Magia egipcia sp

2.054 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.054
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Magia egipcia sp

  1. 1. Magia Egípcia,O Novo Equinócio dos DeusesCom: Frater Goya (Anderson Rosa)
  2. 2. A Literatura Mágica ● A Theurgia, ou De Mysteriis Aegyptiorum – Jâmblico; ● O Livro dos Mortos – Per-t em Hru – O Livro do Sair à Luz; ● Papiro de Leiden – (Ritual do Não-nascido, divinação) ● Papiro Bremner-Rhind ● Textos das Pirâmides ● Textos dos Sarcófagos ● Livro dos Dois Caminhos ● Livro das Horas
  3. 3. As formas da Magia EgípciaDestacam-se:● Adivinhação● Fórmulas de Poder● Proteção● Garantia de Vida Eterna● Magia Ritual● Comunhão com os deuses● SAG
  4. 4. O Livro dos MortosEdição de E.A. Wallis Budge Edição de James Wasserman
  5. 5. Cap. CXLIV – 144 Este Capítulo devia ser recitado durante a execução de certo número decerimônias, descritas na Rubrica extensa. A primeira seção dele, disposta emforma tabular, contém uma representação das SETE ARITS, isto é, Salas, queformavam a habitação de Osíris no Outro Mundo. Diante de cada Arit postavam-se três seres: um deles vigiava a porta, outroficava à espreita, para ver quando alguém se aproximava, e o terceiro fazia asvezes de pregoeiro e anunciava ao deus o nome do recém-chegado. Ninguémpoderia ser admitido nas Arits se não fosse capaz de dizer os nomes dosguardas das portas, dos vigias e dos arautos. A segunda seção do Capítulocontém uma longa alocução dirigida às Arits e seus guardas, que o falecido eraobrigado a recitar. Ordenava a Rubrica que as imagens dos deuses das Aritsfossem pintadas com elas e que se fizesse uma imagem do falecido a fim deaproximar-se de uma Arit de cada vez. Em cada Arit recitava-se o Capítulo efaziam-se oferendas, entre as quais figuravam quatro vasos de sangue.
  6. 6. Cap. CXLV – 145 Vimos no Capítulo precedente que as portas das Salas do reino deOsíris eram sete mas, neste Capítulo, os Pilonos dos Sequet-Aaru, ouCampos Elísios, que também faziam parte do domínio de Osíris, eramvinte e um. Cada Pilono se achava sob a guarda de dois deuses, cujosnomes tinham de ser proclamados pelo falecido para que lhe fossepermitido passar. Ao acercar-se do Pilono, pronunciava ele os nomes dos deuses edescrevia-lhes os atos de purificação que executara. Feito isso,permitia-se-lhe prosseguir. A fala recitada diante do XXIº Pilono é amais comprida e, nela, o falecido enumera os santuários que visitou eos atos piedosos que praticou.
  7. 7. Cetro usa – Djed - Ank
  8. 8. Fivela de Ísis – Tyet
  9. 9. Ank – Chave da Imortalidade
  10. 10. Uadjet/Wadjet – Olho de Hórus
  11. 11. Amuleto do EscaravelhoKheper-Rá
  12. 12. Amuleto Djed – A Coluna de Osíris
  13. 13. Vasos CanópicosOs 4 filhos de HórusImsety: cabeça humana –guardião do fígadoQebekh-sennuef: cabeça defalcão, guarda os intestinosHapy: cabeça de babuíno –guardião dos pulmõesDuamutef: cabeça de chacal –guardião do estômago
  14. 14. Bagsu – Adaga Ritual Khopesh
  15. 15. Seb-UrUR-Hekau
  16. 16. Sekhem ou "poder"KHEREP ou "ficar na cabeça"
  17. 17. O Bastão Djam, Lótus e o UAS Bastão de Osso

×