Lições Adultos Missionários
Lição 1 - A natureza missionária de Deus 27 de junho a 4 de julho
❉ Sábado - “Vejam, Eu O fiz ...
Depois que a Terra com sua abundante vida animal e vegetal fora suscitada à existência, o homem, a obra
coroadora do Criad...
mal." Gên. 3:1-5.
O conhecimento que Deus não queria que nossos primeiros pais tivessem, era o conhecimento da culpa. E
qu...
chamada árvore do conhecimento porque participando dessa árvore, da qual Deus disse, "dela não comerás",
eles teriam o con...
transgrediram a lei de Deus. Isso tornou necessário serem expulsos do Éden e separados da árvore da vida,
pois dela comer ...
Os Cristãos como sal
Deus trabalhará com a igreja, mas não sem a sua cooperação. Oxalá cada um de vós que provou a boa
Pal...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A natureza missionária de Deus_132015

192 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
192
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A natureza missionária de Deus_132015

  1. 1. Lições Adultos Missionários Lição 1 - A natureza missionária de Deus 27 de junho a 4 de julho ❉ Sábado - “Vejam, Eu O fiz uma testemunha aos povos, um líder e governante dos povos”. Is 55:4, NVI. Deus prometeu a Davi: "Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará." Isa. 11:1. "Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a Mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei um concerto perpétuo, dando-vos as firmes beneficências de Davi. Eis que Eu O dei como testemunha aos povos, como príncipe e governador dos povos. Eis que chamarás a uma nação que não conheces, e uma nação que nunca te conheceu correrá para ti, por amor do Senhor teu Deus, e do Santo de Israel; porque Ele te glorificou." Isa. 55:3-5. "Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo Rei, reinará, e prosperará, e praticará o juízo e a justiça na Terra. Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o Seu nome, com que O nomearão: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA." Jer. 23:5 e 6. "Assim diz o Senhor: Nunca faltará a Davi varão que se assente sobre o trono da casa de Israel; nem aos sacerdotes levíticos faltará varão diante de Mim, para que ofereça holocausto, e queime ofertas de manjares, e faça sacrifício todos os dias." Jer. 33:17 e 18. O local do nascimento: "E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti Me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade." Miq. 5:2. Sua obra: "E repousará sobre Ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de inteligência, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor. E deleitar-se-á no temor do Senhor." Isa. 11:2 e 3. "O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos: ... restaurar os contritos de coração, ... proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; ... apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança de nosso Deus; ... consolar todos os tristes; ... ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozo por tristeza, vestido de louvor por espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que Ele seja glorificado." Isa. 61:1-3. cf. Isa. 42:1-4. ❉ Domingo - Deus criou o homem e a mulher Ano Bíblico: Sl 78–80 ● 1. Leia Gênesis 1 e 2, mas especialmente Gênesis 1:26-28. Que grandes diferenças aparecem na criação da humanidade, em contraste com o restante da criação? O que destaca os seres humanos das outras criaturas? Gn 1:26-28, (ACF); 26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. 27 E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. ► 1. Os seres humanos foram criados por último e, de maneira diferente do restante da criação, foram criados à imagem e semelhança de Deus, e deveriam ter domínio sobre o restante dos seres criados. RSL Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. Depois que a Terra com sua abundante vida animal e vegetal fora suscitada à existência, o homem, a obra coroadora do Criador, e aquele para quem a linda Terra fora preparada, foi trazido em cena. A ele foi dado domínio sobre tudo que seus olhos poderiam contemplar; pois "disse Deus: Façamos o homem à Nossa imagem, conforme à Nossa semelhança; e domine... sobre toda a Terra". "Criou Deus, pois, o homem à Sua imagem; ... homem e mulher os criou." Gên. 1:26 e 27. Aqui está claramente estabelecida a origem da raça humana; e o relato divino refere tão compreensivelmente que não há lugar para conclusões errôneas. Deus criou o homem à Sua própria imagem. Não há aqui mistério. Não há lugar para a suposição de que o homem evoluiu, por meio de morosos graus de desenvolvimento, das formas inferiores da vida animal ou vegetal. Tal ensino rebaixa a grande obra do Criador ao nível das concepções estreitas e terrenas do homem. Os homens são tão persistentes em excluir a Deus da soberania do Universo, que degradam ao homem, e o despojam da dignidade de sua origem. Aquele que estabeleceu os mundos estelares nos altos céus, e com delicada perícia coloriu as flores do campo, Aquele que encheu a Terra e os céus com as maravilhas de Seu poder, vindo a coroar Sua obra gloriosa a fim de pôr em seu meio alguém para ser o governador da linda Terra, não deixou de criar um ser digno das mãos que lhe deram vida. A genealogia de nossa raça, conforme é dada pela inspiração, remonta sua origem não a uma linhagem de micróbios, moluscos e quadrúpedes a se desenvolverem, mas ao grande Criador. Posto que formado do pó, Adão era filho "de Deus". Luc. 3:38. Ele foi posto, como representante de Deus, sobre as ordens inferiores de seres. Estes não podem compreender ou reconhecer a soberania de Deus, todavia foram feitos com capacidade de amar e servir ao homem. Diz o salmista: "Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das Tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés: ... os animais do campo, as aves dos céus, ... e tudo o que passa pelas veredas dos mares". Sal. 8:6-8. O homem deveria ter a imagem de Deus, tanto na aparência exterior como no caráter. Cristo somente é a "expressa imagem" do Pai (Heb. 1:3); mas o homem foi formado à semelhança de Deus. Sua natureza estava em harmonia com a vontade de Deus. A mente era capaz de compreender as coisas divinas. As afeições eram puras; os apetites e paixões estavam sob o domínio da razão. Ele era santo e feliz, tendo a imagem de Deus, e estando em perfeita obediência à Sua vontade. Patriarcas e Profetas, 44-45. O Senhor criou as faculdades morais do homem e suas faculdades físicas. Tudo era uma reprodução sem pecado de Sua própria Pessoa. Deus dotou o homem de santos atributos e colocou-o num jardim feito especialmente para ele. Só o pecado podia arruinar os seres criados pela mão do Onipotente. The Youth's Instructor, 20 de julho de 1899. ❉ Segunda - Livre-arbítrio Ano Bíblico: Sl 81–85 ● 2. O que Gênesis 2:15-17 diz sobre a realidade do livre-arbítrio nos seres humanos? Gn 2:15-17, (ACF); 15 E tomou o SENHOR Deus o homem, e o pós no jardim do Éden para o lavrar e o guardar. 16 E ordenou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, 17 Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás. ► 2. Deus disse a Adão que ele não deveria comer da árvore proibida, e que no dia em que dela comesse, morreria; o que implica que ele era livre para comer dela no momento que desejasse, embora tivesse que arcar com as consequências de seu ato. RSL Resultados da Transgressão da Lei Há muitas crenças que a mente não tem direito de alimentar. Adão creu na mentira de Satanás, nas astutas insinuações contra o caráter de Deus. "E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás." Gên. 2:16 e 17. Satanás, quando tentou a Eva, disse: "É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore do jardim? E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. mal." Gên. 3:1-5. O conhecimento que Deus não queria que nossos primeiros pais tivessem, era o conhecimento da culpa. E quando aceitaram as afirmações de Satanás, que eram falsas, introduziram-se em nosso mundo a desobediência e a transgressão. Essa desobediência à expressa ordem de Deus, essa crença na mentira de Satanás, abriu sobre o mundo as comportas da desgraça. Satanás tem continuado a obra iniciada no Jardim do Éden. Tem trabalhado vigilantemente, a fim de que os homens aceitassem suas afirmações como prova contra Deus. Tem ele trabalhado contra Cristo em Seus esforços para restaurar a imagem de Deus no homem, imprimindo-lhe na alma a semelhança divina. Não era da vontade de Deus que este santo par tivesse qualquer conhecimento do mal. Dera-lhes livremente o bem, mas retivera o mal. Eva julgou sábias as palavras da astuta serpente, quando ouviu a audaciosa afirmação: "Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal" - fazendo de Deus um mentiroso. Gên. 3:4 e 5. Satanás insinuou insolentemente que Deus os tinha enganado, impedindo que fossem exaltados com um conhecimento igual ao Seu próprio. Deus disse: "No dia em que dela comeres, certamente morrerás." Gên. 2:17. A serpente disse: "Certamente não morrereis." Gên. 3:4. História da Redenção, p. 34. Gn 3:17-19, (kja); 17 Então voltou-se para o homem e ordenou: “Porque escutaste a voz de tua mulher e comeste da árvore que Eu te proibira comer, maldita é a terra por tua causa! Com sofrimentos obterás do solo o teu alimento, todos os dias da tua vida. 18 A terra produzirá espinhos e ervas daninhas, e tu terás de comer das plantas do campo. 19 Com o suor do teu rosto comerás o teu pão, até que voltes ao solo, pois da terra foste formado; porque tu és pó e ao pó da terra retornarás!”. ► Somos livres para decidir, mas presos as consequências de nossa decisão. “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente”. Deut. 3:19. "Tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Gál. 6:7. Deus não destrói homem algum. Todo homem que é destruído; destrói-se a si mesmo. Quando um homem sufoca as admoestações da consciência, semeia as sementes da incredulidade e estas produzem segura colheita. … "Não quiseram o Meu conselho e desprezaram toda a Minha repreensão. Portanto, comerão do fruto do seu caminho e fartar-se-ão dos seus próprios conselhos. Porque o desvio dos simples os matará, e a prosperidade dos loucos os destruirá. Mas o que Me der ouvidos habitará seguramente e estará descansado do temor do mal." Prov. 1:30-33. Manuscrito 56, 1898. ❉ Terça - A queda Ano Bíblico: Sl 86–89 “Quando a mulher viu que a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento, tomou do seu fruto, comeu-o e o deu a seu marido, que comeu também. Os olhos dos dois se abriram, e perceberam que estavam nus; então juntaram folhas de figueira para cobrir-se” (Gn 3:6, 7, NVI). O Senhor colocou o homem sob provação a fim de que pudesse formar um caráter de integridade comprovada, para sua própria felicidade e para glória de seu Criador. Ele dotara Adão com poderes de uma mente superior, como nenhuma outra criatura que Suas mãos fizeram. Sua superioridade mental era um pouco menor do que a dos anjos. Estava em condição de familiarizar-se com a sublimidade e a glória da natureza, e compreender o caráter do Pai celestial nas Suas obras criadas. As glórias do Éden, e sobre tudo em que pudesse repousar os olhos, testificava do amor e do infinito poder de seu Pai. O desprendimento foi a primeira lição moral dada a Adão. O governo de tudo foi-lhe colocado nas mãos. Julgamento, razão e consciência estavam sob seu domínio. "Tomou o Senhor Deus o homem e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar. E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás." Gên. 2:15-17. Adão e Eva tinham permissão de participar de todas as árvores do jardim, salvo uma. Havia uma única e simples proibição. A árvore proibida era tão atrativa e desejável como qualquer outra do jardim. Era Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. chamada árvore do conhecimento porque participando dessa árvore, da qual Deus disse, "dela não comerás", eles teriam o conhecimento do pecado, experimentariam a desobediência. Eva saiu de perto do esposo, para contemplar as coisas maravilhosas da natureza, deleitando-se nos seus cenários coloridos e na fragrância das flores, admirando a beleza das árvores e arbustos. Pôs-se a pensar na restrição que Deus lhes tinha imposto no tocante à árvore da ciência do bem e do mal. Ficou deslumbrada com a beleza e abundância que o Senhor providenciara para a satisfação de cada desejo. Tudo isto, disse ela, Deus nos deu para nossa satisfação. Tudo é nosso; porque Deus tinha dito: "De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás." Gên. 2:16 e 17. Eva passeava perto da árvore proibida, e foi despertando a curiosidade para descobrir como a morte poderia ocultar-se no fruto dessa agradável árvore. Ficou surpresa ao ouvir que suas interrogações foram apanhadas e repetidas por uma estranha voz. "É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?" Gên. 3:1. Eva não percebeu que tinha revelado seus pensamentos conversando audivelmente consigo mesma; deste modo, ficou grandemente atônita ao ouvir que suas inquietações eram respondidas pela serpente. Realmente pensou que a serpente lhe conhecia os pensamentos e que deveria ser muito sábia. Respondeu-lhe: "Do fruto das árvores do jardim comeremos, mas, do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal." Gên. 3:2-5. Aqui o pai da mentira fez sua afirmação em direta contradição à expressa palavra de Deus. Satanás assegurou a Eva que ela fora criada imortal, e que para ela não havia possibilidade de morrer. Disse-lhe que Deus sabia que se ela e seu esposo comessem da árvore do conhecimento, sua compreensão seria iluminada, expandida, enaltecida, tornando-se iguais a Ele mesmo. E a serpente respondeu a Eva que a ordem de Deus, proibindo-os de comer da árvore do conhecimento, foi dada para conservá-los num tal estado de subordinação que lhes vedasse o conhecimento, o qual era poder. Assegurou-lhe que o fruto desta árvore era desejável acima de todas as do jardim, para fazê-los sábios e exaltá-los à igualdade com Deus. Ele vos recusou, disse a serpente, o fruto desta árvore, a qual dentre todas as árvores, é a mais desejável pelo delicioso sabor e estimulante influência. Eva pensou que o discurso da serpente fosse muito sábio, e que a proibição de Deus fosse injusta. Olhava com ardente desejo para a árvore carregada de frutos que pareciam muito deliciosos. A serpente estava comendo-os com evidente deleite. Eva agora desejava este fruto mais do que todas as variedades que Deus lhe pusera ao alcance, com pleno direito de uso. Eva exagerou as palavras da ordem de Deus. Ele disse a Adão e Eva: "Mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás." Gên. 2:17. Na discussão de Eva com a serpente, ela acrescentou: "Nem nele tocareis." Gên. 3:3. Aqui apareceu a sutileza da serpente. Esta citação de Eva deu-lhe vantagem; colheu o fruto e o colocou nas mãos de Eva, usando suas próprias palavras. "Deus disse que morrerias se tocasses no fruto. Vê, nenhum mal te sucedeu ao tocares nele; tampouco receberás dano algum ao comê-lo." Eva cedeu ao manhoso engano do diabo em forma de serpente. Ao comer o fruto não se apercebeu imediatamente de nenhum mal. Então ela mesma apanhou o fruto para si e para o esposo. "Vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela." Gên. 3:6. Adão e Eva deveriam estar plenamente satisfeitos com o conhecimento que receberam de Deus por intermédio de Sua obra criada e das instruções dos santos anjos. Todavia, sua curiosidade foi despertada para ficar a par daquilo que Deus designou que não deveriam conhecer. A ignorância do pecado era para sua própria felicidade. O elevado grau de conhecimento que eles pensavam que obteriam comendo do fruto proibido, lançou-os na degradação do pecado e da culpa. O Deserto da Tentação, 14-18. “Por isso o Senhor Deus o mandou embora do jardim do Éden para cultivar o solo do qual fora tirado. Depois de expulsar o homem, colocou a leste do jardim do Éden querubins e uma espada flamejante que se movia, guardando o caminho para a árvore da vida” (Gn 3:23, 24, NVI). Adão e Eva, e sua posteridade, perderam o direito à árvore da vida devido à sua desobediência. "Então, disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de Nós, sabendo o bem e o mal; ora, pois, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma, e viva eternamente, o Senhor Deus, pois, o lançou fora do Jardim do Éden, para lavrar a terra, de que fora tomado." Gên. 3:22 e 23. Adão e Eva Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. transgrediram a lei de Deus. Isso tornou necessário serem expulsos do Éden e separados da árvore da vida, pois dela comer depois da transgressão perpetuaria o pecado. "O Senhor Deus, pois, o lançou fora do Jardim do Éden, para lavrar a terra, de que fora tomado. E, havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao Oriente do Jardim do Éden e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida." Gên. 3:23 e 24. O homem dependia da árvore da vida para ter a imortalidade, e o Senhor tomou as precauções para que os homens não comessem da árvore da vida, e vivessem "eternamente" - tornando-se pecadores imortais. A morte entrou no mundo devido à transgressão. Mas Cristo deu Sua vida para que o homem tivesse outra oportunidade. Não morreu Ele na cruz para abolir a lei de Deus, mas para garantir ao homem uma segunda prova. Não morreu para tornar o pecado um atributo imortal; morreu para garantir o direito de destruir aquele que tinha o império da morte, isto é, o diabo. Sofreu toda a penalidade de uma lei quebrada pelo mundo todo. Fê-lo, não para que o homem pudesse continuar na transgressão, mas para que eles pudessem voltar à sua lealdade e guardar os mandamentos de Deus, e a Sua lei como a menina de seus olhos. TMOE, pp. 133-134. ❉ Quarta - A iniciativa de Deus para nos salvar Ano Bíblico: Sl 90–99 “No dom incomparável de Seu Filho, Deus envolveu o mundo todo numa atmosfera de graça, tão real como o ar que circula ao redor do globo. Todos os que escolherem respirar essa atmosfera vivificante hão de viver e crescer até à estatura completa de homens e mulheres em Cristo Jesus.” Caminho a Cristo, p. 68. ● 3. O que cada um dos seguintes textos nos ensina sobre a morte de Jesus? Jo 3:14-15, (ACF); 14 E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; 15 Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. ► A morte de Jesus tornou possível que todo o que nEle crer tenha a vida eterna. RSL Is 53:4-6, (ACF); 4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. 5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. 6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. ► Ele morreu pelas nossas transgressões e sofreu o castigo que nós merecíamos. RSL 2Co 5:21, (ACF); 21 Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. ► Ele Se tornou pecado por nós, a fim de que pudéssemos ser considerados justos nEle. RSL ❉ Quinta - Metáforas da missão Ano Bíblico: Sl 100–105 ● 4. Leia Mateus 5:13, 14. Quais são as duas metáforas usadas para a missão nesses versos, e o que elas representam? Mt 5:13-16, (ACF); 13 Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. 14 Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; 15 Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. 16 Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. ► Primeira: O sal da Terra, o que significa que os cristãos devem se misturar com outras pessoas do mundo para levar-lhes a mensagem de salvação e para evitar que elas se corrompam. RSL Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. Os Cristãos como sal Deus trabalhará com a igreja, mas não sem a sua cooperação. Oxalá cada um de vós que provou a boa Palavra de Deus deixe a sua luz brilhar "diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos Céus". Mat. 5:16. Jesus disse: "Vós sois o sal da Terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens." Mat. 5:13. O sal que conserva, o sabor do cristão, é o amor de Jesus no coração, a justiça de Cristo impregnando a alma. Se o que professa a religião quiser manter a salvífica eficácia de sua fé, sempre deverá manter a justiça de Cristo diante de si, e ter a glória de Deus por sua retaguarda. Então o poder de Cristo será revelado na vida e no caráter. Oh! quando chegarmos aos portais de pérola e entrarmos na cidade de Deus, alguém que entrar ali lamentará haver dedicado sua vida sem reservas a Jesus? Amemo-Lo agora com afeições não divididas e cooperemos com os seres celestiais, para sermos cooperadores de Deus, e, participando da natureza divina, aptos para revelar Cristo a outros. Oh! o batismo do Espírito Santo! Oh! que os brilhantes raios do Sol da Justiça incidam nos recessos da mente e do coração, para que seja destronado todo ídolo e banido do templo da alma! Oxalá se desprenda nossa língua para falar de Sua bondade, para contar algo de Seu poder! Se fordes sensíveis à atração de Jesus, não deixareis de ter influência sobre alguém por meio da beleza e do poder da graça de Cristo. Contemplemo-Lo, e sejamos transformados à imagem dAquele em quem habita corporalmente toda a plenitude da Divindade, e compreendamos que somos aceitos no Amado, completos nAquele que é a cabeça de todo principado e potestade. (Col. 2:10.) Bible Echo, 15 de fevereiro de 1892. ► Segunda: A luz do mundo, que representa os cristãos como instrumento para iluminar as trevas morais e espirituais em que os seres humanos vivem. RSL Os Cristãos como Luz É o privilégio do cristão ligar-se à Fonte da luz, e mediante esta ligação viva tornar-se a luz do mundo. Os verdadeiros seguidores de Cristo andarão na luz, como Ele na luz está, não trilhando assim um caminho incerto, tropeçando nas trevas. O Grande Mestre está impressionando Seus seguidores quanto à bênção que podem ser para o mundo, representada com o Sol nascendo no Oriente, dissipando a cerração e as sombras das trevas. A aurora dá lugar ao dia. O Sol, dourando, colorindo, e depois enchendo os céus de glória com os clarões de sua luz, é um símbolo da vida cristã. Como a luz do Sol é luz e vida e bênção a todos quantos existem, assim devem os cristãos, por suas boas obras, sua alegria e coragem, ser a luz do mundo. Como a luz do Sol afugenta as sombras da noite e derrama suas glórias sobre montanhas e vales, assim reflete o cristão o Sol da Justiça que nele resplandece. Em face da vida coerente dos verdadeiros seguidores de Cristo, dissipar-se-ão a ignorância, a superstição e as trevas, como o Sol expele a sombra da noite. De igual maneira os discípulos de Jesus penetrarão nos lugares escuros da Terra, disseminando a luz da verdade até que os caminhos dos que se encontram em trevas sejam iluminadas pela luz da verdade. Que contraste com isso apresenta a vida do professo povo de Deus, que é como o sal que se tornou insípido! ... Esses professos cristãos destituídos de Sol, são sombras das trevas. ... Todos podem ser condutos de luz, caso se liguem à Fonte de luz. Podem comunicar os brilhantes raios da luz ao mundo. Ninguém necessita fortalecer a incredulidade, falando de sombras. Toda expressão de dúvida revigora a incredulidade. Todo pensamento ou palavra de esperança, ânimo e luz e amor, robustece a fé e fortifica a alma para resistir à treva moral que existe no mundo. Carta 16, 1880. Os cristãos genuínos são um cheiro de vida para vida, pois Cristo mora no seu coração. Refletindo-Lhe a imagem, são filhos da luz. Manuscrito 33, 1892. ❉ Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Sl 106–110 “A igreja de Cristo na Terra foi organizada com propósito missionário, e o Senhor deseja ver toda a igreja planejando formas e meios pelos quais o exaltado e o humilde, o rico e o pobre, possam ouvir a mensagem da verdade. Nem todos são chamados a trabalhar pessoalmente nos campos missionários, mas todos podem fazer alguma coisa por meio de suas orações e ofertas para ajudar na obra missionária.” Testemunhos para a Igreja, v. 6, p. 29). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com

×