Forum Emprego 2006

948 visualizações

Publicada em

Lectured on the subject «Foster an Entrepreneurial Future» as CEO of JuniFEUP
28th September, 2006

The University's Job Forum event aimed at strengthening links with the Industry, by establishing a real rapprochement between portuguese entrepreneurial businesses and the academic community. This event featured a wide range of organizations and companies for their participation in conferences, workshops and debates, as well as in stands destined to the disclosure of job opportunities, also contributing to this successful initiative.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
948
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Forum Emprego 2006

  1. 1. http://sicc.fe.up.pt/ForumEmprego/2006
  2. 2. Índice 04 . Introdução 05 . Divisão de Cooperação – área das Relações Empresariais 07 . Programa . nstituições presentes nas conferências I 09 temáticas do Fórum Emprego 12 . Programas temáticos do Fórum Emprego . spaço-Empresas: apresentação dos participantes: E 14 . afaconsult - projectos de engenharia, S. A. 15 . Bioskin, Molecular and Cell Therapies 16 . CaetanoBus 17 . Central Casa 18 . CIN 19 . CINFU - Centro de Formação Prof. Indústria da Fundição 20 . Controsol - Controlo Solar e Decoração, Lda 21 . Critical Software S.A.Patrocinadores Oficiais 22 . Deloitte 23 . EFACEC - Sistemas de Electrónica 24 .EDP - Energias de Portugal S.A. 26 . Fase - Estudos e Projectos S.A. 27 . FiberSensing 28 . FluidInova 29 . Grupo BOSCH 30 . IC - Instituto da Construção 31 . IPortalmais 32 . I-sensis 33 . JuniFEUP 34 . Lactogal - Produtos Alimentares S.A. 35 . Medmat Innovation 36 . MARTIFER - Construções Metalomecânicas S.A. 37 . MOG Solutions 38 . Mota-Engil Engenharia e Construção S.APatrocinadores 40 . NET - Novas Empresas e Tecnologias S.A. 42 . OPT – Optimização e Planeamento de Transportes S.A. 43 . Ordem dos Engenheiros Contactos: 44 . Qimonda Portugal S.A. Faculdade de Engenharia 45 . RAPLUS - Soluções Térmicas, SA. da Universidade do Porto 46 . Siemens, S.A. SICC/DCoop – Divisão de Cooperação 47 . Soares da Costa, S.A. Relações Empresariais 48 . Sysadvance Rua Dr. Roberto Frias, s/n 49 . Teixeira Duarte - Engenharia e Construções S.A. 4200-465 Porto PORTUGAL 50 . TRENMO 51 . Vortal - Comércio Electrónico Consultoria e Multimédia S.A. Telefone: +351 22 5082162 Fax: +351 22 5081503 54 . Bolsa de Emprego da FEUP E-mail: empresas@fe.up.pt
  3. 3. introdução DCOOP – ÁREA DAS RELAÇÕES EMPRESARIAIS FÓRUM EMPREGO DA FEUP 2006 O Fórum Emprego da FEUP é um evento que visa o reforço Estrutura: A área das Relações Empresariais da Divisão de Cooperação das ligações Universidade – Empresa, estabelecendo uma - Espaço-empresas (stands no corredor central da FEUP) (DCoop-RE) da FEUP exerce a sua actividade no âmbito da aproximação real entre o tecido empresarial português e o - orkshops (sessões de trabalho na área das compe- W cooperação Universidade/Empresa, constituindo-se como meio universitário. tências de empregabilidade) mediador entre a FEUP e o sector empresarial, sendo que nesta - onferências temáticas (emprego científico, estágios, C área lhe compete: O Fórum Emprego 2006 irá contar com um conjunto alarga- empreendedorismo, etc…) do de organizações e empresas que pela sua participação a) eforçar parcerias com empresas promovendo actividades de R - Debates Universidade/Empresas nas conferências, workshops e debates, bem como num extensão universitária; - Encontros (coffe-breaks e almoços volante) espaço de stands reservado à divulgação de ofertas de b) poiar a integração dos recém-licenciados no mercado de A emprego, contribuem para o sucesso desta iniciativa. A organização deste ano conta com a participação trabalho, através de orientação profissional; activa dos estudantes do 4º e 5ª anos de todas as Licen- c) poiar as empresas no recrutamento e selecção de engen- A O programa deste ano destaca-se pelas manhãs abertas às ciaturas, AEFEUP e JuniFEUP. heiros; empresas, iniciativa que visa dar a conhecer às empresas d) ivulgare promover oportunidades de emprego, estágios D os laboratórios de ensino e investigação da FEUP, onde os Comissão de Alunos para o Fórum Emprego nacionais e internacionais; alunos desenvolvem as suas actividades durante o per- e) stabelecer parcerias que facilitem a mobilidade profissional E curso académico, pelos debates com as empresas , e pelas Nuno Costa (LEQ) José Magalhães (LEM) e a realização de estágios profissionais e científicos; conferências na área do empreendedorismo e criação de Nuno Garrido (LEQ) Daniel Pinto (LEC) f ) romover o empreendedorismo e a criação de spin-offs P empresas de base tecnológica, através da participação de Pedro Rodrigues (LEMM) Marisa Fernandes (LEC) académicos; spin-offs FEUP. Daniel Oliveira (LEMM) Ana Carina (LGEI) g) anter um Observatório de Emprego da FEUP; M Cátia Andrade (LEEC) Luís Gomes (LGEI) h) erir a Bolsa de Emprego da FEUP. G Michael Seufert (LEEC) Nuno Sousa (LEMG) Paulo Jorge Ferreira (LEM) João Fernandes (LEMG) João Paulo Azevedo (LEM) Rui Pereira (LEMG) Alunos - LEC Alunos - LEMM Alunos - LEEC Alunos - LEQ Critina Almeida Mª Rosário Trindade Ricardo Alves Clara Martins Marisa Fernandes Pedro Rodrigues Cátia Andrade Nuno Costa Técnica - Parcerias Chefe da Divisão Técnico - Emprego Técnica - Emprego Daniel Pinto Michael Seufet Nuno Martins de Cooperação Responsável das Relações Empresariais
  4. 4. Programa (b032) 25 de Setembro * Programa VULCANUS - Testemunho 11:00 CAFÉ 11:30 mpreendedorismo E Eng. Eduardo Oliveira, Aluno Doutoramento DEQ 11:30 Iniciativas Profissionais uma forma de criar o próprio emprego (cont.) 10:00 Abertura do Fórum Moderador: Prof. António Machado e Moura, FEUP Moderador: Prof. João José Pinto Ferreira, FEUP Professor Nunes Ferreira, Sub-Director da FEUP 11:00 - 13:00 - MANHÃ ABERTA ÀS EMPRESAS Paulo Vasconcelos, Presidente da AEFEUP * Projecto MOBILE – Finalistas em Cursos de Engenharia * omo criar uma Empresa C 11:00 CAFÉ Prof. Falcão e Cunha, Coordenador do Programa Mobile, FEUP A Formação Profissional e a Carreira: Dr. Joaquim Rocha da Cunha, Presidente Associação PME Portugal * stágios Profissionais / Rede EURES E Oportunidades no Mercado de Trabalho 11:30 Experiências Internacionais de Trabalho * rograma NEOTEC P – o emprego sem fronteiras Dr. Alexandre Rosa, Vice-Presidente do IEFP Moderador: Prof. Fernando Jorge Monteiro, FEUP - Criação de empresas de base tecológica Dra. Sónia Trancoso, Conselheira Rede EURES / IEFP Dr. Miguel Antunes, AdI - Agência de Inovação 11:00 CAFÉ * Formação Profissional e a Carreira: A * poio à Inserção de Doutores A * Aposta do IAPMEI nos Projectos Star-Ups A Uma Perspectiva Internacional no Tecido Empresarial e Institucional 11:00 - 13:00 - MANHÃ ABERTA ÀS EMPRESAS - Programa FINICIA Eng. Armando Tavares, Director Geral Qimonda Portugal, S.A. (sujeito a confirmação) Dra. Fátima Tavares, Gestora Gabinete de Empresas do Porto do IAPMEI 11:30 Conferência: * conversa com .... vídeo conferências À 13:00 ALMOÇO Bolonha e o Mercado de Trabalho: Alunos FEUP com estágios IAESTE na Microsoft Dinamarca 13:00 ALMOÇO Empregabilidade no Ensino Superior (via AlumniLEIC) 14:30 Conferências 14:30 Criação de Spin-offs Moderador: Prof. Magalhães Oliveira, FEUP Rui Martins (LEIC), Nuno Cerqueira (LEIC), “ xperiências de Cooperação no DEQ e DEMM E Moderador: Prof. Pedro Guedes de Oliveira, FEUP Ricardo Barreira (LEIC) – as várias visões” . rof. Manuel Heitor, Secretário de Estado da Ciência, P Alunos FEUP a estagiar no CERN e na ESA * riação de empresas de base tecnológica e de elevado C Tecnologia e Ensino Superior (sujeito a confirmação) Cooperação CaetanoBus / FEUP-DEMM Daniel Rodrigues (LEEC) - CERN potencial de crescimento: a abordagem da COTEC . rof. Sebastião Feyo de Azevedo, Prof. Catedrático da FEUP, P Moderador: Eng. Manuel Vieira, DEMM Hugo Monteiro (LEIC) - ESA Professor Rui Guimarães, Director Geral COTEC Portugal, Vice Presidente da OE e Membro da Comissão . ng. Jorge Cerqueira Pinto, Director Geral da CaetanoBus E Associação Empresarial para a Inovação de Acompanhamento do Processo de Bolonha 13:00 ALMOÇO . Prof. Luís Filipe Malheiros, Director DEMM - FEUP * importância das Business Angels A . elena Nunes, aluna estagiária do DEMM, na CaetanoBus H 14:30 Workshop’s no acesso ao Capital de Risco 12:30 Debate * Entrevista e Marketing Pessoal 15:45 CAFÉ Dr. Francisco Banha, GESVENTURE, LDA 13:00 ALMOÇO Drª Débora Morganho, Psicóloga Infoteste 16:15 Conferências (continuação...) 15:30 CAFÉ * Testes Psicotécnicos 14:30 Workshop’s Cooperação CIN / FEUP-DEQ Dr. Alírio Catalim, Director Geral Infoteste 16:00 ebate/Mesa-redonda (Auditório FEUP) D * Como Procurar Emprego Moderador: Eng. Adélio Mendes, DEQ Spin-offs FEUP Dr. José Manuel Castro, Director CACE Cultural do Porto/IEFP 16:00 Conferência . Eng. José Luís Nogueira, Director Deptº Técnico da CIN Moderador: Prof. Pedro Guedes de Oliveira, FEUP “ Energias renováveis: energia solar térmica; . Prof. Romualdo Salcedo, Director Adjunto DEQ * O Curriculum Vitae e a Carta de Apresentação energia eólica; redes eléctricas” . Luísa Andrade, aluna estagiária, do DEQ, na CIN * FluidInova Drª Helena Lopes, Psicóloga da FEUP Moderador: Prof. Adriano Carvalho, FEUP Prof. José Carlos Lopes 16:00 Conferência: ••••• * I-sensis Empresas participantes: “O Desenvolvimento Sustentável na Engenharia” Engª Paula Gomes EFACEC - Sistemas de Electrónica, Eng. Nuno Delgado 28 de Setembro Moderador: Prof. Moreira da Costa, FEUP * FiberSensing MARTIFER - onstruções Metalomecânicas S.A., C 09:30 mpreendedorismo E Engº Pedro Antão Alves Empresas participantes: Eng. Carlos Martins, Presidente Administração uma forma de criar o próprio emprego * TRENMO IC - Instituto da Construção RAPLUS - oluções Térmicas, SA., Eng. Rui Martins, S Moderador: Prof. João José Pinto Ferreira, FEUP Eng.º Álvaro Costa Prof. Raimundo Delgado, Presidente do IC Presidente Administração * Sysadvance * Aprender a empreender Mota-Engil – ngª e Construção, E 17:30 CAFÉ Engº José Manuel Vale Machado Engº José Martins, Director Geral NET Novas Empresas e Tecnologias, SA Dr. Rui Pedroto, Director da Mota-Engil SGPS, S.A. * Central Casa * Ser Empreendedor em Portugal ••••• Engº Carlos César Barbosa da Silva Soares da Costa, S.A. Dr. José Fontes, Coordenador da Academia dos Empreendores, ANJE * Bioskin, Molecular and Cell Eng. Luís Afonso, Director Área Técnica 27 de Setembro * JuniFEUP: fomentar um futuro empreendedor Therapies Eng. Filipe Alonso, Vice-Presidente JuniFEUP 17:30 CAFÉ 09:30 Integração Profissional: * Medmat Innovation * AlumnIdea - “Concurso de ideias” competências, estratégias e opções Prof. José Domingos dos Santos Engº Pedro Castro Henriques, Presidente AlumniLEIC ••••• Moderador: Prof. António Machado e Moura, FEUP * OPT – Optimização e Planeamento de Transportes S.A. Engª Teresa Galvão 26 de Setembro * s competências transversais e sua valorização A 11:00 CAFÉ * MOG Solutions no âmbito do mercado de trabalho 09:30 Internacionalizar Carreira: Engº Ernesto Santos Dra. Daniela Amorim, Consultora EGOR Programas de Estágios * iPortalmais * ompetências profissionais: expectativas C Moderador: Prof. Fernando Jorge Monteiro, FEUP Engº Raul Oliveira de um empregador * Programa IAESTE Drª Joana Abreu, Siemens, S.A. 18:00 NCERRAMENTO (Auditório FEUP) E Dra. Rosário Trindade, Sub-Cordenadora Programa IAESTE na FEUP * onsultoria na área da Engenharia C Entrega dos Prémios do Concurso AlumnIdea * Programa Leonardo da Vinci Dr. Ricardo Pereira Viana, Deloitte 20:30 ANTAR UNIVERSIDADE/ EMPRESA J Sr. Albino Oliveira, Responsável Mobilidade Out da Reitoria da UP * ondições de acesso à actividade profissional: C (sujeito a convite da FEUP) * Programa InovContacto A Ordem dos Engenheiros Dr. Pedro Carmo, Gestor Projectos ICEP Eng. Gerardo Saraiva de Meneses, Presidente Conselho Directivo Equipa de Coordenação do InovContacto da Ordem dos Engenheiros Região Norte
  5. 5. Instituições presentes nas conferências temáticas do Fórum Emprego AEFEUP – Associação de Estudantes da FEUP Gesventure AdI – Agência de Inovação IAPMEI – Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento AlumniLEIC e AlumnIdea IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários INFOTESTE CACE Cultural do Porto - entro de Apoio à Criação de Empresas C JuniFEUP CERN - Centre Européen pour la Recherche Nucléaire NET - Novas Empresas e Tecnologias, S.A. COTEC - Portugal Ordem dos Engenheiros EGOR PME Portugal ESA – European Space Agency AEFEUP AlumniLEIC e AlumnIdea CACE Cultural do Porto COTEC - Portugal - Centro de Apoio à Criação de Empresas A Associação de Estudantes da Faculdade de Engenharia da A AlumniLEIC é a associação dos antigos alunos da Licen- A COTEC Portugal é uma associação empresarial sem fins Universidade do Porto (AEFEUP) foi fundada em 15 de Março ciatura em Engenharia Informática e Computação (LEIC) da A CACE Cultural do Porto – Centro de Apoio à Criação de lucrativos que tem como missão promover o aumento da de 1984. Passados mais de 20 anos de existência, a AEFEUP FEUP. Promovendo uma maior integração entre os meios Empresas - é uma infra-estrutura vocacionada para o apoio ao competitividade das empresas localizadas em Portugal, assume um papel de grande importância na vida empresarial e académico, uma das suas apostas estratégicas emprego e em particular na profissionalização e entrada no através do desenvolvimento e difusão de uma cultura e do estudante. é a Inovação, sobretudo orientada para as Novas Tecnologias. mercado de trabalho dos criadores artísticos/culturais e no de uma prática de inovação, bem como do conhecimento A AEFEUP é constituída por três órgãos: a Mesa da Assem- fomento da sua inserção como prestadores de serviços quali- residente no País. A AlumnIdea é um concurso de ideias de negócio pro- bleia Geral, a Direcção e o Conselho Fiscal. Na Direcção ficados, nas novas áreas das indústrias da cultura e do lazer. movido pela AlumniLEIC com o apoio da FEUP e do meio A Associação tem por objecto dinamizar a relação entre estão dispostos os diversos departamentos que promovem empresarial. O objectivo deste concurso é incentivar e http://portal.iefp.pt/ quaisquer entidades intervenientes no Sistema Nacional e fomentam todas as actividades desportivas, culturais e promover a criação de novas empresas de base tecnológica, de Inovação, prioritizar políticas de inovação, estimular e recreativas. Contudo, a sua existência tem como primordial de cariz inovador e com um potencial de internacionalização CERN - Centre Européen pour la Recherche Nucléaire sensibilizar as empresas para o investimento em investiga- objectivo a resolução de todas as questões relacionadas com elevado, contribuindo para a dinamização da economia ção e desenvolvimento, bem como praticar todos os actos o ensino, sempre orientadas para a defesa do estudante. O CERN - Organização Europeia para a Investigação Nuclear portuguesa. acessórios ao prosseguimento deste objecto associativo e A AEFEUP é uma Associação legal que tem desenvolvido - é o maior centro de estudos sobre física de partículas do que sejam legalmente possíveis. uma grande diversidade de projectos nas diversas áreas de http://alumnileic.fe.up.pt/ mundo. Localiza-se em Meyrin, perto de Genebra, na Suíça. gestão. É a maior Associação de Estudantes da Universidade http://alumnidea.fe.up.pt/ Desde a sua fundação em 1954, tem sido um exemplo bem http://www.cotec.pt do Porto. Sempre orientada por uma dinâmica de movimen- sucedido de colaboração internacional, juntando cerca de tos e um forte espírito de união. ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários 6500 cientistas, de mais de 80 nacionalidades. EGOR http://gnomo.fe.up.pt/~aefeup/ Criada em 1986, a ANJE é uma associação pioneira na pro- O objectivo do CERN é a investigação científica pura, sem O Grupo EGOR presta serviços de consultoria em todas as moção do espírito empreendedor em Portugal. objectivos militares. O laboratório desempenha um papel áreas de Recursos Humanos – do Recrutamento ao Outpla- AdI – Agência de Inovação A ANJE implementou um programa consistente de apoio fundamental no desenvolvimento de tecnologia de ponta, cement – Sistemas de Garantia da Qualidade (Normas ISO e promoção do empreendedorismo jovem, traduzido nas com vista a futuras aplicações, desde a ciência de materiais A ADI tem como objectivo central promover a inovação e o 9000), Gestão pela Qualidade Total e Sistemas de Gestão do seguintes actividades: até à engenharia mecânica ou computação. desenvolvimento tecnológico facilitando o aprofundamen- Ambiente (ISO 14.000), Trabalho Temporário, Outsourcing to das relações entre o mundo da investigação e o tecido • oncepção e divulgação de instrumentos facilitadores da C A ADI – Agência de Inovação – estabeleceu um Acordo de de Equipas de Merchandising, Call Centres, etc. e Gestão da empresarial português criação de empresas; Cooperação com esta Organização permitindo a formação de Mudança. Trabalhando em rede com vários departamentos da Admi- • Prestação de serviços de consultoria empresarial e jurídica; jovens licenciados portugueses em domínios onde a compe- Tem sede em Lisboa e está integrado numa extensa network nistração, centros tecnológicos, associações empresariais • Representação institucional junto dos decisores políticos; tência do CERN internacionalmente reconhecida. Assim, todos de empresas em toda a Europa, o Grupo EGOR tem o seu e outros actores do sistema de CT, em território nacional, • Promoção de estratégias de internacionalização; os anos, o CERN acolhe jovens engenheiros portugueses, para capital maioritariamente português e detido pelos seus a AdI prossegue também uma política de incentivo à coo- • Combate ao défice tecnológico e apoio à inovação; as áreas de electricidade, electrónica, engenharia mecânica, principais responsáveis. peração internacional, actuando como ponte para a União • Realização regular de acções de formação profissional. supercondutividade, criogenia, computação, tecnologias da Europeia, Ásia, América Latina e diversas organizações de informação, sistemas de vácuo, física das superfícies, etc. http://www.egor.pt http://www.anje.pt/ ID internacionais. http://www.cern.ch http://www.adi.pt/
  6. 6. ESA – European Space Agency IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional NET - Novas Empresas e Tecnologias, S.A. PME Portugal A Agência Espacial Europeia é a porta de acesso da Europa O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), criado A NET – Novas Empresas e Tecnologias, S A foi constituída A PME Portugal - Associação das Micro, Pequenas e Médias ao espaço. A sua missão é planear o desenvolvimento da em 1979, é um organismo público, sob a tutela do Ministério em Outubro de 1987, tendo como objectivo contribuir Empresas de Portugal, criada em 1998, é uma associação de capacidade espacial da Europa espaço e assegurar que o do Trabalho e da Solidariedade Social, ao qual compete a para o desenvolvimento económico da Região do Norte de âmbito nacional que defende os interesses de todos os em- investimento no espaço continua a trazer benefícios para os execução das políticas de emprego e formação profissional, Portugal, através da promoção e apoio à criação de negócios presários em nome individual e de todas as empresas com cidadãos europeus. definidas e aprovadas pelo governo. de características inovadoras, com grande potencial de estatuto de PME que exerçam uma actividade económica crescimento e baixa taxa de insucesso, através da promoção em Portugal. A ESA reúne 17 Estados membros, entre os quais Portugal, http://www.iefp.pt do lançamento de pequenas empresas e a modernização de trabalhando em estreita colaboração com organizações es- A nível internacional, a PME Portugal detém a Vice-Presidên- PME’s já existentes. A sua área de influência circunscreve-se à paciais não europeias, para partilhar os benefícios do espaço cia da ESBA - European Small Business Alliance - uma confe- INFOTESTE Região Norte de Portugal. com toda a humanidade. deração europeia que representa 42 associações e entidades A INFOTESTE é uma instituição privada, criada em 1985, http://www.net-sa.pt/ ligadas às PMEs, de 22 países diferentes. Esta aliança veio http://www.esa.int/ e tem sido pioneira, em Portugal, na implementação de reforçar a legitimidade e a amplitude de actuação da PME serviços especializados em Psicologia do Tráfego, Psicologia Portugal, quer a nível nacional quer a nível internacional. Ordem dos Engenheiros Gesventure Aeronáutica, Neuropsicologia e Reabilitação Cognitiva, O principal objectivo da PME Portugal centra-se na defesa associados à utilização das mais avançadas e inovado- A Ordem dos Engenheiros sucedeu à Associação dos Enge- A Gesventure - Desenvolvimento de Novas Tecnologias, Lda dos interesses dos dois sectores mais frágeis da economia ras tecnologias em meios de psicodiagnóstico e terapia nheiros Civis Portugueses, fundada em 1869, em resultado – é uma joint venture que apoia projectos empresariais na portuguesa, as micro e pequenas empresas. A PME Portugal informatizados, através da versão portuguesa do Sistema de do ambiente de valorização da tecnologia que então se vivia angariação de Capital de Risco. aparece como um interlocutor privilegiado com as PME’s, Testes de Viena, desenvolvido pela maior firma europeia de em toda a Europa. Em parceria com o principal operador francês de angariação suas associadas ou não, na defesa e na criação de condições construção de aparelhos científicos para Psicologia - “Dr. G. de fundos de capital de risco, Chausson Finance, tem por ob- O título de Engenheiro foi pela primeira vez definido pelo favoráveis ao seu desenvolvimento. Como associação Schuhfried GmbH” (Áustria), certificada com o International jectivo facilitar os processos de financiamento de start-ups Decreto nº 11988, de 26 de Julho de 1926, e as diversas generalista e de âmbito nacional aposta na reorganização, Quality Standard EN ISO 9002. no mercado português e pretende consolidar a capacidade especialidades, inicialmente em número de cinco, foram alar- internacionalização, qualidade, qualificação de recursos de prestação de serviços nas suas áreas de actividade: http://www.infoteste.pt/ gadas para doze, englobando (à data de 30 de Abril) um total humanos e modernização produtiva. de 31.492 membros efectivos e 6.359 membros estagiários. • ferecer serviços de apoio aos empreendedores no âmbito O http://www.pmeportugal.com.pt das indústrias da informação; JuniFEUP A Ordem dos Engenheiros, sob o Estatuto de 1981, passou • analizar o capital proveniente de fundos de investimento C a desenvolver a sua actividade a dois níveis: Nacional e A JuniFEUP - Júnior Empresa da Faculdade de Engenharia da e particulares para os projectos mais interessantes. Regional. A nível nacional, abrangendo os territórios do Universidade do Porto, foi criada em Março de 2001. É total- continente e das Regiões Autónomas dos Açores e Madeira; http://www.gesventure.pt mente constituída, excepto o presidente vitalício, professor a nível regional, as regiões Norte, com sede no Porto; Centro, Alcibíades Guedes, por alunos de todos os anos das licencia- com sede em Coimbra; e Sul, com sede em Lisboa. A partir turas da FEUP e conta com cerca de 50 membros efectivos. IAPMEI – Instituto de Apoio às Pequenas de 1992 a Ordem passou a estar representada de forma Para além destes, a JuniFEUP recorre ainda aos cerca de e Médias Empresas e ao Investimento matricial, em 5 regiões e 12 colégios. 6.000 alunos da Faculdade de Engenharia da Universidade O IAPMEI é o principal instrumento das políticas económicas do Porto sempre que os seus recursos humanos não se reve- A realização de congressos nacionais e de outras manifes- direccionadas para as micro, pequenas e médias empresas lam suficientes para a concretização de um projecto. tações, tais como simpósios, colóquios, seminários, etc.; a di- dos sectores industrial, comercial, de serviços e construção, vulgação sistemática em diversas séries de publicações dos http://junifeup.pt/ cabendo-lhe agenciar condições favoráveis para o reforço do trabalhos científicos e técnicos, produzidos pela comunidade espírito e da competitividade empresarial. de Engenheiros; a realização de visitas, cursos e de outras acções de formação; a existência de uma biblioteca actuali- As áreas intervenção compreendem todas as fases dos ciclos zada, são exemplos de actividades com grande impacto na de vida das empresas, desde o estímulo à criação de novos formação profissional dos Engenheiros. negócios, o crescimento e desenvolvimento, o acompanha-10 mento em fases críticas e a dissolução. http://www.ordemengenheiros.pt/ 11 http://norte.ordemdosengenheiros.pt http://www.iapmei.pt/
  7. 7. Programas temáticos do Fórum Emprego FINICIA MOBILE Estágios IAESTE NEOTEC Inov Contacto VULCANUS Leonardo da Vinci Rede EURES FINICIA MOBILE Estágios VULCANUS O FINICIA é um programa promovido pelo IAPMEI que visa Plano Tecnológico e assume um denominador mais marca- O Programa Mobile visa a promoção do intercâmbio entre O VULCANUS é um Programa de Estágios para estudantes a melhoria do financiamento de empresas em fase inicial, damente ligado à tecnologia e inovação, em coerência com alunos da FEUP e instituições do ensino superior do Brasil, de universitários da União europeia, em empresas Japonesas e promove o alargamento da base de acesso a capital e ao o programa do Governo, tendo por objectivo dar formação outros países da América Latina, ou de Timor, com as quais resulta de uma parceria entre a Comissão Europeia e o Minis- crédito, através do estabelecimento de parcerias público- internacional a cerca de 560 jovens a FEUP ou a Universidade do Porto mantêm protocolos de tério Japonês da Economia, Comércio e Indústria. privadas, proporcionando a empresas de pequena dimensão mobilidade ou outras formas de cooperação. O Programa de Estágios Internacionais estrutura-se em fileiras O estágio tem a duração de um ano, com início em Setembro recursos essenciais ao desenvolvimento da actividade nas distintas: Os estágios Mobile destinam-se a alunos portugueses e e fim em Agosto e está estruturado da seguinte forma: fases iniciais do seu ciclo de vida, contemplando três eixos Fileira Tecnológica que contempla as áreas de formação: brasileiros do último ano que pretendam realizar um estágio • Curso sobre a cultura Japonesa (1 semana) de intervenção: Novas Tecnologias; Informática; Engenharia curricular ou projecto em ambiente empresarial, numa • Curso intensive de língua Japonesa (4 meses) • os projectos com forte conteúdo de inovação; Fileira Técnica com áreas de formação: Novas Tecnologias e empresa brasileira ou portuguesa respectivamente, após a • Estágio na Empresa (8 meses) • os negócios emergentes de pequena escala; Informação; Multimédia; Ambiente e Gestão Ambiental. realização (obrigatória) de um período de estudos na Univer- • as iniciativas empresariais de interesse regional. http://www.eujapan.com/europe/vulcanus_japan.html sidade parceira. http://www.networkcontacto.com http://www.iapmei.pt/ http://www.icep.pt/ http://www.fe.up.pt/mobile Rede EURES IAESTE -International Association for the Exchange of Leonardo da Vinci A EURES é uma rede europeia de Emprego que fornece NEOTEC Students for Technical Experience serviços de informação e aconselhamento a trabalhadores, O Programa Leonardo da Vinci é uma iniciativa da União O programa Neotec promovido pela AdI – Agência de Inova- candidatos a emprego e a empregadores, sobre as opor- O programa IAESTE promove o intercâmbio de estudantes Europeia que promove estágios profissionais em empresas ção - visa suprir uma lacuna de financiamento no processo de tunidades de emprego nos países pertencentes ao Espaço universitários entre os países-membros, com o objectivo de destinado a estudantes do Ensino Superior ou recém licencia- criação de novas empresas de base tecnológica e com eleva- Económico Europeu. facultar uma experiência técnica na indústria, instituições de dos há menos de 1 ano à procura de 1.º emprego, com uma do potencial de crescimento, procurando contribuir para: investigação ou outras entidades empregadoras de um país duração entre 3 a 12 meses. Os Estágios devem: A Rede EURES: • constituição de novas empresas de base tecnológica com a estrangeiro. • Apoia os candidatos à procura de emprego, possibilitando- • azer parte integrante da formação profissional, ou do f elevado potencial de crescimento, cobrindo as diferentes lhes o acesso a ofertas de emprego, disponíveis em qual- As áreas abrangidas pelo Programa de Intercâmbio da IAES- processo de inserção ou de reinserção profissional do fases deste processo, desde a identificação do potencial de quer país do EEE bem como a divulgação dos seus perfis TE incluem todos os ramos da Engenharia, Química, Física, beneficiário; mercado das tecnologias envolvidas até à fase inicial de profissionais, na base de dados EURES CV-search (ofertas de Matemática, Tecnologia, Gestão, entre outras. A duração do • ontemplar o acompanhamento do beneficiário por um c operacionalização e comercialização de resultados; emprego disponíveis nos 17 países). estágio deverá ser entre 6 semanas (mínimo) e 18 meses tutor e a supervisão da formação por um orientador no • mudança de atitude dos actores do Sistema Científico a • Possibilita, aos empregadores, a divulgação de ofertas de (máximo). contexto dos organismos de acolhimento em cooperação Nacional, induzindo-os a incorporar nas suas actividades emprego, com vista ao recrutamento e contratação de com as organizações de envio; regulares o desenvolvimento e a aplicação de métodos para FEUP – Divisão de Cooperação trabalhadores de qualquer Estado-membro, bem como o • er uma duração suficiente para garantir a aquisição das t a valorização do conhecimento por si gerado. http://www.fe.up.pt/iaeste acesso a CV de candidatos a emprego no EEE e o contacto competências e experiência profissional em relação com os Os projectos de criação e desenvolvimento de empresas, directo com as candidaturas seleccionadas. IAESTE Internacional objectivos fixados; a apoiar pela Iniciativa NEOTEC, compreendem três fases • Disponibiliza informação sobre questões práticas e legais http://www.iaeste.org/ • ontemplar o reconhecimento, segundo as práticas do país c sequenciais distintas: a geração de conceitos de produtos, úteis aos trabalhadores e empregadores. de origem, das aptidões e competências adquiridas e desen- serviços ou processos; o desenvolvimento de um modelo e de • Disponibiliza informação relativa à situação e tendências volvidas durante o estágio. Inov Contacto um plano de negócio; a constituição e arranque da empresa. dos mercados de trabalho, por região e sectores • onsolidar a cooperação entre organismos de formação c de actividade. O Programa Inov Contacto – Estágios Internacionais de (incluindo as universidades) e empresas. http://www.neotec.gov.pt/ Jovens Quadros é promovido pelo Ministério da Economia http://www.adi.pt/ Agência Nacional Programa Leonardo da Vinci e da Inovação, apoiado pela União Europeia e pelo PRIME http://www.socleo.pt/ – Programa de Incentivos à Modernização da Economia, e Comissão Europeia gerido e coordenado pelo Icep Portugal. http://ec.europa.eu/education/programmes/leonardo/ O Inov Contacto enquadra-se como uma das medidas do12 leonardo_en.html 13
  8. 8. Designação: Designação: afaconsult Biosckin Molecular and Cell Therapies, Lda Historial: Historial: A afaconsult, está inserida no grupo AFA que se enquadra na área dos serviços de Empresa que trabalha na área da biotecnologia e da medicina regenerativa, Engenharia, com uma experiência de 21 anos. recentemente formada, Fevereiro de 2006, e que nasceu a partir do trabalho de ID de docentes e investigadores da Universidade do Porto (FEUP e Embora a sua origem esteja na Engenharia de Estruturas, é hoje uma empresa ICBAS) e do trabalho clínico da área da cirurgia regenerativa. A empresa dedi- multidisciplinar com cerca de 70 técnicos das diversas áreas da engenharia, e tem ca-se a sua actividade às terapias celulares, nomeadamente criopreservação como principal objectivo, no âmbito duma prestação integrada de serviços aos de células estaminais e cirurgia experimental. seus clientes, elaborar projectos de qualidade em prazos ambiciosos. A inovação e a qualidade são também vistas pela afaconsult como meios de proporcionar opor- tunidades de aprendizagem e de realização profissional aos seus colaboradores. Nº trabalhadores: Nº trabalhadores: 53 trabalhadores 7 colaboradores Localização: Localização: Cais do Lugan, 224. 4400-492 V. N. Gaia TecMaia, Parque Tecnológico da Maia Pessoa de Contacto RH: Pessoa de Contacto RH: Engº Marco Carvalho Prof. José Domingos da Silva Santos Dra. Ana Colette Maurício Áreas de Engenharia de recrutamento: Dr. José Ventura Lobato Eng. Civil Eng. Mecânica Áreas de Engenharia de recrutamento: Eng. Electrotécnica Engenharia Biomédica Eng. Informática e Computação Engenharia Biológica Engenharia Química Oferta de Estágios: Engenharia Mecânica S im Engenharia Física Tipo de Estágios: Oferta de Estágios: Profissional Sim Estágios Nacionais e/ou Internacionais: Tipo de Estágios: Nacionais e Internacionais Profissional, Curricular e Projecto Final de Curso Estágios Remunerados: Estágios Nacionais e/ou Internacionais: Sim Nacionais e internacionais Estágios Remunerados: Sim14 15
  9. 9. Designação: Designação: CaetanoBus – Fabricação de Carroçarias, S. A. CentralCasa Desenvolvimento de Projectos de Domótica Lda. Historial: A CaetanoBus é uma empresa de fabricação de carroçarias e veículos para o transporte Historial: público de passageiros, fundada em Janeiro de 2002 como resultado de uma parceria entre A CentralCasa começou por ser um projecto embrionário da PontoPR, empresa que opera no os Grupos Salvador Caetano e Daimler Chrysler, que nela participam através das suas repre- campo das novas tecnologias, no desenvolvimento de soluções de Internet, para e-commer- sentadas Saltano SGPS e Evobus Portugal com 74% e 26% respectivamente. ce, e-business e gestão de Web Services. A PontoPR assumiu, desde a sua implementação, a Consequentemente, a CaetanoBus integrou na sua estrutura a Divisão Fabril de Gaia, até intersecção de três grandes áreas: a Internet, o e-marketing e a domótica. então pertencente à Salvador Caetano - IMVT. A CentralCasa, ainda dentro da PontoPR, foi um projecto que conciliou os benefícios da As carroçarias produzidas pela CaetanoBus são montadas sobre chassis de várias marcas e Internet, nomeadamente a velocidade e comodidade de comunicação que esta oferece, com com diferentes especificações, consoante as exigências dos clientes. O destino da maioria dos as vantagens da automação doméstica, como a segurança e o conforto. produtos da empresa é a exportação, salientando-se os mercados Alemão, Inglês e Espanhol. O primeiro investimento da PontoPR na CentralCasa foi a presença na Internet, lançando o Enquanto criador e fabricante de carroçarias para autocarro, na CaetanoBus apostamos na primeiro portal de domótica em Portugal, com plataforma de comércio electrónico, em Se- relação qualidade-preço, de forma a satisfazer totalmente os clientes e os utilizadores dos tembro de 2002. O sucesso e o número de clientes foram tão significativos (cerca de 64% da nossos produtos. Para tal, investimos na melhoria contínua da produção e numa eficiente facturação da PontoPR), num tão curto espaço de tempo (cerca de seis meses), que justificou utilização dos recursos. o avanço para a implementação de toda a estrutura que mais tarde deu origem à criação da O aumento sustentado da capacidade competitiva, o respeito pelos parceiros de negócio e o empresa CentralCasa. gosto pela inovação, são outras características da CaetanoBus, uma empresa que se orgulha A empresa é legalmente constituída em Agosto de 2003. de ser social e ambientalmente responsável. Nº trabalhadores: 12 colaboradores Nº trabalhadores: 650 colaboradores Localização: Rua do Cavaco, 96 1º Andar Localização: 4400-408 Vila Nova de Gaia Av. Vasco da Gama, 1410 Telf: +351 22 374 4938 4431-901 Vila Nova de Gaia Fax: +351 22 374 51 67 Pessoa de Contacto RH: Pessoa de Contacto RH: Sr. Tiago Monteiro Engº Miguel Costa Áreas de Engenharia de recrutamento: Áreas de Engenharia de recrutamento: Materiais Informática Mecânica Electrotecnia Gestão Industrial Mecânica Química Oferta de Estágios: Oferta de Estágios: Sim Sim Tipo de Estágios: Tipo de Estágios: Curriculares Profissional, Curricular e Projecto Final de Curso Projecto Final de Curso Estágios Nacionais e/ou Internacionais: Estágios Nacionais e/ou Internacionais: Nacionais Nacionais Estágios Remunerados: Sim, se não remunerados por outra entidade16 17
  10. 10. Designação: Designação: CIN-Corporação Industrial do Norte, SA CINFU - Centro de Formação Profissional da Indústria de Fundição Historial: História/ Missão/ Domínios de Intervenção Fábrica de tintas e vernizes sediada na Maia O CINFU - Centro de Formação Profissional da Indústria de Fundição, foi criado no dia 24 com centros de produção na Maia, Barcelona e Canárias. A CIN é a empresa de Abril de 1981, por Protocolo assinado entre o IEFP – Instituto de Emprego e Formação líder a nível Ibérico na producção de tintas e vernizes, possuindo cinco Profissional (à data, Fundo de Desenvolvimento da Mão-de-Obra) e a APF – Associação áreas de negócio:decorativos(tintas e vernizes destinadas ao uso Portuguesa de Fundição, tendo sido homologado pelo Ministro do Trabalho. Mais tarde profissional), indústria (aplicações realizadas sobre qualquer produto e por força do que estatui o Dec. Lei n.º 165/85, relativamente aos Centros de Gestão industrial), anti-corrosão (tintas destinadas à protecção anticorrosiva), Participada (Protocolares), a institucionalização do CINFU foi estabelecida pela Portaria n.º repintura automóvel e acessórios. É líder de mercado em Portugal desde 443/87 de 27 de Maio. 1992, líder de mercado da Península Ibérica desde 1995 e terceiro em Espanha. No ano 2001 situava-se no 47º lugar no ranking Mundial e 16º O Centro tem por missão a valorização do sector da fundição, nomeadamente através da lugar no ranking Europeu. formação profissional de operários e técnicos qualificados para a indústria da fundição. Em cumprimento da missão, o CINFU, promove formação destinada a dois tipos de públi- cos-alvo: . ctivos empregados, tendo em vista a sua actualização nas áreas técnicas, tecnológicas e A transversais, contribuindo para a sua adaptabilidade ao sector e ao mercado; . ovens à procura do primeiro emprego e activos desempregados, os quais se pretende J qualificar em áreas em que se sente carência de mão-de-obra especializada, visando a sua posterior integração no mercado de trabalho. Dada a capacidade técnica e tecnológica instalada no CINFU em virtude do desenvolvi- mento da sua actividade principal (formação profissional), o Centro, encontra-se ainda em óptima posição para actuar como parceiro das empresas ao nível da prestação de serviços, fazendo-o em domínios como: Novas Tecnologias; Tecnologias Convencionais; Área Laboratorial Baseado numa série de protocolos assinados com Universidades, Centros de ID e outros organismos de interface, poder-se-á afirmar que o CINFU dispõe de capacidade de res- posta a todos os níveis de solicitação, o que o torna um referencial técnico privilegiado no apoio às fundições. Nº trabalhadores: Oferta de Estágios: 624 colaboradores Sim Localização: Tipo de Estágios: Estrada Nacional Nº 13 (km 6)-Ap.1008 Profissional, Curricular e Projecto Final de Curso 4471-909 Maia Estágios Nacionais e/ou Internacionais: Pessoa de Contacto RH: Nacionais Drª Mavilda Tinoco Localização: Oferta de Estágios: Estágios Remunerados: Rua Delfim Ferreira, nº 800 Sim Áreas de Engenharia de recrutamento: Estudo caso a caso 4100-199 Porto Engenharia Química Telefone: 226175760 Tipo de Estágios: Profissional; Projecto Final de Curso Nº trabalhadores: 22 colaboradores Estágios Nacionais e/ou Internacionais: Nacionais Pessoa de Contacto RH: Eng.ª Helena Oliveira Estágios Remunerados: Sim Áreas de Engenharia de recrutamento: Mecânica e Metalúrgia18 19

×