Ettore Reginaldo Tedeschi
Para aumentar qualidade, vinícola
portuguesa submerge 30 mil
garrafas de vinho
Transformar água em vinho faz parte de uma passagem bíblica
com quase dois milênios de existência. No entanto, após um
aca...
“O projeto é recuperar uma história antiga, em que barcos que
se afundavam com vinhos revelaram, depois, ter vinhos
extrao...
O diretor explicou também que as garrafas foram seladas,
lacradas e acondicionadas dentro de caixas de grande
dimensão, e ...
“Temos ausência total de luz, a caixa fica debaixo de água
sem qualquer movimento e a temperatura, durante o dia e a
noite...
Para aumentar qualidade, vinícola portuguesa submerge 30 mil garrafas de vinho
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Para aumentar qualidade, vinícola portuguesa submerge 30 mil garrafas de vinho

146 visualizações

Publicada em

Transformar água em vinho faz parte de uma passagem bíblica com quase dois milênios de existência. No entanto, após um acaso, e também muito estudo, a vinícola portuguesa Ervideira chegou a uma curiosa invenção para aumentar a qualidade de suas bebidas. Baseada no fino teor de vinhos que foram resgatados de barcos naufragados - e após pesquisas que explicaram o aumento da qualidade - o diretor executivo da empresa, Duarte Leal da Costa, anunciou a decisão de submergir 30 mil garrafas na cidade Albufeira, que pertence ao Distrito de Faro, região e sub-região do Algarve, para criar o "Vinho da água".

“O projeto é recuperar uma história antiga, em que barcos que se afundavam com vinhos revelaram, depois, ter vinhos extraordinários. Já colocámos algumas garrafas lá dentro. No total, vão ficar mais de 30 mil garrafas debaixo de água, a 15 ou 17 metros de profundidade, no mínimo, e até aos 30 metros, no máximo”, afirmou o executivo, que cogita aumentar a produção, no futuro.

O diretor explicou também que as garrafas foram seladas, lacradas e acondicionadas dentro de caixas de grande dimensão, e foram submersas com o auxílio de um trator e de um barco e por lá ficarão por cerca de oito meses. Segundo Duarte, antes de ir para a água, o lote do vinho amadureceu por por igualmente oito meses em uma barrica.

“Temos ausência total de luz, a caixa fica debaixo de água sem qualquer movimento e a temperatura, durante o dia e a noite, é sempre a mesma, 17 graus, seja de inverno, seja de verão. Esses fatores dão um potencial de envelhecimento brutal aos vinhos e os resultados são perfeitamente fabulosos”, concluiu.

Publicada em: Alimentos
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
146
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Para aumentar qualidade, vinícola portuguesa submerge 30 mil garrafas de vinho

  1. 1. Ettore Reginaldo Tedeschi Para aumentar qualidade, vinícola portuguesa submerge 30 mil garrafas de vinho
  2. 2. Transformar água em vinho faz parte de uma passagem bíblica com quase dois milênios de existência. No entanto, após um acaso, e também muito estudo, a vinícola portuguesa Ervideira chegou a uma curiosa invenção para aumentar a qualidade de suas bebidas. Baseada no fino teor de vinhos que foram resgatados de barcos naufragados - e após pesquisas que explicaram o aumento da qualidade - o diretor executivo da empresa, Duarte Leal da Costa, anunciou a decisão de submergir 30 mil garrafas na cidade Albufeira, que pertence ao Distrito de Faro, região e sub-região do Algarve, para criar o "Vinho da água".
  3. 3. “O projeto é recuperar uma história antiga, em que barcos que se afundavam com vinhos revelaram, depois, ter vinhos extraordinários. Já colocámos algumas garrafas lá dentro. No total, vão ficar mais de 30 mil garrafas debaixo de água, a 15 ou 17 metros de profundidade, no mínimo, e até aos 30 metros, no máximo”, afirmou o executivo, que cogita aumentar a produção, no futuro.
  4. 4. O diretor explicou também que as garrafas foram seladas, lacradas e acondicionadas dentro de caixas de grande dimensão, e foram submersas com o auxílio de um trator e de um barco e por lá ficarão por cerca de oito meses. Segundo Duarte, antes de ir para a água, o lote do vinho amadureceu por por igualmente oito meses em uma barrica.
  5. 5. “Temos ausência total de luz, a caixa fica debaixo de água sem qualquer movimento e a temperatura, durante o dia e a noite, é sempre a mesma, 17 graus, seja de inverno, seja de verão. Esses fatores dão um potencial de envelhecimento brutal aos vinhos e os resultados são perfeitamente fabulosos”, concluiu.

×