Apresentaçãocongresso v2

184 visualizações

Publicada em

Apresentação de CASE no III Congresso Nacional das Escolas Particulares

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
184
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentaçãocongresso v2

  1. 1. Simone Engler Hahn, HAHN SE ; Colégio Marista Champagnat; Diretora Lattes: http://lattes.cnpq.br/5808821174152659 Vera Lúcia Galafassi, GALAFASSI VL; Colégio Marista Champagnat; Vice Diretora Administrativa E-mail: vera.galafassi@maristas.org.br Adriana Castiglia Filipetto, FILIPETTO AC; Colégio Marista Champagnat; Vice Diretora Educacional
  2. 2.  “A escola é compreendida como espaçostempos, pois se materializa num tempo e lugar localizados, precisos, específicos, numa história e geografia cotidianas, nas quais nos formamos como sujeitos da educação marista.” Projeto Educativo do Brasil Marista, 2010, p. 53
  3. 3. Campus da PUCRS Porto Alegre / RS 4 mil metros quadrados 1,3 mil estudantes Ed. Infantil ao Ens. Médio Mais de 120 educadores
  4. 4.  Moderno & Histórico  Protagonismo do Colégio  Acolhida  Registro de Homenagens Recepção do Colégio
  5. 5. Recepção 2009
  6. 6. Recepção do Colégio 2015 Conceito: ACOLHIDA MARISTA
  7. 7. Recepção 2010
  8. 8. Recepção 2010
  9. 9. Recepção 2010 Resgate de objetos antigos do Colégio e dos Irmãos.
  10. 10. Recepção | Lateral Cafeteria 2012
  11. 11. Protagonismo do Colégio Recepção | Lateral Troféus 2011
  12. 12.  Transformar todos os espaços em ambientes mais aconchegantes e agradáveis com uma linguagem visual esteticamente acolhedora, despertando o interesse do estudante em estar presente, integralmente, no ambiente escolar.  Reinventar o fazer pedagógico, buscando o protagonismo de estudante e de professor sob a ótica do Projeto Educativo do Brasil Marista.  Romper com o modelo tradicional de sala de aula.
  13. 13. A organização do espaço acontece de maneira diferente, em razão das diferentes necessidades, momentos históricos, civilização, cultura, intenções, significados e inúmeros outros. Por Eduardo de Freitas | Graduado em Geografia | Equipe Brasil Escola - 2015 Projeto: Inédito Viável | Salas do Ensino Médio 2012 a 2015 Conceito: PROTAGONISMO E VISUAL JOVEM
  14. 14. 1os Anos Ensino Médio Construção: 2013
  15. 15. 2os Anos Ensino Médio Construção: 2014
  16. 16. 3os Anos Ensino Médio Construção: 2015
  17. 17. “Tarefas e atividades inovadoras exigem contextos físicos adequados que não costumam ser herdados, pois no meio físico de que se dispõe só cabem determinadas metodologias”. SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998, p. 27-65. Salas do Ensino Fundamental 2014 e 2015 Conceito: PARTILHA E VIDA E SABERES
  18. 18. Salas Ensino Fundamental 2014 - 2015
  19. 19. “[...] Utilizar linguagens, mídias e tecnologias adequadas ao processo de construção de conhecimento do estudante.” UMBRASIL. Projeto Educativo do Brasil Marista. Brasília: Umbrasil, 2010, p. 76 . Tecnologias Educacionais 2014 Conceito: CONECTIVIDADE
  20. 20. Corredor de acesso | 2014 Modelo: Bring Your Own Device (BYOD)
  21. 21. Laboratório de Robótica & Física 2014
  22. 22. Workstations 2014
  23. 23. Projeto Living English 2013 e 2015 Conceito: INTERAÇÃO E COMUNICAÇÃO
  24. 24. Corredor | Living English 2013 e 2015
  25. 25. Corredor |Living English 2013 e 2015
  26. 26. Corredor | TEENS ROOMS 2013 e 2015 “...o ambiente pode se revelar um poderoso fator facilitador ou inibidor da aprendizagem.” ZABALZA, 2001 .
  27. 27. Corredor | KIDS ROOM 2013 e 2015
  28. 28. Corredor | KIDS ROOM 2013 e 2015
  29. 29. “O espaço é considerado parte essencial do projeto curricular. São planejados com intencionalidade, desejo e criatividade, transformando os mesmos em ambientes pedagógicos educadores, porque descentralizam o lugar de saber do professor, convidando o grupo de crianças a ocupar o lugar de protagonista, fazendo escolhas, tendo liberdade de expressar suas ideias e desejos, isto, é um ambiente educador que empodera as crianças e valoriza suas formas de participação e interação no mesmo.” Diretrizes Curriculares da Educação Infantil Marista, 2015, p.24. Salas da Educação Infantil 2015 Conceito: RESPEITO ÀS INFÂNCIAS
  30. 30. Educação Infantil | 2015 “[...] É preciso pensar e compreender a infância como potencialmente capaz, com saberes prévios configurados pelas experiências vividas desde muito cedo.” Diretrizes Curriculares da Educação Infantil Marista, 2015, p.24
  31. 31. Educação Infantil | 2015 A sala de aula ganhou uma grande caverna!
  32. 32. Educação Infantil | 2015
  33. 33. Educação Infantil | 2015
  34. 34. Ateliê | 2015 Diretrizes Curriculares da Educação Infantil Marista, 2015, p.141 “Trata-se de um laboratório de aprendizagem que inspira e convida seus integrantes a criarem novas formas de responder às questões do mundo.” Laboratório de Investigação e Criação
  35. 35. Ateliê | 2015
  36. 36. Ateliê | 2015
  37. 37. Ateliê | 2015
  38. 38. III Congresso Nacional de Educação Católica 2015

×