Questões Comentadas de Raciocínio Lógico - Escrevente TJ-SP 2015

6.263 visualizações

Publicada em

Resolução das questões de Raciocínio Lógico da prova
de Escrevente Técnico Judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP)

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.263
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.767
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
172
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Questões Comentadas de Raciocínio Lógico - Escrevente TJ-SP 2015

  1. 1. Caros alunos, Segue abaixo a resolução das questões de Raciocínio Lógico da prova de Escrevente Técnico Judiciário do Tribunal de Justiça de São Paulo, que ocorreu neste último final de semana. Fico à disposição para discutir as dúvidas que vocês tiverem. Saudações, Prof. Arthur Lima (www.facebook.com/ProfessorArthurLima) VUNESP – TJ/SP – 2015) Se todo estudante de uma disciplina A é também estudante de uma disciplina B e todo estudante de uma disciplina C não é estudante da disciplina B, então é verdade que (A) algum estudante da disciplina A é estudante da disciplina C. (B) algum estudante da disciplina B é estudante da disciplina C. (C) nenhum estudante da disciplina A é estudante da disciplina C. (D) nenhum estudante da disciplina B é estudante da disciplina A. (E) nenhum estudante da disciplina A é estudante da disciplina B. RESOLUÇÃO: Suponha 3 conjuntos: estudantes de A, estudantes de B e estudantes de C. Veja que todos os elementos do primeiro conjunto estão dentro do segundo conjunto (A está contido em B). Já nenhum estudante de C está contido em B. Temos algo como: A B C www.estrategiaconcursos.com.br
  2. 2. Portanto, repare que nenhum estudante de A pode ser estudante de C, e vice-versa. Logo, podemos marcar a alternativa C. Resposta: C VUNESP – TJ/SP – 2015) Considere verdadeira a seguinte afirmação: “Todos os primos de Mirian são escreventes”. Dessa afirmação, conclui-se corretamente que (A) se Pâmela não é escrevente, então Pâmela não é prima de Mirian. (B) se Jair é primo de Mirian, então Jair não é escrevente. (C) Mirian é escrevente. (D) Mirian não é escrevente. (E) se Arnaldo é escrevente, então Arnaldo é primo de Mirian. RESOLUÇÃO: Se todos os primos de Mirian são escreventes, podemos concluir que se determinada pessoa NÃO é escrevente, ela NÃO pode ser prima de Mirian. Temos um exemplo disso na alternativa A. Basta notar que a frase do enunciado pode ser substituída pela condicional: “Se é primo de Mirian, então é escrevente” Que, como vimos, é equivalente a: “Se não é escrevente, então não é primo de Mirian” Note que isto NÃO significa que todos os escreventes do mundo devem ser primos de Mirian. É por isso que não podemos afirmar o que foi dito na alternativa E. Resposta: A www.estrategiaconcursos.com.br
  3. 3. VUNESP – TJ/SP – 2015) Mantendo-se a regularidade da sequência numérica –3, 1, –5, 3, –7, 5, …, os dois próximos elementos dessa sequência serão, respectivamente, (A) –10 e 6. (B) –9 e 7. (C) –11 e 5. (D) –12 e 4. (E) –13 e 3. RESOLUÇÃO: Veja que temos 2 sequências alternadas, uma em vermelho e outra em preto: –3, 1, –5, 3, –7, 5, … Na sequência em vermelho basta ir subtraindo 2 unidades. O próximo número será -7 – 2 = -9. Na sequência em preto basta ir somando 2 unidades. O próximo número será 5 + 2 = 7. Resposta: B VUNESP – TJ/SP – 2015) Considere as seguintes figuras de uma sequência de transparências, todas enumeradas: www.estrategiaconcursos.com.br
  4. 4. Na referida sequência, a transparência 6 tem a mesma figura da transparência 1, a transparência 7 tem a mesma figura da transparência 2, a transparência 8 tem a mesma figura da transparência 3, e assim por diante, obedecendo sempre essa regularidade. Dessa forma, sobrepondo-se as transparências 113 e 206, tem-se a figura www.estrategiaconcursos.com.br
  5. 5. RESOLUÇÃO: Observe que temos ciclos formados por 5 figuras. Dividindo 113 por 5, temos o resultado 22 e o resto 3. Ou seja, para chegar na 113ª figura devemos passar por 22 ciclos completos (formados por cinco figuras cada) e pegar a 3ª figura do próximo ciclo, que será igual à 3ª figura do primeiro ciclo: www.estrategiaconcursos.com.br
  6. 6. Analogamente, dividindo 206 por 5 temos o resultado 41 e o resto 1. Logo, devemos passar por 41 ciclos completos e pegar a 1ª figura do próximo ciclo, que é o mesmo que a 1ª figura do primeiro ciclo: Sobrepondo-as, temos a figura da alternativa E: Resposta: E VUNESP – TJ/SP – 2015) Marta confeccionou três cartões em papel cartolina e carimbou figuras em somente uma das faces de cada cartão. Ao encontrar um de seus amigos, Marta informou-lhe que todo cartão de cor amarela tinha carimbada, em uma das faces, uma figura em tinta na cor azul. Após dizer isso, ela mostrou a esse amigo três cartões: o primeiro cartão, de cor amarela, continha uma figura carimbada em tinta na cor azul; o segundo cartão, de cor vermelha, continha uma figura carimbada em tinta na cor preta; o terceiro cartão, na cor branca, continha uma figura carimbada em tinta na cor azul. Com base no que foi apresentado, pode-se afirmar corretamente que (A) apenas o terceiro cartão mostrado contradiz a afirmação de Marta. (B) apenas o segundo cartão mostrado contradiz a afirmação de Marta. (C) todos os cartões mostrados contradizem a afirmação de Marta. (D) nenhum dos cartões mostrados contradiz a afirmação de Marta. www.estrategiaconcursos.com.br
  7. 7. (E) apenas o segundo e o terceiro cartões mostrados contradizem a afirmação de Marta. RESOLUÇÃO: A afirmação de Marta pode ser sintetizada assim: “Se o cartão é amarelo, então tem uma figura azul” A única forma de negar/contradizer uma condicional p q como esta ocorre quando p é Verdadeiro e q é Falso (V F), isto é, quando um cartão é realmente amarelo e mesmo assim ele NÃO tem uma figura azul. Os demais casos não contradizem a condicional. Analisando as situações fornecidas: - o primeiro cartão, de cor amarela, continha uma figura carimbada em tinta na cor azul: temos V V, que não contradiz. - o segundo cartão, de cor vermelha, continha uma figura carimbada em tinta na cor preta: temos F F, que não contradiz. - o terceiro cartão, na cor branca, continha uma figura carimbada em tinta na cor azul: temos F V, que também não contradiz. Portanto, podemos marcar a alternativa D. Resposta: D VUNESP – TJ/SP – 2015) Uma avaliação com apenas duas questões foi respondida por um grupo composto por X pessoas. Sabendo-se que exatamente 160 pessoas desse grupo acertaram a primeira questão, que exatamente 100 pessoas acertaram as duas questões, que exatamente 250 pessoas acertaram apenas uma das duas questões, e que exatamente 180 pessoas erraram a segunda questão, é possível afirmar, corretamente, que X é igual a www.estrategiaconcursos.com.br
  8. 8. (A) 520. (B) 420. (C) 370. (D) 470. (E) 610. RESOLUÇÃO: Veja que das 160 pessoas que acertaram a primeira questão, 100 acertaram as duas. Portanto, somente 160 - 100 = 60 pessoas acertaram APENAS a primeira questão. Como 250 pessoas acertaram apenas uma questão, e dessas sabemos que 60 acertaram apenas a primeira, então as que acertaram apenas a segunda foram 250 - 60 = 190. Veja que 180 pessoas erraram a segunda questão. Sabemos que neste grupo estão as 60 pessoas que acertaram apenas a primeira questão (e, portanto, erraram a segunda). Assim, as que erraram as duas questões são 180 - 60 = 120 pessoas. Temos: Total = acertaram só a 1ª + acertaram só a 2ª + acertaram as 2 + erraram as 2 Total = 60 + 190 + 100 + 120 Total = 470 pessoas Resposta: D VUNESP – TJ/SP – 2015) Para que seja falsa a afirmação “todo escrevente técnico judiciário é alto”, é suficiente que (A) alguma pessoa alta não seja escrevente técnico judiciário. (B) nenhum escrevente técnico judiciário seja alto. (C) toda pessoa alta seja escrevente técnico judiciário. (D) alguma pessoa alta seja escrevente técnico judiciário. www.estrategiaconcursos.com.br
  9. 9. (E) algum escrevente técnico judiciário não seja alto. RESOLUÇÃO: O autor desta frase está afirmando que TODOS os escreventes “do mundo” são altos. Portanto, basta encontrarmos 1 escrevente baixo para demonstrar que esta afirmação é uma mentira. Assim, para negar esta frase basta ter algo como: Pelo menos um escrevente NÃO é alto Algum escrevente NÃO é alto Existe escrevente que NÃO é alto Temos uma dessas opções na alternativa E. Resposta: E VUNESP – TJ/SP – 2015) Uma equivalente da afirmação “Se eu estudei, então tirei uma boa nota no concurso” está contida na alternativa: (A) Não estudei e não tirei uma boa nota no concurso. (B) Se eu não tirei uma boa nota no concurso, então não estudei. (C) Se eu não estudei, então não tirei uma boa nota no concurso. (D) Se eu tirei uma boa nota no concurso, então estudei. (E) Estudei e tirei uma boa nota no concurso. RESOLUÇÃO: A frase do enunciado é uma condicional p q, onde: p = eu estudei q = tirei uma boa nota no concurso www.estrategiaconcursos.com.br
  10. 10. Esta é a nossa equivalência “manjada”, pois sabemos que uma frase equivalente a esta é ~q ~p, onde: ~p = eu NÃO estudei ~q = NÃO tirei uma boa nota no concurso Podemos escrever esta equivalência ~q ~p assim: “Se NÃO tirei uma boa nota no concurso, então eu NÃO estudei” Resposta: B VUNESP – TJ/SP – 2015) A afirmação “canto e danço” tem, como uma negação, a afirmação contida na alternativa (A) não canto e não danço. (B) canto ou não danço. (C) não danço ou não canto. (D) danço ou não canto. (E) danço ou canto. RESOLUÇÃO: Essa afirmação é uma conjunção (conectivo “e”). Para negá-la, basta demonstrar que uma das duas afirmações (canto, danço) é FALSA. Isto é, basta dizer que eu “não canto OU não danço”, como vemos na alternativa C (a frase está invertida, mas a ordem não muda o significado). Aqui bastava lembrar que a negação de “p e q” é dada pela disjunção “~p ou ~q”. Resposta: C www.estrategiaconcursos.com.br
  11. 11. VUNESP – TJ/SP – 2015) Se Márcio é dentista, então Rose não é enfermeira. Débora não é médica ou Marcelo não é professor. Identificado que Marcelo é professor e que Rose é enfermeira, conclui-se corretamente que (A) Débora não é médica e Márcio não é dentista. (B) Débora é médica e Márcio é dentista. (C) Débora é médica e Márcio não é dentista. (D) Débora não é médica e Márcio é dentista. (E) Se Débora não é médica, então Márcio é dentista. RESOLUÇÃO: Temos as seguintes premissas de um argumento: P1: Se Márcio é dentista, então Rose não é enfermeira. P2: Débora não é médica ou Marcelo não é professor. P3: Marcelo é professor P4: Rose é enfermeira Para obtermos a conclusão do argumento, devemos assumir que todas as premissas são VERDADEIRAS. P3 e P4 são proposições simples, e nos dão informações bem diretas: Marcelo é professor, e Rose é enfermeira. Voltando em P1, veja que “Rose não é enfermeira” é F, de modo que para essa premissa ser verdadeira precisamos que “Márcio é dentista” seja F também (para ficar F F). Assim, Márcio não é dentista. Voltando em P2, veja que “Marcelo não é professor” é F, de modo que para P2 ser verdadeira precisamos que Débora não é médica seja V (para ficar “V ou F”). Com as conclusões sublinhadas, podemos marcar a alternativa A. Resposta: A ********************************** www.estrategiaconcursos.com.br
  12. 12. Boa sorte a todos! Saudações, Prof. Arthur Lima (www.facebook.com/ProfessorArthurLima) www.estrategiaconcursos.com.br

×