O culto do Evangelho no lar havia terminado às sete da noite, e João Pires,
com a esposa, filhos e netos, em torno da mesa...
Ana Maria e Jorge Lucas, irmão mais crescido, correm para atender. Daí a
instantes, voltam, enquanto o menino grita: - Nin...
Ante a surpresa de todos, com ar de triunfo, a menina segurou-lhe a mão
direita e perguntou: - O senhor conhece Jesus? Trê...
REFLEXÃO:
Um dos maiores entraves para o exercício da caridade é o preconceito, que
inibe o candidato a cristão na ação em...
No sentido inverso, também é verdadeiro. Então, qual seria a conduta
apropriada? O que diria Jesus se a Ele fizéssemos est...
Porquanto, tive fome e me destes de comer; tive e me destes de beber; careci
de teto e me hospedastes; estive nu e me vest...
Porquanto, tive fome e não me destes comer, tive sede e não me destes de
beber; precisei de teto e não me agasalhastes; es...
Toda moral de Jesus se resume na caridade e na humildade, isto é, nas duas
virtudes contrárias ao egoísmo e ao orgulho. Em...
Orgulho e egoísmo, eis o que não se cansa de combater. E não se limita a
recomendar a caridade; põe-na claramente e em ter...
Busquemos trocar de lugar com aquele que sofre; busquemos fazer o que
está ao nosso alcance, para diminuir as dores do sem...
Jesus mandou alguém
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jesus mandou alguém

250 visualizações

Publicada em

Mensagem espírita

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jesus mandou alguém

  1. 1. O culto do Evangelho no lar havia terminado às sete da noite, e João Pires, com a esposa, filhos e netos, em torno da mesa, esperava o café que a família saboreava depois das orações. Ana Maria, pequena de sete anos, reclamou: - Vovô, não sei por que não vem. Sempre vovô chama por Ele nas preces: “Vem Jesus! Vem Jesus!” e Jesus nunca veio. O avô riu-se, bondoso, e explicou: - Filhinha, nós, os espíritas não podemos pensar assim. O Mestre vive presente conosco em suas lições. E cada pessoa do caminho, principalmente os mais necessitados, são representantes Dele, junto a nós. Um doente é uma pessoa que o Senhor nos manda socorrer, um faminto é alguém que Ele nos recomenda servir. Dona Maria, a dona da casa, nesse momento repartia o café, e, antes que o vovô terminasse, batem à porta.
  2. 2. Ana Maria e Jorge Lucas, irmão mais crescido, correm para atender. Daí a instantes, voltam, enquanto o menino grita: - Ninguém não! É só um mendigo pedindo esmola. – Que é isso? Exclama a senhora Pires, instintivamente, a estas horas? Ana Maria, porém, de olhos arregalados, aproxima-se do avô e informa, encantada: - Vovô, é um homem! Ele está pedindo em nome de Jesus. É preciso abrir a porta. Acho que Jesus ouviu a nossa conversa e mandou alguém por Ele. A família comoveu-se. O chefe da casa acompanhou a netinha e, depois de alguns instantes, voltaram, trazendo o desconhecido. Era um velho, aparentando mais de oitenta anos de idade, de roupa em frangalhos e grande barba ao desalinho, apoiando-se em pobre cajado.
  3. 3. Ante a surpresa de todos, com ar de triunfo, a menina segurou-lhe a mão direita e perguntou: - O senhor conhece Jesus? Trêmulo e acanhado, o ancião respondeu: - Como não, minha filha? Ele morreu na cruz por nós todos! E Ana Maria para o avô: Eu não falei, vovô? O grupo entendeu o ensinamento e o recém-chegado foi conduzido a uma poltrona. Alimentou-se. Recebeu tudo quanto precisava e João Pires anotou-lhe o nome e endereço para visitá- lo no dia seguinte. Antes da despedida, a pequena dormiu feliz, e, após abraçar o inesperado visitante, no “até amanhã”, o chefe da família, enxugando os olhos, falou, sensibilizado: - Graças a Deus, tivemos hoje um culto mais completo.
  4. 4. REFLEXÃO: Um dos maiores entraves para o exercício da caridade é o preconceito, que inibe o candidato a cristão na ação em favor de seu semelhante, por ele ser pobre, mendigo, doente, sujo ou desprovido de juízo. Às vezes, mesmo aquelas pessoas que já conhecem e estudam o Evangelho de Jesus, esquecem-se do recado que fora da caridade não há salvação. A maldade existente no mundo, a simulação, o engano, a mentira, que ainda se encontram espalhados, são os grandes responsáveis diretos pela negação de atendimento daquele que pede e que realmente necessita. Fica sempre a pergunta: Será que ele não está me enganado? Tanto maior é a dúvida quanto pior for a aparência daquele que pede.
  5. 5. No sentido inverso, também é verdadeiro. Então, qual seria a conduta apropriada? O que diria Jesus se a Ele fizéssemos esta pergunta? Para obtermos a resposta correta, vamos lembrar o que se encontra no Evangelho Segundo o Espiritismo, no capítulo XV, Fora da caridade não há salvação. Está escrito no evangelho de Mateus, capítulo XXV, vv. 31 a 46: Ora, quando o filho do homem vier em sua majestade, acompanhado de todos os anjos, sentar-se-á no trono de sua glória; reunidas diante dele todas as nações, separará uns dos outros, como o pastor separa dos bodes as ovelhas, e colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda. Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do reino que vos foi preparado desde o princípio do mundo;
  6. 6. Porquanto, tive fome e me destes de comer; tive e me destes de beber; careci de teto e me hospedastes; estive nu e me vestistes; achei-me doente e me visitastes; estive preso e me fostes ver. Então, responder-lhe-ão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando foi que te vimos sem teto e te hospedamos; ou despido e te vestimos? E quando foi que te soubemos doente ou preso e fomos visitar-te? O Rei lhes responderá: Em verdade vos digo, todas as vezes que isso fizestes a um destes mais pequeninos dos meus irmãos, foi a mim mesmo que o fizestes. Dirá em seguida aos que estiverem à sua esquerda: Afastai-vos de mim, malditos; ide para o fogo eterno, que foi preparado para o diabo e seus anjos;
  7. 7. Porquanto, tive fome e não me destes comer, tive sede e não me destes de beber; precisei de teto e não me agasalhastes; estive sem roupa e não me vestistes; estive doente e no cárcere e não me visitastes. Também eles replicarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome e não te demos de comer, com sede e não te demos de beber, sem teto ou sem roupa, doente ou preso e não te assistimos? Ele então lhes responderá: Em verdade vos digo; todas as vezes que faltastes com a assistência a um destes mais pequenos, deixastes de tê-la para comigo mesmo. E esses irão para o suplício eterno, e os justos para a vida eterna. Sobre esse trecho do Evangelho de Mateus, Kardec faz o seguinte comentário que nos ajudará a responder àquela pergunta que foi feita.
  8. 8. Toda moral de Jesus se resume na caridade e na humildade, isto é, nas duas virtudes contrárias ao egoísmo e ao orgulho. Em todos os seus ensinos, Ele aponta essas duas virtudes como sendo as que conduzem à eterna felicidade; Bem-aventurados, disse, os pobres de espírito, isto é, os humildes, porque deles é o reino dos céus; bem-aventurados os que têm puro o coração; bem- aventurados os que são brandos e pacíficos; bem-aventurados os que são misericordiosos; amai o vosso próximo como a vós mesmos; fazei aos outros o que quereríeis vos fizessem; amai os vossos inimigos; perdoai as ofensas, se quiserdes ser perdoados; praticai o bem sem ostentação; julgai-vos a vós mesmos, antes de julgardes os outros. Humildade e caridade, eis o que não cessa de recomendar e o de que dá, Ele próprio, o exemplo.
  9. 9. Orgulho e egoísmo, eis o que não se cansa de combater. E não se limita a recomendar a caridade; põe-na claramente e em termos explícitos como condição absoluta da felicidade futura. (...) Não considera, portanto, a caridade apenas como uma das condições para a salvação, mas como a condição única. Se outras houvesse a serem preenchidas, Ele as teria declinado. Desde que coloca a caridade em primeiro lugar, é que ela implicitamente abrange todas as outras: a humildade, a brandura, a benevolência, a indulgência, a justiça, etc., e porque é a negação absoluta do orgulho e do egoísmo. Assim, meditemos e avaliemos nosso procedimento diante dos infortunados da sorte. Sejam eles sinceros ou não.
  10. 10. Busquemos trocar de lugar com aquele que sofre; busquemos fazer o que está ao nosso alcance, para diminuir as dores do semelhante. Não deixemos que o preconceito tome conta de nossas ações, impedindo que a caridade se faça. Demonstremos nossa crença pelas ações e não pelas palavras. Que Jesus nos permita compreender e incorporar a caridade em nossa vida. Muita Paz! Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br

×