Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres i-ii-iii

1.436 visualizações

Publicada em

S

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.436
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres i-ii-iii

  1. 1. REGRAS PARA A EDUCACÁO, CONDUTA E APERFEIQOAMENTO DOS SERES [I) 82,1. Introducao Ao ser iniciado o terceiro ano cia Escola de Aprendizes do Evange- Iho, já atingido o gran de servidor, o aluno é finalmente preparado para o terceiro e último estágio dessa Escola, alcanzando o grau de discípulo, quando, entiio, ingressa-rá na Fraternidade dos Discípulo!; de Jesús. Ñas aulas seguintes, dentro do Programa Oficial apresentado pela Alianga Espirita Evangélica, na cir cular n.° 11/74. depois do ampio conheci mentó já adquirido ñas aulas anteriores e das experiencias. vividas no trabalho de reforma inti ma, procurase agora dar ao aluno itm conjunto de retjras que venham mais objetivamente auxiliá-ío na caminhada ascendente que já ini-ciou no momento em que inscre-veu- se nessa Escola, até o estágio presente. Essas regras constituem um re positorio obtido de experiencias realizadas, com resultados positi vos, que sao colocadas a disposicáo do aluno, para maior aproveitamen-to e economía de lempo, na con-duta das práticas que a Escola de Aprendizes do Evangelho procura transmitir. Ouaisquer que sejam as experien cias individuáis, palmilhadas no campo da vida interior, os cami-nhos a serem percorridos sao sem-pre os mesmos, embora em dife rentes circunstancias, peculiares a cada criatura. Os obstáculos encontrados sao igualmente comúns aos seros hu~ manos na espiral ascendente da nossa evolucáo, apesar de revesti-rem- se diferentemente em suas 82.2. Educacáo intensidades e formas. ü mundo interior que se moví-menta nos continentes e océanos do nosso espirito, pode variar nos seus aspectos diferenciáis, porém os sentimontos que emerqem sao igualmente comuns a todas as cria turas oriundas de urna rnesma Fonte. Ilusorio é imaginar que nao en contramos entre os que nos cer-cam, aqueles a nos identificados pelas mesmas dores e as mesmas angustias. Em determindas épocas da nossa caminhada incomensurá-vel, vivemos sempre os sofrimen-tos renovadores, comuns as almas alentadas pelo mesmo Hausto Divino. O aperfeicoamento dos seres que na sua origem, como expressóes de luz. habitando os principios ele mentares do espirito, á seme- Ihanca de urna nuvem luminosa pigmentada, progressivamente jun-gidos ao mundo das formas, vem caminhando nos diferentes reinos da Natureza. As conquistas de inte ligencia e sentimento. em indivi dualidades co-criadoras^ se perdem na noite dos lempos em que fomos cintilados pela Criacáo. Incomensu-rável é a estrada que até agora já percorremos e, dependendo do ra mal seguro que escolhemos: — aquele iluminado pelas verdades do Meigo Rabi, com a determinacáo dos nossos próprios passos, urna autra extensáo evolutiva comeca-mos a percorrer, agora no sentido de reiorriíirmos ao Criador, porcm, infinitamente enriquecidos e divina mente dotados quando lá che-garmos. É. fora de dúvida, o maior pro blema da alualicJaijlc no mundo con turbado em que vivemos, o da edu cacáo, quer da infancia, da juventu-de ou dos adultos de todas as idades. As atencÓRS se voltam para o estudo dos comportamentos dos se res humanos nos ambientes do lar, da escola, do trabalho, na socieda-ds de um modo geral." Estudam-se os síntomas externos dos males verificados,! descuidan-do- se das origens internas desen-cadeadoras; atíngem-se os efeitos mas nao as causas. Essencialmente podemos consi derar a educagáo como dividida, para efeito didático, em dois tipos Iciga e religiosa. "VA educacáo leiga, ou cívica, mi nistrada nos estabeiocimentos pú blicos (escolas, instituicoes civis e militares), aonde procuram-se trans mitir os conhecimentos necessá-rios e básicos que venham propor cionar a formacao cívica e profis-sional do educando, dentro de urna sociedade regida por leis e costu-iiigs peculiares ao país. A educacáo Iciga ou cívica é assim um pro-cesso de instrucáo que visa o mun do dos objetos que circundam o educando, e nada se relaciona com o mundo interior dele. ■w-A educacáo religiosa, essa rei nante nos institutos educacionais. orientada pelas religióes tradicio-nais e dogmáticas, baseia-se nos concoitos do céu e inferno, sem resultados concretos e deficiente na sua influencia, na conduta moral dos homens, face os dados obser- 197

×