CF1108Caso de InovaçãoaLsToM GRIdCarlos Arruda - Fabian Salum - Luísa Rennóa eMpResao     Grupo Alstom é líder mundial e r...
para Instrumentos, criado em 2008. Cerca de 500          Além de Itajubá e Finlândia, outros sites depessoas trabalham no ...
O setor de P&D é responsável por novos produtos,     recursos para aplicar. Hoje, redimensionadatransferência de tecnologi...
Noise), uma demanda de muitas especificações,        Programa de Cálculo de Ruído Audíveldesenvolvida em conjunto com uma ...
por exemplo, espaço para mudanças de layout.                                                     Por isso, para fazer a tr...
Dificuldades e aprendizados                          plano – inclusive fatores externos como o mercado                    ...
local, trabalhando com um multiculturalismo         RefeRênCIas,importante para uma empresa global, além defacilidade de i...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Caso de Inovação Alstom Grid

1.135 visualizações

Publicada em

Grupo Alstom é líder mundial e referência em tecnologias inovadoras de infraestrutura para geração e transmissão de energia e transporte ferroviário. No Brasil, está presente há 56 anos e conta com 5 mil funcionários diretos, trabalhando em sete unidades instaladas em São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rondônia. No restante do mundo, está presente em mais de 70 países, empregando 93 mil pessoas, sendo o escritório central na França e as atividades de maior relevância distribuídas entre Austrália, China, República Tcheca, Finlândia, Alemanha, Índia, Itália, Rússia, Eslováquia, Espanha, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.135
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caso de Inovação Alstom Grid

  1. 1. CF1108Caso de InovaçãoaLsToM GRIdCarlos Arruda - Fabian Salum - Luísa Rennóa eMpResao Grupo Alstom é líder mundial e referênciaem tecnologias inovadoras de infraestrutura para da Alstom Grid – Instrument Transformer – e da subdivisão Power Compensation, que têm emgeração e transmissão de energia e transporte Itajubá, Minas Gerais, as suas fábricas e o Centroferroviário. No Brasil, está presente há 56 anos e de Competência em Compensação Reativa, oconta com 5 mil funcionários diretos, trabalhando nosso objeto de interesse.em sete unidades instaladas em São Paulo, MinasGerais, Rio Grande do Sul e Rondônia. No restantedo mundo, está presente em mais de 70 países,empregando 93 mil pessoas, sendo o escritóriocentral na França e as atividades de maior CenTRo derelevância distribuídas entre Austrália, China,República Tcheca, Finlândia, Alemanha, Índia, CoMpeTênCIa –Itália, Rússia, Eslováquia, Espanha, Suécia, ReinoUnido e Estados Unidos. hIsTóRIa e ConTexToO grupo divide-se em quatro empresas, responsáveispor três tipos de atividade industrial: O Centro de Competência em Compensação • Equipamentos e serviços para geração de Reativa teve início em 2006, sete anos depois da energia: aquisição, por parte da Alstom, de uma empresa familiar de equipamentos elétricos que fabricava ▪ Alstom Power – geração térmica. reatores de núcleo de ar em Betim, MG. Em ▪ Alstom Renewable Power – energias 2001, a fábrica foi transferida para Itajubá. Era renováveis, como as de origem eólica e a única no mundo que fabricava esse tipo de hídrica. equipamento dentro da empresa, e a Alstom, • Equipamentos e Serviços para Transporte buscando crescer nesse mercado, investiu na Ferroviário: empresa que, mais tarde, teve seu conhecimento de desenvolvimento de reatores – naquele ▪ Alstom Transport – trens, trens de alta momento já com dois modelos de reatores (OSD velocidade e metrôs. e FED) desenvolvidos – transformado em um • Equipamentos e Serviços para Transmissão Centro de Competência. de Energia: Com a transferência da fábrica para Itajubá, a ▪ Alstom Grid. cidade passou a ser um polo de fabricação de equipamentos elétricos da Alstom Grid, com três fábricas e dois Centros de Competência – oNeste Caso de Inovação, trataremos, Centro de Competência em Compensação Reativaespecificamente, de uma das linhas de produto e Centro de Competência em Transformadores
  2. 2. para Instrumentos, criado em 2008. Cerca de 500 Além de Itajubá e Finlândia, outros sites depessoas trabalham no site. produção da divisão Power Compensation estão na Índia (bobinas de bloqueio) e no MéxicoApenas um ano depois da criação do Centro (capacitores de potência).de Competência em Compensação Reativa, em2007, foi desenvolvida a terceira tecnologia para Hoje, a unidade da Alstom Grid em Itajubá possuireatores para alta potência (MCD). Em 2008, as três tecnologias de reatores, de baixa (OSD),o grupo incorporou a Nokian Capacitors, uma média (FED) e alta potência (MCD), e oferece aosfábrica na Finlândia de onde vem sendo transferida clientes um fornecimento completo de soluçõesa tecnologia de fabricação de capacitores de em reatores.potência, projetos de bancos de capacitores efiltros de harmônicos.Além dos reatores, a linha de produtos apresenta Competência no Brasil, a equipe ainda não tinhabobinas de bloqueio, capacitores, bancos de a experiência necessária. Precisaram buscarcapacitores Shunt e filtros de harmônicos. no mercado modelos e referência capazes de montar uma estrutura robusta de pesquisa eO Centro de Competência da Alstom está focado desenvolvimento. Hoje, a estrutura da linha dena pesquisa e no desenvolvimento de uma área em produtos Instrument Transformer conta comque os desafios técnicos são muitos, algumas vezes um vice–presidente na França, que controla asrelacionados ao desenvolvimento de produtos; fábricas da Índia, da Finlândia e do Brasil (queoutras, às soluções. E são as soluções, como as têm especificamente os produtos de compensaçãomontagens especiais em regiões de alto abalo reativa), entre outras (que têm outros produtossísmico, as montagens em campo, os suportes da linha) e, abaixo dele, de forma espelhadaetc., que garantirão um maior reconhecimento do à matriz, um diretor que controla os setoresprojeto e ganharão o cliente. Comercial e Engenharia. Dentro da Engenharia estão localizados P&D, Produção e Aplicação. A área de P&D, coração do Centro de Competência, tem apenas o seu gerente (que é o mesmo gestorCenTRo de CoMpeTênCIa de toda a Engenharia), um engenheiro e um– desenvoLvIMenTo e técnico. É uma equipe pequena para projetosesTRuTuRa grandes e desafiadores.E m 2 0 0 6 , q u a n d o h o u ve a d e m a n d a d amultinacional de montagem de um Centro de Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF 1108 2
  3. 3. O setor de P&D é responsável por novos produtos, recursos para aplicar. Hoje, redimensionadatransferência de tecnologia, redesign do custo para uma estrutura mais enxuta, consegue– redesenhar o equipamento para diminuir absorver somente parte dos processos regularescustos – e projetos de pesquisa básica, como previstos. Um deles é o Relatório Mensal deinvestigações técnicas e desenvolvimento de P&D, que mostra a situação atualizada de cadamodelos de cálculo. projeto – um demonstrativo importante já que muitos dos projetos vieram da França e precisamOs projetos de transferência de tecnologia entre dar o devido retorno dos resultados. Outrounidades e desenvolvimento de novos produtos processo enriquecedor, porém não realizado comsão advindos do headquarters na França e a regularidade ideal, é a Reunião de Validação/apenas aplicados localmente. Outros projetos Aprovação de Projetos da Unidade, envolvendosão iniciados e gerenciados de maneira mais uma equipe multidisciplinar (produção, aplicação,autônoma pela unidade, como o redesign de custo, segurança etc.) na aprovação de um projeto.a análise de estrutura de custo, o desenvolvimento Da mesma forma acontece, também sem muitade produtos e soluções especiais por nicho de regularidade, a avaliação e atualização de KPIs,mercado, a melhoria de processos e os projetos que são os indicadores de performance.de curta duração. Esses últimos, em especial,têm tratamento diferenciado, pois são projetosde rápida implementação, dos quais, no entanto,não se pode descuidar, pois precisam manter aalta qualidade do negócio. Os estudos técnicos pRInCIpaIs pRojeTos deenvolvem pesquisa básica, fenômenos físicos, desenvoLvIMenTo dedesenvolvimento ou aperfeiçoamento de modelos pRoduTose ferramentas de cálculo e estudos de viabilidade De 2006 para cá, o Centro de Competência– ponto crucial no desenvolvimento de projetos desenvolveu projetos importantes, tanto para aque sejam viáveis, sem se deparar com maiores unidade quanto para a matriz, como a tecnologiasurpresas no processo. MCD (CABLE) – o reator de alta potência, umA estrutura de P&D do Centro de Competência produto novo para a empresa, mas uma tecnologiafoi dimensionada, a princípio, incorretamente, já existente na concorrência. Entre os projetosde forma que, no momento de sua criação, ela de pesquisa básica está o desenvolvimento doera muito maior do que a empresa queria e tinha Programa de Cálculo de Ruído Audível (ACR Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF1108 3
  4. 4. Noise), uma demanda de muitas especificações, Programa de Cálculo de Ruído Audíveldesenvolvida em conjunto com uma universidade. (ACR Noise)Já o Reator Seco de Supressão de Arco (ATT)foi um projeto de desenvolvimento inédito no O projeto aberto, desenvolvido em parceria commercado mundial, uma demanda específica de uma Universidade Federal, procurava calcular oum cliente que queria um equipamento menor e ruído produzido pelo reator. Para isso, foram feitosa seco – quando só existia a óleo. Foi um passo ensaios, seguidos pela criação de um modelo teóricode ruptura importante para o setor de P&D da que resultou num desenvolvimento de softwareAlstom Grid no Brasil. A parte de transferência de cálculo. Então, uma série de equipamentosde tecnologia fez parte do projeto TT Capacitores elétricos foram levados para dentro de uma câmarade Potência (BPC). semianecoica, para validação em massa. Tudo isso foi conduzido, dentro da Alstom, por um engenheiro de cálculos, supervisionado pelo gestor de P&D, e dentro da universidade por uma equipe formadadesenvoLvIMenTo da por professor especialista, doutorando, mestrandoTeCnoLoGIa MCd (Cable) e aluno de graduação. A equipe da universidade era maior e podia se entregar ao projeto comA criação de um terceiro modelo de reator, maior dedicação, o que dificultou que a equipe docom potência muito maior do que os dois Centro de Competência conseguisse acompanharanteriores, requeria um processo industrial o desempenho. Mas o resultado final foi positivototalmente novo e a junção de equipamentos de para todas as partes envolvidas.diferentes indústrias. O risco era alto e envolviaa necessidade de desenvolver um software paraprojetar o equipamento, modelos de cálculo, Reator Seco de Supressão de Arco (ATT)protótipo, validação e muitas obras na linha demontagem que gerariam um distúrbio grande A demanda específica de um cliente era umno processo diário da fábrica. Como a produção reator a seco, pois o usado na época era a óleo enão pode parar, foi necessário locar uma linha causava muitos problemas de manutenção. Alémde produção. Outra dificuldade se apresentou disso, o reator deveria ser muito menor do que ocom os equipamentos novos, em sua maioria usual. A área de P&D então passou a desenvolvê-importados, sendo que muitos deles faziam parte lo aos poucos, estudando as possibilidades, atéde um conceito de produção novo, desconhecido que chegaram a um equipamento a seco compela equipe. Especificar a máquina e fazer todos as mesmas características do outro, mas comos ajustes necessários foi um processo longo e dimensões muito menores. O equipamento novo écomplicado. muito mais simples que o antigo, pesa 540 quilos contra os 7700 originais, não apresenta problemasO desenvolvimento de um projeto com demanda de manutenção e tem uma série de outrasda matriz em uma multinacional também se vantagens. Ele mudou a cultura do mercado. Hojerevela um processo longo e propenso a falhas no Brasil só se usa esse novo modelo e ele já estáde cronograma. A demora para a aprovação entrando na Índia e na Líbia.dentro da empresa gera um atraso que, muitasvezes, não é corrigido no planejamento. Então, o Da solicitação do cliente até o produto finalizado,trabalho detalhista e delicado de montagem do houve uma mudança no conceito de pensar sobrenovo equipamento acaba sendo feito às pressas, aquele reator, com várias tentativas fracassadaspodendo gerar erros, por causa do cumprimento e muitos protótipos, até que, enfim, surgiu ade um prazo irreal. solução ideal. Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF 1108 4
  5. 5. por exemplo, espaço para mudanças de layout. Por isso, para fazer a transferência de tecnologia, é necessário implementar aperfeiçoamentos à linha de produção. O projeto está alocado sob a chancela da área de P&D, porque a Alstom considera que a transferência de tecnologia traz desenvolvimento e conhecimento novos para dentro da unidade de fabricação. Na atual estrutura da empresa, transformadores para instrumentos estão sendo desenvolvidos no Brasil e em alguns outros países. Assim, se dois desses países estão desenvolvendo novos produtos, diferentes entre si, é natural que eles transfiram a tecnologia posteriormente de um para o outro e que a equipe de P&D, responsável pelo desenvolvimento no local, também seja a equipe que vai receber aTT CapaCIToRes de nova tecnologia.poTênCIa (BpC) Esse projeto conta com pontos interessantes de planejamento e organização, especialmente de equipe. Nesse caso, conseguiram comporA transferência da fábrica de capacitores da uma equipe totalmente dedicada ao projeto,Finlândia é um projeto que obteve atenção especial de pessoas que foram tiradas da operaçãotanto da matriz quanto da unidade, com um plano da fábrica e alocadas numa mesma sala dede negócios completo e uma boa estrutura para trabalho. Quatro delas foram enviadas para aa sua realização. Finlândia e treinadas lá, para trazer junto comA linha de fabricação da Finlândia está sendo elas a estrutura de departamentos. Tudo issotrazida para Itajubá, onde será refeita. A fábrica fez com que o projeto tenha ficado como umatinha 50 anos e pouca margem para melhorias, referência dentro da Alstom. Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF1108 5
  6. 6. Dificuldades e aprendizados plano – inclusive fatores externos como o mercado – pode e deve ser revisto durante as etapas deO que o projeto mais recente, a transferência sua implementação. Essa revisão é estratégica ede tecnologia da fábrica da Finlândia, trouxe tem que ser sistemática.de aprendizado mais importante para o setor etambém para toda a Unidade em Itajubá foi o Toda validação (projetos/melhorias/alterações)processo de trabalho organizado, planejado e possível deve ser realizada, se possível comcom equipe 100% dedicada. Esse último item, a participação dos diversos departamentosem especial, foi a maior dificuldade encontrada envolvidos. E a industrialização completa (atéem todos os outros projetos anteriores. mesmo dos pequenos projetos) deve considerar todos os detalhes:O primeiro projeto, de desenvolvimento do reatorde alta potência, por exemplo, foi um grande • Propriedade Intelectual.aprendizado sobre a estruturação da área e a • Revisão de normas de projeto, fabricação edificuldade em trabalhar sem dedicação exclusiva processo.a cada projeto. Nesse caso, era necessário criarum processo industrial totalmente novo, mas a • Documentos internos (principalmente deprodução normal da fábrica não podia parar. A fabricação).engenharia do dia a dia é sempre a prioridade, com • Manuais e catálogos.metas de faturamento e resultados mais reais doque os projetos novos. Aparece, nesse momento, • Ensaios de tipo (homologação).a carência de um grande Centro de Pesquisa • Ferramentas de cálculo, comercial etc.e Desenvolvimento dentro da organização. Os • Treinamento de todos os envolvidos.Centros de Competência existentes estão dentroda conjuntura de unidades específicas, que já • Controle de entrada e saída de linha (carteira,têm uma história, linhas de produção prioritárias, estoques etc.).logística e tecnologia próprias. • Impacto da mudança em termos de estoque,Além disso, ainda que tenha um nível de entrega, processo, robustez ambiental eimportância crucial para a empresa, inclusive em segurança, entre outros.termos administrativo-financeiros, trata-se de • SWOT e execução das ações de mitigação.uma equipe pequena, que não consegue trabalharfocada em um único projeto de cada vez.Em relação ao Business Plan dos projetos, algumas Desafios / Estruturação para o futurolições foram aprendidas após as dificuldadesencontradas ao longo de cada processo. Por A estruturação de um grande Centro de P&Dmais que se tenha um planejamento muito bem dedicado traria alguns benefícios ao trabalho, comofeito e minimamente executado, existe um ponto uma equipe focada em projetos e cronogramasdifícil de prever – e depois de cumprir – que é bem definidos, composta por uma sinergiao volume de vendas esperado e a respectiva de técnicos oriundos de diferentes áreas emargem de lucro. Os demais itens de perdas experiências para fomentar a troca de ideias,e lucros podem ser cumpridos se analisados laboratórios próprios, sem a “concorrência”e previstos com o nível de detalhamento desleal das linhas de produção e uma claraapropriado. O segundo ponto de risco é atingir divisão entre o desenvolvimento e a implantaçãouma situação de inviabilidade técnica do plano. de um novo produto. Algumas dificuldades, noO estudo de viabilidade deve ser consistente e entanto, também surgem nesse modelo, taisincluir protótipos, principalmente para novos como a distância em relação ao mercado e aosprodutos. Do estudo de viabilidade vai depender, clientes, tornando necessária uma forte equipe deinclusive, a avaliação do custo do projeto, que marketing para dar suporte ao rastreamento dedeve ser detalhado e cotado suficientemente nos oportunidades e seleção de projetos, e a ausênciaprincipais elementos de custo. do ambiente fabril, que dificulta prototipagens e reduz a visão de processo e o desenvolvimentoMuitas vezes, o movimento estratégico dos de soluções e melhorias para ele.concorrentes e as mudanças de mercado sãoignoradas durante a implementação do plano. Já os Centros de P&D, menores e dispersos nasIsso pode gerar, no final, uma defasagem grande unidades, apresentam forte interação com osem relação à situação real do mercado e à sua clientes, especialmente na demanda por novoscapacidade de absorver os novos produtos. Todo o produtos, foco nas especificidades do mercado Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF 1108 6
  7. 7. local, trabalhando com um multiculturalismo RefeRênCIas,importante para uma empresa global, além defacilidade de implementação e teste de soluções enTRevIsTas eincrementais e protótipos. Em contrapartida,há uma confusa divisão entre desenvolvimento RefeRênCIase implementação de um novo produto e umasubpriorização do P&D com relação às metas defaturamento e entrega. É bom lembrar, também, Apresentação de caso feita no dia 17/08/2011que a falta de dedicação exclusiva dificulta o por:cumprimento de projetos e cronogramas e os • Daniel Lacerda – Gerente de Engenharia,recursos de P&D acabam por ser drenados pelas Pesquisa e Desenvolvimento do Centro dedemandas diárias de gestão da unidade ou solução Competência em Compensação Reativade problemas. • Rodrigo Coelho – Gerente de Engenharia,Pela observação dos prós e contras da localização Pesquisa e Desenvolvimento do Centro deespecífica do Centro de P&D numa indústria Competência em Transformadores paramultinacional, a divisão do setor na Alstom MediçãoGrid tende a se consolidar na forma de doistipos de Centros de Tecnologia: os altamenteespecializados, mas sem foco em um produto Documento “Alstom Grid – Unidade RMG – Centroespecífico, em países como França, Inglaterra de Competência em Compensação Reativa”,e China, e os especializados em determinados apresentado no dia 17/08/2011.produtos, ligados a unidades fabris e com alta Consultas ao site http://www.alstom.com/brazil/pt/ du-proximidade com o cliente, como o caso da rante o mês de setembro/2011.subdivisão Power Compensation, em Itajubá,Minas Gerais. Casos FDC - Nova Lima - 2011 - CF1108 7

×