Lerescrever1

549 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
549
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lerescrever1

  1. 1. CURSO DE FORMAÇÃO Modalidade – Oficina Ler e escrever na Web 2.0: Contributos das ferramentas digitais Casa do Professor - Braga 19 de Abril 2010
  2. 2. Formadores Ádila Faria [email_address] Paulo Faria [email_address]
  3. 3. <ul><li>Sumário </li></ul><ul><ul><li>1 Apresentação dos formandos e formadores </li></ul></ul><ul><ul><li>2 Calendarização da Oficina </li></ul></ul><ul><ul><li>3 Critérios de Avaliação </li></ul></ul><ul><ul><li>4 Razões justificativas </li></ul></ul><ul><ul><li>5 Efeitos a produzir </li></ul></ul><ul><ul><li>6 Conteúdos a abordar </li></ul></ul><ul><ul><li>7 Metodologias </li></ul></ul><ul><ul><li>8 Entrada no ambiente Ning </li></ul></ul>
  4. 4. 2. Calendarização Mês Dias Horário Obs. Abril 19 18:45 – 21:45 30 18:45 – 21:45 Maio 03 18:45 – 21:45 10 18:45 – 21:45 17 18:45 – 21:45 24 18:45 – 21:45 31 18:45 – 22:15 Junho 07 18:45 – 22:15
  5. 5. 3. Critérios de Avaliação Trabalho Presencial Trabalho não Presencial   Participação Assiduidade Apresentação Materiais Elaborados Implementação Actividade Reflexão Crítica Classificação Final 7% 8% 10% 15% 45% 15%
  6. 6. 4. Razões justificativas da oficina Ler e Escrever na Web 2.0 1. O ensino do Português desenrola-se hoje num cenário que apresenta diferenças substanciais, relativamente ao início dos anos 90 do século passado. Exemplo flagrante disso: a projecção, no processo de aprendizagem do idioma, das ferramentas e das linguagens facultadas pelas chamadas tecnologias da informação e comunicação , associadas a procedimentos de escrita e de leitura de textos electrónicos e à disseminação da Internet e das comunicações em rede . ?
  7. 7. ( Programa de Português do Ensino Básico, Março 2009)
  8. 8. “ A utilização dos meios informáticos a partir da educação pré-escolar, pode ser desencadeadora de várias situações de aprendizagem, permitindo a sensibilização a um outro código, o código informático cada vez mais necessário” e o qual […] pode ser utilizado em expressão plástica e expressão musical na abordagem ao código escrito e na matemática . (OCEPE, 1997: 72).
  9. 9. Umas das marcas da sociedade actual é a rapidez com que se assiste às alterações científicas e tecnológicas . Estas conquistas tecnológicas fazem cada vez mais parte dos gestos mais insignificantes do dia-a-dia.
  10. 10. A escola não pode viver alheada destes fenómenos à escala mundial. A escola é formada pelo que hoje se designa “ nativos digitais ”. Os professores têm de conhecer novas linguagem de comunicação de forma a responder às exigência da Sociedade da Informação .
  11. 11. O professor terá de se apropriar de novos artefactos, que implicam alteração de paradigmas no processo ensino e aprendizagem – há uma nova relação o saber. Hoje falamos em web 2.0,ciberleitura, hipermédia, e-book, biblioteca virtual, Netescrita .
  12. 12. Os suportes de leitura e escrita são tendencialmente digitais (msn, chat, fórum, Internet, SMS, e-mail, e-book…). Estamos perante um novo tipo de interacção social .
  13. 13. “ As tecnologias informáticas, consideradas como novos sistemas para tratar e representar a informação , ancorados nos sistemas tradicionais, vão modificar o modo como as crianças estão habituadas a aprender e também a amplificar o seu desenvolvimento cognitivo. (Miranda, 2007).
  14. 14. “ As escolas - e os sistemas educativos no seu todo - enfrentam o fantástico desafio de reinventar os currículos de modo a dar resposta às necessidades de um novo mundo e à formação de estruturas humanas com competências multidisciplinares. Complexidade , diversidade , mobilidade , conectividade são palavras-chave do processo”.
  15. 15. A tecnologia, por si só, não provoca qualquer alteração no processo de ensino e aprendizagem.
  16. 16. <ul><li>5. OBJECTIVOS </li></ul><ul><li>Conhecer estratégias de promoção e motivação para a leitura e escrita em vários suportes digitais. </li></ul><ul><li>Tomar conhecimento das capacidades necessárias ao desenvolvimento da (ciber) leitura e da escrita . </li></ul><ul><li>Experimentar métodos facilitadores para a aprendizagem da leitura/escrita ligados à Web 2.0. </li></ul><ul><li>Planificar e aplicar medidas adequadas na promoção da leitura e escrita nos contextos educativos. </li></ul><ul><li>Saber adequar a intervenção pedagógica às necessidades e características individuais dos alunos. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>6. EFEITOS A PRODUZIR </li></ul><ul><li>Explorar estratégias pedagógicas promotoras de metodologias inovadoras; </li></ul><ul><li>Incentivar para a concepção de estratégias/actividades diversificadas com o recurso a ferramentas digitais; </li></ul><ul><li>Contribuir para o desenvolvimento profissional dos professores alargando a sua capacidade de decisão em áreas-chave do currículo; </li></ul><ul><li>Promover a produção de conteúdos (narrativas digitais, podcasting , vídeo, blogue; webquest ); </li></ul><ul><li>Desenvolver nos educadores e professores hábitos de partilha, reflexão e cooperação, através da participação em comunidades de aprendizagem e projectos comuns (Ning); </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Adopção de práticas que levem ao envolvimento dos alunos na construção novas literacias. </li></ul><ul><li>Produção, utilização e avaliação de recursos digitais, potenciadores da construção de conhecimento. </li></ul><ul><li>Desenvolvimentos de novas competências nos domínios das leitura e da escrita, com base na integração de novas ferramentas de comunicação e interacção à distância. </li></ul><ul><li>Prolongar os momentos de aprendizagem no tempo e no espaço, fomentando a disponibilização on-line de recursos educativos </li></ul>
  19. 19. 7. CONTEÚDOS 4. Estratégias de promoção da leitura e escrita com recurso às ferramentas da Web 2.0 5. Trabalho de criação ajustado às necessidades apresentadas pelos formandos – construção de ambientes de aprendizagem interactiva
  20. 20. 8. METODOLOGIA 4. Reflexão sobre os resultados da aplicação na prática. 3. Elaboração de materiais, selecção de técnicas de acordo com a sua fundamentação e aplicabilidade, e construção de instrumentos de avaliação adequados. 1. Introdução a conceitos fundamentais, relacionando a teoria com a experiência dos formandos (com o apoio de textos e documentos vários).
  21. 21. PLATAFORMA DE APOIO À OFICINA DE FORMAÇÃO http://lerescrevercasadoprofessor.ning.com
  22. 22. Web 2.0

×