Jean rouch

484 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
484
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jean rouch

  1. 1. Jean RouchFilipe José Borges de Carvalho21/02/2013Universidade de Trás os Monte e Alto Douro
  2. 2. Biografia: - Filho de Jules Rouch, director do Museu Oceanográfico do Mónaco; - Formado em Engenharia Civil; - Mais tarde vai estudar etnologia, depois de assistir à morte de operários atingidos por um raio durante as obras; - Frequentou em França os curso de Marcel Mauss e de Marcel Griaule; - Regressa a África para descer em piroga os 4200 km do Rio Niger, desde a nascente até ao oceano; - Defende tese com o mestre, o também pioneiro do filme etnográfico Marcel Griaulle; - Em 1953 cria em Paris o Comité do Filme Etnográfico sendo a sua sede no museu do Homem. - Na cidade do Porto constitui um atelier de formação na área do filme documental com recurso a uma pedagogia simples: «filmar de manhã, revelar ao meio-dia, projectar à tarde»; - Faleceu em 18 de Fevereiro de 2004 num acidente de automóvel no Níger com 86 anos.
  3. 3. Técnicas e Trabalho: - Usava câmaras leves de 16 min.; - Foi reconhecido em todo o mundo pelo seu trabalho; - Possui grande liberdade de expressão em relação a outros cineastas; - Alterna o documentário e a ficção; - Foi fundador da antropologia visual; - Ensinou a fazer cinema em África e nos E.U.A onde realizou mais de 120 filmes; - Teve inspiração em Dziga Vertov e Robert Flaherty sendo considerado um dos fundadores do cinema verdade; - Foi uma grande inspiração para os realizadores da “Nouvelle Vague” .
  4. 4. Longas metragens: - 1952 : Bataille sur le grand fleuve (Batalha no Rio Grande); - 1955 : Les Fils de leau (Os Filhos da Água); - 1957 : Jaguar; - 1958 : Moi un noir, (Eu, um Negro) - prémio Louis-Delluc, 1958; - 1959 : La pyramide humaine (A Pirâmide Humana); - 1961 : Chronique dun été (Crónica de um Verão) Prémio da Crítica do Festival de Cannes; -      1965 : Chasse au léon à larc  (Caça ao Leão com Arco) Leão de Ouro do Festival de Veneza; -      1967 : Les fêtes du Sigui (As Festas do Sigui) - 1970 : Petit à Petit (Pouco a Pouco) - 1974 : Cocorico Monsieur Poulet (Cócórócó, o Senhor Frango) - 1979 : Bougo, les funérailles du vieil Anaï (Bougo, o Funeral do Velho Anaï) -      2003 : Le Rêve Plus Fort que la Mort (O Sonho, mais forte do que a Morte)
  5. 5. Chronique dun été (Crónica de um Verão) Prémio da Crítica do Festival de Cannes Paris,  verão  de  1960.  O  quotidiano,  as  suas  cineasta e etnólogo Jean  dúvidas  e  angústias,  as  Rouch, acompanhado do  suas  concepções  sobre  sociólogo  Edgar  Morin,  a  política  e  a  vida.  Em  leva  a  câmara  às  ruas  seguida,  os  para  colher  respostas  à  realizadores  registam  seguinte  pergunta:  as  reacções  deles  à  "Você  é  feliz?"  O  que  projeção  do  material  tem  início  como  um  filmado,  momento  em  simples inquérito logo se  que  as  fronteiras  entre  transforma  num  verdade  e  ficção  são  ambicioso  e  imprevisível  postas em crise. Unindo  retrato  de  um  grupo  o método de Flaherty às  heterogéneo  de  teorias  de  Vertov,  este  estudantes,  operários  e  filme-ensaio-manifesto  imigrantes  que  expõem  inaugura  o  cinema- o seu verdade.
  6. 6. Chasse au léon à larc  (Caça ao Leão com Arco) Leão de Ouro do Festival de Veneza "Os  caçadores  Songhay,  uma  casta  episódios desta caça na qual técnica e magia  hereditária,  são  os  únicos  que  possuem  o  estão  intimamente  ligadas:  fabricação  dos  direito  de  matar  leões.  Aos  pastores  só  é  arcos  e  flechas,  preparação  do  veneno,  permitido jogar pedras para afugentá-los. Os  rastreamento  e  ritual  de  sacrifício.  Mas  o  Peul [povo nômade africano] estimam que o  velho  leão  assassino,  denominado  «  leão  seja  necessário  ao  rebanho,  e  sabem  Americano  »,  conseguirá  evitar  todas  as  identificar  cada  leão  por  seus  traços.  Mas,  armadilhas,  e  os  Gaos  apenas  aprisionarão  quando  um  leão  mata  demasiado  gado,  é  duas  de  suas  fêmeas.  Após  a  caça,  os  preciso  suprimi-lo,  pois  este  é  um  leão  homens  contam  a  seus  filhos  a  história  de  «  assassino"  (J.  Rouch).  De  1957  à  1964,  gaway  gawey  »,  a  maravilhosa  caça  aos  Rouch seguiu os caçadores Gaos da região  leões. de Yatakala e o filme retraça os
  7. 7. Curtas e médias metragens: - 1948 Les Magiciens de Wanzerbe (Os Mágicos de Wanzerbe). - 1949 Circoncision (Circuncisão). - 1948 Initiation à la danse des possédés (Iniciação à dança dos possuídos) Primeiro prémio no Festival do Filme Maldito em Biarritz. - 1951 : Batia-lhe sur le grand fleuve (Batalha no Rio Grande). - 1954 : Les Maîtres fous (Os Mestres Loucos) Grande Prémio do Festival de Veneza. - 1962 : Abidjan, port de pêche (Adidjan, Porto de Pesca). - 1962 : Les veuves de quinze ans (As Viúvas de Quinze Anos) - 1964 : La Gare du nord (A Gare do Norte). - 1987 : Brise-glace (Quebra-Gelos).
  8. 8. Initiation à la danse des possédés (Iniciação à dança dos possuídos) - Primeiro prémio noFestival do Filme Maldito em Biarritz. Puro exemplo de cinema etnográfico, "Initiation à la Danse des Possédés" foi o terceiro filme realizado por Rouch durante a sua missão a África em 1947-49. Mostra (de modo incompleto, porque não foi possível filmar à noite) o ritual de iniciação de uma jovem possuída por dois espíritos.
  9. 9. Les Maîtres fous (Os Mestres Loucos) - Grande Prémio do Festival de Veneza. Filmado em apenas um dia, o filme revela da chegada dos ‘espíritos da força’, as práticas rituais Hauka. Os praticantes personificações emblemáticas da dominação do culto Hauka, trabalhadores nigerienses colonial: o cabo da polícia, o governador, o reunidos em Accra, reúnem-se à ocasião doutor, a mulher do capitão, o general, o da sua grande cerimónia anual. Na condutor da locomotiva, etc… A cerimónia ‘concessão’ do grande sacerdote atinge seu ápice com o sacrifício de um cão, Mountbyéba, após uma confissão pública, o qual será devorado pelos possuídos. No começa o rito da possessão. Saliva, dia seguinte, os iniciados retornam às suas tremedeiras, respiração ofegante… são os atividades quotidianas. signos
  10. 10. Webgrafia: - http://bufvc.ac.uk/wp-content/media/2012/01/Rouch-Henley-978-0-226-32715-0.jpg - http://der.org/jean-rouch/content/index.php - http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_Rouch - http://pt.wikipedia.org/wiki/Antropologia_visual - http://pt.wikipedia.org/wiki/Cinema_directo - http://en.wikipedia.org/wiki/Nouvelle_Vague_(band) - http://www.cineclick.com.br/filmes/ficha/nomefilme/cronica-de-um- verao/id/15102 - http://www.cinefrance.com.br/acervo/a-caca-ao-leao-com-arco-1965 -http://videotheque.cnrs.fr/media/storyboard/535/200000006190000002866.j pg - http://institutonangetu.blogspot.pt/2012/06/29-de-junho-os-mestres-loucos- les.html

×