Memorial do Convento - Cap. xxiii

11.522 visualizações

Publicada em

Tatiana Mogas

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.522
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.857
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
88
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Memorial do Convento - Cap. xxiii

  1. 1. Memorial do Convento Capítulo XXIII
  2. 2. Resumo  Neste capítulo, existe uma descrição da procissão dos     dezoito Santos, que serão levados e colocados no convento de Mafra. Estes Santos foram construídos em Itália. Para Mafra também se deslocam os trinta noviços que partiram de S. José de Ribamar, com o seu mestre frei Manuel da Cruz e outro frade de guarda, frei José de Santa Teresa. ( existe uma descrição de todo percurso destes noviços). Quando os noviços chegaram a Mafra foram recebidos triunfalmente. Baltasar chega a casa depois de levar os Santos até Mafra. Baltasar leva Blimunda a ver as estátuas, e juntos, veem a lua nascer, enorme e vermelha. Baltasar diz a Blimunda que vai deslocar-se a Monte Junto, onde a passarola está escondida.
  3. 3. Resumo  O convento de Mafra levou 13 anos a ser construído.  Quando amanheceu, Blimunda levantou-se e juntou comida para o farnel de Baltasar que ia ver o estado da passarola. Blimunda acompanhou-o até fora da vila.  Baltasar ao chegar ao pé da passarola, observou que esta não tinha sido roubada, destruída e estava no mesmo lugar.  Baltasar entra na passarola e observa que havia algumas tábuas apodrecidas. Tinham de ser substituídas, ou então desmontava a passarola e levava-a para Mafra, escondendo-a.  Baltasar, distraído, não sabia onde colocava os pés, duas tábuas cederam e acabou por cair. Esta queda provocou o voo da passarola.
  4. 4. Simbologia da Lua  A Lua é um símbolo quase universal de feminilidade, passividade, fertilidade, periodicidade e renovação. Enquanto espelho da luz do sol, a Lua atravessa as suas quatro fases visíveis para a Terra e, neste contexto, é sinónimo de transformação e evolução, pois o seu movimento é de um eterno crescimento, de lua nova a lua cheia. A Lua define-se em relação ao Sol e este em relação à Lua, já que ambos simbolizam respetivamente as polaridades feminina e masculina. Aparentemente, a sua importância é secundária em relação ao Sol, mas na verdade a Lua é tão fundamental como o Sol porque rege a água, fonte de fertilidade e de vida. Para certos povos, a fase oculta da Lua simboliza a passagem da vida para a morte e o renascimento subsequente traduzido pelo crescente lunar. A Lua simboliza ainda a vida imortal, que só é acessível aos heróis e aos reis.
  5. 5. Citações  “Entram assim em Mafra, recebidos triunfalmente, tão magoadinhos dos pés, tão transportados de fé no desvairo dos olhares, ou será fome, que desde S. José de Ribamar que vêm caminhando, só roeram pão duro, molhado em água da fonte, mas decerto tratarão melhor no hospício…” Página 450  “A máquina rodopiou duas vezes, despedaçou, rasgou os arbustos que a envolviam, e subiu. Não se via uma nuvem no céu.” Página 464

×