Amor e filosofia

15.339 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
5 comentários
23 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
5
Gostaram
23
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amor e filosofia

  1. 1. Amor & Filosofia Professora: Euza Raquel
  2. 2. “O homem solitário ou é uma besta ou um deus.” Aristóteles“O verdadeiro revolucionário é guiado por grandes sentimentos de amor.” Ernesto Che Guevara
  3. 3. O que é o Amor?
  4. 4. Reflexão Inicial:Por que falar do amor?Não basta amar?Amor e Afetividade na Filosofia
  5. 5. Amor Complementar x Amor Suplementar
  6. 6. “Porque eu te amo, tu nãoprecisas de mim. Porque tu meamas, eu não de ti. No amor, jamaisnos deixamos nos completar.Somos, um para o outro,deliciosamente desnecessários.” Roberto Freire
  7. 7. ALEGORIA: ALMA GÊMEA O BANQUETE - Platão Teoria da Alma Gêmea Expressa pelo personagem Aristófanes Linguagem Poético-imagética No início dos tempos os homens eram seres completos, de duas cabeças, quatro pernas, quatro braços. Por sua rebeldia, Zeus resolveu castigá-los e cindiu-os ao meio com sua espada. Os homens caíram na terra novamente e, desesperados, cada um saiu à procura da sua outra metade, sem a qual não viveriam.
  8. 8. Amor &Paixão
  9. 9. AMOR E PAIXÃOPara Platão, o homem é constituído por três almas, uma pela qualcompreendemos (racional), outra pela qual nos irritamos (irascível)e outra pela qual "desejamos os prazeres da comida, da reproduçãoe todos os outros da mesma família" (concupiscível). O homemsábio é aquele que fortalece a razão, alma superior, e não se deixaarrastar pela força das paixões.Já não é assim que pensa o holandês Spinoza (séc. XVII), para quema razão não é superior aos afetos, nem cabe a ela controlá-los. Asafecções do corpo e sentimentos da alma são forças de existir e agire jamais serão vencidas por uma ideia ou por uma vontade, masapenas por outros afetos mais fortes e poderosos do que eles.
  10. 10. Amor é Conhecimento?
  11. 11. PAIXÃO PATHOS sofrer, suportar, deixar-se levar por.
  12. 12. Alguns Tipos de Amor•Amor Platônico;•Amor Cristão;•Amor Erótico;•Amizade.
  13. 13. As Três Espécies de Amor EROS PHILIA ÁGAPE
  14. 14. EROS Caráter fortemente passional Amor que sofre, se desespera: é carente. Amor que brota do desejo.
  15. 15. EROSAmor PlatônicoAmor RomânticoO Amor Platônico é filosófico porquenos faz ver que a verdade da nossanatureza é procurar.
  16. 16. PHILIA Philia quer dizer Amizade Amor mais do que Amizade entre amigos; Amor companheiro: não é de falta. Relação Amorosa com amizade, cumplicidade, respeito mútuo, estar perto, estar ao lado. Compromisso a longo prazo.
  17. 17. PHILIAHá uma superação do egoísmo e certa doaçãodesinteressada.Uma entrega de si mesmo, mas ainda temos aqui um prazerpessoal, a alegria do companheirismo, a ajuda mútua, ogosto pela presença e existência do outro.Amor pelas pessoas mais próximas e com quem temosafinidades.
  18. 18. ÁGAPE Amor que transcende todo beneficio próprio. Amor Cristão, Caridade. Amor universal por todas as pessoas. Amor que não busca vantagem. Capacidade de amar aos próprios inimigos.
  19. 19. A Forma mais Abrangente de Amor. Nosso Amor cotidiano Solidariedade Compaixão
  20. 20. Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Nãopercebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles. A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis quepermite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amortem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade. E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessemmorrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todosos meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto sãomeus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências… A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhesdizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar. Muitos deles estãolendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relaçãode meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os admiro, adoro, osamo, embora não declare. Vinícius de Moraes
  21. 21. Bem que existe no mundo, aqui e ali, uma espéciede continuação do amor, na qual a cobiçosa ânsiaque duas pessoas têm uma pela outra deu lugar aum novo desejo e cobiça, a uma elevada sedeconjunta de um ideal acima delas: Mas quemconhece tal amor? Quem o experimentou? Seuverdadeiro nome é amizade. Friedrich Nietzsche. Gaia Ciência, 14.
  22. 22. O Amor líquido Zygmunt Bauman
  23. 23. Amor líquidoA fragilidade dos laços humanos num mundo confuso, emconstante mudança, em que as pessoas são incapazes de formar vínculos fortes. (instabilidade, imprevisível, irregular e inapreensível) “Não se pode aprender a amar, tal como não se podeaprender a morrer. E não se pode aprender a arte ilusóriade evitar suas garras e ficar fora do seu caminho. Chegadoo momento, o amor e a morte atacarão. Quando acontecer, vai pegar você desprevenido.”
  24. 24. Bauman: “...numa cultura consumista como a nossa,que favorece o produto para uso imediato, oprazer passageiro, a satisfação instantânea, resultados que não exijam esforçosprolongados, receitas testadas, garantias de seguro total e devolução do dinheiro. A promessa de aprender a arte de amar é a oferta de construir a experiência amorosa à semelhança de outras mercadorias...”
  25. 25. Amor líquido Amor Desejo Vontade de cuidar, de  Impulso de destruição. preservar.  Consumir. Possuir.  A realização do desejo O amor cresce com a coincide com a aniquilação aquisição do objeto. do objeto. Autoperpetuação.  Autodestruição.
  26. 26. PARA REFLETIR:O que esperar do ser humano quando mesmo o mais nobre sentimento está banalizado?
  27. 27. Dicas:Livros:

×