TCC - Educação e Tecnologias

278 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
278
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TCC - Educação e Tecnologias

  1. 1. JOSÉ FABRÍCIO SILVA FEITOSA TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS ASSOCIADAS À INTERNET NA EDUCA- ÇÃO DAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro 2014 Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso Educação e Tecnologias da UVA – Universidade Veiga de Almeida como requisito parcial para obtenção do grau de Especialista em Educação e Tecnologias.
  2. 2. 4 TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS ASSOCIADAS À INTERNET NA EDUCA- ÇÃO DAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO JOSÉ FABRÍCIO SILVA FEITOSA1 RESUMO Este trabalho tem por objetivo identificar o uso das Tecnologias Computacionais Associadas à Internet no Ensino Médio das escolas públicas estaduais do Rio de Ja- neiro, analisar como os projetos e programas envolvendo Tecnologias Educacionais estão sendo conduzidos e identificar como estas escolas, professores e alunos enxer- gam e estão se adaptando a estes programas. PALAVRAS-CHAVE Educação; Tecnologias Educacionais; Escolas Públicas Estaduais do Estado do Rio de Janeiro. ABSTRACT This work aims to identify the use of Computer Techonologies conected to the Internet in public High School in Rio de Janeiro State, to analyse how the projects and programs envolving Educational Technologies are being managed and to identi- fy how these schools, teachers and students see and are adapting themselves to these programs. KEYWORDS Education; Educational Technologies; Public High School in Rio de Janeiro State. _________________________ 1 Professor de Informática da Rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro, Especializando-se em Educação e Tecnologias na UVA - Universidade Veiga de Almeida e Licenciado em Computação pela FEUC - Faculdades Integradas Campograndenses. E-mail: jfabsf@gmail.com
  3. 3. 5 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO............................................................................................................................................6 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ..............................................................................................................7 2.1 METODOLOGIA VERSUS TECNOLOGIA.........................................................................................................8 2.2 O NOVO PAPEL DO PROFESSOR E DA ESCOLA..............................................................................................9 2.3 REDES SOCIAIS E EDUCAÇÃO...............................................................ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO. 3 PESQUISA SOBRE TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS ASSOCIADAS À INTERNET NA EDUCAÇÃO DAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO...................................... 10 3.1 JUSTIFICATIVA E OBJETIVO DA PESQUISA ................................................................................................. 10 3.2 METODOLOGIA DA PESQUISA.................................................................................................................... 11 3.3 ANÁLISE DOS RESULTADOS ............................................................................................................ 11 3.3.1 Órgão Gestor: a CTEd .................................................................................................................. 12 3.3.2 Programas e projetos .................................................................................................................... 12 3.3.3 Análise da pesquisa a professores e alunos da Rede........................ Erro! Indicador não definido. 4 CONCLUSÕES.......................................................................................................................................... 18 5 REFERÊNCIAS......................................................................................................................................... 19 6 ANEXOS........................................................................................................................................................22 ANEXO 01. PESQUISA Tecnologias Educacionais nas Escolas Públicas Estaduais do Rio de Janeiro - Professor.................................................................................................................................................................22 ANEXO 02. PESQUISA Tecnologias Educacionais nas Escolas Públicas Estaduais do Rio de Janeiro - Aluno......................................................................................................................................................................24
  4. 4. 6 1 INTRODUÇÃO Faz parte do discurso de governos, instituições, jornalistas e da própria sociedade que é imperativo e urgente melhorar a qualidade do ensino nas escolas brasileiras. A RBEP - Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (2003) aponta a discussão de temas, tais como, a universalização do ensino, a efetividade de políticas, programas e projetos educacionais como sendo fundamental para o sucesso escolar. Conforme o MEC - Tecnologias na Escola (2014), cada vez mais são discutidos no meio acadêmico temas como: o futuro da educação mediado pelas tecnologias, o papel do professor, os objetivos da educação, a preparação para o mercado de trabalho e para formação de cidadãos críticos que saibam buscar e selecionar informações que possibilitem a resolução de problemas do cotidiano, compreender o mundo e atuar na transformação de seu contexto, bem como que sejam capazes de transformar essas informações em conhecimentos que te- nham uma efetiva relevância na sua vida e para a sociedade. Neste cenário, o impacto das Novas Tecnologias da Informação e Comunicação - NTICs na educação, a exemplo: Retro- projetor, TV digital, Câmeras, Vídeos, Datashow, DVD, Computadores, Jogos, entre outros, ganham destaque, em especial, as abordadas neste artigo, as Tecnologias Computacionais associadas à Internet. De acordo com Programa Estadual de Informática Aplicada à Educação - InfoE- duc-RJ (2014), nos últimos anos, especificamente desde 2005, algumas medidas advindas de políticas educacionais e governamentais, tais como projetos e programas, vêm sendo imple- mentadas nas escolas da rede pública estadual visando à integração das tecnologias educacio- nais dentro e fora de sala de aula visando melhorias nas formas de se ensinar e aprender. Faz-se necessário diferenciar programa de projeto: Enquanto Projeto é um empreendimento temporário e com o objetivo de produzir um resultado exclusivo, Programa, por sua vez, é o conjunto de projetos que têm ob- jetivos semelhantes, gerenciados de modo coordenado para a obtenção de benefícios e controle que não estariam disponíveis se eles fossem gerenciados individualmente. Cartilha – Gestão de Projetos - Superintendência de Planejamento e Gestão – SU- PLAN, 2014. Como estes projetos e programas estão sendo conduzidos dentro e fora da sala de aula e quais os resultados alcançados? Como as escolas, professores e alunos enxergam e es- tão se adaptando a estes programas? Como está ocorrendo a apropriação das tecnologias edu- cacionais? Estas são algumas perguntas que este artigo abordará. Comentado [A1]: Onde você leu isso? Referências? ok Comentado [JFSF2R1]: Miguel alterei o texto para possibilitar a inclusão de referências. Comentado [A3]: Quem faz essas especulações? Referências? ok Comentado [A4]: Trecho sem concordância. Rever. Sugiro tirar trecho tachado. Comentado [JFSF5R4]: Trecho retirado. Comentado [A6]: Onde são discutidos esses temas? Refs? OK Comentado [A7]: Por que 2005? Ref?ok Comentado [A8]: Onde vc viu isso? Ref?ok Comentado [A9]: Ref? Com página.
  5. 5. 7 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Vários autores vêm discutindo o impacto das Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação - NTICs no processo de ensino-aprendizagem. Leite, et al. (2012) consideram que a presença inegável da tecnologia em nossa sociedade constitui a justificativa para que haja a necessidade de sua presença na escola. Costa (2014) defende a ideia de que apesar das grandes mudanças e inserção das NTICs no modo de vida social, as escolas não acompanharam essas mudanças significativa- mente, pois o uso destas ferramentas ainda é pouco considerado ou desconhecido pela maioria dos educadores e que, muitas vezes, uma escola se torna bem equipada com recursos tecnoló- gicos apenas para mascarar a realidade do ensino tradicional baseado apenas na recepção e memorização de informações. Por outro lado, Levi (1999 apud Villardi e Oliveira, 2005) reconhece que o foco não é utilizar as tecnologias a qualquer custo, mas acompanhar consciente e deliberadamente uma mudança de civilização que está questionando profundamente as formas institucionais, as mentalidades e a cultura dos sistemas educativos tradicionais e notadamente os papéis de pro- fessor e aluno. Neste cenário, Kenski (2012) discute o papel da escola, dos novos professores e dos novos alunos e Ponte (2004 apud Kensi, 2012) aponta a interação social como sendo o elemento fundamental da construção do conhecimento e da definição das identidades sociais e individuais. Moran (2012) corrobora com esta ideia ao afirmar que o domínio pedagógico das tecnologias na escola é complexo e que não basta ter acesso à tecnologia para ter domínio pedagógico. O Guia de Tecnologias Educacionais (2001) elaborado pelo Ministério da Educa- ção, embora defenda o uso das tecnologias educacionais, destaca que esse uso se torna des- provido de sentido se não estiver aliado a uma perspectiva educacional comprometida com o desenvolvimento humano, com a formação de cidadãos, com a gestão democrática, com o respeito à profissão do professor e com a qualidade social da educação, apontando ainda, que o emprego deste ou daquele recurso tecnológico de forma isolada não é garantia de melhoria da qualidade do ensino, mas a conjunção de diversos fatores e a inserção da tecnologia no processo pedagógico da escola e do sistema é que favorecem um processo de ensino- aprendizagem de qualidade. Comentado [A10]: Ref? Comentado [JFSF11R10]: Referência incluída..
  6. 6. 8 2.1 METODOLOGIA VERSUS TECNOLOGIA Na atualidade, cada vez mais faz-se necessário que sejam revistas as melhores formas de se aprender e ensinar, visto que o mercado de trabalho bem como a sociedade atual estão em constantes mudanças e a educação, por sua vez, não tem acompanhado estas repen- tinas transformações. Hoje não basta ter acesso à informação, mas faz-se mister saber o que fazer com ela, como transformá-la em conhecimento prático associado a uma realidade espe- cífica. O conhecimento não pode ser tratado como uma cópia, mas como uma construção di- nâmica, reflexiva, colaborativa, através da interação e da linguagem, do diálogo. Villardi e Oliveira (2005) defende que A inclusão de múltiplas mediações - assim considerados os meios virtuais - entre o professor e o aluno, além de estimular a autonomia deste, pode tornar mais dinâmi- cos e prazerosos o desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem (Villardi e Oliveira 2005, p. 13). As NTICs, com destaque para o computador e a Internet, propiciam todas as for- mas de interação: síncrona, em tempo real; assíncrona, em diferentes lugares e espaços e se- mipresencial, que permite integração na sala de aula e online. Piva Jr., et al. (2011), acrescen- ta que a coexistência dos modelos educacionais presencial e o não presencial estão caminhan- do cada vez mais de forma integrada e que a década de 1990 foi caracterizada pela inserção da Internet no meio educacional e reformulações teóricas com ênfase no caráter social da apren- dizagem online. A partir de então, a aprendizagem que era independente, passou a ser susten- tada por experiências colaborativas entre alunos e professores e alunos entre si. Semelhantemente, Moran (2012) sugere que todas as organizações educacionais, em todos os níveis, precisam experimentar como integrar o presencial e o virtual para garantir uma aprendizagem significativa, visto as possibilidades das NTICs aplicadas à educação, pois elas permitem a virtualização do presencial e a eliminação das barreiras impostas pela distân- cia. Por outro lado, a simples presença de computadores nas escolas, auxiliando alguns processos educacionais, não torna a informática necessariamente educativa, como por exem- plo, ao serem utilizados para auxiliar o processamento de notas. A informática apenas será educativa quando auxiliar os processos pedagógicos com metodologias apropriadas. Costa (2014) acrescenta que a criatividade é essencial neste processo, visto que permite a criação e transformação de novas ideias e conceitos nos alunos e professores. Além disso, nem sempre uma escola que possua equipamentos tecnológicos de úl- tima geração tem uma educação de qualidade, porém com professores hábeis nas metodologi- Comentado [A12]: Quem disse isso? Diversos autores falam sobre isso. Citar referências. ok
  7. 7. 9 as e no manuseio das NTICs, a escola torna-se um espaço de construções sociais e inserção de indivíduos nos processos dinâmicos de interação e organização da sociedade atual. A Contro- ladoria-Geral da União em seu Relatório de Avaliação da Execução de Programas de Governo nº 16 (2013), corrobora com esta ideia ao afirmar que o uso pedagógico da informática nas escolas públicas de educação básica não foi plenamente atingido devido à falta de capacitação de professores, que impacta diretamente na utilização dos laboratórios como suporte tecnoló- gico ao processo de ensino aprendizagem. 2.2 O NOVO PAPEL DO PROFESSOR E DA ESCOLA Faz-se necessário na educação atual que se desloque o foco do currículo para a prática social e não mais para os programas em si. O centro da educação não deve ser mais os conteúdos disciplinares, o ensino e o professor, mas o desenvolvimento de habilidades, com- petências, aprendizagem e o aluno. Freire (2014, p.47) alerta que "ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção". Nesta perspectiva, o educador passa a ter o papel de mediador na construção de conhecimentos significativos para os alunos e não mais ser um simples transmissor de infor- mações a serem memorizadas pelos educandos. Mais do que ensinar, o maior objetivo do pro- fessor passa a ser o fazer aprender. As soluções educacionais específicas, apoiadas no uso do computador, serão bem sucedidas na medida em que forem feitas de pesquisa de educadores que problema- tizem suas situações de ensino evitando a assimilação pura e simples, de pacotes prontos, desenvolvidos por especialistas descontextualizados. Centro de Informações MULTIEDUCAÇÃO, 2014. O conhecimento precisa ser crítico (buscar o que é significativo), criativo (propor- cionar transformação) e duradouro (permitir interferir na realidade, quando significativo e bem construído). O conhecimento tem sentido quando possibilita o compreender, o usufruir ou o transformar a realidade. De acordo com o Centro de Informações MULTIEDUCAÇÃO (2014), não se es- pera mais que a escola ensine tudo o que o cidadão precisa, mas que leve a um entendimento da necessidade de uma educação permanente, onde se busca atualização constante para uma ação competente num mundo em transformações permanentes. O professor não pode perder a dimensão pedagógica e deve evitar ser vítima da imposição tecnológica na sala de aula, mas ter o poder de escolher integrar ou não a tecnolo- Comentado [A13]: Usar o relatório da CGU para respaldar sua fala. Segue anexo. Comentado [JFSF14R13]: Uso efetuado. Obrigado. Comentado [A15]: Completar referência, ano e pg. OK Comentado [A16]: Ano?ok
  8. 8. 10 gia em sua prática de acordo com os objetivos e competências a serem atingidos, ao mesmo tempo em que deve considerar o verdadeiro papel da tecnologia educacional, como um meio e não um fim em si. Abreu, et al. (2013) corrobora com esta ideia destacando a importância das NTICs no contexto atual, e salienta que educar para o mundo digital significa educar para a vida, que cada vez mais se apropria do universo digital. Costa (2014) aponta outro desafio no uso das NTICs na educação: Um dos grandes desafios para os educadores deste século é conseguir integrar os sa- beres e inserir as novas tecnologias no ambiente interativo da aprendizagem, de for- ma que essas novas ferramentas sejam potencializadoras e promotoras de saberes in- teressantes para os aprendizes (Costa 2014, p.15). 3 PESQUISA SOBRE TECNOLOGIAS COMPUTACIONAIS ASSOCIADAS À IN- TERNET NA EDUCAÇÃO DAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO 3.1 JUSTIFICATIVA E OBJETIVO DA PESQUISA Conhecer e utilizar as Tecnologias Educacionais associadas à Internet, com meto- dologias bem definidas e associadas a objetivos educacionais específicos é essencial para tor- nar as aulas mais atraentes e contextualizadas à realidade do uso das NTICs pelos alunos, e consequentemente, melhorar a qualidade do ensino atual. Nas escolas públicas é importante que os professores e gestores educacionais tenham conhecimento de programas e projetos governamentais que promovam a utilização de Tecnologias Computacionais vinculadas à In- ternet na Educação, bem como de sua infraestrutura, avaliar a aceitabilidade destes projetos pelos alunos e identificar os desafios para consecução de aulas que se utilizem destas tecnolo- gias como ferramentas de aprendizagem. A presente pesquisa aborda o uso das Tecnologias Computacionais associadas à Internet na Educação nas escolas públicas estaduais do Rio de Janeiro, ao mesmo tempo busca identificar projetos e/ou programas que promovam as NTICs associadas a Internet nestas es- colas, bem como analisar seus impactos no processo de ensino aprendizagem. São objetivos específicos desta pesquisa:  Identificar quais tecnologias educacionais ligadas à Internet, os professores e alunos utilizam, gostariam de utilizar ou mesmo desconhecem que a es- cola oferece. Comentado [A17]: Texto sem concordância reescrever. ok
  9. 9. 11  Identificar o conhecimento dos professores sobre os programas/projetos com aplicação das tecnologias educacionais.  Identificar desafios para utilização destes nas Escolas Públicas Estaduais do Rio de Janeiro. 3.2 METODOLOGIA DA PESQUISA Para alcançar os objetivos deste estudo de caso, foram analisados livros de autores que versam sobre o assunto. Paralelamente, utilizou-se como fonte de pesquisa secundária os dados contidos no SAPI - Sistema de Administração e Publicação de Informações, da Coor- denação de Tecnologia Educacional do Estado do Rio de Janeiro - CTEd (2014). Além disso, foram observadas três escolas estaduais, nas quais este pesquisador atuou como professor, sendo que em duas destas, como professor de Projeto de Informática no ano de 2010. E, finalmente, para corroborar com os levantamentos efetuados, foi aplicado questionário a professores e alunos de escolas públicas estaduais do Estado do Rio de Janeiro. 3.3 ANÁLISE DOS RESULTADOS Para a implantação de programas e projetos educacionais envolvendo tecnologias computacionais associadas à Internet nas escolas estaduais do Rio de Janeiro são necessários basicamente: infraestrutura (computadores, laptops, smartphones, por exemplo), softwares (programas), professores capacitados a usar as NTICs no processo educativo e mudança na visão destes recursos dentro do aprendizado pelo aluno. Relaciona-se a seguir o órgão gestor CTEd - Coordenação de Tecnologia Educa- cional do Estado do Rio de Janeiro, bem como os principais programas e projetos da Rede Estadual de Ensino que fomentam o uso das tecnologias computacionais associadas à Internet na educação das escolas públicas estaduais do Rio de Janeiro. Em seguida, encontram-se aná- lises da pesquisa qualitativa efetuada com professores e alunos da Rede com base nos dados disponíveis no site da CTEd - Coordenação de Tecnologia Educacional do Estado do Rio de Janeiro, (2014). Comentado [A18]: Ref? ok Comentado [A19]: Como foram realizadas? Aplicação de um questionário? Ele deverá vir ao final, como anexo. Comentado [A20]: Que órgão gestor? Contextualizar. ok Comentado [A21]: Ref? Comentado [A22]: Ref?
  10. 10. 12 3.3.1 Órgão Gestor: a CTEd A CTEd - Coordenação de Tecnologia Educacional está vinculada à Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro e possui como objetivo coordenar e gerenciar todos os recursos de Tecnologia Educacional relacionados às Tecnologias de Informação e Comunica- ção - TICs, principalmente no que se refere ao uso do computador e da Internet na Educação. De acordo com as informações disponíveis no site da CTEd - Coordenação de Tecnologia Educacional (2014) identificou-se que:  Para atender as escolas públicas participantes dos programas governamen- tais, a CTEd coordena Núcleos de Tecnologia Educacional - NTE que ofe- recem assistência técnica e pedagógica às escolas que recebem recursos de Programas Governamentais, além de cursos de capacitação para o pessoal da rede pública.  O SAPI é o Software de Gestão Empresarial do setor público que auxilia a CTEd na administração dos recursos de Tecnologia Educacional e na Formação Continuada do pessoal da rede pública para a utilização destes recursos na ação pedagógica. Foi projetado e é desenvolvido por técnicos dos NTE e dá suporte também a à página da CTEd.  O MIRANTE, subsistema da SAPI, é o Ambiente virtual para Ensino a Distância e formação de Grupos de Relacionamento. 3.3.2 Programas e projetos  InfoEduc-RJ - Programa Estadual de Informática Aplicada à Educação (2014) O InfoEduc-RJ é o programa do Governo do Estado do Rio de Janeiro iniciado em 2005 visando a instalação de Laboratórios de Informática Educativa em escolas da Rede Pú- blica.  ProInfo - Programa Nacional de Informática na Educação (2014) O Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo) é um programa edu- cacional criado pela Portaria nº 522/MEC, de 9 de abril de 1997, para promover o uso peda- gógico de Tecnologias de Informática e Comunicações (TICs) na rede pública de Ensino Fun- damental e Médio. O MEC compra, distribui e instala laboratórios de informática nas escolas públicas de educação básica. Em contrapartida, os governos locais (prefeituras e governos Comentado [A23]: Ref? Comentado [A24]: Ref? ok Comentado [A25]: Citar nas referências. Não encontrei.
  11. 11. 13 estaduais) providenciam a infraestrutura das escolas, indispensável para que elas recebam os computadores.  GESAC - Governo Eletrônico: Serviço de Atendimento ao Cidadão (2014) O GESAC é uma iniciativa do Ministério das Comunicações em parceria com o MEC e a Secretaria de Estado de Educação - SEE/RJ. Através deste programa, antenas para transmissão de Internet via Satélite foram instaladas em 164 Pontos de Presença em todo o Estado do Rio de Janeiro, sendo a maior parte em escolas públicas. Trata-se de um Programa de Inclusão Digital que oferece gratuitamente conexão à Internet em banda larga - por via terrestre e satélite para desenvolvimento de Projetos Comunitários.  Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento - CDTC De acordo com o portal do Programa Estadual de Informática Aplicada à Educa- ção - InfoEduc-RJ (2014), por iniciativa do Gabinete da Casa Civil da Presidência da Repú- blica, em parceria com o Ministério da Educação - MEC e com a Secretaria de Estado de Educação - SEE/RJ, foram instalados computadores com Software Livre em todos os NTEs do Estado. O objetivo deste programa é a difusão de uma cultura de uso de Software Livre, preparando a sociedade para a introdução de um paradigma tecnológico alternativo. Trata-se de um programa de Inclusão Social e Digital que identifica a escola como ponto de apoio para sua estratégia.  Conexão Professor (2014) O portal Conexão Professor, da Secretaria de Educação, é voltado para professo- res e diretores escolares da rede estadual. Nele, eles encontrarão importantes informações para melhorar a qualidade de ensino para seus alunos, ficam sabendo das últimas notícias da rede estadual, trocam experiências com profissionais de outras escolas, consultam informações sobre eventos e compartilham seus projetos e ideias. Além das áreas de interatividade, como o fórum e as redes sociais, o Conexão Professor possui ainda áreas pedagógicas com objetos de aprendizagem e o currículo mínimo adotado pela Seeduc-RJ.  PROUCA - Programa Um Computador por Aluno (2014) Neste programa, cada aluno possui um computador portátil com acesso à Internet na sala de aula. O programa tem como objetivo ser um projeto Educacional utilizando tecno- logia, inclusão digital e adensamento da cadeia produtiva comercial no Brasil. A respeito deste programa, Costa (2014) defende que a iniciativa do PROUCA é muito válida, mas precisa ser acompanhada e avaliada constantemente para se constatar se os computadores estão sendo utilizados de forma crítica e efetiva no aprendizado dos alunos. Comentado [A26]: Ref? ok Comentado [A27]: Ref?ok Comentado [A28]: Ref?ok Comentado [A29]: Ref?: Comentado [A30]: Ref?
  12. 12. 14 De acordo com as informações constantes no Sistema de Administração e Publi- cação de Informações - SAPI (2014), verifica-se que os programas e projetos que possuem maior quantitativo de escolas da rede estadual do estado do Rio de Janeiro cadastradas são: o ProInfo, Infoeduc-RJ e Conexão Professor. Abaixo segue tabela completa. Programa/Projeto Quantitativos de escolas estaduais cadas- tradas ProInfo 5 613 ProInfo Urbano 334 InfoEduc-RJ 312 ProInfo 1 182 Conexão Professor 170 SEEDUC/ALERJ 135 ProInfo 2 95 GESAC 74 ProInfo Rural 30 ProInfo 4 26 Ponto.Comunidade 23 ProJOVEM 22 ProInfo Urbano Ampliação 21 Sala de Recursos 15 ProInfo 3 12 Proinfo - Pregão 45/2007 9 UCA - Computador do Aluno 8 Proinfo - Pregão 38/2006 7 Proinfo - Pregão 23/2012 5 Proinfo - Pregão 83/2008 5 Proinfo - Pregão 71/2010 1 Proinfo - Pregão 68/2009 Planeta.com* Proinfo - Pregão 43/2005 Proinfo - Pregão 51/2007 Fonte: Sistema de Administração e Publicação de Informações - SAPI (2014) 3.3.3 Resultados e discussão O questionário foi respondido por 32 professores e 29 alunos da rede estadual de ensino. Através da pesquisa de campo verificou-se que 50% dos professores pesquisados gostariam de conhecer programas envolvendo Tecnologia Educacional associados à Internet e 45% não conhece nem tem interesse de conhecer tais programas e que apenas 5% tem conhe- Comentado [A31]: Ref? Comentado [A32]: Ref? Comentado [A33]: Ao longo de todo esse tópico são apresenta- dos resultados. Faltou montar gráficos para todos. ok Comentado [A34]: Definir o seu universo de pesquisa. Quantos professores responderam aos questionários? Quantos alunos? Somen- te de escolas estaduais? Definir o seu universo amostral. ok
  13. 13. 15 cimento da existência destes. Embora as informações a respeito destes programas sejam di- vulgados no site do CTEd - Coordenação de Tecnologia Educacional (2014), necessita-se de cadastro para acesso ao link que direciona a estas informações. Além disso, a morosidade com que estes programas são conduzidos, a mudança de rumos de acordo com decisões políticas, fazem com que os professores pouco se interessem em conhecer estes programas. Gráfico 1 - Conhecimentos dos professores a respeito de Programas/Projetos envolvendo NTICs Constatou-se também que a maior parte dos professores (59%) gostaria de utilizar laboratórios de informática, sendo que sua maioria gostaria de utilizar-se de jogos educativos, pesquisa à Internet e Redes Sociais em sua prática pedagógica. Gráfico 2. Uso de laboratório de Informática por professores Comentado [A35]: Ref?ok Comentado [A36]: Gráfico?ok
  14. 14. 16 Foi verificado que a maior parte dos alunos (62%) gostariam de utilizar Tecnolo- gias Educacionais associadas à Internet para aprenderem, pois acham que o uso tornaria as aulas mais atraentes e condizentes com a sua realidade. Gráfico 3. Uso das NTICs pelos alunos para fins pedagógicos Verificou-se também que 23% dos professores pesquisados acreditam em bons re- sultados advindos da utilização de Smartphones na prática pedagógica. Embora fale-se muito na proibição do uso de telefone celular nas Escolas Estaduais do Rio de Janeiro, a Lei nº 5453, de 26 de maio de 2009 coloca como exceção à proibição, a finalidade pedagógica. A própria UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (2014), defende a ideia de que as tecnologias móveis podem expandir e enriquecer oportuni- dades educacionais para aprendizes em diversos ambientes, visto que estes dispositivos se tornam cada vez mais potentes, funcionais e baratos, aumentando, desta forma, seu potencial de apoiar o aprendizado de modos inusitados. Gráfico 4. Uso pedagógico de Smartphones Comentado [A37]: Gráfico?ok Comentado [A38]: Ref? Inclusa OK
  15. 15. 17 Por outro lado, 26% dos professores aposta no uso de tablets educacionais para melhores resultados, ou seja, o dobro do número que aposta no uso do celular, principalmente devido ao tamanho da tela, pois facilita a visualização e leitura, conforme gráfico abaixo. Gráfico 5. Uso pedagógico de Tablets Foi identificado, ainda, que os professores acreditam que os maiores desafios para utilização das NTICs associadas à Internet, são a falta de treinamento específico ao professor e aos alunos (29%), a infraestrutura inexistente ou inadequada (24%), aplicação prática das NTICs aos conteúdos (20%), dificuldades no uso das tecnologias (14%) e resistência dos dis- centes no uso de Tecnologias Educacionais para fins pedagógicos (13%), vide gráfico abaixo. Gráfico 6. Desafios para utilização das NTICs Associadas à Internet Comentado [A39]: Gráficos? OK
  16. 16. 18 Além disso, constatou-se que os professores acreditam que o Software Livre insta- lado em todos os NTEs do Estado é mais uma barreira à utilização das ferramentas computa- cionais na educação, visto que não estão habituados a manuseá-lo. 4 CONCLUSÕES As tecnologias devem ser utilizadas de acordo com os propósitos educacionais e estratégias mais adequadas para propiciar ao aluno a aprendizagem, não se tratando da infor- matização do ensino, que reduz as tecnologias a meros instrumentos para instruir o aluno. Logo, reconhecer as potencialidades das tecnologias disponíveis e a realidade em que a escola se encontra inserida, identificando as características do trabalho pedagógico que nela se reali- zam, de seu corpo docente e discente, de sua comunidade interna e externa, favorece a incor- poração de diferentes tecnologias, e em especial NTICs associadas à Internet existentes na escola, à prática pedagógica e a outras atividades escolares nas situações em que possam tra- zer contribuições significativas. Para uma efetiva incorporação das NTICs associadas à Internet nas escolas públi- cas estaduais do Rio de Janeiro faz-se necessária uma mudança cultural na escola, e para isto, é imperativo a consolidação de projetos e programas governamentais já existentes, bem como a criação de outros. Além disso, faz-se necessário dotar as escolas de instalações, equipamen- tos, material didático e capacidade docente, assim como instituir um processo contínuo de inovação pedagógica, avaliação permanente dos resultados e estímulos para professores e alunos. Semelhantemente aos problemas que Kenski (2012) aponta, foram identificados os seguintes desafios nos programas e projetos educacionais envolvendo as NTICs nas escolas públicas estaduais do Rio de Janeiro, a saber:  A não adequação da tecnologia ao conteúdo a ser ensinado e aos objetivos da aula,  A replicação de formas tradicionais de ensino utilizando as NTICs,  Falta de treinamentos em NTICs aos professores, e quando são realizados, apresentam-se distantes das práticas pedagógicas dos profissionais e de su- as condições de trabalho,  Falta de verbas nas escolas para manutenção e atualização permanentes dos programas.
  17. 17. 19 O computador não pode ser introduzido na escola fora de um contexto educacio- nal, nem por puro modismo. É preciso antes que se tenha um projeto especifico para seu uso e professores treinados para implementar e executar este projeto. As NTICs associadas à Inter- net devem fazer parte do cotidiano escolar, evidenciando o aprendizado e a autoestima de alunos e professores. 5 REFERÊNCIAS ABREU, Cristiano Nabuco de; EISENSTEIN, Evelyn; ESTEFENON, Susana Graciela Bru- no. Vivendo Esse Mundo Digital: Impactos na saúde, na educação e nos comportamentos sociais. Porto Alegre, Ed. Artmed, 2013. CENTRO DE INFORMAÇÕES MULTIEDUCAÇÃO. Introdução dos computadores nas escolas públicas. Disponível em: <http://portalmultirio.rio.rj.gov.br/cime/index.html>. Aces- so em: 20 set. 2014. Controladoria-Geral da União. Relatório de Avaliação da Execução de Programas de Go- verno nº 16. Infraestrutura de Tecnologia da Informação para a Educação Básica Pública (Proinfo). Brasília, 2013. COSTA, Ivanilson. Novas Tecnologias e Aprendizagem. Rio de Janeiro, Ed. Wak, 2014. ESPAÇO ABERTO: Manifestações rápidas, entrevistas, propostas, experiências, traduções, etc. MULTIRIO: o trabalho de atualização em serviço com os professores municipais do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/viewFile/1058/960>. Acesso em 20 set. 2014. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro. Ed. Paz e Terra, 2014. Governo do Estado do Rio de Janeiro. Conexão Professor. Disponível em: <http://www.conexaoprofessor.rj.gov.br/index.asp>. Acesso em 21 set. 2014 KENSKI, Vani Moreira. Educação e Tecnologias: O novo ritmo da informação. Campinas, Ed. Papirus, 2012. Lei nº 5453, de 26 de maio de 2009. Disponível em <http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/contlei.nsf/f25edae7e64db53b032564fe005262ef/98c0ae15f7f1 a1e6832575c3005abe88?OpenDocument> Acesso em: 5 out. 2014. LEITE, Lígia Silva, et al. Tecnologia Educacional: Descubra suas possibilidades na sala de aula. Petrópolis, RJ. Ed. Vozes, 2012. MEC. Tecnologias na Escola. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/2sf.pdf>. Acesso em 21 set. 2014.
  18. 18. 20 Ministério da Educação e do Desporto. Portaria nº 522, de 9 de abril de 1997. Disponível em: < http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me001167.pdf> Acesso em: 16.out.2014. Ministério da Educação. ProInfo. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=236:proinfo- perguntas-frequentes&catid=152:proinfo>. Acesso em 21 set. 2014. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Guia de Tecnologias Educacionais 2011/2012. Brasília. 2001. Ministério das Comunicações. Gesac. Disponível em: <http://www.mc.gov.br/gesac>. Acesso em 21 set. 2014. MORAN, José Manuel. A Educação que desejamos: Novos desafios e como chegar lá. Campinas, Ed. Papirus, 2012. PIVA JR, Dilermando, et al. EAD na prática: Planejamento, métodos e ambientes de edu- cação online. Rio de Janeiro, Ed. Campus, 2011. Programa Estadual de Informática Aplicada à Educação - InfoEduc-RJ. Disponível em: < http://www.cted.educacao.rj.gov.br/menu_cted_infoeduc.asp>. Acesso em 21 set. 2014. PROUCA - Programa Um Computador por Aluno. Disponível em: <http://www.uca.gov.br/institucional/index.jsp>. Acesso em 21 set. 2014. RBEP - Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Ensino médio no Brasil: uma análise de melhores práticas e de políticas públicas. Disponível em: < http://rbep.inep.gov.br/index.php/RBEP/article/viewFile/1822/1378>. Acesso em: 16 out. 2014. Secretaria de Educação à Distância - MEC. Relatório de Gestão 2010. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=16183 &Itemid=> Acesso em: 21 set. 2014. Secretaria de Estado de Educação do Estado do Rio de Janeiro. CTEd - Coordenação de Tecnologia Educacional. Disponível em: <http://www.cted.educacao.rj.gov.br/>. Acesso em 21 set. 2014. Secretaria de Estado de Educação do Estado do Rio de Janeiro. Sistema de Administração e Publicação de Informações - SAPI. Disponível em: < http://www.cted.educacao.rj.gov.br/mirante/perfil/entrada_sapi.asp?codseguro=publico>. Acesso em: 16.out.2014. Superintendência de Planejamento e Gestão – SUPLAN. Cartilha – Gestão de Projetos. Disponível em < http://www.mpgo.mp.br/portal/arquivos/2013/07/16/11_18_20_299_Cartilha_Gerenciamento _de_Projetos_v1.1.pdf>. Acesso em 21 set. 2014. UNESCO. O Futuro da aprendizagem móvel. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002280/228074por.pdf> Acesso em: 5 out. 2014.
  19. 19. 21 VILLARDI, Raquel; OLIVEIRA, Eloiza Gomes de. Tecnologia na Educação: Uma pers- pectiva socio-interacionista. Rio de Janeiro, Ed. Dunya, 2005.
  20. 20. 22 6 ANEXOS ANEXO 01. PESQUISA TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO - PROFESSOR Caro professor, Estamos realizando uma pesquisa para obtenção de título de Especialista em Educação e Tecnologi- as, cuja temática é “TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO” e gostaríamos de contar com a sua colaboração para responder a este questioná- rio. As informações obtidas serão confidenciais, assegurando-se o sigilo sobre sua participação. Escola: ________________________________________________ Data: ______________ 1- A respeito das ferramentas educacionais tecnológicas que a escola oferece: Tecnologias Utilizo Gostaria de utilizar Desconheço Computadores Tablets Smartphones Laboratório de Informática Pesquisa na Internet Blogs Redes Sociais Jogos Educativos 2- A respeito dos Programas/Projetos envolvendo Tecnologia Educacional: Conheço Desconheço Gostaria de Co- nhecer O Programa InfoEduc-RJ (Programa Estadual de Informática Aplicada à Educação) ProInfo (Programa Nacional de Informática na Educação) PROUCA (Programa Um Computador por Aluno) CDTC (Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento) 3- Considera desafios para utilização de Tecnologias Educacionais nas Escolas Públicas Estaduais do Rio de Janeiro:
  21. 21. 23 ( ) Infra estrutura inadequada ( ) Falta de treinamento específico nas ferramentas ( ) Dificuldades no uso de tecnologias (programas) ( ) Aplicação prática das Tecnologias Educacionais aos Conteúdos Disciplinares ( ) Resistência dos discentes do uso de Tecnologias Educacionais para fins pedagógicos
  22. 22. 24 ANEXO 02. PESQUISA TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO - ALUNO Caro aluno, Estamos realizando uma pesquisa para obtenção de título de Especialista em Educação e Tecnologi- as, cuja temática principal é “TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTA- DUAIS DO RIO DE JANEIRO” e gostaríamos de contar com a sua colaboração para responder a este questionário. As informações obtidas serão confidenciais, assegurando-se o sigilo sobre sua partici- pação. Escola: ____________________________________________ Data: ______________ 1- A respeito das ferramentas educacionais tecnológicas na escola para fins pedagógicos: Tecnologias Utilizo Gostaria de utilizar Desconheço Computadores Tablets Smartphones Laboratório de Informática Pesquisa na Internet Blogs Redes Sociais Jogos Educativos
  23. 23. 25

×