WORKSHOP III
DESIGN DE TERRITÓRIO
UNISINOS
Maitê Rosa | Fernanda Fedrizzi| Liliane Vieceli| Mariane Formiga
COMO REINVENTAR A
ZONA RURAL
DE PORTO ALEGRE FOMENTANDO O
DESENVOLVIMENTO
ECONÔMICO, AMBIENTAL, SOCIAL E
CULTURAL DA REGIÃ...
A Zona Rural de Porto Alegre está presente na vida dos
habitantes urbanos de um forma singela, tímida e passa
quase que de...
POR ONDE
COMEÇAR?
FOCO NO
TERRITÓRIO
FOCO NO
PRODUTO
IDEIAS/CONCEITOS
DIVERGENTES
IDEIAS/CONCEITOS
CONVERGENTES PROCEDÊNCIA
/
CENÁRIOS URBANOS
BOM FIM
MENINO
DEUS
MOINHOS
DE VENTO
CIDADE
BAIXA
/
CENÁRIOS RURAIS
IMAGEM
COMUM
DO TERRITÓRIO
IMAGEM
COMUM
DOS PRODUTOS
OUTRA
VISÃO
DO TERRITÓRIO
OUTRA
VISÃO
DO TERRITÓRIO
FOCO NO
TERRITÓRIO
FOCO NO
PRODUTO
IDEIAS/CONCEITOS
DIVERGENTES
IDEIAS/CONCEITOS
CONVERGENTES PROCEDÊNCIA
TRABALHAR
TODOS
...
ZONA RURAL
PARA QUEM?
MARCELO BAUM OLIVEIRA
O magrão do Bom Fim
O Celo é o cara que é amigo de todo mundo! Ele tem 32 anos e cursa PP na UFRGS, ...
ANA CAROLINA GUERRA (Carol)
A guria comum do Menino Deus
A Carol mora com os pais e trabalha de recepcionista em um escrit...
MONIQUE BORTOLUCCI RANGEL
A patricinha de boas do Moinhos de Vento
A Nick é formada em Artes, pós graduada em Marketing de...
PEDRO HENRIQUE SOUZA VIANA
O moderninho de Instagram da Cidade Baixa
O PH tem 22 anos e faz Design na UFRGS, por isso reso...
DONA VERA
A produtora e moradora da Zona Rural
Dona Vera sempre se sentiu em casa estando perto da terra e dos animais. El...
QUAL O
DIFERENCIAL
DA ZONA RURAL DE
PORTO ALEGRE?
DIVERSIDADE
UMA
FEIRA URBANA
COM
PRODUTOS RURAIS
JEITINHO DE INTERIOR!
REFERÊNCIAS
GRÁFICAS
A FEIRINHA VAI GERAR
RECONHECIMENTO
DO PRODUTO LOCAL
O PRODUTOR RURAL
SE TORNA UM
INTERLOCUTOR
ENTRE OS DOIS MUNDOS
DUAS P...
CRONOGRAMA
Todo domingo em um local diferente da cidade
1º DOMINGO
BOM FIM
RUA BENTO
FIGUEIREDO
2º DOMINGO
MOINHOS
PÇ. DR....
CRONOGRAMA
Todo domingo em um local diferente da cidade
1º DOMINGO
BOM FIM
RUA BENTO
FIGUEIREDO
2º DOMINGO
MOINHOS
PÇ. DR....
Vendinhas com identificação do produtor rural.
Relação direta entre produtor e consumidor.
Ambiente lúdico que simula o im...
Vai ter um pequeno canteiro interativo onde as crianças e
adultos podem entrar em contato com a terra.
Parceiros locais en...
O Marcelo só vai comprar na feirinha por que é ali na Vasco, se for longe fica com preguiça,
“Bah, que mão! Vou ali no Zaf...
A Carol acha que produtos com uma origem não industrial são muito caros e difíceis de encontrar.
“Mas será que vale a pena...
O DIA EM QUE A
CAROL CONHECEU A
FEIRINHA DA ZR
Um dia a Carol estava andando ali pelo Menino Deus, ela ia no
super, e passou pela Igreja que fica perto da Av. Getúlio Va...
Seguiu o percurso e encontrou uma barraca toda
em madeira
“que fofo!”
e produtos que estariam no hortifrúti do
mercado, po...
Mais uma, duas, três, oito barracas.
“Posso provar?”
Era ótimo.
“Quanto custa?”
Era menos do que ela imaginava e cabia no
...
“Que ótimo! Vou levar então!”
A CAROL VIU QUE ERA PARA ELA.
A ZR É PARA
TODO MUNDO.
A ZR É TODO MUNDO.
LOGO SELO
PADRÃO AVENTAL
CARROÇA VENDINHA
IDENTIFICAÇÃO DO
PRODUTOR RURAL
COMUNICAÇÃO
COMUNICAÇÃO
OUTROS BAIRROS
COMUNICAÇÃO
REDES SOCIAIS
OBRIGADA!
DESIGN DE TERRITÓRIO || Zona Rural Porto Alegre
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

DESIGN DE TERRITÓRIO || Zona Rural Porto Alegre

75 visualizações

Publicada em

COMO REINVENTAR A ZONA RURAL DE PORTO ALEGRE FOMENTANDO O DESENVOLVIMENTOECONÔMICO, AMBIENTAL, SOCIAL E CULTURAL DA REGIÃO E DA CIDADE?


|| Trabalho realizado no Workshop 3 do curso de especialização em Design Estratégico e Design Gráfico da UNISINOS ||

Publicada em: Design
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
75
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DESIGN DE TERRITÓRIO || Zona Rural Porto Alegre

  1. 1. WORKSHOP III DESIGN DE TERRITÓRIO UNISINOS Maitê Rosa | Fernanda Fedrizzi| Liliane Vieceli| Mariane Formiga
  2. 2. COMO REINVENTAR A ZONA RURAL DE PORTO ALEGRE FOMENTANDO O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, AMBIENTAL, SOCIAL E CULTURAL DA REGIÃO E DA CIDADE?
  3. 3. A Zona Rural de Porto Alegre está presente na vida dos habitantes urbanos de um forma singela, tímida e passa quase que despercebida. Já vida no extremo sul não tem glamour, não é feita comodidades ou de coisas fáceis, é preciso trabalhar arduamente. Na Zona Urbana os eventos são passageiros. A vida acontece e ninguém vê. Produto orgânico? Gosto e consumo! De onde vem? Ah, daí eu não sei!
  4. 4. POR ONDE COMEÇAR?
  5. 5. FOCO NO TERRITÓRIO FOCO NO PRODUTO IDEIAS/CONCEITOS DIVERGENTES IDEIAS/CONCEITOS CONVERGENTES PROCEDÊNCIA
  6. 6. / CENÁRIOS URBANOS
  7. 7. BOM FIM MENINO DEUS MOINHOS DE VENTO CIDADE BAIXA
  8. 8. / CENÁRIOS RURAIS
  9. 9. IMAGEM COMUM DO TERRITÓRIO IMAGEM COMUM DOS PRODUTOS OUTRA VISÃO DO TERRITÓRIO OUTRA VISÃO DO TERRITÓRIO
  10. 10. FOCO NO TERRITÓRIO FOCO NO PRODUTO IDEIAS/CONCEITOS DIVERGENTES IDEIAS/CONCEITOS CONVERGENTES PROCEDÊNCIA TRABALHAR TODOS OS CENÁRIOS PARA TODAS AS PESSOAS
  11. 11. ZONA RURAL PARA QUEM?
  12. 12. MARCELO BAUM OLIVEIRA O magrão do Bom Fim O Celo é o cara que é amigo de todo mundo! Ele tem 32 anos e cursa PP na UFRGS, aliás, frequenta, pois a maior parte do tempo ele fica no DCE jogando conversa fora e tomando um mate. Mora com o cachorro, o Chorro, em um apartamento próprio onde ele aluga dois quartos para outros estudantes. Todo dia ele passa no Zaffari da Fernandes para comprar o que vai comer, nada de rancho no dia a dia. Só tem comida extra quando a Letícia, namorada dele a 7 anos, vai passar o final de semana vendo Netflix com ele. Marcelo era militante de esquerda e fã do Olivio, mas daí se decepcionou e agora não tá nem aí pra política. Ele só usa o /Samsung velho dele para encontrar os amigos, só liga, não tem mais nada nele. Ele tinha um blog, mas desistiu ainda em 2009. É Gremista e adora tomar uma cervejinha assistindo o Grenal depois de almoçar na Lancheria do Parque.
  13. 13. ANA CAROLINA GUERRA (Carol) A guria comum do Menino Deus A Carol mora com os pais e trabalha de recepcionista em um escritório médico quando não está nas suas aulas de Administração na PUCRS. Ela frequenta uma Smart Fit que fica próxima ao trabalho e adora passear no Iguatemi, comer um Temaki ou um salgadinho na Armelin. As vezes ela faz uns bicos para tirar um dinheirinho extra para comprar sapatos e pagar a progressiva, que sempre tem que estar em dia, além disso ela está guardando dinheiro para ir para a Austrália. Ela adora um reality show e é adapta de um visual simples. Usa óculos mas detesta e é simpática com todo mundo. Ela acha ridículo uma pessoa de 26 anos morar com os pais, mas não tem muita opção, então tudo bem, ela não quer sair de casa para passar trabalho. Nos finais de semana ela vai na Wood’s com as amigas de NH, e tira várias selfies com o seu Iphone 5C com plano Controle. A Carol tenta parecer mais adulta mas quando ela entra no seu quarto, que é o mesmo de quando ela era criança ela fica meio chateada.
  14. 14. MONIQUE BORTOLUCCI RANGEL A patricinha de boas do Moinhos de Vento A Nick é formada em Artes, pós graduada em Marketing de Moda e quer fazer mestrado em Londres. Aos 27 anos ela já tem um atelier na Padre Chagas que ganhou dos ais como presente de formatura, assim como o apartamento em que ela mora, na rua de trás da casa deles. Ela pratica hipismo e joga tênis desde pequena e vai sempre pra Praia do Rosa. Ela já foi várias vezes para, NYC pesquisar e tirar fotos de vitrine, também já fez intercâmbio na Austrália, onde fez uma tatuagem Maori no antebraço e uns quantos cursos na Perestroika. Uma vez uma amiga das Sociais chamou ela para ir para Cuba, mas ela não entendeu muito o que era tão legal lá. A Nick adora colaborar com iniciativas bacanas mas nunca se esforçou muito.
  15. 15. PEDRO HENRIQUE SOUZA VIANA O moderninho de Instagram da Cidade Baixa O PH tem 22 anos e faz Design na UFRGS, por isso resolveu pedir pros pais alugarem um apartamento grande pra ele ali na República. Ele tem carro mas prefere andar a pé ou de bicicleta, e é assim que ele normalmente vai ao estágio. Ele não é muito bom com relacionamentos e é apaixonado pela vizinha que é um pouco mais velha e toda tatuada. O PH tem um gato preto chamado Fumaça e os dois só consomem produtos locais, incluindo ração e cerveja. O chato é que ele muda totalmente o comportamento na frente dos pais. O PH tem um Iphone 6 com o qual tira foto de tudo e todos, depois coloca no Instagram, Twenty20 e até no Pinterest, e ele pegou essa mania quando estava fazendo intercâmbio nos EUA.
  16. 16. DONA VERA A produtora e moradora da Zona Rural Dona Vera sempre se sentiu em casa estando perto da terra e dos animais. Ela é de uma família que sempre viveu na Zona Rural de Porto Alegre adora a sua vida e trabalho. Ao longo dos seus 65 anos sua maior felicidade consistiu em alimentar sua família e amigos com produtos saudáveis e saborosos. Ela planta batatas, cebolas e cria galinhas. Dona Vera tem um cachorro, o Tóbi, e mora com o marido, Seu Tadeu, e o filho mais novo, o Ricardo, que agora estudo agronomia na UFRGS. Ela quer vender seus produtos em um local tranquilo, que não dê muito trabalho para ela, mas que não exija mil e uma coisas que vão tirar a essência do seu dia a dia tranquilo e simples.
  17. 17. QUAL O DIFERENCIAL DA ZONA RURAL DE PORTO ALEGRE?
  18. 18. DIVERSIDADE
  19. 19. UMA FEIRA URBANA COM PRODUTOS RURAIS JEITINHO DE INTERIOR!
  20. 20. REFERÊNCIAS GRÁFICAS
  21. 21. A FEIRINHA VAI GERAR RECONHECIMENTO DO PRODUTO LOCAL O PRODUTOR RURAL SE TORNA UM INTERLOCUTOR ENTRE OS DOIS MUNDOS DUAS PORTO ALEGRE SE TORNAM UMA!
  22. 22. CRONOGRAMA Todo domingo em um local diferente da cidade 1º DOMINGO BOM FIM RUA BENTO FIGUEIREDO 2º DOMINGO MOINHOS PÇ. DR. MAURICIO CARDOSO Nº53 3º DOMINGO C. BAIXA RUA SOFIA VELOSO, ESQ. REPÚBLICA 4º DOMINGO M. DEUS PRAÇA MENINO DEUS Nº18
  23. 23. CRONOGRAMA Todo domingo em um local diferente da cidade 1º DOMINGO BOM FIM RUA BENTO FIGUEIREDO 2º DOMINGO MOINHOS PÇ. DR. MAURICIO CARDOSO Nº53 3º DOMINGO C. BAIXA RUA SOFIA VELOSO, ESQ. REPÚBLICA 4º DOMINGO M. DEUS PRAÇA MENINO DEUS Nº18
  24. 24. Vendinhas com identificação do produtor rural. Relação direta entre produtor e consumidor. Ambiente lúdico que simula o imaginário da Zona Rural. No piso revestido com mapa que simula as localizações reais das propriedades rurais dentro da feira. O produtor precisa apenas levar seus itens e vestir o avental. COMO VAI SER?
  25. 25. Vai ter um pequeno canteiro interativo onde as crianças e adultos podem entrar em contato com a terra. Parceiros locais ensinando a cozinhar com produtos daqui. Parte do lucro da feira é destinada à manutenção e comunicação do projeto. A estrutura física, divulgação e demais itens não é de responsabilidade do produtor e sim de uma organização central da Zona Rural. COMO VAI SER?
  26. 26. O Marcelo só vai comprar na feirinha por que é ali na Vasco, se for longe fica com preguiça, “Bah, que mão! Vou ali no Zaffari da Fernandes.” A Monique adora um produto artesanal, sabe? Tem mais valor, mais sentimento. O esforço de ir atrás de uma comida mais natural ou um produto da zona rural é que desanima. “Por que eu vou até eles para comprar se o Brasco vende?”
  27. 27. A Carol acha que produtos com uma origem não industrial são muito caros e difíceis de encontrar. “Mas será que vale a pena? Não é igual ao que vende no super? Além disso eles não vão aceitar meu cartão alimentação na feira...” E olha que ela nem experimentou ou tentou encontrar algum. O Pedro Henrique adora ser o diferentão. Consome do lixo ao luxo e fotografa tudo. “Tu viu que vai ter uma feira com os produtos da zona rural de Porto?” e lá vai ele correr pra saber antes e contar pra todo mundo que é tri legal.
  28. 28. O DIA EM QUE A CAROL CONHECEU A FEIRINHA DA ZR
  29. 29. Um dia a Carol estava andando ali pelo Menino Deus, ela ia no super, e passou pela Igreja que fica perto da Av. Getúlio Vargas. Tinha uma carroça com flores, mel, verduras e queijos... Viu um início de mapa, um percurso, no piso. “Ué?” Resolveu adentrar. Ficou intrigada ao ver um pórtico com jeito de cidade do interior. Resolveu atravessar a rua e conferir.
  30. 30. Seguiu o percurso e encontrou uma barraca toda em madeira “que fofo!” e produtos que estariam no hortifrúti do mercado, porém com uma cor mais bonita e uma vendedora atenciosa vestindo um avental que dizia “ZR” “Não é pra mim” pensou e seguiu andando.
  31. 31. Mais uma, duas, três, oito barracas. “Posso provar?” Era ótimo. “Quanto custa?” Era menos do que ela imaginava e cabia no bolso. “Ah, legal, as eu tô sem dinheiro...” A vendedora e produtora rural disse que aceita cartão e vale.
  32. 32. “Que ótimo! Vou levar então!”
  33. 33. A CAROL VIU QUE ERA PARA ELA. A ZR É PARA TODO MUNDO. A ZR É TODO MUNDO.
  34. 34. LOGO SELO
  35. 35. PADRÃO AVENTAL
  36. 36. CARROÇA VENDINHA
  37. 37. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTOR RURAL
  38. 38. COMUNICAÇÃO
  39. 39. COMUNICAÇÃO OUTROS BAIRROS
  40. 40. COMUNICAÇÃO REDES SOCIAIS
  41. 41. OBRIGADA!

×