Esboço o que se deve entender por pobres de espírito

2.936 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.936
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Helio Cruz
  • Helio Cruz
  • Helio Cruz
  • Helio Cruz
  • Helio Cruz
  • Esboço o que se deve entender por pobres de espírito

    1. 1. Hoje é Quarta-feira, 27 de Junho de 2012 Agora mesmo são 15:52 h.O Que se deve entender por “Pobres de Espírito” Série: Lendo e Aprendendo Estudo e Formatação Música: Out of the darkness into the light-Kevin Kern (Das trevas para a luz) (Transição manual dos Slides)
    2. 2. As Bem-aventuranças com que o Mestre Jesuspreambulou o Sermão da Montanha constituem, semdúvida alguma, uma mensagem divina aos homens detodas as raças e de todas as épocas, destinada a servir-lhesde roteiro, rumo à perfeição. E logo na primeiraAventurança, Ele afirmou: “Bem-aventurados os pobresde espírito, porque deles é o reino dos céus”. Ainda hojemuito se fala sobre tal ensinamento. No entanto, talensino, como tanto outros, resta ainda incompreendidopelos homens.
    3. 3. Para ilustrar esse estudo de total ausência de vaidade edesligamento das coisas transitórias da Terra, fomosbuscar no livro Pontos e Contos, ditado pelo Irmão X,uma passagem intitulada “Olá, meu irmão”. É a históriade Cipriano Neto, homem de grande inteligência, homemda literatura, que se encontrava agora no mundo espiritualfalando para uma pequena assembleia de desencarnados.Cipriano conta então sua experiência de vida para ajudar,esclarecer aqueles irmãos que estavam ali reunidos.
    4. 4. Ele conta que, na sua última experiência na carne, passoupor uma prova difícil, e ferido pelas dores, chegou àDoutrina Espírita. Saciado pela água viva de santasconsolações, resolveu servir ao Espiritismo, através dapalavra ou da pena. Seduzido pela beleza da Doutrina,descobriu sobre o dom da caridade. Porém, a sua decisãonão se filiava senão à vaidade. Fazia as palestras como seo Espiritismo necessitasse dele. Admitia, no fundo, que asua presença honrava, sobremaneira o auditório.
    5. 5. Desse modo, alardeava suma importância às suaspalestras novas.Certa ocasião, estando com seus amigos da literatura, eisque surge o Elpídio, velho conhecido seu. Sapatos rotos,calças remendadas, cabelos despenteados, rosto suarento.Elpídio abeirou-se dele e estendeu-lhe a destra,exclamando alegre: - Olá, meu irmão! Fiquei muitosatisfeito com a sua palestra! Cipriano, deveras humilhadoperante seus amigos, respondeu à saudação efusivasecamente, meneando a cabeça.

    ×