MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
ANEXO I - C
ME...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
1. Caracteriza...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
• Ligação prov...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
Quantificação ...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
• Bandeja de P...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
2.3. Demoliçõe...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
2.4. Alambrado...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
4. Relatório f...
MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L
PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL
CPL - PR/RS TP 01/2009
Muro Frontal
E...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Obra anexo1c memorial descritivo_tp01_2009

473 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
473
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obra anexo1c memorial descritivo_tp01_2009

  1. 1. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 ANEXO I - C MEMORIAL DESCRITIVO DE SERVIÇOS E MATERIAIS PRM CAXIAS DO SUL Página 1 de 9
  2. 2. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 1. Caracterização e normas aplicáveis NR-18 - Norma Regulamentadora 18 , Ministério do Trabalho. 2. Descrição dos Serviços 2.1. Instalações Provisórias Para iniciar os serviços, a Contratada deverá instalar as ligações provisórias de energia elétrica e de água potável (ver posicionamento no Anexo I-A). A mesma ficará responsável por solicitar a ligação provisória à respectiva concessionária. • Ligação provisória de água Quantificação dos insumos obs.: esta quantificação é orientativa, devendo ser objeto de conferência pela Contratada. Página 2 de 9 Ligação provisória de agua SER.CG UN 1 Encanador M.O. H 5 Ajudante de encanador M.O. H 5 MAT. UN 1 MAT. UN 1 MAT. UN 1 MAT. UN 1 MAT. M 2,5 MAT. UN 3 MAT. UN 1 Fita de vedação para tubos e conexões roscáveis (largura: 1/2 ") MAT. M 10,2 Torneira de pressão para pia longa de parede - padrão popular MAT. UN 1 Registro de gaveta (diâmetro da seção: 1 " / tipo de acabamento: BRUTO) Luva de ferro maleável galvanizado para líquidos, gases e vapores (diâmetro da seção: 1 ") Tampão de ferro maleável galvanizado para líquidos, gases e vapores (diâmetro da seção: 1 ") Tê 90 de ferro maleável galvanizado para líquidos, gases e vapores (diâmetro da seção: 1 ") Tubo de aço galvanizado com costura água/gás/fluídos não corrosivos ao aço e zinco (diâmetro da seção: 1 ") Cotovelo 90 de ferro maleável galvanizado para líquidos, gases e vapores (diâmetro da seção: 1 ") Cotovelo redução ferro maleável galvanizado para líquidos, gases e vapores (diâmetro de entrada: 1 " / diâmetro de saída: 3/4 ")
  3. 3. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 • Ligação provisória de luz e força Detalhe da ligação Página 3 de 9 FORNECIMENTO EM TENSÃO SECUNDÁRIA - MEDIÇÃO À 2 FIOS - INSTALAÇÃO EM POSTE IDENT. DESCRIÇÃO QUANT. a POSTE DE CONCRETO, ALTURA MÍNIMA 6m - Padrão RGE b RAMAL DE SERVIÇO CONDUTOR DE COBRE c ISOLADOR ROLDANA PARA BAIXA TENSÃO d ARMAÇÃO SECUNDÁRIA DE DOIS ESTRIBOS e PARAFUSO CABEÇA QUADRADA f CINTA DE AÇO g LUVA PVC h CURVA DE ENTRADA DE 180° k CURVA DE ENTRADA DE 90° j ELETRODUTO DE PVC RÍGIDO l CAIXA PARA MEDIDOR, PADRÃO RGE m SUPORTE DE MADEIRA DE LEI n CONDUTOR DE COBRE NU o ELETRODO DE ATERRAMENTO, COM CONECTOR p ELETRODUTO DE PVC RÍGIDO q CAIXA DE INSPEÇÃO DE ATERRAMENTO 1 V 4 2 4 4 4 2 2 V 1 2 V V V V sem escala V = VARIÁVEL NOTAS: 1- A ESPECIFICAÇÃO DETALHADA DOS COMPONENTES É INDICADO NA LISTA DE MATERIAIS DO PROJETO 2- A DISTÂNCIA VERTICAL ENTRE A PARTE INFERIOR DE QUALQUER CONDUTOR E O SOLO OU PISO, NÃO PODE SER INFERIOR A 3.50m. 3- AS DIMENSÕES INDICADA SÃO OS VALORES MÍNIMOS EXIGIDOS, EM ''cm''. (VERNOTA2) q p o m l a j k h g f e c VISTA LATERALVISTA FRONTAL CX. DE INSPEÇÃO DE ATERRAMENTO 150±10 ALTERNATIVA DE SAÍDA n b 20 20 d
  4. 4. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 Quantificação dos insumos obs.: esta quantificação é orientativa, devendo ser objeto de conferência pela Contratada. 2.2. Proteções • Tapume Deverá ser instalado tapume de proteção, com altura de 2,50m, nos locais indicados no Anexo I-A. Inicialmente será instalado apenas o tapume frontal, que deverá ser removido e reaproveitado na lateral esquerda do terreno após demolição da Edificação2. Procedimentos de execução: 1) Cravar os pontaletes no solo, profundidade 0,50 cm, na posição vertical, distanciados aproximadamente 1,10 m um do outro. 2) Fixar as chapas de madeira compensadas nos pontaletes através de pregos colocadas na posição horizontal. Deve ter altura mínima de 2,20 m em relação ao nível do terreno. Normas específicas: NR 18 Condições e meio ambiente do trabalho na indústria da construção - 18.39 - Tapumes e galerias. NBR 6495 - Execução de tabiques. Quantificação dos insumos obs.: esta quantificação é orientativa, devendo ser objeto de conferência pela Contratada. Página 4 de 9 SER.CG M2 71 Carpinteiro M.O. H 50,55 Servente M.O. H 50,55 Ferragempara portão de tapume MAT. KG 35,5 Chapa compensada resinada (espessura: 6,00 mm) MAT. M2 78,1 Prego (tipo de prego: 18x27) MAT. KG 10,65 MAT. M 223,65 TAPUME de chapa de madeira compensada, inclusive montagem - madeira compensada resinada e=6 mm Pontalete 3a. construção (seção transversal: 3x3 " / tipo de madeira: cedro) Ligação Provisória de Luz e Força SER.CG UN 1 Eletricista M.O. H 6,3 Ajudante de eletricista M.O. H 6,3 MAT. UN 1 MAT. UN 1 Caixa de inspeção de aterramento – 300x300x400mm MAT. UN 1 Cabo de cobre nu (seção transversal: 25,00 mm²) MAT. M 2 MAT. UN 3 MAT. UN 3 Luva PVC rosca 3/4” MAT. UN 6 Eletroduto de PVC rígido roscável (diâmetro da seção: ¾ ") MAT. M 11,5 MAT. UN 1 MAT. UN 1 MAT. M 20 MAT. UN 2 Cinta de aço para poste chapa n.14 (largura: 38,00 mm) MAT. UN 4 MAT. UN 1 Conector de aço para haste terra (bitola: 3/4 " / tipo de acabamento: cromado) Haste de aterramento Copperweld (comprimento: 3,048 m/ bitola: 3/4 ") Arruela emzamak (diâmetro da seção: 3/4 ") Bucha emzamak para eletroduto (diâmetro da seção: 3/4 ") Caixa em chapa de aço de entrada de energia para medidor, externa Padrão RGE. Disjuntor termo-magnético, monofásico, geral (tensão: 250 V/ corrente elétrica: 50,00 A) Fio isolado emPVC 750V- 70°C - baixa tensao (tensão: 750,00 V/ seção transversal: 6,00 mm² / encordoamento: CLASSE 1) Braquete com2 isoladores - chapa 20 Poste de concreto para entrada de energia (comprimento: 6,00 m / referência de mercado: Padrão RGE)
  5. 5. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 • Bandeja de Proteção A bandeja de proteção contra queda de materiais será instalada em todo o perímetro da Edificação2, a cerca de 2,70m de altura (nível do primeiro pavimento). O posicionamento das bandejas está indicado no Anexo I-A. Detalhe da bandeja de proteção Procedimentos de execução: 1) Antes do início das demolições, deverão ser fixadas na estrutura da edificação vigas de madeira para sustentação da plataforma (bandeja). 2) Sobre o vigamento pregar tábuas que formarão a plataforma em toda a periferia da construção. Obs.: A bandeja só poderá ser retirada após demolição completa dos pavimentos superiores Normas específicas: NR 18 - Condições e meio ambiente do trabalho na indústria da construção - 18.13 - Medidas de proteção contra quedas de altura - 18.7 - Carpintaria. NBR 7190 - Cálculo e execução de estruturas de madeira. NBR 7203 - Madeira serrada e beneficiada. Quantificação dos insumos obs.: esta quantificação é orientativa, devendo ser objeto de conferência pela Contratada. Página 5 de 9 DESCRIÇÃO CLASS UNIDADE QUANT. BANDEJA salva-vidas, de madeira primária, largura 2,50 m SER.CG M 51,3 Carpinteiro M.O. H 136,97 Ajudante de carpinteiro M.O. H 114,14 MAT. UN 153,9 Prego (tipo de prego: 18x27) MAT. KG 20,52 MAT. M 179,55 MAT. M2 82,08 Viga (largura: 60,00 mm / altura: 120,00 mm / tipo de madeira: peroba) MAT. M 179,55 Chumbador expansível em aço carbono para bandeja salva-vidas (comprimento: 2 1/2 " / diâmetro da seção: 3/8 ") Pontalete 2a. construção (seção transversal: 3x3 " / tipo de madeira: cedro) Tábua 2a. construção (seção transversal: 1x12 " / tipo de madeira: cedro) 2
  6. 6. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 2.3. Demolições Antes de iniciar os serviços de demolição, todas as instalações das edificações (elétrica, água, gás, etc.) deverão ser desligadas. Em todas as edificações, em especial na Edificação1, a executante deverá proceder o escoramento da cobertura e demais elementos estruturais, de modo a garantir a estabilidade dos mesmos, antes de iniciar o processo de remoção. Procedimentos de demolição Toda a metodologia utilizada para a demolição deverá primar pela segurança dos operários e terceiros. A segurança não deverá se restringir à área da edificação, mas também às suas imediações e áreas públicas locais. O processo a ser utilizado será o de “Demolição Manual”, conforme descrito na NBR- 5682. Em linhas gerais, serão utilizadas ferramentas manuais e portáteis motorizadas. O procedimento recomendado para demolição deve atender a seguinte ordem: – Remoção das divisórias leves, louças sanitárias e demais objetos não estruturais. – Remoção das telhas, ripas, caibros, terças e tesouras (Treliças). – Remoção das alvenarias até o nível superior das esquadrias. – Remoção das esquadrias. – Remoção das alvenarias do pavimento. – Remoção das lajes/assoalhos. Este processo tem por finalidade apenas orientar a demolição, ficando sob critério do engenheiro responsável a definição do procedimento de demolição. Qualquer material removido/demolido não poderá ficar depositado dentro da edificação. O mesmo deverá ser depositado em local aberto, previamente escolhido, de forma a garantir a estabilidade da edificação e facilitar a remoção. Os elementos frágeis como vidros e outros em áreas da reforma devem ser removidos antes de se iniciar a demolição; Durante os serviços, fica proibida a permanência de pessoas nos locais que possam ter a estabilidade comprometida ou queda de material; A Contratada deverá proteger a obra quanto às intempéries, sobretudo ventos e chuvas, não permitindo acesso de águas ao interior da edificação de maneira a impedir desabamentos; Os materiais da edificação, durante a demolição e remoção, devem ser previamente umedecidos; Será proibido o lançamento de qualquer material em queda livre. A remoção dos entulhos por gravidade, poderá ser feita através de calhas, desde que reduzida a pequenos fragmentos; Observar NR-18. Qualquer dano causado por imprudência ou imperícia será onerado à Contratada, bem como será atribuída a respectiva responsabilidade. A Contratada deverá instalar proteções do tipo tapume e bandejas conforme indicado no Anexo I-A. Sempre que necessário, zelar pelas pessoas direta ou indiretamente envolvidas na obra, tomando-se o cuidado com qualquer tipo de interferência que possa ocorrer em áreas vizinhas ou instalações públicas; Demolição de muros e cercas Serão demolidos muros, cercas, mourões, telas e similares, conforme indicado no Anexo I-A. Os elementos estruturais que existirem como sustentação destas peças serão completamente retirados, incluindo-se as cintas da base. Página 6 de 9
  7. 7. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 2.4. Alambrado(cerca) com tela de arame galvanizado e mourão de concreto Será instalado, no alinhamento predial, em conformidade com todos detalhes e espaçamentos previstos no Anexo I-A. Procedimentos de execução: 1) Fixar os mourões no alinhamento predial definido em projeto. 2) Os mourões devem ser fixados através de enchimento de concreto. 3) Estirar um arame nas extremidades inferiores dos mourões, e outro no ponto mais alto antes da inclinação, de modo que garanta o nivelamento da tela. 4) Estirar a tela faceando os mourões, fixá-la nos mourões e nos arames já estirados. 5) Nos pontos indicados no Anexo I-A, os mourões devem ser escorados com escoras de concreto colocadas com inclinação de 45°. Portão de madeira No alinhamento predial, à esquerda do terreno, será instalado portão de madeira de abrir, tamanho 5,00x2,00m, conforme detalhamento do Anexo I-A. Para fixação do portão serão construídos pilares de concreto armado, tamanho 15x15cm. Utilizar madeira tipo cedro ou equivalente com acabamento de duas demãos de verniz incolor. Fornecer dobradiças, trincos, cadeado grande e demais acessórios necessários ao perfeito funcionamento do portão. Quantificação dos insumos obs.: esta quantificação é orientativa, devendo ser objeto de conferência pela Contratada. 3. Disposições finais Ao final dos serviços de demolição, a Contratada deverá providenciar a limpeza completa do terreno, recolhendo e descartando todo o material removido em local autorizado pelos órgãos competentes para este fim. O recebimento dos serviços ficará condicionado ao estrito cumprimento das especificações deste caderno, bem como ao atendimento das prescrições da NBR-5682 e demais documentos pertinentes. Página 7 de 9 SER.CG M 47,02 Ajudante M.O. H 67,23 Montador M.O. H 33,62 Servente M.O. H 1,68 Areia lavada tipo média MAT. M3 0,84 Pedra britada 2 MAT. M3 1,06 MAT. KG 294,14 MAT. UN 16,81 MAT. M2 98,74 Arame farpado (dimensões da trama: 100X100 mm/ bitola: 16 BWG) MAT. KG 5,92 Arame galvanizado (bitola: 10 BWG) MAT. KG 6,3 Arame galvanizado (bitola: 14 BWG) MAT. KG 2,52 SER.CG UN 1 ALAMBRADO com tela de arame galvanizado ou PVC, fixada em mourão de concreto armado, altura livre 2,00 m Cimento Portland CP II-E-32 (resistência: 32,00 MPa) Mourão concreto armado curvo com furos (formato da seção transversal: T / comprimento: 150,00 mm / largura: 130,00 mm / altura: 2,60 m/ altura da inclinação: 0,40 m) Tela de arame galvanizado para alambrado zincado pesado (dimensões da trama: 2X2 " / tipo da malha: QUADRANGULAR / número do fio: Portão completo – Madeira envernizada, grampos, dobradiças, pilares de concreto armado, parafusos, trinco, cadeado grande, etc.
  8. 8. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 4. Relatório fotográfico Edificação 1 – (Ver anexo I-A) Edificação 2 – (Ver anexo I-A) Página 8 de 9
  9. 9. MINIST ÉRIO PÚB L I C O F E D E R A L PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS TP 01/2009 Muro Frontal Edificação 2 – (Ver anexo I-A) Página 9 de 9

×