A investigação docasal com dificuldade  para engravidar...     o início de um sonho!  http://www.evangelistatorquato.com
Anamenese feminina
Anamenese femininaI. Idade
Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/Etilismo
Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitas
Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em uso
Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. Alergias
Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias prévias
Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias prévia...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medic...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidade                          VIII. Tipo de infertilida...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidade                          VIII. Tipo de infertilida...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidade                          VIII. Tipo de infertilida...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidade                          VIII. Tipo de infertilida...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidade                          VIII. Tipo de infertilida...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidade                          VIII. Tipo de infertilida...
Anamenese femininaI. Idade                  VII. Tempo de infertilidade                          VIII. Tipo de infertilida...
Anamenese femininaI. Idade                                  VII. Tempo de infertilidade                                   ...
Anamenese masculina
Anamenese masculinaI. Idade
Anamenese masculinaI. IdadeII. Criptorquidia
Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. Caxumba
Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTs
Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTsV. Uso de anabolizantes, anti   antiandrogênios, anti hipe...
Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTsV. Uso de anabolizantes, anti   antiandrogênios, anti hipe...
Anamenese masculinaI. Idade                                 VIII. Exposição ambientalII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTs...
Anamenese masculinaI. Idade                                 VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia                    ...
Anamenese masculinaI. Idade                                 VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia                    ...
Anamenese masculinaI. Idade                                 VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia                    ...
Anamenese masculinaI. Idade                              VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia                     IX...
Anamenese masculinaI. Idade                               VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia                      ...
Anamenese masculinaI. Idade                                 VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia                    ...
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação:
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina VI. Testosterona
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina VI. Testosterona VII.De...
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH                      VIII.   Sorologias II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 liv...
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH                      VIII.   Sorologias                             IX.     U...
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH                                     VIII.    Sorologias                      ...
Entre o 1o e o 3o dia da menstruação:                         Us pélvico transvaginal       < de 6 óvulos               > ...
http://www.evangelistatorquato.com
Como pesquisar endometriose..       http://www.evangelistatorquato.com
Como pesquisar endometriose..✴ Ca 125✴ US para endometriose profunda              http://www.evangelistatorquato.com
Entre o 6o e o 12o dia da menstruação:                                         Histerosalpingografia  O que é o exame:  A h...
Entre o 6o e o 12o dia da menstruação:         Vídeo histeroscopia
Entre o 6o e o 12o dia da menstruação:                                  Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médi...
Entre o 6o e o 12o dia da menstruação:                                  Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médi...
Entre o 6o e o 12o dia da menstruação:                                  Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médi...
Entre o 6o e o 12o dia da menstruação:                                  Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médi...
EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e   morfologia ).
EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e   morfologia ).II. Deve ser co...
EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e   morfologia ).II. Deve ser co...
EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e   morfologia ).II. Deve ser co...
EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e   morfologia ).II. Deve ser co...
EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e   morfologia ).II. Deve ser co...
Espermograma
EspermogramaI. Uma nova forma de analisar o sêmem é através de um  exame chamado índice de fragmentação do espermatozóide.
EspermogramaI. Uma nova forma de analisar o sêmem é através de um  exame chamado índice de fragmentação do espermatozóide....
EspermogramaI. Uma nova forma de analisar o sêmem é através de um  exame chamado índice de fragmentação do espermatozóide....
Ultra som testicular com dopller
Ultra som testicular com dopllerI. Este exame é bem simples e nos dará informações valiosas, tais  como: tamanho do testíc...
Ultra som testicular com dopllerI. Este exame é bem simples e nos dará informações valiosas, tais  como: tamanho do testíc...
Exames hormonais
Exames hormonaisI. FSH
Exames hormonaisI. FSHII. Estradiol
Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.Testosterona
Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.TestosteronaIV.AMH
Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.TestosteronaIV.AMHV. Prolactina
Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.TestosteronaIV.AMHV. ProlactinaVI.TSH                http://www.evangelistatorquato...
http://www.evangelistatorquato.com
http://www.evangelistatorquato.com
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Avaliação do casal infértil   para pacientes
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Avaliação do casal infértil para pacientes

1.101 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.101
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • Avaliação do casal infértil para pacientes

    1. 1. A investigação docasal com dificuldade para engravidar... o início de um sonho! http://www.evangelistatorquato.com
    2. 2. Anamenese feminina
    3. 3. Anamenese femininaI. Idade
    4. 4. Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/Etilismo
    5. 5. Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitas
    6. 6. Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em uso
    7. 7. Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. Alergias
    8. 8. Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias prévias
    9. 9. Anamenese femininaI. IdadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    10. 10. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    11. 11. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/EtilismoIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    12. 12. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/Etilismo IX. Ciclos menstruaisIII. Drogas ilícitasIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    13. 13. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/Etilismo IX. Ciclos menstruaisIII. Drogas ilícitas X. Dor menstrualIV. Medicamentos em usoV. AlergiasVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    14. 14. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/Etilismo IX. Ciclos menstruaisIII. Drogas ilícitas X. Dor menstrualIV. Medicamentos em uso XI. Alterações intestinaisV. AlergiasVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    15. 15. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/Etilismo IX. Ciclos menstruaisIII. Drogas ilícitas X. Dor menstrualIV. Medicamentos em uso XI. Alterações intestinais XII. Doenças genéticasV. AlergiasVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    16. 16. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/Etilismo IX. Ciclos menstruaisIII. Drogas ilícitas X. Dor menstrualIV. Medicamentos em uso XI. Alterações intestinais XII. Doenças genéticasV. Alergias XIII. Falência ovariana prematuraVI. Cirurgias préviasVII.Doenças crônicas
    17. 17. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/Etilismo IX. Ciclos menstruaisIII. Drogas ilícitas X. Dor menstrualIV. Medicamentos em uso XI. Alterações intestinais XII. Doenças genéticasV. Alergias XIII. Falência ovariana prematuraVI. Cirurgias prévias XIV. Tratamentos anterioresVII.Doenças crônicas
    18. 18. Anamenese femininaI. Idade VII. Tempo de infertilidade VIII. Tipo de infertilidadeII. Tabagismo/Etilismo IX. Ciclos menstruaisIII. Drogas ilícitas X. Dor menstrualIV. Medicamentos em uso XI. Alterações intestinais XII. Doenças genéticasV. Alergias XIII. Falência ovariana prematuraVI. Cirurgias prévias XIV. Tratamentos anterioresVII.Doenças crônicas XV. IMC http://www.evangelistatorquato.com
    19. 19. Anamenese masculina
    20. 20. Anamenese masculinaI. Idade
    21. 21. Anamenese masculinaI. IdadeII. Criptorquidia
    22. 22. Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. Caxumba
    23. 23. Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTs
    24. 24. Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTsV. Uso de anabolizantes, anti antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterol
    25. 25. Anamenese masculinaI. IdadeII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTsV. Uso de anabolizantes, anti antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterolVI. Doenças crônicas
    26. 26. Anamenese masculinaI. Idade VIII. Exposição ambientalII. CriptorquidiaIII. CaxumbaIV. DSTsV. Uso de anabolizantes, anti antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterolVI. Doenças crônicas
    27. 27. Anamenese masculinaI. Idade VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia IX. ProfissãoIII. CaxumbaIV. DSTsV. Uso de anabolizantes, anti antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterolVI. Doenças crônicas
    28. 28. Anamenese masculinaI. Idade VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia IX. ProfissãoIII. Caxumba X. Febre ( 3 meses )IV. DSTsV. Uso de anabolizantes, anti antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterolVI. Doenças crônicas
    29. 29. Anamenese masculinaI. Idade VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia IX. ProfissãoIII. Caxumba X. Febre ( 3 meses )IV. DSTs XI. Tabagismo/EtilismoV. Uso de anabolizantes, anti antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterolVI. Doenças crônicas
    30. 30. Anamenese masculinaI. Idade VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia IX. ProfissãoIII. Caxumba X. Febre ( 3 meses )IV. DSTs XI. Tabagismo/EtilismoV. Uso de anabolizantes, anti XII. Varicocele antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterolVI. Doenças crônicas
    31. 31. Anamenese masculinaI. Idade VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia IX. ProfissãoIII. Caxumba X. Febre ( 3 meses )IV. DSTs XI. Tabagismo/EtilismoV. Uso de anabolizantes, anti XII. Varicocele antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterol XIII. Hábitos alimentaresVI. Doenças crônicas
    32. 32. Anamenese masculinaI. Idade VIII. Exposição ambientalII. Criptorquidia IX. ProfissãoIII. Caxumba X. Febre ( 3 meses )IV. DSTs XI. Tabagismo/EtilismoV. Uso de anabolizantes, anti XII. Varicocele antiandrogênios, anti hipertensivos ou medicamentos para diminuir colesterol XIII. Hábitos alimentaresVI. Doenças crônicas XIV. Celular/Laptop/Sauna/Roupas http://www.evangelistatorquato.com
    33. 33. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação:
    34. 34. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH
    35. 35. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol
    36. 36. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH
    37. 37. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre
    38. 38. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina
    39. 39. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina VI. Testosterona
    40. 40. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina VI. Testosterona VII.Deidroepiandrosterona
    41. 41. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH VIII. Sorologias II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina VI. Testosterona VII.Deidroepiandrosterona
    42. 42. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH VIII. Sorologias IX. US mama/Mamografia II. Estradiol III. AMH IV. TSH/T4 livre V. Prolactina VI. Testosterona VII.Deidroepiandrosterona
    43. 43. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: I. FSH VIII. Sorologias IX. US mama/Mamografia II. Estradiol X. Papanicolau III. AMH Sorologias: IV. TSH/T4 livre • HIV • HBsAg • Anti HBs V. Prolactina • Anti HBc • Sorologia para hepatite C • VDRL VI. Testosterona • HTLV 1 e 2 VII.Deidroepiandrosterona http://www.evangelistatorquato.com
    44. 44. Entre o 1o e o 3o dia da menstruação: Us pélvico transvaginal < de 6 óvulos > 6 e <15 óvulos >= 15 óvulos Baixa produção de óvulos Produção normal de óvulos Produção aumentada de óvulosA produção de óvulos tem uma clara relação com a chance de engravidar. http://www.evangelistatorquato.com
    45. 45. http://www.evangelistatorquato.com
    46. 46. Como pesquisar endometriose.. http://www.evangelistatorquato.com
    47. 47. Como pesquisar endometriose..✴ Ca 125✴ US para endometriose profunda http://www.evangelistatorquato.com
    48. 48. Entre o 6o e o 12o dia da menstruação: Histerosalpingografia O que é o exame: A histerossalpingografia é uma radiografia do seu útero e das suas trompas. É um dos mais antigos exames solicitados na rotina de um casal com dificuldades para ter seu filho de forma natural.Com um catéter colocado dentro do útero, se injeta um contraste e se vai fazendo radiografias do útero. Com este exame podemos dizer se suas trompas são pérvias e permite o encontro do óvulo com o espermatozóide.Cuidados para realizar este exame: A histerossalpingografia deve ser realizada em uma fase específica do ciclo menstrual, entre os dias 6 e 12 do ciclo menstrual. Deve ser feita uma limpeza do intestino previamente, que pode ser obtida com o auxílio de laxantes no dia anterior ao da realização do exame. Podem ser utilizados anti-inflamatórios ou anti-espasmódicos 30 minutos antes de realizar o exame, para prevenir a ocorrência de dores durante sua realização. Use três dias antes um antibiótico cjamado azitromicina 500mg - um comprimido por dia durante três dias, isso é muito importante para evitar infecçoes. Atenção: este exame tem uma taxa de erro de 15 a 20% http://www.evangelistatorquato.com
    49. 49. Entre o 6o e o 12o dia da menstruação: Vídeo histeroscopia
    50. 50. Entre o 6o e o 12o dia da menstruação: Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médica da cavidade uterina através de endoscopia. Permite o diagnóstico de patologias intrauterinas.
    51. 51. Entre o 6o e o 12o dia da menstruação: Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médica da cavidade uterina através de endoscopia. Permite o diagnóstico de patologias intrauterinas.I. A histeroscopia diagnóstica é um exame realizado para observar a cavidade uterina e o canalcervical. A grande vantagem é a possibilidade de sua realização em ambulatório sem o uso da anestesiae sem requerer internação.
    52. 52. Entre o 6o e o 12o dia da menstruação: Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médica da cavidade uterina através de endoscopia. Permite o diagnóstico de patologias intrauterinas.I. A histeroscopia diagnóstica é um exame realizado para observar a cavidade uterina e o canalcervical. A grande vantagem é a possibilidade de sua realização em ambulatório sem o uso da anestesiae sem requerer internação.II. Ela permite a visualização direta do interior do útero, com introdução de instrumental e uma ótica viavaginal que varia de 1,2mm a 4mm de diâmetro, podendo ser realizada no próprio consultório.
    53. 53. Entre o 6o e o 12o dia da menstruação: Vídeo histeroscopiaHisteroscopia é a inspeção médica da cavidade uterina através de endoscopia. Permite o diagnóstico de patologias intrauterinas.I. A histeroscopia diagnóstica é um exame realizado para observar a cavidade uterina e o canalcervical. A grande vantagem é a possibilidade de sua realização em ambulatório sem o uso da anestesiae sem requerer internação.II. Ela permite a visualização direta do interior do útero, com introdução de instrumental e uma ótica viavaginal que varia de 1,2mm a 4mm de diâmetro, podendo ser realizada no próprio consultório.III. Através da vídeo-histeroscopia, introduz-se pela vagina uma fina óptica no canal uterino, que levaluz ao seu interior, bem como um gás (gás carbônico) para distendê-la, tudo controlado pelo histeroflatorautomático que oferece proteção e segurança quanto à absorção de CO² pela paciente. A essa óticaacopla-se uma micro câmera, que leva a imagem até um monitor de TV permitindo assim a visualizaçãodo canal cervical com uma nitidez magnífica e as patologias existentes neste local. Após o exame apaciente poderá retornar às suas atividades cotidianas normais. Todos os exames são fotografados. http://www.evangelistatorquato.com
    54. 54. EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e morfologia ).
    55. 55. EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e morfologia ).II. Deve ser coletado com 2 a 4 dias de abstinência sexual.
    56. 56. EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e morfologia ).II. Deve ser coletado com 2 a 4 dias de abstinência sexual.III. Informe ao seu médico se teve febre nos ultimos três meses.
    57. 57. EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e morfologia ).II. Deve ser coletado com 2 a 4 dias de abstinência sexual.III. Informe ao seu médico se teve febre nos ultimos três meses.IV. Colete o sêmem com todos os rigores de assepsia, lave bem suas mãos antes do procedimento. Não use saliva ou outro líquido que não o soro fisiológico para a coleta.
    58. 58. EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e morfologia ).II. Deve ser coletado com 2 a 4 dias de abstinência sexual.III. Informe ao seu médico se teve febre nos ultimos três meses.IV. Colete o sêmem com todos os rigores de assepsia, lave bem suas mãos antes do procedimento. Não use saliva ou outro líquido que não o soro fisiológico para a coleta.V. Não perca o 1o jato de sêmem, ele é o mais rico em espermatozóides.
    59. 59. EspermogramaI. Exame fundamental para avaliar a fertilidade masculina( número, motilidade e morfologia ).II. Deve ser coletado com 2 a 4 dias de abstinência sexual.III. Informe ao seu médico se teve febre nos ultimos três meses.IV. Colete o sêmem com todos os rigores de assepsia, lave bem suas mãos antes do procedimento. Não use saliva ou outro líquido que não o soro fisiológico para a coleta.V. Não perca o 1o jato de sêmem, ele é o mais rico em espermatozóides.VI. Nunca deixe de informar os medicamentos que esta em uso e se teve febre nos últimos três meses. http://www.evangelistatorquato.com
    60. 60. Espermograma
    61. 61. EspermogramaI. Uma nova forma de analisar o sêmem é através de um exame chamado índice de fragmentação do espermatozóide.
    62. 62. EspermogramaI. Uma nova forma de analisar o sêmem é através de um exame chamado índice de fragmentação do espermatozóide.II. Muitas vezes o espermograma encontra se completamente normal e a alteração esta neste exame.
    63. 63. EspermogramaI. Uma nova forma de analisar o sêmem é através de um exame chamado índice de fragmentação do espermatozóide.II. Muitas vezes o espermograma encontra se completamente normal e a alteração esta neste exame.III.Apesar de ainda existirem controvérsias são cada vez maiores as evidências de que a alterações nele encontradas podem ser impactantes nos resultados de reprodução. http://www.evangelistatorquato.com
    64. 64. Ultra som testicular com dopller
    65. 65. Ultra som testicular com dopllerI. Este exame é bem simples e nos dará informações valiosas, tais como: tamanho do testículo e presença de varizes. Se você tomar um banho quente e relaxadamente fazer uma inspeção no saco escrotal e ver veias salientes na pele, este é o grau mais avançado desta patologia.
    66. 66. Ultra som testicular com dopllerI. Este exame é bem simples e nos dará informações valiosas, tais como: tamanho do testículo e presença de varizes. Se você tomar um banho quente e relaxadamente fazer uma inspeção no saco escrotal e ver veias salientes na pele, este é o grau mais avançado desta patologia.II. Este exame é realizado por um radiologista e é completamente indolor. http://www.evangelistatorquato.com
    67. 67. Exames hormonais
    68. 68. Exames hormonaisI. FSH
    69. 69. Exames hormonaisI. FSHII. Estradiol
    70. 70. Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.Testosterona
    71. 71. Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.TestosteronaIV.AMH
    72. 72. Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.TestosteronaIV.AMHV. Prolactina
    73. 73. Exames hormonaisI. FSHII. EstradiolIII.TestosteronaIV.AMHV. ProlactinaVI.TSH http://www.evangelistatorquato.com
    74. 74. http://www.evangelistatorquato.com
    75. 75. http://www.evangelistatorquato.com

    ×