Memorial do Convento - Cap. xi

11.713 visualizações

Publicada em

Joana Bexiga

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.713
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.887
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Memorial do Convento - Cap. xi

  1. 1. Escola Básica 2,3/S Mestre Martins Correia Joana Bexiga, Nº3 turma 12ºA Capítulo XI Memorial do Convento José Saramago
  2. 2. Resumo  Regresso do padre Bartolomeu Lourenço da Holanda, onde esteve para descobrir o segredo do éter, par a poder f azer voar a sua passar ol a.  Depois de três anos fora, voltou então a Por t ugal com o obj et i vo de r egr essar a C m a par a oi br apr of undar os seus est udos m as ant es di sso r eal i zou duas par agens. 2
  3. 3.  Primeiro, dirigiu-se à Quinta de S. Sebastião da Pedr ei r a par a ver com o se encont r ava a sua passar ol a.  A abegoaria encontrava-se um pouco abandonada, os 3 instrumentos estavam espalhados pelo chão, pardais voavam no seu interior, os ferros encontravam-se enferrujados, eram várias as pegadas no chão, no entanto a disposição da enxerga mostrava que alguém lá tinha dormido. O padre pôde então comprovar que Baltasar lá tinha ido, apesar de não t ant as vezes com l he pedi r a. o
  4. 4.  Em segundo lugar, o padre decidiu passar por Mafra para visitar Baltasar e Blimunda. Quando lá chegou deparou-se com centenas de homens a correrem de um lado para o outro e com inúmeras explosões de pólvora que indicavam a construção do convent o.  Depois 4 de perguntar ao pároco Francisco Gonçalves (casa do qual iria ficar hospedado nessa noite) onde vivia Baltasar, dirigiu-se para a casa deste, onde, sem bater à porta, foi logo recebido por Blimunda. Quando já estão os três, o padre pedelhes então para se encontrarem na manhã segui nt e um hor a ant es a do sol nascer .
  5. 5.  Como combinado, no dia seguinte encontram-se, e Bartolomeu conta o que aprendeu: o éter consi st e na vont ade dos vi vos e t em o aspet o de uma nuvem fechada sobre a boca do estômago. Pede a Blimunda para ver a vontade dentro das pessoas e dá-lhe uma garrafa com uma pastilha de âmbar no fundo para esta as recolher. De seguida diz-lhes que, a devido tempo, iriam receber notícias para voltarem a Lisboa Fica então Blimunda incumbida de recolher as vontades e Baltasar da construção da passar ol a.  Fei t os est es pedi dos, o padr e Bar t ol om r um a C m a eu a oi br m ado na sua m a. ont ul 5
  6. 6. Citações  “Além da conversa das mulheres, são os sonhos que seguram o mundo na sua órbita. Mas são também os sonhos que lhe fazem uma coroa de luas, por isso o céu é o resplendor que há dentro da cabeça dos homens, se não é a cabeça dos homens o próprio e único céu.”  “(…) Não há diferença nenhuma entre cem homens e cem formigas, leva-se isto daqui para ali porque as forças não dão para mais, e depois vem outro homem que transportará a carga até à próxima formiga, (…)” 6

×