TRABALHO SEGURO NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

6.706 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
14 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.706
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
14
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TRABALHO SEGURO NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

  1. 1. ApresentaçãoSENSE 2011SENSE 2011EDUARDO SOLDATELI: ENG. ELETRICISTA E SEG. DO TRABALHOFÁBIO DE PAULA CORRÊA: ENG. MECÂNICO E SEG. DO TRABALHOABRIL 2011TRABALHO SEGURO NO SETORDE TELECOMUNICAÇÕES
  2. 2. EDUARDO SOLDATELIEng. Eletricista e de Segurança do TrabalhoCoordenador de Relações CELESC/CREA-SCesoldateli@celesc.com.brTel.: + 55 48 3231-6818Cel.: + 55 48 9628-9297FÁBIO DE PAULA CORRÊAEng. Mecânico e de Segurança do TrabalhoChefe da Divisão de Segurança, Saúde e Bem Estarfabiopc@celesc.com.brTel.: + 55 48 3231-6810Cel.: + 55 48 9623-9297DVSS - Divisão de Segurança, Saúde e Bem EstarDPGP - Departamento de Gestão de PessoasDGC - Diretoria de Gestão CorporativaCELESC DISTRIBUIÇÃO S.A.
  3. 3. Trata-se de um estudo voltado a verificar os riscos e melhorar ascondições de segurança dos empregados das empresas detelecomunicações que exercem suas atividades em regime decompartilhamento de postes com as concessionárias de energiaelétrica. Sabe-se que um dos maiores índices de acidentes no Setor deTelecomunicações decorre de choque elétrico, seguido de queda emaltura. Isto ocorre pelo fato da maioria das empresas detelecomunicações utilizarem sistemas de trabalho em alturaultrapassados. Este estudo visa analisar a situação e demonstrar queas modernas técnicas de trabalho em altura são completamenteadaptáveis aos serviços de telecomunicações, reduzindo em muito agravidade dos acidentes neste setor.RESUMO
  4. 4. CONDIÇÕES INSEGURAS
  5. 5. RISCOS AOS EMPREGADOSDAS COMPARTILHADORASTENSÃO 220 VRaio ZC = 0,70 mRaio ZR = 0,20 mTrabalhador estádentro da ZonaControlada e/oude RiscoCircuitoPrimário13.800 Volts
  6. 6. TRABALHO SEGUROTRABALHO SEGUROAs técnicas e equipamentos para um trabalho em altura seguro,na área de telecomunicações, pressupõem as seguintescondições: Uso de escadas resistentes às situações de queda e resgate; Amarração de meio e topo de escadas; Uso de nós padronizados e de fácil inspeção; Instalação de linha de vida do solo; Uso de cinto tipo pára-quedista, trava queda e talabarte deposicionamento regulável e demais equipamentos; Método de resgate padronizado; e Capacitação periódica.
  7. 7. IMAGEM DESCRIÇÃODISPOSITIVO DE ANCORAGEM COM SISTEMAABSORVEDOR DE ENERGIA: Sistema maisindicado, visto que os fabricantes de escadas nãogarantem os esforços resultantes de queda eresgate.ANCORAGEM COM FITA + MOSQUETÃO:Sistema de ancoragem sem absorção de energia.ANCORAGEM COM CORDA + NÓ 8 DUPLOGUIADO: Sistema de ancoragem executado com aprópria linha de vida sem absorção de energia.ANCORAGEM DA LINHA DE VIDA EM ESCADASANCORAGEM DA LINHA DE VIDA EM ESCADAS
  8. 8. AMARRAÇÃO DE ESCADAS +ANCORAGEM DA LINHA DE VIDAIMAGEM DESCRIÇÃODISPOSITIVO DE LINHA DE VIDA –DLV: Utilizado para amarração de topode escada do solo e ancoragem dalinha de vida.DISPOSITIVO DE LINHA DE VIDAPARA CABO: Utilizado paraestabilização da escada em cabo eancoragem da linha de vida.
  9. 9. AMARRAÇÃO DE ESCADASIMAGEM DESCRIÇÃOCOM CORDA AUXILIAR + GANCHOLATERAL: Utilizado para amarraçõesem postes sem obstáculos e no vão.GARRA WALL: Dispositivo deamarração de escada em fachadas.
  10. 10. AMARRAÇÃO DE ESCADASIMAGEM DESCRIÇÃOCOM DISPOSITIVO DEAMARRAÇÃO DE MEIO E TOPO:Sistema de amarração com fita ecatraca.
  11. 11. NÓS UTILIZADOSIMAGEM DESCRIÇÃONÓ DE MARINHEIRO: Utilizado paraexecutar a ancoragem da linha de vidana escada.NÓ DE FIM DE CORDA: Utilizadopara sinalizar o final de corda duranteum resgate.
  12. 12. NÓS UTILIZADOSIMAGEM DESCRIÇÃONÓ DE TENSIONAMENTO DECORDA: Utilizado para estabilizara escada.NÓ DE FREIO – UIAA: Utilizadono resgate do acidentado. Nópadronizado pela UniãoInternacional da Associação dosAlpinistas.
  13. 13. IMAGEM DESCRIÇÃOCAPACETE (CLASSE “B”) + JUGULAR: EPI destinado aproteção da cabeça.BOTINA ISOLADA: EPI destinado para proteção dos pés.LUVAS DE VAQUETA: EPI para proteção das mãos.ÓCULOS DE PROTEÇÃO: EPI destinado a proteção dosolhos.CONES DE SINALIZAÇÃO: Equipamento destinado aoisolamento da área de trabalho.EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOSEQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS
  14. 14. IMAGEM DESCRIÇÃOLINHA DE VIDA: Corda de 12 [mm] destinada paraproteção contra quedas em trabalho em altura.Comprimento da corda igual 2 (duas) vezes o ponto detrabalho.CINTURÃO PARÁ-QUEDISTA: Equipamento deProteção Individual - EPI contra queda em trabalho emaltura. Tem a função de vestir o empregado. Deve serusado em conjunto com a linha de vida, trava queda etalabarte de posicionamento.TRAVA QUEDA: EPI que conecta a linha de vida nocinturão pára-quedista. Tem a função de possibilitardeslocamentos na linha de vida e é projetado paratravar em situações de quedas.EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOSEQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS
  15. 15. IMAGEM DESCRIÇÃOTALABARTE DE POSICIONAMENTO REGULÁVEL: EPIdestinado para posicionamento em trabalhos em altura.Este equipamento não deve ser usado para prevenção dequedas, apenas para posicionamento.FITA DE ANCORAGEM: Dispositivo usado na execução deancoragens.MOSQUETÃO: Dispositivo tripla trava automático utilizadopara execução de ancoragens.EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOSEQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS
  16. 16. IMAGEM DESCRIÇÃOBASTÃO DE MANOBRA: Dispositivo parainstalação de linha de vida, amarrações deescadas e auxílio na montagem de sistemasde telecomunicações.EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOSEQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS
  17. 17. IMAGEM DESCRIÇÃOVESTIMENTA FOGO RETARDANTE (ANTI-CHAMA): EPI destinado a proteção do corpo contraos efeitos dos arcos elétricos e fogo repentino. NívelATPV igual a 2 (dois).LUVAS ISOLANTES: EPI destinado ao isolamentoelétrico das mãos.LUVAS DE COBERTURA: EPI destinado a proteçãomecânica das luvas isolantes.MANGAS ISOLANTES: EPI destinado paraisolamento elétrico dos braços.LENÇOL ISOLANTE: EPI destinado a isolação departes energizadas.EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOSEQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS
  18. 18. TRABALHO SEGUROTRABALHO SEGURO
  19. 19. RESGATE – LINHA DE VIDA SIMPLESRESGATE – LINHA DE VIDA SIMPLESPONTO DE ANCORAGEM DALINHA DE VIDA NO TOPO DAESCADAPONTO DE ANCORAGEM NAESCADA + NÓ DE FREIORESGATISTA COM TRAVAQUEDA DE BACKUPLINHA DE VIDA PASSANDOPOR DENTRO DOMOSQUETÃO DA VÍTIMA =FUNÇÃO DE ROLDANA
  20. 20.  EFETIVIDADE DAS TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS: Amarração de meio e topo de escadas; Instalação de linha de vida do solo; Uso de cinto tipo pára-quedista, trava queda etalabarte de posicionamento regulável e demaisequipamentos; Método de resgate padronizado; Capacitação continuada dos profissionais.CONCLUSÃO
  21. 21.  Nova Norma Regulamentadora que trata dosaspectos de trabalho em altura: Regulamentar a associação entre o uso deescadas, suas amarrações, pontos deancoragem, uso de linha de vida e esforçosresultantes de queda e resgate; Regulamentar os cuidados dos trabalhos emaltura + riscos adicionais (eletricidade) do Setorde Telecomunicações e de Energia Elétrica.CONCLUSÃO
  22. 22. EDUARDO SOLDATELIEng. Eletricista e de Segurança do TrabalhoCoordenador de Relações CELESC/CREA-SCesoldateli@celesc.com.brTel.: + 55 48 3231-6818Cel.: + 55 48 9628-9297FÁBIO DE PAULA CORRÊAEng. Mecânico e de Segurança do TrabalhoChefe da Divisão de Segurança, Saúde e Bem Estarfabiopc@celesc.com.brTel.: + 55 48 3231-6810Cel.: + 55 48 9623-9297DVSS - Divisão de Segurança, Saúde e Bem EstarDPGP - Departamento de Gestão de PessoasDGC - Diretoria de Gestão CorporativaCELESC DISTRIBUIÇÃO S.A.

×