fez com que ele prosperasse e o honrou; e a fidelidade do patriarca foi uma luz para o povo em todos os países de sua peregrinação. Abraão não se excluiu do povo ao redor dele. Manteve relacionamento amistoso com os reis das nações, por alguns dos quais ele era tratado com grande respeito; sua integridade e abnegação, seu valor e benevolência, estavam representando o caráter de Deus. Na Mesopotâmia, em Canaã, no Egito, e mesmo aos habitantes de Sodoma, o Deus do Céu foi revelado por meio de Seu representante.” Patriarcas e Profetas, p. 368. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com

×