AS Monaco 2013/2014

354 visualizações

Publicada em

O Monaco de Ranieri à lupa. O que fazem com e sem bola, o que fazem a atacar e a defender, no fundo, como jogam os "novos-ricos" de França.

Publicada em: Esportes
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
354
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AS Monaco 2013/2014

  1. 1. Jogo AS Monaco 3 x 2 Stade Reims Competição (Fase) Ligue 1 (26º jornada) Equipa a analisar AS Monaco Estádio Louis II Data e local do jogo 21 Fevereiro 2014, Monaco Marcadores Germain, Toulalan e Kuzawa [Monaco], Oniangué (2x) [Stade Reims] Árbitro Antony Gautier
  2. 2. ANÁLISE INDIVIDUAL:  Subasic (1) sendo muito alto tem algumas debilidades nas bolas aéreas (saídas principalmente!). As bolas rasteiras não são muito perigosas e o jogo de pés não é muito forte.  Carvalho (6) tem muita experiência, é tranquilo mas já não é tão rápido nem tão forte na antecipação. Abidal (22) é alto e forte no jogo aéreo, ainda tem velocidade mas perdeu flexibilidade e capacidade de resposta rápida (mudança de direcção/recuperação). Fabinho (2) preocupa-se em defender, gosta de ter bola e é rápido. Não treme facilmente e é muito competente a fechar. Forte no 1x1 defensivo. Kurzawa (3) é de grande projecção ofensiva, rápido e bom a ganhar a linha. Defende bem mas nota-se que não é o seu ponto mais forte.  Toulalan (28) sabe tudo sobre posicionamento, critério, ritmo e equilíbrios. Tem uma frescura admirável e tem qualidade de passe. Moutinho (8) grande intensidade, está em todo o lado, tem enorme qualidade de passe e garante equilíbrio táctico, posicional e mental (não deixa a equipa entrar em devaneios com e sem bola!) Kondogbia (27) tem grande pulmão, qualidade no transporte e capacidade de passe longo. Gosta de pegar no jogo desde trás. Obbadi (19) tem inteligência e experiência, mais forte no momento de gestão táctica e do resultado do jogo.  James (10) é um feiticeiro, tem qualidade no 1x1, não é muito rápido (grande defeito) mas compensa com faro de golo e enorme qualidade no último passe. Precisa de ser vagabundo, de não ter muito trabalho para explorar todo o seu potencial (entre-linhas é muito forte!).  Riviére (29) bem composto fisicamente, não sendo muito alto é forte no jogo de cabeça e é rápido, tem forte e é muito móvel. Germain (18) essencialmente móvel, não é um portento técnico mas tem qualidade. Surge bem na área (franzino mas forte no jogo aéreo) e é muito combativo. Ocampos (11) é um extremo, um prodígio. Viveu uma crise de confiança ultrapassada pelos golos e pelos jogos. Forte no 1x1, rápido e muito forte tecnicamente. Surge bem na cara do guarda-redes e é muito forte também no último passe. Gosta de procurar jogo interior mas também sabe jogar por banda com enorme qualidade. Berbatov (15) um homem de área que para além de golos trás qualidade técnica. Inova no campo, pinta quadros com os pés para finalizar ou servir os companheiros em melhor posição para finalizar. Pode parecer lento, mas trabalha bem e arranja sempre espaço. É para ter muito cuidado (!). 1-> No regresso à Ligue 1, investiram muito e estão a ter algum sucesso (2º lugar na Liga); 2-> O treinador é experiente e italiano que pela sua ideia quer que o jogo seja rápido e que privilegie poucos toques na bola e muita objectividade.  Com a entrada de Lucas Ocampos a equipa alterou a sua organização estrutural para 4x3x3 – Variante 1 usada neste jogo – mas nunca alterou a sua organização funcional. Muda a distribuição mas não muda a ideia (IMPORTANTE!)
  3. 3. ORGANIZAÇÃO OFENSIVA: Organizam-se em 4x3x1x2, é uma equipa que gosta de jogar em velocidade ou num jogo mais longo. Não são uma equipa agressiva tendo músculo no miolo mesclado com inteligência. Jogam muito perto o que facilita os passes ao 1º toque. Tem uma 1º fase mais lenta, pelos centrais, com muito apoio dos médios (Toulalan e Kondogbia principalmente). É o mais lento do processo ofensivo, onde são menos esclarecidos e onde não há um padrão de construção (atenção à colocação da bola no espaço, Riviére é forte nestes movimentos!!). Não se movimentam muito os atacantes neste momento, pelo que a passagem para uma 2º fase seja preferencialmente curta. Neste momento, inicia-se a projecção dos laterais para a manobra ofensiva. Toulalan vai promover uma maior circulação contudo, uma menor projecção ofensiva. Kondogbia é quem melhor transporta jogo, Moutinho é mais para dar continuidade a Toulalan – para circular melhor em espaço exterior (médio mais ofensivo do trio que joga nas costas de James!). A segunda bola, oriunda de Germain/Riviére não é muito perigosa (se em 1ª fase esticarem na frente!) – não são fortes neste momento! Da 2ª para a 3ª fase é o momento de “viragem” de uma equipa ainda pouco rápida. O baixar dos avançados e as diagonais (dentro -> fora) de James quase sempre passando a um 4x3x3 bem como uma maior aproximação de Moutinho e um maior apoio dos laterais faz com haja mais movimentação na frente (evitar marcação individual) e que faz com que a equipa se mexa mais – nas faixas, Kurzawa sobe mais. Salientar que ao longo de todo o processo as bolas para o espaço podem surgir (Riviére é fortíssimo no espaço, Kondogbia é quem melhor o “alimenta”). Para marcarem golos são mais fortes através de jogadas de bola no espaço ou pelos cruzamentos onde James é perigosíssimo quando tem critério e quando Riviére – ao 1º poste – se consegue impor perante os defensores, do outro lado os cruzamentos de Kurzawa tem alguma qualidade). Ainda referir que os passes oriundos do corredor central são venenosos (Moutinho e James). Gostam de colocar a bola entre a meia-lua e a marca de penalty. Obviamente nunca destoar um possível recurso individual de um talento como James, Ocampos, Riviére ou Berbatov e ainda referir a boa meia-distância de James e Toulalan. TRANSIÇÃO OFENSIVA: Gostam de projectar rápido o jogo. Esticam ou transportam, mas procuram sair rápido. Gostam de explorar o desposicionamento do adversário para lançar as suas fichas (Moutinho, James e/ou Kondogbia são muito forte no transporte – espaço interior para explorar espaço exterior nas costas da defensiva quer por Riviére, rapidíssimo a sair, quer por Germain, mais lento mas com qualidade também.) BOLAS PARADAS OFENSIVAS: Nos cantos, Moutinho do lado esquerdo e James, possivelmente porque Moutinho também bate, do lado direito, colocam 5 homens na área mais 3 no exterior (atenção á meia-distância!). Muito forte o posicionamento ao 1º poste (1º golo!). Nos livres laterais colocam 5 homens na área (por norma 2 ao primeiro poste e 3 ao segundo poste!). Moutinho ou James na marcação. Nos livres directos, atenção à marcação de James (bate forte com colocação – preferencialmente descaído para o lado direito, livres próximos da área) e Moutinho (mais colocados, ao 1º poste, sem muita força!). (44 golos marcados em 26) jogos)
  4. 4. ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA: Estruturam-se em 4x3x1x2 ou 4x4x2 losango (James baixa no terrreno!). Jogam com um bloco médio-alto e executam um pressing médio ou alto -> por norma quando James aumenta a velocidade obrigando os avançados a fazerem o mesmo. Não jogam com a defesa bem alinhada. Partem, preferencialmente, do 4x3x1x2 na sua 1º fase de pressão ou pressing onde dão pouco espaço para sair em construção (marcam muito próximo dos adversários). Tem um miolo que encurta bem os espaços – aconselhável sair pela faixa! Da 1º para a 2º fase é preciso sermos rápidos para explorarmos alguns espaços menos protegidos. No momento seguinte, James baixa quase que formando um losango no miolo (campo pequeno-fecham muito dentro!) onde dois médios carregados de intensidade (Moutinho e Kondogbia) não fecham bem os espaços exteriores. Os laterais tem que subir para pressionar o que faz com que dem algum espaço nas costas. Assim sendo, nas 2 ou 3 primeiras fases de construção (nossas!) temos de procurar preferencialmente o espaço exterior. Nunca são muito agressivos e dão algum espaço entre-linhas (pouco mas suficiente!). Em 3º fase não fecham bem os espaços exteriores (repetitivo!). No último momento, dizer que é onde tem alguma coesão (!), fechando muito o espaço entre-linhas, Toulalan baixa muito, os centrais não são muito rápidos, explorar espaços nas costas (!) e dizer que apesar disso gostam de jogar na antecipação (velocidade + capacidade de mudança de direcção deixa-os fora da jogada – 1º golo do Reims) e como não são rápidos são batidos com alguma facilidade, volto a frisar. Se procurarmos fazer o último momento por espaço exterior o melhor é colocar a bola entre Subasic e os dois centrais preferencialmente de forma rasteira –> pouca comunicação=alguns erros oportunos (!) ou para o espaço entre Carvalho e Fabinho (último é frágil no jogo aéreo!). Meia-distância pode ser uma hipótese ou ainda “copiar” o lance do 1º golo (tentam fechar entre-linhas, na antecipação, são batidos, lentos!). São rápidos e pragmáticos em todo o processo, em organização ofensiva mais demorada podemos tentar variar flanco (passes curtos ou passes longos) para obrigar a bascular e a procurar 1x1 com laterais – médios acabam por ser perder posicionalmente. TRANSIÇÃO DEFENSIVA: Não são agressivos, contudo fazem um acompanhamento muito perto do portador da bola. Moutinho e Kondogbia são muito importantes e os avançados não são muito pressionantes (incluindo James Rodriguez). Esporadicamente Germain auxilia neste momento. Preocupação: FECHAR ESPAÇOS. BOLAS PARADAS DEFENSIVAS: Nos cantos colocam 11 jogadores na área em marcação zonal. 6 jogadores na pequena área, 1 na linha da pequena área, outro na meia-lua e dois mais distribuídos (pouco agressivos!). Nos livres laterais fazem marcação zonal com 8 jogadores, colocam 1 homem na barreira (máximo 2!) e ainda outro para evitar livre curto (procurar colocar a bola entre o guarda-redes e a linha defensiva – muito frágil, aparenta pouca comunicação!).

×