Entrevista marcelo pimenta revista ag

575 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
575
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Entrevista marcelo pimenta revista ag

  1. 1. Entrevista do Mês - MARCELO PIMENTA A gestão ainda é o calcanhar de Aquiles de muitas propriedades, e o primeiro passo para consegui-la está na mudança de mentalidade: a fazenda é um negócio. Simples assim! Deve ter metas, planejamento e gerar retorno econômico. Quem fala sobre o tema é Marcelo Pimenta, sócio-diretor da Exagro Consultoria. Adilson Rodrigues adilson@revistaag.com.br Mudança deDivulgação MENTALIDADE Revista AG - A gestão ainda é um Revista AG - Qualquer pecuarista é Marcelo Pimenta – Se tiver de lis- desafio para os empreendimentos pecu- capaz de desenvolver uma gestão eficaz? tar resumidamente o imprescindível, cito ários? Marcelo Pimenta – Certamente, e planejamento, controle de dados, dimen- Marcelo Pimenta – Se considerar- independe do tamanho do negócio, locali- sionamento e treinamento de mão de mos que boa parte dos pecuaristas ain- zação ou situação financeira. O único pré- obra. Isso é o básico para uma gestão de da não encara a fazenda como negó- requisito é que ele veja a fazenda como sucesso, lembrando que no Planejamento cio, que exige planejamento, controle empresa, trabalhe de maneira mais profis- devem estar envolvidas todas as questões e produtividade, a resposta é sim. O sional e menos empírica. técnicas e econômicas da atividade em grande desafio é fazer com que o fa- uma visão de longo prazo. zendeiro se veja como um empresário Revista AG - Independente do porte, rural. quais itens não podem ser esquecidos? Revista AG - E, normalmente, estes
  2. 2. também são os pontos falhos do pecua- Revista AG – Então, o controle da a Europa. Por outro lado, se pensarmosrista? informação seria o coração do processo na rastreabilidade da produção como um Marcelo Pimenta – São, justamen- de gestão? levantamento interno do que e como sete porque não fazem parte do “pacote” Marcelo Pimenta – É impossível dis- está produzindo, ela é fundamental, poisaprendido com os pais ou com os vizinhos. sociar o controle da informação do plane- a produção e produtividade têm uma altaE isso ficou muito claro em diagnósticos jamento e do treinamento de mão de obra. correlação com os resultados econômicosque realizamos a partir de 2008, usando a Diria que o coração do processo de gestão traçados.Avaliação Funcional Interna, uma das fer- é a interação entre os três. Não existe le-ramentas do Benchmarking Exagro. vantamento e análise segura de dados sem Revista AG - Mas, é possível desen- um correto preenchimento e manipulação volver uma rastreabiliade mais simples e Revista AG - Quais os principais pas- por parte dos envolvidas. Também, não fácil de controlar?sos para se implementar uma gestão efi- adianta um levantamento detalhado de Marcelo Pimenta – Internamente,caz na fazenda? dados se eles não podem ser comparados sim. Basta termos um levantamento do Marcelo Pimenta – 1) Reflexão sobre com as metas traçadas. O objetivo da boa peso dos animais a cada movimentaçãoas metas e objetivos do proprietário com gestão não deve ser simplesmente a im- importante (compra, venda, vacinas ea fazenda. É preciso ter em mente qual re- plantação de processos e controles boni- apartações) e temos como calcular a pro-sultado econômico é satisfatório no curto e tos. Precisa ser, sempre, a obtenção dos dução por hectare e por categoria, porlongo prazo, para posteriormente verificar resultados econômicos almejados. época do ano, etc. Isso pode ser feito coma viabilidade no planejamento. 2) Conhe- um controle individual dos animais ou porcimento dos recursos que a fazenda dis- Revista AG - Neste quesito, a rastre- lotes, dependendo do nível de estrutura epõe, como um mapa detalhado, análises abilidade da produção torna-se um atri- mão de obra da fazenda.de solo e levantamento total do rebanho buto fundamental?por categoria. 3) Avaliação dos resultados Marcelo Pimenta – A rastreabilidade Revista AG - Hoje, o produtor possuiprodutivos e econômicos atuais, visando externa, com o nível de exigência e bu- ferramentas ao seu alcance para otimi-à detecção de pontos fortes e fracos do rocracia criadas pelo MAPA, só é fun- zar a administração da propriedade?sistema atual. 4) Planejamento e Estudo damental para quem quer exportar para Marcelo Pimenta – Existem váriosde Viabilidade do negócio no longo programas para facilitar o processoprazo, nos quais todas as variáveis de- administrativo, todos com vantagens evem ser testadas, simulando diferentes deficiências. Contudo, a principal fer-cenários e sistemas de produção, para ramenta que o pecuarista pode disporse encontrar o caminho mais adequado é o conhecimento em como aplicar es-para as condições da fazenda e objeti-vos do proprietário. 5) Dimensionar e Temos a premissa que ses recursos na própria fazenda.treinar os funcionários para execução Revista AG - O conceito de gestãodos planos de ação traçados. Criação as melhores soluções é o mesmo para a pecuária extensivade um sistema de levantamento e aná- e confinamento?lise de dados de campo e movimenta-ção financeira. sempre devem ser simples. Marcelo Pimenta – É o mesmo para qualquer tipo de atividade econô- mica em qualquer parte do mundo. O Revista AG - Consistiria também Para a implantação de um que difere de uma empresa para outraem promover um verdadeiro processo é a aplicabilidade de cada processo,de reeducação? Marcelo Pimenta – Passa inicial- programa de gestão, os únicos pois cada atividade tem características próprias e as prioridades são diferen-mente por uma mudança de mentali- tes. No caso da pecuária extensiva edade do proprietário, e também pelo investimentos necessários confinamento, os conceitos e modelostreinamento das pessoas envolvidas no de gestão são praticamente iguais, ob-sistema de produção. são conhecimento e um viamente, com parâmetros e indicado- res diferentes. Na produção a pasto, os Revista AG – Para uma boa ges- indicadores são aferidos por hectare,tão, são necessários grandes investi- sistema básico de controle de enquanto que no confinamento sãomentos ou medidas simples dão conta por diária/animal. O confinamentodo recado? Marcelo Pimenta – Temos a pre- informações, o que também exige um planejamento mais criterioso de caixa, por envolver des-missa que as melhores soluções sempre pesas e receitas altas e concentradasdevem ser simples. Para a implantação não passa de um computador. em períodos descasados.de um programa de gestão, os únicosinvestimentos necessários são conhe- Revista AG - É comum o criadorcimento (estudando ou contratando o fechar a conta no negativo sem seconhecimento externo) e um sistema dar conta?básico de controle de informações, o Marcelo Pimenta – Mais do queque não passa de um computador com se pensa. Em centenas de diagnósti-um programa ou planilhas para avalia- cos, a maioria absoluta não tinha ne-ção dos dados. nhum levantamento dos seus números
  3. 3. ou os tinha sem ter ideia de como analisá- Exagro. Psicologicamente, é muito mais cabeça menos os custos. Isoladamente,los. Quando a conta fecha no negativo, o fácil para o produtor se convencer que esses pontos não significam nada.produtor percebe. Ele não sabe é o porquê uma limitação precisa ser superada quan-do resultado ruim e como fazer para re- do ele percebe que outros produtores já Revista AG - Então, um termo maisverter a situação. a venceram e que por isso estão obtendo apropriado para medir eficiência produ- resultados melhores. tiva seria arrobas por hectare e não Uni- Revista AG - Recentemente, a Exa- dade Animal por hectare?gro apresentou os resultados de ben- Revista AG - Entretanto, o maior Marcelo Pimenta – UA por hectarechmarking dos seus clientes. O que foi benefício seria mensurar a eficiência nunca foi medida de produtividade. Nemexposto? produtiva e comercial em detrimento de a adotamos nos nossos indicadores. Ela Marcelo Pimenta – Apresentamos o apenas apresentar o resultado final? indica apenas a carga animal da fazenda,detalhamento do nível de qualidade dos Marcelo Pimenta – Exatamente! o que pode ou não indicar uma maior pro-processos internos e os resultados pro- Apresentar o resultado alcançado no final dução ou uma maior margem de lucro pordutivos e econômicos de cada cliente, do ano, comparando com o planejado, hectare. O cálculo da carga e do suporteresumidos em indicadores importantes. O sempre foi rotina na Exagro. Com o tem- em Kg de peso vivo por hectare a cadacliente também recebeu uma comparação po, nós e os clientes começamos a sentir momento é um dado importantíssimosua com os dados de dezenas de outras fa- que não era o bastante. Não basta saber- para o bom manejo de qualquer fazenda.zendas distribuídas por todo o País, anali- mos se cumprimos ou superamos metas. Entretanto, o que realmente é indicadorsadas sob os mesmos critérios. Foram 142 Precisamos descobrir se isso é o máximo definitivo de eficiência produtiva é a pro-fazendas, de 99 clientes, e 43 diagnósticos possível, se tem alguém atingindo esse dução de arrobas por hectare, que é dadarealizados em 2010. O perfil de produção patamar e o que podemos fazer para al- pelo número de cabeças vezes a produçãofoi o mais variado possível. cançá-lo. média por cabeça. É claro que quanto maior o número de cabeças por hectare, Revista AG - Para esclarecer, o que é Revista AG - Dessa forma, nem sem- maior a produção, desde que o ganho debenchmarking e quem trouxe o conceito pre a propriedade que suporta mais cabe- peso por animal seja mantido. E os cálcu-para o agronegócio brasileiro? ças por hectare seria a mais lucrativa? los do Benchmarking Exagro mostraram Marcelo Pimenta – O termo veio ori- Marcelo Pimenta – O lucro vem do que o ganho de peso por animal é aindaginalmente da topografia e significa “pon- número de cabeças vezes a produção por mais importante que a produção por hec-to de referência”. É usado há anos tare na obtenção de lucro.em todo o mundo, em todos os tiposde negócios; consiste em levantar re- Revista AG - Na verdade, deverí-sultados e características de várias amos ir um pouco mais além, apre-empresas de uma mesma atividade, sentando a renda líquida por hecta-para que as de melhor resultado emdeterminados indicadores (benchma- A maioria re? Marcelo Pimenta – Temos de usarrks) possam servir de referência para os dois indicadores. A produção decomparação e melhoria das demais.Vimos essa ferramenta na agricultura (dos pecuaristas) não tinha arrobas por hectare mede a eficiência produtiva e a renda líquida, ou mar-e pecuária de leite. No corte, o Bench- gem líquida, mensura o resultado eco-marking Exagro é a primeira iniciati- nenhum levantamento nômico. O cálculo é feito somando-seva com esse conceito. o resultado de caixa (receitas menos Revista AG - O benchmarking dos seus números ou os despesas) à variação do inventário do rebanho em reais. A variação do in-ajuda a expor que tipo de dados ou ventário é calculada pelo estoque desituações? Marcelo Pimenta – Foi construído tinha sem ter ideia de rebanho em arrobas de boi no final do ano menos o estoque no início do anopara observar a correlação entre como vezes o valor médio de venda do ano.as fazendas trabalham os processos como analisá-los. Quando Outro indicador importante, que tam-internos (Planejamento, Pastagens, bém deve estar presente na análise, é aControladoria, Manutenção, Rebanhoe Administração) e os resultados pro- a conta fecha no negativo, rentabilidade, que é a margem líquida total do ano sobre o valor imobilizadodutivos e econômicos. Como foram em gado e máquinas. Dependendo dofazendas dos mais diversos perfis, emtodas as regiões do Brasil, ficou claro ele percebe. Ele não sabe é perfil do pecuarista, ele pode objetivar mais a margem líquida (maior volumeque o que determina o resultado eco- de dinheiro obtido) ou a rentabilida-nômico é a forma como a fazenda é o porquê do resultado ruim de (maior lucro em relação ao capitalconduzida. investido). Normalmente, sistemas Revista AG - Quando confronta- e como fazer para reverter a mais intensivos, se bem conduzidos, podem mostrar maior margem líquidado a outras realidades, fica mais fácil por hectare, enquanto sistemas menossolucionar problemas? Marcelo Pimenta – Esse é o cer- situação. intensivos, mostram maior rentabi- lidade, por imobilizar menos capitalne dos objetivos do Benchmarking em gado.

×