Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras

2.791 visualizações

Publicada em

Pesquisa realizada pelo Núcleo Petrobras de Sustentabilidade da FDC em 2012, que contou com a participação de 172 empresas de todas as regiões do País. Confira!

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.791
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
98
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras

  1. 1. Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras 2012 Núcleo Petrobras de SustentabilidadeEstágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 2012 1
  2. 2. Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 20122 3
  3. 3. FICHA CATALOGRÁFICA Elaborada pela Biblioteca Walther Moreira Salles Lauriano, Lucas Amaral L384e Estágio da sustentabilidade das empresas brasileiras / Eduarda Carvalhaes; Rafael Tello. – Nova Lima: Fundação Dom Cabral, 2012. 77 p. : il. Relatório de Pesquisa realizada pelo Núcleo Petrobras de Sustentabilidade/ Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Construção da Fundação Dom Cabral, 2012. 1. Sustentabilidade corporativa. I. Carvalhaes, Eduarda. II. Tello, Rafael. III. Fundação Dom Cabral. IV. Título.4
  4. 4. 08. Apresentação 55. Relacionamento com Stakeholders 61. Liderança 10. Institucional 62. Avaliação Global 22. Metodologia 64. Barreiras à Sumário incorporação da O Estágio da Sustentabilidade 28. Sustentabilidade das Empresas Brasileiras 67. Desafios à incorporação da Sustentabilidade 30. Conceito de Sustentabilidade 70. Como as empresas brasileiras podem avançar na gestão da 36. Intenção Estratégica sustentabilidade 72. Considerações Finais e Perspectivas 42. Estrutura 46. Transparência 75. Referências bibliográficas 48. Capacidade de resposta 76. Autores6
  5. 5. 1. APRESENTAÇÃO O Núcleo Petrobras de Sustentabilidade da Fundação Dom Cabral tem a satisfação de apresentar, em 2012, a 1ª edição da pesquisa Estágio da Sustentabilidade das Empre- sas Brasileiras. Esse trabalho tem como objetivo avaliar a gestão empresarial considerando diversos aspectos relacionados à sustentabilidade. Com essa análise, é possível visualizar a situ- ação atual da sustentabilidade nas empresas brasileiras, identificando os aspectos nos quais já há certo desenvolvimento e aqueles que ainda precisam ser aprimorados. Consideramos como sustentabilidade as atividades organizacionais que geram resulta- dos ambientais, econômicos e sociais positivos e equilibrados a todos os seus stakehol- ders. A relevância do estudo se encontra na possibilidade de as empresas avaliarem sua gestão em comparação ao desempenho global das empresas do País. Outro as- pecto positivo é a possibilidade de se identificar as questões críticas enfrentadas pelas empresas e buscar formas de incentivar melhorias. Nesse relatório são apresentados os principais achados da pesquisa. A abordagem de avaliação da gestão das empresas utilizada na pesquisa aponta que a organização pode se enquadrar em cinco estágios diferentes de sustentabilidade, em uma avaliação que inclui sete aspectos da gestão empresarial. Na seção dois, a FDC e o Núcleo Petrobras de Sustentabilidade serão apresentados, para que na seção três a abordagem utilizada seja exibida. Em seguida, explicaremos brevemente como o projeto foi conduzido para que, feito isso, apresentemos os estágios de sustentabilidade das empresas brasileiras de acordo com os aspectos da gestão considerados na pesquisa. Por fim, as principais barreiras e desafios enfrentados pelas organizações serão ex- postos, seguidos de algumas indicações de como as empresas podem melhorar sua gestão para a sustentabilidade, de acordo com os resultados dessa pesquisa. Boa leitura! Lucas Amaral Lauriano, Eduarda Carvalhaes, Rafael Tello8
  6. 6. 2. Institucional A Fundação Dom Cabral A Fundação Dom Cabral é um centro de desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos, que há 36 anos pratica o diálogo e a escuta comprometida com as organizações, construindo com elas soluções educacionais integradas. A missão da FDC é contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade por meio da educação, da capacitação e do desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos. A FDC acredita que as soluções para o desenvolvimento das empresas podem ser en- contradas dentro da própria organização. A sinergia com as empresas é resultado da conexão entre teoria e prática, reforçada pelo trabalho interativo de sua equipe técnica, que combina formação acadêmica com experiência empresarial. A Fundação Dom Cabral possui uma ampla gama de programas que abrangem as mais diversas áreas de conhecimento em gestão. Os temas podem ser estudados em dife- rentes formatos, que vão desde programas curtos e intensivos, no Brasil e no exterior, até soluções customizadas ou parcerias que estabelecem um relacionamento de médio e longo prazos para estudos mais aprofundados. Soluções educacionais • Programas de pós-graduação • Programas abertos de curta duração • Parcerias • Programas customizados Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201210 11
  7. 7. Em 2012, a Fundação Dom Cabral foi classificada como a 8ª melhor escola de negócios do mundo, de acordo com o Ranking 2012 de Educação Executiva do Financial Times. Linhas de Pesquisa A classificação posiciona a FDC entre as 10 melhores escolas de negócios do mundo, durante 3 anos consecutivos. Estudo de práticas de gestão que promovam a sustentabilidade Formação de Lideranças Responsáveis Núcleo Petrobras de Sustentabilidade Investigação de experiências empresariais referenciais ao tema Investigação do contexto empresarial do mercado, da sociedade e do planeta O Núcleo Petrobras de Sustentabilidade tem como propósito disseminar os conceitos de sustentabilidade em todos os campos da gestão relacionados ao tema. Para tanto, Coordenação realiza pesquisas, projetos e programas, seguindo modelo próprio de desenvolvimento de conhecimento. MARIA RAQUEL GRASSI FERREIRA MARQUES | raquel@fdc.org.br O Núcleo tem como missão contribuir para a educação de gerentes e líderes empre- MBA Empresarial, pela Fundação Dom Cabral – FDC. sariais, nos conceitos e práticas da responsabilidade corporativa e da sustentabilidade, desenvolvendo e aplicando conhecimento, visando ser um indutor da sustentabilidade Graduada em Economia, Administração de Empresas e Ciências Contábeis, pela das pessoas, dos negócios, da sociedade e do planeta por meio da conscientização e da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC/MG. ação de lideranças organizacionais quanto a suas potencialidades e responsabilidades. Participou da criação do Centro de Referência em Gestão Responsável para a Sustentabilidade da FDC. Patrocínio Co-autora dos Cadernos de Idéias FDC “Bases da Educação em Sustentabilida- de em uma Escola de Negócios” e “Estratégias Empresariais Brasileiras à Luz da Sustentabilidade”. A estrutura do Núcleo está fundamentada em três espaços básicos de atividades: O Núcleo, em que se concentram as incursões em novos temas e modelos e a incubação e articulação dos Centros, que são espaços de criação. Para saber mais sobre o Núcleo Petrobras de Sustentabilidade, nossos centros e suas atividades, acesse www.fdc.org.br/sustentabilidade Os Centros de Referência, espaços compartilhados com grupos de empresas, de- dicados ao desenvolvimento e aplicação de conhecimento em temas especí?cos, mas adequados a empresas de qualquer setor e natureza. A equipe técnica responsável pela pesquisa Estágio da Sustentabilidade das Empre- Os Centros de Desenvolvimento, espaços compartilhados com grupos de em- sas Brasileiras faz parte do Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Cons- presas, dedicados ao desenvolvimento e aplicação de conhecimento adequado a trução (CDSC). determinados setores de negócios. Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201212 13
  8. 8. Sustentabilidade nas cidades: desenvolvimento de conhecimento sobre sus- CDSC – Centro de Desenvolvimento da tentabilidade urbana e o papel das empresas do macrossetor da construção na Sustentabilidade na Construção sua promoção. Criado em 2008, o CDSC tem como propósito desenvolver conhecimento e promover Coordenação iniciativas que suportem uma atuação proativa das empresas do macrossetor da cons- trução em prol do desenvolvimento sustentável. Para tanto, a equipe do CDSC realiza pesquisas acadêmicas, busca conhecer a realidade e necessidades das empresas por RAFAEL AUGUSTO TELLO OLIVEIRA| rafaeltello@fdc.org.br meio e surveys, constrói estudos de caso e organiza eventos para promover o diálogo entre executivos e especialistas. MBA em Gestão da Sustentabilidade, pela Leuphana Universitaet Seguindo a tradição da FDC de construir com as empresas, o CDSC mantém estreito con- Especialista em Negócios Internacionais, pela Fundação Dom Cabral – FDC. tato com organizações e entidades do setor, além de diferentes atores no governo para desenvolver conhecimento inovador e relevante para o macrossetor da construção. Graduado em Ciências Econômicas, pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG. Para potencializar a disseminação do conhecimento desenvolvido, o CDSC elabora di- ferentes produtos para apresentar os resultados de suas pesquisas, que vão de textos Autor de publicações diversas sobre os temas de gestão da sustentabilidade no blog da FDC até artigos científicos para publicação em revistas nacionais e interna- corporativa e sustentabilidade no macrossetor da construção. cionais. Linhas de Pesquisa Empresas Associadas Sustentabilidade nas empresas: desenvolvimento de conhecimento sobre gestão da sustentabilidade em empresas visando desenvolver mecanismos para desenvolvê-lo e para capacitar seus gestores. Sustentabilidade nas cadeias produtivas: desenvolvimento de conhecimen- to para promover a sustentabilidade em cadeias produtivas da construção (civil, pesada e montagem industrial) Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201214 15
  9. 9. 3. Estágios de Sustentabilidade A abordagem teórica utilizada na pesquisa, denominada Estágios de Cidadania Cor- porativa, foi desenvolvida pelo Centro para Cidadania Corporativa da Boston College (BCCCC - sigla em inglês). A ideia da cidadania corporativa é a de que as empresas de- vem possuir uma conduta ética, levando em consideração os interesses das pessoas, sejam elas funcionários, fornecedores, comunidade, etc. Em uma perspectiva ampla, a cidadania corporativa pode ser definida como sinônimo da sustentabilidade, isto é, a busca por atividades e processos corporativos com resul- tados ambientais, econômicos e sociais equilibrados para todas as partes interessadas da organização. Na pesquisa, utilizamos o termo sustentabilidade por ser mais familiar ao empresaria- do brasileiro, em comparação à cidadania corporativa. A abordagem teórica tem como aspecto positivo a possibilidade de identificar em qual estágio as organizações se en- contram frente à sustentabilidade, avaliando os principais desafios, barreiras e caracte- rísticas de suas atividades. As organizações podem ser classificadas em cinco estágios de sustentabilidade diferentes, com a avaliação de sua gestão em diversos aspectos. A seguir, será feita uma breve descrição das características das organizações em cada um dos estágios considerados. Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201216 17
  10. 10. os líderes tomam frente do processo, coordenando assim as atividades referentes ao Estágio 1 – Elementar tema. As empresas possuem alto nível de aprendizado e inovação, geralmente entran- do em contato com uma diversidade de stakeholders, como empresas mais avançadas A sustentabilidade é esporádica e os programas não são elaborados. Empresas em sustentabilidade corporativa, experts, fóruns, conferências e reuniões profissionais. nesse estágio são reativas, atuando de acordo com as obrigações previstas em lei. Essa mudança na percepção, contudo, geralmente não é acompanhada por desenvol- Mirvis e Googins (2006) apontam que as razões para esse comportamento são: falta de vimentos em transparência e ética (MIRVIS, GOOGINS, 2006). compreensão do que é sustentabilidade corporativa, liderança sem comprometimento A principal barreira desse estágio é a falta de coordenação entre as atividades relacio- com a causa, relacionamento limitado com stakeholders externos e setores ligados a nadas à sustentabilidade corporativa. Cada setor atua de uma forma, com sua própria questões sociais e ambientais isolados, quando existe. O que as impulsiona nesse nível agenda. O desempenho social e ambiental nesse estágio começa a ser monitorado, a melhorar sua atuação nas questões de sustentabilidade é a busca pela credibilidade, mas em nível no qual as informações são apenas colhidas, e não analisadas e utiliza- sendo um desafio responder a novas expectativas e ir além dos requerimentos legais, das como insumo para melhorias na gestão. Assim, o grande desafio desse estágio é o além de mobilizar e conscientizar a liderança sobre a importância da sustentabilidade alinhamento da estratégia da organização com os programas e processos que visam a (MIRVIS, GOOGINS, 2006). sustentabilidade, gerando coerência entre as atividades das diversas áreas da empresa e a sustentabilidade. (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Estágio 2 – Engajado Estágio 4 – Integrado Nesse estágio, a liderança possui uma atuação que leva em consideração alguns as- pectos da sustentabilidade, e modifica o papel da empresa na sociedade, indo além Três características marcam as empresas presentes nesse estágio: liderança à frente da legislação. Com isso, o gestor visa a manutenção e melhoria da reputação da orga- dos processos de sustentabilidade; uma visão inclusiva de sustentabilidade e uma es- nização. Empresas nesse estágio ainda tendem a ser reativas, com comunicação limi- trutura integrada para lidar com os temas, articulando sistemas e processos. Empresas tada com stakeholders. O próprio esforço de engajamento com estes grupos gera um nesse estágio possuem metas, indicadores-chave de desempenho e monitoramento sentimento de impotência frente à inexistência de estrutura corporativa para lidar com contínuo. as diversas demandas das partes interessadas. Assim, um dos desafios desse estágio Um dos desafios desse estágio é mover a empresa da coordenação para a colabora- é criar capacidades internas, que permitam uma comunicação mais efetiva com seus ção, isto é, mobilizar os esforços de todos os colaboradores e aprofundar o comprome- stakeholders (MIRVIS, GOOGINS, 2006). timento com as questões relacionadas à sustentabilidade corporativa, mostrando que o tema está sendo expresso na estratégia de negócios da empresa. A empresa nesse Estágio 3 – Inovador estágio começa a se questionar sobre o quão profundo é o seu comprometimento com a sustentabilidade (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Quando ocorre o aumento da percepção da sustentabilidade corporativa, ampliando o escopo a questões sociais e ambientais, as empresas passam para o estágio inovador. Nesse estágio, as empresas possuem uma visão mais ampla da sustentabilidade, e Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201218 19
  11. 11. Na pesquisa Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras buscou-se observar Estágio 5 – Transformador os aspectos de sustentabilidade de cada estágio presentes na gestão empresarial das organizações brasileiras. A grande questão que envolve a sustentabilidade corporativa Nesse estágio, a empresa coloca a sustentabilidade como parte central de seu modelo é o relacionamento da empresa com o ambiente ao seu redor. Assim, a abordagem de negócios, adapta seus produtos de maneira a gerar mercados inclusivos e possui de cidadania corporativa foi escolhida por apresentar diversos aspectos de avaliação ativismo social e ambiental. O desafio desse estágio é a criação de novos mercados, da gestão empresarial e o relacionamento das organizações com as diversas partes nos quais a sustentabilidade e os negócios se fundem. Empresas nesse estágio operam interessadas. em parceria intensa com ONGs, governo e outras empresas com o objetivo de resolver problemas e transformar o mundo em um lugar melhor (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Os cinco estágios de sustentabilidade corporativa são avaliados de acordo com sete dimensões, que representam aspectos que influenciam na gestão da sustentabilidade empresarial. Na Figura 1 é possível observar os estágios os aspectos considerados. Estágio 1 Estágio 2 Estágio 3 Estágio 4 Estágio 5 Elementar Engajado Inovador Integrado Transformador Conceito de Empregos, Filantropia, Gestão de Sustentabilida- Mudar o sustentabili- lucros e impos- proteção stakeholder de ou Triple mercado dade tos ambiental Bottom Line Intenção Cumprimento Licença para Casos de negó- Proposta de Criação de Estratégica da legislação operar cios valor mercado ou mudança social Liderança Expressão Engajado, Auxilia os Campeão, Visionário, à verbal, indispo- apoiador. processos de à frente da sus- frente do seu nível. sustentabilida- tentabilidade. tempo. de corporativa. Estrutura Marginal: Propriedade Coordenação Alinhamento Mainstream: direcionada à Funcional Entrefunções organizacional Direcionada ao equipe negócio Capacidade de Defensivo Reativo, polí- Responsiva, Sistemas, pró- Definidora resposta ticas programas ativa. Relaciona- Unilateral Interativo Influência Parceria Alianças multi- mento com mútua organizacionais stakeholders Transparência Proteção Relações públi- Reporte ao Garantia Transparência cass público total Figura 1: As sete dimensões dos estágios de sustentabilidade corporativa Fonte: MIRVIS, GOOGINS, 2006 Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201220 21
  12. 12. 4. metodologia A pesquisa Estágios de Sustentabilidade das Empresas Brasileiras foi realizada com organizações atuantes em diversos setores industriais e de serviços. O levantamento foi realizado entre os meses de abril e julho de 2012. Cerca de 2000 questionários foram enviados eletronicamente para profissionais de diferentes níveis hierárquicos e departamentos das empresas. Apesar disso, em geral, muitos dos respondentes atuam na área de sustentabilidade, responsabilidade corpo- rativa, meio ambiente ou qualidade. A opção pela diversidade da amostra vem da per- cepção de que a visão e definição da gestão da sustentabilidade na empresa podem variar entre os diversos níveis hierárquicos. Além disso, um indicador de que a susten- tabilidade está incorporada no sistema de gestão é o envolvimento de profissionais de todos os níveis e departamentos da organização. O questionário possui, no total, 113 perguntas, abrangendo os 7 aspectos da susten- tabilidade corporativa, além de desafios e barreiras que o tema representa (Figura 2). Foram incluídas também perguntas de caracterização dos respondentes e de suas em- presas. O principal insumo para a produção do questionário foi a pesquisa sobre Cida- dania Corporativa realizada pelo BCCCC (MIRVIS; GOOGINS, 2006). Conceito de Sustentabilidade Intenção Estratégica Estrutura Transparência Capacidade de resposta Relacionamento com stakeholders Liderança Figura 2: Aspectos da sustentabilidade corporativa avaliados na pesquisa Fonte: Elaborada pelos autores. Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201222 23
  13. 13. Na pesquisa, foi utilizada uma amostragem estratificada aleatória, com empresas de diferentes tamanhos. A pesquisa foi voluntária, e no total, 239 empresas acessaram o questionário. Destas, 160 o responderam de forma integral, e 79 de forma parcial, dos quais 12 respondentes preencheram mais de 70% das questões. Assim, na pesquisa foram validados 172 questionários. As principais análises feitas na pesquisa visaram verificar o grau de correlação entre duas variáveis, o que caracteriza uma avaliação de correlação paramétrica do tipo Pearson. Nesses casos, a amostra deve conter no mí- nimo 40 casos para um intervalo de confiança de 95% com significância de 10% (HILL, Região de atuação HILL, 2009). Como são os respondentes e suas empresas? 60% 32% 8% A amostra contou com empresas dos três setores da economia, sendo que o de comér- cio e serviços se destacou, com 93 empresas. Com relação ao número de empregados diretos, as grandes empresas, com mais de 250 funcionários, representam 119 das 172 Somente Mais de 21 países Outro país além no Brasil além do Brasil do Brasil empresas respondentes. Por fim, 103 empresas afirmaram atuar somente no Brasil. Número de Empregados Diretos Empresas por Setor da Economia 69% 13% 9% 9% Pequena ( de 10 a Micro 5% Grande (mais de Média (de 50 a 41% 54% 250 funcionários) 249 funcionários) 49 funcionários) 1º Setor 2º Setor 3º Setor Agricultura Indústria Comércio e Serviços Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201224 25
  14. 14. A pesquisa contou com a participação de respondentes de 16 dos 26 estados brasi- leiros, além do distrito federal. Todas as 5 regiões do País estão presentes no estudo (Figura 3). Cargo dos Respondentes 20% 19% 15% 10% 9% Diretor Gerente Cooperador Outros Analista REGIÃO NORTE 4 9% 7% 5% 3% 3% REGIÃO 6 NORDESTE Arquiteta Superintendente Engenheiro Estagiário Auxiliar REGIÃO CENTRO-OESTE 9 REGIÃO 139 SUDESTE REGIÃO SUL 11 Figura 3: Quantidade de empresas respondentes por região do Brasil. Fonte: Elaborada pelos autores. O profissional mais novo a responder a nossa pesquisa possui 22 anos, enquanto o mais velho possui 67. A média de idade dos respondentes é de 38 anos e a idade mais recorrente dos entrevistados é 27 e 28 anos. No total, 169 pessoas informaram sua idade. O cargo mais recorrente ocupado pelos respondentes é o de gerente (20%), seguido pelo analista (15%), coordenador (14%) e diretor (14%). Das 171 pessoas que respon- deram a esta pergunta, 52 (30%) afirmaram trabalhar nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade corporativa ou meio ambiente. Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201226 27
  15. 15. 5. O Estágio de Sustentabilidade das Empresas Brasileiras Para a realização da avaliação do estágio de sustentabilidade das empre- sas brasileiras, os sete aspectos da sustentabilidade corporativa foram utiliza- dos. Em uma avaliação global, as empresas brasileiras estão no estágio deno- minado na pesquisa como Engajado.. Na Figura 4 é possível observar os sete aspectos avaliados e o estágio em que se encontram nas empresas brasileiras. A seguir, os resultados de cada aspecto serão apresentados. TRANSFORMADOR INTEGRADO Conceito de sustentabilidade INOVADOR ENGAJADO Intenção Estrutura Estratégica Transparência Capacidade de resposta ELEMENTAR Relacionamento com Stakeholders Liderança Estágios de Sustentabilidade FIGURA 4: Estágio de cada aspecto de sustentabilidade avaliado. Fonte: Elaborada pelos autores Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201228 29
  16. 16. Conceito de ? Como as empresas definem a sustentabilidade Sustentabilidade Quando questionados sobre a importância de cada um dos aspectos da sustentabilida- de considerados, operar com ética nos negócios é o destaque, apesar de todos os ou- tros aspectos também terem obtido uma avaliação positiva. Ao comparar as respostas, Esse aspecto se relaciona com a percepção que a empresa possui sobre a sustentabi- a menor porcentagem observada foi o apoio ao voluntariado entre os funcionários. lidade empresarial em geral, sem avaliar o contexto específico de suas atividades. Para essa avaliação, foram utilizados dois blocos de perguntas: Legenda 1 2 3 4 5 6 7 Discordo Concordo totalmente totalmente Como as empresas definem a sustentabilidade Qual é a importância dada a cada aspecto da sustentabilidade? Percepções iniciais sobre a sustentabilidade Quais devem ser as ações para a sustentabilidade e quem deve incentivá-la? 1% 1% 5% Operar com ética 1% 98% nos negócios 10% 82% Média: 6,68 % de respostas 5, 6 e 7 As empresas brasileiras possuem a percepção de que a sustentabilidade deve ser uma prioridade empresarial. Além disso, a comunidade é vista como stakeholder influente 2% nas atividades das organizações. Assim, os resultados sugerem que as empresas se en- 4% 1% contram em um estágio no qual a sustentabilidade não é voltada somente à proteção Valorizar 1% 96% funcionários e 14% 78% Média: ambiental e filantropia, apresentando sinais de que trabalhadores e fornecedores são tratá-los bem 6,60 % de respostas 5, 6 e 7 entendidos como centrais para a sustentabilidade das organizações. Nesse estágio, a compreensão da sustentabilidade é de que as atividades empresariais devem gerar resultados ambientais, econômicos e sociais equilibrados a suas partes interessadas. Assim, as empresas brasileiras se encontram em um estágio integrado no que tange o 1% conceito de sustentabilidade corporativa. Entretanto, mesmo compreendendo o con- 9% 2% ceito, as empresas apontam que muitas organizações não aplicam os pressupostos da Trabalhar com os 1% 96% fornecedores / 23% 63% Média: vendedores para sustentabilidade, característica essa que tende a emergir nos outros aspectos conside- 6,37 % de respostas assegurar que eles 5, 6 e 7 rados na pesquisa. operam eticamente Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201230 31
  17. 17. 3% 2% 2% 1% 7% 2% 2% Responder à 2% 92% Proteger o meio 1% 96% comunidade / 13% 26% 53% Média: ambiente natural 15% 70% Média: grupos de interesse 6,13 % de respostas 6,39 % de respostas com relação a questões 5, 6 e 7 5, 6 e 7 que eles se preocupam 6% 2% 1% 1% Proteger 2% 95% Melhorar as 2% 1% 91% consumidores 12% 24% 59% Média: condições da sua 8% 27% 56% Média: 6,68 % de respostas comunidade 6,20 % de respostas 5, 6 e 7 5, 6 e 7 5% 2% 5% 1% 1% Gerir e reportar 1% 1% 93% Maximizar lucros 2% 91% as finanças 8% 17% 69% de longo prazo aos 13% 27% 50% Média: Média: precisamente 6,43 % de respostas donos / acionistas 6,09 % de respostas 5, 6 e 7 5, 6 e 7 3% 3% 2% Realizar marketing 1% 92% Prover vagas de 1% 88% e propaganda dos 13% 23% 56% Média: trabalho bem 1% 8% 22% 18% 48% Média: produtos de 6,16 % de respostas maneira 5, 6 e 7 remuneradas 5,94 % de respostas 5, 6 e 7 responsável 5% 2% 1% 8% Promover 1% 92% 3% benefícios aos 13% 20% 56% Média: Gerar diversidade 3% 1% 84% empregados 6,22 % de respostas de trabalhadores 16% 21% 47% Média: 5, 6 e 7 dentro da empresa 5,86 % de respostas 5, 6 e 7 Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201232 33
  18. 18. 5% 2% 11% 2% Apoiar 2% 80% A sociedade almeja 1% 84% voluntariado entre 10% 17% 22% 41% Média: 1% cada vez mais a 17% 26% 41% Média: os trabalhadores 5,66 % de respostas 5, 6 e 7 sustentabilidade das 5,80 % de respostas empresas 5, 6 e 7 ? Percepções iniciais sobre a sustentabilidade A sustentabilidade 2% 5% 77% 2% faz uma contribuição 13% 19% 23% 34% Média: tangível aos resulta- 5,51 % de respostas Ao serem questionados sobre as ações para a sustentabilidade e quem deveria incenti- dos das empresas 5, 6 e 7 vá-las, as empresas apontam que ela deve ser uma prioridade empresarial, e que deve haver legislação que a regule e incentive. É interessante observar que as empresas admitem que muitas organizações, apesar de se proclamarem sustentáveis, não estão realmente comprometidas com a causa. 7% Muitas empresas 7% 60% possuem muito mais 10% 16% 24% 19% 17% Média: ações voltadas para 4,66 % de respostas a comunidade do 5, 6 e 7 Legenda 1 2 3 4 5 6 7 que é normalmente Discordo Concordo conhecido totalmente totalmente 8% 2% 6% A sustentabilidade 46% é mais importan- 16% 12% 18% 13% 15% 19% 90% Média: A sustentabilidade 1% te em tempos de 4,19 % de respostas deve ser uma 1% 11% 22% 57% Média: recessão 5, 6 e 7 prioridade das 6,19 % de respostas 5, 6 e 7 empresas 10% 1% 9% Muitas empresas 2% 87% 7% promovem a 19% 23% 45% Média: A sustentabilidade 31% deve ser 31% 12% 15% 10% 15% sustentabilidade, 5,93 % de respostas Média: mas não estão 5, 6 e 7 completamente 3,35 % de respostas voluntária, 5, 6 e 7 realmente comprometidas nenhuma lei com a questão deveria regulá-la Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201234 35
  19. 19. Intenção Estratégica ? Motivação para a sustentabilidade Os respondentes foram questionados sobre como a sustentabilidade é vista dentro de suas empresas. Em todas as questões desse bloco, a maior parte dos respondentes O aspecto da intenção estratégica busca avaliar qual é o objetivo de se levar em con- afirma que a sustentabilidade existe e traz benefícios para suas organizações, sendo sideração aspectos de sustentabilidade dentro da empresa. Mirvis e Googins (2006) destaque a melhoria na reputação e imagem. Quando questionadas sobre a susten- apontam que empresas em estágios iniciais consideram apenas benefícios no merca- tabilidade e retenção de empregados, os dados sugerem que as empresas brasileiras do e sociedade advindos da sustentabilidade, como melhoria na reputação e imagem não veem uma relação direta entre as questões. da empresa. Esse aspecto se diferencia do aspecto “Conceito de Sustentabilidade” por levar em con- sideração o que acontece no contexto da empresa, e não de maneira geral; além disso, busca-se aqui avaliar quais são as motivações para a sustentabilidade. Para essa avalia- ção, três blocos de perguntas foram considerados: Legenda 1 2 3 4 5 6 7 Discordo Concordo totalmente totalmente Motivação para a sustentabilidade Como a sustentabilidade é vista dentro de sua empresa? O que a motiva? Iniciativas voltadas à sustentabilidade O que a empresa faz em prol da sustentabilidade? Motivação para parcerias 1% 3% 9% 1% O que motiva a empresa a realizar parcerias para resolver questões ambientais, A sustentabilidade 2% 92% melhora a nossa 19% 65% Média: econômicas e sociais? reputação / imagem 6,29 % de respostas 5, 6 e 7 A principal intenção estratégica das empresas brasileiras com a sustentabilidade são os ganhos de reputação ou ganhos financeiros advindos da utilização de menos recursos 8% 2% naturais. Além disso, as parcerias também são motivadas pelos ganhos de reputação. Esse comportamento é característico de empresas no estágio engajado, com a inten- A sustentabilidade 2% 87% é importante para 2% 14% 26% 47% Média: ção voltada para a licença para operar. Isso significa que as organizações brasileiras vi- nossos clientes / 5,95 % de respostas consumidores 5, 6 e 7 sam o reconhecimento por parte da sociedade de que suas atividades são adequadas e devem continuar. Nesse estágio há a percepção de que a opinião e visão da socieda- de com relação à organização é importante. Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201236 37
  20. 20. 5% 3% 3% 8% A sustentabilidade 3% 80% A sustentabilidade é 5% 74% nos dá vantagens 9% 16% 22% 42% Média: parte das tradições e %01 23% 15% 37% Média: competitivas 5,64 % de respostas valores da empresa 5,33 % de respostas 5, 6 e 7 5, 6 e 7 6% 1% 2% 6% A sustentabilidade 74% A sustentabilidade 5% 78% nos ajuda a diminuir 6% 13% 20% 25% 30% Média: permite nosso envol- 8% 13% 26% 40% Média: os riscos nos 5,33 % de respostas vimento no debate 5,57 % de respostas negócios 5, 6 e 7 de políticas públicas 5, 6 e 7 6% 8% 5,% Discutimos sobre 9% 63% 2% sustentabilidade 14% 15% 15% 33% Média: A sustentabilidade 8% 77% dentro da empresa 4,98 % de respostas nos auxilia na gestão 12% 22% 20% 31% 5, 6 e 7 Média: de pressões regula- 5,22 % de respostas tórias 5, 6 e 7 6% A sustentabilidade 58% ajuda a recrutar e 8% 10% 17% 22% 16% 19% Média: 2% 4% manter funcionários 4,64 77% % de respostas A sustentabilidade é 5, 6 e 7 3% esperada por nossa 13% 19% 19% 39% Média: comunidade 5,54 % de respostas 5, 6 e 7 2% A sustentabilidade 3% 77% 3% faz parte da nossa 15% 20% 17% 40% Média: estratégia de 5,54 % de respostas negócios 5, 6 e 7 Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201238 39
  21. 21. ? Iniciativas voltadas à sustentabilidade ? Motivação para parcerias Os respondentes foram questionados sobre quais das opções abaixo são atividades de As empresas deveriam apontar quais são as três principais motivações para a realiza- suas empresas atualmente. A iniciativa mais recorrente nas empresas, apontada por ção de parcerias para a sustentabilidade. 67% dos respondentes afirmam que a ob- 82% dos entrevistados, é a redução de custos através de melhorias na eficiência do uso tenção de benefícios financeiros ao identificar oportunidades de inovação é a principal de materiais. Aumentar a conscientização da marca como “verde” ou socialmente res- motivação, seguido da melhoria na reputação trazida com a sustentabilidade, com 66% ponsável, por sua vez, é a iniciativa menos realizada pelas empresas, sendo apontada de respostas; e a percepção de que as empresas não conseguem resolver todos os por 20% dos respondentes. problemas sozinhas, afirmação feita por 48% das empresas. Aumentar a conscientização da marca como “verde” ou socialmente responsável 20% Prover mais informações aos consumidores sobre os impactos sociais e ambientais de seus produtos 36% Governo ou outras políticas de incentivo 44% Utilizar a sustentabilidade como um diferencial mercadológico 39% Pressão de stakeholders externos Produzir ou terceirizar a produção 45% domesticamente/localmente 39% Nossa empresa não consegue resolver Prover mais informações aos consumidores sobre os impactos sociais e ambientais todos os problemas sozinha 48% de seus produtos e serviços 49% Reduzir custos através de melhorias na eficiência do uso de materiais 50% Melhorar nossa reputação 66% Prover treinamentos para ampliar e aumentar a conscientização comercial 55% Obter benefícios financeiros ao dos trabalhadores identificar oportunidades de inovação 67% Desenvolver e oferecer produtos/serviços 57% sustentáveis Oferecer produtos/serviços mais eficientes em gastos energéticos 82% Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201240 41
  22. 22. Estrutura ? Alinhamento e integração da sustentabilidade nos negócios O aspecto da estrutura se relaciona com a forma na qual a gestão da sustentabilidade Ao aprofundar nos questionamentos sobre a gestão da sustentabilidade e sua inte- está estruturada nas empresas. Muitas organizações decidem criar uma área ou um gração nos negócios das empresas, boa parte dos respondentes aponta a existência comitê específico para tratar das questões de sustentabilidade corporativa que se rela- de uma pessoa ou equipe responsável pelo tema. Metas individuais para os gestores cionem com seus negócios, mas se não houver uma integração das atividades do setor sobre aspectos ligados à sustentabilidade, por sua vez, ainda é uma prática que deve com as outras atividades da empresa, o papel da sustentabilidade fica em segundo ser trabalhada nas organizações. plano. Para essa avaliação um bloco de perguntas foi utilizado: Legenda 1 2 3 4 5 6 7 Não é Muito nada verdadeiro verdadeiro Alinhamento e integração da sustentabilidade nos negócios O que há de concreto na empresa? Metas, equipe, políticas, treinamentos? 3% 6% 6% Minha empresa 67% possui alguém 17% 8% 16% 44% Média: ou uma equipe 5.06 % de respostas responsável por 5, 6 e 7 Apesar de já existir alguém ou uma equipe responsável por questões relacionadas à questões relaciona- sustentabilidade em 67% das empresas respondentes, ainda há procedimentos a se- das à sustentabili- dade rem desenvolvidos. A falta de metas individuais aos gestores em questões que levem em consideração aspectos de sustentabilidade mostra a dissociação entre a estrutura organizacional e a integração da área de sustentabilidade com as outras áreas. Isso faz 7% com que as equipes responsáveis pela sustentabilidade se tornem “ilhas” dentro das A sustentabilidade 62% é parte integral do 11% 12% 8% 19% 14% 30% Média: empresas. nosso processo de 4.76 % de respostas 5, 6 e 7 planejamento de Outra questão importante é o treinamento das equipes de diversas áreas para lidar negócios com questões de sustentabilidade. Sem essa conscientização individual, a concretiza- ção das metas individuais e organizacionais estabelecidas é comprometida. Esse panorama é característico de empresas com um estágio inovador, no qual a sus- 6% tentabilidade já possui uma estrutura interna, porém, não coordenada de forma efetiva Minha empresa pos- 62% com as diversas áreas, processos e atividades da empresa. sui políticas ou decla- 16% 8% 8% 9% 13% 41% Média: rações escritas sobre 4.88 % de respostas sustentabilidade 5, 6 e 7 Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201242 43
  23. 23. 6% Minha empresa 54% Gestores individuais 34% possui treinamento 15% 10% 15% 14% 15% 26% Média: possuem metas de 25% 12% 14% 15% 10% 10% 13% Média: e programas de 4.52 % de respostas performance rela- 3,58 % de respostas educação com o 5, 6 e 7 cionadas a direitos 5, 6 e 7 objetivo de avançar humanos dentro da a sustentabilidade cadeia de suprimen- na empresa. tos 6% Gestores individuais 49% possuem metas 16% 13% 16% 13% 16% 20% Média: relacionadas a me- 4.32 % de respostas 5, 6 e 7 Gestores individuais 31% lhorias na educa- 26% 14% 15% 13% 10% 10% 10% possuem metas de Média: ção, treinamento e 3,41 performance relacio- % de respostas carreira dos traba- 5, 6 e 7 nadas à diversidade lhadores Gestores individuais 48% possuem metas de 19% 12% 11% 9% 15% 15% 19% Média: performance relacio- 4,07 % de respostas 5, 6 e 7 nadas à responsabi- lidade ambiental Gestores individuais 39% possuem metas de 23% 12% 10% 15% 13% 13% 13% Média: performance relacio- 3,73 % de respostas nadas a produtos e 5, 6 e 7 serviços sustentáveis Gestores individuais 37% possuem metas de 22% 15% 10% 16% 9% 12% 16% Média: performance rela- 3.73 % de respostas 5, 6 e 7 cionadas ao apoio à comunidade Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201244 45
  24. 24. Transparência Minha empresa mede os impactos 19% 13% 9% 15% 12% 14% 20% Média: 45% sociais de nossas 4.08 % de respostas iniciativas sociais 5, 6 e 7 A mensuração e reporte dos impactos das atividades das empresas é um passo impor- tante para avaliar a gestão da sustentabilidade e garantir transparência nas atividades da organização. Quando questionadas sobre o reporte de informações relacionadas a iniciativas sus- Minha empresa 32% mede os impactos 21% 13% 8% 17% 15% 13% 15% Média: tentáveis, 59% das empresas afirmou o fazerem; contudo, medir os impactos das inicia- de nossas iniciativas 3,87 % de respostas sociais em nossos 5, 6 e 7 tivas sociais nos negócios não é uma ação tão recorrente nas organizações. negócios Assim, as empresas brasileiras já começam a reportar suas atividades relacionadas à sustentabilidade, mas muitos dos impactos socioambientais das organizações ainda não são mensurados, o que compromete quantitativamente e qualitativamente as in- formações contidas nos relatórios. Esse contexto é característico de empresas em um estágio engajado, em vias de passar para o estágio inovador. Já há algumas iniciativas para o reporte dessas informações, mas sua capacidade de se tornar insumo para me- lhorias na gestão é limitada pela falta de informações sobre algumas atividades. Legenda 1 2 3 4 5 6 7 Discordo Concordo totalmente totalmente Minha empresa 59% reporta as iniciativas 14% 9% 8% 11% 13% 13% 32% Média: voltadas à 4.69 % de respostas sustentabilidade 5, 6 e 7 Minha empresa 51% mede os impactos 15% 13% 9% 12% 15% 16% 20% Média: de nossas iniciati- 4.28 % de respostas vas ambientais em 5, 6 e 7 nossos negócios Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras . FDC . 201246 47

×