Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Hokkaido

Arquipélago formado por
milhares de ilhas, algumas
grandes, outras pequenas.
Entre as ilhas japonesas
destacam-s...
Essas ilhas surgiram há milhões de anos, formados por inúmeros vulcões
que passaram a existir na área de atrito de placas ...
Essas ilhas estão localizadas exatamente na região de contato entre as
placas tectônicas Euroasiática, do Pacífico e das F...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
VIVENDO EM UM PAÍS DE TERREMOTOS

Muitas vezes, os meios de comunicação noticiam que os japoneses
estão acostumados com os...
VIVENDO EM UM PAÍS DE TERREMOTOS
Atualmente, as cidades japonesas preocupam-se com os prédios mais
antigos que não tem com...
VIVENDO EM UM PAÍS DE TERREMOTOS
Grau

Acontecimento

0
1
2
3
4
5

Não sente o tremor

5+

Tumultos e muitas pessoas têm d...
O RELEVO E OS RIOS
Como o Japão foi formado por esse movimento de placas,
cerca de 75% do território apresenta relevo extr...
Rio Ishikari, em Hokkaido. Apesar de comporem paisagens belíssimas, os rios
japoneses têm poucos trechos navegáveis.
Apres...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O país é pequeno (cerca de
3800Km na direção nortesul)
O relevo apresenta uma
enorme
quantidade
de
cadeias
de
montanhas
(o...
O país é pequeno (cerca de
3800Km na direção nortesul)
O relevo apresenta uma
enorme
quantidade
de
cadeias
de
montanhas
(o...
O litoral do Japão apresenta-se bastante recortado, o que facilita a pesca
e a presença de portos naturais. Muitos destes,...
POLDER - é uma porção de terrenos baixos e planos construídos de
forma artificial, incluída entre aterros conhecidos como ...
O formato acidentado do relevo deixou uma marca
interessante sobre o território japonês. O país é
recortado por centenas d...
Com a hidrografia relativamente pobre, os rios do país são pouco
extensos, com pouco volume d´água e de fluxo rápido (pela...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
O MONTE FUJI
Com cerca de 3.776 metros de altitude, o monte Fuji é um vulcão e o
ponto mais alto do país, reverenciado com...
O MONTE FUJI
A ultima grande erupção aconteceu há mais de 300 anos. Nos últimos
tempos, porém, ele emite sinais de que est...
POPULAÇÃO
-POPULAÇÃO
ABSOLUTA:
aproximadamente
130
milhões
-POPULAÇÃO RELATIVA: 340
hab/km2

PAÍS POPULOSO E
POVOADO.

Apr...
Hotel cubículo no Japão-2007.
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
http://photomichaelwolf.co
m/#tokyo-compression/1
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Evolução da População Absoluta e Relativa: Japão 2009-2014

Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - G...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
No início do século XIX, a agricultura era a principal atividade do Japão, e
politicamente o país se mantinha isolado, opo...
Durante a ERA MEIJI foram implantadas diversas medidas:

Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geog...
Em busca de matérias-primas e de
mercado consumidor, os japoneses
decidiram-se por campanhas militares
expansionistas.

O ...
Indústrias e grandes bancos se fortaleceram nessa época, constituídos a partir do
enriquecimento de famílias tradicionais ...
Durante sua reconstrução, o Japão foi proibido de desenvolver a indústria
armamentista.

Assim, milhares de trabalhadores ...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
As indústrias japonesas que queriam continuar crescendo precisavam
entregar os produtos encomendados pelos Estados Unidos ...
Essas exportações sustentavam o país e, ao mesmo tempo, permitiam a importação de carvão
mineral, petróleo e minério de fe...
Após 1953, engenheiros japoneses visitaram fábricas nos Estados Unidos e ficaram
impressionados com o tamanho gigantesco d...
Após 1953, engenheiros japoneses visitaram fábricas nos Estados Unidos e ficaram
impressionados com o tamanho gigantesco d...
http://arli-historia.blogspot.com.br/2012/09/modelos-de-producao.html

Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRU...
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
http://ensinogeo.blogspot.com.br/2011_05_15_archive.html

Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geo...
Esses métodos eram inviáveis no Japão, pois o consumo era muito pequeno e eles não
dispunham de todo aquele espaço das fáb...
Segundo essa forma de produção, as mercadorias seriam produzidas apenas quando houvesse a
necessidade de atender encomenda...
Fábrica da Toyota em Tóquio, Japão. Hoje o toyotismo é adotado universalmente, em fábricas
espalhadas pelo mundo todo.
Sem gastar com a manutenção de grandes estoques, as fábricas japonesas tiveram recursos para
investir em educação.
Foram i...
Hoje, a evoluída
tecnologia japonesa pode
ser notada em muitas
áreas, como por exemplo,
nos sistemas robotizados,
muito co...
É um dos líderes mundiais
no desenvolvimento
tecnológico em
microeletrônica, em
nanorrobótica e em
microinformática, entre...
ALMANAQUE ABRIL, 2014

CASTELLAR, Sônia; MAESTRO, Valter. Geografia, uma leitura do mundi. São Paulo: Quinteto Editorial, ...
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Japão aspectos naturais, humanos e econômicos

10.391 visualizações

Publicada em

3 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.391
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
345
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
481
Comentários
3
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Japão aspectos naturais, humanos e econômicos

  1. 1. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  2. 2. Hokkaido Arquipélago formado por milhares de ilhas, algumas grandes, outras pequenas. Entre as ilhas japonesas destacam-se as quatro maiores: Hokkaido, Honshu (a maior), Shikoku e Kiushu, Honshu que concentram a maior parte das atividades econômicas e da população japonesa. Shikoku Kiushu
  3. 3. Essas ilhas surgiram há milhões de anos, formados por inúmeros vulcões que passaram a existir na área de atrito de placas tectônicas. Elas fazem parte do Círculo de Fogo do Pacífico e até hoje registram um intenso tectonismo. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  4. 4. Essas ilhas estão localizadas exatamente na região de contato entre as placas tectônicas Euroasiática, do Pacífico e das Filipinas. Como as placas estão em constante movimento, o território japonês sofre continuamente pequenos abalos e, eventualmente, terremotos de grande magnitude que causam muita destruição. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  5. 5. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  6. 6. VIVENDO EM UM PAÍS DE TERREMOTOS Muitas vezes, os meios de comunicação noticiam que os japoneses estão acostumados com os terremotos. O Japão sempre faz campanhas educativas para prevenir acidentes maiores. As propagandas recomendam que os móveis sejam presos as paredes, que a válvula de gás fique fechada, que não sejam colocados objetos pesados nas partes altas da casa (que possam machuca alguém se caírem). Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  7. 7. VIVENDO EM UM PAÍS DE TERREMOTOS Atualmente, as cidades japonesas preocupam-se com os prédios mais antigos que não tem como resistir a um abalo forte. Os prédios mais novos já são feitos para resistir terremotos. A preocupação no Japão é tão grande que existe uma escala japonesa para terremotos, que difere um pouco da escala Richter. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  8. 8. VIVENDO EM UM PAÍS DE TERREMOTOS Grau Acontecimento 0 1 2 3 4 5 Não sente o tremor 5+ Tumultos e muitas pessoas têm dificuldade de se locomover 6 6+ 7 É muito difícil ficar em pé Em ambientes fechados sente-se um leve tremor Em ambientes fechados sente-se um leve tremor Em ambientes fechados o tremor assusta As pessoas tentam se proteger Muitos tentam se proteger e alguns têm dificuldade de se mover Pessoas rastejam para se locomover Impossível se locomover voluntáriamente Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  9. 9. O RELEVO E OS RIOS Como o Japão foi formado por esse movimento de placas, cerca de 75% do território apresenta relevo extremamente enrugado e montanhoso. São poucas as áreas planas e em algumas localidades, as montanhas chegam até o litoral. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  10. 10. Rio Ishikari, em Hokkaido. Apesar de comporem paisagens belíssimas, os rios japoneses têm poucos trechos navegáveis. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  11. 11. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  12. 12. O país é pequeno (cerca de 3800Km na direção nortesul) O relevo apresenta uma enorme quantidade de cadeias de montanhas (ocupam 75% do território)
  13. 13. O país é pequeno (cerca de 3800Km na direção nortesul) O relevo apresenta uma enorme quantidade de cadeias de montanhas (ocupam 80% do território) Território extremamente recortado e com relevo elevado, consequentemente falta de riquezas minerais e espaço para a prática agropecuária e outras atividades. existe uma
  14. 14. O litoral do Japão apresenta-se bastante recortado, o que facilita a pesca e a presença de portos naturais. Muitos destes, assim como aeroportos e áreas industriais estão construídos em áreas aterradas no mar, os chamados pôlderes. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  15. 15. POLDER - é uma porção de terrenos baixos e planos construídos de forma artificial, incluída entre aterros conhecidos como diques utilizados para a agricultura ou habitação, comum na Holanda. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  16. 16. O formato acidentado do relevo deixou uma marca interessante sobre o território japonês. O país é recortado por centenas de pequenos rios fortemente encachoeirados, fato que no passado, dificultava a locomoção pelo território. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  17. 17. Com a hidrografia relativamente pobre, os rios do país são pouco extensos, com pouco volume d´água e de fluxo rápido (pela pequena área do país). Daí a opção por obter energia elétrica basicamente a partir de usinas nucleares. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  18. 18. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  19. 19. O MONTE FUJI Com cerca de 3.776 metros de altitude, o monte Fuji é um vulcão e o ponto mais alto do país, reverenciado como um símbolo pelo japonês. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  20. 20. O MONTE FUJI A ultima grande erupção aconteceu há mais de 300 anos. Nos últimos tempos, porém, ele emite sinais de que está despertando com pequenos tremores no seu interior. A possibilidade de que ele entre em atividade é causa de grande preocupação, pois o monte Fuji está muito próximo das grandes cidades concentradas na região de Tóquio, onde residem mais de 20 milhões de pessoas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  21. 21. POPULAÇÃO -POPULAÇÃO ABSOLUTA: aproximadamente 130 milhões -POPULAÇÃO RELATIVA: 340 hab/km2 PAÍS POPULOSO E POVOADO. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  22. 22. Hotel cubículo no Japão-2007. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  23. 23. http://photomichaelwolf.co m/#tokyo-compression/1
  24. 24. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  25. 25. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  26. 26. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  27. 27. Evolução da População Absoluta e Relativa: Japão 2009-2014 Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  28. 28. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  29. 29. No início do século XIX, a agricultura era a principal atividade do Japão, e politicamente o país se mantinha isolado, opondo-se a qualquer aproximação com a civilização ocidental. Em 1868, o imperador Matsuhito (Era Meiji) assumiu o trono e restabeleceu o poder imperial no país. O Japão imperial abria-se para o Ocidente. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  30. 30. Durante a ERA MEIJI foram implantadas diversas medidas: Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  31. 31. Em busca de matérias-primas e de mercado consumidor, os japoneses decidiram-se por campanhas militares expansionistas. O AUGE expansionista japonês Ao iniciar a Primeira Guerra Mundial, o Japão conquistou importantes mercados dos países europeus (debilitados pelo conflito), principalmente nos setores da indústria naval, química, de adubos, medicamentos e têxteis. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  32. 32. Indústrias e grandes bancos se fortaleceram nessa época, constituídos a partir do enriquecimento de famílias tradicionais de comerciantes, donos de terras e de manufaturas. (formaram-se grandes grupos empresariais, chamados zaibatsu, como Mitsui, Mitsubishi, Sumitomo, Yasuda e Daiichi). A economia passou a ser dominada pelos ZAIBATSUS (grandes corporações empresariais japonesas de origem familiar). Essas gigantescas empresas atuavam em diversos ramos da economia e seus líderes tinham muita influência na política japonesa. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  33. 33. Durante sua reconstrução, o Japão foi proibido de desenvolver a indústria armamentista. Assim, milhares de trabalhadores ficaram disponíveis para atuar em outros setores da economia e o dinheiro que seria utilizado em armas foi destinado a atividades mais produtivas O novo governo acabou com os monopólios dos zaibatsus, permitindo o surgimento de novas empresas e ajudou os camponeses a retomarem a produção agrícola. Assim que a Segunda Guerra foi encerrada, os Estados Unidos ajudaram na recuperação japonesa. (Após Mao Tsé-Tung ter transformado a China num país socialista, em 1949, os norte-americanos redobraram seu empenho em reerguer o Japão, pois notaram que seu poder estava, mais uma vez, fortemente ameaçado na Ásia). Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  34. 34. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  35. 35. As indústrias japonesas que queriam continuar crescendo precisavam entregar os produtos encomendados pelos Estados Unidos no prazo e com qualidade. Por isso, o governo e as empresas começaram a investir em tecnologia e educação. A meta era produzir mercadorias perfeitas com preços baixos para exportá-las, uma vez que a população japonesa comprava muito pouco nesse período (preferindo poupar seu dinheiro). Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  36. 36. Essas exportações sustentavam o país e, ao mesmo tempo, permitiam a importação de carvão mineral, petróleo e minério de ferro, recursos naturais de que seu território era carente. Portanto, o Japão passou a exportar produtos caros, com avançada tecnologia de alta qualidade, e a importar produtos baratos (matérias-primas e fontes de energia). Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  37. 37. Após 1953, engenheiros japoneses visitaram fábricas nos Estados Unidos e ficaram impressionados com o tamanho gigantesco das instalações (grandes estoques, grande número de trabalhadores). Eles perceberam que ela produziam sem parar e só depois ofertavam e vendiam os produtos. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  38. 38. Após 1953, engenheiros japoneses visitaram fábricas nos Estados Unidos e ficaram impressionados com o tamanho gigantesco das instalações (grandes estoques, grande número de trabalhadores). Eles perceberam que ela produziam sem parar e só depois ofertavam e vendiam os produtos. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  39. 39. http://arli-historia.blogspot.com.br/2012/09/modelos-de-producao.html Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  40. 40. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  41. 41. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  42. 42. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  43. 43. http://ensinogeo.blogspot.com.br/2011_05_15_archive.html Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  44. 44. Esses métodos eram inviáveis no Japão, pois o consumo era muito pequeno e eles não dispunham de todo aquele espaço das fábricas estadunidenses. A única solução era exportar os produtos, mas para isso as mercadorias japonesas teriam que ser mais baratas e melhores do que as produzidas em outros países. A busca por uma produção mais eficiente levou engenheiros especialistas em produção da Toyota a criar um novo método de trabalho, chamado JUST-IN-TIME (ou Toyotismo). Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  45. 45. Segundo essa forma de produção, as mercadorias seriam produzidas apenas quando houvesse a necessidade de atender encomendas (sem necessidade de criar e manter estoques). Dessa forma, ao trabalhar com pequenos lotes, pretende-se que a qualidade dos produtos seja a máxima possível. Essa é outra característica do modelo japonês: a Qualidade Total. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  46. 46. Fábrica da Toyota em Tóquio, Japão. Hoje o toyotismo é adotado universalmente, em fábricas espalhadas pelo mundo todo.
  47. 47. Sem gastar com a manutenção de grandes estoques, as fábricas japonesas tiveram recursos para investir em educação. Foram implantados centros de pesquisas que passaram a desenvolver tecnologias mais avançadas. As fábricas, por sua vez, deram mais atenção ao controle de qualidade. E as mercadorias japonesas evoluíram. Nas décadas de 60/70 e 80, as exportações japonesas cresceram tanto que proporcionaram ao país gigantescos superávits comerciais. Grande parte desses recursos foi reinvestida em mais Pesquisa e Desenvolvimento, que por sua vez, proporcionava novos produtos para serem consumidos no mundo inteiro, gerando saldos comerciais maiores ainda. Por mais de 40 anos (desde a década de 70 até 2013, o Japão foi a 2° economia do mundo. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  48. 48. Hoje, a evoluída tecnologia japonesa pode ser notada em muitas áreas, como por exemplo, nos sistemas robotizados, muito comuns em muitas de suas fábricas. O Japão é o país que mais tem robôs executando tarefas produtivas. Apresentação elaborada pela Professora FERNANDA BRUM LOPES - Geografia
  49. 49. É um dos líderes mundiais no desenvolvimento tecnológico em microeletrônica, em nanorrobótica e em microinformática, entre outras áreas do conhecimento.
  50. 50. ALMANAQUE ABRIL, 2014 CASTELLAR, Sônia; MAESTRO, Valter. Geografia, uma leitura do mundi. São Paulo: Quinteto Editorial, 2009. GARCIA, Helio Carlos; GARAVELLO, Tito Marcio. O espaço geográfico da América, Oceania e regiões polares. São Paulo: Scipione, 2009. LUCCI, Elian Alabi; BRANCO, Anselmo Lazaro. Geografia: homem & espaço. São Paulo: Saraiva, 2010. TAMDIJIAN, James Onnig, MENDES, Ivan Lazzari. Estudos de Geografia: o espaço do mundo I. São Paulo: FTD, 2008. TAMDIJIAN, James Onnig, MENDES, Ivan Lazzari. Estudos de Geografia: o espaço do mundo II. São Paulo: FTD, 2008. VESENTINI, José Willian; VLACH, Vânia. Geografia Crítica: Geografia do mundo industrializado. São Paulo: Ática,2010. Sites consultados http://ensinogeo.blogspot.com.br/2011_05_15_archive.html http://forumcienciassociais.blogspot.com.br/2013/04/a-educacao-utopica-num-mundo-que-nao.html http://www.infoescola.com/japao/era-meiji/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Era_Meiji http://www.zashi.com.br/zashi_historiajapao/316.php http://pt.wikipedia.org/wiki/Bakufu http://w00.middlebury.edu/ID085A/film/gallery2.html

×