Objetivos de desenvolvimento do milênio

4.825 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.825
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.254
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
196
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Objetivos de desenvolvimento do milênio

  1. 1. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  2. 2. Em 2000, a ONU – Organização das Nações Unidas, ao analisar os maiores problemas mundiais, estabeleceu 8Objetivos do Milênio – ODM, que no Brasil são chamados de 8 Jeitos de Mudar o Mundo. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  3. 3. Os Objetivos do Milênio, instituídos em 2000, propõem a redução de desigualdades nos campos de educação, igualdade de gênero, meio ambiente, renda e saúde em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, como oBrasil, e conta com o apoio de injeção de recursos dos países mais ricos Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  4. 4. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  5. 5. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  6. 6. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  7. 7. ACABAR COM A FOME E A MISÉRIANeste momento, milhares de pessoas estão passando fome no Brasil eno mundo.A fome é conseqüência da pobreza e também sua causadora.Para romper este círculo vicioso, é fundamental unir toda a sociedade.Só dessa forma será possível garantir a condição básica de direito à vida:viver sem fome. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  8. 8. ACABAR COM A FOME E A MISÉRIANo Brasil há alimentos suficientes para alimentar toda sua população?Apesar disso, no nosso país, 29% das pessoas estão abaixo da linha dapobreza e apresentam deficiência alimentar. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  9. 9. SUGESTÕES DE AÇÕES:-Procurar informações sobre direitos e deveres dos cidadãos, para divulgá-los nacomunidade e fiscalizar os órgãos competentes.-Atuar como capacitador voluntário, promovendo orientação profissional para ospequenos negócios do bairro.-Elaborar e distribuir material orientando sobre o que é uma boa alimentação.-Organizar e promover atividades de educação alimentar, visando o aproveitamento integral dos alimentos.-Aproveitar ao máximo os alimentos, cuidando de sua correta conservação, usando receitas alternativas epromovendo o não desperdício.-Fazer um Mural da Cidadania em escolas e locais públicos. Pesquisar e divulgar ofertas de trabalho, cursosde capacitação profissional e geração de renda e serviços à comunidade (saúde, documentos, previdência,bolsa-família, etc).-Formar um grupo de mães de alunos que ensinem o melhor aproveitamento dos alimentos, para evitardesperdícios.-Monitorar a merenda escolar e comunicar qualquer irregularidade ao Conselho de Alimentação Escolar, aoMinistério Público ou ao Ministério da Educação pelo telefone gratuito 0800 61 6161.-Buscar parcerias que ajudem a enriquecer a alimentação oferecida por escolas e organizações sociais.-Fazer uma horta caseira e incentivar os vizinhos e as escolas do bairro a fazerem o mesmo.-Sensibilizar supermercados, restaurantes e quitandas para o não desperdício, informando-os sobre locaispara onde podem ser encaminhados os alimentos excedentes.-Valorizar o desenvolvimento local, comprando e promovendo o uso de produtos do comércio solidário. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  10. 10. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  11. 11. EDUCAÇÃO BÁSICA DE QUALIDADE PARA TODOSNão há o que discutir, todos têm direito a educação de qualidade.Entretanto, não é bem isso o que acontece, pois muitas pessoas nãochegam a completar o ciclo básico. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  12. 12. EDUCAÇÃO BÁSICA DE QUALIDADE PARA TODOSNão há o que discutir, todos têm direito a educação de qualidade.Entretanto, não é bem isso o que acontece, pois muitas pessoas nãochegam a completar o ciclo básico.O Brasil é o sétimo país do mundo em número de analfabetos, sendoque 18 milhões destes nunca passaram pela escola. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  13. 13. SUGESTÕES DE AÇÕES:-Falar com os diretores das escolas e se oferecer como voluntário, pois comcerteza saberão aproveitar sua disponibilidade.-Identificar os alunos que estão faltando muito às aulas e incentivá-los a voltar afreqüentar a escola.-Mostrar que atividades recreativas e esportivas também são educativas. Disciplina, respeito e cooperaçãopodem ser reforçados nesses momentos.-Organizar ou participar de campanhas de doação de livros e de materiais didáticos para instituições ebibliotecas.-Fazer e manter uma biblioteca alegre e acolhedora, e mostrar que a leitura é um prazer.-Acolher e respeitar os alunos especiais, além de denunciar professores e escolas que não promovam ainclusão dos portadores de deficiências.-Identificar crianças fora da escola e encaminhá-las para o ensino, além de denunciar o fato ao ConselhoTutelar da cidade.-Fazer o acompanhamento de uma criança incentivando-a e monitorando seu desempenho.-Participar do Conselho Escolar e acompanhar o desempenho da escola.-Organizar aulas de reforço escolar para estudantes com dificuldades de aprendizagem.-Fazer um levantamento dos analfabetos em seu bairro e incentivá-los a freqüentar um curso dealfabetização.-Incentivar a criação e o trabalho voluntário em creches para crianças de 0 a 4 anos Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  14. 14. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  15. 15. IGUALDADE ENTRE SEXOS E VALORIZAÇÃO DA MULHERA história do mundo nos mostra que durante muito tempo os homens eas mulheres não tinham os mesmos direitos e deveres. Em alguns paísesisso ainda acontece. Em outros, as mulheres conquistaram direitos queantes lhes eram negados. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  16. 16. IGUALDADE ENTRE SEXOS E VALORIZAÇÃO DA MULHERDois terços dos analfabetos do mundo são mulheres, e 80% dosrefugiados são mulheres e crianças.Superar as desigualdades entre meninos e meninas no acesso àescolarização formal é a base para capacitá-las a ocuparem papéis cadavez mais ativos na economia e política de seus países. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  17. 17. IGUALDADE ENTRE SEXOS E VALORIZAÇÃO DA MULHERNo Brasil, as mulheres chegam a ganhar até 40% a menos do que oshomens para exercer o mesmo trabalho. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  18. 18. SUGESTÕES DE AÇÕES:-Visitar a câmara municipal, entrevistar as vereadoras e conhecer suas propostaspara ajudar as mulheres de sua cidade.-Divulgar que existem, nas grandes cidades, centros de atendimento paramulheres, onde elas podem denunciar a violência e ter um acompanhamentofísico e psicológico.-Identificar e divulgar novas oportunidades de trabalho para mulheres.-Incentivar ações que estimulem as mulheres a buscar alternativas de geração de renda.-Educar filhos e filhas para que eles realizem, com igualdade, o trabalho do dia a dia em casa.-Não reproduzir expressões como “isso é coisa de mulher”, que sejam contra a dignidade da mulher ou quea coloquem em situação de inferioridade.-Não empregar crianças, para não prejudicar seu desenvolvimento ou comprometer sua infância, edenunciar os casos conhecidos de trabalho infantil para a Delegacia Regional do Trabalho.-Não valorizar e não comprar produtos que explorem o corpo da mulher em sua comercialização, exigindo ocumprimento da regulamentação publicitária e fortalecendo o senso critico da sociedade.-Atuar em atividades em prol da melhoria da auto-estima das mulheres, promovendo a valorização e orespeito em todas as fases do seu ciclo de vida (infância, adolescência, gravidez, maternidade, velhice).-Encorajar as jovens para que busquem seu desenvolvimento socioeconômico, por meio da educação e dotrabalho.-Incentivar adolescentes mães a retomarem seu projeto de vida, combatendo qualquer situação quedificulte seu acesso às escolas públicas. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  19. 19. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  20. 20. REDUZIR A MORTALIDADE INFANTILTodos os anos 11 milhões de bebês morrem de causas diversas. É umnúmero escandaloso, mas que vem caindo desde 1980, quando asmortes somavam 15 milhões. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  21. 21. REDUZIR A MORTALIDADE INFANTILTodos os anos 11 milhões de bebês morrem de causas diversas. É umnúmero escandaloso, mas que vem caindo desde 1980, quando asmortes somavam 15 milhões.Os indicadores de mortalidade infantil falam por si, mas o caminho parase atingir o objetivo dependerá de muitos e variados meios, recursos,políticas e programas — dirigidos não só às crianças mas a suas famíliase comunidades também. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  22. 22. SUGESTÕES DE AÇÕES:-Apoio a programas de acesso à água potável para populações carentes, principal causador das doençasinfecciosas infantis;-Promoção de campanhas de conscientização no combate a Aids, visando a prevenção de criançasportadoras do vírus;-Suporte a programas de acesso, das crianças portadoras do HIV e outras doenças infecciosas, amedicamentos específicos;-Programas educacionais, em comunidades carentes, de esclarecimento sobre higiene pessoal e sanitária,aleitamento materno e nutrição infantil. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  23. 23. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  24. 24. MELHORAR A SAÚDE DA GESTANTEEm nosso país muitas mães morrem no parto ou logo após. As causassão inúmeras, como a assistência médica inadequada, a falta de preparodas mães para se cuidar durante a gestação e a desnutrição.Melhorar a saúde materna ajuda a reduzir a mortalidade infantil. Aassistência médica inadequada durante a gravidez e o parto pode causara morte do bebê e da mãe. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  25. 25. SUGESTÕES DE AÇÕES:Fazer campanhas sobre: -Planejamento familiar. -Prevenção do câncer de mama e de colo de útero. -Gravidez de risco. -A importância do exame pré-natal. -Nutrição da mãe e aleitamento materno.-Não se automedicar e não receitar remédios para gestantes.-Propiciar um ambiente agradável, afetivo e pacífico às gestantes em casa, no trabalho, no dia a dia, dandoprioridade a elas, cedendo a vez em filas, auxiliando-as em seu deslocamento e no carregamento depacotes.-Presentear uma grávida em situação de desvantagem social com um enxoval para seu bebê.-Acompanhar uma gestante, garantindo a realização do pré-natal, oferecendo transporte para as consultas efacilitando a aquisição de medicamentos, quando necessário.-Divulgar informações sobre saúde para gestantes e articular palestras em Postos de Saúde, CentrosComunitários e instituições como a Pastoral da Criança.-Participar de iniciativas comunitárias voltadas para a melhoria da saúde materna e o atendimento àgestante (pré-natal e pós-parto).-Incentivar o debate entre a universidade, a escola e a comunidade.-Reunir mulheres grávidas para troca de experiências.-Incentivar a educação para gestantes. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  26. 26. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  27. 27. COMBATER A AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇASUm dos maiores problemas mundiais são as doenças que atingemgrande número de pessoas – e sabemos que a prevenção é a melhormaneira de combatê-las Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  28. 28. COMBATER A AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇASUm dos maiores problemas mundiais são as doenças que atingemgrande número de pessoas – e sabemos que a prevenção é a melhormaneira de combatê-las.O Brasil tem o maior número de casos de malária das Américas, e é oterceiro lugar do mundo em incidência dessa doença.Os casos de Aids, no entanto, diminuíram em quase todos os grupos. Oúnico grupo em que houve aumento foi no de mulheres dos 13 aos 19anos. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  29. 29. SUGESTÕES DE AÇÕES:-Fazer visitas domiciliares para mostrar os locais que podem favorecer a dengue,principalmente no verão, época de epidemias de dengue.-Incentivar a população a participar das campanhas de vacinação.-Fazer campanhas de informação, mobilização e prevenção à Aids e de outras doenças epidêmicas.-Divulgar informações sobre todas as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), na comunidade. Orientarsobre sintomas e busca de tratamento médico.-Fazer levantamento sobre os serviços disponíveis – remédios, postos de saúde, centros de atendimento.-Cuidar de nossa higiene, e incentivar e orientar que outros façam o mesmo.-Usar preservativo, exigir sangue testado e não compartilhar seringas e agulhas, prevenindo-se do HIV.-Procurar um posto de saúde ao identificar manchas avermelhadas ou esbranquiçadas, dormentes na pele.Hanseníase tem cura.-Doar sangue periodicamente aos hemocentros e estimular que outras pessoas o façam.-Não deixar acumular água em plantas, vasos, calhas, pneus, vidros e outros recipientes, evitando quesurjam focos do mosquito transmissor da dengue em casa, na rua, no bairro. Encaminhar as pessoas comfebre e tosse persistentes ao serviço de saúde, além de orientar os portadores de tuberculose para quefaçam o tratamento completo – mesmo que não apresentem mais os sintomas da doença.-Sensibilizar familiares e amigos a não estimularem o consumo de bebida alcoólica por crianças eadolescentes, contribuindo para prevenir o alcoolismo e suas conseqüências.-Identificar, na família e na comunidade, pessoas que fazem uso abusivo de álcool, encaminhando-as aosserviços de saúde para tratamento médico e apoio psicossocial.-Incentivar o debate entre a universidade, as escolas e a comunidade para atingir mais amplamente esseobjetivo. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  30. 30. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  31. 31. QUALIDADE DE VIDA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTEO desmatamento, o desperdício de água e a produção excessiva de lixosão alguns dos problemas mais graves enfrentados pela humanidade.Cuidar do meio ambiente deve fazer parte de nosso dia-a-dia.Apesar de o Brasil ter aproximadamente 12% de toda a água doce doplaneta, 22 milhões de pessoas não têm acesso a água de boa qualidade. A água é um recurso natural renovável: rios, lagos e lençóissubterrâneos são capazes de repor seus suprimentos, desde que ahumanidade não os esvazie rápido demais ou os contamine Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  32. 32. QUALIDADE DE VIDA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTEOs Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)reconhecem que os destinos das pessoas e doambiente estão interligados.Os países mais pobres do mundo estão muito dependentes daagricultura e são muito vulneráveis à degradação ambiental.Ameaças ambientais como o consumo de água contaminada colocamsérios desafios à saúde pública.A comunidade científica alerta para o fato de estarmos num momentocrítico, em que os efeitos da ação humana sobre o ambiente estão já aafetar as nossas vidas no presente e com tendência para se agravar nofuturo Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  33. 33. QUALIDADE DE VIDA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTEO QUE SIGNIFICA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL? Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  34. 34. SUGESTÕES DE AÇÕES:Fazer campanhas de uso racional de água e energia.Plantar árvores nas ruas é muito importante, porém é preciso pedir licença à prefeitura e aos moradores.Implementar a coleta seletiva nas escolas, no condomínio ou no bairro e divulgar o benefício de produtosbiodegradáveis ou recicláveis.Realizar mutirões de limpeza e rearborização de praças, rios e lagos.Contribuir com a limpeza da cidade, praticando ações simples como não acumular lixo em casa, ruas,terrenos, praias, rios e mares. Não jogar lixo pela janela.Não fumar em ambientes públicos fechados.Utilizar a água que sobrou da chaleira, do cozimento de ovos e da lavagem de vegetais para aguar plantas.Armazenar água da chuva, em recipientes fechados, para lavar carros e calçadas, economizando água –recurso natural limitado – nas ações cotidianas.Diminuir o uso de energia elétrica entre 6 e 9 horas da noite. Desligar aparelhos que não estão sendousados, economizando e evitando a falta de energia elétrica.Economizar papel. Imprimir apenas documentos importantes e procurar usar os dois lados da folha. O versode uma folha pode ser usado como rascunho, bloco de recados ou para os desenhos das crianças.Participar de ações de preservação e defesa de mangues, rios e mares.Participar de projetos sociais para construção de cisternas e casas com esgotamento sanitário para famíliasde baixa renda, em áreas urbanas ou rurais.Incentivar o uso de sacolas reutilizáveis para compras.Incentivar o uso de produtos feitos com material reciclado. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  35. 35. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  36. 36. TODO MUNDO TRABALHANDO PELO DESENVOLVIMENTOMuitas vezes a solução de um problema pode servir de resposta paraoutros, principalmente quando pessoas, escolas, governos, sociedadecivil, empresas e organizações sociais trabalham juntas.O trabalho voluntário é quase sempre realizado em parceria. Um bomexemplo de parcerias são as realizadas entre escolas, em queprofessores e alunos compartilham idéias, espaço e muita criatividadeem projetos de voluntariado educativo. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  37. 37. SUGESTÕES DE AÇÕES:Escolher temas de interesse comum e promover encontros entre escola e comunidade e organizaçõessociais – é fundamental continuar aprendendo coisas novas sempre.Organizar o grêmio da escola que pode desenvolver vários cursos como inclusão digital e geração de renda.Divulgar o que já está sendo feito pela comunidade, no jornal da escola, do condomínio ou do bairro– nadamelhor do que compartilhar experiências.Convidar amigos, vizinhos, empresas e instituições a participarem. Enquanto o seu grupo faz uma ação,muitos outros também estão fazendo a sua parte. O sucesso de um projeto de voluntariado depende daspessoas envolvidas e das parcerias realizadas.Não votar em candidatos que ofereçam, em troca de votos, favores como emprego, dinheiro, cestas básicas,consultas médicas etc.Fiscalizar a atuação dos políticos, exigindo que eles cumpram as promessas de campanha.Exercer o dever de cidadão, participando ativamente do planejamento da cidade – por meio do OrçamentoParticipativo, do Plano Diretor ou dos Conselhos Municipais.Participar de discussões e projetos em prol dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs),incentivando o engajamento de outras pessoas, organizações e empresas.Formar parcerias com setor público, empresas, associações e conselhos, a fim de resolver os problemas maisrelevantes do bairro.Sensibilizar o Conselho de Bairro para que reivindique o acesso a medicamentos seguros e a preçosacessíveis.Sensibilizar o Conselho de Bairro para que reivindique o acesso à Internet e a outros meios de comunicação,além de se disponibilizar para projetos de inclusão digital voltados para jovens em situação de desvantagemsocial. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  38. 38. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  39. 39. O BRASIL E OS ODMO 4º Relatório Nacional de Acompanhamento dos ODM*, lançado pelo IPEA – Instituto dePesquisas Econômicas Aplicadas, em março deste ano, retrata o Brasil neste cenário. De acordocom os dados apurados, o país já conseguiu avançar em metas, como a de redução dapopulação extremamente pobre. Em 1990, representavam 25,6% e em 2008, passaram para4,8%, sendo que a meta para 2015 é de 12,8%. Isso quer dizer que, enquanto a populaçãobrasileira cresceu de 141,6 para 186,9 milhões, a população extremamente pobre decresceu de36,2 para 8,9 milhões de pessoas, o que ainda é um número alto a reduzir. Outro desempenhoconsiderado positivo é quanto à universalização do ensino básico. O percentual de coberturamais recente é de 94,9% das crianças de 7 a 14 anos matriculadas.Os maiores desafios estão em garantir melhoria em algumas regiões e grupos populacionais, noque se refere aos patamares da mortalidade infantil e da saúde das gestantes.No quesito de sustentabilidade ambiental, o esgotamento sanitário é um dos grandesproblemas de infraestrutura do país. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  40. 40. Na mais recente PNAD – Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios* do IBGE – InstitutoBrasileiro de Geografia e Estatística - 2009, a proporção de domicílios atendidos por redecoletora ou fossa séptica ligada à rede coletora de esgoto (59,1%) praticamente não se alterouem relação à de 2008 (59,3%). Em números absolutos, significa um aumento de 34,1 milhõespara 34,6 milhões. As piores situações estão nas regiões Norte e Nordeste, com 13,5% (555 mildomicílios) e 33,7% (5,2 milhões) atendidos.Os projetos desenvolvidos no Brasil, relacionados aos ODMs em convênios firmados com oPNUD, são voltados ao desenvolvimento local, ao Bolsa Família, ao DesenvolvimentoSustentável com populações tradicionais e à agricultura familiar, entre outros maisregionalizados, como o do manejo integrado de ecossistema para o bioma Caatinga. Aorganização, no país, ainda apóia o Prêmio ODM Brasil*, que incentiva e valoriza projetos eações de prefeituras, da sociedade civil, do setor privado ou de meio acadêmico que contribuempara o alcance das metas. Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  41. 41. http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/objetivos-milenio-onu-diz-ser-possivel-atingir-metas-600306.shtml Oficina elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia

×