25 memorial -sprinkler_2015-07-14_16_06_40

153 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
153
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

25 memorial -sprinkler_2015-07-14_16_06_40

  1. 1. OBRA: TEATRO ÓPERA DE CAMPINAS OUTl2014 MEMORIAL DESCRITIVO SPRINKLERS 1. Objetivo O presente documento tem por tinalidade a descrição das soluções técnicas adotadas na elaboração do projeto dos sistemas de Proteção contra incêndios por chuveiros automáticos para a obra em referência. 2. Normas Utilizadas As normas a seguir relacionadas foram utilizadas para elaboração dos projetos: o NFPA 13 - "Standard for the installation of Sprinkler Systems 2002" - Especificações do Corpo de Bombeiros da Policia Militar do Estado de São Paulo o Manual de Elaboração de Projetos do Shopping o Norma NBR 10.897/2007 da ABNT cIassitica-se as instalações Teatro, como o risco Leve o Recomendações da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) 3. Descrição do Sistema de chuveiros automáticos (Tipo Molhado) O sistema de chuveiros automáticos compreende o sistema de distribuição, com chaves seocionadoras em cada pavimento. As especificações e critérios tomados como base para a concepção e dimensionamento do Sistema, estão rigorosamente afinados com as normas impostas, para a proteção da editicação. O Sistema de Chuveiros Automáticos compreende o sistema de reservação, sistema de pressurização e sistema de distribuição. 0 sistema de reservação alimenta a bomba principal, que atende à pressurização, alimentando assim os dois pavimentos. A reserva d'água para o sistema de proteção e combate a incêndio por chuveiros automáticos, ficará totalmente armazenada no reservatório superior, ao nível do barrilete, com volume total armazenado de 60,0 m3 exclusivo para o sistema de chuveiros. Garante-se assim o atendimento das exigências do NFPA 13. O sistema de pressurização dos chuveiros automáticos, é composto por uma bomba elétrica principal de acionamento automático, e uma bomba “jockey” para manutenção da pressão na rede.
  2. 2. A bomba pãíéiíãi foi dimensionada para o atendimentomdas prescrições do-NFPA 13, para as áreas hidraulicamente mais desfavoráveis. Sua instalação foi concebida de forma a ficar totalmente afogada, situando-se abaixo do nivel de água da reserva de incêndio. A tubulação de sucção da bomba foi dimensionada para que a velocidade de escoamento de água em seu interior não ultrapasse 2 mls, com diâmetro não inferior ao de recalque. O sistema de distribuição dos chuveiros é feito por uma tubulação principal e ramais localizados junto às lajes e forros falsos, composto de chuveiros automáticos com temperaturas de acionamento de 68° C. Foram previstas válvulas de retenção nas tubulações de recalque imediatamente após a bomba, de modo a impedir o retorno de água pressurizada pelo registro de recalque no passeio, ao reservatório. Deve ser instalado um dispositivo de retorno constituido de uma linha de saída permanentemente aberta, de 6 mm (1/4") de diâmetro, "by-pass" à bomba após o recalque, para que a água do rotor seja renovada, quando do fechamento das válvulas setoriais dos pavimentos. A pressurização será feita pela bomba existente junto do reservatório inferior, que foi dimensionada para atender a demanda simultânea dos chuveiros automáticos em operação dentro das áreas de cálculo consideradas em projeto. Devem ser utilizados tubos de aço carbono com conexões de ferro maleavel, para a execução do Sistema de Chuveiros na edificação. O Empreendimento garantirá a pressão e a vazão necessárias ao funcionamento de todo sistema. 4. Chaves de Fluxo Na derivação da prumada de Chuveiros Automáticos para cada sub solo, haverá uma chave de fluxo oom sistema de dreno e teste, para setorização e sinalização do Sistema de Chuveiros, conforme recomenda o item 4.4.1 .7.24 do NFPA 13. Esta chave de fluxo prevista nestes pavimentos, avisará a operação do sistema no Quadro Geral de Sinalização e Alarme (QGSA), localizado junto à guarita no pavimento térreo, onde existe sempre a presença de funcionários do edificio. A chave de fluxo deve ser capaz de acusar uma vazão de 57 lpm para os sistemas de dreno e teste de pavimentos classificados como risco leve. Foi projetado também, um registro que permitirá o isolamento do andar para manutenção sem interferir com a operação do restante do sistema. Tanto esta chave de fluxo quanto a chave seccionadora, estão sendo previstas com saida de sinal, para interligação ao sistema de Automação, Supervisão e Segurança Predial (ver projeto especifico). O painel central (QGSA) instalado no pavimento térreo, indicará a operação das chaves de fluxo e bombas em operação, bem como as seguintes anormalidades na casa de bombas:
  3. 3. -Falta de fase no painel das bombas; -Nivel de água baixo no reservatório; -Bomba jockey em operação; -Bomba principal de Chuveiros Automáticos ligada; -Bomba jockey em sobrecarga. 5. Válvula de Governo e Alarme Haverá uma válvula de governo e alarme localizada na descarga da bomba, de 150 mm de diâmetro, a qual alimentara' toda a edificação. 6. Casa de Bombas No Sistema de Chuveiros Automáticos, teremos uma bomba elétrica principal e uma bomba elétrica de pressurização, “jockey”, ambas de acionamento automático através de pressostatos. 0 desligamento da “jockey” é automatico, enquanto que o da bomba principal é feito de maneira manual. Após a partida do motor, o funcionamento da bomba só poderá ser interrompido por intervenção manual, condicionando-se o conjunto a funcionar em pleno regime, no máximo 30 segundos após a partida. 7. Registro de Recalque Uma tomada dupla de recalque d'água para o uso exclusivo pelo Corpo de Bombeiros, destinada ao Sistema de Chuveiros Automáticos, foi localizada no passeio, defronte ao Edifício, A tomada d'água para o Sistema de Chuveiros Automáticos, é composta de dois engates rápidos tipo "Storz", de 65 mm de diâmetro, com duas válvulas de retenção também de 65 mm, instalados em uma caixa de alvenaria de 80 x 60 cm, dotada de tampa em ferro fundido com a inscrição “ Incêndio 8. Funcionamento e Testes A rede de distribuição de Chuveiros Automáticos é mantida pressurizada através de uma bomba “jockey”, que deve suprir eventuais vazamentos. Esta bomba liga automaticamente quando a pressão na rede junto as bombas atinge 60 mca e desliga também automaticamente quando a pressão atingir 55 mca. Por ocasião de um incêndio, o calor romperá o bulbo dos chuveiros automáticos da área, liberando água sobre a fonte geradora de calor.
  4. 4. Como a bomba “jockey” não será capaz de suprir-a despressurização da instalação, aubombam principal entrará automaticamente em funcionamento pela ação de um pressostato, quando a pressão junto a mesma atingir 50 mca, desligando automaticamente a bomba "jockey". Esta por sua vez só poderá ser desligada manualmente. 9. Especificação de Materiais 9.1 Considerações Gerais Todos os componentes do sistema deverão ter suas caracteristicas e funções compativeis com as condições de trabalho (pressão, vazão e temperatura) e com a filosofia de operação estabelecida. Deverão ser utilizados materiais de primeira qualidade, aprovados pelas normas em referência e pela ABNT. Apresentamos a seguir a especiñcação dos materiais, equipamentos e componentes do sistema. 9.2 Especificações 9.2.1 Tubos deverão ser obrigatoriamente em aço carbono sem costura, Schedule 40 preto, rosqueados para diâmetros até 92" e soldados para diâmetros superiores, 9.2.2 Conexões deverão ser em ferro maleável (NBR 6943), classe 10, para diâmetros até Q 2", em aço carbono soldável para diâmetros superiores. 9.2.3 Válvula gaveta em bronze, haste ñxa, classe 125 PSl, extremidades com rosca BSP. 9.2.4 Chuveiros automáticos tipo bulbo quartzo, SK2 D = 1/2" K = 80 (Sl), T = 68°C (para área de atendimento e mezanino) e T = 93°C (para área da cozinha). 9.2.5 A rede deverá ser fixada com braçadeiras do tipo econômico com vergalhão rosqueado de 318" galvanizados e chumbador tipo UR 3/8", não sendo aceitos suportes flexíveis. Os suportes deverão ser instalados entre cada conexão da rede e no máximo a cada 2,00 m. 9.2.6 Pintura A tubulação deverá ser limpa com escova de aço. Óleo e graxa devem ser removidos com solventes e receber aplicação de uma demão de zarcão e duas demãos de acabamento sintético vemielho. Deverá ser utilizado como veda juntas, para conexões roscáveis, pasta ou fita e adesivo.
  5. 5. 9.2.7 Suspensão Devem ser usados vergalhões e braçadeiras de acordo com o especificado pelo fabricante, sendo vedado o uso de fita. A tubulação de chuveiros automáticos deverá ser suportada independentemente do forro ou de outros equipamentos. Elementos de suporte com menos de 3mm de espessura devem ser protegidos contra corrosão. Os suportes deverão ser suficientes para suportarem 5 vezes o peso da tubulação a que estão ligados, cheios de água, acrescido de 114 kg por suporte. Toda a rede de chuveiros automáticos (sprinklers) deverá ser testada a uma pressão minima de 200lgf/ cm2, por minimo 24 horas e deverá ser pintada com fundo anticorrosivo e duas demãos de tinta vermelha. @J/ @ZMM Eng° Eloy Minson CREA: 0500101062

×