Poluição da água

1.759 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.759
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Poluição da água

  1. 1. Introdução  A água é um patrimônio mundial e um bem precioso que deve ser preservado, mas com o crescimento do capitalismo, sua importância vem sendo deixada de lado por pura ganância.  Como temos água saindo em abundância de nossas torneiras, a economia é tratada com banalidade e o valor só é agregado quando esta vem a faltar.
  2. 2. O que é poluição da água:  Qualquer alteração das suas propriedades físicas, químicas ou biológicas;  Que possam importar em prejuízo à saúde, à segurança e ao bem estar da população;  Causar dano à flora e à fauna;  ou comprometer o seu uso para fins sociais e econômicos.
  3. 3. Formas de Poluição:  Poluição biológica ;  Poluição térmica ;  Poluição sedimentar ;  Poluição química .
  4. 4. Poluição biológica:  Resulta da presença de microrganismos patogênicos:  Bactérias;  Vírus;  Protozoários;  Vermes.
  5. 5. Consequências:  Doenças transmitidas diretamente através da água:  Cólera ;  Febre tifóide .  Doenças transmitidas indiretamente através da água:  Fluorose;  Malária;  Febre amarela.
  6. 6. Poluição térmica:  Resulta da deposição , nos rios de grandes volumes de água aquecida usada no arrefecimento de uma série de processos industriais.
  7. 7. Consequências:  Decréscimo na quantidade de oxigénio dissolvido na água, prejudicando a respiração dos peixes e de outros animais aquáticos;  Diminuição do tempo de vida de algumas espécies aquáticas, afetando os ciclos de reprodução;  Potencializa a ação dos poluentes já presentes na água, pelo aumento na velocidade das reações.
  8. 8. Poluição sedimentar:  Resulta da acumulação de partículas em suspensão
  9. 9. Consequências:  Os sedimentos bloqueiam a entrada dos raios solares na lâmina de água, interferindo na fotossíntese das plantas aquáticas e diminuindo a capacidade dos animais aquáticos encontrar comida;  Os sedimentos também conduzem poluentes químicos e biológicos neles contidos.
  10. 10. Poluição química:  Causada por produtos químicos nocivos ou indesejáveis:  Fertilizantes agrícolas  Compostos orgânicos sintéticos  Petróleo  Compostos orgânicos e minerais  Esgoto Bifenóis policlorados
  11. 11. Consequências:  Rápido crescimento de plantas superficiais, especialmente das algas, que tornam as águas tóxicas;  Produtos tóxicos dão cor ou sabor à água;  O derrame de petróleo no mar causa a morte de grandes quantidades de plantas, peixes e aves marinhas;  Acumulação de compostos danosos nos tecidos do organismo
  12. 12.  Redução da resistência do corpo a doenças, diminuição da capacidade de aprendizagem das crianças.  O esgoto é potencialmente prejudicial à saúde, nadar em águas poluídas pode causar distúrbios desagradáveis: gastroenterites, irritação cutâneas infecções de ouvido, nariz e garganta .
  13. 13. Causas da poluição:  Falta de saneamento básico;  Lixo não tratado;  Agropecuária desenfreada;  Chuva ácida;  Falta de fiscalização das leis para esgoto industrial;  Falta de sensibilização.
  14. 14. Soluções:  Com o objetivo de buscar soluções para os problemas dos recursos hídricos da Terra, foi realizado no Japão, em março de 2003, o III Fórum Mundial de Água.  Políticos, estudiosos e autoridades do mundo todo aprovaram medidas e mecanismos de preservação dos recursos hídricos.  Estes documentos reafirmam que a água doce é extremamente importante para a vida e saúde das pessoas e defende que, para que ela não falte no século XXI, alguns desafios devem ser urgentemente superados: o atendimento das necessidades básicas da população, a garantia do abastecimento de alimentos, a proteção dos ecossistemas e mananciais, a administração de riscos, a valorização da água, a divisão dos recursos hídricos e a eficiente administração dos recursos hídricos.
  15. 15.  Embora muitas soluções sejam buscadas em esferas governamentais e em congressos mundiais, no cotidiano todos podem colaborar para que a água doce não falte.  A economia e o uso racional da água deve estar presente nas atitudes diárias de cada cidadão. A pessoa consciente deve economizar, pois o desperdício de água doce pode trazer drásticas conseqüências num futuro pouco distante.
  16. 16. Pequenos gestos,grandes atitudes.  Reciclagem;  Economia;  Descarte correto de lixo;  Denuncia  Política
  17. 17. Água é vida no semi-árido  No semiárido, é necessário guardar as águas de chuva para o período da seca.  Foi desenvolvida uma nova cisterna para águas pluviais que melhora a qualidade da água.  Faz parte do projeto o treinamento das famílias dos pequenos agricultores para que trabalhem em prol do desenvolvimento da sua comunidade.  Assim objetiva-se melhorar a qualidade de vida dos pequenos agricultores e incentivá-los a elevar sua própria posição social e econômica.  A organização pretende, ainda, compartilhar as experiências adquiridas e disponibilizá-las para uso dos programas governamentais.
  18. 18. Gerenciamento Integrado da Água e da Saúde  Objetivos:  Aumentar o acesso à água potável, saneamento e cuidados básicos de saúde em pelo menos 10 municípios selecionados mais afetados por doenças infecciosas intestinais;  Melhorar cuidados de saúde neonatal em 25 hospitais selecionados usando um indicador Barema de qualidade e eficiência.
  19. 19. Projeto Tietê  Visa expandir a estrutura de esgotamento sanitário e melhorar a qualidade da água de córregos e rios, em especial Tietê;  Hoje, a região metropolitana (SP) tem 84% do esgoto coletado e, desses, 70% é tratado;  A partir do segundo semestre deste ano, começa a captação de recursos para a terceira fase do plano, prevista para terminar em 2015 e aumentar ainda mais o índice de água tratada em São Paulo.
  20. 20. Despoluição da Represa Billings  Pode ser a salvação do abastecimento de água em SP;  De acordo com Bocuhy, é preciso parar de desviar o curso do Pinheiros no curto prazo.  No longo prazo, o governo precisaria investir na despoluição do rio, o que permitiria seu desvio para a Billings sem comprometer a qualidade da água.

×