Aula 5

551 visualizações

Publicada em

aula - o Zodíaco e os Signos

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
551
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 5

  1. 1. Não se sabe exatamente quando e como os doze signo zodiacais foram escolhidos. A maior parte dos estudiosos acredita que o zodíaco seja uma invenção dos babilônicos, embora outros postulem uma influência egípcia ou mesmo grega. O nome é grego e significa "o círculo animal". A primeira sílaba, zo significa animal ou vida biológica, como em nossas palavras zôo e zoologia. E a identificação do zodíaco com um círculo animal é bastante óbvia, pois a maioria dos signos é simbolizada por animais. Alguns dos signos, porém, são humanos (Gêmeos, Virgem, Aquário e metade de Sagitário), de forma que talvez tenhamos de pensar no zodíaco em termos da referência mais ampla da palavra zo, ou seja, formas de vida biológicas em geral. Assim, o zodíaco torna-se o círculo da vida. A ORIGEM DO ZODÍACO
  2. 2. Embora cada signo tenha seu mito particular, o zodíaco como um todo constitui um grande protomito. A jornada do sol através do ano é um drama de nascimento (primavera), atividade (verão), morte (outono) e ressurreição (inverno). Portanto, o zodíaco significa todo o processo de desenvolvimento da consciência humana — o ciclo de morte e renascimento, que constitui a história ou mito essencial da alma humana. Essa viagem da consciência forma a base do mito do herói Em mitologia e no pensamento "primitivo", há sempre uma correspondência ou elemento de sincronicidade entre o que acontece no céu ou no mundo exterior e o que acontece dentro do coração da humanidade. Esse é um ponto muito importante — reside na estrutura da astrologia e é uma das razões por que ela existe e persiste por tantos milênios. O drama anual da morte e renascimento do sol reflete o mesmo processo ocorrido dentro do indivíduo. Muitos mitos parecem ligar a jornada do herói com a jornada zodiacal do sol de modo muito direto — o épico babilônico de Gilgamesh e os Doze Trabalhos de Hércules são ótimos exemplos. Em suma, sempre que o número 12 aparece — as doze tribos, os doze portões de Jerusalém, os doze meses do ano, doze horas do dia, doze apóstolos — estamos falando de nossa jornada por todas as partes para chegar ao todo.
  3. 3. OS SIGNOS E OS ARQUÉTIPOS Os signos equivalem aos arquétipos de que Jung fala, isto é, o comportamento das pessoas, as características herdadas: aquelas experiências e reações pelas quais todos passamos e que existem desde o início dos tempos, como amor, raiva , desejos, tristeza... Então, como arquétipos, os signos também existem em potencial isto é: a possibilidade de se manifestarem dentro das suas características. O arquétipo de mãe é uma potencialidade que toda menina tem; essa figura de mãe, entretanto, pode ser figurada como a igreja, a pátria, aquilo que nutre e protege, a segurança, a terra, etc. Esse arquétipo é representado por Câncer. As pessoas de Câncer podem expressar uma conduta maternal, mas isso não as obriga a serem assim. Um signo pode também exprimir o seu inverso, como a mãe que abandona seu filho. Os signos são sinais e para serem reconhecidos precisam ser representados símbolos. Um touro é um animal, mas também pode ser a força, teimosia, persistência, solidez. Os taurinos têm esse potencial.
  4. 4. Os signos são sinais e para serem imediatamente reconhecidos precisam ser representados graficamente com símbolos O zodíaco simboliza diversas atitudes e reações humanas, lembrando o ciclo das estações, que a cada ano se alternam, formando um novo ciclo de experiências humanas – isto é, o ano passa; o mundo se modifica, mas continua mundo; o homem se modifica durante o ano, mas permanece homem. Conclui-se que as mudanças internas e biológicas do homem, equivalem às mudanças de vegetação. Portanto tudo está presente, embora atue de forma diferente. Um homem sozinho numa ilha deserta é apenas um organismo; o homem na sociedade passa a ser um indivíduo; é gente, tem posição. Um signo só é alguma coisa quando olhado em relação aos outros signos, a começar daquele que lhe é oposto: são de mesma polaridade em situações inversas. Áries está sozinho, Libra precisa de companhia. Sinais no Céu
  5. 5. ÁRIES Astronomia: A olho nu, a constelação de Áries é pouco mais que suas 3 estrelas mais brilhantes, sendo a maior delas Hamal. Encontra-se no céu outonal, a oriente do grande quadrado de Pégaso, o cavalo alado. O triângulo de estrelas que compõe seus chifres e nariz situa-se a ocidente das Plêiades das Sete Irmãs. A garupa do carneiro funde-se com a porção traseira do Touro. Símbolo Os chifres do carneiro, água jorrando de uma fonte, nariz e sobrancelhas do carneiro. Fisiologia a cabeça (com exceção do nariz), couro cabeludo, lábio superior, maxilar superior, encéfalo e hemisférios cerebrais, os centros motores cerebrais, e vasos sangüíneos intracranianos, cerebelo, ossos do crânio e da face. Funções secundárias adrenalina, noradrenalina, sistema nervoso simpático. Patologias cefaléias, nevralgia do trigêmeo, congestão ou AVC, epilepsia, insolação ou entermação, insônia, doenças infecciosas febris e infecções respiratórias agudas, encefalite, delírio febril, operações cirúrgicas, vertigens, traumas, otite, traumatismo craniano, hipertensão, conjuntivites, cicatrizes na cabeça...
  6. 6. Características: Áries simboliza a primavera, quando folhas e árvores vicejam. É o sexo masculino. É iniciador dos processos na Terra, todos os novos começos e tudo o que deflagra um processo é regido por Áries. Áries simboliza o nascimento, o início, o despertar, o primeiro passo, a semente abrindo o seu caminho para conseguir seu lugar ao sol. O impulso direto e o combate, a audácia o entusiasmo para ir em frente. A iniciativa, a compulsão para agir. O ariano é imediatista , interessado no presente, sua ação é rápida, a impulsividade e a coragem chegam à temeridade. Possui gosto pela mudança e pela novidade. O desafio é muito importante para ele, que logo se desinteressa pelas coisas, para ele é desgastante manter essa efervescência sempre. Há uma tensão inicial seguida de relaxamento. Logo criará outros interesses. Não é de pensar antes de agir e nem de ouvir conselhos. É honesto, fala com uma franqueza quase infantil, mas, como está interessado em si mesmo, não é de falar tanto com os outros. Muito competitivo procura ser sempre o primeiro e o melhor. Por isso se torna muitas vezes autoritário e agressivo, usando mais a força que a diplomacia. Não admite derrotas, sabe recomeçar do zero. Áries é a Chama da Vida, sua energia é clara, consciente, assertiva, espontânea e autodeterminada. Sente orgulho de si, de sua capacidade criativa. Tem um forte senso de descoberta e impaciência para experimentar o mundo ao redor. Sua energia se realiza em nós à medida que nos tornamos confiantes para dar início a qualquer movimento, a expressar a vontade de fazer e a vontade de Ser. Áries nos diz que é preciso buscar nossa forma própria, nosso jeito único de Ser . Eu Busco a Mim Mesmo
  7. 7. Não é de espantar que Áries seja o arquétipo do pioneiro, o explorador das novas terras. Em nenhum lugar esse aspecto pioneiroou aventureiro de Áries é melhor expresso do que no mito do Velo de Ouro, o conto que os gregos associavam, acima de todos os outros, ao signo de Áries. A história começa com Frixo e Hele, filhos do rei Átamas. Frixo e Hele estavam prestes a ser sacrificados no cume de uma montanha por seu pai para aplacar os deuses. Porém, não haviam sido os deuses a exigir o sacrifício daqueles jovens, mas sua madrasta, para que seus próprios filhos pudessem herdar o trono. No momento em que seriam mortos, um carneiro alado com um velo de ouro (um dos totens de Zeus) apareceu magicamente, disse-lhes que pulassem rapidamente em suas costas e voou para uma terra distante chamada Cólquida, a salvo da ira de seus pais. Hele, a menina, perdeu o apoio e caiu no mar, mas Frixo chegou em segurança à Cólquida e sacrificou o carneiro a Zeus. O velo de ouro mágico do carneiro foi entregue à guarda do rei da Cólquida. Essa parte da história deve ter se originado no costume do sacrifício anual do rei ou do filho do rei, no equinócio de primavera; eles vestiam uma pele de carneiro. A celebração ocorria em abril, quando Áries estava em conjunção com o ponto vernal. Mais tarde, substituiu-se o homem por um carneiro. MITOLOGIA
  8. 8. MITO Coube a Jasão a tarefa de recuperar aquele velo e trazê-lo da Cólquida, que ficava no extremo do Mar Negro, nas montanhas do Cáucaso. Filho de um rei cujo trono havia sido usurpado, Jasão fora criado escondido no deserto, educado pelo sábio centauro Quíron. Quando Jasão saiu das montanhas para o mundo, o usurpador, Pélias, sentiu-se ameaçado por sua existência e mandou Jasão em uma demanda aparentemente impossível. Jasão, que possuía o verdadeiro dom ariano da liderança, conseguiu reunir todos os heróis da antiga Grécia e com sua ajuda construir um navio chamado Argo. Na liderança dessa tripulação poderosa, Jasão zarpou para a Cólquida. Após passar por muitas aventuras perigosas pelo caminho, ele e seus companheiros acabaram por chegar a seu destino. Porém, apenas com a ajuda de Medéia, filha do rei da Cólquida, finalmente conseguiram se apossar do velo. Assim, Jasão navegou para casa em triunfo, tendo se tornado o herói — um papel que todos os arianos se esforçam para representar. Uma vez em casa, porém, abandonou sua esposa Medéia e, cansado do antigo, bem à maneira de Áries, começou a procurar novas aventuras,incluindo uma nova mulher. Medéia, talvez um arquétipo de Escorpião,era uma poderosa feiticeira e não gostou nem um pouco do rumo que os acontecimentos estavam tomando. Num ímpeto de raiva, matou a nova noiva de Jasão e seus próprios filhos, que tivera com ele.
  9. 9. TOURO Astronomia: Touro tem apenas meio corpo, sua garupa desaparece nas profundezas do espaço. Apesar de Touro só Ter seus segmentos frontais, a constelação é muito rica quanto a seus componentes estelares. Manillus chama Touro de Dives Puellis, isto é, rico em pureza, pois contém em seu meio corpo as Plêiades, ou 7 estrelas, e as Híades, ou 7 filhas de Atlas e Aetra e meias irmãs das Plêiades. As Híades formam o grande V do rosto de Touro, sendo a mais notável do V, Aldebarã, a grande estrela avermelhada. Perfeitamente visível a olho nu, é chamada de “o olho do Touro”. Símbolo: Face e chifres do Touro, fecundidade da Lua (que se exalta em Touro) cheia e da crescente em receptividade, à espera de abundância, cálice do Santo Graal, roda e curso d´ água, serpente enrolada. O pescoço, a garganta e os ombros, partes regidas pelo signo. Fisiologia: Garganta, pescoço, orelhas, ouvido externo e médio, esôfago, tireóide, faringe, cordas vocais, paladar, cervical, boca, amígdala, adenóide, língua, maxilar e lábios inferiores, nuca, bulbo, vasos e gânglios linfáticos. Patologias: Faringite crônica, rinossinusite, difteria, torcicolo, artrose cervical, bócio com hiper ou hipotireoidismo, otite externa e média, digestão lenta, obesidade, mononucleose, sufocação, abcessos, apoplexia, problemas de voz, boca, garganta e pescoço.
  10. 10. Características: Em Touro, a semente nascida em Áries já despontou e só precisa ficar firme no solo para crescer e dar frutos um dia. Daí a necessidade de ter uma base segura, possuir, reter e conservar para acumular mais força. É o mais terra dos signos. É um símbolo da matéria, conhece as limitações, o valor das coisas, percebe a forma e a estrutura externa, tudo aquilo que é tangível. Portanto o tato e também a sua ligação com a alimentação, pois é comendo que se cresce e que se fortalece. É o receptáculo e a retenção. Tendo um movimento devagar, Touro é um signo tradicional e amante da natureza que lhe traz fertilidade e energia. A força taurina é produzir, é o esforço concentrado e insistente. Seu defeito é o hábito e a inércia, que só o faz mexer-se quando vê alguma utilidade. A energia taurina surge da necessidade que temos de preservar o que possuímos. Aí surge o conflito: o que se tem e o risco de perdê-lo. Quanto mais se apega ao que possui, mais se acomoda, mais resiste às mudanças para não se arriscar a perder. Manter torna-se equivalente a medo de perder e a pessoa deixa de viver o presente na expectativa de um futuro recompensador. Também o homem torna-se coisificado e alienado porque se interessa em continuar adquirindo. Seu objetivo é ter e manter, aí surge o oportunismo, a gula e a onipotência. Esta pode ser uma causa de loucura e de neuroses. EU BUSCO A MIM MESMO ATRAVÉS DO QUE POSSUO
  11. 11. Em todas as histórias, o touro está ligado a uma figura feminina e podemos suspeitar que em todos os casos essa figura era a Grande Deusa. Ishtar, senhora do touro que enfrentou Gilgamesh, era o equivalente babilônico de Vênus, regente de Touro. Europa foi a mãe epônima de seu povo. A Deusa tem muitos aspectos: é mãe, esposa, amante, bruxa, sábia anciã e médium. Mas, no caso de Touro, é principalmente a deusa do crescimento, da fertilidade e do sexo, o que é adequado para um signo que ocorre durante a primavera, quando todas as coisas estão no mais abundante estado de crescimento. MITolOgia Um dos mais famosos casos amorosos de Zeus foi o rapto da donzela Europa, filha do rei da Fenícia. Na forma de um touro, Zeus carregou Europa através do Mediterrâneo para a ilha de Creta, onde se uniu com ela e deu origem à casa real cretense. Já que a palavra Europa vem daí, fica claro que Europa é a deusa-mãe dos povos da Europa, trazidos da Ásia nas costas de seu animal sagrado, o grande touro. Também é significativo que Zeus e Europa tenham atracado em Creta, pois Creta era uma sociedade matriarcal onde a Grande Deusa era cultuada como suprema divindade.
  12. 12. MITO O touro que levou Europa a Creta não foi o único touro a aparecer na mitologia dessa misteriosa e importante ilha. Ainda mais famoso é o Minotauro, o homem com cabeça de touro. De acordo com o mito, o deus Posídon (Netuno) trouxe um touro do mar e o deu ao rei Minos de Creta, com ordens de sacrificá-lo. Mas, Minos recusou-se a obedecer a ordem divina; guardou o animal mágico. Isso enraiveceu os deuses, que fizeram com que a esposa de Minos, a rainha Pasífae, enlouquecesse de luxúria. Ela acasalou com o touro de Posídon e deu à luz um monstro, meio homem, meio touro, o Minotauro. Escondido em um labirinto sob o palácio, o Minotauro era uma fera terrível que exigia sacrifício humano. Traziam-se cativos da Grécia para oferecê-los ao Minotauro. Um desses cativos, Teseu, ganhou a confiança da filha de Minos, Ariadne, e com a ajuda dela matou o Minotauro. Ela lhe deu um fio mágico para não perder o caminho no labirinto. Teseu mergulhou na escuridão, encontrou o Minotauro e o matou.
  13. 13. GÊMEOS Astronomia – Os asterismos mais notáveis na constelação de Gêmeos são duas estrelas que tem os nomes dos gêmeos,Castor e Pólux. De acordo com a natureza geminiana, Castor são duas estrelas brancas bem próximas, girando uma em torno da outra. É segundo astrônomos, um sistema binário. A eclíptica divide os gêmeos ao meio, suas cabeças (Castor e Pólux) estão acima, entre a pata esquerda de Câncer e o chicote de Auriga, o Cocheiro. Seus pés tocam a Via Láctea. Símbolo espartano para invocar os deuses guerreiros. É o número dois, que define exatamente a natureza dual deste signo. Indica o princípio do encontro entre duas almas gêmeas. É também a força da mente unida ao espírito e levada a manifestação através do uso das mãos e da utili - zação sábia das palavras. Os 2 macacos um falador e imitador e o outro super humano atingiu o sublime. Fisiologia – pulmões, cintura escapular, sistema nervoso central, os hemisférios cerebrais, os tubos do corpo (traquéia, brônquios, trompa de falópio, vasos capilares, uretra), seios, região peitoral. Patologias – pleurite, insuficiência respiratória, gripes e resfriados, pneumonia, bronquite, astenia, afonia, estafa mental, neurose ansiosa, LER, microtraumatismo nas mãos e braços.
  14. 14. EU BUSCO A MIM MESMO ATRAVÉS DO QUE PENSO Características – É a planta começando a se relacionar com o ambiente em volta. É a semente que desponta e está curiosa para saber o que está acontecendo lá fora. É a transição entre a primavera e o verão. Gêmeos é a linguagem, a necessidade de conectar pessoas, idéias, coisas, fatos. As coisas precisam ser colocadas numa certa ordem e lógica. Para isso, vai usar sua habilidade para dissecar, pensar, analisar e arranjar as coisas, sejam de plano concreto ou abstrato. Também é o movimento, a vivacidade, a versatilidade, a rapidez, a mutabilidade, vê todas as coisas ao mesmo tempo porque não pode perder nada, mas nem sempre se aprofunda. Como o ar, ele tem que ser livre, ter portas abertas atrás de si para conhecer outras aventuras se quiser. Corre o risco, então, de cortar laços à procura de uma liberdade ilusória. A palavra é importante, pois ela é que nos faz conhecer o desconhecido, que faz a memória de uma experiência e particulariza as coisas. O mundo está cheio de novidades que precisam ser classificadas e comparadas, que precisam ter uma linha de referência. Gêmeos é técnica, os sistemas, a ciência, a lógica: tudo que precisa ser relacionado a fim de que nada se perca. Para ser feliz, Gêmeos não deve ficar confuso com a imagem que está usando, basta apenas saber se naquele momento está sendo Castor ou Pólux. Algumas vezes, a coerência é ser incoerente. É o cientista ou o poeta.
  15. 15. MITOlogia Zeus veio a Leda, esposa do rei Tindareu de Esparta, disfarçado de cisne. Como ela era a mais bela das mulheres, ele a seduziu às margens de um rio. Leda deu à luz dois pares de gêmeos, um masculino e outro feminino. Castor e Pólux eram os meninos, Helena e Clitemnestra eram as meninas. Castor e Clitemnestra eram filhos do rei Tindareu, enquanto Pólux e Helena eram semideuses, filhos de Zeus. Castor e Pólux eram inseparáveis e, realmente, sempre são vistos juntos nos mitos; há pouca diferenciação entre eles. Castor era renomado por suas proezas de cavalaria e condução de carros; Pólux era o mais famoso dos lutadores. Os jogos espartanos foram instituídos em sua honra. Castor e Pólux tomaram parte de muitas aventuras heróicas na mitologia grega, notadamente a viagem de Jasão e dos Argonautas . Os Gêmeos eram as divindades padroeiras dos marinheiros. Castor, o irmão mortal, foi morto durante uma guerra com outros gêmeos semidivinos, Idas e Linceu. Pólux, lamentoso, rogou a Zeus que não o deixasse sobreviver a seu irmão. Como filho de Zeus, porém, Pólux era imortal. Por isso subiu aos céus, onde foi posto entre as constelações com seu irmão Castor (Pólux, o gêmeo imortal, é a estrela mais brilhante). Por causa da mortalidade de Castor, ordenou-se que os Gêmeos passariam metade do tempo no mundo subterrâneo e a outra metade no céu; isso corresponde, é claro, aos períodos em que a constelação de Gêmeos era visível (céu) e oculta (mundo subterrâneo).
  16. 16. MITOlogia Os Gêmeos de hoje em dia não mantêm associações fortes com a cura, que era importante no mito hindu dos Gêmeos Divinos, mas a associação ainda estava presente na Grécia. Apolo (o Sol) e Hermes (Mercúrio, o regente de Gêmeos) eram dois conhecidos deuses gregos. Nas regências olímpicas, Gêmeos estava ligado a Apolo, que era o deus da cura. Ainda mais importante é o fato de que Apolo é o irmão de Hermes, e Hermes carrega o caduceu, um bastão com duas serpentes entrelaçadas, símbolo moderno da cura. Apolo também possuía muitas habilidades "científicas", coisa que ainda encontramos atualmente no signo de Gêmeos. Mais que isso, Apolo era um deus do Sol e, na Índia védica, os Gêmeos Divinos eram filhos do Sol. Por vezes, o processo de Gêmeos envolve o desafio de ter uma alma gêmea em outro plano, como Castor e Pólux, já que o que era mortal morreu. Em outros momentos, envolve a dualidade sombra/luz "Que a mão esquerda não saiba o que faz a mão direita“ Um outro aspecto da dualidade geminiana é a separação entre o mundo físico e o mundo mental. As atividades externas são realizadas de forma automática, enquanto a mente continua sua palavração interior, inteiramente afastada do que está realmente acontecendo do lado de fora. Obviamente, essas são todas manifestações de um arquétipo de Gêmeos disfuncional ou aflito. Geminianos mais evoluídos conseguem integrar sua dualidade de tal forma que são concentrados e voltados para uma direção em particular. Dessa forma, desafiam a si mesmos a explorar áreas novas e desconhecidas da mente humana.
  17. 17. CÂNCER Câncer no Céu: A constelação do Caranguejo é a menos perceptível no céu. É apenas um fraco sistema binário de 4a magnitude. Ela contém o grupo de estrelas conhecidas como o “ Presépio”. Antes da invenção do telescópio, o Presépio era a única nebulosa conhecida universalmente. Simbolismo: Os seios. Um caranguejo com a carapaça dura por fora protegendo a fragilidade interior. Ou as garras do caranguejo são 2 espirais que se movem em direções opostas, símbolo do movimento ascendente e descendente do Sol, no solstício de verão (HN). O encontro do espermatozóide com o óvulo. Câncer é o signo da Mãe Terra que dá forma à semente plantada em seu interior pelo Pai. Representa o processo de elevação da alma através dos esforços de sustentação das formas de vida Fisiologia: seios, estômago, pâncreas, o tórax, baço, membranas, pleura, medula óssea, cárdia, axilas, útero, duodeno, pericárdio, esterno. Funções: digestão, sucos digestivos; Patologias: anemia, diabetes insipidus, desregulamento hormonal, depressão, partos prematuros, esofagite, meteorismo, alucinações, gastrite, úlcera, mioma uterino, desnutrição infantil, histeria, sinusite, alcoolismo, epilepsia, disritmia, retenção de líquidos.
  18. 18. EU BUSCO A MIM MESMO ATRAVÉS DO QUE SINTO Características: Câncer é um signo muito sensível e seu nativo é ligado à infância e à família com tendência a viver no passado e preso dentro de sua própria casa. É terno, infantil, melindroso, vulnerável e caprichoso como a Lua, cujas fases influem em seu comportamento. É sonhador, impressionável, suscetível e impaciente. Suas decisões são ligadas ao subjetivo e ao emocional. É romântica, possui inspiração artística, instinto maternal, gosta de cozinhar, de nutrir e de cuidar dos outros. Fere-se com facilidade. Pode ficar doente para fugir da realidade. Ele também tenta se proteger buscando segurança material para compensar sua insegurança emocional, por isso é econômico. Coleciona coisas do seu passado, adora história ou biografias, tem muita imaginação e uma sensibilidade ligada à música e à poesia. O canceriano tem dificuldade em externar suas emoções, precisa de muita intimidade e de se sentir seguro para se externar. Respeita a intimidade do outro e não gosta que lhe tirem a sua. Coloca barreiras entre si e as pessoas, quando agredido fica fechado e pensando/remoendo pois é preso às emoções embora seja capaz de perdoar. Profissões: Todas as profissões de ajuda, assistência e cuidado social; em particular as do médico, enfermeira hospitalar e geriátrica, psicólogo, professor de jardim de infância; profissões artísticas, como as de ator, poeta, músico, escritor, literato e historiador da arte; gastronomia, nutrição, política local, posições ligadas à família, à pátria, tradições locais, trabalhos num clube.
  19. 19. Dos doze discípulos de Cristo, André é o que encarna as vibrações do Caranguejo. Ele era conhecido como uma pessoa caseira e simpática, e o amor pelo lar é a característica principal deste signo. Os hebreus identificavam a tribo de Zebedeu com Câncer, sobre quem Jacó declarou: “Zebedeu deve morar na enseada do mar e ser um porto para as embarcações”. Na Mitologia greco-romana, o Caranguejo ganhava seu lugar no céu de sua divindade materna Hera (Juno). No segundo dos doze trabalhos de Hércules ele tinha que assassinar o monstro Hidra no pântano de Lerna . Enquanto acontecia a batalha o Caranguejo mordeu Hércules no pé, e então foi morto pelo gigante. Hera, que era contrária às aventuras de Hércules, gostou tanto do feito, que colocou o Caranguejo no Zodíaco. A grande Mãe Terra, de onde os homens tiravam sua alimentação e adoravam-lhe para terem uma boa colheita, através de ritos e sacrifícios. A Deusa-mãe tinha um consorte que era seu filho, significando que ela e seu amante tinham a mesma origem - o mar, esse ovo cósmico. O filho-amante representa a criatividade da natureza, que faz as plantas crescerem, o deus-sol que traz luz ao mundo, o verão. Daí se origina a festa da páscoa, quando se celebra a ressurreição da jovem deusa após o inverno. O deus morre no outono, no inverno a terra torna-se estéril e fria porque o deus não brilha mais. Mito
  20. 20. Ninguém tem certeza absoluta do que esse signo significava para os babilônicos, ou mesmo qual era seu animal simbólico, mas para os egípcios Câncer era o escaravelho, um totem sagrado relacionado à alma. Os egípcios iniciavam seu ano durante aquele que atualmente é o mês de Câncer (julho), e este simbolizava o ponto de entrada da alma no corpo. Em astrologia esotérica, Câncer é também visto como a porta da alma para a encarnação. O escaravelho empurra sua bola de esterco pelas dunas e a deixa rolar de volta para baixo. Da mesma maneira, o sol atinge o ápice de seu movimento meridional no solstício de inverno e começa a "rolar" de volta em direção ao verão — em direção ao calor e à produtividade vivificantes. Para os gregos, Câncer era inicialmente representado por uma tartaruga ou um jabuti. Na verdade, há muitas similaridades entre o jabuti e o caranguejo, o atual símbolo de Câncer. Jabutis, como caranguejos, têm cascas duras e interiores muito macios. Jabutis, como caranguejos, escondem-se em suas cascas quando assustados e se movem com um passo vagaroso, porém constante. Para os gregos, o símbolo do jabuti para o signo de Câncer estava ligado ao fato de que Mercúrio regia Câncer em seu esquema dos doze olímpicos. Pouco após seu nascimento, a criança precoce Hermes (Mercúrio) saiu de uma caverna e viu um jabuti. Como era uma criança extremamente esperta, usou a casca da tartaruga e algumas tripas de vaca para construir a primeira lira, um instrumento de cordas que mais tarde foi associado a Apolo’. Mitologia
  21. 21. LEÃO Leão no Céu: é um constelação muito luminosa, como o brilho inerente à natureza dos leoninos. Os nomes atribuídos a essas constelações estavam associados ao tempo das chuvas, ao plantio ou às colheitas. A constelação do Leão estava associada ao Sol e ao seu forte calor, no Verão. As estrelas mais brilhantes são Régulus, uma gigante vermelha bem visível, conhecida por conhecida por "coração do leão", a cauda do leão, a juba do leão, e assim por diante, referindo as partes do corpo do animal. Símbolo: a serpente, um antigo símbolo do Sol, a cauda do Leão, o coração. Fisiologia: Coração, olhos, coluna, costa, aorta, coronárias. Funções: Energia, vitalidade. Patologias: Doenças infecciosas graves, infarto do miocárdio, angina, cardiomegalia, miocardite, hipertensão, vasculites, febre vespertina, sudorese noturna, palpitações, síncope, aneurismas, paranóia, megalomania, desidratação.
  22. 22. ABUSCADOSEREDATOTALIDADE Em Leão o fruto está maduro, é verão e a luz do Sol estando mais forte, amadurece o fruto. Leão tem consciência de si, é certo de sua personalidade, se apresenta de forma dramática, firme ou arrogante para ser reconhecido. Sente-se como líder ou autoridade, afinal é um rei, tem a sua dignidade e orgulho, está aí para ser admirado e aplaudido. A vontade do Leão está centrada no seu coração. Extrovertido, alegre e radiante é capaz de injetar vida onde toca. Leão é a necessidade que todos temos de ser nós. É a extroversão, a exibição, o palco, a ação e a espontaneidade. Precisa de platéias, está relacionado com o teatro. Leão é o signo cujo símbolo é a luz da grande estrela central, o coração ativo do universo. Leão é a energia da criatividade, da centralização. É o símbolo do sol, centro do sistema solar. É o símbolo do coração, centro do homem, fonte de energia espiritual , afetiva, emotiva e física. É o coração que exprime a alegria de viver, a ambição, o orgulho e a elevação. O leão, o rei dos animais. é uma figura exuberante e majestosa Sua imagem de poder e força está ligada à do sol e ambos simbolizam a vida sob o aspecto do brilho, da grandeza e da soberania. Leão é a compreensão da busca o valor central da vida, é a busca da inspiração.
  23. 23. Mito ´ Signo de fogo, Leão representa o auge do dia, da luz, do brilho, da consciência que atua como força da vontade e do domínio. É a manifestação extrovertida e exibicionista do vigor da vida. Seu símbolo, o leão, é uma figura exuberante e majestosa, o rei dos animais. Sua imagem de poder e força está ligada à do sol e ambos simbolizam a vida sob o aspecto do brilho, da grandeza e da soberania. O leão é o símbolo da força, do poder operativo e de comando. É também o símbolo das paixões do coração que por elas nos deixamos estrangular. É a compreensão do nosso poder de afirmação, de nossa atividade, de nosso dinamismo soberano, conquistador. É o poder da auto expressão criativa. Este é o signo cujo símbolo é a luz da grande central das energias primordiais, o coração ativo do universo. Símbolo do centro, do lugar de maior concentração de energia, de onde parte o movimento interior em direção ao exterior, da unidade para a multiplicidade, do eterno para o temporal. É o símbolo do sol, centro do sistema solar. É o símbolo do coração, centro do homem, fonte de energia espiritual , afetiva, emotiva e física. É o coração que exprime a alegria de viver, a ambição, o orgulho e a elevação. O coração onde brilha a Luz do espírito.
  24. 24. Leão é representado pelo Mito do Leão das florestas de Neméia, que aparece nos trabalhos de Hércules. O leão, monstro invulnerável, que devorava e destruía a região onde habitava. Hércules, ao lutar corpo a corpo e dominar a fera, estrangula-a apertando seu pescoço com ambas as mãos - símbolo da força, da bravura que domina a adversidade, a valorização da ação e a confiança em si mesmo. Nessa história, Hércules representa a vontade consciente adquirindo controle sobre as paixões vitais Da mesma maneira, o herói babilônico Gilgamesh encontra um bando de leões brincando à luz da lua e os mata. A carta do Tarô "A Força", associada a Leão, traz uma figura angelical, uma mulher, fechando a boca de um leão. O significado atribuído a essa carta é exatamente o mesmo: domar a força vital ou natureza animal por meio da vontade dirigida. Esse símbolo deve derivar do ritual egípcio de doma de leões, um rito de passagem que os iniciados tinham de enfrentar A sabedoria em Leão está ligada à capacidade da pessoa de levar a melhor sobre a fera e de proteger sua cria ou reino desses inimigos. Nos tempos antigos, os reis e líderes tribais tipicamente atingiam a posição de governantes porque demonstravam uma força tão poderosa e tanto domínio sobre os que os desafiavam que seus súditos ficavam admirados com suas habilidades (como no caso de Napoleão, um leonino). Mitologia
  25. 25. Astronomia: A constelação tem 46 graus de extensão, um dos asterismos zodiacais mais compridos, e uma aparência delicada e graciosa. Virgem, é representada por uma forma angelical, Em sua mão segura um ramo de trigo (que é representado por 1 das estrelas mais brilhantes, Espiga), simbolizando a fertilidade da mulher. Esta senhora situada bem no alto tem até suas pedras preciosas. É uma constelação de 4 estrelas que consiste de Denébola (a cauda de Leão), Espiga (chamada a Pérola pelos hindus), Arcturo (uma estrela amarelo-ouro super brilhante) e Cor Caroli (lilás e branca) uma jóia que combina com a donzela celestial. VIRGEM Simbologia: O glifo é o símbolo das espirais de energia latente na essência de Virgem. Evita- se que elas sejam soltas pelo círculo fechado, também representa a vagina intocada é o hímen intacto. Virgem rege os intestinos; é aqui que o organismo recebe muito do alimento necessário ao organismo. Fisiologia: Intestino, umbigo, plexo solar, duodeno, baço, pâncreas, abdômen, sistema nervoso, aparelho digestivo, mãos. Funções: hormônios insulina e glicogênio, metabolismo de carboidratos, movimento peristáltico, liberação dos sucos da digestão, assimilação de alimentos. Patologias: Diabetes melito, hipoglicemia, vermes, dispepsias, diarréia, apendicite, tifo, hipocondria, mania de remédios, cólicas intestinais, ansiedade, neurose obsessiva, leucorréia.
  26. 26. A BUSCA DA PERFEIÇÃO Em Leão criamos, manifestamos o potencial, afirmando nossa identidade como Ser. O que foi criado precisa ser aprimorado, aperfeiçoado e purificado, através de ensaio e erro, treinamento e repetição. Cabe a virgem que vislumbra o Plano Divino para a humanidade, essa tarefa. Sua grande tarefa é a reimplantação da ordem, aperfeiçoando a si própria e ao mundo que a rodeia. É capaz de ser pura e de purificar tudo o que toca. Virgem tem medo de perder o controle, as rédeas de sua vida. Em função disso, não aceita o fluxo natural da vida, criticando, analisando e avaliando tudo e a si mesmo. Controla as emoções, os instintos básicos. Sua mania de arrumação e de controlar o meio ambiente, reflete a necessidade de organizar internamente as emoções. Prefere ficar só a ter de conviver com pessoas que não são de seu agrado. É seletivo e gosta de ser tratado de maneira especial. Virgem é o signo do bom senso, da praticidade, da lógica, da precisão, do método e da organização. Representa a eficiência, a modéstia e a humildade. O virginiano pode ter tendência a reter ou a soltar, à prisão de ventre ou ao desarranjo. Ou é ávaro e econômico ou gasta demais. Ou seja, tem todos os problemas da fase anal mal elaborada, chegando a ser obsessivo-compulsivo. O signo está ligado à saúde, ao cuidado com a limpeza pode levar à hipocondria. O intestino pode revelar o nível interno psíquico do virginiano.
  27. 27. Virgem é a colheita plenamente amadurecida, ainda não tocada pelas mãos do fazendeiro. É a donzela que, em seu estado casto, é potencialmente dotada dos frutos da feminilidade. Ela espera pelo momento exato, quando poderá dar de sua essência. Sua força está no poder contido na energia represada do seu ser. O virginiano prefere esperar pelo momento exato de seu ser, de modo que seu fruto seja colhido sob as melhores condições possíveis. A mulher, principalmente a virgem, tem sido sempre vista como fonte de fecundidade. Geralmente era a formas femininas de divindade que o homem dirigia suas preces para a fertilidade humana e da agricultura. A história mais conhecida sobre o culto universal que cerca Virgem é a de Maria mãe de Jesus. Em sânscrito Maria quer dizer maya, ou oceano; Jesus é a palavra grega ichthys, isto é, Peixes, como sabemos Peixes é o oposto de Virgem, por isto vemos o nascimento de Jesus de Maria como o peixe saindo do mar. Virgem trata da transformação da personalidade de um estado infantil ou virginal para uma individualidade mais sábia e madura, representada pela fruição da colheita. Os cristãos medievais viam essa mesma constelação como a Virgem Maria carregando o menino Jesus; e isso está correto, pois a história cristã é simplesmente a versão mais recente do mito da Grande Deusa e seu filho moribundo. Vivemos numa era astrológica permeada desse mito, pois Peixes sob muitos aspectos, é o deus moribundo, enquanto seu signo oposto, Virgem, é a mãe. Quando Michelangelo esculpiu a Pietá, criou a imagem mítica para todo um ciclo da história. Mito
  28. 28. Hipólita é a rainha das Amazonas, mulheres que vivem numa região litorânea, onde não há homens. São conhecidas como assassinas de homens, que desejam substituí- los e combatê-los, ao invés de completá-los. Simbolicamente demonstram a desconexão da virtude masculina com a virtude feminina. A tarefa de Hércules é pegar o cinturão de Hipólita e entregá-lo a Admeta, sacerdotisa de Hera. Vai ao encontro das Amazonas armado e predisposto para a luta, não percebendo a forma carinhosa como foi recebido por elas. sem ouvir suas palavras sensatas, tomando bruscamente o cinturão e matando Hipólita. Depois quando percebe o que fez se entristece. Depois entrega o cinturão a Admeta. A pureza em Virgem só pode ser alcançada através de transformações de atitudes e de comportamento, através da Cura da ferida entre o masculino e o feminino, o material e o espiritual. Cura que Hércules realizou quando se apropriou do cinturão, símbolo do ligar e do religar, da unidade e do amor, do sacrifício e da fé, religa o Um ao todo. Mitologia

×