A inveja

402 visualizações

Publicada em

Mensagem

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A inveja

  1. 1. Conta a lenda que uma vez uma serpente começou a perseguir um vaga-lume. Este fugia rápido, com medo da feroz predadora, e a serpente nem pensava em desistir. Fugiu um dia e ela não desistia. Dois dias, e nada. No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse à cobra: - Posso lhe fazer três perguntas? - Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas, já que vou lhe devorar mesmo, pode perguntar. - Pertenço à sua cadeia alimentar? - Não! - Eu lhe fiz algum mal? - Não!
  2. 2. - Então, por que você quer acabar comigo? -Porque não suporto ver você brilhar! A fábula vale pela reflexão. É bem triste constatar que ainda existem pessoas como a serpente desta estória. O ideal seria que soubéssemos ajudar os outros a brilhar para que, assim, o nosso próprio brilho pudesse aumentar e servir de farol para outros tantos que ainda precisam de uma “estrela guia” à frente para saber o caminho a seguir. A inveja é um sentimento de infelicidade constante; é um sentimento de tristeza perante o que o outro tem e a própria pessoa não tem. O outro é aquilo que tal pessoa gostaria de ser ou ter. Pode ser tanto coisas materiais como qualidades inerentes ao ser. É um complexo de inferioridade: o outro é melhor do que eu.
  3. 3. Qual é o perfil da inveja no ser? Preocupação maior com a vida alheia do que com a sua. Ao invés de tentar progredir, crescer, tanto materialmente quanto espiritualmente, prefere ficar sofrendo com o sucesso dos outros. A inveja é originária desde tempos antigos. A inveja pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois, aquele que deseja tais virtudes ou qualidades é incapaz de alcança-las. Dos sete pecados capitais, a inveja é o pecado que ninguém admite ter, mas que todos juram conhecer. Esse pecado é o mais antigo e o mais atual de todos os outros..
  4. 4. A inveja nada mais é do que um fenômeno psicológico muito comum que causa um grande sofrimento, tanto para os invejosos quanto para suas vítimas. A inveja é uma das fissuras morais bastante comuns da Humanidade. A inveja é tristeza que o indivíduo tem em relação às coisas boas dos outros. O invejoso se sente mal porque o próximo tem sucesso. Ele apenas se considera diminuído com a grandeza alheia. Bem mais difícil é ser feliz com a felicidade do semelhante. A inveja está muito presente em nossa sociedade. Somos tão cegos em nosso orgulho e egoísmo que não percebemos que, ao invejar o brilho do outro, tentando impedi-lo de emitir sua luz, embotamos nosso próprio brilho, escondendo a nossa luz sob as trevas de nosso próprio ego.
  5. 5. Não percebemos que também brilhamos, que em nós há a mesma luz e que só depende de nós fazê-la brilhar mais e mais longe e com mais intensidade, na medida em que colocamos o nosso brilho à disposição dos outros. Não entendemos que o nosso crescimento espiritual é diretamente proporcional ao crescimento espiritual dos que estão à nossa volta e, que, para crescermos é necessário que tudo o que está ao nosso redor também cresça. E o cúmulo da nossa ignorância é que não nos damos conta de que, por mais que a nossa luz seja abafada, por mais que nós a sabotemos com sentimentos pequenos, mesquinhos e egoístas, ela nunca deixa de brilhar.
  6. 6. Deus não permite que ela se apague por completo, porque sabe que, mais cedo ou mais tarde, nós vamos despertar desse torpor doentio e vamos precisar dessa pequena faísca para saber por onde recomeçar. MORAL DA HISTÓRIA: “Se a sua estrela não brilha, não ofusque a dos outros”. Muita Paz! Agora, vamos elevar o nosso pensamento a Jesus, rogando a luz e o amparo que precisamos, nós que aqui estamos, ligados ao pesado fardo da matéria.
  7. 7. Refrigera-nos, Senhor, o nosso Espírito; ameniza as dores e sofrimentos de todos nós; que possa haver mais esperança em nossos corações; que possa haver mais fé em nossos espíritos; que possa haver mais entendimento e caridade em nossas ações, tudo conforme a vontade de Deus, nosso Pai. E, que, nessa semana que hoje se inicia, possamos vivificar e aprender, levando a todos com quem vamos nos encontrar, a mensagem do trabalho contínuo, da melhoria, da paz, do amor e da caridade. Que assim seja, graças a Deus! Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br

×